SlideShare uma empresa Scribd logo
Capítulo 9

     Comércio eletrônico: mercados digitais,
             mercadorias digitais


slide 1
Objetivos de estudo


• Quais as características distintivas do comércio eletrônico, dos mercados
  digitais e das mercadorias digitais?

• Como o comércio eletrônico transformou o marketing?

• Quais os diferentes tipos de comércio eletrônico e como o comércio
  eletrônico afetou as transações empresa-empresa?




slide 2
Objetivos de estudo


• Qual o papel do m-commerce nos negócios e quais as aplicações mais
  importantes?

• Que questões devem ser abordadas durante a construção de um site de
  comércio eletrônico?




slide 3
Nexon Games: o comércio
eletrônico torna-se social

• Problema: concorrência com outras empresas de jogos on-line e off-line;
  aumentar a lucratividade.


• Soluções: centralizar todos os jogos em um único portal on-line e
  combiná-lo com recursos de rede social.




slide 4
Nexon Games: o comércio
eletrônico torna-se social


• O BlockParty combina entretenimento e rede social com a tecnologia de
  portal para oferecer seus jogos mais populares, inclusive o MapleStory e
  o Mabinogi.
• Demonstra o papel da TI na criação de novos modelos de negócios.
• Ilustra a viabilidade do modelo “fremium” de conteúdo on-line.




 slide 5
Nexon Games: o comércio
eletrônico torna-se social




slide 6
Comércio eletrônico e Internet

                       Comércio eletrônico hoje
• Comércio eletrônico: refere-se ao uso da Internet e da Web para
  conduzir negócios; diz respeito às transações comerciais realizadas
  digitalmente.
• Começou em 1995 e cresceu exponencialmente mesmo durante a
  recessão.
• As empresas que sobreviveram à explosão da bolha “ponto-com” são,
  atualmente, bem-sucedidas.
• A revolução do comércio eletrônico ainda está em seus estágios iniciais.




slide 7
Comércio eletrônico e Internet

           Crescimento do comércio eletrônico




                         Figura 9.1
slide 8
Comércio eletrônico e Internet

                      Por que o comércio eletrônico é diferente

• Ubiquidade
          • A tecnologia Internet/Web está disponível em qualquer parte, a
            qualquer momento: no trabalho, em casa e em qualquer lugar.
          • Efeito:
              • O mercado se estende além das fronteiras tradicionais e não se
                limita a um ponto temporal e geográfico, criando o “marketspace”.
              • Aumenta a conveniência para o cliente e os custos de compra
                são reduzidos.




slide 9
Comércio eletrônico e Internet

           Características distintivas da tecnologia de comércio
                                 eletrônico
• Alcance global
    • A tecnologia atravessa fronteiras nacionais e abrange todo o planeta.
       • Efeito:
           • O comércio pode atravessar fronteiras nacionais e culturais
             harmoniosamente, sem modificações.
           • O marketspace inclui potencialmente bilhões de consumidores e
             milhões de empresas em todo o mundo.




slide 10
Comércio eletrônico e Internet

             Características distintivas da tecnologia de comércio
                                   eletrônico
• Padrões universais
    • Existe um conjunto de padrões tecnológicos : os padrões da Internet.
     • Efeito:
         • Sistemas de computador independentes podem comunicar-se
            facilmente.
         • Custos de entrada no mercado ficam mais baixos — custos com os
            quais os comerciantes arcam para que suas mercadorias cheguem
            ao mercado.
         • Reduzem os custos de busca, ou seja, o esforço necessário para
            encontrar produtos adequados.

  slide 11
Comércio eletrônico e Internet

Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico

• Riqueza
    • Suporta vídeo, áudio e mensagens de texto.
       • Efeito:
           • É possível enviar mensagens de texto, áudio e vídeo
             simultaneamente para um grande número de pessoas.
           • Mensagens de marketing de texto, áudio e vídeo são integradas
             em uma única mensagem e experiência de consumo.




slide 12
Comércio eletrônico e Internet

Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico

• Interatividade
     • A tecnologia funciona pela interação com o usuário.
       • Efeito:
           • Os consumidores envolvem-se em um diálogo que ajusta de
             modo dinâmico a experiência a cada pessoa.
           • O consumidor se torna um coparticipante no processo de levar
             produtos até o mercado.




slide 13
Comércio eletrônico e Internet

Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico

• Densidade da informação
    • Grande aumento na densidade da informação — a quantidade e a
      qualidade total da informação disponível para todos os participantes
      de mercado.
    • Efeito:
           • Maior transparência de preços.
           • Maior transparência de custos.
           • Permite que os comerciantes pratiquem a discriminação de
             preços.



slide 14
Comércio eletrônico e Internet

Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico

• Personalização/customização
    • A tecnologia permite a modificação de mensagens e produtos.
       • Efeito:
           • Mensagens personalizadas podem ser entregues tanto a
             indivíduos quanto a grupos.
           • Produtos e serviços podem ser customizados conforme
             características individuais.




slide 15
Comércio eletrônico e Internet

Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico

• Tecnologia social
    • A tecnologia promove a geração de conteúdos criados por usuários
      e as redes sociais.
    • Efeito:
           • Novos modelos de negócio de Internet social permitem a criação
             e a distribuição de conteúdos criados por usuários e o suporte a
             redes sociais.




slide 16
Comércio eletrônico e Internet

Conceitos-chave no comércio eletrônico: mercados e mercadorias
• Os mercados digitais reduzem:
       • Assimetria de informação
       • Custos de busca
       • Custos de transação
       • Custos de menu
• Os mercados digitais viabilizam:
       • Discriminação de preços
       • Determinação dinâmica de preços
       • Desintermediação

slide 17
Comércio eletrônico e Internet

                          Seção interativa: Tecnologia
             Turner Sports une TV e Internet e, então, torna-se social
• Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas:
     • Como a Web melhora os negócios de TV das empresas discutidas no
       caso? Como agrega valor?
     • Por que o NASCAR TrackPass é um bom exemplo do valor agregado
       pela Turner Sports aos sites esportivos?
     • Você acha que a Turner Sports conseguirá transferir com sucesso seu
       conteúdo para os sites de mídia social para onde estão migrando seus
       visitantes? Justifique.



