SlideShare uma empresa Scribd logo
Relatórios Gerenciais
Prof. Ms. Djalma G. dos Santos
1
Apresentações
• Djalma G. dos Santos djalmags@gmail.com
– Formação e experiência profissional
• Alunos
– Nome
– O que faz profissionalmente ?
– O que entende por Relatório Gerencial ?
2
Estrutura da Disciplina
• Visão Estratégica
– Abordagem atuais sobre Logística e Cadeia de Suprimentos
• Relatórios Gerenciais, Logística e Sistemas Logísticos
– Abordagem do tema da disciplina no foco logístico
• Visão Prática
– Desenvolver pesquisas e construções práticas sobre relatórios
gerenciais.
3
Critérios para a Avaliação
• Documento Trabalho Final (60%)
– Formatação/design do documento
– Qualidade da pesquisa (contexto real e prático)
– Originalidade e inovação (pesquisa)
• Apresentação do Trabalho Final (20%)
– Formatação/design da apresentação
– Qualidade da exposição e análise do relatório
– Tempo (mín: 20 min, máx: 30 min)
• Participação em Sala (20%)
– Por aluno
4
Objetivos da Disciplina
• Relatório Gerencial
Definição e significado.
Identificar tipos de relatórios.
• Organização
Compreender os objetivos funcionais de um relatório gerencial em uma empresa.
Entender as estruturas organizacionais e o processo de captura das informações para a
confecção de um relatório gerencial.
• Tecnologia da Informação
Entender a funcionalidade dos principais recursos tecnológicos no contexto logístico e
como obter deles os dados para a construção dos relatórios gerenciais.
Identificar e entender a funcionalidade dos principais sistemas logísticos e apresentar
os principais pontos para a geração de relatórios.
Foco: Relatórios Gerenciais (TI aplicada a Logística)
5
Agenda
• Visão Estratégica
– 3ª. Revolução Industrial: Fábrica do Futuro
• O Que é um Relatório Gerencial
• Elementos de um Relatório Gerencial
• Produtividade, Competitividade e Modelo de Gestão
• Tecnologia da Informação
• Visão Prática: Pesquisa
– Pesquisa: Montar Relatório sobre Gestão de Tempo.
6
Visão Estratégica
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
Introdução
3ª. Revolução Industrial
Apr 21st 2012
A Manufatura esta se digitalizando, a ponto de
se transformar até ficar irreconhecível.
Paul Markillie
CENÁRIO
Acessado: 02.Mai.2012
http://www.economist.com/node/21552901
8
Apr 21st 2012
Acessado: 02.Mai.2012
http://www.economist.com/node/21552901
LOGÍSTICA
Informação
PRODUTO
CADEIA DE
VALOR
A cadeia de valor esta se automatizando.
Conhecimento
Suprimentos
Design
Profissional
Introdução
3ª. Revolução Industrial
Robôs
Produção
9
Acessado: 02.Mai.2012
http://www.economist.com/node/21552901
3ª. Revolução
Nas fábricas do futuro tudo será controlado por softwares inteligentes.
A digitalização da manufatura terá um efeito revolucionário tão grande como foi
em outras indústrias que passaram pelo processo, como as de equipamentos de
escritório, telecomunicações, fotografia, música, editoração e filmes.
Máquinas
Robótica
2ª. Revolução
Introdução
3ª. Revolução Industrial
Apr 21st 2012
10
Este comportamento acelera a produção das
cadeias de suprimento. Nesta crescente
velocidade em que as empresas tem que se
transformar para atender ao mercado, produzir
relatórios gerenciais simples, objetivos e cada
vez mais em tempo real é o instrumento implícito,
decisivo para que as empresas sejam competitivas
e se mantenham vivas num mundo de
concorrências globais.
O mercado esta se afastando da manufatura
em massa e caminhando para uma produção
muito mais individualizada.
Acessado: 02.Mai.2012
http://www.economist.com/node/21552901
Introdução
3ª. Revolução Industrial
Apr 21st 2012
11
Plano do Curso
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
Conceitos
& Definições
Tecnologia da Informação
Modelo de Gestão
Processos Logísticos
(Sistemas Logísticos)
Indicadores de Desempenho
2
3 4
EstratégicoTático
Uso
BAM
Business Activity ManagementFluxos Logísticos
TIPOS
Relatórios Gerenciais
12
1
Supply Chain Management – SCM
12
Trabalho para Avaliação Final
• Pesquisa e Apresentação
– Cada grupo deverá pesquisar e
documentar 2 diferentes tipos de
relatórios gerenciais e deverão
apresentá-los em sala de aula sobre seu
uso e valor prático para a empresa, com
foco em logística.
• Grupo 1 e 4: Relatórios Operacionais:
Gerenciamento de Transporte e Custos.
• Grupo 2 e 5: Relatórios Gerenciais:
Planejamento de Estoque e Distribuição.
• Grupo 3 e 6: Relatórios Estratégicos:
Desempenho Logístico Empresarial.
Formatação do Documento
• Papel: branco, formato A4
• Fonte: Times New Roman
• Tamanho 12: corpo do texto
• Tamanho 10: Citações com mais de
3 linhas, notas de rodapé, paginação,
legendas de ilustrações e tabelas
• Margens: esquerda e superior –
3cm. Direita e inferior – 2 cm.
• Espaçamento entre linhas: 1,5
• Número de páginas: máximo de 22
13
Definições e Conceitos
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
1
O Que é um Relatório Gerencial ?
Processo de Negócio
RELATÓRIO
GERENCIAL
RELATÓRIOS GERENCIAIS
• São documentos baseados em
fatos – contendo informações
relevantes para a avaliação e
possíveis tomadas de decisão.
• Na prática todo relatório é um
Relatório Gerencial.
(ANTONIO, 2008a).
PROCESSO
INFORMAÇÃO
DECISÃO
Definições
O QUE É ?
15
Definições
CICLO DE VIDA – RELATÓRIO GERENCIAL
Processo de Negócio
RELATÓRIO
GERENCIAL
Dados
Tomada de
Decisão
Avaliação
Ação
ORGANIZAÇÃO Sistemas
Equipe
16
Definições
Exemplo: Relatório Gerencial
A figura acima é exemplo de um bom Relatório Gerencial no
contexto operacional.
• Porque:
o Ela informa, no momento certo, tudo o que precisamos
saber sobre o carregamento de um arquivo.
o Nos permite decidir sobre continuar ou não a atividade e o
que fazer durante o tempo restante.
Figura: Carregamento de um arquivo
Um bom Relatório Gerencial é o que apresenta, na forma mais
objetiva possível, o que dele se espera (ANTONIO, 2008b).
17
Processo de Negócio
Michael Hammer
A Reengenharia e
os processos de
reconstrução das
empresas.
A reengenharia consistia " ...no repensar
fundamental e no redesenhar radical dos processos
de trabalho com o objetivo de obter melhorias
dramáticas nas medidas contemporâneas críticas
da performance da empresa, seja nos custos, na
qualidade, no serviço ou no tempo".
Michael Hammer e James Champy - "Reengineering the
corporation" (Anos 90)
Processos: conjunto de atividades que executadas
sistematicamente criam valor para os clientes.
A reengenharia implantou de formaA reengenharia implantou de formaA reengenharia implantou de formaA reengenharia implantou de forma
definitiva o conceito de processos nasdefinitiva o conceito de processos nasdefinitiva o conceito de processos nasdefinitiva o conceito de processos nas
áreas da administração das organizações.áreas da administração das organizações.áreas da administração das organizações.áreas da administração das organizações.
18
Exemplo de Processo
Componentes e Características
Fluxo
Tarefa (Atividade) Informação
Departamento
META
Processos: conjunto de atividades que
executadas sistematicamente criam valor para
os clientes.
19
Estrutura Organizacional
VISÃO DEPARTAMENTAL VISÃO DE PROCESSOS
ModernasOrganizações
