SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
Emoção 
Psicologia da Motivação e Emoção
Relação entre Motivação e Emoção 
 As emoções são um tipo de motivo. 
 Assim como os outros motivos, as 
emoções dão energia ao comportamento e 
o dirigem. 
 Ex: A raiva mobiliza recursos subjetivos, 
fisiológicos, hormonais e musculares para 
se atingir uma meta ou um propósito.
Relação entre Motivação e Emoção 
 As emoções servem como um sistema de leitura 
permanente para indicar se a adaptação pessoal 
está indo bem ou não. 
• As emoções positivas refletem o envolvimento e a 
satisfação de nossos estados motivacionais. 
• As emoções negativas refletem o abandono e a 
frustração de nossas motivações. 
 Emoções refletem status de satisfação versus 
fracasso dos motivos.
O que causa a emoção? 
 Polêmica: as emoções são fenômenos primariamente 
biológicos ou primariamente cognitivos? 
 Biologia versus cognição 
• Cognição – Primeiro se estabelece o significado e 
depois a emoção se segue como consequência. A 
avaliação cognitiva é primária 
• Biologia – As emoções podem ocorrer sem um evento 
cognitivo prévio, mas não podem ocorrer sem um 
evento biológico prévio. A biologia é primária.
Perspectiva Biológica 
 Grande parte do processamento emocional dos eventos da 
vida permanece não cognitiva – automática, inconsciente e 
mediada por estrutura subcorticais (Izard, 1989). 
 Estudos com bebês mostram que eles respondem 
emocionalmente a certos eventos, apesar de suas limitações 
cognitivas (Izard, 1989). 
 As emoções tem início muito rápido, duração curta, podendo 
ocorrer automaticamente. 
 Podem ocorrer mesmo sem ter consciência da emocionalidade 
(Elkman, 1992). 
 Existe um circuito cerebral para o medo, para a raiva etc. 
(Panksepp, 1982).
Perspectiva Cognitiva 
 A atividade cognitiva é um pré-requisito 
necessário para que haja emoção. 
 Lazarus argumenta que a avaliação cognitiva 
que o indivíduo faz do significado de um evento 
cria condições da experiência emocional. 
 Avaliações cognitivas: 
• Evento é bom ou mau? 
• Consigo lidar com êxito desta situação?
Visão dos Dois Sistemas 
 Segundo Buck (1984), os seres humanos tem dois 
sistemas sincrônicos que ativam e regulam a emoção. 
 Um dos sistemas é inato, espontâneo e fisiológico que 
reage involuntariamente a estímulos emocionais. 
 O outro é o sistema cognitivo com base na experiência 
que reage interpretativa e socialmente. 
 Juntos, o sistema biológico e o sistema cognitivo 
combinam-se para fornecer um mecanismo altamente 
adaptativo da emoção.
Circuito de retroalimentação da emoção 
Plutchik 
 A causa da emoção não deveria ser conceituada 
nem como cognitiva nem como biológica. 
 A emoção é antes um processo, uma cadeia de 
eventos que se agregam em um sistema complexo 
de retroalimentação. 
 Mude-se a avaliação cognitiva de “isto é benéfico” 
para “isto é prejudicial” e a emoção mudará. 
 Mude-se a qualidade da ativação (através de 
exercício, um medicamento ou eletrodo no cérebro) 
e a emoção mudará.
Emoções Básicas 
 Considera-se que existam emoções básicas e várias outras 
emoções relacionadas a uma emoção básica. 
 Ex: A raiva é uma emoção básica, mas também é uma 
família de emoções. 
 Raiva – família inclui hostilidade, fúria, ira, ultraje, 
aborrecimento, ressentimento, inveja e frustração 
 Alegria – família divertimento, alívio, satisfação, 
contentamento, orgulho; 
 Ekman (1992) considera que existem pelo menos cinco 
famílias de emoções: raiva, medo, repugnância, tristeza 
e contentamento.
Emoções Básicas 
 São inatas, e não adquiridas ou aprendidas pela 
experiência ou socialização. 
 São expressas de maneira própria e distinta (tal 
como por meio de uma expressão facial universal). 
 Provocam um padrão de respostas fisiológicas 
distinto e altamente previsível. 
 Raiva, Medo, Repugnância, Tristeza, 
Contentamento e Interesse.
Medo 
 É uma reação emocional que surge a partir da 
interpretação da pessoa de que a situação que ela 
enfrenta é perigosa e uma ameaça ao seu próprio 
bem-estar. 
 Está relacionado a: 
• Antecipação de dano físico ou psicológico; 
• Vulnerabilidade a perigos ou expectativa de que a 
capacidade de lidar com problemas não seja 
suficiente. 
o Vulnerabilidade percebida de a pessoa ser vencida por uma ameaça ou 
perigo.
Medo 
 O medo motiva a defesa. 
 Funciona como sinal de alívio para um dano físico ou 
