SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
I) ACENTUAÇÃO: RESUMO DAS PRINCIPAIS REGRAS
• CAFÉ: OXÍTONA TERMINADA EM A, E OU O
• JÚRI: PAROXÍTONA TERMINADAS EM I, U E DITONGOS
• PRÍNCIPE: PROPAROXÍTONAS SÃO SEMPRE ACENTUADAS
• CÉU - HERÓI: DITONGO ABERTO EM OXÍTONA É ACENTUADO
• IDEIA – DITONGO ABERTO EM PAROXÍTONA EU NÃO ACENTUO
• SAÍDA – SAÚDE: HIATO I E U SÃO ACENTUADOS
• VOO – CREEM: NÃO ACENTUAR OS ENCONTROS “OO” E “EE”
• MONOSSÍLABOS TÔNICO: PÉ
• MONOSSÍLABO ÁTONO: LEMBRARAM-ME DA PROVA.
• ELES TÊM PROVA – ELE TEM PROVA: ACENTUAR NA CONJUGAÇÃO VERBAL
DA TERCEIRA PESSOA DO PLURAL
II) ORTOGRAFIA
AONDE X ONDE
SEMELHANÇA: são palavras que indicam lugar
DIFERENÇA:
Onde = ideia de permanência
Aonde = ideia de movimento
ONDE: QUANDO O VERBO DA FRASE NÃO PEDE A PREPOSIÇÃO “A”
• Não sei onde estou. (QUEM ESTÁ, ESTÁ EM ALGUM LUGAR)
• Moro na rua onde fica o SAMU. (QUEM FICA, FICA EM ALGUM LUGAR)
• Onde coloquei o celular? (QUEM COLOCA, COLOCA EM ALGUM LUGAR)
AONDE: Está em frases com verbos que indicam movimento, tais como: ir, chegar, dirigir, entre
outros, pedem o uso de preposição “a” antes do “onde”, gerando o “aonde”.
• Aonde você quer ir?
• Aonde vai com tamanha pressa?
• Vamos aonde ele quiser ir.
ATRÁS / TRAZ / TRÁS
“Atrás” é grafado com “s”. É um advérbio de lugar.
• Ele estava atrás de mim quando tudo aconteceu.
• O ponto de ônibus fica atrás do shopping.
• As crianças devem viajar no banco de trás.
• Quando ele a chamou, ela olhou para trás.
• As cartolinas estão guardadas por trás do armário.
“Traz”, do verbo “trazer”, conjugado na terceira pessoa do singular, é escrito com “z”.
• O autor traz para o seu romance a questão da seca.
• Ele sempre traz flores quando vem me ver.
• Traz essa caixa! (2ª pessoa do singular do imperativo)
• Não se preocupem, ele traz o material. (3ª pessoa do singular do presente do indicativo)
“Trás” (com “s” e acento) significa “na parte posterior” e é sempre precedido por preposição.
• Ele estava por trás disso tudo desde o começo.
• Ande mais depressa, senão ficará para trás.
Resumindo: os advérbios terminam com “s”. O verbo conjugado é o único que termina com “z”.
“Atráz” (com “z”) não existe.
A CERCA DE / ACERCA DE / HÁ CERCA DE
A cerca de, escrito assim, separado, significa “perto de”, “aproximadamente”, “próximo de”:
a) Brasília fica a cerca de 208 km de Goiânia.
b) O rapaz foi encontrado a cerca de 10 metros do local.
c) Vamos, ela está a cerca de dois passos daqui.
Acerca de tem significado de “a respeito de” ou “sobre”:
a) Estávamos conversando acerca da viagem.
b) Ninguém disse nada acerca do que aconteceu com aquela família.
c) Elas jogam conversas fora acerca de muitas coisas.
Há cerca de por apresentar o verbo “haver” tem sentido de tempo decorrido, logo, significa
“desde aproximadamente”, “faz aproximadamente”:
a) O curso foi lançado há cerca de dois anos.
b) Há cerca de duas semanas que não vejo Maria.
c) Não faço ginástica há cerca de 5 anos.
A OU HÁ
HÁ representa uma forma do verbo haver. Assim, podemos utilizar o “há” quando o verbo haver é
impessoal (sem sujeito) e possui o sentido de “existir”.
• Há um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo. (Troque por EXISTE)
• Há muito tempo não como esse bolo. (Troque por FAZ)
Importante: Mesmo que a frase esteja no plural, o “há” permanece no singular.
• Há muito erro nessa prova.
• Há muitos erros nessa prova.
A é utilizado para falar de uma ação futura. Além disso, ele é empregado quando estamos nos referindo
a distância.
• Daqui a três anos irei para a Inglaterra.
Estamos morando a cinco quilômetros do metrô.
• Daqui a pouco você poderá ir embora.
Estamos a dez minutos de onde você está.
POR QUE / PORQUE / POR QUÊ/ PORQUÊ
POR QUE
• Frases interrogativas (diretas ou indiretas):
