SlideShare uma empresa Scribd logo
Danças Sociais
Módulo 14 - “Dança III”
Educação Física
Diogo Silva
Índice
• Introdução
• Objetivo do Trabalho
• Definição de dança
• Histórico de danças
• História das danças sociais
• A importância da dança no processo ensino / aprendizagem
• Estudo e técnicas
• Diferentes tipos de danças e as suas histórias
• Danças Sociais
• Danças Latinas
• Passos básicos da Mulher (bailarina) e do Homem (bailarino)
• Conclusão
• Bibliografia
Introdução
No âmbito do módulo 14 - "Dança lll" da disciplina de
Educação Física o professor propôs a realização de
um trabalho individual.
A temática escolhida para a elaboração deste
trabalho de pesquisa trata-se do conteúdo da dança
mais especificamente sobre as "Danças Sociais"
(vários tipos de danças), neste trabalho pretendo dar a
conhecer as danças em geral e como a atividade
física, traz benefícios para o nosso corpo, pois se
entende que a mesma sendo uma experiência
corporal, possibilitará aos alunos novas formas de
expressão e comunicação, levando-os à descoberta da
sua linguagem corporal, que contribuirá de forma
positiva para o processo ensino/aprendizagem.
Objetivo
do
Trabalho
O presente trabalho tem como objetivo descrever o
trabalho por mim realizado no âmbito da disciplina de
Educação Física, dando um especial realce às principais
decisões tomadas no corrente ano.
Muitas vezes a dança é usada como terapia e com o
tempo é possível notar que os benefícios vão muito
além do bem estar físico.
Com este trabalho pretendo refletir a importância da
dança na escola, como instrumento de socialização,
para a formação de cidadãos críticos, participativos
e responsáveis.
Definição de dança
Dança é a arte de movimentar expressivamente o corpo seguindo movimentos ritmados, em geral ao
som de música.
A dança é uma atividade física para todas as pessoas e não existe nenhuma restrição de idade e nem de
qualquer outro tipo, não existe um impedimento já que os passos podem ser sempre adaptados às
limitações físicas de cada um.
A dança é uma das três principais artes cênicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. No
antigo Egito já se realizava as chamadas danças astroteológicas em homenagem a Osíris. Na Grécia, a
dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos jogos Olímpicos.
Definição de dança
A Dança representa em sua prática aspetos físicos, culturais, sociais, místicos, espirituais,
psicológicos, econômicos, políticos, comunicativos, etc.
Por ser a dança fruto da necessidade de criação e expressão humana, ela acompanha a história, e se
modifica com ela.
Histórico de
danças
I. Danças Primitivas
II. Danças Milenares
III. Danças Clássicas
IV. Danças Modernas
V. Danças Neoclássicas
VI. Danças Contemporâneas
Danças
Primitivas
As danças primitivas eram
executadas pelos homens das
cavernas e os seus movimentos
ficaram registrados na arte
rupestre.
Danças
Milenares
Danças praticadas nas civilizações
da idade antiga.
Nessa época, as danças no Egito
tinham um caráter sagrado e eram
executadas em homenagem aos
deuses.
Egito, 5000 a.C.
Danças Milenar
es
Na Índia as danças têm origem na
invocação a Shiva (deusa da
dança).
Com as suas danças e músicas, os
hindus procuravam uma união
com a natureza.
Índia, 2000 a.C.
Danças Milenar
es
A dança na Grécia, como no Egito
e na Índia, sempre integrou
rituais religiosos.
Grécia, século VII a lll a.C.
Danças
Clássicas
Idade Média:
Nessa época, a Igreja tornou-se
autoridade constituída. Manifestações
corporais foram proibidas, uma vez que
a dança foi vinculada ao pecado.
A Igreja, porém, não conseguiu interferir
nas danças populares dos camponeses,
que continuaram a fazer suas festas nas
épocas de semeadura / colheita e no
início da primavera. Para não afrontar a
Igreja, essas danças eram camufladas
com a introdução de personagens como
anjos e santos.
Danças
Clássicas
Renascimento:
A dança se desenvolve, particularmente
em Florença, na Itália, no palácio da
família Médici, onde, nas festas, eram
apresentados espetáculos chamados de
trionfi – triunfos, que simbolizavam
riqueza e poder. Vários artistas eram
convidados a colaborar na preparação
desses espetáculos, entre eles Leonardo
da Vinci.
1459 - Em uma festa de casamento, foi
apresentado o primeiro triunfo
considerado balé do qual irei falar mais
detalhadamente ao longo do trabalho.
Danças
Modernas
Técnica de dança mais livre, ou
seja, não seguindo uma
determinada técnica e
conquistando uma maior liberdade
para a escolha dos movimentos.
Danças
Neoclássicas
O balé neoclássico tem toda a sua
base no clássico, mas veio cobrir
um anseio de inovar e acrescentar
novos elementos ao balé sem
perder totalmente a técnica, mais
utilizando essa última como
ferramenta para desenvolver
novos espetáculos, que dão uma
nova liberdade ao bailarino(a).
Danças
Contemporâneas
A dança contemporânea não
impõe modelos rígidos; os corpos
dos artistas não têm um padrão
pré estabelecido, bem com os tipos
físicos. Sejam gordos, magros,
altos, baixos e de diferentes etnias.
História da
dança
A história da dança cênica representa
uma mudança de significação dos
propósitos artísticos através do tempo.
Com o Balé Clássico, as narrativas e
ambientes ilusórios é que guiavam a cena.
A dança contemporânea como nova
manifestação artística, sofrendo
influências tanto de todos os movimentos
passados, como das novas possibilidades
tecnológicas atuais (vídeo, instalações).
História das danças sociais
O modernismo, corrente filosófica e artística que marcou o séc. XX expressou-se também através da
dança. As danças de salão assim como a música mudaram definitivamente as suas características
baseando-se essencialmente no dançar juntos e na ação natural de caminhar.
Mais tarde a música latino - americana conquistou o mundo, assim como as suas danças. O movimento
amplo, livre associado à sensualidade e exuberância, desperta nos bailarinos novas dinâmicas e novos
prazeres.
Da vontade de interpretar os ritmos da época, surge de imediato um forte impulso de competir na pista
de um bar ou de um salão, brilhando mais do que qualquer outro par, através de movimentos dinâmicos,
elegantes, sensuais e muito vistosos.
A importância da dança no processo
ensino / aprendizagem
A dança enquanto um processo educacional, não se resume simplesmente em uma aquisição de