psicológico iminente que se manifesta na ativação do 
sistema nervoso autônomo. 
 A manifestação de proteção se manifesta pela evitação ou 
afastamento do objeto. 
 O medo motiva estratégia de manejo (coping), como no 
caso de se ficar em silêncio e imóvel. 
 O medo pode fornecer a base motivacional para a 
aprendizagem de novas respostas de manejo que evitem a 
pessoa de encontrar antes o perigo.
Raiva 
 A raiva surge da restrição, tal como na interpretação 
de que os planos da pessoa ou de seu bem-estar 
possam sofrer interferência de alguma força externa. 
 Também surge de uma traição de confiança, uma 
rejeição, uma crítica injustificada, uma falta de 
consideração dos outros e aborrecimentos 
acumulados. 
 A essência da raiva é a crença de que a situação não 
é o que deveria ser, ou seja: nem a restrição, nem a 
interferência, ou a crítica são legítimas.
Raiva 
 A raiva pode esclarecer problemas de 
relacionamento, dar força a programas políticos, 
motivar a luta por direitos etc. 
 Em casos que a raiva tem uma função positiva é 
quase sempre uma expressão assertiva e não 
violenta da raiva que traz bons resultados. 
 A raiva relacionada a violência pode estar ligada 
a desfechos negativos ou trágicos.
Repugnância 
 Implica em livrar-se ou afastar-se de um objeto 
contaminado, deteriorado ou estragado. 
 O que vem a ser o objeto depende do 
desenvolvimento e da cultura. 
 Primeira infância – sabores amargos ou azedos 
 Segunda infância – repulsas psicologicamente 
adquiridas a qualquer objeto tido como 
desagradável.
Repugnância 
 Idade adulta – Surge diante de objetos que julgamos 
estarem contaminados. 
 Contaminações corporais (má higiene, sangue, morte) 
 Contaminações interpessoais (contato físico com 
pessoas indesejáveis) 
 Contaminações morais (abuso de crianças, incesto, 
infidelidade) 
 Aprendizagem cultural – cultura determina muito do que 
o adulto considera contaminação corporal, interpessoal 
ou moral.
Repugnância 
 Desenvolve um papel motivacional positivo pois 
o desejo de evitar objetos repugnantes nos 
motiva a aprender comportamentos de manejo 
necessários para evitar o confronto (ou criação) 
de condições que produzam repugnância. 
 Ex: Hábitos de higiene corporal e limpeza do 
ambiente etc.
Tristeza 
 É a emoção mais negativa ou desagradável. 
 Surge das experiências de separação ou fracasso. 
 Tristeza motiva o indivíduo a assumir qualquer 
comportamento necessário para suavizar as circunstâncias 
que provocam angústia antes que elas ocorram novamente. 
 Indiretamente facilita a coesão de grupos sociais. 
Separação das pessoas importantes provoca tristeza. 
 A antecipação da tristeza motiva as pessoas a 
permanecerem em união com os entes amados.
Alegria 
 É um sentimento positivo que torna a vida agradável 
e equilibra as experiências de vida de frustração e 
decepção. 
 Os eventos que trazem alegria incluem resultados 
desejáveis. 
 Quando estamos alegres, sentimos entusiasmo e 
somos sociáveis. 
 Facilita a disposição para exercer atividades sociais. 
 Os sorrisos facilitam a interação social.
Interesse 
 Emoção que cria o desejo de explorar, 
investigar, buscar, manipular e extrair 
informações dos objetos que nos cercam. 
 O interesse de uma pessoa por uma atividade 
determina o grau de atenção dirigido a essa 
atividade e quanto a pessoa processa, 
compreende e lembra informações importantes.
Utilidade das Emoções 
 Funções de enfrentamento (coping): 
• Para sobreviver, os animais precisam explorar seus 
ambientes, evitar substâncias nocivas, desenvolver e 
manter relações, atender a emergências, evitar 
ferimentos, reproduzir-se, lutar etc. 
• Todos esses comportamentos são produzidos por 
emoções e todos facilitam a adaptação do indivíduo às 
modificações do ambiente físico e social. 
 Todas as emoções são benéficas porque dirigem a 
atenção e canalizam o comportamento para onde é 
necessário.
Utilidade das Emoções 
 Funções sociais: 
• Emoções são poderosas mensageiras não verbais que comunicam 
aos outros nossos sentimentos. 
• Demonstrações emocionais influem no modo como as pessoas 
interagem. 
 Expressam: 
• Sentimentos 
• Advertência 
• Incentivos sociais 
• Repressões sociais 
 Expressões emocionais podem ser motivadas socialmente. 
• Pessoas sorriem quando não estão alegres para facilitar a interação 
social, por exemplo.
Funcionalidade das Emoções 