•Mercado:+rápida
•Produção:+alta
AntigasOrganizações
•Mercado:lenta
•Produção:baixa
20
ERP
Produtos
+ Serviços
Valor
Redes de Serviço
Back-end
Front-end
Cliente
Consumidor
CRPrERPr Comercial &
Administrativo
Manufatura &
Produção
Produtos & Serviços
Supervisão
Executivo
Gerência
PLM Sistemas de Informação
Corporativo
PLM: Product Lifecycle Mngt
SCM: Supply Chain Mngt
CRM: Customer Relationship Mngt
ERP: Enterprise Resource Planning
Fornecedores
SCM
SCPr PLPr
Tec. Informação
Tec. Automação
EMPRESA
Estrutura
Organizacional & Processos de Negócio
Processos Organizacionais ?
São os macroprocessos que sustentam a operação de uma empresa.
Enterprise Resource Process Customer Relationship Process
Product Lifecycle Process
Supply Chain Process
B2C
Modelo Hub
Modelo Supply Chain
B2B
C2C
Modelo Rede Social
CRM
Qualidade
Eficiência
Eficácia
21
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
1
Elementos de um Relatório Gerencial
Definições e Conceitos
Definições
Elementos de um Relatório Gerencial
Processo de Negócio
Relatório
Gerencial
Dados
METAS
TOMADA DE
DECISÃO
Avaliação
Ação
Estratégica
Tática
Operacional
Estratégico
Tático
Operacional
Operações
Destinatários
Objetivo
Indicadores
Formato
Prazo
Inovação
Conteúdo
23
• 1. Prazo – De nada adianta um relatório, por mais trabalho que seja e por melhor que pareça,
se for apresentado fora do prazo adequado.
• 2. Destinatários – Deve estar claro para o destinatário o entendimento das informações de
quem elabora um Relatório Gerencial.
• 3. Objetivo – Quem elabora um Relatório Gerencial deve saber o que se espera dele – o que
se deseja avaliar e conseguir com sua utilização.
• 4. Conteúdo – Identifique e apresente as informações relevantes a coletar, isto é com maior
potencial de utilidade para as pessoas envolvidas e interessadas.
– Geralmente elas abrangem três aspectos principais - custos, prazos e qualidade.
– Importante é identificar e atender aos aspectos de relatividade - em especial os relacionados ao tempo e
às referências (benchmarks) ou metas.
• 5. Forma – Deve ser a mais prática, objetiva e comunicativa possível. O uso de ilustrações,
desenhos, fotos, tabelas, gráficos, geralmente é muito útil. Destaque o uso de gráficos, nas suas
mais variadas formas possíveis (linhas, barras, pizza, etc.).
– 5.1 Estrutura de um Relatório Gerencial dependendo do tipo:
– Apresentação de tópicos como: Introdução, Objetivos, Sumários, Glossários, Recomendações,
Conclusões, Bibliografia ou Referências, Anexos.
– Relatórios periódicos: devem estar assim identificados, preferencialmente já no título. Datas e assinaturas
nunca devem faltar onde necessárias.
Características
De um Relatório Gerencial
ANTONIO (2008a)
24
Definições
Relatórios Gerenciais
Gráfico de Controle de Índices:
permite uma análise visual de
índices da produção
Gráfico de Controle de Índices:
permite uma análise visual de
índices da produção
Relatório Gerencial: fornece uma análise sintética dos
índices do processo de produção
Relatório Gerencial: fornece uma análise sintética dos
índices do processo de produção
FORMATOS
25
Definições
Relatórios GerenciaisFORMATOS
26
Definições
Relatórios GerenciaisFORMATOS
27
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
1
Modelos de Gestão
Produtividade, Competitividade e Modelo de Gestão
Definições e Conceitos
Competitividade
Vantagem competitiva sustentável.
http://www.businessdictionary.com/definition/competitive.html#ixzz1kRR3uaLa
MERCADO
A competição se tornou on-line e global.
29
Produtividade
Fazer mais com menos.
Productivity
(Processo)
Inputs
Outputs
(Valor)
http://www.investorwords.com/3876/productivity.html#ixzz1kQU45kvl
> 1
30
+ COMPETITIVIDADE Objetiva produzir contínua vantagem competitiva em seu
mercado. Usar a tecnologia da informação como recurso de valor estratégico à organização.
+ PRODUTIVIDADE Agregando valor aos processos de negócios da organização,
acrescentando maior eficiência operacional em suas atividades críticas e importantes.
Soluções Tecnológicas
Relatório
Gerencial
Ação
Value Added
GERA
• + Competitividade
• + Produtividade
CLIENTES
Problemas
Necessidades
ORGANIZAÇÃO
A competição se tornou
on-line e global.
MERCADOEstratégia
Produtividade & Competitividade
Relatório Gerencial
31
Processos de Negócio METAS
Modelo de Gestão Plano Estratégico
COMPETITIVIDADEPRODUTIVIDADE
Produtividade & Competitividade
Relatório Gerencial
• Os principais fatores de geração dos relatórios gerenciais são:
Relatório
Gerencial
Dados
TOMADA DE
DECISÃO
Avaliação
Ação
Estratégica
Tática
Operacional
Estratégico
Tático
Operacional
MercadoEmpresa
32
Contexto
Para a formação do Relatório Gerencial
Modelo de Gestão
A forma como se estrutura e conduz uma organização.
Importante direcionador na formação e formatação dos relatórios gerenciais em uma empresa.
Modelo de Gestão fazer escolhas.
Define-se como um conjunto de escolhas sobre o trabalho, os objetivos,
motivações, esforços, coordenação das atividades e alocações de recursos.
Escolhas sobre:
• Como as atividades serão coordenadas pela empresa;
• A natureza dos objetivos que a empresa almeja;
• Como os indivíduos estão motivados para prosseguir os objetivos.
ROSA (2012)
Modelo de Gestão: Gerir (condução) é organizar os recursos
financeiros, materiais e humanos de uma instituição através de
técnicas adequadas.
A gestão deve ser feita de forma que o administrador faça a empresa alcançar seus objetivos,
atendendo as necessidades de seus clientes internos e externos.
Deve-se saber utilizar dos recursos disponibilizados para atingir a meta de negócio desejada,
realizando as modificações necessárias para atender as necessidades da organização.
Modelo de Gestão: Gerir (condução) é organizar os recursos
financeiros, materiais e humanos de uma instituição através de
técnicas adequadas.
A gestão deve ser feita de forma que o administrador faça a empresa alcançar seus objetivos,
atendendo as necessidades de seus clientes internos e externos.
Deve-se saber utilizar dos recursos disponibilizados para atingir a meta de negócio desejada,
realizando as modificações necessárias para atender as necessidades da organização.
33
Contexto
Para a formação do Relatório Gerencial
Relatório
Gerencial
Dados
METAS
TOMADA DE
DECISÃO
Avaliação
Ação
Estratégica
Tática
Operacional
Estratégico
Tático
Operacional
Indicadores
Modelo de Gestão
Processo de Negócio
Conteúdo
34
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
1
Modelos de Gestão
Tecnologia da Informação (TI) e Modelo de Gestão
Definições e Conceitos
35
Tecn. Informação & Relatórios
Gerenciais
• Qual o Papel da TI em Relatórios Gerenciais ?
– Trazer eficiência operacional a empresa. Como:
• Na geração de relatórios.
• Em acessar o maior volume de dados a partir de fontes confiáveis
para a geração de relatórios.
• Em prover as informações na velocidade necessária para a
tomada de decisão.
A Evolução da Tecnologia da Informação (TI), segundo Keen (1996, p. XXV).
Pode ser divida em quatro períodos distintos:
• Processamento de dados (década de 1960);
• Sistemas de informações (década de 1970);
