SlideShare uma empresa Scribd logo
Dança 
História da Dança 
A dança é uma das 
maneiras encontradas pelo 
ser humano de expressar sua 
arte e movimentos e ainda é 
essencial para a contribuição 
na história da arte. Na Pré 
História, a dança e a música 
eram usadas para representar 
situações e muitas delas 
ficaram registradas nas 
paredes de cavernas 
rupestres. 
A dança já era 
executada durante o antigo 
Egito, por meio da dança do 
ventre, para homenagear 
deuses e na Ásia ela tinha 
cunho religioso. Além disso, 
poderia significar a cura, a 
morte ou o nascimento de 
uma pessoa. 
Na Grécia Antiga, a 
dança ainda podia representar 
algo muito importante na 
educação e no culto de 
algumas religiões. O teatro nessa época também passou a contar com cenas 
onde os atores dançavam durante os atos. Surgiram também as sátiras 
e comédias gregas. Quando o território grego foi tomado pelos romanos, suas 
danças também passaram a influenciar esse povo. 
Na Idade Média, a influência da Igreja Católica proibiu algumas danças 
que continham coreografias que infringiam as diretrizes católicas. Durante o 
século XIV, predominavam as danças religiosas feitas pelos artesãos. Nas festas 
em família, essa expressão artística era muito usada pelas pessoas. 
O Rei Luís XIV incentivou o balé na França e deu apoio para 
manifestações culturais. No início dos anos 1900, a dança contemporânea 
começou a ser inserida nos salões e escolas de dança. Atualmente, não existe 
apenas um estilo crescendo sozinho, ele acaba sofrendo influência ritmos como 
o rock e o jazz. Além disso, existe a influência das danças típicas no cotidiano 
Professor Reginaldo Pazinatto 1
de milhões de pessoas no mundo que expressam sua cultura por meio da 
dança. 
Benefícios da Dança para o Corpo 
Flexibilidade 
Para praticar a dança, é importante 
muita flexibilidade. Por esse motivo, a 
pessoa deve realizar uma boa série de 
alongamentos antes de começar a praticar. 
Durante a própria dança, é exigido do 
dançarino que ele busque trabalhar o 
extremo de cada músculo de seu corpo e 
como isso pode causar dores musculares, o 
importante é estar preparado. 
Força 
Quando a pessoa dança, ela está forçando seu corpo para que ele resista 
ao peso corporal. Os saltos de alguns tipos de dança exigem o uso de muita 
força. 
Resistência 
Para quem pretende praticar a dança, é importante acostumar o seu 
músculo com a série de exercícios feitas durante a coreografia. Com o corpo 
cada vez mais adaptado a prática de dança, você sentirá menos dores e 
desconforto muscular. 
Bem-Estar 
Com a dança, as pessoas podem criar um convívio com as pessoas e 
estabelecer contatos. A sensação de bem-estar é adquirida com as conversas e 
a convivência com outras pessoas que compartilham a pratica. Dançar acima 
de tudo te ajuda a manter uma vida saudável e feliz. 
Tipos de Danças 
Dança Clássica 
 Balé 
O balé surgiu na corte italiana 
durante a Renascença no século XV. 
Depois a dança passou a ser executada em 
países como França, Rússia e Inglaterra ao 
som de músicas clássicas. O destaque fica 
para a França, pois o rei Luís XIV 
influenciou a prática do balé e a língua francesa é usada para denominar 
diversos passos da dança. No início da Primeira Guerra Mundial, essa dança 
passou a ser mais praticada na Europa Ocidental através de uma companhia 
russa chamada Ballets Russes. 
É uma dança que exige bastante prática e é ensinada em escolas 
Professor Reginaldo Pazinatto 2
específicas instaladas em diversos países. As principais exigências do balé são 
os movimentos dos membros superiores, leveza, harmonia, a postura ereta e a 
simetria dos bailarinos. 
Balé Clássico: É uma das vertentes dessa dança e a que mais utiliza as 
técnicas mais tradicionais do balé. É um gênero que surgiu em países como 
França, Dinamarca e Rússia. 
Balé Neoclássico: É um balé bem parecido com o clássico, mas possui menos 
rigidez em seus passos. É mais estruturada e teve como precursor o 
balé Apollo, em 1928. 
Balé Contemporâneo: É a mistura da dança contemporânea com o balé 
clássico. Utiliza movimentos distintos dos que são usados no balé clássico. O 
precursor desse gênero é George Balanchine 
. 
 Valsa 
A valsa é uma dança que surgiu nas regiões da Alemanha e da Áustria no 
início do século XIX e a palavra significa 'dar voltas'/'girar'/'deslizar'. Buscou 
referências em danças como olaendler e o minueto. Primeiramente, ela era 
conhecida como uma dança vulgar e depois foi transformada em algo nobre e 
das altas classes. Entrou de vez nas altas sociedades após uma festa dos 
nobres na Áustria, na cidade de Viena, em 1776. 
Surgiram partes diversificadas da dança como a valsa vienense, a valsa 
original, peruana e a inglesa. Como os pares dançam muito próximos, ela era 
chamada de proibida, mas, atualmente, as valsas são mais praticadas em 
festas de casamentos, formaturas e aniversários de debutantes. 
 Dança Moderna 
A dança moderna começou no século XX e surgiu como forma de 
expressar o sentimento das pessoas que queriam desvincular-se das danças 
clássicas. Esse tipo de dança busca trabalhar com movimentos parecidos com o 
cotidiano da vida contemporânea. Os principais nomes da dança moderna 
foramÉmile Jaques-Dalcroze, François Delsarte, Isadora Duncan, Ruth St. 
Denise Rudolf von Laban. 
Émile Jaques-Dalcroze criou um sistema chamado eurritmia em que os 
movimentos corporais eram transformados em uma espécie de ginástica. Nesse 
estilo de dança, o dançarino tem a opção de se expressar de uma maneira mais 
livre e atual. Trabalha com o ritmo, dinamismo, movimentos inspirados na 
natureza e espontaneidade. 
No Brasil, a dança moderna começou a ser mais divulgada após 
a Segunda Guerra Mundial quando os artistas abandonaram o estilo mais 
clássico e propuseram novas formas. As cidades mais influenciadas por esse 
estilo foram São Paulo e Rio de Janeiro. 
 Dança de Rua 
Professor Reginaldo Pazinatto 3
Conhecida também como street dance, a dança de rua é um estilo que 
conta com movimentos com o corpo e expressões faciais. Surgiu nos Estados 
Unidos, em 1929, durante uma das maiores crises econômicas do mundo. As 
performances eram realizadas pelos trabalhadores que 
ficaram desempregados após a crise. 
Muitas vezes associada aos negros, a dança de rua está ligada a 
outras manifestações culturais como a pintura, grafite e a forma de se vestir. 
Posteriormente, surgiu uma nova vertente que recebeu o nome de Hip-Hop, 
mais realizado nas ruas. Já o Street Dance originou-se das escolas de dança. 
Danças de Salão 
As danças de salão surgiram entre os nobres da Europa e principalmente 
com o surgimento da dança realizada com casais. Quando os europeus foram 