 A vida é cheia de desafios, estresses e 
problemas a serem resolvidos. As emoções 
podem facilitar lidar com estes desafios. 
 Alguns pesquisadores afirmam que as emoções 
não tem nenhum propósito útil. Alegam que as 
emoções atrapalham a atividade habitual, 
desorganizam o comportamento e nos privam de 
nossa racionalidade e lógica. 
 Eles admitem que as emoções tenham servido a 
funções evolutivas importantes, mas que não o 
fazem mais no mundo moderno.
Funcionalidade das Emoções 
 “No mundo moderno os tigres raramente saltam em 
cima de nós, as pessoas raramente roubam nossa 
comida e as feras raramente ameaçam matar 
nossos filhos.” 
 As ameaças de hoje são em escala menor, não 
exigindo o mesmo tipo de mobilização emocional. 
 Importante é tornar-se competente em regular as 
próprias emoções. E não deixar ser regulado pela 
emoção.
Ansiedade 
 Pertence a família da emoção básica 
medo. 
 Ansiedade normal – a ansiedade pode 
ter função adaptativa em diversas 
circunstâncias 
 Ansiedade Patológica - uma forma de 
resposta inadequada, em intensidade e 
duração, à solicitações de adaptação.
Ansiedade 
 Ansiedade é a reação ao perigo ou à ameaça. 
 Cientificamente, ansiedades imediatas ou de curto 
período são definidas como reações de luta-ou-fuga. 
 O objetivo número um da ansiedade é o de proteger 
o organismo. 
 Quando nossos ancestrais viviam em cavernas, era 
vital uma reação automática para que, quando 
estivessem defrontados com um perigo, fossem 
capazes de uma ação imediata (atacar ou fugir.
Ansiedade 
 Mesmo nos dias agitados de hoje, este é um 
mecanismo necessário. Imagine que uma 
pessoa que está atravessando a rua quando 
aparece, de repente, um carro, à toda 
velocidade. 
 Se a pessoa não experimentasse absolutamente 
nenhuma ansiedade, talvez fosse morta.
Transtornos de Ansiedade de Separação 
 Ansiedade excessiva diante de situações que 
envolvem o afastamento da criança de casa, dos 
pais ou outras pessoas significativas. 
 Deve persistir por no mínimo quatro meses para 
ser diagnosticada como este transtorno. 
 Um dos transtornos mais comuns na infância 
(pode atingir a 4% de crianças e adolescentes).
Transtornos de Ansiedade Generalizada 
 Caracterizado por ansiedade e preocupação 
excessiva (ansiedade antecipatória), ocorrendo 
quase todos os dias, por pelo menos seis 
meses. 
 Inquietação ou sensação de nervos à flor da 
pele 
 Fadiga 
 Dificuldade de concentrar-se ou sensações de 
branco na mente. 
 Irritabilidade 
 Tensão muscular e perturbação do sono.
Fobia Específica 
 Presença de medo excessivo de algum objeto, 
animal ou situação que é possível se identificar 
claramente. 
 Ex: animais; ambiente natural (altura, 
tempestade, águas etc.); situacional (utilizar 
meio de transporte como avião, carro, trem); 
sangue – injeção - ferimento.
Transtorno Obsessivo Compulsivo 
 Obsessões são ideias, pensamentos, impulsos 
ou imagens persistentes, que são vivenciados 
como intrusivos e inadequados. 
• Contaminação 
• Dúvidas repetidas 
• Organização/ ordem etc. 
 Compulsões são comportamentos repetitivos ou 
atos mentais cujo objetivo é prevenir ou reduzir a 
ansiedade.
Fobia Social 
 Medo acentuado ou persistente de uma ou mais 
situações sociais ou de desempenho. 
 Este medo interfere na vida social. 
 Pode ser generalizada quando relacionada a uma 
ampla gama de situações sociais, como iniciar e 
manter conversas, encontrar-se com pessoas do 
sexo oposto, comparecer a festas, escrever em 
público. 
 Pode levar ao isolamento e a dificuldade de 
interação social.
Transtorno de Pânico 
 Presença de ataques de pânico recorrentes e 
inesperados, seguidos de pelo menos um mês 
de preocupação persistente de ter outro ataque. 
 Sintomas: 
• Palpitações e taquicardia; 
• Sudorese; 
• Tremores; 
• Sensações de falta de ar ou sufocamento; 
• Sensação de tontura; 
• Medo de enlouquecer ou perder o controle etc.
Transtorno de Estresse Pós-Traumático 
 Após exposição a um evento traumático, 
ocorrem sintomas como: 
• Revivência do evento traumático. 
• Sofrimento psicológico intenso diante de 
estímulos que lembrem o evento. 
• Reatividade fisiológica diante de estímulos 
relacionados ao evento. 
• Esquiva persiste de estímulos associadas com o 
evento; etc.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBRPalestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBRAlessandra Gonzaga
 