  slide 18
Comércio eletrônico e Internet

     Os benefícios da desintermediação para o consumidor
O canal de
distribuição típico
apresenta diversas
camadas
intermediárias e cada
uma delas aumenta o
custo final de um
produto, como uma
blusa. Remover
camadas reduz o
custo final para o
consumidor.



 slide 19
Comércio eletrônico e Internet
             Conceitos-chave no comércio eletrônico: mercados e
                                mercadorias
• Mercadorias digitais
     • Produtos que podem ser distribuídos através de uma rede digital.
             • Exemplo: Músicas, vídeo, software, jornais, livros
     • O custo de produção da primeira unidade corresponde praticamente ao custo
       total do produto: o custo marginal de produção da segunda unidade é quase
       zero.
     • Os custos de distribuição pela Internet são muito baixos.
     • Os custos de marketing permanecem os mesmos; a determinação de preços
       é altamente variável.
     • Os setores com mercadorias digitais estão vivenciando mudanças
       revolucionárias (editoras, gravadoras etc.).
  slide 20
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia


                       Categorias do comércio eletrônico

           • Empresa-consumidor (B2C)
           • Empresa-empresa (B2B)
           • Consumidor-consumidor (C2C)
           • Comércio móvel (m-commerce)




slide 21
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                         Modelos de negócios de Internet
           • Portal
           • Loja virtual (e-tailer)
           • Provedor de conteúdo
           • Corretora de transações
           • Criadores de mercado
           • Provedor de serviços
           • Provedor de comunidade virtual




slide 22
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                 Modelos de receita do comércio eletrônico


           • Propaganda
           • Vendas
           • Assinatura
           • Free/Freemium
           • Taxa por transação
           • Afiliação




slide 23
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                 Seção interativa: Organizações
             Twitter procura um modelo de negócios

• Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas:
    • De acordo com a leitura deste capítulo, como você caracterizaria o
      modelo de negócios do Twitter?
    • Se o Twitter tivesse um modelo de negócios, qual dos modelos
      descritos neste capítulo funcionaria?
    • Qual o ativo mais importante do Twitter? Como a empresa poderia
      monetizar esse ativo?
    • Qual o impacto de uma alta taxa de cancelamento de usuários sobre
      o potencial do Twitter para propaganda?



slide 24
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

           Web 2.0, redes sociais e a sabedoria das massas
• Serviço mais popular da Web 2.0: redes sociais
    • Os sites de redes sociais vendem espaços para anúncios, informações
      sobre preferências dos usuários e produtos como músicas, vídeos e
      livros eletrônicos.
• Sites de shopping social
      • Troca de ideias com os amigos sobre compras (Kaboodle, ThisNext).
• Sabedoria das massas
    • Um grande número de pessoas pode tomar decisões mais acertadas
      sobre assuntos e produtos do que uma única pessoa.
• Mercados de previsão: grupos de apostas ponto-a-ponto para apostas
  sobre resultados específicos (eleições, resultados de vendas, projetos para
  novos produtos).

slide 25
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                Marketing do comércio eletrônico
• A Internet oferece aos comerciantes novas formas de identificação e
  comunicação com os clientes.
• Marketing de cauda longa: possibilidade de alcançar um público maior
  sem grandes custos.
• Alvo comportamental: rastreamento do comportamento on-line dos
  usuários de milhares de sites.
• Os formatos de propaganda incluem marketing de máquina de busca,
  exibição de anúncios, rich media e e-mail.




slide 26
Comércio eletrônico:
      negócios e tecnologia

                 Rastreamento do visitante de um site

Os sites de e-commerce
contam com ferramentas
que rastreiam cada passo
dado por um comprador
em uma loja on-line. O
exame minucioso do
comportamento de uma
cliente em um site de
roupas femininas mostra o
que a loja pode aprender
em cada etapa e quais
ações deve tomar para
aumentar as vendas.


 slide 27
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                            Personalização do site

           As empresas podem criar
           páginas da Web exclusivas e
           personalizadas que
           apresentem conteúdo ou
           anúncios de produtos e
           serviços de especial interesse
           para clientes individuais,
           aprimorando a experiência
           deles e criando valor
           adicional.



slide 28
Comércio eletrônico:
      negócios e tecnologia

     Como funciona uma rede de anúncios como a DoubleClick

As redes de anúncios
tornaram-se um tema
controverso entre os
defensores da
privacidade devido à
sua habilidade de
rastrear consumidores
individuais na Internet.
Discutiremos questões
de privacidade mais a
fundo no Capítulo 12.




 slide 29
Comércio eletrônico:
       negócios e tecnologia

             Comércio eletrônico empresa-empresa: novos
                    relacionamentos e eficiências
• Intercâmbio eletrônico de dados (electronic data interchange — EDI)
     • Troca entre computadores de documentos-padrão de transações, como faturas,
       conhecimentos de embarque, agendamentos de expedição ou pedidos de
       compra.
     • Os principais setores nos Estados Unidos e em grande parte do resto do mundo
       têm padrões EDI que definem a estrutura e os campos de informação das
       transações eletrônicas para determinado setor.
     • Um número cada vez maior de empresas estão migrando das redes privadas para
       a Internet em busca de conexão com outras organizações.
          • Exemplo: seleção de fornecedores (procurement): as empresas podem usar
            a Internet para localizar o fornecedor de custo mais baixo, examinar
            catálogos de produtos on-line, negociar com fornecedores, fazer pedidos e
            pagamentos etc.
  slide 30
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                   Troca eletrônica de dados (EDI)




As empresas usam a EDI para automatizar transações de comércio eletrônico B2B
e para reposição contínua de estoque. Os fornecedores podem enviar
automaticamente dados sobre encomendas às empresas compradoras. Estas, por
sua vez, podem usar a EDI para transmitir aos fornecedores dados de pagamento
e solicitações de estoque e produção.