• Inovação e vantagem competitiva (década de 1980);
• Integração e reestruturação do negócio (década de 1990).
36
Contexto
Relatório Gerencial & TI
A capacidade de reunir,
organizar e manusear
informações por meio de
computadores conferiu as
empresas novas ferramentas
de gestão.
Mas os sistemas foram além
da simples capacitação dos
executivos de executar
melhor as mesmas tarefas,
que é a visão do uso
administrativo da tecnologia
da informação.
A capacidade de reunir,
organizar e manusear
informações por meio de
computadores conferiu as
empresas novas ferramentas
de gestão.
Mas os sistemas foram além
da simples capacitação dos
executivos de executar
melhor as mesmas tarefas,
que é a visão do uso
administrativo da tecnologia
da informação.
Peter Drucker
DRUCKER (2000)
Os computadores alteraram o
próprio conceito de empresa e
transformaram o significado de
gestão.
Neste cenário para exercer as
funções de gerente, os
executivos precisarão de um
sistema de informações
integrado com a estratégia,
em vez das ferramentas
individuais que tem sido tão
amplamente usadas no registro
do passado.
Os computadores alteraram o
próprio conceito de empresa e
transformaram o significado de
gestão.
Neste cenário para exercer as
funções de gerente, os
executivos precisarão de um
sistema de informações
integrado com a estratégia,
em vez das ferramentas
individuais que tem sido tão
amplamente usadas no registro
do passado.
Evolução
Antiga TI
A Nova TI
TRANSFORMAÇÃO DA TEC INFORMAÇÃO
37
Contexto
Relatório Gerencial & TI
O Relatório Gerencial deve refletir dados do modelo de gestão que está conduzindo o negócio.
38
Contexto
Relatório Gerencial & TI
Extração de dados
Relatório
Gerencial
Dados
TOMADA DE
DECISÃO
Avaliação
Estratégico
Tático
Operacional
Modelo de Gestão
Processo de Negócio
Ação
Estratégica
Tática
Operacional
39
Visão Prática
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
Logística Distribuição/Reversa
40
CONTEXTO DO NEGÓCIO
© 2012 Stefanini Proprietary and Confidential
41
Objetivos e Desafios
GARANTIR O MELHOR NÍVEL DE SERVIÇO
AMPLIAR A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE
Concorrências
SLA
Serviço + Ativos
SCM – Supply Chain Management
Empresa
41
LogísticaDistribuição/Reversa
CENÁRIO DA SOLUÇÃO
SAP
Distribuidores
Estoque
Gestão de Ativos
• Material
• Inventário
DRP
MATERIAL
Estoque
CredenciadosCredenciados ... Credenciados
CLIENTE
Transferência
Ordem
Serviço
Reversa
EstoqueEstoque
Informação
Informação
Relatórios
Baixa de Material
Reciclagem/Reparo
Operador Logístico
Habilitação
Siebel42
DFU´s
Empresa
42
LogísticaDistribuição/Reversa
FRAMEWORK DA SOLUÇÃO
Clientes
Distribuidores
EMPRESA Stock Keeping Unit
(SKU), Diferentes
itens do estoque
DFU’s (Demand Forecasting Units)
Previsão de demanda
Parceiros
43
Inventário
Estoques
FluxoTransferência
FluxoReverso/Reuso
RastreabilidadeControle dos Ativos
43
GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA
Parceiros
Logística DistribuiçãoMATERIAL
Distribuidores
FluxoTransferência
Inbound Outbound
FluxoReverso/Reuso
Instalação / AssistênciaCLIENTE
44
LogísticaDistribuição/Reversa
Habilitação
Governança SCM
Arranjo Logístico
• Confiança
• Comprometimento
• Colaboração
Integração
Automação SCM
• Código de barras
• Mobilidade
• RFID
• Participantes
• Sistemas
Empresa
44
Questionamentos
A. O que deve ser monitorado para avaliar o
desempenho competitivo da empresa?
B. Quais relatórios devem ser criados e porque?
• Exercício em Sala
– Dividir em grupos de até 6 alunos.
– Documentar as respostas
– Entregar documento das respostas ao professor, contendo
nome dos participantes do grupo.
45
Conclusões
RELATÓRIOS
GERENCIAIS
46
• Relatório Gerencial é um documento
baseado em fatos – contendo
informações relevantes para avaliação e
possíveis tomadas de decisão.
Praticamente todo relatório é um
Relatório Gerencial (ANTONIO, 2008a).
• São múltiplas as dimensões que precisam ser consideradas no delineamento de um
modelo de gestão que se revele adequado a uma determinada organização.
• É fundamental que as medidas adotadas e as características assumidas pelos modelos de
gestão guardem o chamado alinhamento sistêmico. É preciso que exista coerência entre
as ações e decisões tomadas, de modo que sejam compatíveis com a filosofia de gestão
adotada e que não se contradigam entre si.
FERREIRA (2006)
Conclusões
Relatório Gerencial
47
Processos de Negócio METAS
Modelo de Gestão Plano Estratégico
COMPETITIVIDADEPRODUTIVIDADE
MercadoEmpresa
• Traduz como um administrador está
conduzindo internamente a empresa e seus
processos de negócio.
• Traduz como um administrador está
conduzindo internamente a empresa e seus
processos de negócio.
Conclusões
Relatório Gerencial
• Os principais fatores de geração de relatórios gerenciais são:
• Informações que conduzem a empresa a
enfrentar as ameaças e a aproveitar as
oportunidades encontradas em seu
ambiente de negócio.
• Informações que conduzem a empresa a
enfrentar as ameaças e a aproveitar as
oportunidades encontradas em seu
ambiente de negócio.
48
Relatórios Gerenciais
Prof. Ms. Djalma G. dos Santos
A produtividade do trabalho não é de responsabilidade do
trabalhador, mas do gestor.
Peter Drucker
Bibliografia
• Principal
LEIGH, Andrew (2000). Como fazer propostas e relatórios. Editora Nobel, São Paulo.
• Livros e Artigos
ANTONIO, Charbel Atalla (2008a) – Biblioteca Sebrae, Relatórios Gerenciais - Base para Tomadas de Decisão. Artigo, Acessado em:
20.Mar.2012, Disponível em:
http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/5AE25A158E8CCB37832572F0006F5180/$File/NT00035B26.pdf .
________ (2008b) – Blog Operando Bien, Relatórios Gerenciais - Base para Tomadas de Decisão. Artigo, Acessado em: 20.Mar.2012,
Disponível em: http://operandobien.blogspot.com.br/2007/06/relatrios-gerenciais-base-para-tomadas.html .
CORRÊA, Rafael de Carvalho (2009) - Modelos de Gestão. Artigo, Acessado em: 03.Mai.2012, Disponível em:
http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/modelos-de-gestao/33343/ .
DRUCKER, P. (2000) – As Informações de que os Executivos Realmente Precisam. Artigo – Medindo o Desempenho Empresarial, Harvard
Business Review – Editora Campus.
FERREIRA, V.C.P.; Cardoso, A.S.R.; Corrêa, C.J.; França, C.F. (2006) – Modelos de Gestão, 2ª. Ed. – Edição FGV.
KENN, Peter G. W. (1996) – Guia Gerencial para a tecnologia da informação: Conceitos essenciais e terminologia para empresas e
gerentes. Rio de Janeiro: Campus.
ROSA, Mônica Vargas (2012) – O Que é Modelo de Gestão: a essência da organização. Artigo, acessado em: 10.Jun.2012. Disponível em:
http://www.portaleducacao.com.br/administracao/artigos/11308/o-que-e-modelo-de-gestao-a-essencia-da-organizacao
• Internet
IMANUT (2012). Acessado em: 30.Abr.2012. Disponível em: http://www.imanut.com.br/AP.htm
• Complementar
HAMMER, M. (1993) – Reengenharia: revolucionando a empresa. Editora Campus
HAMMER, M. (1997) – Além da Reengenharia: como organizações orientadas para processos estão mudando nosso trabalho e nossas vidas.
Editora Campus
FOINA, Paulo Rogério (2001) – Tecnologia de informação: planejamento e gestão . São Paulo: Atlas.
50

