SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Conceito de emoção
U M D O S P R O C E S S O S
C O G N I T I V O S
E S T R U T U R A N T E S D A
A Ç Ã O H U M A N A
Os afetos têm a ver com aquilo que nos afeta, são algo de que
somos dotados;
São tendências para responder positiva ou negativamente a
experiências emocionais relacionadas com as pessoas ou
objetos;
Ter afetos é ser dotado da capacidade de dar e de receber, de
amar e de ser amado, de perturbar e de ser perturbado, por
exemplo.
Os afetos exprimem-se através das emoções e têm uma
ligação especial com o passado, com as experiências e
vivências com as pessoas, objetos, ambientes e ideias. As
emoções estão ligadas essencialmente a situações presentes.
Exprimem-se em sentimentos e emoções.
Processos mentais
E M O Ç Ã O
Tem origem numa causa, num objeto;
São reações corporais específicas,
observáveis;
São publicas e voltadas para o exterior;
São automáticas e inconscientes;
Polaridade: podem ser negativas ou
positivas;
São versáteis: variam em intensidade e são
de breve duração;
Relacionam-se com o tempo: as emoções
têm princípio e fim.
SENTIMENTOS
Não são observáveis, são privados e relacionam-se com o interior
Prolongam-se no tempo e são de menor intensidade de expressão
que as emoções;
Não se associam a nenhuma causa imediata;
Surgem quando tomamos consciência das nossas emoções;
AFETO
DIFERENÇA ENTRE
SENTIMENTO E EMOÇÃO
SEGUNDO ANTÓNIO DAMÁSIO




Usualmente, emoção e sentimento surgem como sinónimos, mas
segundo António Damásio, a relação entre ambos é muito
estreita.
Segundo António Damásio, a emoção é um conjunto de reações
corporais, automáticas e inconscientes, face a determinados
estímulos provenientes do meio onde estamos inseridos.
O sentimento surge quando tomamos consciência das nossas
emoções, isto é, o sentimento dá-se quando as nossas emoções
são transferidas para determinadas zonas do nosso cérebro, onde
são codificadas sob a forma de atividade neuronal.
COMPONENTES DA EMOÇÃO
Componente cognitiva - Ocorre quando tomamos
conhecimento do facto: se não houver conhecimento deste, não
se experimenta qualquer emoção;
Componente avaliativa - Fazemos uma avaliação, agradável ou
desagradável, da situação;
Componente fisiológica - Manifestações orgânicas, corporais
face à emoção;
Componente expressiva - Expressões corporais que permitem
mostrar ao outro as nossas emoções;
Componente comportamental - Comportamento que o sujeito
poderá ter face ao outro, é o estado emocional que desencadeia
determinado conjunto de comportamentos;
Componente subjetiva - Relaciona-se com o que o indivíduo
sente a nível emocional e interior a que só ele tem acesso, ou
seja, é o estado afetivo associado à emoção.
Segundo Charles Darwin
. Darwin procurou traços comuns na expressão de
emoções em vários povos, e identificou seis emoções
primárias ou universais: a alegria, a tristeza, a surpresa, a
cólera, o desgosto e o medo;
. Considerou que as emoções têm um papel adaptativo
fundamental na história da espécie humana, sendo
determinante para a sua capacidade de sobrevivência.
Segundo Ekman
. Mais tarde Ekman investigou tentando procurar uma
tese que defendo que povos diferentes teriam emoções
diferentes;
. Confirmou a tese de Darwin: há emoções que são
universais, independentes do processo de aprendizagem e
da cultura em que se manifesta;
. Não nega a influência da cultura nas emoções, na
medida em que há regras que controlam a sua expressão.
Porem, existe um património comum ao nível das
emoções e da sua expressão.
Perspectiva Fisiológica
. Defendida por Willians James, que considerava que as
emoções resultariam da consciência das mudanças
orgânicas provocadas por determinados estímulos;
. As emoções resultam das percepções do estado do corpo,
das mudanças orgânicas provocadas por estímulos.
. O estado de consciência de emoções como a cólera, a
alegria, a raiva, resume-se à consciência de manifestações
fisiológicas
Perspectiva Cognitivista
. Afirmam que os processos cognitivos, como as
percepções, recordações e aprendizagens, são
fundamentais para se perceberem as emoções;
. A forma como representamos uma dada situação, como
a avaliamos é que desencadeia ou não determinada
emoção;
Perspectiva Culturalista
. As emoções são processos aprendidos no processo de
socialização;
. Consideram que as emoções são uma construção social,
que tem que ser aprendidas;
. As diferentes sociedades e culturas definem o tipo de
emoções que se podem manifestar e como as manifestar;
. A sua forma de expressão varia de cultura para cultura,
dependendo assim do espaço e do tempo;
. Nega a existência de emoções universais: à diversidade
cultural corresponde uma diversidade de emoções e das
respectivas expressões
. Ao contrário do que durante muito tempo
se pensou, as emoções e os sentimentos não
são um obstáculo ao funcionamento da
razão; estão envolvidos nos processos de
decisão, segundo a perspectiva de António
Damásio;
. O investigador chama a atenção para o
facto de que se fosse apenas a razão a
participar nos processos de decisão, seria
muito complicado tomar uma decisão;
. A análise rigorosa de cada uma das
hipóteses levaria tanto tempo que a opção
escolhida deixaria de ser oportuna, ou então,
perder-nos-íamos nos cálculos das vantagens
e das desvantagens.
. Segundo o próprio autor, “a emoção bem
dirigida parece ser o sistema de apoio sem o
qual o edifício da razão não pode funcionar
eficazmente”;
. A tomada de decisão é suportada por duas
vias complementares:
- Representação das consequências de uma
opção disponibilizada pelo raciocínio:
avaliação da situação, levantamento das
opções possíveis, comparações lógicas, etc.;
- A percepção da situação provoca a ativação
de experiências emocionais experimentadas
anteriormente em situações semelhantes
. Damásio remete para o conceito de
Marcador somático: mecanismo automático
que suporta as nossas decisões.
Permite-nos decidir eficientemente num
curto intervalo de tempo. Atua como um
sinal de alarme automático que diz: atenção
ao perigo decorrente da escolha de
determinada ação.
Este sinal protege-nos de prejuízos futuros,
sem mais hesitações, permitindo-nos
escolher uma alternativa entre as várias. Os
marcadores somáticos aumentam
provavelmente a precisão e a eficiência do
processo de decisão.
Teorias acerca da Emoção