colonizar as Américas, eles levaram as danças em locais fechados para essas 
localidades. Foram nesses países que surgiram os tipos mais comuns de dança 
de salão como: gafieira, tango, salsa, bolero emaxixe. 
 Forró 
O nome forró deriva da palavra 'forrobodó' e já era dançada ainda no 
século XIX nas cidades nordestinas. Sofreu grande influência dos africanos e 
europeus. É uma dança típica realizada entre casais que executam várias 
evoluções durante os passos. Na década de 80, surgiu um tipo de forró que 
utilizava instrumentos musicais eletrônicos e atraíram um público mais 
diversificado para esse estilo. 
Um dos passos mais básicos do forró, é o que o homem abraça sua 
parceira colocando uma de suas mãos na cintura dela e segurando a outra mão 
um pouco acima da cintura dos dois. Enquanto isso, a mão dela se posiciona 
nas costas do parceiro e seu rosto também se aproxima. Posteriormente, são 
dados dois passos com o pé esquerdo para o lado esquerdo e depois repetir o 
gesto para o lado direito. O casal deve girar pelo salão repetindo esses passos. 
 Samba de Gafieira 
Essa dança é uma herança do maxixe e começou a ser praticada a partir 
do século XX. O nome vem da palavra francesa 'gaffe' (gafe). É sempre o homem 
que conduz a mulher e ele executa gestos de proteção, ritmo e elegância. É 
acompanhada por instrumentos como o violão, o cavaquinho, percussão, choro 
e clarineta. 
 Maxixe 
Dança de salão que surgiu com os negros no Brasil durante o século XIX. 
Foi uma das primeiras danças realizadas nas cidades do país. Inicialmente, foi 
criticada pela igreja, pela polícia e pelas famílias devido à forma sensual com 
que era executada pelas pessoas. É conhecido como o tango brasileiro. 
 Merengue 
Professor Reginaldo Pazinatto 4
Essa é uma dança que surgiu na República Dominicana e também criou 
raízes em países como Porto Rico, Haiti, Venezuela e Colômbia. Utiliza 
instrumentos musicais como os saxofones, acordeão, trompeta e teclado. 
Praticada por casais, a dança conta compassos rápidos e simples. Ou seja, um 
dos pés marca o tempo da dança e o outro segue a coreografia. Já os membros 
superiores não se movimentam muito deixando o ritmo apenas para as pernas 
e os pés. 
 Salsa 
A salsa é uma dança que surgiu em Cuba e fez sucesso após 
outras danças latinas como o Cha Cha Cha, a Rumba e o Mambo. Porém, essa 
dança ganhou mais notoriedade por meio das obras dos porto-riquenhos 
Irmãos Lebron. Por onde passou, a salsa foi agregando valores de 
países como Venezuela, Brasil, Colômbia, Venezuela, Estados Unidos e 
República Dominicana. Dançada em pares, ela usa as batidas do ritmo da salsa 
e muitos rodopios. É uma dança sensual que permite que os bailarinos abusem 
da movimentação do corpo. 
 Bolero 
Esse tipo de dança surgiu na Europa e chegou a Cuba ainda no século 
XIX. A base desse ritmo é o dois pra lá, dois pra cá; porém, ocorrem também os 
giros, as caminhadas e evoluções durante o bolero. O nome da dança é 
explicado por causa dos vestidos usados por algumas bailarinas. As peças 
continham bolas (chamadas de boleiras). 
 Cha-cha-cha 
É uma dança que surgiu em Cuba, durante os anos 50, e pode ser 
dançada em pares ou por qualquer pessoa. É um tipo de dança de salão 
dinâmica e divertida. Conta com três passos rápidos, chamados de chassé, e 
outros dois mais lentos. Quando os dançarinos executavam os passos mais 
rápidos, o som ouvido era parecido com cha, cha,cha, por isso o nome dessa 
dança. O casal não precisa ficar tão próximo durante a execução e a mulher 
coloca a mão sobre o ombro do seu parceiro enquanto ele realiza o mesmo 
procedimento. O pé deve permanecer sempre em contato com o chão e o peso 
da pessoa vai sendo direcionado para cada um deles. 
 Rumba 
É uma das danças de salão com estilo mais lento, surgiu por meio dos 
ritmos africanos e chegou a Cuba após a chegada dos espanhóis. E, em 1925, 
foi banida do país, pois foi considerada inapropriada para os costumes da 
época. Entretanto, a rumba conseguiu sobreviver a todas as objeções. 
Os passos são simples e a mulher utiliza a coreografia para seduzir o 
homem. Eles estabelecem um jogo na pista de dança. São movimentos 
agressivos, insistentes e românticos. Além disso, há um extenso trabalho com 
os pés e a utilização de instrumentos musicais como tambores, percussão e 
maracas. 
Professor Reginaldo Pazinatto 5
 Tango Argentino 
O tango surgiu nos bairros mais humildes da Argentina e se tornou uma 
das danças mais admiradas no mundo. Assim como a valsa, o casal de 
dançarinos dançam bem próximos e pode-se improvisar mais do que as outras 
modalidades. Apesar do surgimento no país portenho, o tango argentino 
sofreu influências de países como Itália, França e Espanha. Uma das origens é 
que a dança e a música do tango estão ligadas aos homens argentinos, que 
faziam filas nos bordéis e, para que não ficassem esperando tanto, os donos 
desses estabelecimentos contratavam músicos de tango. 
No início do século XX, a dança chegou a Europa. Atualmente, a dança é 
dividida de três formas: o estilo argentino, o americano e o internacional. O 
ombro esquerdo conduz o casal que deve manter seu corpo inclinado. São 
basicamente oito passos principais que são realizados com movimentos cheios 
de intensidade edramaticidade. Os dançarinos devem manter a proximidade e o 
olhar intenso. 
 Zouk 
O zouk surgiu nos países caribenhos durante as décadas de 60 e 70. A 
palavra significa festa e é dançada analisando o tempo da música. No Brasil, o 
zouk contém mais giros e movimentos com os membros superiores. 
 Soltinho 
O soltinho é comparado a danças que surgiram nos Estados Unidos, mas 
ele possui passos básicos tanto para a direita como para a esquerda. Além 
disso, não há uma música específica para ele e sim canções que se encaixam 
perfeitamente para dançar soltinho. No Brasil, começou a ser mais praticado a 
partir da década de 80. 
 O Reisado 
Dança popular que ocorre entre a véspera de natal e o dia seis de janeiro, 
Dia de Reis. Também chamada de folia de Reis, essa dança envolve cantores e 
músicos que vão até as casas para anunciar a chegada de um Messias. As 
pessoas que participam possuem diversos personagens e são acompanhados 
por instrumentos como o violão, a sanfona, o triângulo e a zabumba. 
 Maracatu 
O surgimento do maracatu causa controvérsias; porém, acredita-se que 
ele surgiu por volta de 1700, trazido pelos portugueses ao Brasil. A dança 
possuía partes com coreografias e teatro e era acompanhada por músicos e 
dançarinos. Esses vestiam roupas que remetiam a realeza (porta-estandarte, 
rei, rainha, príncipes, duquesas e duques, etc.). Posteriormente, o maracatu 
passou a ser realizado durante o Carnaval. Além disso, a dança tem a 