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
Gilberto Freitas
 
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De InformaçãoLogística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
WeNova Consulting
 
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICAAula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Silva Jorge R Gonçalves
 
Logística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoLogística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimento
Jader Windson
 
Gestão de Armazéns
Gestão de ArmazénsGestão de Armazéns
Gestão de Armazéns
CLT Valuebased Services
 
Logística Operações de Armazenagem
Logística Operações de ArmazenagemLogística Operações de Armazenagem
Logística Operações de Armazenagem
Marcelo Aparecido Sampaio
 
MRP II
MRP II MRP II
O Sistema Kanban
O Sistema KanbanO Sistema Kanban
O Sistema Kanban
CLT Valuebased Services
 
Processos de Produção
Processos de ProduçãoProcessos de Produção
Processos de Produção
Mauro Enrique
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
Caio Roberto de Souza Filho
 
06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban
Homero Alves de Lima
 
Apresentação estoque logística
Apresentação estoque logísticaApresentação estoque logística
Apresentação estoque logística
Henrique Montserrat Fernandez
 
Recebimento Armazenamento e Movimentação de materiais
Recebimento Armazenamento e Movimentação de materiaisRecebimento Armazenamento e Movimentação de materiais
Recebimento Armazenamento e Movimentação de materiais
Gustavo Pessoa
 
Planejamento de Compras
Planejamento de ComprasPlanejamento de Compras
Planejamento de Compras
Nyedson Barbosa
 
Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
Geovana Pires Lima
 
Logística - Fundamentos
Logística - FundamentosLogística - Fundamentos
Desenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de ProdutoDesenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de Produto
Virgilio Marques dos Santos, Dr.
 
Aula 1 conceitos básicos
Aula 1   conceitos básicosAula 1   conceitos básicos
Aula 1 conceitos básicos
Adilson Paradella
 
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 

Mais procurados (20)

Logística e distribuição
Logística e distribuiçãoLogística e distribuição
Logística e distribuição
 
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De InformaçãoLogística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
Logística Empresarial - Processamento De Pedidos E Sistemas De Informação
 
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICAAula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
Aula FUNDAMENTOS DA LOGISTICA
 
Logística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimentoLogística e cadeia de suprimento
Logística e cadeia de suprimento
 
Gestão de Armazéns
Gestão de ArmazénsGestão de Armazéns
Gestão de Armazéns
 
Logística Operações de Armazenagem
Logística Operações de ArmazenagemLogística Operações de Armazenagem
Logística Operações de Armazenagem
 
MRP II
MRP II MRP II
MRP II
 
O Sistema Kanban
O Sistema KanbanO Sistema Kanban
O Sistema Kanban
 
Processos de Produção
Processos de ProduçãoProcessos de Produção
Processos de Produção
 
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 3 - Planejamento e Controle da Produção II
 
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)1   slides - planejamento e controle da produção (pcp)
1 slides - planejamento e controle da produção (pcp)
 
06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban06 aula just in time e kanban
06 aula just in time e kanban
 
Apresentação estoque logística
Apresentação estoque logísticaApresentação estoque logística
Apresentação estoque logística
 
Recebimento Armazenamento e Movimentação de materiais
Recebimento Armazenamento e Movimentação de materiaisRecebimento Armazenamento e Movimentação de materiais
Recebimento Armazenamento e Movimentação de materiais
 
Planejamento de Compras
Planejamento de ComprasPlanejamento de Compras
Planejamento de Compras
 
Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção
Planejamento e Controle da Produção
 
Logística - Fundamentos
Logística - FundamentosLogística - Fundamentos
Logística - Fundamentos
 
Desenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de ProdutoDesenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de Produto
 
Aula 1 conceitos básicos
Aula 1   conceitos básicosAula 1   conceitos básicos
Aula 1 conceitos básicos
 
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção IIAula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
Aula 2 - Planejamento e Controle da Produção II
 

Destaque

Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1
Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1
Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1
Djalma Santos, M.Sc.
 