Processos emocionais
Processos emocionaisProcessos emocionais
Processos emocionaisSilvia Revez
 
EquilíBrio Emocional Slides Palestra Gratuita
EquilíBrio Emocional   Slides   Palestra GratuitaEquilíBrio Emocional   Slides   Palestra Gratuita
EquilíBrio Emocional Slides Palestra GratuitaVibroglobal
 
Como Lidar com as emoções
Como Lidar com as emoçõesComo Lidar com as emoções
Como Lidar com as emoçõesDora Guiseline
 
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoPalestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoDoroteiaSouza
 
Apresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência EmocionalApresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência Emocionalanaediteaires
 
Inteligencia Emocional & Inteligencia Social
Inteligencia Emocional & Inteligencia SocialInteligencia Emocional & Inteligencia Social
Inteligencia Emocional & Inteligencia SocialGustavo Fantin
 
Inteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedorInteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedorYonara Mateus
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosDeisiane Cazaroto
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoRafael Almeida
 
Comportamento Emocional
Comportamento EmocionalComportamento Emocional
Comportamento EmocionalTiago Malta
 
Workshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoWorkshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoAnaí Peña
 
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?Renata Pimentel
 

Mais procurados (20)

Emoções e sentimentos.pptx
Emoções e sentimentos.pptxEmoções e sentimentos.pptx
Emoções e sentimentos.pptx
 
Palestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBRPalestra Inteligência Emocional - WLMBR
Palestra Inteligência Emocional - WLMBR
 
Processos emocionais
Processos emocionaisProcessos emocionais
Processos emocionais
 
Emoção
EmoçãoEmoção
Emoção
 
EquilíBrio Emocional Slides Palestra Gratuita
EquilíBrio Emocional   Slides   Palestra GratuitaEquilíBrio Emocional   Slides   Palestra Gratuita
EquilíBrio Emocional Slides Palestra Gratuita
 
Inteligencia emocional
Inteligencia emocionalInteligencia emocional
Inteligencia emocional
 
Como Lidar com as emoções
Como Lidar com as emoçõesComo Lidar com as emoções
Como Lidar com as emoções
 
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalhoPalestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
Palestra inteligência emocional no combate ao stress no trabalho
 
EMOÇÕES
EMOÇÕESEMOÇÕES
EMOÇÕES
 
Apresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência EmocionalApresentação Inteligência Emocional
Apresentação Inteligência Emocional
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Inteligencia Emocional & Inteligencia Social
Inteligencia Emocional & Inteligencia SocialInteligencia Emocional & Inteligencia Social
Inteligencia Emocional & Inteligencia Social
 
Inteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedorInteligência emocional e o perfil do empreendedor
Inteligência emocional e o perfil do empreendedor
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
 
Inteligência emocional corrigida
Inteligência emocional corrigidaInteligência emocional corrigida
Inteligência emocional corrigida
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
 
Comportamento Emocional
Comportamento EmocionalComportamento Emocional
Comportamento Emocional
 
Workshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educaçãoWorkshop emoções e afetos na educação
Workshop emoções e afetos na educação
 
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
O QUE ESTÁ ACONTECENDO COMIGO?
 