Por que você não me esperou? (pergunta direta)
Quero saber por que você não me esperou. (pergunta indireta)
Quero saber por que (motivo) foste reprovado.
• Quando for a junção da preposição por + pronome que, possuirá o significado de “pelo qual” (e
poderá ter as flexões: “pela qual”, “pelos quais”, “pelas quais”) ou de “por qual razão”, “por que
razão”, “para que”, “por qual”, “motivo”, “por que motivo”, “por quais motivos” ou “por qual
motivo”:
Por que você não vai ao cinema? (por qual razão)
Não sei por que não quero ir. (por qual motivo)
Ignoro por que razões ela fez isso. (por quais)
Já sei por que fui reprovado. (por qual motivo)
Não sei por que eles estão discutindo. (por que motivo)
Sei bem por que motivo permaneci neste lugar. (pelo qual)
As causas por que discuti com ele são particulares. (pelas quais)
Ester é a mulher por que vivo. (pela qual)
• Após os vocábulos eis e daí, subentende-se a palavra "motivo":
Daí por que não aceitei as reclamações. (o motivo)
Eis por que sou muito feliz. (o motivo)
POR QUÊ
• Quando vier antes de um ponto (final ou interrogativo), ou seja, sempre que a palavra que estiver
em final de frase.
Ela não me ligou e nem disse por quê.
Você está rindo de quê?
Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro.
Você não fez a lição. Por quê?
Muitos reclamaram das notas, mas não havia por quê.
Você está aborrecida por quê?
PORQUE
• É conjunção subordinativa causal, conjunção subordinativa final ou conjunção coordenativa
explicativa. Portanto, une duas orações e tem o significado semelhante a “pois”, “uma vez que”,
“já que, , “como” ou “pelo fato de que”.
Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois)
Nando está contente, porque se saiu bem nas provas. (uma vez que)
Não viajei porque perdi o avião. (pelo fato de que)
Porque ninguém apareceu até agora, deve haver algo errado. (como)
• Diante das orações em que se pergunta algo e já se sabe a resposta.
Você não foi porque choveu? (= pelo fato de que)
Não veio à aula porque não tem caderno? (= pois)
• Diante da intenção de se justificar algo.
Tudo lhe aconteceu porque se recusou a admitir o erro.
Chegou cedo porque os amigos lhe pediram.
PORQUÊ
• É substantivo; por isso, somente poderá ser utilizado acompanhado de artigo, pronome, adjetivo
ou numeral. Pode substituir as palavras “motivo”, “razão”, “causa”, “pergunta” ou “indagação”.
Possui plural já que se trata de um substantivo.
Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)
Tudo na vida tem um porquê. (um motivo)
Ninguém entende o porquê de tanta confusão.
Este porquê é um substantivo.
Quantos porquês existem na Língua Portuguesa? Existem quatro porquês.
Havia muitos porquês para poucas respostas. (muitas indagações)
Ao invés, invés ou em vez de
• O termo “invés” é substantivo e variante de “inverso” e significa “lado oposto”, “avesso". Na
expressão “ao invés”, o substantivo “invés” continua com o mesmo significado, contudo, é
utilizada para indicar oposição a algo ou alguma coisa e, portanto, significa “ao contrário de”.
Geralmente vem acompanhada da preposição “de”.
Ao invés de deixar os juros aumentarem, ligue para a empresa de cobrança e renegocie sua
dívida.
Ao invés de protestar seu nome, conceder-lhe-ei uma nova chance.
• Já a expressão “em vez de” é mais empregada com o significado de “em lugar de”, porém, pode
significar “ao invés de”, “ao contrário de”.
A menina assistiu à TV em vez de filme. ( não poderá ser usado “ao invés de”, pois não há oposição de
termos).
A professora, em vez de diminuir a nota do aluno, aumentou-a (a expressão “em vez de” poderia ser
substituída por “ao invés de”, pois temos termos contrários “diminuir” e “aumentou”).
Com sentido de “no lugar de”
– Decidi ir de carro para o trabalho em vez de
ir de ônibus.