habilidades, mas sim, poderá contribuir para o aprimoramento das habilidades básicas, dos padrões
fundamentais do movimento, no desenvolvimento das potencialidades humanas e na sua relação com o
mundo. O uso da dança como prática pedagógica favorece a criatividade, além de favorecer no
processo de construção de conhecimento.
A dança, sendo uma experiência corporal, possibilitará aos alunos novas formas de expressão e
comunicação, levando-os à descoberta da sua linguagem corporal, que contribuirá para o processo
ensino / aprendizagem.
Estudo e técnicas
No início dos anos 1920, os estudos de dança (dança prática, teoria crítica, análise musical e história)
começaram a ser considerados uma disciplina acadêmica.
Dança e tecnologia: novos meios de comunicação e o desempenho de tecnologias.
Competição
Uma competição de dança é um evento organizado em que os concorrentes executam danças perante
um juiz ou juízes visando prêmios e, em alguns casos, prêmios em dinheiro.
Existem vários tipos principais de competições de dança, que se distinguem principalmente pelo estilo
ou estilos de dança executados. Os principais tipos de competições de dança incluem:
•Dança competitiva
Dança competitiva, em que uma variedade de estilos de danças teatrais, como, dança afro, balé, jazz, hip-
hop, dança lírica e sapateado, são permitidos.
Competições abertas, que permitem uma grande variedade de estilos de dança.
Dança
esportiva
Dança esportiva, que é focada
exclusivamente em dança de
salão e dança latina.
Competições de estilo único, como
dança escocesa, dança de equipa
(dance squad) e dança irlandesa,
que só permitem um único estilo
de dança.
Danças de salão
As danças de salão surgiram entre os nobres da Europa e principalmente com o surgimento da dança
realizada com casais.
Quando os europeus foram colonizar as Américas, eles levaram as danças em locais fechados para
essas localidades. Foram nesses países que surgiram os tipos mais comuns de dança de salão como
gafieira, tango, salsa, bolero e maxixe.
Dança de rua
Conhecida também como street dance, a dança de rua é um estilo que conta com movimentos com o
corpo e expressões faciais. Surgiu nos Estados Unidos, em 1929, durante uma das maiores crises
econômicas do mundo. As performances eram realizadas pelos trabalhadores que ficaram
desempregados após a crise.
Muitas vezes associada aos negros, a dança de rua está ligada a outras manifestações culturais como a
pintura, grafite e a forma de se vestir. Posteriormente, surgiu uma nova vertente que recebeu o nome de
Hip-Hop, mais realizado nas ruas. Já o Street Dance originou-se das escolas de dança.
Dança gospel
Este estilo de dança é baseado exclusivamente para o louvor
através de movimentos cuidadosamente estudados tendo
como princípio movimentos de exaltação, admiração e
adoração a Deus.
O figurino também vem de um segmento voltado para o
mesmo propósito, não podendo haver sensualidade
excessiva, porque o foco central de uma apresentação de
Dança Gospel é exclusivamente a evangelização e adoração.
Dança de funk
Funk é um género musical com ritmo forte e que incita a dança.
A dança funk teve origem nos Estados Unidos nos anos 60, e foi criado através de uma mistura de
outros géneros musicais afro-americanos, como o jazz, blues e soul.
História do Balé ou Ballet
As origens do balé surgiram em celebrações públicas italianas e francesas nos séculos XV, XVI e XVII.
Na Itália a impulsiva representação dramática resultou em enormes espetáculos durando horas (e até
mesmo dias) e utilizando dança, poemas recitados, canções e efeitos cênicos, todos organizados em
torno de um enredo principal e com homens e crianças ricamente vestidos no lugar da corte encenando
os principais papéis.
Os espetáculos eram apresentados em grandes salões ou em quadras de tênis (Teatros modernos não
eram construídos antes do séc. XVI).
A audiência para estas apresentações era composta principalmente por pessoas da corte, que
contratavam dançarinos de alto escalão para ensinar aos principiantes.
Tipos de Balé
•Balé Contemporâneo: mais conhecido por Balé Moderno, foi criado no início do século XXI e ainda
preserva o uso das pontas e gestuais ainda muito próximos do Balé Clássico.
Neste estilo de dança as coreografias começam a ter ideologias diferentes. As roupas usadas no
Balé Contemporâneo são geralmente com lãs e malhas, como em uma aula normal, para dar maior
liberdade de movimento aos dançarinos(as).
•Balé Clássico: surgiu numa época de intrigas entre os Balés Russo e Italianos, que disputavam o título
de melhor técnica do mundo. A principal função era exprimir ao máximo a habilidade técnica dos
bailarinos e bailarinas e o virtuosismo que os passos de balé poderiam mostrar e encantar toda a plateia.
Tipos de Balé
•Balé Romântico: é um dos mais antigos e que se consolidou mais cedo na história do Balé. Neste tipo de
Balé usam-se os chamados tutus românticos, saias mais longas que o tutu prato. Estas saias de tule com
adornos são geralmente floridas, lembrando raparigas do campo.
História da Valsa
A primeira dança de salão oficial - denomina-se por Valsa - é a primeira dança que qualquer
bailarino(a) aprende, foi apresentada ao mundo em Viena, Áustria, no ano 1776. Curiosamente, uma
das danças mais elegantes de todos os tempos teve origem nas danças tradicionais dos camponeses
austríacos!
Tipos de Valsa
•Valsa Vienesa: a pioneira, dança-se a um ritmo bastante rápido;
•Valsa Moderna ou Inglesa: uma derivação da Valsa Vienesa, dança-se a um ritmo mais lento;
•Valsa Internacional Standard: o par mantém sempre a “posição fechada”, normalmente é apenas
dançada em competições internacionais;
•Valsa Estilo Americano: incorpora vários movimentos onde o par deixa praticamente de ter contacto
um com o outro.
Tipos de Valsa
•Valsa Peruana: muito semelhante à Valsa Moderna, difere na música, que é fortemente influenciada por
sons latinos e espanhóis;
•Valsa Venezuelana: os venezuelanos incluíram novos passos e a sua própria música à Valsa clássica;
•Valsa “CrossStep”: tal como o próprio nome indica, esta Valsa inclui um passo especial, que é cruzado.
História do Tango
Originariamente, o tango nasce no final do século XIX, de uma mistura de vários ritmos provenientes
dos subúrbios de Buenos Aires.