Destaque

Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...Billy Nascimento
 
Psicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento Web
Psicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento WebPsicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento Web
Psicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento WebJosé Mota
 
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Rafaela Sampaio
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOLudmila Moura
 
Inteligencia emocional ppt
Inteligencia emocional pptInteligencia emocional ppt
Inteligencia emocional pptTanix Tanix
 
Presentación inteligencia emocional
Presentación inteligencia emocionalPresentación inteligencia emocional
Presentación inteligencia emocionaldehl06
 
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert BanduraTeoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert BanduraEduardo Manfré
 
Inteligencia Emocional
Inteligencia EmocionalInteligencia Emocional
Inteligencia Emocionalberuscka
 
Inteligencia emocional
Inteligencia emocionalInteligencia emocional
Inteligencia emocionalMirthaya
 

Destaque (16)

AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
 
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...
Neurociência do consumo: Entendendo o que é Neuromarketing. Aula 2 - Emoção e...
 
Psicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento Web
Psicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento WebPsicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento Web
Psicologia, Emoção & Rails - Uma perspetiva mais humana do desenvolvimento Web
 
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
 
Emoção
EmoçãoEmoção
Emoção
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Percepção - Psicologia
Percepção - PsicologiaPercepção - Psicologia
Percepção - Psicologia
 
Inteligencia emocional ppt
Inteligencia emocional pptInteligencia emocional ppt
Inteligencia emocional ppt
 
Presentación inteligencia emocional
Presentación inteligencia emocionalPresentación inteligencia emocional
Presentación inteligencia emocional
 
Inteligencia Emocional
Inteligencia EmocionalInteligencia Emocional
Inteligencia Emocional
 
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert BanduraTeoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
Teoria da Aprendizagem Social - Albert Bandura
 
Inteligencia Emocional
Inteligencia EmocionalInteligencia Emocional
Inteligencia Emocional
 
Inteligencia emocional
Inteligencia emocionalInteligencia emocional
Inteligencia emocional
 

Semelhante a Emoção

Semelhante a Emoção (20)

Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos Emocionais
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos Emocionais
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
Educacao Emocional
Educacao EmocionalEducacao Emocional
Educacao Emocional
 
Personalidade
PersonalidadePersonalidade
Personalidade
 
EMOÇÕES.pdf
EMOÇÕES.pdfEMOÇÕES.pdf
EMOÇÕES.pdf
 
3 vida afetiva
3 vida afetiva3 vida afetiva
3 vida afetiva
 
Autoestima
AutoestimaAutoestima
Autoestima
 
NO LIMITE DAS EMOÇÕES
NO LIMITE DAS EMOÇÕESNO LIMITE DAS EMOÇÕES
NO LIMITE DAS EMOÇÕES
 
1191754838 emocoes
1191754838 emocoes1191754838 emocoes
1191754838 emocoes
 
1283
12831283
1283
 
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
 
Emoções qualidade de vida
Emoções qualidade de vidaEmoções qualidade de vida
Emoções qualidade de vida
 
Reeducação Emocional
Reeducação  EmocionalReeducação  Emocional
Reeducação Emocional
 
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de SucessoA Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
 
emocoes.ppt
emocoes.pptemocoes.ppt
emocoes.ppt
 
1191754838 emocoes
1191754838 emocoes1191754838 emocoes
1191754838 emocoes
 
Boletim coaching junho 2015
Boletim coaching   junho 2015Boletim coaching   junho 2015
Boletim coaching junho 2015
 
Inteligencia emocional
Inteligencia emocionalInteligencia emocional
Inteligencia emocional
 
inteligência emocional PARTE 1.pptx
inteligência emocional PARTE 1.pptxinteligência emocional PARTE 1.pptx
inteligência emocional PARTE 1.pptx
 