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2
Alessandro Almeida
 
Apresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a história
Apresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a históriaApresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a história
Apresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a história
Eduardo Franco
 
MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais
MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais  MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais
MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais
cristina32abc
 
Aula S I G I I
Aula  S I G  I IAula  S I G  I I
Aula S I G I I
eloychaves
 
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas GerenciaisMBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
Marco Viveiros
 
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1
Alessandro Almeida
 
Parte3 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte3 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoParte3 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte3 - Fundamentos de Sistema de Informação
Gabriel Faustino
 
Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)
Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)
Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)
Alessandro Almeida
 
Ferramentas gerenciais totvs protheus
Ferramentas gerenciais totvs protheusFerramentas gerenciais totvs protheus
Ferramentas gerenciais totvs protheus
Rafael Marega
 
Aula 1 - Gestão de Infraestrutura
Aula 1 - Gestão de InfraestruturaAula 1 - Gestão de Infraestrutura
Aula 1 - Gestão de Infraestrutura
Paulo Nascimento
 

Destaque (11)

Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1
Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1
Relat-Gerenciais_TIC_II_2013v1.0.1
 
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 2
 
Apresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a história
Apresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a históriaApresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a história
Apresentação - Projeto Final - Frases que mudaram a história
 
MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais
MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais  MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais
MUNDO DOS NEGÓCIOS - Ferramentas Gerenciais
 
Aula S I G I I
Aula  S I G  I IAula  S I G  I I
Aula S I G I I
 
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas GerenciaisMBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
 
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1
Gestão da Tecnologia da Informação - Aula 1
 
Parte3 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte3 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoParte3 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte3 - Fundamentos de Sistema de Informação
 
Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)
Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)
Gestão da Tecnologia da Informação (28/08/2014)
 
Ferramentas gerenciais totvs protheus
Ferramentas gerenciais totvs protheusFerramentas gerenciais totvs protheus
Ferramentas gerenciais totvs protheus
 
Aula 1 - Gestão de Infraestrutura
Aula 1 - Gestão de InfraestruturaAula 1 - Gestão de Infraestrutura
Aula 1 - Gestão de Infraestrutura
 

Semelhante a Relat-Gerenciais_TIC_I_2013v2.0.0

Aula 01.pptx
Aula 01.pptxAula 01.pptx
Aula 01.pptx
PriscilaFacciolli2
 
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informaçãoAula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Universal.org.mx
 
Aula3 4 pl..
Aula3 4 pl..Aula3 4 pl..
Aula3 4 pl..
kriolo_loko
 
Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015
Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015
Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015
Projetos Digitais (Digital Design) / Macaé Region, RJ, BRAZIL
 
Segundo Fórum da Comunidade Serpro de Processos
Segundo Fórum da Comunidade Serpro de ProcessosSegundo Fórum da Comunidade Serpro de Processos
Segundo Fórum da Comunidade Serpro de Processos
Mauricio Bitencourt, CBPP
 
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de ProcessosOMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
Euller Barros
 
Trans4mar - Institucional
Trans4mar - InstitucionalTrans4mar - Institucional
Trans4mar - Institucional
Sérgio Pereira Do Valle
 
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMIO Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Apresentação SupriQual junho 2014
Apresentação SupriQual junho 2014Apresentação SupriQual junho 2014
Apresentação SupriQual junho 2014
José Arnaldo Silveira D'Aurea
 
Apresentação SupriQual
Apresentação SupriQualApresentação SupriQual
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdfAula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Patrick271412
 
Apresentação da Dissertação
Apresentação da DissertaçãoApresentação da Dissertação
Apresentação da Dissertação
Marcel Gois
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Andrei Maturano
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Andrei Maturano
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Andrei Maturano
 
Portfólio de serviços da Deverhum
Portfólio de serviços da DeverhumPortfólio de serviços da Deverhum
Portfólio de serviços da Deverhum
Eduardo Hope
 
Gestão administrativa de pessoal
Gestão administrativa de pessoalGestão administrativa de pessoal
Gestão administrativa de pessoal
Rodrigo Cristóvão
 
01-Contabilidade-Gerencial.ppt
01-Contabilidade-Gerencial.ppt01-Contabilidade-Gerencial.ppt
01-Contabilidade-Gerencial.ppt
MarcelloBezerra1
 
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
JOSUE DIAS
 
Apostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De Pessoas
Apostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De PessoasApostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De Pessoas
Apostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De Pessoas
David Campos
 

Semelhante a Relat-Gerenciais_TIC_I_2013v2.0.0 (20)

Aula 01.pptx
Aula 01.pptxAula 01.pptx
Aula 01.pptx
 
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informaçãoAula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
Aula3 4 planejamento estratégico de tecnologia da informação
 
Aula3 4 pl..
Aula3 4 pl..Aula3 4 pl..
Aula3 4 pl..
 
Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015
Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015
Projetos Digitais v.1.16 from 14/03/2015
 
Segundo Fórum da Comunidade Serpro de Processos
Segundo Fórum da Comunidade Serpro de ProcessosSegundo Fórum da Comunidade Serpro de Processos
Segundo Fórum da Comunidade Serpro de Processos
 
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de ProcessosOMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 12 - Mapeamento e Redesenho de Processos
 
Trans4mar - Institucional
Trans4mar - InstitucionalTrans4mar - Institucional
Trans4mar - Institucional
 
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMIO Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
O Impacto do Guia PMBOK® 6ª ed. na gestão de projetos e nas certificações do PMI
 
Apresentação SupriQual junho 2014
Apresentação SupriQual junho 2014Apresentação SupriQual junho 2014
Apresentação SupriQual junho 2014
 
Apresentação SupriQual
Apresentação SupriQualApresentação SupriQual
Apresentação SupriQual
 
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdfAula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
 
Apresentação da Dissertação
Apresentação da DissertaçãoApresentação da Dissertação
Apresentação da Dissertação
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
 
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
Ebookdeverhumonline 160523215830 arte final-v_deverhum_17_jun16
 
Portfólio de serviços da Deverhum
Portfólio de serviços da DeverhumPortfólio de serviços da Deverhum
Portfólio de serviços da Deverhum
 
Gestão administrativa de pessoal
Gestão administrativa de pessoalGestão administrativa de pessoal
Gestão administrativa de pessoal
 
01-Contabilidade-Gerencial.ppt
01-Contabilidade-Gerencial.ppt01-Contabilidade-Gerencial.ppt
01-Contabilidade-Gerencial.ppt
 
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
 
Apostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De Pessoas
Apostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De PessoasApostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De Pessoas
Apostila – Curso EstratéGia E AvaliaçãO De Pessoas
 