Relação entre Razão e Emoção

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
A relação emoção corpo
A relação emoção corpoA relação emoção corpo
A relação emoção corpo
 
Passo 5 2007 1
Passo 5 2007 1Passo 5 2007 1
Passo 5 2007 1
 
Id.Ego.Super
Id.Ego.SuperId.Ego.Super
Id.Ego.Super
 
PERSONALIDADE
PERSONALIDADEPERSONALIDADE
PERSONALIDADE
 
O SEQUESTRO DA AMIGDALA CEREBRAL
O SEQUESTRO DA AMIGDALA CEREBRALO SEQUESTRO DA AMIGDALA CEREBRAL
O SEQUESTRO DA AMIGDALA CEREBRAL
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Aprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento OperanteAprendizagem no Condicionamento Operante
Aprendizagem no Condicionamento Operante
 
Aprendizagem operante
Aprendizagem operanteAprendizagem operante
Aprendizagem operante
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Atenção e desempenho
Atenção e desempenhoAtenção e desempenho
Atenção e desempenho
 
Estresse ou ansiedade
Estresse ou ansiedadeEstresse ou ansiedade
Estresse ou ansiedade
 
Percepção - Psicologia
Percepção - PsicologiaPercepção - Psicologia
Percepção - Psicologia
 
Dimensões biológicas e sociais dos processos mentais
Dimensões biológicas e sociais dos processos mentaisDimensões biológicas e sociais dos processos mentais
Dimensões biológicas e sociais dos processos mentais
 
Volição, psicomotricidade, e pensamento
Volição, psicomotricidade, e pensamentoVolição, psicomotricidade, e pensamento
Volição, psicomotricidade, e pensamento
 
Emoção
EmoçãoEmoção
Emoção
 
Sensação e Percepção
Sensação e PercepçãoSensação e Percepção
Sensação e Percepção
 
A difícil arte de conviver
A difícil arte de conviverA difícil arte de conviver
A difícil arte de conviver
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Teoria do apego john bowlby
Teoria do apego    john bowlbyTeoria do apego    john bowlby
Teoria do apego john bowlby
 

Semelhante a EMOÇÕES.pdf

_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdf_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdfCarlaFreire34
 