– Os ladrões entraram pela janela em vez de
entrarem pela porta.
Com o sentido de “ao contrário de”:
– Gosto de ler revistas pelo fim em vez de
começar pela primeira página.
– O dia está ensolarado em vez de chuvoso,
como indicou a meteorologia.
Lembre-se: para indicar a ideia de troca, de algo no lugar de outra coisa, não vale usar “ao invés de”,
porque essa expressão só pode ser usada em situações em que há uma oposição (uma ideia contra outra).
Não se deve falar, por exemplo: “Viajei para São Paulo ao invés de Curitiba”. O certo é: “Viajei para
São Paulo em vez de Curitiba”. Se você ficou na dúvida, prefira usar “em vez de”, já que essa locução
também inclui o sentido de “ao contrário de” e, portanto, também significa “ao invés de”.
Afim/ A fim de
• "Afim" é um adjetivo e significa igual, semelhante, parecido.
Suas ideias são afins.
Possuem temperamentos afins; por isso se relacionam tão bem.
O espanhol é uma língua afim com o português.
Nesta fase das nossas vidas, não temos objetivos afins.
Exemplos com o substantivo afim:
Para meu aniversário, convidarei parentes e afins.
Os afins não estarão presentes na reunião familiar.
• "A fim" faz parte da locução "a fim de", que significa para, com o propósito, com o intuito e
indica finalidade:
Fez tudo aquilo a fim de nos convencer de sua inocência.
Apresentou-nos todas as propostas de pagamento a fim de vender os produtos.
A aluna estudou muito a fim de tirar boa nota na prova.
Você está contando essa história a fim de me comover, mas não vai conseguir.
SE NÃO/ SENÃO
• Use “se não” (união da conjunção se + advérbio não) quando puder trocar por “caso não”, ou a
frase tiver ideia de dúvida, possibilidade.
Perguntei a ela se não queria dormir em minha casa.
Se não fosse o trânsito, não teria me atrasado.
Não fui eu se não der certo.
Se não for possível comparecer à consulta, avise-nos.
Se não fizer sol, não iremos à praia.
Havia duas pessoas interessadas, se não três.
• Use “senão” quando puder substituir por “do contrário”, “de outro modo”, “caso contrário”,
“porém”, “a não ser”, “mas sim”, “mas também”, aqui a frase passa a ideia de certeza!
Você tem de comer toda a comida do prato, senão é desperdício.
Se o clima estiver bom você vai, senão não vai.
Não lhe resta outra coisa senão pedir perdão.
Não faz mais nada, senão pensar na viagem.
- do contrário, caso contrário: Estudo muito, senão serei reprovado.
- mas sim; mas: Não era diamante nem rubi, senão cristal.
- a não ser, exceto, mais do que: Ninguém, senão os convidados, podia entrar no evento.
- mas também: O aprendizado não depende somente do professor, senão do esforço do aluno.
- falha, defeito, obstáculo (como substantivo): Não encontrei um senão em seu texto.
MAS/MAIS/ MÁS
• Más: plural de má:
ELAS SÃO PESSSOAS MÁS.
• Mais: intensidade
EU QUERO SABER MAIS SOBRE PORTUGUÊS.
• Mas é sinônimo de porém
• Mas é uma com junção: liga duas frases e dá ideia de oposição
ESTUDOU, MAS TIROU UMA NOTA RUIM NA PROVA.
MAL/ MAU
• A palavra mal com “l” é antônima de bem. Portanto, para usá-la da forma correta basta lembrar
qual termo é seu contrário.
Estou me sentindo mal essa manhã. (Estou me sentido bem essa manhã)
Fui muito mal no exame final. (Fui muito bem no exame final)
Felipe nasceu para fazer o mal. (Felipe nasceu para fazer o bem)
• A palavra mau com “u” é antônimo de bom. Da mesma maneira que sua homófona, para usá-la da
forma correta basta lembrar a palavra que é contrária dela. Em relação à classe gramatical, esse
vocábulo é um adjetivo que qualifica seres e objetos.
João é mau aluno. (João é bom aluno)
Ele foi muito mau comigo. (Ele foi muito bom comigo)
O chefe sempre estava de mau humor (O chefe sempre estava de bom humor)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbalPaolaLins
 