Relat-Gerenciais_TIC_I_2013v2.0.0

  • 1. Relatórios Gerenciais Prof. Ms. Djalma G. dos Santos 1
  • 2. Apresentações • Djalma G. dos Santos djalmags@gmail.com – Formação e experiência profissional • Alunos – Nome – O que faz profissionalmente ? – O que entende por Relatório Gerencial ? 2
  • 3. Estrutura da Disciplina • Visão Estratégica – Abordagem atuais sobre Logística e Cadeia de Suprimentos • Relatórios Gerenciais, Logística e Sistemas Logísticos – Abordagem do tema da disciplina no foco logístico • Visão Prática – Desenvolver pesquisas e construções práticas sobre relatórios gerenciais. 3
  • 4. Critérios para a Avaliação • Documento Trabalho Final (60%) – Formatação/design do documento – Qualidade da pesquisa (contexto real e prático) – Originalidade e inovação (pesquisa) • Apresentação do Trabalho Final (20%) – Formatação/design da apresentação – Qualidade da exposição e análise do relatório – Tempo (mín: 20 min, máx: 30 min) • Participação em Sala (20%) – Por aluno 4
  • 5. Objetivos da Disciplina • Relatório Gerencial Definição e significado. Identificar tipos de relatórios. • Organização Compreender os objetivos funcionais de um relatório gerencial em uma empresa. Entender as estruturas organizacionais e o processo de captura das informações para a confecção de um relatório gerencial. • Tecnologia da Informação Entender a funcionalidade dos principais recursos tecnológicos no contexto logístico e como obter deles os dados para a construção dos relatórios gerenciais. Identificar e entender a funcionalidade dos principais sistemas logísticos e apresentar os principais pontos para a geração de relatórios. Foco: Relatórios Gerenciais (TI aplicada a Logística) 5
  • 6. Agenda • Visão Estratégica – 3ª. Revolução Industrial: Fábrica do Futuro • O Que é um Relatório Gerencial • Elementos de um Relatório Gerencial • Produtividade, Competitividade e Modelo de Gestão • Tecnologia da Informação • Visão Prática: Pesquisa – Pesquisa: Montar Relatório sobre Gestão de Tempo. 6
  • 8. Introdução 3ª. Revolução Industrial Apr 21st 2012 A Manufatura esta se digitalizando, a ponto de se transformar até ficar irreconhecível. Paul Markillie CENÁRIO Acessado: 02.Mai.2012 http://www.economist.com/node/21552901 8
  • 9. Apr 21st 2012 Acessado: 02.Mai.2012 http://www.economist.com/node/21552901 LOGÍSTICA Informação PRODUTO CADEIA DE VALOR A cadeia de valor esta se automatizando. Conhecimento Suprimentos Design Profissional Introdução 3ª. Revolução Industrial Robôs Produção 9
  • 10. Acessado: 02.Mai.2012 http://www.economist.com/node/21552901 3ª. Revolução Nas fábricas do futuro tudo será controlado por softwares inteligentes. A digitalização da manufatura terá um efeito revolucionário tão grande como foi em outras indústrias que passaram pelo processo, como as de equipamentos de escritório, telecomunicações, fotografia, música, editoração e filmes. Máquinas Robótica 2ª. Revolução Introdução 3ª. Revolução Industrial Apr 21st 2012 10
  • 11. Este comportamento acelera a produção das cadeias de suprimento. Nesta crescente velocidade em que as empresas tem que se transformar para atender ao mercado, produzir relatórios gerenciais simples, objetivos e cada vez mais em tempo real é o instrumento implícito, decisivo para que as empresas sejam competitivas e se mantenham vivas num mundo de concorrências globais. O mercado esta se afastando da manufatura em massa e caminhando para uma produção muito mais individualizada. Acessado: 02.Mai.2012 http://www.economist.com/node/21552901 Introdução 3ª. Revolução Industrial Apr 21st 2012 11
  • 12. Plano do Curso RELATÓRIOS GERENCIAIS Conceitos & Definições Tecnologia da Informação Modelo de Gestão Processos Logísticos (Sistemas Logísticos) Indicadores de Desempenho 2 3 4 EstratégicoTático Uso BAM Business Activity ManagementFluxos Logísticos TIPOS Relatórios Gerenciais 12 1 Supply Chain Management – SCM 12
  • 13. Trabalho para Avaliação Final • Pesquisa e Apresentação – Cada grupo deverá pesquisar e documentar 2 diferentes tipos de relatórios gerenciais e deverão apresentá-los em sala de aula sobre seu uso e valor prático para a empresa, com foco em logística. • Grupo 1 e 4: Relatórios Operacionais: Gerenciamento de Transporte e Custos. • Grupo 2 e 5: Relatórios Gerenciais: Planejamento de Estoque e Distribuição. • Grupo 3 e 6: Relatórios Estratégicos: Desempenho Logístico Empresarial. Formatação do Documento • Papel: branco, formato A4 • Fonte: Times New Roman • Tamanho 12: corpo do texto • Tamanho 10: Citações com mais de 3 linhas, notas de rodapé, paginação, legendas de ilustrações e tabelas • Margens: esquerda e superior – 3cm. Direita e inferior – 2 cm. • Espaçamento entre linhas: 1,5 • Número de páginas: máximo de 22 13
  • 14. Definições e Conceitos RELATÓRIOS GERENCIAIS 1 O Que é um Relatório Gerencial ?
  • 15. Processo de Negócio RELATÓRIO GERENCIAL RELATÓRIOS GERENCIAIS • São documentos baseados em fatos – contendo informações relevantes para a avaliação e possíveis tomadas de decisão. • Na prática todo relatório é um Relatório Gerencial. (ANTONIO, 2008a). PROCESSO INFORMAÇÃO DECISÃO Definições O QUE É ? 15
  • 16. Definições CICLO DE VIDA – RELATÓRIO GERENCIAL Processo de Negócio RELATÓRIO GERENCIAL Dados Tomada de Decisão Avaliação Ação ORGANIZAÇÃO Sistemas Equipe 16
  • 17. Definições Exemplo: Relatório Gerencial A figura acima é exemplo de um bom Relatório Gerencial no contexto operacional. • Porque: o Ela informa, no momento certo, tudo o que precisamos saber sobre o carregamento de um arquivo. o Nos permite decidir sobre continuar ou não a atividade e o que fazer durante o tempo restante. Figura: Carregamento de um arquivo Um bom Relatório Gerencial é o que apresenta, na forma mais objetiva possível, o que dele se espera (ANTONIO, 2008b). 17
  • 18. Processo de Negócio Michael Hammer A Reengenharia e os processos de reconstrução das empresas. A reengenharia consistia " ...no repensar fundamental e no redesenhar radical dos processos de trabalho com o objetivo de obter melhorias dramáticas nas medidas contemporâneas críticas da performance da empresa, seja nos custos, na qualidade, no serviço ou no tempo". Michael Hammer e James Champy - "Reengineering the corporation" (Anos 90) Processos: conjunto de atividades que executadas sistematicamente criam valor para os clientes. A reengenharia implantou de formaA reengenharia implantou de formaA reengenharia implantou de formaA reengenharia implantou de forma definitiva o conceito de processos nasdefinitiva o conceito de processos nasdefinitiva o conceito de processos nasdefinitiva o conceito de processos nas áreas da administração das organizações.áreas da administração das organizações.áreas da administração das organizações.áreas da administração das organizações. 18
  • 19. Exemplo de Processo Componentes e Características Fluxo Tarefa (Atividade) Informação Departamento META Processos: conjunto de atividades que executadas sistematicamente criam valor para os clientes. 19