slide 31
Comércio eletrônico:
       negócios e tecnologia

                Comércio eletrônico empresa-empresa: novos
                       relacionamentos e eficiências
• Redes setoriais privadas (bolsas privadas)
     • Uma empresa de grande porte que usa uma extranet para se conectar a
       seus fornecedores e outros parceiros de negócios importantes.
     • Pertence a seu comprador.
     • Permite o compartilhamento de:
             • projeto e desenvolvimento de produtos;
             • marketing;
             • programação de produção e gerenciamento de estoque; e
             • comunicações não estruturadas (gráficos e e-mails).
  slide 32
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                          Rede setorial privada
Esta rede liga uma
empresa a seus
fornecedores,
distribuidores e outros
parceiros de negócios
importantes para a
realização eficiente do
gerenciamento da
cadeia de suprimentos
e de outras atividades
de comércio
colaborativo.


slide 33
Comércio eletrônico:
       negócios e tecnologia

             Comércio eletrônico empresa-empresa: novos
                    relacionamentos e eficiências
• E-marketplaces (e-hubs/e-concentradores)
     • Um único mercado para diversos compradores e vendedores.
     • Pertencem a setores ou operam como intermediários independentes.
     • Geram receita com transações de compra e venda e de outros serviços.
     • Definem preços mediante negociações, leilões, pedidos de cotação, ou
       podem usar preços fixos.
     • Podem vender insumos diretos ou indiretos.
     • Podem ser verticais ou horizontais.


  slide 34
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

                      Um e-marketplace
Praças de
mercado on-
line nas quais
múltiplos
compradores
podem comprar
de múltiplos
vendedores.




slide 35
Comércio eletrônico:
     negócios e tecnologia

           Comércio eletrônico empresa-empresa: novos
                  relacionamentos e eficiências
• Bolsas
    • E-marketplaces independentes, mantidos por terceiros.
    • Podem conectar milhares de fornecedores e compradores para
      compras não programadas.
    • Costumam representar mercados verticais para insumos diretos de
      um único setor (alimentos, produtos eletrônicos).
    • Proliferaram durante os primeiros anos do e-commerce, mas muitas
      fracassaram.
         • Incentivavam propostas competitivas, derrubando os preços, mas
           sem oferecer um relacionamento de longo prazo com
           compradores ou serviços que compensassem essa redução.

slide 36
Plataforma digital móvel
e m-commerce

                 Serviços e aplicações de m-commerce
• Embora o m-commerce represente uma pequena parte do comércio
  eletrônico total, sua receita vem crescendo consistentemente
      • Serviços baseados em localização
      • Serviços bancários e financeiros
      • Publicidade sem fio
      • Jogos e entretenimento




slide 37
Plataforma digital móvel
e m-commerce

             Receitas consolidadas do m-commerce


O comércio
eletrônico móvel é o
tipo de comércio
B2C que mais
cresce, embora
represente somente
uma pequena parte
de todo o comércio
eletrônico de 2009.




slide 38
Construindo um site de
comércio eletrônico

           Peças do quebra-cabeças da construção do site
• Formar uma equipe com as habilidades necessárias para tomar
  decisões sobre:
      • tecnologia
      • projeto do site
      • políticas sociais e de informação
      • hardware, software e infraestrutura de telecomunicações
• As demandas dos clientes devem direcionar a tecnologia e o projeto do
  site.




slide 39
Construindo um site de
comércio eletrônico

           Objetivos empresariais, funcionalidade do sistema e
                       requisitos de informação
• As decisões de negócio direcionam a tecnologia — não o contrário.
• Exemplo:
    • Objetivos empresariais: executar uma transação de pagamento.
    • Funcionalidade do sistema para alcançar esse objetivo: carrinho de
      compras ou outro sistema de pagamento.
    • Requisitos de informação: garantia de limpeza dos dados de cartões
      de crédito, múltiplas opções.




slide 40
Construindo um site de
comércio eletrônico

             Construindo o site: in-house versus outsourcing
           • Escolha:
              • Completamente interno
                  • Construir e hospedar internamente
              • Responsabilidade mista
                  • Construir internamente, hospedar externamente
                  • Hospedar internamente, construir externamente
              • Completamente externo
                  • Terceirizar tanto a construção quanto a hospedagem
                    do site
                        • Co-locação
slide 41

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencial
Denilson Sousa
 
Marketing Digital: oportunidades para os negócios
Marketing Digital: oportunidades para os negóciosMarketing Digital: oportunidades para os negócios
Marketing Digital: oportunidades para os negócios
Gutenberg Almeida
 
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreiraCapitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Everton Souza
 
Consumismo
ConsumismoConsumismo
Consumismo
Zé Stinson
 
Conceitos varejo e atacado
Conceitos varejo e atacadoConceitos varejo e atacado
Conceitos varejo e atacado
Diego Sater da Luz Teixeira
 
Mix de Marketing - Produto - Parte I
Mix de Marketing - Produto - Parte IMix de Marketing - Produto - Parte I
Mix de Marketing - Produto - Parte I
Robson Costa
 
E commerce x e-business
E commerce x e-businessE commerce x e-business
E commerce x e-business
costafranklin
 
Apresentação e-commerce
Apresentação   e-commerceApresentação   e-commerce
Apresentação e-commerce
Nathália Nóbrega
 
Gestão dos Canais de Distribuição
Gestão dos Canais de DistribuiçãoGestão dos Canais de Distribuição
Gestão dos Canais de Distribuição
Adeildo Caboclo
 
Tecnologia
TecnologiaTecnologia
Tecnologia
Renan3709
 
Mix de Marketing - Promoção - Parte IV
Mix de Marketing - Promoção - Parte IVMix de Marketing - Promoção - Parte IV
Mix de Marketing - Promoção - Parte IV
Robson Costa
 
Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)
Adriano Bruni
 
Literacia financeira digital
Literacia financeira digitalLiteracia financeira digital
Literacia financeira digital
Biblioteca Emídio Garcia Becreemidiogarcia
 
Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
César Augusto Pereira
 
P de Produto
P de ProdutoP de Produto
4 aula 9 - 4 procura e oferta (meu)
4   aula 9 - 4 procura e oferta (meu)4   aula 9 - 4 procura e oferta (meu)
4 aula 9 - 4 procura e oferta (meu)
Jenny Fortes
 
e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010
e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010
e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010
gestao em hipermídia Pós-graduação
 