participação de instrumentos como zabumba e ganzas. 
 Pau-da-bandeira 
Dança realizada principalmente na região nordeste que acontece 
principalmente durante o dia de Santo Antônio. Um tronco é escolhido e 
Professor Reginaldo Pazinatto 6
carregado pelos homens da cidade. Como manda a tradição, as mulheres que 
desejam casar devem tocar esse tronco. 
 Maneiro-Pau 
Dança com maior influência no estado do Ceará, Maneiro-Pau conta com 
dançarinos que realizam os passos em rodas e com pedaços de pau nas mãos. 
Esses pedaços são batidos no chão formando o ritmo da dança. Durante toda 
a coreografia, alguns participantes duelam enquanto outros batem no chão. 
 Caninha Verde 
Dança portuguesa que foi inserida no país durante o Ciclo do Açúcar. 
Também foi praticada em colônias de pescadores, festas de casamento e 
cordões. 
 Bumba meu Boi 
Um dos símbolos folclóricos do Brasil, o Bumba meu Boi mescla dança, 
música e teatro. Além disso, é praticado nas mais variadas regiões do país. 
Os personagens cantam e dançam para contar a história de um boi que morreu 
e ressuscitou após ter sua língua cortada para satisfazer os desejos de uma 
mulher grávida. 
 Frevo 
O frevo, dança típica do estado do Pernambuco, surgiu por volta de 1910 
e atualmente é uma das vertentes do Carnaval no Brasil. A música tocada 
durante a festa não possui letra e uma banda toca para embalar os foliões. 
Conta com diversos passos de danças com malabarismos, passos elaborados, 
rodopios e saltos. Além disso, o dançarino tem a possibilidade de improvisar à 
medida que a dança evolui. 
 Fandango 
Essa dança chegou à região sul do Brasil por volta de 1750 e foi trazida 
por portugueses. Os dançarinos recebiam o nome de folgadores e folgadeiras 
dançavam em festas executando diversos passos. Atualmente, permanece 
preservado na região com passos, música e canto. Os instrumentos mais 
usados são as violas, a rabeca, o acordeão e o pandeiro. Os dançarinos 
vestem roupas típicas da região e rodam próximo ao seu par, mas sem se 
tocar. Eles se movimentam para atrair a atenção do outro e os homens 
sapateiam de forma contínua. A dança contém traços de valsas e bailes e forte 
presença de sensualidade. 
 Carimbó 
Enquanto os homens vestem camisas e calças lisas, as mulheres utilizam 
blusas com ombros à mostra e saias rodadas. Os casais ficam em fileiras e o 
homem se aproxima de seu parbatendo palmas. Segue-se passos de volteio e as 
mulheres também jogam um lenço no chão para que seu parceiro possa pegar 
como forma de respeito. 
Professor Reginaldo Pazinatto 7
 Samba 
O samba chegou junto com os negros ao Brasil e primeiramente era 
dançado apenas nas senzalas pelos escravos. Os primeiros estados brasileiros a 
difundirem esse ritmo foram o Rio de Janeiro, a Bahia e o Maranhão. A dança 
tinha sons de percussão e batidas com os pés. Já o samba de roda surgiu na 
África e também veio para o Brasil através dos escravos. O samba de roda é 
praticado em círculos e as pessoas têm a liberdade nos movimentos. Pode ser 
visto principalmente em estados como Rio de Janeiro e Bahia. 
Dança Folclóricas 
Termo geral para designar a dança originada do povo e que expressa sua 
natureza. Uma característica distinta desse tipo de dança e sua forma 
tradicional como expressão de nacionalismo. É o verdadeiro espelho da alma 
popular. 
O carnaval é a mais difundida das festas folclóricas brasileiras e nivela 
durante dias, toda a população num só festejo. Para ela o povo economiza o ano 
inteiro, abandonando muitas vezes trabalhos seguros para poder integrarem-se 
livremente aos dias de festa, bailes em todos os lugares, fantasias riquíssimas, 
desfiles com passos dos mais complicados ao som de músicas feitas 
especialmente cada ano. O desfile de milhares de pessoas nos ranchos, carros 
alegóricos e escolas de samba, constitui o maior espetáculo folclórico do país. 
Um deles é o do Rio de Janeiro, ensaia-se o ano inteiro, compõem-se músicas e 
coreografias apropriadas aos temas escolhidos para serem apresentadas e 
trabalha-se na confecção de fantasias e adereços. O povo inteiro dança durante 
dias e noites, o samba, a marcha e o frevo. O Nordeste é a região de folclore 
mais farto do país. 
Danças regionais 
As danças regionais provêm de cada região ou estado tento influência de 
outros países. Temos no Brasil : 
Danças da Região Sul: 
 Tiranas (dança de par e de galanteio). 
 Chula (dança solista masculina). 
 Balaio (executa-se e, roda em diversos pares). 
 Chimarrita (de origem portuguesa, onde três ou mais pares a executam 
com diversas figurações). 
 Quero mana (dança lenta de pares). 
 Pau de fita (executada ao redor de um pau fixado no chão). 
 Caranguejo (de origem portuguesa, dançada aos pares). 
 Ril (origem inglesa). 
 Tatu (dança sapateada em grupos de pares). 
 Bugio (de origem alemã). 
 Vanerão 
 Chote. 
Professor Reginaldo Pazinatto 8
Danças da região central: 
 Catira ou Cateretê (de origem Ameríndia) 
 Congadas ou Congos. 
 Moçambiques (bailados guerreiros de origem negra). 
 Vilão de Faca (versão goiana do Pau de fita). 
 Dança dos Velhos (espécie de quadrilha). 
 Batuque (origem negra). 
 Samba rural paulista (quimbete, caxambu, dançando em Minas gerais; 
em São Paulo, os caiapós e o bate-pé; em Goiás a palminha e a serra 
 moreninha). 
Danças da região leste: 
 Batuque Profano 
 Candomblé (macumba religiosa). 
 Samba 
 Jongo (dança negra violenta). 
 Xangôs 
 Capoeira (muita riqueza coreográfica). 
Danças da região nordeste: 
 Frevo pernambucano (dança folclórica de coreografia mais rica do Brasil). 
 Baião (dança de pares executada em todo o interior nordestino). 
 Bumba meu boi (realizada na época do Natal). 
 Cheganças (origem portuguesa). 
 Pastoris. 
 Bailado guerreiro. 
 Caboclinhos (dança mais interessante da região, realizadas durante o 
carnaval). 
 Congos. 
 Maracatú. 
 Auto dos quilombos (cortejo, cerimônias, cantos e danças). 
 Coco (dança das praias). 
 Xangôs e dança do Tambor (dança do Candomblé e da Macumba). 
 Chula. 
 São Gonçalo (origem lusitana). 
Na dança, vamos encontrar elementos capazes de desenvolverem o nosso 
ritmo, que é a base de toda a nossa vida e individualidade. O ritmo faz retratar 
nosso caráter, disposição e temperamento. A música penetra em nosso íntimo, 
agitando ou acalmando nossos sentidos. 
A Dança poderá provocar no indivíduo, a comunicação, a identificação, a 
fantasia, a expressão pessoal e levá-lo ao conhecimento de si mesmo. Dança é 
o coroamento da ritmoplastia. 
Bibliografia 
http://www.cvnsg.com.br/recursos/files/Apostila%20de%20Ed_%20F 
%C3%ADsica%202014-%201%C2%AA%20s%C3%A9rie.pdf 
http://tipos-de-danca.info/ 
Professor Reginaldo Pazinatto 9
Professor Reginaldo Pazinatto 1