Exercícios sobre concordância nominal
Exercícios sobre concordância nominalExercícios sobre concordância nominal
Exercícios sobre concordância nominalma.no.el.ne.ves
 
Aula 8 preposição e conjunção
Aula 8   preposição e conjunçãoAula 8   preposição e conjunção
Aula 8 preposição e conjunçãoJ M
 
Os conectores preposições e conjunções
Os conectores   preposições e conjunçõesOs conectores   preposições e conjunções
Os conectores preposições e conjunçõesMatheus Alves
 
Fatores de textualidade
Fatores de textualidadeFatores de textualidade
Fatores de textualidadeAFMO35
 
Classes Gramaticais
Classes GramaticaisClasses Gramaticais
Classes Gramaticaisguest7174ad
 
Funções do que, se e pronome relativo
Funções do que, se e pronome relativoFunções do que, se e pronome relativo
Funções do que, se e pronome relativoCynthia Funchal
 
Flexão verbal
Flexão verbalFlexão verbal
Flexão verbalNilberte
 
Exercícios tipologia textual
Exercícios   tipologia textualExercícios   tipologia textual
Exercícios tipologia textualLu1zFern4nando
 
Homônimos e parônimos
Homônimos e parônimosHomônimos e parônimos
Homônimos e parônimosCaroline Cunha
 
17 divisão silábica
17   divisão silábica17   divisão silábica
17 divisão silábicamarcelocaxias
 
Morfossintaxe
MorfossintaxeMorfossintaxe
MorfossintaxeSEDF
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidassandra
 

Mais procurados (20)

Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Exercícios sobre concordância nominal
Exercícios sobre concordância nominalExercícios sobre concordância nominal
Exercícios sobre concordância nominal
 
Aula 8 preposição e conjunção
Aula 8   preposição e conjunçãoAula 8   preposição e conjunção
Aula 8 preposição e conjunção
 
Os conectores preposições e conjunções
Os conectores   preposições e conjunçõesOs conectores   preposições e conjunções
Os conectores preposições e conjunções
 
Simple present
Simple presentSimple present
Simple present
 
Fatores de textualidade
Fatores de textualidadeFatores de textualidade
Fatores de textualidade
 
Classes Gramaticais
Classes GramaticaisClasses Gramaticais
Classes Gramaticais
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 
Funções do que, se e pronome relativo
Funções do que, se e pronome relativoFunções do que, se e pronome relativo
Funções do que, se e pronome relativo
 
Question tags
Question tagsQuestion tags
Question tags
 
Flexão verbal
Flexão verbalFlexão verbal
Flexão verbal
 
Simple present
Simple presentSimple present
Simple present
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Exercícios tipologia textual
Exercícios   tipologia textualExercícios   tipologia textual
Exercícios tipologia textual
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
 
Homônimos e parônimos
Homônimos e parônimosHomônimos e parônimos
Homônimos e parônimos
 
17 divisão silábica
17   divisão silábica17   divisão silábica
17 divisão silábica
 
Morfossintaxe
MorfossintaxeMorfossintaxe
Morfossintaxe
 
Orações reduzidas
Orações reduzidasOrações reduzidas
Orações reduzidas
 
Preposição 6ºano
Preposição 6ºanoPreposição 6ºano
Preposição 6ºano
 

Semelhante a DICAS DE ORTOGRAFIA.pdf

Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaPrincipais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaOlivaldo Ferreira
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua7 de Setembro
 
Coesão e coerência Prof Lucélia
Coesão e coerência Prof LucéliaCoesão e coerência Prof Lucélia
Coesão e coerência Prof LucéliaLucélia Rodrigues
 
Palavras e expressões
Palavras e expressõesPalavras e expressões
Palavras e expressõesAna Rufino
 
Dúvidas frequentes na lp
Dúvidas frequentes na lpDúvidas frequentes na lp
Dúvidas frequentes na lpMilena Nicolas
 
Módulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticosMódulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticosRenally Arruda
 
Módulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticosMódulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticosRenally Arruda
 
O uso dos porquês
O uso dos porquêsO uso dos porquês
O uso dos porquêsLeYa
 
Parônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deveParônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deveJacquelineAssis4
 
Parônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deveParônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deveJacquelineAssis4
 
Questões de escrita
Questões de escritaQuestões de escrita
Questões de escritaAndré Aleixo
 
Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.Vinicius Selbach
 
pontuação em lingua portuguesa
pontuação em   lingua portuguesapontuação em   lingua portuguesa
pontuação em lingua portuguesaFatimagomes Macedo
 
Pré vestibular lurdinha Redação
Pré vestibular lurdinha RedaçãoPré vestibular lurdinha Redação
Pré vestibular lurdinha RedaçãoJéssica Costa
 
Aula de crase, você nunca mais vai errar
Aula de crase, você nunca mais vai errarAula de crase, você nunca mais vai errar
Aula de crase, você nunca mais vai errarRodrigoSantos711338
 

Semelhante a DICAS DE ORTOGRAFIA.pdf (20)

Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaPrincipais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
 
A Comunicação Escrita Através da Abordagem Gramatical
A Comunicação Escrita Através da Abordagem GramaticalA Comunicação Escrita Através da Abordagem Gramatical
A Comunicação Escrita Através da Abordagem Gramatical
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Coesão e coerência Prof Lucélia
Coesão e coerência Prof LucéliaCoesão e coerência Prof Lucélia
Coesão e coerência Prof Lucélia
 
Palavras e expressões
Palavras e expressõesPalavras e expressões
Palavras e expressões
 