Emoção

  • 1. Emoção Psicologia da Motivação e Emoção
  • 2. Relação entre Motivação e Emoção  As emoções são um tipo de motivo.  Assim como os outros motivos, as emoções dão energia ao comportamento e o dirigem.  Ex: A raiva mobiliza recursos subjetivos, fisiológicos, hormonais e musculares para se atingir uma meta ou um propósito.
  • 3. Relação entre Motivação e Emoção  As emoções servem como um sistema de leitura permanente para indicar se a adaptação pessoal está indo bem ou não. • As emoções positivas refletem o envolvimento e a satisfação de nossos estados motivacionais. • As emoções negativas refletem o abandono e a frustração de nossas motivações.  Emoções refletem status de satisfação versus fracasso dos motivos.
  • 4. O que causa a emoção?  Polêmica: as emoções são fenômenos primariamente biológicos ou primariamente cognitivos?  Biologia versus cognição • Cognição – Primeiro se estabelece o significado e depois a emoção se segue como consequência. A avaliação cognitiva é primária • Biologia – As emoções podem ocorrer sem um evento cognitivo prévio, mas não podem ocorrer sem um evento biológico prévio. A biologia é primária.
  • 5. Perspectiva Biológica  Grande parte do processamento emocional dos eventos da vida permanece não cognitiva – automática, inconsciente e mediada por estrutura subcorticais (Izard, 1989).  Estudos com bebês mostram que eles respondem emocionalmente a certos eventos, apesar de suas limitações cognitivas (Izard, 1989).  As emoções tem início muito rápido, duração curta, podendo ocorrer automaticamente.  Podem ocorrer mesmo sem ter consciência da emocionalidade (Elkman, 1992).  Existe um circuito cerebral para o medo, para a raiva etc. (Panksepp, 1982).
  • 6. Perspectiva Cognitiva  A atividade cognitiva é um pré-requisito necessário para que haja emoção.  Lazarus argumenta que a avaliação cognitiva que o indivíduo faz do significado de um evento cria condições da experiência emocional.  Avaliações cognitivas: • Evento é bom ou mau? • Consigo lidar com êxito desta situação?
  • 7. Visão dos Dois Sistemas  Segundo Buck (1984), os seres humanos tem dois sistemas sincrônicos que ativam e regulam a emoção.  Um dos sistemas é inato, espontâneo e fisiológico que reage involuntariamente a estímulos emocionais.  O outro é o sistema cognitivo com base na experiência que reage interpretativa e socialmente.  Juntos, o sistema biológico e o sistema cognitivo combinam-se para fornecer um mecanismo altamente adaptativo da emoção.
  • 8. Circuito de retroalimentação da emoção Plutchik  A causa da emoção não deveria ser conceituada nem como cognitiva nem como biológica.  A emoção é antes um processo, uma cadeia de eventos que se agregam em um sistema complexo de retroalimentação.  Mude-se a avaliação cognitiva de “isto é benéfico” para “isto é prejudicial” e a emoção mudará.  Mude-se a qualidade da ativação (através de exercício, um medicamento ou eletrodo no cérebro) e a emoção mudará.
  • 9. Emoções Básicas  Considera-se que existam emoções básicas e várias outras emoções relacionadas a uma emoção básica.  Ex: A raiva é uma emoção básica, mas também é uma família de emoções.  Raiva – família inclui hostilidade, fúria, ira, ultraje, aborrecimento, ressentimento, inveja e frustração  Alegria – família divertimento, alívio, satisfação, contentamento, orgulho;  Ekman (1992) considera que existem pelo menos cinco famílias de emoções: raiva, medo, repugnância, tristeza e contentamento.
  • 10. Emoções Básicas  São inatas, e não adquiridas ou aprendidas pela experiência ou socialização.  São expressas de maneira própria e distinta (tal como por meio de uma expressão facial universal).  Provocam um padrão de respostas fisiológicas distinto e altamente previsível.  Raiva, Medo, Repugnância, Tristeza, Contentamento e Interesse.
  • 11. Medo  É uma reação emocional que surge a partir da interpretação da pessoa de que a situação que ela enfrenta é perigosa e uma ameaça ao seu próprio bem-estar.  Está relacionado a: • Antecipação de dano físico ou psicológico; • Vulnerabilidade a perigos ou expectativa de que a capacidade de lidar com problemas não seja suficiente. o Vulnerabilidade percebida de a pessoa ser vencida por uma ameaça ou perigo.