Emoções cognição
Emoções cogniçãoEmoções cognição
Emoções cogniçãoAulas Abel
 
01 sentimentos e emoções no comportamento humano
01 sentimentos e emoções no comportamento humano01 sentimentos e emoções no comportamento humano
01 sentimentos e emoções no comportamento humanoGraça Martins
 
Psicologia Processos Básicos EMOCAO.pptx
Psicologia Processos Básicos EMOCAO.pptxPsicologia Processos Básicos EMOCAO.pptx
Psicologia Processos Básicos EMOCAO.pptxBeatrizVieira226546
 
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.pptfcodacruz1919
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos EmocionaisJorge Barbosa
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos EmocionaisJorge Barbosa
 
Funções psíquicas
Funções psíquicas Funções psíquicas
Funções psíquicas thaissamaia
 
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxSEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxXaynulMazive
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseBruno Carrasco
 

Semelhante a EMOÇÕES.pdf (20)

Enoções
EnoçõesEnoções
Enoções
 
NO LIMITE DAS EMOÇÕES
NO LIMITE DAS EMOÇÕESNO LIMITE DAS EMOÇÕES
NO LIMITE DAS EMOÇÕES
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
Psicologia: Cognição
Psicologia:  Cognição Psicologia:  Cognição
Psicologia: Cognição
 
_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdf_Emoção- Apresentação.pdf
_Emoção- Apresentação.pdf
 
Emoções cognição
Emoções cogniçãoEmoções cognição
Emoções cognição
 
01 sentimentos e emoções no comportamento humano
01 sentimentos e emoções no comportamento humano01 sentimentos e emoções no comportamento humano
01 sentimentos e emoções no comportamento humano
 
3 vida afetiva
3 vida afetiva3 vida afetiva
3 vida afetiva
 
Psicologia Processos Básicos EMOCAO.pptx
Psicologia Processos Básicos EMOCAO.pptxPsicologia Processos Básicos EMOCAO.pptx
Psicologia Processos Básicos EMOCAO.pptx
 
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
24-201-2017-desenvolvimentoemocionaleaprendizagem-reginamigliori.ppt
 
Emoção
Emoção  Emoção
Emoção
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos Emocionais
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos Emocionais
 
Concepções da mente
Concepções da menteConcepções da mente
Concepções da mente
 
Funções psíquicas
Funções psíquicas Funções psíquicas
Funções psíquicas
 
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptxSEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
SEMINARIO 1 DE PSICOLOGIA.pptx
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Mente asemcoes
Mente asemcoesMente asemcoes
Mente asemcoes
 