Esteve associado desde o princípio com bordéis e cabarés, âmbito de contenção da população imigrante
massivamente masculina. Devido a que só as prostitutas aceitariam esse baile, em seus começos era
comum que o tango fosse dançado por um casal de homens.
História do Merengue
O merengue é a dança nacional da República Dominicana e, de certa forma, do Haiti, o vizinho que
partilha a ilha.
É uma combinação de duas danças: o africano e o minueto francês, dos finais de 1700, princípios de
1800. Os escravos negros viram as danças de salão nos bailes e começaram a imitar essas danças nas
suas próprias festas. Porém, as danças dos Europeus não eram divertidas, sendo demasiado calmas e
aborrecidas. Por esse motivo, e com o passar do tempo, os escravos adicionaram uma batida especial,
providenciada pelos tambores.
História do Tecktonik
Tecktonik é o novo estilo de dança, este estilo de dança nasceu nos subúrbios de Paris, criado pelos
adeptos do hip-hop.
A dança é uma mistura de dois géneros musicais, o hip-hop e o eletrónico, em que se mexe muito
mais (mas mesmo muito mais) os braços do que as pernas, porque eles mexem os braços para todos os
lados até ao limite.
Danças Sociais
Existem 4 tipos de danças sociais:
ØSalsa
ØBachata
ØTango Argentino
ØKizomba
História da Salsa
Este ritmo nasceu nos campos do oriente cubano na segunda metade do século XVIII, tendo como
antecedentes a influência hispânica, francesa e africana. Devido a essa união perfeita, ao chegar nas
cidades no início do século XIX, contagiou a população.
Realizada quase sempre em par e com recurso à própria música salsa - ritmos de percussão rápidos e
complicados, com cerca de 180 batidas por minuto, piano e mais que uma voz - a Salsa acaba por ser
bastante semelhante ao Mambo, principalmente no número de passos que marcam a dança e,
consequentemente, alguns movimentos.
História da Bachata
A bachata é um ritmo musical e uma dança originada nas favelas da República Dominicana na década
de 60.
História do Tango Argentino
O tango é um tipo musical e uma dança a par. A coreografia é complexa e as habilidades dos bailarinos
são celebradas pelos seus admiradores. Segundo Discípulo, "o tango é um pensamento triste que se
pode dançar".
A sua origem encontra-se na área de Rio da Prata, na América do Sul, nas cidade de Buenos Aires e
Montevidéu.
História da Kizomba
Kizomba é um género musical e de dança originário de Angola, erradamente confundido com o Zouk,
devido ao ritmo ser muito semelhante.
Danças Latinas
Existem 6 tipos de danças latinas:
⮚Cha-Cha-Chá
⮚Rumba
⮚Paso-doble
⮚Samba
⮚Merengue
⮚Jive
A História do Cha-Cha-Chá
Cha-cha-chá é um estilo de dança latino-americano derivado da rumba, do mambo e do danzo
cubano.
Corresponde ao estilo musical de mesmo nome, introduzida pelo compositor e violinista cubano Enrique
Jorrín.
Na dança de salão é popularmente chamado por cha-cha.
Inspirado no som dos pés dos dançarinos ao arrastá-los pelo chão, esse estilo acabou tornando-se
independente, com características próprias de música e dança. Popularizou-se no mundo com as
formações das Big Bands, onde havia claro predomínio de instrumentos de sopro.
O cha-cha-chá nasceu originalmente em Havana nos anos 40.
A História da Rumba
Rumba é uma dança cubana em compasso binário e ritmo complexo que influenciou e foi incorporado
ao Flamenco.
A História do Paso-doble
Paso-doble é um estilo musical espanhol, surgido no século XVI. É uma marcha de compasso 2/4 ou
6/8 e tempo allegro moderato.
A História do Samba
Surgiu como género musical no início do século XX, no Rio de Janeiro, tendo como primeira gravação
oficial o samba "Pelo Telefone" de 1917. Foi fruto do maxixe, do lundu e do caldeirão cultural brasileiro.
A História do Merengue
O estilo mais popular do merengue é habitualmente interpretado por um amplo conjunto de
instrumentos que inclui vários saxofones, acordeões, trompetas e teclados, com vocalistas divertidos.
Ao nível coreográfico, o merengue apresenta passos fáceis e rápidos, dançados por casais entrelaçados.
A História do Jive
A origem do Jive vem desde a Segunda Guerra mundial, quando os Gl's americanos puseram os pés
sobre o solo da velha Albion. Embora apaixonados pelas danças de salão, a admiração e o interesse dos
professores inglês foram imediatos e foram eles que lhe deram a sua forma atual.
Passos básicos da Mulher (bailarina)
No caso da mulher:
1. Passo: Começar avançando com o pé direito;
2. Passo: Avançar com o pé esquerdo mas sem juntar o pé direito;
3. Passo: Seguidamente dar um passo para a esquerda;
4. Passo: Juntar o pé direito ao pé esquerdo;
5. Passo: Com o pé esquerdo dar um passo para trás;
6. Passo: Recuar com o pé direito mas sem juntar o pé esquerdo;
7. Passo: Repetir o procedimento da direita para a esquerda.
Passos básicos do Homem (bailarino)
No caso do homem:
1. Passo: Para começar o homem avança com o pé esquerdo;
2. Passo: De seguida com o pé direito mas sem juntar o pé esquerdo;
3. Passo: Fazer os seguintes passos de forma a parecer-se com um quadrado.
Conclusão
Este trabalho realizei-o com empenho e espero
ter correspondido com as expetativas propostas.
Ao concretizá-lo, percebi que a partir da pesquisa sobre
o tema, "Danças Sociais", conclui que o estudo da
história de cada tipo de dança, exige de cada um de
nós a busca de um maior conhecimento voltado às
leituras diversas ao tema proposto em estudo.
Entendendo que a aprendizagem passa por estágios,
em que precisamos adquiri-las através de pesquisas,
busca de fontes históricas do passado, para
entendermos o presente e o futuro.
Bibliografia
•https://www.dancenter.pt/dancas-sociais/
•https://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a_de_sal%C3%A3o
•http://www.ateneoidiomas.com.br/5-dancas-latinas-que-
voce-precisa-conhecer/
•https://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a_de_sal%C3%A3o#
Dan%C3%A7as_de_competi%C3%A7%C3%A3o
•https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%BAsica_da_Am%C3%A9ri
ca_Latina
•https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_dan%C3%A7as
•https://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a
•https://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a#Dan%C3%A7a_e_
educa%C3%A7%C3%A3o_f%C3%ADsica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
Diogo Silva
 