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade retrato e autorretrato
Atividade retrato e autorretratoAtividade retrato e autorretrato
Atividade retrato e autorretrato
Taize Camargo
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
Mary Alvarenga
 
Simulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arteSimulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arte
Josycrissantos
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
Geo Honório
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
graduartes
 
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Denilson Parreira Dos Reis
 
Avaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arteAvaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arte
ProfRodrigoAndradeAr
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Historia da musica atividades
Historia da musica atividadesHistoria da musica atividades
Historia da musica atividades
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Fabiola Oliveira
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Mary Alvarenga
 
Plano de Aula Tarsila do Amaral
Plano de Aula Tarsila  do AmaralPlano de Aula Tarsila  do Amaral
Plano de Aula Tarsila do Amaral
ANA MARIA DE PAULA E SILVA
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Vera Britto
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLOAVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfApostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
WeslleyDias8
 
Avaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafiteAvaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafite
Casiris Crescencio
 
Avaliação de Artes
Avaliação de ArtesAvaliação de Artes
Avaliação de Artes
Professora Hesione
 
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
Pedro Alcantara
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 

Mais procurados (20)

Atividade retrato e autorretrato
Atividade retrato e autorretratoAtividade retrato e autorretrato
Atividade retrato e autorretrato
 
Atividade de Arte - Música
Atividade de Arte  - MúsicaAtividade de Arte  - Música
Atividade de Arte - Música
 
Simulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arteSimulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arte
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
 
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
Avaliação bimestral de artes 1º bimestre 2015
 
Avaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arteAvaliacao 8-ano-arte
Avaliacao 8-ano-arte
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Historia da musica atividades
Historia da musica atividadesHistoria da musica atividades
Historia da musica atividades
 
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
Avaliação diagnóstica arte 6 e 7 anos 2013
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
 
Plano de Aula Tarsila do Amaral
Plano de Aula Tarsila  do AmaralPlano de Aula Tarsila  do Amaral
Plano de Aula Tarsila do Amaral
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLOAVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
AVALIAÇÃO DE ARTES: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I - 2º CICLO
 
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfApostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
 
Avaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafiteAvaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafite
 
Avaliação de Artes
Avaliação de ArtesAvaliação de Artes
Avaliação de Artes
 
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
 

Destaque

Artes visuais e Ateliê
Artes visuais e AteliêArtes visuais e Ateliê
Artes visuais e Ateliê
Calton Domingos Valente
 
FOLCLORICES DE BRINCAR
FOLCLORICES DE BRINCARFOLCLORICES DE BRINCAR
FOLCLORICES DE BRINCAR
Dulcilene Figueiredo
 
Oficina de dança e expressão
Oficina de dança e expressãoOficina de dança e expressão
Oficina de dança e expressão
Jeyce R. Sousa Pires
 
Projeto dança
Projeto   dançaProjeto   dança
Projeto dança
Patricia Aguirre
 
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃOAVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Planejamento dança
Planejamento dançaPlanejamento dança
Planejamento dança
SimoneHelenDrumond
 
Apostila de estudo dança
Apostila de estudo dança Apostila de estudo dança
Apostila de estudo dança
Sheila Faria
 
Atividade ensino religioso carinho
Atividade ensino religioso carinhoAtividade ensino religioso carinho
Atividade ensino religioso carinho
Atividades Diversas Cláudia
 

Destaque (8)

Artes visuais e Ateliê
Artes visuais e AteliêArtes visuais e Ateliê
Artes visuais e Ateliê
 