Dúvidas frequentes na lp
Dúvidas frequentes na lpDúvidas frequentes na lp
Dúvidas frequentes na lp
 
Problemas Gerais da Língua Culta
Problemas Gerais da Língua CultaProblemas Gerais da Língua Culta
Problemas Gerais da Língua Culta
 
Módulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticosMódulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticos
 
Módulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticosMódulo de verbos e gêneros humorísticos
Módulo de verbos e gêneros humorísticos
 
Dificuldades
DificuldadesDificuldades
Dificuldades
 
O uso dos porquês
O uso dos porquêsO uso dos porquês
O uso dos porquês
 
Parônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deveParônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deve
 
Parônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deveParônimos e Homônimos descrição de como deve
Parônimos e Homônimos descrição de como deve
 
Questões de escrita
Questões de escritaQuestões de escrita
Questões de escrita
 
Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.
 
pontuação em lingua portuguesa
pontuação em   lingua portuguesapontuação em   lingua portuguesa
pontuação em lingua portuguesa
 
Pré vestibular lurdinha Redação
Pré vestibular lurdinha RedaçãoPré vestibular lurdinha Redação
Pré vestibular lurdinha Redação
 
Aula de crase, você nunca mais vai errar
Aula de crase, você nunca mais vai errarAula de crase, você nunca mais vai errar
Aula de crase, você nunca mais vai errar
 
Blog
BlogBlog
Blog
 
Homonimos e paronimos
Homonimos e paronimosHomonimos e paronimos
Homonimos e paronimos
 

Mais de Natália Moura

FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docxFICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docxNatália Moura
 
Relato Pessoal e Diário.pdf
Relato Pessoal e Diário.pdfRelato Pessoal e Diário.pdf
Relato Pessoal e Diário.pdfNatália Moura
 
O que é literatura.pdf
O que é literatura.pdfO que é literatura.pdf
O que é literatura.pdfNatália Moura
 
Funções da Linguagem.pdf
Funções da Linguagem.pdfFunções da Linguagem.pdf
Funções da Linguagem.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 14-03-22.pdf
Diário de Aula - 14-03-22.pdfDiário de Aula - 14-03-22.pdf
Diário de Aula - 14-03-22.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdf
Diário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdfDiário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdf
Diário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 11-03-22.pdf
Diário de Aula - 11-03-22.pdfDiário de Aula - 11-03-22.pdf
Diário de Aula - 11-03-22.pdfNatália Moura
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 21-03-22.pdf
Diário de Aula - 21-03-22.pdfDiário de Aula - 21-03-22.pdf
Diário de Aula - 21-03-22.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 07-03-22.pdf
Diário de Aula - 07-03-22.pdfDiário de Aula - 07-03-22.pdf
Diário de Aula - 07-03-22.pdfNatália Moura
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdfNatália Moura
 
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdfFICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 18-03-22.pdf
Diário de Aula - 18-03-22.pdfDiário de Aula - 18-03-22.pdf
Diário de Aula - 18-03-22.pdfNatália Moura
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 04-04-22.pdf
Diário de Aula - 04-04-22.pdfDiário de Aula - 04-04-22.pdf
Diário de Aula - 04-04-22.pdfNatália Moura
 
Diário de Aula - 24-03-22.pdf
Diário de Aula - 24-03-22.pdfDiário de Aula - 24-03-22.pdf
Diário de Aula - 24-03-22.pdfNatália Moura
 

Mais de Natália Moura (19)

Aula Semântica.pdf
Aula Semântica.pdfAula Semântica.pdf
Aula Semântica.pdf
 
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docxFICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
 
Gêneros Textuais.ppt
Gêneros Textuais.pptGêneros Textuais.ppt
Gêneros Textuais.ppt
 
Relato Pessoal e Diário.pdf
Relato Pessoal e Diário.pdfRelato Pessoal e Diário.pdf
Relato Pessoal e Diário.pdf
 
Notícia.pdf
Notícia.pdfNotícia.pdf
Notícia.pdf
 
O que é literatura.pdf
O que é literatura.pdfO que é literatura.pdf
O que é literatura.pdf
 
Funções da Linguagem.pdf
Funções da Linguagem.pdfFunções da Linguagem.pdf
Funções da Linguagem.pdf
 
Diário de Aula - 14-03-22.pdf
Diário de Aula - 14-03-22.pdfDiário de Aula - 14-03-22.pdf
Diário de Aula - 14-03-22.pdf
 
Diário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdf
Diário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdfDiário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdf
Diário de Aula - 28-03-22 e 01-04-22.pdf
 