Doping
DopingDoping
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptxTrabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Irene Semanas
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
ameliapadrao
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 
Violência No Desporto
Violência No DesportoViolência No Desporto
Violência No Desporto
SNM
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
Luis Antonio
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
António Fernandes
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
Jorge Fernandes
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
Helena Coutinho
 
Cantigas de amor -resumo
Cantigas de amor -resumoCantigas de amor -resumo
Cantigas de amor -resumo
Gijasilvelitz 2
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
MiguelavRodrigues
 
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
Escola Básica e Secundária Matilde Rosa Araújo
 
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicasFatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Soraya Filipa
 
Capacidades Motoras Educação Física
Capacidades Motoras Educação FísicaCapacidades Motoras Educação Física
Capacidades Motoras Educação Física
Joana Fadista
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
Bruno Freitas
 
Capacidades motoras: condicionais e coordenativas
Capacidades motoras: condicionais e coordenativasCapacidades motoras: condicionais e coordenativas
Capacidades motoras: condicionais e coordenativas
JoanaMartins7
 
Capacidades Motoras
Capacidades MotorasCapacidades Motoras
Capacidades Motoras
Rita Moreira
 
Bateria de testes fitnessgram
Bateria de testes fitnessgramBateria de testes fitnessgram
Bateria de testes fitnessgram
Mafalda Filipe
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
Helena Coutinho
 

Mais procurados (20)

A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
 
Doping
DopingDoping
Doping
 
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptxTrabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
 
Sermão aos peixes cap. i
Sermão aos peixes   cap. iSermão aos peixes   cap. i
Sermão aos peixes cap. i
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Violência No Desporto
Violência No DesportoViolência No Desporto
Violência No Desporto
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Cantigas de amor -resumo
Cantigas de amor -resumoCantigas de amor -resumo
Cantigas de amor -resumo
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
 
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicasFatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
 
Capacidades Motoras Educação Física
Capacidades Motoras Educação FísicaCapacidades Motoras Educação Física
Capacidades Motoras Educação Física
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
 
Capacidades motoras: condicionais e coordenativas
Capacidades motoras: condicionais e coordenativasCapacidades motoras: condicionais e coordenativas
Capacidades motoras: condicionais e coordenativas
 
Capacidades Motoras
Capacidades MotorasCapacidades Motoras
Capacidades Motoras
 
Bateria de testes fitnessgram
Bateria de testes fitnessgramBateria de testes fitnessgram
Bateria de testes fitnessgram
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 

Semelhante a Danças Sociais

Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
ClariceLuizaGomesDeF
 
Word 9 b_12
Word 9 b_12Word 9 b_12
Word 9 b_12
pedrofranciscotic
 
Danças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joanaDanças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joana
Jorge Luiz Queiroz
 
Agrp4
Agrp4Agrp4
Texto sobre dança classica
Texto sobre dança classicaTexto sobre dança classica
Texto sobre dança classica
lululimavidal
 