FOLCLORICES DE BRINCAR
FOLCLORICES DE BRINCARFOLCLORICES DE BRINCAR
FOLCLORICES DE BRINCAR
 
Oficina de dança e expressão
Oficina de dança e expressãoOficina de dança e expressão
Oficina de dança e expressão
 
Projeto dança
Projeto   dançaProjeto   dança
Projeto dança
 
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃOAVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS - 6º OU 7º ANO - ÁGUA, LIXO, SANEAMENTO BÁSICO E POLUIÇÃO
 
Planejamento dança
Planejamento dançaPlanejamento dança
Planejamento dança
 
Apostila de estudo dança
Apostila de estudo dança Apostila de estudo dança
Apostila de estudo dança
 
Atividade ensino religioso carinho
Atividade ensino religioso carinhoAtividade ensino religioso carinho
Atividade ensino religioso carinho
 

Semelhante a Apostila ensino médio danca

Texto sobre dança classica
Texto sobre dança classicaTexto sobre dança classica
Texto sobre dança classica
lululimavidal
 
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
ClariceLuizaGomesDeF
 
Danças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joanaDanças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joana
Jorge Luiz Queiroz
 
Estilos de dança
Estilos de dançaEstilos de dança
Estilos de dança
Paola Oniesko
 
Danças de Salão - 9ª ano.pptx
Danças de Salão - 9ª ano.pptxDanças de Salão - 9ª ano.pptx
Danças de Salão - 9ª ano.pptx
FrancimaraCerqueira
 
Agrp4
Agrp4Agrp4
[Danca]gabarito
[Danca]gabarito[Danca]gabarito
[Danca]gabarito
ocileideribeirodasilva
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Danças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptxDanças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptx
FrancimaraCerqueira
 
Trabalho de artes danças
Trabalho de artes dançasTrabalho de artes danças
Trabalho de artes danças
ingrid limah
 
[Danca][26 05][2a]gabarito (1)
[Danca][26 05][2a]gabarito (1)[Danca][26 05][2a]gabarito (1)
[Danca][26 05][2a]gabarito (1)
Antonio Marcos Costa Baratieri
 
Dança
DançaDança
Danças Sociais
Danças SociaisDanças Sociais
Danças Sociais
Diogo Silva
 
A Arte Do Balé
A Arte Do BaléA Arte Do Balé
A Arte Do Balé
gueste99077
 
A arte do balé
A arte do baléA arte do balé
A arte do balé
Renato Cardoso
 
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciaisAtividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
coletivoddois
 
201004261420historiadadanca
201004261420historiadadanca201004261420historiadadanca
201004261420historiadadanca
Maria Manuel
 
[Danca][26 05][2a]gabarito
[Danca][26 05][2a]gabarito[Danca][26 05][2a]gabarito
[Danca][26 05][2a]gabarito
Aquilene Galvao da Silva
 
A dança é uma das três principais artes
A dança é uma das três principais artesA dança é uma das três principais artes
A dança é uma das três principais artes
CATEUS
 
As danças latinas
As danças latinasAs danças latinas
As danças latinas
Escola Básica 2,3 Abel Varzim
 

Semelhante a Apostila ensino médio danca (20)

Texto sobre dança classica
Texto sobre dança classicaTexto sobre dança classica
Texto sobre dança classica
 
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
Origem e Natureza da dança no Brasil - Coleção Praticar a Arte - Professor...
 
Danças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joanaDanças nacionais populares joana
Danças nacionais populares joana
 
Estilos de dança
Estilos de dançaEstilos de dança
Estilos de dança
 
Danças de Salão - 9ª ano.pptx
Danças de Salão - 9ª ano.pptxDanças de Salão - 9ª ano.pptx
Danças de Salão - 9ª ano.pptx
 
Agrp4
Agrp4Agrp4
Agrp4
 
[Danca]gabarito
[Danca]gabarito[Danca]gabarito
[Danca]gabarito
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Danças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptxDanças Urbanas 2023.pptx
Danças Urbanas 2023.pptx
 
Trabalho de artes danças
Trabalho de artes dançasTrabalho de artes danças
Trabalho de artes danças
 
[Danca][26 05][2a]gabarito (1)
[Danca][26 05][2a]gabarito (1)[Danca][26 05][2a]gabarito (1)
[Danca][26 05][2a]gabarito (1)
 
Dança
DançaDança
Dança
 
Danças Sociais
Danças SociaisDanças Sociais
Danças Sociais
 
A Arte Do Balé
A Arte Do BaléA Arte Do Balé
A Arte Do Balé
 
A arte do balé
A arte do baléA arte do balé
A arte do balé
 
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciaisAtividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
Atividades Rítmicas e Dança conceitos iniciais
 
201004261420historiadadanca
201004261420historiadadanca201004261420historiadadanca
201004261420historiadadanca
 
[Danca][26 05][2a]gabarito
[Danca][26 05][2a]gabarito[Danca][26 05][2a]gabarito
[Danca][26 05][2a]gabarito
 
A dança é uma das três principais artes
A dança é uma das três principais artesA dança é uma das três principais artes
A dança é uma das três principais artes
 
As danças latinas
As danças latinasAs danças latinas
As danças latinas
 

Último

A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 

Último (20)