Diário de Aula - 11-03-22.pdf
Diário de Aula - 11-03-22.pdfDiário de Aula - 11-03-22.pdf
Diário de Aula - 11-03-22.pdf
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
 
Diário de Aula - 21-03-22.pdf
Diário de Aula - 21-03-22.pdfDiário de Aula - 21-03-22.pdf
Diário de Aula - 21-03-22.pdf
 
Diário de Aula - 07-03-22.pdf
Diário de Aula - 07-03-22.pdfDiário de Aula - 07-03-22.pdf
Diário de Aula - 07-03-22.pdf
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS.pdf
 
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdfFICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
FICHA - FUNÇÕES DA LINGUAGEM - Gabarito.pdf
 
Diário de Aula - 18-03-22.pdf
Diário de Aula - 18-03-22.pdfDiário de Aula - 18-03-22.pdf
Diário de Aula - 18-03-22.pdf
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 
Diário de Aula - 04-04-22.pdf
Diário de Aula - 04-04-22.pdfDiário de Aula - 04-04-22.pdf
Diário de Aula - 04-04-22.pdf
 
Diário de Aula - 24-03-22.pdf
Diário de Aula - 24-03-22.pdfDiário de Aula - 24-03-22.pdf
Diário de Aula - 24-03-22.pdf
 

Último

Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )MayaraDaSilvaAssis
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 