Apostila ensino médio danca
Apostila ensino médio dancaApostila ensino médio danca
Apostila ensino médio danca
Reginaldo Pazinatto
 
Portfólio michele borges 1 semestre 2015
Portfólio michele borges   1 semestre 2015Portfólio michele borges   1 semestre 2015
Portfólio michele borges 1 semestre 2015
Portfolio2015
 
Historia da dança
Historia da dançaHistoria da dança
Historia da dança
Rui
 
Historia da dança
Historia da dançaHistoria da dança
Historia da dança
Rui
 
Trabalho final antropologia imagem
Trabalho final antropologia imagemTrabalho final antropologia imagem
Trabalho final antropologia imagem
José Marques
 
Artes
ArtesArtes
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
lklkijlj
 
Dança 1 ano.pptx
Dança 1 ano.pptxDança 1 ano.pptx
Dança 1 ano.pptx
CarolinaMagalhes54
 
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciaisAtividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
coletivoddois
 
Danças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptxDanças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptx
FrancimaraCerqueira
 
A arte do balé
A arte do baléA arte do balé
A arte do balé
Renato Cardoso
 
A Arte Do Balé
A Arte Do BaléA Arte Do Balé
A Arte Do Balé
gueste99077
 
A Origem Da DançA
A Origem Da DançAA Origem Da DançA
A Origem Da DançA
martinsramon
 
Dança no campo artistíco
Dança no campo artistícoDança no campo artistíco
Dança no campo artistíco
KrioAlexandredaSilva
 
Complexo de dança Guarulhos
Complexo de dança GuarulhosComplexo de dança Guarulhos
Complexo de dança Guarulhos
Nathéssia Marques
 

Semelhante a Danças Sociais (20)

Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
 
Word 9 b_12
Word 9 b_12Word 9 b_12
Word 9 b_12
 
Danças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joanaDanças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joana
 
Agrp4
Agrp4Agrp4
Agrp4
 
Texto sobre dança classica
Texto sobre dança classicaTexto sobre dança classica
Texto sobre dança classica
 
Apostila ensino médio danca
Apostila ensino médio dancaApostila ensino médio danca
Apostila ensino médio danca
 
Portfólio michele borges 1 semestre 2015
Portfólio michele borges   1 semestre 2015Portfólio michele borges   1 semestre 2015
Portfólio michele borges 1 semestre 2015
 
Historia da dança
Historia da dançaHistoria da dança
Historia da dança
 
Historia da dança
Historia da dançaHistoria da dança
Historia da dança
 
Trabalho final antropologia imagem
Trabalho final antropologia imagemTrabalho final antropologia imagem
Trabalho final antropologia imagem
 
Artes
ArtesArtes
Artes
 
Historia da arte
Historia da arteHistoria da arte
Historia da arte
 
Dança 1 ano.pptx
Dança 1 ano.pptxDança 1 ano.pptx
Dança 1 ano.pptx
 
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciaisAtividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
 
Danças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptxDanças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptx
 
A arte do balé
A arte do baléA arte do balé
A arte do balé
 
A Arte Do Balé
A Arte Do BaléA Arte Do Balé
A Arte Do Balé
 
A Origem Da DançA
A Origem Da DançAA Origem Da DançA
A Origem Da DançA
 
Dança no campo artistíco
Dança no campo artistícoDança no campo artistíco
Dança no campo artistíco
 
Complexo de dança Guarulhos
Complexo de dança GuarulhosComplexo de dança Guarulhos
Complexo de dança Guarulhos
 

Último

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 

Último (20)