Os 4P's do Marketing
Os 4P's do MarketingOs 4P's do Marketing
Os 4P's do Marketing
Jéssica Carneiro
 
Evolução do Marketing
Evolução do MarketingEvolução do Marketing
Evolução do Marketing
Henrique Filipe Ribeiro
 
Comércio eletrónico
Comércio eletrónicoComércio eletrónico
Comércio eletrónico
Lua Soriano
 

Mais procurados (20)

Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencial
 
Marketing Digital: oportunidades para os negócios
Marketing Digital: oportunidades para os negóciosMarketing Digital: oportunidades para os negócios
Marketing Digital: oportunidades para os negócios
 
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreiraCapitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
 
Consumismo
ConsumismoConsumismo
Consumismo
 
Conceitos varejo e atacado
Conceitos varejo e atacadoConceitos varejo e atacado
Conceitos varejo e atacado
 
Mix de Marketing - Produto - Parte I
Mix de Marketing - Produto - Parte IMix de Marketing - Produto - Parte I
Mix de Marketing - Produto - Parte I
 
E commerce x e-business
E commerce x e-businessE commerce x e-business
E commerce x e-business
 
Apresentação e-commerce
Apresentação   e-commerceApresentação   e-commerce
Apresentação e-commerce
 
Gestão dos Canais de Distribuição
Gestão dos Canais de DistribuiçãoGestão dos Canais de Distribuição
Gestão dos Canais de Distribuição
 
Tecnologia
TecnologiaTecnologia
Tecnologia
 
Mix de Marketing - Promoção - Parte IV
Mix de Marketing - Promoção - Parte IVMix de Marketing - Promoção - Parte IV
Mix de Marketing - Promoção - Parte IV
 
Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)Aulas de Investimentos (custo de capital)
Aulas de Investimentos (custo de capital)
 
Literacia financeira digital
Literacia financeira digitalLiteracia financeira digital
Literacia financeira digital
 
Comércio Eletrônico
Comércio EletrônicoComércio Eletrônico
Comércio Eletrônico
 
P de Produto
P de ProdutoP de Produto
P de Produto
 
4 aula 9 - 4 procura e oferta (meu)
4   aula 9 - 4 procura e oferta (meu)4   aula 9 - 4 procura e oferta (meu)
4 aula 9 - 4 procura e oferta (meu)
 
e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010
e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010
e-Commerce - 1a Aula 12 4 2010
 
Os 4P's do Marketing
Os 4P's do MarketingOs 4P's do Marketing
Os 4P's do Marketing
 
Evolução do Marketing
Evolução do MarketingEvolução do Marketing
Evolução do Marketing
 
Comércio eletrónico
Comércio eletrónicoComércio eletrónico
Comércio eletrónico
 

Destaque

O comércio eletrônico
O comércio eletrônicoO comércio eletrônico
O comércio eletrônico
Carlos Rogerio Pereira Pereira
 
Ficha de trabalho nº34 m6marketing digital e comercio eletonico
Ficha de trabalho nº34  m6marketing digital e comercio eletonicoFicha de trabalho nº34  m6marketing digital e comercio eletonico
Ficha de trabalho nº34 m6marketing digital e comercio eletonico
Leonor Alves
 
Comercio eletronico
Comercio eletronicoComercio eletronico
Comercio eletronico
guest80fa36
 
Comércio eletrônico
Comércio eletrônicoComércio eletrônico
Comércio eletrônico
Rodrigo Gomes da Silva
 
Digicorp aula3 11 06 2010
Digicorp aula3 11 06 2010Digicorp aula3 11 06 2010
Digicorp aula3 11 06 2010
Carolina Terra
 
Conexão Bites -- Apresentação Tuilux
Conexão Bites -- Apresentação TuiluxConexão Bites -- Apresentação Tuilux
Conexão Bites -- Apresentação Tuilux
BITES
 
Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...
Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...
Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...
Thiago Avila, Msc
 
E-Commerce - Conhecendo o comercio eletronico
E-Commerce - Conhecendo o comercio eletronicoE-Commerce - Conhecendo o comercio eletronico
E-Commerce - Conhecendo o comercio eletronico
Andre Havro
 
ComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNicoComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNico
ricardo marinheiro
 
Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos
Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetosCapítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos
Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos
Everton Souza
 
Capitulo 02 - E-Business global e colaboração
Capitulo 02 - E-Business global e colaboraçãoCapitulo 02 - E-Business global e colaboração
Capitulo 02 - E-Business global e colaboração
Everton Souza
 
Comercio eletronico aula 1
Comercio eletronico   aula 1Comercio eletronico   aula 1
Comercio eletronico aula 1
odair de Osti
 
Administração de sistemas de informação completo
Administração de sistemas de informação   completoAdministração de sistemas de informação   completo
Administração de sistemas de informação completo
Tarciso Ferreira
 
Teste de avaliação revisoe smódulo 2 comércio
Teste de avaliação  revisoe smódulo 2   comércioTeste de avaliação  revisoe smódulo 2   comércio
Teste de avaliação revisoe smódulo 2 comércio
Leonor Alves
 
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-CommerceIntrodução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Adriano Maranhão
 
A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...
A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...
A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...
In Press Porter Novelli
 
Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!
Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!
Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!
Zaqueu Oliveira
 
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimentoCapítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Everton Souza
 
Comércio eletrônico Vantagens e Desvantagens
Comércio eletrônico  Vantagens e DesvantagensComércio eletrônico  Vantagens e Desvantagens
Comércio eletrônico Vantagens e Desvantagens
Danilo Pires
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
Joaz Souza
 

Destaque (20)

O comércio eletrônico
O comércio eletrônicoO comércio eletrônico
O comércio eletrônico
 
Ficha de trabalho nº34 m6marketing digital e comercio eletonico
Ficha de trabalho nº34  m6marketing digital e comercio eletonicoFicha de trabalho nº34  m6marketing digital e comercio eletonico
Ficha de trabalho nº34 m6marketing digital e comercio eletonico
 
Comercio eletronico
Comercio eletronicoComercio eletronico
Comercio eletronico
 
Comércio eletrônico
Comércio eletrônicoComércio eletrônico
Comércio eletrônico
 
Digicorp aula3 11 06 2010
Digicorp aula3 11 06 2010Digicorp aula3 11 06 2010
Digicorp aula3 11 06 2010
 
Conexão Bites -- Apresentação Tuilux
Conexão Bites -- Apresentação TuiluxConexão Bites -- Apresentação Tuilux
Conexão Bites -- Apresentação Tuilux
 
Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...
Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...
Monografia - Gerenciamento de Projetos de Governo Eletrônico - Um Estudo de C...
 