  • 12. Medo  O medo motiva a defesa.  Funciona como sinal de alívio para um dano físico ou psicológico iminente que se manifesta na ativação do sistema nervoso autônomo.  A manifestação de proteção se manifesta pela evitação ou afastamento do objeto.  O medo motiva estratégia de manejo (coping), como no caso de se ficar em silêncio e imóvel.  O medo pode fornecer a base motivacional para a aprendizagem de novas respostas de manejo que evitem a pessoa de encontrar antes o perigo.
  • 13. Raiva  A raiva surge da restrição, tal como na interpretação de que os planos da pessoa ou de seu bem-estar possam sofrer interferência de alguma força externa.  Também surge de uma traição de confiança, uma rejeição, uma crítica injustificada, uma falta de consideração dos outros e aborrecimentos acumulados.  A essência da raiva é a crença de que a situação não é o que deveria ser, ou seja: nem a restrição, nem a interferência, ou a crítica são legítimas.
  • 14. Raiva  A raiva pode esclarecer problemas de relacionamento, dar força a programas políticos, motivar a luta por direitos etc.  Em casos que a raiva tem uma função positiva é quase sempre uma expressão assertiva e não violenta da raiva que traz bons resultados.  A raiva relacionada a violência pode estar ligada a desfechos negativos ou trágicos.
  • 15. Repugnância  Implica em livrar-se ou afastar-se de um objeto contaminado, deteriorado ou estragado.  O que vem a ser o objeto depende do desenvolvimento e da cultura.  Primeira infância – sabores amargos ou azedos  Segunda infância – repulsas psicologicamente adquiridas a qualquer objeto tido como desagradável.
  • 16. Repugnância  Idade adulta – Surge diante de objetos que julgamos estarem contaminados.  Contaminações corporais (má higiene, sangue, morte)  Contaminações interpessoais (contato físico com pessoas indesejáveis)  Contaminações morais (abuso de crianças, incesto, infidelidade)  Aprendizagem cultural – cultura determina muito do que o adulto considera contaminação corporal, interpessoal ou moral.
  • 17. Repugnância  Desenvolve um papel motivacional positivo pois o desejo de evitar objetos repugnantes nos motiva a aprender comportamentos de manejo necessários para evitar o confronto (ou criação) de condições que produzam repugnância.  Ex: Hábitos de higiene corporal e limpeza do ambiente etc.
  • 18. Tristeza  É a emoção mais negativa ou desagradável.  Surge das experiências de separação ou fracasso.  Tristeza motiva o indivíduo a assumir qualquer comportamento necessário para suavizar as circunstâncias que provocam angústia antes que elas ocorram novamente.  Indiretamente facilita a coesão de grupos sociais. Separação das pessoas importantes provoca tristeza.  A antecipação da tristeza motiva as pessoas a permanecerem em união com os entes amados.
  • 19. Alegria  É um sentimento positivo que torna a vida agradável e equilibra as experiências de vida de frustração e decepção.  Os eventos que trazem alegria incluem resultados desejáveis.  Quando estamos alegres, sentimos entusiasmo e somos sociáveis.  Facilita a disposição para exercer atividades sociais.  Os sorrisos facilitam a interação social.
  • 20. Interesse  Emoção que cria o desejo de explorar, investigar, buscar, manipular e extrair informações dos objetos que nos cercam.  O interesse de uma pessoa por uma atividade determina o grau de atenção dirigido a essa atividade e quanto a pessoa processa, compreende e lembra informações importantes.
  • 21. Utilidade das Emoções  Funções de enfrentamento (coping): • Para sobreviver, os animais precisam explorar seus ambientes, evitar substâncias nocivas, desenvolver e manter relações, atender a emergências, evitar ferimentos, reproduzir-se, lutar etc. • Todos esses comportamentos são produzidos por emoções e todos facilitam a adaptação do indivíduo às modificações do ambiente físico e social.  Todas as emoções são benéficas porque dirigem a atenção e canalizam o comportamento para onde é necessário.
  • 22. Utilidade das Emoções  Funções sociais: • Emoções são poderosas mensageiras não verbais que comunicam aos outros nossos sentimentos. • Demonstrações emocionais influem no modo como as pessoas interagem.  Expressam: • Sentimentos • Advertência • Incentivos sociais • Repressões sociais  Expressões emocionais podem ser motivadas socialmente. • Pessoas sorriem quando não estão alegres para facilitar a interação social, por exemplo.