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 

Danças Sociais

  • 1. Danças Sociais Módulo 14 - “Dança III” Educação Física Diogo Silva
  • 2. Índice • Introdução • Objetivo do Trabalho • Definição de dança • Histórico de danças • História das danças sociais • A importância da dança no processo ensino / aprendizagem • Estudo e técnicas • Diferentes tipos de danças e as suas histórias • Danças Sociais • Danças Latinas • Passos básicos da Mulher (bailarina) e do Homem (bailarino) • Conclusão • Bibliografia
  • 3. Introdução No âmbito do módulo 14 - "Dança lll" da disciplina de Educação Física o professor propôs a realização de um trabalho individual. A temática escolhida para a elaboração deste trabalho de pesquisa trata-se do conteúdo da dança mais especificamente sobre as "Danças Sociais" (vários tipos de danças), neste trabalho pretendo dar a conhecer as danças em geral e como a atividade física, traz benefícios para o nosso corpo, pois se entende que a mesma sendo uma experiência corporal, possibilitará aos alunos novas formas de expressão e comunicação, levando-os à descoberta da sua linguagem corporal, que contribuirá de forma positiva para o processo ensino/aprendizagem.
  • 4. Objetivo do Trabalho O presente trabalho tem como objetivo descrever o trabalho por mim realizado no âmbito da disciplina de Educação Física, dando um especial realce às principais decisões tomadas no corrente ano. Muitas vezes a dança é usada como terapia e com o tempo é possível notar que os benefícios vão muito além do bem estar físico. Com este trabalho pretendo refletir a importância da dança na escola, como instrumento de socialização, para a formação de cidadãos críticos, participativos e responsáveis.
  • 5. Definição de dança Dança é a arte de movimentar expressivamente o corpo seguindo movimentos ritmados, em geral ao som de música. A dança é uma atividade física para todas as pessoas e não existe nenhuma restrição de idade e nem de qualquer outro tipo, não existe um impedimento já que os passos podem ser sempre adaptados às limitações físicas de cada um. A dança é uma das três principais artes cênicas da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. No antigo Egito já se realizava as chamadas danças astroteológicas em homenagem a Osíris. Na Grécia, a dança era frequentemente vinculada aos jogos, em especial aos jogos Olímpicos.
  • 6. Definição de dança A Dança representa em sua prática aspetos físicos, culturais, sociais, místicos, espirituais, psicológicos, econômicos, políticos, comunicativos, etc. Por ser a dança fruto da necessidade de criação e expressão humana, ela acompanha a história, e se modifica com ela.
  • 7. Histórico de danças I. Danças Primitivas II. Danças Milenares III. Danças Clássicas IV. Danças Modernas V. Danças Neoclássicas VI. Danças Contemporâneas
  • 8. Danças Primitivas As danças primitivas eram executadas pelos homens das cavernas e os seus movimentos ficaram registrados na arte rupestre.
  • 9. Danças Milenares Danças praticadas nas civilizações da idade antiga. Nessa época, as danças no Egito tinham um caráter sagrado e eram executadas em homenagem aos deuses. Egito, 5000 a.C.
  • 10. Danças Milenar es Na Índia as danças têm origem na invocação a Shiva (deusa da dança). Com as suas danças e músicas, os hindus procuravam uma união com a natureza. Índia, 2000 a.C.
  • 11. Danças Milenar es A dança na Grécia, como no Egito e na Índia, sempre integrou rituais religiosos. Grécia, século VII a lll a.C.
  • 12. Danças Clássicas Idade Média: Nessa época, a Igreja tornou-se autoridade constituída. Manifestações corporais foram proibidas, uma vez que a dança foi vinculada ao pecado. A Igreja, porém, não conseguiu interferir nas danças populares dos camponeses, que continuaram a fazer suas festas nas épocas de semeadura / colheita e no início da primavera. Para não afrontar a Igreja, essas danças eram camufladas com a introdução de personagens como anjos e santos.
  • 13. Danças Clássicas Renascimento: A dança se desenvolve, particularmente em Florença, na Itália, no palácio da família Médici, onde, nas festas, eram apresentados espetáculos chamados de trionfi – triunfos, que simbolizavam riqueza e poder. Vários artistas eram convidados a colaborar na preparação desses espetáculos, entre eles Leonardo da Vinci. 1459 - Em uma festa de casamento, foi apresentado o primeiro triunfo considerado balé do qual irei falar mais detalhadamente ao longo do trabalho.
  • 14. Danças Modernas Técnica de dança mais livre, ou seja, não seguindo uma determinada técnica e conquistando uma maior liberdade para a escolha dos movimentos.
  • 15. Danças Neoclássicas O balé neoclássico tem toda a sua base no clássico, mas veio cobrir um anseio de inovar e acrescentar novos elementos ao balé sem perder totalmente a técnica, mais utilizando essa última como ferramenta para desenvolver novos espetáculos, que dão uma nova liberdade ao bailarino(a).
  • 16. Danças Contemporâneas A dança contemporânea não impõe modelos rígidos; os corpos dos artistas não têm um padrão pré estabelecido, bem com os tipos físicos. Sejam gordos, magros, altos, baixos e de diferentes etnias.
  • 17. História da dança A história da dança cênica representa uma mudança de significação dos propósitos artísticos através do tempo. Com o Balé Clássico, as narrativas e ambientes ilusórios é que guiavam a cena. A dança contemporânea como nova manifestação artística, sofrendo influências tanto de todos os movimentos passados, como das novas possibilidades tecnológicas atuais (vídeo, instalações).
  • 18. História das danças sociais O modernismo, corrente filosófica e artística que marcou o séc. XX expressou-se também através da dança. As danças de salão assim como a música mudaram definitivamente as suas características baseando-se essencialmente no dançar juntos e na ação natural de caminhar. Mais tarde a música latino - americana conquistou o mundo, assim como as suas danças. O movimento amplo, livre associado à sensualidade e exuberância, desperta nos bailarinos novas dinâmicas e novos prazeres. Da vontade de interpretar os ritmos da época, surge de imediato um forte impulso de competir na pista de um bar ou de um salão, brilhando mais do que qualquer outro par, através de movimentos dinâmicos, elegantes, sensuais e muito vistosos.