E-Commerce - Conhecendo o comercio eletronico
E-Commerce - Conhecendo o comercio eletronicoE-Commerce - Conhecendo o comercio eletronico
E-Commerce - Conhecendo o comercio eletronico
 
ComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNicoComéRcio ElectróNico
ComéRcio ElectróNico
 
Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos
Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetosCapítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos
Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos
 
Capitulo 02 - E-Business global e colaboração
Capitulo 02 - E-Business global e colaboraçãoCapitulo 02 - E-Business global e colaboração
Capitulo 02 - E-Business global e colaboração
 
Comercio eletronico aula 1
Comercio eletronico   aula 1Comercio eletronico   aula 1
Comercio eletronico aula 1
 
Administração de sistemas de informação completo
Administração de sistemas de informação   completoAdministração de sistemas de informação   completo
Administração de sistemas de informação completo
 
Teste de avaliação revisoe smódulo 2 comércio
Teste de avaliação  revisoe smódulo 2   comércioTeste de avaliação  revisoe smódulo 2   comércio
Teste de avaliação revisoe smódulo 2 comércio
 
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-CommerceIntrodução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
Introdução ao Comércio Eletrônico - E-Commerce
 
A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...
A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...
A comunicação na era digital - Como a internet está mudando o comportamento e...
 
Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!
Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!
Estudo de caso - Empreendedor de sucesso!
 
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimentoCapítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
 
Comércio eletrônico Vantagens e Desvantagens
Comércio eletrônico  Vantagens e DesvantagensComércio eletrônico  Vantagens e Desvantagens
Comércio eletrônico Vantagens e Desvantagens
 
Tecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logísticaTecnologia da informação aplicado à logística
Tecnologia da informação aplicado à logística
 

Semelhante a Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais

Modelos de e business final
Modelos de e business finalModelos de e business final
Modelos de e business final
liraandre
 
Comércio eletrônico 2012_01
Comércio eletrônico 2012_01Comércio eletrônico 2012_01
Comércio eletrônico 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Fsi 08 - capitulo 9
Fsi  08 -  capitulo 9Fsi  08 -  capitulo 9
Fsi 08 - capitulo 9
Caroline Raquel Rodrigues
 
A explosão do e-commerce
A explosão do e-commerceA explosão do e-commerce
A explosão do e-commerce
Alexandre Soncini
 
55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet
55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet
55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet
Universidade Paulista,UNIESP,SENAC
 
Apresentação VTEX para ABRADi
Apresentação VTEX para ABRADiApresentação VTEX para ABRADi
Apresentação VTEX para ABRADi
Alexandre Soncini
 
Marketing digital, modo de usar - Café na web, dá para comercializar direto?
Marketing digital, modo de usar  - Café na web, dá para comercializar direto?Marketing digital, modo de usar  - Café na web, dá para comercializar direto?
Marketing digital, modo de usar - Café na web, dá para comercializar direto?
Paulo Henrique Leme
 
SIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerce
SIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerceSIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerce
SIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerce
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Introdução comercio eletronico
Introdução comercio eletronicoIntrodução comercio eletronico
Introdução comercio eletronico
Jhosafá de Kastro
 
Modelos
ModelosModelos
Modelos
Mateus Cozer
 
Apresentação e marketing (sem internet)
Apresentação e marketing (sem internet)Apresentação e marketing (sem internet)
Apresentação e marketing (sem internet)
Luis Romel
 
Pictonio
PictonioPictonio
Estratégia e informação b2 b e-commerce brasil comercio eletronico internet...
Estratégia e informação b2 b   e-commerce brasil comercio eletronico internet...Estratégia e informação b2 b   e-commerce brasil comercio eletronico internet...
Estratégia e informação b2 b e-commerce brasil comercio eletronico internet...
Antonio Roberto
 
Estratégia e Negócio Electrónico
Estratégia e Negócio Electrónico Estratégia e Negócio Electrónico
Estratégia e Negócio Electrónico
nesi
 
Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2
Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2
Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2
Paulo Henrique Leme
 
Apresentação sobre Meios de Comunicação Digital
Apresentação sobre Meios de Comunicação DigitalApresentação sobre Meios de Comunicação Digital
Apresentação sobre Meios de Comunicação Digital
Victor Veiga
 
Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0
Poliana Lopes
 
04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico
Milton Henrique do Couto Neto
 
Marketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAE
Marketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAEMarketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAE
Marketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAE
Felipe Pereira
 
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas DigitaisTendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
João Kepler Braga ®
 

Semelhante a Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais (20)

Modelos de e business final
Modelos de e business finalModelos de e business final
Modelos de e business final
 
Comércio eletrônico 2012_01
Comércio eletrônico 2012_01Comércio eletrônico 2012_01
Comércio eletrônico 2012_01
 
Fsi 08 - capitulo 9
Fsi  08 -  capitulo 9Fsi  08 -  capitulo 9
Fsi 08 - capitulo 9
 
A explosão do e-commerce
A explosão do e-commerceA explosão do e-commerce
A explosão do e-commerce
 
55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet
55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet
55352747 aula-3-taw-negocios-eletronicos-na-internet
 
Apresentação VTEX para ABRADi
Apresentação VTEX para ABRADiApresentação VTEX para ABRADi
Apresentação VTEX para ABRADi
 
Marketing digital, modo de usar - Café na web, dá para comercializar direto?
Marketing digital, modo de usar  - Café na web, dá para comercializar direto?Marketing digital, modo de usar  - Café na web, dá para comercializar direto?
Marketing digital, modo de usar - Café na web, dá para comercializar direto?
 
SIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerce
SIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerceSIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerce
SIistemas de Informação 2 - Aula09 - psi - cap8 ecommerce
 
Introdução comercio eletronico
Introdução comercio eletronicoIntrodução comercio eletronico
Introdução comercio eletronico
 
Modelos
ModelosModelos
Modelos
 
Apresentação e marketing (sem internet)
Apresentação e marketing (sem internet)Apresentação e marketing (sem internet)
Apresentação e marketing (sem internet)
 
Pictonio
PictonioPictonio
Pictonio
 
Estratégia e informação b2 b e-commerce brasil comercio eletronico internet...
Estratégia e informação b2 b   e-commerce brasil comercio eletronico internet...Estratégia e informação b2 b   e-commerce brasil comercio eletronico internet...
Estratégia e informação b2 b e-commerce brasil comercio eletronico internet...
 
Estratégia e Negócio Electrónico
Estratégia e Negócio Electrónico Estratégia e Negócio Electrónico
Estratégia e Negócio Electrónico
 
Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2
Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2
Café na web 2011 - Marketing digital - modo de usar - Aula 2
 
Apresentação sobre Meios de Comunicação Digital
Apresentação sobre Meios de Comunicação DigitalApresentação sobre Meios de Comunicação Digital
Apresentação sobre Meios de Comunicação Digital
 
Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0Comunicação, Marketing e Web 2.0
Comunicação, Marketing e Web 2.0
 
04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico04 - 2014 comércio eletrônico
04 - 2014 comércio eletrônico
 
Marketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAE
Marketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAEMarketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAE
Marketing Digital, o que é isso? Feira do Empreendedor 2012 SEBRAE
 
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas DigitaisTendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
Tendências mundiais que ajudarão a aumentar as Vendas Digitais
 

Mais de Everton Souza

Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores.
Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores. Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores.
Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores.
Everton Souza
 
Apresenta v3
Apresenta v3Apresenta v3
Apresenta v3
Everton Souza
 
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informaçãoCapítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Everton Souza
 
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informaçãoCapítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Everton Souza
 
Capítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio
Capítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia  sem fioCapítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia  sem fio
Capítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio
Everton Souza
 
Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...
Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...
Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...
Everton Souza
 
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informaçãoCapítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Everton Souza
 
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informaçãoCapítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Everton Souza
 

Mais de Everton Souza (8)

Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores.
Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores. Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores.
Desenvolvimento de Aplicações baseadas em EEG para integração com sensores.
 
Apresenta v3
Apresenta v3Apresenta v3
Apresenta v3
 
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informaçãoCapítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
 
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informaçãoCapítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
 
Capítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio
Capítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia  sem fioCapítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia  sem fio
Capítulo 06 - Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio
 
Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...
Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...
Capítulo 05 - Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e...
 
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informaçãoCapítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
 
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informaçãoCapítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
 

Último

EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 

Último (20)

RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 

Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais

  • 1. Capítulo 9 Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais slide 1
  • 2. Objetivos de estudo • Quais as características distintivas do comércio eletrônico, dos mercados digitais e das mercadorias digitais? • Como o comércio eletrônico transformou o marketing? • Quais os diferentes tipos de comércio eletrônico e como o comércio eletrônico afetou as transações empresa-empresa? slide 2
  • 3. Objetivos de estudo • Qual o papel do m-commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? • Que questões devem ser abordadas durante a construção de um site de comércio eletrônico? slide 3
  • 4. Nexon Games: o comércio eletrônico torna-se social • Problema: concorrência com outras empresas de jogos on-line e off-line; aumentar a lucratividade. • Soluções: centralizar todos os jogos em um único portal on-line e combiná-lo com recursos de rede social. slide 4
  • 5. Nexon Games: o comércio eletrônico torna-se social • O BlockParty combina entretenimento e rede social com a tecnologia de portal para oferecer seus jogos mais populares, inclusive o MapleStory e o Mabinogi. • Demonstra o papel da TI na criação de novos modelos de negócios. • Ilustra a viabilidade do modelo “fremium” de conteúdo on-line. slide 5
  • 6. Nexon Games: o comércio eletrônico torna-se social slide 6
  • 7. Comércio eletrônico e Internet Comércio eletrônico hoje • Comércio eletrônico: refere-se ao uso da Internet e da Web para conduzir negócios; diz respeito às transações comerciais realizadas digitalmente. • Começou em 1995 e cresceu exponencialmente mesmo durante a recessão. • As empresas que sobreviveram à explosão da bolha “ponto-com” são, atualmente, bem-sucedidas. • A revolução do comércio eletrônico ainda está em seus estágios iniciais. slide 7
  • 8. Comércio eletrônico e Internet Crescimento do comércio eletrônico Figura 9.1 slide 8
  • 9. Comércio eletrônico e Internet Por que o comércio eletrônico é diferente • Ubiquidade • A tecnologia Internet/Web está disponível em qualquer parte, a qualquer momento: no trabalho, em casa e em qualquer lugar. • Efeito: • O mercado se estende além das fronteiras tradicionais e não se limita a um ponto temporal e geográfico, criando o “marketspace”. • Aumenta a conveniência para o cliente e os custos de compra são reduzidos. slide 9
  • 10. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Alcance global • A tecnologia atravessa fronteiras nacionais e abrange todo o planeta. • Efeito: • O comércio pode atravessar fronteiras nacionais e culturais harmoniosamente, sem modificações. • O marketspace inclui potencialmente bilhões de consumidores e milhões de empresas em todo o mundo. slide 10
  • 11. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Padrões universais • Existe um conjunto de padrões tecnológicos : os padrões da Internet. • Efeito: • Sistemas de computador independentes podem comunicar-se facilmente. • Custos de entrada no mercado ficam mais baixos — custos com os quais os comerciantes arcam para que suas mercadorias cheguem ao mercado. • Reduzem os custos de busca, ou seja, o esforço necessário para encontrar produtos adequados. slide 11
  • 12. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Riqueza • Suporta vídeo, áudio e mensagens de texto. • Efeito: • É possível enviar mensagens de texto, áudio e vídeo simultaneamente para um grande número de pessoas. • Mensagens de marketing de texto, áudio e vídeo são integradas em uma única mensagem e experiência de consumo. slide 12
  • 13. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Interatividade • A tecnologia funciona pela interação com o usuário. • Efeito: • Os consumidores envolvem-se em um diálogo que ajusta de modo dinâmico a experiência a cada pessoa. • O consumidor se torna um coparticipante no processo de levar produtos até o mercado. slide 13
  • 14. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Densidade da informação • Grande aumento na densidade da informação — a quantidade e a qualidade total da informação disponível para todos os participantes de mercado. • Efeito: • Maior transparência de preços. • Maior transparência de custos. • Permite que os comerciantes pratiquem a discriminação de preços. slide 14
  • 15. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Personalização/customização • A tecnologia permite a modificação de mensagens e produtos. • Efeito: • Mensagens personalizadas podem ser entregues tanto a indivíduos quanto a grupos. • Produtos e serviços podem ser customizados conforme características individuais. slide 15
  • 16. Comércio eletrônico e Internet Características distintivas da tecnologia de comércio eletrônico • Tecnologia social • A tecnologia promove a geração de conteúdos criados por usuários e as redes sociais. • Efeito: • Novos modelos de negócio de Internet social permitem a criação e a distribuição de conteúdos criados por usuários e o suporte a redes sociais. slide 16
  • 17. Comércio eletrônico e Internet Conceitos-chave no comércio eletrônico: mercados e mercadorias • Os mercados digitais reduzem: • Assimetria de informação • Custos de busca • Custos de transação • Custos de menu • Os mercados digitais viabilizam: • Discriminação de preços • Determinação dinâmica de preços • Desintermediação slide 17
  • 18. Comércio eletrônico e Internet Seção interativa: Tecnologia Turner Sports une TV e Internet e, então, torna-se social • Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas: • Como a Web melhora os negócios de TV das empresas discutidas no caso? Como agrega valor? • Por que o NASCAR TrackPass é um bom exemplo do valor agregado pela Turner Sports aos sites esportivos? • Você acha que a Turner Sports conseguirá transferir com sucesso seu conteúdo para os sites de mídia social para onde estão migrando seus visitantes? Justifique. slide 18
  • 19. Comércio eletrônico e Internet Os benefícios da desintermediação para o consumidor O canal de distribuição típico apresenta diversas camadas intermediárias e cada uma delas aumenta o custo final de um produto, como uma blusa. Remover camadas reduz o custo final para o consumidor. slide 19
  • 20. Comércio eletrônico e Internet Conceitos-chave no comércio eletrônico: mercados e mercadorias • Mercadorias digitais • Produtos que podem ser distribuídos através de uma rede digital. • Exemplo: Músicas, vídeo, software, jornais, livros • O custo de produção da primeira unidade corresponde praticamente ao custo total do produto: o custo marginal de produção da segunda unidade é quase zero. • Os custos de distribuição pela Internet são muito baixos. • Os custos de marketing permanecem os mesmos; a determinação de preços é altamente variável. • Os setores com mercadorias digitais estão vivenciando mudanças revolucionárias (editoras, gravadoras etc.). slide 20
  • 21. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Categorias do comércio eletrônico • Empresa-consumidor (B2C) • Empresa-empresa (B2B) • Consumidor-consumidor (C2C) • Comércio móvel (m-commerce) slide 21
  • 22. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Modelos de negócios de Internet • Portal • Loja virtual (e-tailer) • Provedor de conteúdo • Corretora de transações • Criadores de mercado • Provedor de serviços • Provedor de comunidade virtual slide 22
  • 23. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Modelos de receita do comércio eletrônico • Propaganda • Vendas • Assinatura • Free/Freemium • Taxa por transação • Afiliação slide 23
  • 24. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Seção interativa: Organizações Twitter procura um modelo de negócios • Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas: • De acordo com a leitura deste capítulo, como você caracterizaria o modelo de negócios do Twitter? • Se o Twitter tivesse um modelo de negócios, qual dos modelos descritos neste capítulo funcionaria? • Qual o ativo mais importante do Twitter? Como a empresa poderia monetizar esse ativo? • Qual o impacto de uma alta taxa de cancelamento de usuários sobre o potencial do Twitter para propaganda? slide 24