  • 20. Estrutura Organizacional VISÃO DEPARTAMENTAL VISÃO DE PROCESSOS ModernasOrganizações •Mercado:+rápida •Produção:+alta AntigasOrganizações •Mercado:lenta •Produção:baixa 20
  • 21. ERP Produtos + Serviços Valor Redes de Serviço Back-end Front-end Cliente Consumidor CRPrERPr Comercial & Administrativo Manufatura & Produção Produtos & Serviços Supervisão Executivo Gerência PLM Sistemas de Informação Corporativo PLM: Product Lifecycle Mngt SCM: Supply Chain Mngt CRM: Customer Relationship Mngt ERP: Enterprise Resource Planning Fornecedores SCM SCPr PLPr Tec. Informação Tec. Automação EMPRESA Estrutura Organizacional & Processos de Negócio Processos Organizacionais ? São os macroprocessos que sustentam a operação de uma empresa. Enterprise Resource Process Customer Relationship Process Product Lifecycle Process Supply Chain Process B2C Modelo Hub Modelo Supply Chain B2B C2C Modelo Rede Social CRM Qualidade Eficiência Eficácia 21
  • 22. RELATÓRIOS GERENCIAIS 1 Elementos de um Relatório Gerencial Definições e Conceitos
  • 23. Definições Elementos de um Relatório Gerencial Processo de Negócio Relatório Gerencial Dados METAS TOMADA DE DECISÃO Avaliação Ação Estratégica Tática Operacional Estratégico Tático Operacional Operações Destinatários Objetivo Indicadores Formato Prazo Inovação Conteúdo 23
  • 24. • 1. Prazo – De nada adianta um relatório, por mais trabalho que seja e por melhor que pareça, se for apresentado fora do prazo adequado. • 2. Destinatários – Deve estar claro para o destinatário o entendimento das informações de quem elabora um Relatório Gerencial. • 3. Objetivo – Quem elabora um Relatório Gerencial deve saber o que se espera dele – o que se deseja avaliar e conseguir com sua utilização. • 4. Conteúdo – Identifique e apresente as informações relevantes a coletar, isto é com maior potencial de utilidade para as pessoas envolvidas e interessadas. – Geralmente elas abrangem três aspectos principais - custos, prazos e qualidade. – Importante é identificar e atender aos aspectos de relatividade - em especial os relacionados ao tempo e às referências (benchmarks) ou metas. • 5. Forma – Deve ser a mais prática, objetiva e comunicativa possível. O uso de ilustrações, desenhos, fotos, tabelas, gráficos, geralmente é muito útil. Destaque o uso de gráficos, nas suas mais variadas formas possíveis (linhas, barras, pizza, etc.). – 5.1 Estrutura de um Relatório Gerencial dependendo do tipo: – Apresentação de tópicos como: Introdução, Objetivos, Sumários, Glossários, Recomendações, Conclusões, Bibliografia ou Referências, Anexos. – Relatórios periódicos: devem estar assim identificados, preferencialmente já no título. Datas e assinaturas nunca devem faltar onde necessárias. Características De um Relatório Gerencial ANTONIO (2008a) 24
  • 25. Definições Relatórios Gerenciais Gráfico de Controle de Índices: permite uma análise visual de índices da produção Gráfico de Controle de Índices: permite uma análise visual de índices da produção Relatório Gerencial: fornece uma análise sintética dos índices do processo de produção Relatório Gerencial: fornece uma análise sintética dos índices do processo de produção FORMATOS 25
  • 28. RELATÓRIOS GERENCIAIS 1 Modelos de Gestão Produtividade, Competitividade e Modelo de Gestão Definições e Conceitos
  • 30. Produtividade Fazer mais com menos. Productivity (Processo) Inputs Outputs (Valor) http://www.investorwords.com/3876/productivity.html#ixzz1kQU45kvl > 1 30
  • 31. + COMPETITIVIDADE Objetiva produzir contínua vantagem competitiva em seu mercado. Usar a tecnologia da informação como recurso de valor estratégico à organização. + PRODUTIVIDADE Agregando valor aos processos de negócios da organização, acrescentando maior eficiência operacional em suas atividades críticas e importantes. Soluções Tecnológicas Relatório Gerencial Ação Value Added GERA • + Competitividade • + Produtividade CLIENTES Problemas Necessidades ORGANIZAÇÃO A competição se tornou on-line e global. MERCADOEstratégia Produtividade & Competitividade Relatório Gerencial 31
  • 32. Processos de Negócio METAS Modelo de Gestão Plano Estratégico COMPETITIVIDADEPRODUTIVIDADE Produtividade & Competitividade Relatório Gerencial • Os principais fatores de geração dos relatórios gerenciais são: Relatório Gerencial Dados TOMADA DE DECISÃO Avaliação Ação Estratégica Tática Operacional Estratégico Tático Operacional MercadoEmpresa 32
  • 33. Contexto Para a formação do Relatório Gerencial Modelo de Gestão A forma como se estrutura e conduz uma organização. Importante direcionador na formação e formatação dos relatórios gerenciais em uma empresa. Modelo de Gestão fazer escolhas. Define-se como um conjunto de escolhas sobre o trabalho, os objetivos, motivações, esforços, coordenação das atividades e alocações de recursos. Escolhas sobre: • Como as atividades serão coordenadas pela empresa; • A natureza dos objetivos que a empresa almeja; • Como os indivíduos estão motivados para prosseguir os objetivos. ROSA (2012) Modelo de Gestão: Gerir (condução) é organizar os recursos financeiros, materiais e humanos de uma instituição através de técnicas adequadas. A gestão deve ser feita de forma que o administrador faça a empresa alcançar seus objetivos, atendendo as necessidades de seus clientes internos e externos. Deve-se saber utilizar dos recursos disponibilizados para atingir a meta de negócio desejada, realizando as modificações necessárias para atender as necessidades da organização. Modelo de Gestão: Gerir (condução) é organizar os recursos financeiros, materiais e humanos de uma instituição através de técnicas adequadas. A gestão deve ser feita de forma que o administrador faça a empresa alcançar seus objetivos, atendendo as necessidades de seus clientes internos e externos. Deve-se saber utilizar dos recursos disponibilizados para atingir a meta de negócio desejada, realizando as modificações necessárias para atender as necessidades da organização. 33
  • 34. Contexto Para a formação do Relatório Gerencial Relatório Gerencial Dados METAS TOMADA DE DECISÃO Avaliação Ação Estratégica Tática Operacional Estratégico Tático Operacional Indicadores Modelo de Gestão Processo de Negócio Conteúdo 34
  • 35. RELATÓRIOS GERENCIAIS 1 Modelos de Gestão Tecnologia da Informação (TI) e Modelo de Gestão Definições e Conceitos 35
  • 36. Tecn. Informação & Relatórios Gerenciais • Qual o Papel da TI em Relatórios Gerenciais ? – Trazer eficiência operacional a empresa. Como: • Na geração de relatórios. • Em acessar o maior volume de dados a partir de fontes confiáveis para a geração de relatórios. • Em prover as informações na velocidade necessária para a tomada de decisão. A Evolução da Tecnologia da Informação (TI), segundo Keen (1996, p. XXV). Pode ser divida em quatro períodos distintos: • Processamento de dados (década de 1960); • Sistemas de informações (década de 1970); • Inovação e vantagem competitiva (década de 1980); • Integração e reestruturação do negócio (década de 1990). 36