  • 19. A importância da dança no processo ensino / aprendizagem A dança enquanto um processo educacional, não se resume simplesmente em uma aquisição de habilidades, mas sim, poderá contribuir para o aprimoramento das habilidades básicas, dos padrões fundamentais do movimento, no desenvolvimento das potencialidades humanas e na sua relação com o mundo. O uso da dança como prática pedagógica favorece a criatividade, além de favorecer no processo de construção de conhecimento. A dança, sendo uma experiência corporal, possibilitará aos alunos novas formas de expressão e comunicação, levando-os à descoberta da sua linguagem corporal, que contribuirá para o processo ensino / aprendizagem.
  • 20. Estudo e técnicas No início dos anos 1920, os estudos de dança (dança prática, teoria crítica, análise musical e história) começaram a ser considerados uma disciplina acadêmica. Dança e tecnologia: novos meios de comunicação e o desempenho de tecnologias.
  • 21. Competição Uma competição de dança é um evento organizado em que os concorrentes executam danças perante um juiz ou juízes visando prêmios e, em alguns casos, prêmios em dinheiro. Existem vários tipos principais de competições de dança, que se distinguem principalmente pelo estilo ou estilos de dança executados. Os principais tipos de competições de dança incluem: •Dança competitiva Dança competitiva, em que uma variedade de estilos de danças teatrais, como, dança afro, balé, jazz, hip- hop, dança lírica e sapateado, são permitidos. Competições abertas, que permitem uma grande variedade de estilos de dança.
  • 22. Dança esportiva Dança esportiva, que é focada exclusivamente em dança de salão e dança latina. Competições de estilo único, como dança escocesa, dança de equipa (dance squad) e dança irlandesa, que só permitem um único estilo de dança.
  • 23. Danças de salão As danças de salão surgiram entre os nobres da Europa e principalmente com o surgimento da dança realizada com casais. Quando os europeus foram colonizar as Américas, eles levaram as danças em locais fechados para essas localidades. Foram nesses países que surgiram os tipos mais comuns de dança de salão como gafieira, tango, salsa, bolero e maxixe.
  • 24. Dança de rua Conhecida também como street dance, a dança de rua é um estilo que conta com movimentos com o corpo e expressões faciais. Surgiu nos Estados Unidos, em 1929, durante uma das maiores crises econômicas do mundo. As performances eram realizadas pelos trabalhadores que ficaram desempregados após a crise. Muitas vezes associada aos negros, a dança de rua está ligada a outras manifestações culturais como a pintura, grafite e a forma de se vestir. Posteriormente, surgiu uma nova vertente que recebeu o nome de Hip-Hop, mais realizado nas ruas. Já o Street Dance originou-se das escolas de dança.
  • 25. Dança gospel Este estilo de dança é baseado exclusivamente para o louvor através de movimentos cuidadosamente estudados tendo como princípio movimentos de exaltação, admiração e adoração a Deus. O figurino também vem de um segmento voltado para o mesmo propósito, não podendo haver sensualidade excessiva, porque o foco central de uma apresentação de Dança Gospel é exclusivamente a evangelização e adoração.
  • 26. Dança de funk Funk é um género musical com ritmo forte e que incita a dança. A dança funk teve origem nos Estados Unidos nos anos 60, e foi criado através de uma mistura de outros géneros musicais afro-americanos, como o jazz, blues e soul.
  • 27. História do Balé ou Ballet As origens do balé surgiram em celebrações públicas italianas e francesas nos séculos XV, XVI e XVII. Na Itália a impulsiva representação dramática resultou em enormes espetáculos durando horas (e até mesmo dias) e utilizando dança, poemas recitados, canções e efeitos cênicos, todos organizados em torno de um enredo principal e com homens e crianças ricamente vestidos no lugar da corte encenando os principais papéis. Os espetáculos eram apresentados em grandes salões ou em quadras de tênis (Teatros modernos não eram construídos antes do séc. XVI). A audiência para estas apresentações era composta principalmente por pessoas da corte, que contratavam dançarinos de alto escalão para ensinar aos principiantes.
  • 28. Tipos de Balé •Balé Contemporâneo: mais conhecido por Balé Moderno, foi criado no início do século XXI e ainda preserva o uso das pontas e gestuais ainda muito próximos do Balé Clássico. Neste estilo de dança as coreografias começam a ter ideologias diferentes. As roupas usadas no Balé Contemporâneo são geralmente com lãs e malhas, como em uma aula normal, para dar maior liberdade de movimento aos dançarinos(as). •Balé Clássico: surgiu numa época de intrigas entre os Balés Russo e Italianos, que disputavam o título de melhor técnica do mundo. A principal função era exprimir ao máximo a habilidade técnica dos bailarinos e bailarinas e o virtuosismo que os passos de balé poderiam mostrar e encantar toda a plateia.
  • 29. Tipos de Balé •Balé Romântico: é um dos mais antigos e que se consolidou mais cedo na história do Balé. Neste tipo de Balé usam-se os chamados tutus românticos, saias mais longas que o tutu prato. Estas saias de tule com adornos são geralmente floridas, lembrando raparigas do campo.
  • 30. História da Valsa A primeira dança de salão oficial - denomina-se por Valsa - é a primeira dança que qualquer bailarino(a) aprende, foi apresentada ao mundo em Viena, Áustria, no ano 1776. Curiosamente, uma das danças mais elegantes de todos os tempos teve origem nas danças tradicionais dos camponeses austríacos!
  • 31. Tipos de Valsa •Valsa Vienesa: a pioneira, dança-se a um ritmo bastante rápido; •Valsa Moderna ou Inglesa: uma derivação da Valsa Vienesa, dança-se a um ritmo mais lento; •Valsa Internacional Standard: o par mantém sempre a “posição fechada”, normalmente é apenas dançada em competições internacionais; •Valsa Estilo Americano: incorpora vários movimentos onde o par deixa praticamente de ter contacto um com o outro.