A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 

Apostila ensino médio danca

  • 1. Dança História da Dança A dança é uma das maneiras encontradas pelo ser humano de expressar sua arte e movimentos e ainda é essencial para a contribuição na história da arte. Na Pré História, a dança e a música eram usadas para representar situações e muitas delas ficaram registradas nas paredes de cavernas rupestres. A dança já era executada durante o antigo Egito, por meio da dança do ventre, para homenagear deuses e na Ásia ela tinha cunho religioso. Além disso, poderia significar a cura, a morte ou o nascimento de uma pessoa. Na Grécia Antiga, a dança ainda podia representar algo muito importante na educação e no culto de algumas religiões. O teatro nessa época também passou a contar com cenas onde os atores dançavam durante os atos. Surgiram também as sátiras e comédias gregas. Quando o território grego foi tomado pelos romanos, suas danças também passaram a influenciar esse povo. Na Idade Média, a influência da Igreja Católica proibiu algumas danças que continham coreografias que infringiam as diretrizes católicas. Durante o século XIV, predominavam as danças religiosas feitas pelos artesãos. Nas festas em família, essa expressão artística era muito usada pelas pessoas. O Rei Luís XIV incentivou o balé na França e deu apoio para manifestações culturais. No início dos anos 1900, a dança contemporânea começou a ser inserida nos salões e escolas de dança. Atualmente, não existe apenas um estilo crescendo sozinho, ele acaba sofrendo influência ritmos como o rock e o jazz. Além disso, existe a influência das danças típicas no cotidiano Professor Reginaldo Pazinatto 1
  • 2. de milhões de pessoas no mundo que expressam sua cultura por meio da dança. Benefícios da Dança para o Corpo Flexibilidade Para praticar a dança, é importante muita flexibilidade. Por esse motivo, a pessoa deve realizar uma boa série de alongamentos antes de começar a praticar. Durante a própria dança, é exigido do dançarino que ele busque trabalhar o extremo de cada músculo de seu corpo e como isso pode causar dores musculares, o importante é estar preparado. Força Quando a pessoa dança, ela está forçando seu corpo para que ele resista ao peso corporal. Os saltos de alguns tipos de dança exigem o uso de muita força. Resistência Para quem pretende praticar a dança, é importante acostumar o seu músculo com a série de exercícios feitas durante a coreografia. Com o corpo cada vez mais adaptado a prática de dança, você sentirá menos dores e desconforto muscular. Bem-Estar Com a dança, as pessoas podem criar um convívio com as pessoas e estabelecer contatos. A sensação de bem-estar é adquirida com as conversas e a convivência com outras pessoas que compartilham a pratica. Dançar acima de tudo te ajuda a manter uma vida saudável e feliz. Tipos de Danças Dança Clássica  Balé O balé surgiu na corte italiana durante a Renascença no século XV. Depois a dança passou a ser executada em países como França, Rússia e Inglaterra ao som de músicas clássicas. O destaque fica para a França, pois o rei Luís XIV influenciou a prática do balé e a língua francesa é usada para denominar diversos passos da dança. No início da Primeira Guerra Mundial, essa dança passou a ser mais praticada na Europa Ocidental através de uma companhia russa chamada Ballets Russes. É uma dança que exige bastante prática e é ensinada em escolas Professor Reginaldo Pazinatto 2
  • 3. específicas instaladas em diversos países. As principais exigências do balé são os movimentos dos membros superiores, leveza, harmonia, a postura ereta e a simetria dos bailarinos. Balé Clássico: É uma das vertentes dessa dança e a que mais utiliza as técnicas mais tradicionais do balé. É um gênero que surgiu em países como França, Dinamarca e Rússia. Balé Neoclássico: É um balé bem parecido com o clássico, mas possui menos rigidez em seus passos. É mais estruturada e teve como precursor o balé Apollo, em 1928. Balé Contemporâneo: É a mistura da dança contemporânea com o balé clássico. Utiliza movimentos distintos dos que são usados no balé clássico. O precursor desse gênero é George Balanchine .  Valsa A valsa é uma dança que surgiu nas regiões da Alemanha e da Áustria no início do século XIX e a palavra significa 'dar voltas'/'girar'/'deslizar'. Buscou referências em danças como olaendler e o minueto. Primeiramente, ela era conhecida como uma dança vulgar e depois foi transformada em algo nobre e das altas classes. Entrou de vez nas altas sociedades após uma festa dos nobres na Áustria, na cidade de Viena, em 1776. Surgiram partes diversificadas da dança como a valsa vienense, a valsa original, peruana e a inglesa. Como os pares dançam muito próximos, ela era chamada de proibida, mas, atualmente, as valsas são mais praticadas em festas de casamentos, formaturas e aniversários de debutantes.  Dança Moderna A dança moderna começou no século XX e surgiu como forma de expressar o sentimento das pessoas que queriam desvincular-se das danças clássicas. Esse tipo de dança busca trabalhar com movimentos parecidos com o cotidiano da vida contemporânea. Os principais nomes da dança moderna foramÉmile Jaques-Dalcroze, François Delsarte, Isadora Duncan, Ruth St. Denise Rudolf von Laban. Émile Jaques-Dalcroze criou um sistema chamado eurritmia em que os movimentos corporais eram transformados em uma espécie de ginástica. Nesse estilo de dança, o dançarino tem a opção de se expressar de uma maneira mais livre e atual. Trabalha com o ritmo, dinamismo, movimentos inspirados na natureza e espontaneidade. No Brasil, a dança moderna começou a ser mais divulgada após a Segunda Guerra Mundial quando os artistas abandonaram o estilo mais clássico e propuseram novas formas. As cidades mais influenciadas por esse estilo foram São Paulo e Rio de Janeiro.  Dança de Rua Professor Reginaldo Pazinatto 3