ÉTICA FREUDIANA
ÉTICA FREUDIANAÉTICA FREUDIANA
ÉTICA FREUDIANA
 
Emoção (1).pptx
Emoção (1).pptxEmoção (1).pptx
Emoção (1).pptx
 

EMOÇÕES.pdf

  • 1. Conceito de emoção U M D O S P R O C E S S O S C O G N I T I V O S E S T R U T U R A N T E S D A A Ç Ã O H U M A N A Os afetos têm a ver com aquilo que nos afeta, são algo de que somos dotados; São tendências para responder positiva ou negativamente a experiências emocionais relacionadas com as pessoas ou objetos; Ter afetos é ser dotado da capacidade de dar e de receber, de amar e de ser amado, de perturbar e de ser perturbado, por exemplo. Os afetos exprimem-se através das emoções e têm uma ligação especial com o passado, com as experiências e vivências com as pessoas, objetos, ambientes e ideias. As emoções estão ligadas essencialmente a situações presentes. Exprimem-se em sentimentos e emoções. Processos mentais E M O Ç Ã O Tem origem numa causa, num objeto; São reações corporais específicas, observáveis; São publicas e voltadas para o exterior; São automáticas e inconscientes; Polaridade: podem ser negativas ou positivas; São versáteis: variam em intensidade e são de breve duração; Relacionam-se com o tempo: as emoções têm princípio e fim. SENTIMENTOS Não são observáveis, são privados e relacionam-se com o interior Prolongam-se no tempo e são de menor intensidade de expressão que as emoções; Não se associam a nenhuma causa imediata; Surgem quando tomamos consciência das nossas emoções; AFETO DIFERENÇA ENTRE SENTIMENTO E EMOÇÃO SEGUNDO ANTÓNIO DAMÁSIO Usualmente, emoção e sentimento surgem como sinónimos, mas segundo António Damásio, a relação entre ambos é muito estreita. Segundo António Damásio, a emoção é um conjunto de reações corporais, automáticas e inconscientes, face a determinados estímulos provenientes do meio onde estamos inseridos. O sentimento surge quando tomamos consciência das nossas emoções, isto é, o sentimento dá-se quando as nossas emoções são transferidas para determinadas zonas do nosso cérebro, onde são codificadas sob a forma de atividade neuronal. COMPONENTES DA EMOÇÃO Componente cognitiva - Ocorre quando tomamos conhecimento do facto: se não houver conhecimento deste, não se experimenta qualquer emoção; Componente avaliativa - Fazemos uma avaliação, agradável ou desagradável, da situação; Componente fisiológica - Manifestações orgânicas, corporais face à emoção; Componente expressiva - Expressões corporais que permitem mostrar ao outro as nossas emoções; Componente comportamental - Comportamento que o sujeito poderá ter face ao outro, é o estado emocional que desencadeia determinado conjunto de comportamentos; Componente subjetiva - Relaciona-se com o que o indivíduo sente a nível emocional e interior a que só ele tem acesso, ou seja, é o estado afetivo associado à emoção.
  • 2. Segundo Charles Darwin . Darwin procurou traços comuns na expressão de emoções em vários povos, e identificou seis emoções primárias ou universais: a alegria, a tristeza, a surpresa, a cólera, o desgosto e o medo; . Considerou que as emoções têm um papel adaptativo fundamental na história da espécie humana, sendo determinante para a sua capacidade de sobrevivência. Segundo Ekman . Mais tarde Ekman investigou tentando procurar uma tese que defendo que povos diferentes teriam emoções diferentes; . Confirmou a tese de Darwin: há emoções que são universais, independentes do processo de aprendizagem e da cultura em que se manifesta; . Não nega a influência da cultura nas emoções, na medida em que há regras que controlam a sua expressão. Porem, existe um património comum ao nível das emoções e da sua expressão. Perspectiva Fisiológica . Defendida por Willians James, que considerava que as emoções resultariam da consciência das mudanças orgânicas provocadas por determinados estímulos; . As emoções resultam das percepções do estado do corpo, das mudanças orgânicas provocadas por estímulos. . O estado de consciência de emoções como a cólera, a alegria, a raiva, resume-se à consciência de manifestações fisiológicas Perspectiva Cognitivista . Afirmam que os processos cognitivos, como as percepções, recordações e aprendizagens, são fundamentais para se perceberem as emoções; . A forma como representamos uma dada situação, como a avaliamos é que desencadeia ou não determinada emoção; Perspectiva Culturalista . As emoções são processos aprendidos no processo de socialização; . Consideram que as emoções são uma construção social, que tem que ser aprendidas; . As diferentes sociedades e culturas definem o tipo de emoções que se podem manifestar e como as manifestar; . A sua forma de expressão varia de cultura para cultura, dependendo assim do espaço e do tempo; . Nega a existência de emoções universais: à diversidade cultural corresponde uma diversidade de emoções e das respectivas expressões . Ao contrário do que durante muito tempo se pensou, as emoções e os sentimentos não são um obstáculo ao funcionamento da razão; estão envolvidos nos processos de decisão, segundo a perspectiva de António Damásio; . O investigador chama a atenção para o facto de que se fosse apenas a razão a participar nos processos de decisão, seria muito complicado tomar uma decisão; . A análise rigorosa de cada uma das hipóteses levaria tanto tempo que a opção escolhida deixaria de ser oportuna, ou então, perder-nos-íamos nos cálculos das vantagens e das desvantagens. . Segundo o próprio autor, “a emoção bem dirigida parece ser o sistema de apoio sem o qual o edifício da razão não pode funcionar eficazmente”; . A tomada de decisão é suportada por duas vias complementares: - Representação das consequências de uma opção disponibilizada pelo raciocínio: avaliação da situação, levantamento das opções possíveis, comparações lógicas, etc.; - A percepção da situação provoca a ativação de experiências emocionais experimentadas anteriormente em situações semelhantes . Damásio remete para o conceito de Marcador somático: mecanismo automático que suporta as nossas decisões. Permite-nos decidir eficientemente num curto intervalo de tempo. Atua como um sinal de alarme automático que diz: atenção ao perigo decorrente da escolha de determinada ação. Este sinal protege-nos de prejuízos futuros, sem mais hesitações, permitindo-nos escolher uma alternativa entre as várias. Os marcadores somáticos aumentam provavelmente a precisão e a eficiência do processo de decisão. Teorias acerca da Emoção Relação entre Razão e Emoção