  • 23. Funcionalidade das Emoções  A vida é cheia de desafios, estresses e problemas a serem resolvidos. As emoções podem facilitar lidar com estes desafios.  Alguns pesquisadores afirmam que as emoções não tem nenhum propósito útil. Alegam que as emoções atrapalham a atividade habitual, desorganizam o comportamento e nos privam de nossa racionalidade e lógica.  Eles admitem que as emoções tenham servido a funções evolutivas importantes, mas que não o fazem mais no mundo moderno.
  • 24. Funcionalidade das Emoções  “No mundo moderno os tigres raramente saltam em cima de nós, as pessoas raramente roubam nossa comida e as feras raramente ameaçam matar nossos filhos.”  As ameaças de hoje são em escala menor, não exigindo o mesmo tipo de mobilização emocional.  Importante é tornar-se competente em regular as próprias emoções. E não deixar ser regulado pela emoção.
  • 25. Ansiedade  Pertence a família da emoção básica medo.  Ansiedade normal – a ansiedade pode ter função adaptativa em diversas circunstâncias  Ansiedade Patológica - uma forma de resposta inadequada, em intensidade e duração, à solicitações de adaptação.
  • 26. Ansiedade  Ansiedade é a reação ao perigo ou à ameaça.  Cientificamente, ansiedades imediatas ou de curto período são definidas como reações de luta-ou-fuga.  O objetivo número um da ansiedade é o de proteger o organismo.  Quando nossos ancestrais viviam em cavernas, era vital uma reação automática para que, quando estivessem defrontados com um perigo, fossem capazes de uma ação imediata (atacar ou fugir.
  • 27. Ansiedade  Mesmo nos dias agitados de hoje, este é um mecanismo necessário. Imagine que uma pessoa que está atravessando a rua quando aparece, de repente, um carro, à toda velocidade.  Se a pessoa não experimentasse absolutamente nenhuma ansiedade, talvez fosse morta.
  • 28. Transtornos de Ansiedade de Separação  Ansiedade excessiva diante de situações que envolvem o afastamento da criança de casa, dos pais ou outras pessoas significativas.  Deve persistir por no mínimo quatro meses para ser diagnosticada como este transtorno.  Um dos transtornos mais comuns na infância (pode atingir a 4% de crianças e adolescentes).
  • 29. Transtornos de Ansiedade Generalizada  Caracterizado por ansiedade e preocupação excessiva (ansiedade antecipatória), ocorrendo quase todos os dias, por pelo menos seis meses.  Inquietação ou sensação de nervos à flor da pele  Fadiga  Dificuldade de concentrar-se ou sensações de branco na mente.  Irritabilidade  Tensão muscular e perturbação do sono.
  • 30. Fobia Específica  Presença de medo excessivo de algum objeto, animal ou situação que é possível se identificar claramente.  Ex: animais; ambiente natural (altura, tempestade, águas etc.); situacional (utilizar meio de transporte como avião, carro, trem); sangue – injeção - ferimento.
  • 31. Transtorno Obsessivo Compulsivo  Obsessões são ideias, pensamentos, impulsos ou imagens persistentes, que são vivenciados como intrusivos e inadequados. • Contaminação • Dúvidas repetidas • Organização/ ordem etc.  Compulsões são comportamentos repetitivos ou atos mentais cujo objetivo é prevenir ou reduzir a ansiedade.
  • 32. Fobia Social  Medo acentuado ou persistente de uma ou mais situações sociais ou de desempenho.  Este medo interfere na vida social.  Pode ser generalizada quando relacionada a uma ampla gama de situações sociais, como iniciar e manter conversas, encontrar-se com pessoas do sexo oposto, comparecer a festas, escrever em público.  Pode levar ao isolamento e a dificuldade de interação social.
  • 33. Transtorno de Pânico  Presença de ataques de pânico recorrentes e inesperados, seguidos de pelo menos um mês de preocupação persistente de ter outro ataque.  Sintomas: • Palpitações e taquicardia; • Sudorese; • Tremores; • Sensações de falta de ar ou sufocamento; • Sensação de tontura; • Medo de enlouquecer ou perder o controle etc.
  • 34. Transtorno de Estresse Pós-Traumático  Após exposição a um evento traumático, ocorrem sintomas como: • Revivência do evento traumático. • Sofrimento psicológico intenso diante de estímulos que lembrem o evento. • Reatividade fisiológica diante de estímulos relacionados ao evento. • Esquiva persiste de estímulos associadas com o evento; etc.