  • 4. Conhecida também como street dance, a dança de rua é um estilo que conta com movimentos com o corpo e expressões faciais. Surgiu nos Estados Unidos, em 1929, durante uma das maiores crises econômicas do mundo. As performances eram realizadas pelos trabalhadores que ficaram desempregados após a crise. Muitas vezes associada aos negros, a dança de rua está ligada a outras manifestações culturais como a pintura, grafite e a forma de se vestir. Posteriormente, surgiu uma nova vertente que recebeu o nome de Hip-Hop, mais realizado nas ruas. Já o Street Dance originou-se das escolas de dança. Danças de Salão As danças de salão surgiram entre os nobres da Europa e principalmente com o surgimento da dança realizada com casais. Quando os europeus foram colonizar as Américas, eles levaram as danças em locais fechados para essas localidades. Foram nesses países que surgiram os tipos mais comuns de dança de salão como: gafieira, tango, salsa, bolero emaxixe.  Forró O nome forró deriva da palavra 'forrobodó' e já era dançada ainda no século XIX nas cidades nordestinas. Sofreu grande influência dos africanos e europeus. É uma dança típica realizada entre casais que executam várias evoluções durante os passos. Na década de 80, surgiu um tipo de forró que utilizava instrumentos musicais eletrônicos e atraíram um público mais diversificado para esse estilo. Um dos passos mais básicos do forró, é o que o homem abraça sua parceira colocando uma de suas mãos na cintura dela e segurando a outra mão um pouco acima da cintura dos dois. Enquanto isso, a mão dela se posiciona nas costas do parceiro e seu rosto também se aproxima. Posteriormente, são dados dois passos com o pé esquerdo para o lado esquerdo e depois repetir o gesto para o lado direito. O casal deve girar pelo salão repetindo esses passos.  Samba de Gafieira Essa dança é uma herança do maxixe e começou a ser praticada a partir do século XX. O nome vem da palavra francesa 'gaffe' (gafe). É sempre o homem que conduz a mulher e ele executa gestos de proteção, ritmo e elegância. É acompanhada por instrumentos como o violão, o cavaquinho, percussão, choro e clarineta.  Maxixe Dança de salão que surgiu com os negros no Brasil durante o século XIX. Foi uma das primeiras danças realizadas nas cidades do país. Inicialmente, foi criticada pela igreja, pela polícia e pelas famílias devido à forma sensual com que era executada pelas pessoas. É conhecido como o tango brasileiro.  Merengue Professor Reginaldo Pazinatto 4
  • 5. Essa é uma dança que surgiu na República Dominicana e também criou raízes em países como Porto Rico, Haiti, Venezuela e Colômbia. Utiliza instrumentos musicais como os saxofones, acordeão, trompeta e teclado. Praticada por casais, a dança conta compassos rápidos e simples. Ou seja, um dos pés marca o tempo da dança e o outro segue a coreografia. Já os membros superiores não se movimentam muito deixando o ritmo apenas para as pernas e os pés.  Salsa A salsa é uma dança que surgiu em Cuba e fez sucesso após outras danças latinas como o Cha Cha Cha, a Rumba e o Mambo. Porém, essa dança ganhou mais notoriedade por meio das obras dos porto-riquenhos Irmãos Lebron. Por onde passou, a salsa foi agregando valores de países como Venezuela, Brasil, Colômbia, Venezuela, Estados Unidos e República Dominicana. Dançada em pares, ela usa as batidas do ritmo da salsa e muitos rodopios. É uma dança sensual que permite que os bailarinos abusem da movimentação do corpo.  Bolero Esse tipo de dança surgiu na Europa e chegou a Cuba ainda no século XIX. A base desse ritmo é o dois pra lá, dois pra cá; porém, ocorrem também os giros, as caminhadas e evoluções durante o bolero. O nome da dança é explicado por causa dos vestidos usados por algumas bailarinas. As peças continham bolas (chamadas de boleiras).  Cha-cha-cha É uma dança que surgiu em Cuba, durante os anos 50, e pode ser dançada em pares ou por qualquer pessoa. É um tipo de dança de salão dinâmica e divertida. Conta com três passos rápidos, chamados de chassé, e outros dois mais lentos. Quando os dançarinos executavam os passos mais rápidos, o som ouvido era parecido com cha, cha,cha, por isso o nome dessa dança. O casal não precisa ficar tão próximo durante a execução e a mulher coloca a mão sobre o ombro do seu parceiro enquanto ele realiza o mesmo procedimento. O pé deve permanecer sempre em contato com o chão e o peso da pessoa vai sendo direcionado para cada um deles.  Rumba É uma das danças de salão com estilo mais lento, surgiu por meio dos ritmos africanos e chegou a Cuba após a chegada dos espanhóis. E, em 1925, foi banida do país, pois foi considerada inapropriada para os costumes da época. Entretanto, a rumba conseguiu sobreviver a todas as objeções. Os passos são simples e a mulher utiliza a coreografia para seduzir o homem. Eles estabelecem um jogo na pista de dança. São movimentos agressivos, insistentes e românticos. Além disso, há um extenso trabalho com os pés e a utilização de instrumentos musicais como tambores, percussão e maracas. Professor Reginaldo Pazinatto 5
  • 6.  Tango Argentino O tango surgiu nos bairros mais humildes da Argentina e se tornou uma das danças mais admiradas no mundo. Assim como a valsa, o casal de dançarinos dançam bem próximos e pode-se improvisar mais do que as outras modalidades. Apesar do surgimento no país portenho, o tango argentino sofreu influências de países como Itália, França e Espanha. Uma das origens é que a dança e a música do tango estão ligadas aos homens argentinos, que faziam filas nos bordéis e, para que não ficassem esperando tanto, os donos desses estabelecimentos contratavam músicos de tango. No início do século XX, a dança chegou a Europa. Atualmente, a dança é dividida de três formas: o estilo argentino, o americano e o internacional. O ombro esquerdo conduz o casal que deve manter seu corpo inclinado. São basicamente oito passos principais que são realizados com movimentos cheios de intensidade edramaticidade. Os dançarinos devem manter a proximidade e o olhar intenso.  Zouk O zouk surgiu nos países caribenhos durante as décadas de 60 e 70. A palavra significa festa e é dançada analisando o tempo da música. No Brasil, o zouk contém mais giros e movimentos com os membros superiores.  Soltinho O soltinho é comparado a danças que surgiram nos Estados Unidos, mas ele possui passos básicos tanto para a direita como para a esquerda. Além disso, não há uma música específica para ele e sim canções que se encaixam perfeitamente para dançar soltinho. No Brasil, começou a ser mais praticado a partir da década de 80.  O Reisado Dança popular que ocorre entre a véspera de natal e o dia seis de janeiro, Dia de Reis. Também chamada de folia de Reis, essa dança envolve cantores e músicos que vão até as casas para anunciar a chegada de um Messias. As pessoas que participam possuem diversos personagens e são acompanhados por instrumentos como o violão, a sanfona, o triângulo e a zabumba.  Maracatu O surgimento do maracatu causa controvérsias; porém, acredita-se que ele surgiu por volta de 1700, trazido pelos portugueses ao Brasil. A dança possuía partes com coreografias e teatro e era acompanhada por músicos e dançarinos. Esses vestiam roupas que remetiam a realeza (porta-estandarte, rei, rainha, príncipes, duquesas e duques, etc.). Posteriormente, o maracatu passou a ser realizado durante o Carnaval. Além disso, a dança tem a participação de instrumentos como zabumba e ganzas.  Pau-da-bandeira Dança realizada principalmente na região nordeste que acontece principalmente durante o dia de Santo Antônio. Um tronco é escolhido e Professor Reginaldo Pazinatto 6