DICAS DE ORTOGRAFIA.pdf

  • 1. I) ACENTUAÇÃO: RESUMO DAS PRINCIPAIS REGRAS • CAFÉ: OXÍTONA TERMINADA EM A, E OU O • JÚRI: PAROXÍTONA TERMINADAS EM I, U E DITONGOS • PRÍNCIPE: PROPAROXÍTONAS SÃO SEMPRE ACENTUADAS • CÉU - HERÓI: DITONGO ABERTO EM OXÍTONA É ACENTUADO • IDEIA – DITONGO ABERTO EM PAROXÍTONA EU NÃO ACENTUO • SAÍDA – SAÚDE: HIATO I E U SÃO ACENTUADOS • VOO – CREEM: NÃO ACENTUAR OS ENCONTROS “OO” E “EE” • MONOSSÍLABOS TÔNICO: PÉ • MONOSSÍLABO ÁTONO: LEMBRARAM-ME DA PROVA. • ELES TÊM PROVA – ELE TEM PROVA: ACENTUAR NA CONJUGAÇÃO VERBAL DA TERCEIRA PESSOA DO PLURAL II) ORTOGRAFIA AONDE X ONDE SEMELHANÇA: são palavras que indicam lugar DIFERENÇA: Onde = ideia de permanência Aonde = ideia de movimento ONDE: QUANDO O VERBO DA FRASE NÃO PEDE A PREPOSIÇÃO “A” • Não sei onde estou. (QUEM ESTÁ, ESTÁ EM ALGUM LUGAR) • Moro na rua onde fica o SAMU. (QUEM FICA, FICA EM ALGUM LUGAR) • Onde coloquei o celular? (QUEM COLOCA, COLOCA EM ALGUM LUGAR)
  • 2. AONDE: Está em frases com verbos que indicam movimento, tais como: ir, chegar, dirigir, entre outros, pedem o uso de preposição “a” antes do “onde”, gerando o “aonde”. • Aonde você quer ir? • Aonde vai com tamanha pressa? • Vamos aonde ele quiser ir. ATRÁS / TRAZ / TRÁS “Atrás” é grafado com “s”. É um advérbio de lugar. • Ele estava atrás de mim quando tudo aconteceu. • O ponto de ônibus fica atrás do shopping. • As crianças devem viajar no banco de trás. • Quando ele a chamou, ela olhou para trás. • As cartolinas estão guardadas por trás do armário. “Traz”, do verbo “trazer”, conjugado na terceira pessoa do singular, é escrito com “z”. • O autor traz para o seu romance a questão da seca. • Ele sempre traz flores quando vem me ver. • Traz essa caixa! (2ª pessoa do singular do imperativo) • Não se preocupem, ele traz o material. (3ª pessoa do singular do presente do indicativo) “Trás” (com “s” e acento) significa “na parte posterior” e é sempre precedido por preposição. • Ele estava por trás disso tudo desde o começo. • Ande mais depressa, senão ficará para trás.
  • 3. Resumindo: os advérbios terminam com “s”. O verbo conjugado é o único que termina com “z”. “Atráz” (com “z”) não existe. A CERCA DE / ACERCA DE / HÁ CERCA DE A cerca de, escrito assim, separado, significa “perto de”, “aproximadamente”, “próximo de”: a) Brasília fica a cerca de 208 km de Goiânia. b) O rapaz foi encontrado a cerca de 10 metros do local. c) Vamos, ela está a cerca de dois passos daqui. Acerca de tem significado de “a respeito de” ou “sobre”: a) Estávamos conversando acerca da viagem. b) Ninguém disse nada acerca do que aconteceu com aquela família. c) Elas jogam conversas fora acerca de muitas coisas. Há cerca de por apresentar o verbo “haver” tem sentido de tempo decorrido, logo, significa “desde aproximadamente”, “faz aproximadamente”: a) O curso foi lançado há cerca de dois anos. b) Há cerca de duas semanas que não vejo Maria. c) Não faço ginástica há cerca de 5 anos. A OU HÁ
  • 4. HÁ representa uma forma do verbo haver. Assim, podemos utilizar o “há” quando o verbo haver é impessoal (sem sujeito) e possui o sentido de “existir”. • Há um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo. (Troque por EXISTE) • Há muito tempo não como esse bolo. (Troque por FAZ) Importante: Mesmo que a frase esteja no plural, o “há” permanece no singular. • Há muito erro nessa prova. • Há muitos erros nessa prova. A é utilizado para falar de uma ação futura. Além disso, ele é empregado quando estamos nos referindo a distância. • Daqui a três anos irei para a Inglaterra. Estamos morando a cinco quilômetros do metrô. • Daqui a pouco você poderá ir embora. Estamos a dez minutos de onde você está. POR QUE / PORQUE / POR QUÊ/ PORQUÊ
  • 5. POR QUE • Frases interrogativas (diretas ou indiretas): Por que você não me esperou? (pergunta direta) Quero saber por que você não me esperou. (pergunta indireta) Quero saber por que (motivo) foste reprovado. • Quando for a junção da preposição por + pronome que, possuirá o significado de “pelo qual” (e poderá ter as flexões: “pela qual”, “pelos quais”, “pelas quais”) ou de “por qual razão”, “por que razão”, “para que”, “por qual”, “motivo”, “por que motivo”, “por quais motivos” ou “por qual motivo”: Por que você não vai ao cinema? (por qual razão) Não sei por que não quero ir. (por qual motivo) Ignoro por que razões ela fez isso. (por quais) Já sei por que fui reprovado. (por qual motivo) Não sei por que eles estão discutindo. (por que motivo) Sei bem por que motivo permaneci neste lugar. (pelo qual) As causas por que discuti com ele são particulares. (pelas quais) Ester é a mulher por que vivo. (pela qual) • Após os vocábulos eis e daí, subentende-se a palavra "motivo": Daí por que não aceitei as reclamações. (o motivo) Eis por que sou muito feliz. (o motivo) POR QUÊ • Quando vier antes de um ponto (final ou interrogativo), ou seja, sempre que a palavra que estiver em final de frase. Ela não me ligou e nem disse por quê. Você está rindo de quê?