  • 37. Contexto Relatório Gerencial & TI A capacidade de reunir, organizar e manusear informações por meio de computadores conferiu as empresas novas ferramentas de gestão. Mas os sistemas foram além da simples capacitação dos executivos de executar melhor as mesmas tarefas, que é a visão do uso administrativo da tecnologia da informação. A capacidade de reunir, organizar e manusear informações por meio de computadores conferiu as empresas novas ferramentas de gestão. Mas os sistemas foram além da simples capacitação dos executivos de executar melhor as mesmas tarefas, que é a visão do uso administrativo da tecnologia da informação. Peter Drucker DRUCKER (2000) Os computadores alteraram o próprio conceito de empresa e transformaram o significado de gestão. Neste cenário para exercer as funções de gerente, os executivos precisarão de um sistema de informações integrado com a estratégia, em vez das ferramentas individuais que tem sido tão amplamente usadas no registro do passado. Os computadores alteraram o próprio conceito de empresa e transformaram o significado de gestão. Neste cenário para exercer as funções de gerente, os executivos precisarão de um sistema de informações integrado com a estratégia, em vez das ferramentas individuais que tem sido tão amplamente usadas no registro do passado. Evolução Antiga TI A Nova TI TRANSFORMAÇÃO DA TEC INFORMAÇÃO 37
  • 38. Contexto Relatório Gerencial & TI O Relatório Gerencial deve refletir dados do modelo de gestão que está conduzindo o negócio. 38
  • 39. Contexto Relatório Gerencial & TI Extração de dados Relatório Gerencial Dados TOMADA DE DECISÃO Avaliação Estratégico Tático Operacional Modelo de Gestão Processo de Negócio Ação Estratégica Tática Operacional 39
  • 41. CONTEXTO DO NEGÓCIO © 2012 Stefanini Proprietary and Confidential 41 Objetivos e Desafios GARANTIR O MELHOR NÍVEL DE SERVIÇO AMPLIAR A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE Concorrências SLA Serviço + Ativos SCM – Supply Chain Management Empresa 41
  • 42. LogísticaDistribuição/Reversa CENÁRIO DA SOLUÇÃO SAP Distribuidores Estoque Gestão de Ativos • Material • Inventário DRP MATERIAL Estoque CredenciadosCredenciados ... Credenciados CLIENTE Transferência Ordem Serviço Reversa EstoqueEstoque Informação Informação Relatórios Baixa de Material Reciclagem/Reparo Operador Logístico Habilitação Siebel42 DFU´s Empresa 42
  • 43. LogísticaDistribuição/Reversa FRAMEWORK DA SOLUÇÃO Clientes Distribuidores EMPRESA Stock Keeping Unit (SKU), Diferentes itens do estoque DFU’s (Demand Forecasting Units) Previsão de demanda Parceiros 43 Inventário Estoques FluxoTransferência FluxoReverso/Reuso RastreabilidadeControle dos Ativos 43
  • 44. GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Parceiros Logística DistribuiçãoMATERIAL Distribuidores FluxoTransferência Inbound Outbound FluxoReverso/Reuso Instalação / AssistênciaCLIENTE 44 LogísticaDistribuição/Reversa Habilitação Governança SCM Arranjo Logístico • Confiança • Comprometimento • Colaboração Integração Automação SCM • Código de barras • Mobilidade • RFID • Participantes • Sistemas Empresa 44
  • 45. Questionamentos A. O que deve ser monitorado para avaliar o desempenho competitivo da empresa? B. Quais relatórios devem ser criados e porque? • Exercício em Sala – Dividir em grupos de até 6 alunos. – Documentar as respostas – Entregar documento das respostas ao professor, contendo nome dos participantes do grupo. 45
  • 47. • Relatório Gerencial é um documento baseado em fatos – contendo informações relevantes para avaliação e possíveis tomadas de decisão. Praticamente todo relatório é um Relatório Gerencial (ANTONIO, 2008a). • São múltiplas as dimensões que precisam ser consideradas no delineamento de um modelo de gestão que se revele adequado a uma determinada organização. • É fundamental que as medidas adotadas e as características assumidas pelos modelos de gestão guardem o chamado alinhamento sistêmico. É preciso que exista coerência entre as ações e decisões tomadas, de modo que sejam compatíveis com a filosofia de gestão adotada e que não se contradigam entre si. FERREIRA (2006) Conclusões Relatório Gerencial 47
  • 48. Processos de Negócio METAS Modelo de Gestão Plano Estratégico COMPETITIVIDADEPRODUTIVIDADE MercadoEmpresa • Traduz como um administrador está conduzindo internamente a empresa e seus processos de negócio. • Traduz como um administrador está conduzindo internamente a empresa e seus processos de negócio. Conclusões Relatório Gerencial • Os principais fatores de geração de relatórios gerenciais são: • Informações que conduzem a empresa a enfrentar as ameaças e a aproveitar as oportunidades encontradas em seu ambiente de negócio. • Informações que conduzem a empresa a enfrentar as ameaças e a aproveitar as oportunidades encontradas em seu ambiente de negócio. 48
  • 49. Relatórios Gerenciais Prof. Ms. Djalma G. dos Santos A produtividade do trabalho não é de responsabilidade do trabalhador, mas do gestor. Peter Drucker
  • 50. Bibliografia • Principal LEIGH, Andrew (2000). Como fazer propostas e relatórios. Editora Nobel, São Paulo. • Livros e Artigos ANTONIO, Charbel Atalla (2008a) – Biblioteca Sebrae, Relatórios Gerenciais - Base para Tomadas de Decisão. Artigo, Acessado em: 20.Mar.2012, Disponível em: http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/5AE25A158E8CCB37832572F0006F5180/$File/NT00035B26.pdf . ________ (2008b) – Blog Operando Bien, Relatórios Gerenciais - Base para Tomadas de Decisão. Artigo, Acessado em: 20.Mar.2012, Disponível em: http://operandobien.blogspot.com.br/2007/06/relatrios-gerenciais-base-para-tomadas.html . CORRÊA, Rafael de Carvalho (2009) - Modelos de Gestão. Artigo, Acessado em: 03.Mai.2012, Disponível em: http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/modelos-de-gestao/33343/ . DRUCKER, P. (2000) – As Informações de que os Executivos Realmente Precisam. Artigo – Medindo o Desempenho Empresarial, Harvard Business Review – Editora Campus. FERREIRA, V.C.P.; Cardoso, A.S.R.; Corrêa, C.J.; França, C.F. (2006) – Modelos de Gestão, 2ª. Ed. – Edição FGV. KENN, Peter G. W. (1996) – Guia Gerencial para a tecnologia da informação: Conceitos essenciais e terminologia para empresas e gerentes. Rio de Janeiro: Campus. ROSA, Mônica Vargas (2012) – O Que é Modelo de Gestão: a essência da organização. Artigo, acessado em: 10.Jun.2012. Disponível em: http://www.portaleducacao.com.br/administracao/artigos/11308/o-que-e-modelo-de-gestao-a-essencia-da-organizacao • Internet IMANUT (2012). Acessado em: 30.Abr.2012. Disponível em: http://www.imanut.com.br/AP.htm • Complementar HAMMER, M. (1993) – Reengenharia: revolucionando a empresa. Editora Campus HAMMER, M. (1997) – Além da Reengenharia: como organizações orientadas para processos estão mudando nosso trabalho e nossas vidas. Editora Campus FOINA, Paulo Rogério (2001) – Tecnologia de informação: planejamento e gestão . São Paulo: Atlas. 50