  • 7. carregado pelos homens da cidade. Como manda a tradição, as mulheres que desejam casar devem tocar esse tronco.  Maneiro-Pau Dança com maior influência no estado do Ceará, Maneiro-Pau conta com dançarinos que realizam os passos em rodas e com pedaços de pau nas mãos. Esses pedaços são batidos no chão formando o ritmo da dança. Durante toda a coreografia, alguns participantes duelam enquanto outros batem no chão.  Caninha Verde Dança portuguesa que foi inserida no país durante o Ciclo do Açúcar. Também foi praticada em colônias de pescadores, festas de casamento e cordões.  Bumba meu Boi Um dos símbolos folclóricos do Brasil, o Bumba meu Boi mescla dança, música e teatro. Além disso, é praticado nas mais variadas regiões do país. Os personagens cantam e dançam para contar a história de um boi que morreu e ressuscitou após ter sua língua cortada para satisfazer os desejos de uma mulher grávida.  Frevo O frevo, dança típica do estado do Pernambuco, surgiu por volta de 1910 e atualmente é uma das vertentes do Carnaval no Brasil. A música tocada durante a festa não possui letra e uma banda toca para embalar os foliões. Conta com diversos passos de danças com malabarismos, passos elaborados, rodopios e saltos. Além disso, o dançarino tem a possibilidade de improvisar à medida que a dança evolui.  Fandango Essa dança chegou à região sul do Brasil por volta de 1750 e foi trazida por portugueses. Os dançarinos recebiam o nome de folgadores e folgadeiras dançavam em festas executando diversos passos. Atualmente, permanece preservado na região com passos, música e canto. Os instrumentos mais usados são as violas, a rabeca, o acordeão e o pandeiro. Os dançarinos vestem roupas típicas da região e rodam próximo ao seu par, mas sem se tocar. Eles se movimentam para atrair a atenção do outro e os homens sapateiam de forma contínua. A dança contém traços de valsas e bailes e forte presença de sensualidade.  Carimbó Enquanto os homens vestem camisas e calças lisas, as mulheres utilizam blusas com ombros à mostra e saias rodadas. Os casais ficam em fileiras e o homem se aproxima de seu parbatendo palmas. Segue-se passos de volteio e as mulheres também jogam um lenço no chão para que seu parceiro possa pegar como forma de respeito. Professor Reginaldo Pazinatto 7
  • 8.  Samba O samba chegou junto com os negros ao Brasil e primeiramente era dançado apenas nas senzalas pelos escravos. Os primeiros estados brasileiros a difundirem esse ritmo foram o Rio de Janeiro, a Bahia e o Maranhão. A dança tinha sons de percussão e batidas com os pés. Já o samba de roda surgiu na África e também veio para o Brasil através dos escravos. O samba de roda é praticado em círculos e as pessoas têm a liberdade nos movimentos. Pode ser visto principalmente em estados como Rio de Janeiro e Bahia. Dança Folclóricas Termo geral para designar a dança originada do povo e que expressa sua natureza. Uma característica distinta desse tipo de dança e sua forma tradicional como expressão de nacionalismo. É o verdadeiro espelho da alma popular. O carnaval é a mais difundida das festas folclóricas brasileiras e nivela durante dias, toda a população num só festejo. Para ela o povo economiza o ano inteiro, abandonando muitas vezes trabalhos seguros para poder integrarem-se livremente aos dias de festa, bailes em todos os lugares, fantasias riquíssimas, desfiles com passos dos mais complicados ao som de músicas feitas especialmente cada ano. O desfile de milhares de pessoas nos ranchos, carros alegóricos e escolas de samba, constitui o maior espetáculo folclórico do país. Um deles é o do Rio de Janeiro, ensaia-se o ano inteiro, compõem-se músicas e coreografias apropriadas aos temas escolhidos para serem apresentadas e trabalha-se na confecção de fantasias e adereços. O povo inteiro dança durante dias e noites, o samba, a marcha e o frevo. O Nordeste é a região de folclore mais farto do país. Danças regionais As danças regionais provêm de cada região ou estado tento influência de outros países. Temos no Brasil : Danças da Região Sul:  Tiranas (dança de par e de galanteio).  Chula (dança solista masculina).  Balaio (executa-se e, roda em diversos pares).  Chimarrita (de origem portuguesa, onde três ou mais pares a executam com diversas figurações).  Quero mana (dança lenta de pares).  Pau de fita (executada ao redor de um pau fixado no chão).  Caranguejo (de origem portuguesa, dançada aos pares).  Ril (origem inglesa).  Tatu (dança sapateada em grupos de pares).  Bugio (de origem alemã).  Vanerão  Chote. Professor Reginaldo Pazinatto 8
  • 9. Danças da região central:  Catira ou Cateretê (de origem Ameríndia)  Congadas ou Congos.  Moçambiques (bailados guerreiros de origem negra).  Vilão de Faca (versão goiana do Pau de fita).  Dança dos Velhos (espécie de quadrilha).  Batuque (origem negra).  Samba rural paulista (quimbete, caxambu, dançando em Minas gerais; em São Paulo, os caiapós e o bate-pé; em Goiás a palminha e a serra  moreninha). Danças da região leste:  Batuque Profano  Candomblé (macumba religiosa).  Samba  Jongo (dança negra violenta).  Xangôs  Capoeira (muita riqueza coreográfica). Danças da região nordeste:  Frevo pernambucano (dança folclórica de coreografia mais rica do Brasil).  Baião (dança de pares executada em todo o interior nordestino).  Bumba meu boi (realizada na época do Natal).  Cheganças (origem portuguesa).  Pastoris.  Bailado guerreiro.  Caboclinhos (dança mais interessante da região, realizadas durante o carnaval).  Congos.  Maracatú.  Auto dos quilombos (cortejo, cerimônias, cantos e danças).  Coco (dança das praias).  Xangôs e dança do Tambor (dança do Candomblé e da Macumba).  Chula.  São Gonçalo (origem lusitana). Na dança, vamos encontrar elementos capazes de desenvolverem o nosso ritmo, que é a base de toda a nossa vida e individualidade. O ritmo faz retratar nosso caráter, disposição e temperamento. A música penetra em nosso íntimo, agitando ou acalmando nossos sentidos. A Dança poderá provocar no indivíduo, a comunicação, a identificação, a fantasia, a expressão pessoal e levá-lo ao conhecimento de si mesmo. Dança é o coroamento da ritmoplastia. Bibliografia http://www.cvnsg.com.br/recursos/files/Apostila%20de%20Ed_%20F %C3%ADsica%202014-%201%C2%AA%20s%C3%A9rie.pdf http://tipos-de-danca.info/ Professor Reginaldo Pazinatto 9