  • 32. Tipos de Valsa •Valsa Peruana: muito semelhante à Valsa Moderna, difere na música, que é fortemente influenciada por sons latinos e espanhóis; •Valsa Venezuelana: os venezuelanos incluíram novos passos e a sua própria música à Valsa clássica; •Valsa “CrossStep”: tal como o próprio nome indica, esta Valsa inclui um passo especial, que é cruzado.
  • 33. História do Tango Originariamente, o tango nasce no final do século XIX, de uma mistura de vários ritmos provenientes dos subúrbios de Buenos Aires. Esteve associado desde o princípio com bordéis e cabarés, âmbito de contenção da população imigrante massivamente masculina. Devido a que só as prostitutas aceitariam esse baile, em seus começos era comum que o tango fosse dançado por um casal de homens.
  • 34. História do Merengue O merengue é a dança nacional da República Dominicana e, de certa forma, do Haiti, o vizinho que partilha a ilha. É uma combinação de duas danças: o africano e o minueto francês, dos finais de 1700, princípios de 1800. Os escravos negros viram as danças de salão nos bailes e começaram a imitar essas danças nas suas próprias festas. Porém, as danças dos Europeus não eram divertidas, sendo demasiado calmas e aborrecidas. Por esse motivo, e com o passar do tempo, os escravos adicionaram uma batida especial, providenciada pelos tambores.
  • 35. História do Tecktonik Tecktonik é o novo estilo de dança, este estilo de dança nasceu nos subúrbios de Paris, criado pelos adeptos do hip-hop. A dança é uma mistura de dois géneros musicais, o hip-hop e o eletrónico, em que se mexe muito mais (mas mesmo muito mais) os braços do que as pernas, porque eles mexem os braços para todos os lados até ao limite.
  • 36. Danças Sociais Existem 4 tipos de danças sociais: ØSalsa ØBachata ØTango Argentino ØKizomba
  • 37. História da Salsa Este ritmo nasceu nos campos do oriente cubano na segunda metade do século XVIII, tendo como antecedentes a influência hispânica, francesa e africana. Devido a essa união perfeita, ao chegar nas cidades no início do século XIX, contagiou a população. Realizada quase sempre em par e com recurso à própria música salsa - ritmos de percussão rápidos e complicados, com cerca de 180 batidas por minuto, piano e mais que uma voz - a Salsa acaba por ser bastante semelhante ao Mambo, principalmente no número de passos que marcam a dança e, consequentemente, alguns movimentos.
  • 38. História da Bachata A bachata é um ritmo musical e uma dança originada nas favelas da República Dominicana na década de 60.
  • 39. História do Tango Argentino O tango é um tipo musical e uma dança a par. A coreografia é complexa e as habilidades dos bailarinos são celebradas pelos seus admiradores. Segundo Discípulo, "o tango é um pensamento triste que se pode dançar". A sua origem encontra-se na área de Rio da Prata, na América do Sul, nas cidade de Buenos Aires e Montevidéu.
  • 40. História da Kizomba Kizomba é um género musical e de dança originário de Angola, erradamente confundido com o Zouk, devido ao ritmo ser muito semelhante.
  • 41. Danças Latinas Existem 6 tipos de danças latinas: ⮚Cha-Cha-Chá ⮚Rumba ⮚Paso-doble ⮚Samba ⮚Merengue ⮚Jive
  • 42. A História do Cha-Cha-Chá Cha-cha-chá é um estilo de dança latino-americano derivado da rumba, do mambo e do danzo cubano. Corresponde ao estilo musical de mesmo nome, introduzida pelo compositor e violinista cubano Enrique Jorrín. Na dança de salão é popularmente chamado por cha-cha. Inspirado no som dos pés dos dançarinos ao arrastá-los pelo chão, esse estilo acabou tornando-se independente, com características próprias de música e dança. Popularizou-se no mundo com as formações das Big Bands, onde havia claro predomínio de instrumentos de sopro. O cha-cha-chá nasceu originalmente em Havana nos anos 40.
  • 43. A História da Rumba Rumba é uma dança cubana em compasso binário e ritmo complexo que influenciou e foi incorporado ao Flamenco.
  • 44. A História do Paso-doble Paso-doble é um estilo musical espanhol, surgido no século XVI. É uma marcha de compasso 2/4 ou 6/8 e tempo allegro moderato.
  • 45. A História do Samba Surgiu como género musical no início do século XX, no Rio de Janeiro, tendo como primeira gravação oficial o samba "Pelo Telefone" de 1917. Foi fruto do maxixe, do lundu e do caldeirão cultural brasileiro.
  • 46. A História do Merengue O estilo mais popular do merengue é habitualmente interpretado por um amplo conjunto de instrumentos que inclui vários saxofones, acordeões, trompetas e teclados, com vocalistas divertidos. Ao nível coreográfico, o merengue apresenta passos fáceis e rápidos, dançados por casais entrelaçados.
  • 47. A História do Jive A origem do Jive vem desde a Segunda Guerra mundial, quando os Gl's americanos puseram os pés sobre o solo da velha Albion. Embora apaixonados pelas danças de salão, a admiração e o interesse dos professores inglês foram imediatos e foram eles que lhe deram a sua forma atual.
  • 48. Passos básicos da Mulher (bailarina) No caso da mulher: 1. Passo: Começar avançando com o pé direito; 2. Passo: Avançar com o pé esquerdo mas sem juntar o pé direito; 3. Passo: Seguidamente dar um passo para a esquerda; 4. Passo: Juntar o pé direito ao pé esquerdo; 5. Passo: Com o pé esquerdo dar um passo para trás; 6. Passo: Recuar com o pé direito mas sem juntar o pé esquerdo; 7. Passo: Repetir o procedimento da direita para a esquerda.
  • 49. Passos básicos do Homem (bailarino) No caso do homem: 1. Passo: Para começar o homem avança com o pé esquerdo; 2. Passo: De seguida com o pé direito mas sem juntar o pé esquerdo; 3. Passo: Fazer os seguintes passos de forma a parecer-se com um quadrado.
  • 50. Conclusão Este trabalho realizei-o com empenho e espero ter correspondido com as expetativas propostas. Ao concretizá-lo, percebi que a partir da pesquisa sobre o tema, "Danças Sociais", conclui que o estudo da história de cada tipo de dança, exige de cada um de nós a busca de um maior conhecimento voltado às leituras diversas ao tema proposto em estudo. Entendendo que a aprendizagem passa por estágios, em que precisamos adquiri-las através de pesquisas, busca de fontes históricas do passado, para entendermos o presente e o futuro.