  • 6. Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro. Você não fez a lição. Por quê? Muitos reclamaram das notas, mas não havia por quê. Você está aborrecida por quê? PORQUE • É conjunção subordinativa causal, conjunção subordinativa final ou conjunção coordenativa explicativa. Portanto, une duas orações e tem o significado semelhante a “pois”, “uma vez que”, “já que, , “como” ou “pelo fato de que”. Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois) Nando está contente, porque se saiu bem nas provas. (uma vez que) Não viajei porque perdi o avião. (pelo fato de que) Porque ninguém apareceu até agora, deve haver algo errado. (como) • Diante das orações em que se pergunta algo e já se sabe a resposta. Você não foi porque choveu? (= pelo fato de que) Não veio à aula porque não tem caderno? (= pois) • Diante da intenção de se justificar algo. Tudo lhe aconteceu porque se recusou a admitir o erro. Chegou cedo porque os amigos lhe pediram. PORQUÊ • É substantivo; por isso, somente poderá ser utilizado acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral. Pode substituir as palavras “motivo”, “razão”, “causa”, “pergunta” ou “indagação”. Possui plural já que se trata de um substantivo. Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão) Tudo na vida tem um porquê. (um motivo) Ninguém entende o porquê de tanta confusão. Este porquê é um substantivo. Quantos porquês existem na Língua Portuguesa? Existem quatro porquês. Havia muitos porquês para poucas respostas. (muitas indagações) Ao invés, invés ou em vez de • O termo “invés” é substantivo e variante de “inverso” e significa “lado oposto”, “avesso". Na expressão “ao invés”, o substantivo “invés” continua com o mesmo significado, contudo, é utilizada para indicar oposição a algo ou alguma coisa e, portanto, significa “ao contrário de”. Geralmente vem acompanhada da preposição “de”. Ao invés de deixar os juros aumentarem, ligue para a empresa de cobrança e renegocie sua dívida. Ao invés de protestar seu nome, conceder-lhe-ei uma nova chance.
  • 7. • Já a expressão “em vez de” é mais empregada com o significado de “em lugar de”, porém, pode significar “ao invés de”, “ao contrário de”. A menina assistiu à TV em vez de filme. ( não poderá ser usado “ao invés de”, pois não há oposição de termos). A professora, em vez de diminuir a nota do aluno, aumentou-a (a expressão “em vez de” poderia ser substituída por “ao invés de”, pois temos termos contrários “diminuir” e “aumentou”). Com sentido de “no lugar de” – Decidi ir de carro para o trabalho em vez de ir de ônibus. – Os ladrões entraram pela janela em vez de entrarem pela porta. Com o sentido de “ao contrário de”: – Gosto de ler revistas pelo fim em vez de começar pela primeira página. – O dia está ensolarado em vez de chuvoso, como indicou a meteorologia. Lembre-se: para indicar a ideia de troca, de algo no lugar de outra coisa, não vale usar “ao invés de”, porque essa expressão só pode ser usada em situações em que há uma oposição (uma ideia contra outra). Não se deve falar, por exemplo: “Viajei para São Paulo ao invés de Curitiba”. O certo é: “Viajei para São Paulo em vez de Curitiba”. Se você ficou na dúvida, prefira usar “em vez de”, já que essa locução também inclui o sentido de “ao contrário de” e, portanto, também significa “ao invés de”. Afim/ A fim de • "Afim" é um adjetivo e significa igual, semelhante, parecido. Suas ideias são afins. Possuem temperamentos afins; por isso se relacionam tão bem. O espanhol é uma língua afim com o português. Nesta fase das nossas vidas, não temos objetivos afins. Exemplos com o substantivo afim: Para meu aniversário, convidarei parentes e afins. Os afins não estarão presentes na reunião familiar. • "A fim" faz parte da locução "a fim de", que significa para, com o propósito, com o intuito e indica finalidade: Fez tudo aquilo a fim de nos convencer de sua inocência. Apresentou-nos todas as propostas de pagamento a fim de vender os produtos. A aluna estudou muito a fim de tirar boa nota na prova. Você está contando essa história a fim de me comover, mas não vai conseguir. SE NÃO/ SENÃO
  • 8. • Use “se não” (união da conjunção se + advérbio não) quando puder trocar por “caso não”, ou a frase tiver ideia de dúvida, possibilidade. Perguntei a ela se não queria dormir em minha casa. Se não fosse o trânsito, não teria me atrasado. Não fui eu se não der certo. Se não for possível comparecer à consulta, avise-nos. Se não fizer sol, não iremos à praia. Havia duas pessoas interessadas, se não três. • Use “senão” quando puder substituir por “do contrário”, “de outro modo”, “caso contrário”, “porém”, “a não ser”, “mas sim”, “mas também”, aqui a frase passa a ideia de certeza! Você tem de comer toda a comida do prato, senão é desperdício. Se o clima estiver bom você vai, senão não vai. Não lhe resta outra coisa senão pedir perdão. Não faz mais nada, senão pensar na viagem. - do contrário, caso contrário: Estudo muito, senão serei reprovado. - mas sim; mas: Não era diamante nem rubi, senão cristal. - a não ser, exceto, mais do que: Ninguém, senão os convidados, podia entrar no evento. - mas também: O aprendizado não depende somente do professor, senão do esforço do aluno. - falha, defeito, obstáculo (como substantivo): Não encontrei um senão em seu texto. MAS/MAIS/ MÁS • Más: plural de má: ELAS SÃO PESSSOAS MÁS. • Mais: intensidade EU QUERO SABER MAIS SOBRE PORTUGUÊS. • Mas é sinônimo de porém • Mas é uma com junção: liga duas frases e dá ideia de oposição
  • 9. ESTUDOU, MAS TIROU UMA NOTA RUIM NA PROVA. MAL/ MAU • A palavra mal com “l” é antônima de bem. Portanto, para usá-la da forma correta basta lembrar qual termo é seu contrário. Estou me sentindo mal essa manhã. (Estou me sentido bem essa manhã) Fui muito mal no exame final. (Fui muito bem no exame final) Felipe nasceu para fazer o mal. (Felipe nasceu para fazer o bem) • A palavra mau com “u” é antônimo de bom. Da mesma maneira que sua homófona, para usá-la da forma correta basta lembrar a palavra que é contrária dela. Em relação à classe gramatical, esse vocábulo é um adjetivo que qualifica seres e objetos. João é mau aluno. (João é bom aluno) Ele foi muito mau comigo. (Ele foi muito bom comigo) O chefe sempre estava de mau humor (O chefe sempre estava de bom humor)