  • 25. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Web 2.0, redes sociais e a sabedoria das massas • Serviço mais popular da Web 2.0: redes sociais • Os sites de redes sociais vendem espaços para anúncios, informações sobre preferências dos usuários e produtos como músicas, vídeos e livros eletrônicos. • Sites de shopping social • Troca de ideias com os amigos sobre compras (Kaboodle, ThisNext). • Sabedoria das massas • Um grande número de pessoas pode tomar decisões mais acertadas sobre assuntos e produtos do que uma única pessoa. • Mercados de previsão: grupos de apostas ponto-a-ponto para apostas sobre resultados específicos (eleições, resultados de vendas, projetos para novos produtos). slide 25
  • 26. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Marketing do comércio eletrônico • A Internet oferece aos comerciantes novas formas de identificação e comunicação com os clientes. • Marketing de cauda longa: possibilidade de alcançar um público maior sem grandes custos. • Alvo comportamental: rastreamento do comportamento on-line dos usuários de milhares de sites. • Os formatos de propaganda incluem marketing de máquina de busca, exibição de anúncios, rich media e e-mail. slide 26
  • 27. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Rastreamento do visitante de um site Os sites de e-commerce contam com ferramentas que rastreiam cada passo dado por um comprador em uma loja on-line. O exame minucioso do comportamento de uma cliente em um site de roupas femininas mostra o que a loja pode aprender em cada etapa e quais ações deve tomar para aumentar as vendas. slide 27
  • 28. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Personalização do site As empresas podem criar páginas da Web exclusivas e personalizadas que apresentem conteúdo ou anúncios de produtos e serviços de especial interesse para clientes individuais, aprimorando a experiência deles e criando valor adicional. slide 28
  • 29. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Como funciona uma rede de anúncios como a DoubleClick As redes de anúncios tornaram-se um tema controverso entre os defensores da privacidade devido à sua habilidade de rastrear consumidores individuais na Internet. Discutiremos questões de privacidade mais a fundo no Capítulo 12. slide 29
  • 30. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Comércio eletrônico empresa-empresa: novos relacionamentos e eficiências • Intercâmbio eletrônico de dados (electronic data interchange — EDI) • Troca entre computadores de documentos-padrão de transações, como faturas, conhecimentos de embarque, agendamentos de expedição ou pedidos de compra. • Os principais setores nos Estados Unidos e em grande parte do resto do mundo têm padrões EDI que definem a estrutura e os campos de informação das transações eletrônicas para determinado setor. • Um número cada vez maior de empresas estão migrando das redes privadas para a Internet em busca de conexão com outras organizações. • Exemplo: seleção de fornecedores (procurement): as empresas podem usar a Internet para localizar o fornecedor de custo mais baixo, examinar catálogos de produtos on-line, negociar com fornecedores, fazer pedidos e pagamentos etc. slide 30
  • 31. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Troca eletrônica de dados (EDI) As empresas usam a EDI para automatizar transações de comércio eletrônico B2B e para reposição contínua de estoque. Os fornecedores podem enviar automaticamente dados sobre encomendas às empresas compradoras. Estas, por sua vez, podem usar a EDI para transmitir aos fornecedores dados de pagamento e solicitações de estoque e produção. slide 31
  • 32. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Comércio eletrônico empresa-empresa: novos relacionamentos e eficiências • Redes setoriais privadas (bolsas privadas) • Uma empresa de grande porte que usa uma extranet para se conectar a seus fornecedores e outros parceiros de negócios importantes. • Pertence a seu comprador. • Permite o compartilhamento de: • projeto e desenvolvimento de produtos; • marketing; • programação de produção e gerenciamento de estoque; e • comunicações não estruturadas (gráficos e e-mails). slide 32
  • 33. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Rede setorial privada Esta rede liga uma empresa a seus fornecedores, distribuidores e outros parceiros de negócios importantes para a realização eficiente do gerenciamento da cadeia de suprimentos e de outras atividades de comércio colaborativo. slide 33
  • 34. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Comércio eletrônico empresa-empresa: novos relacionamentos e eficiências • E-marketplaces (e-hubs/e-concentradores) • Um único mercado para diversos compradores e vendedores. • Pertencem a setores ou operam como intermediários independentes. • Geram receita com transações de compra e venda e de outros serviços. • Definem preços mediante negociações, leilões, pedidos de cotação, ou podem usar preços fixos. • Podem vender insumos diretos ou indiretos. • Podem ser verticais ou horizontais. slide 34
  • 35. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Um e-marketplace Praças de mercado on- line nas quais múltiplos compradores podem comprar de múltiplos vendedores. slide 35
  • 36. Comércio eletrônico: negócios e tecnologia Comércio eletrônico empresa-empresa: novos relacionamentos e eficiências • Bolsas • E-marketplaces independentes, mantidos por terceiros. • Podem conectar milhares de fornecedores e compradores para compras não programadas. • Costumam representar mercados verticais para insumos diretos de um único setor (alimentos, produtos eletrônicos). • Proliferaram durante os primeiros anos do e-commerce, mas muitas fracassaram. • Incentivavam propostas competitivas, derrubando os preços, mas sem oferecer um relacionamento de longo prazo com compradores ou serviços que compensassem essa redução. slide 36
  • 37. Plataforma digital móvel e m-commerce Serviços e aplicações de m-commerce • Embora o m-commerce represente uma pequena parte do comércio eletrônico total, sua receita vem crescendo consistentemente • Serviços baseados em localização • Serviços bancários e financeiros • Publicidade sem fio • Jogos e entretenimento slide 37
  • 38. Plataforma digital móvel e m-commerce Receitas consolidadas do m-commerce O comércio eletrônico móvel é o tipo de comércio B2C que mais cresce, embora represente somente uma pequena parte de todo o comércio eletrônico de 2009. slide 38
  • 39. Construindo um site de comércio eletrônico Peças do quebra-cabeças da construção do site • Formar uma equipe com as habilidades necessárias para tomar decisões sobre: • tecnologia • projeto do site • políticas sociais e de informação • hardware, software e infraestrutura de telecomunicações • As demandas dos clientes devem direcionar a tecnologia e o projeto do site. slide 39
  • 40. Construindo um site de comércio eletrônico Objetivos empresariais, funcionalidade do sistema e requisitos de informação • As decisões de negócio direcionam a tecnologia — não o contrário. • Exemplo: • Objetivos empresariais: executar uma transação de pagamento. • Funcionalidade do sistema para alcançar esse objetivo: carrinho de compras ou outro sistema de pagamento. • Requisitos de informação: garantia de limpeza dos dados de cartões de crédito, múltiplas opções. slide 40
  • 41. Construindo um site de comércio eletrônico Construindo o site: in-house versus outsourcing • Escolha: • Completamente interno • Construir e hospedar internamente • Responsabilidade mista • Construir internamente, hospedar externamente • Hospedar internamente, construir externamente • Completamente externo • Terceirizar tanto a construção quanto a hospedagem do site • Co-locação slide 41

Notas do Editor

  1. Os alunos participam do comércio eletrônico e amam falar sobre suas experiências. Você pode iniciar a conversa perguntando se alguém na turma comprou algo naquele dia ou no dia anterior. Incentive os alunos a falarem sobre suas experiências positivas e negativas com o comércio eletrônico. Quantos deles já utilizaram o celular para pesquisar ou comprar produtos?
  2. Quantos alunos já trabalharam para uma empresa do ramo “ponto-com”? Algum dos alunos já utilizou o celular para o comércio eletrônico, inclusive para o download de música?
  3. Os alunos podem não conhecer os jogos da Nexon, mas devem estar familiarizados com outros jogos on-line de redes sociais. Pergunte a eles se compreendem o conceito “ freemium ”. Eles conseguem lembrar de outros exemplos de sites “ freemium ”? Peça que pensem em outros negócios que não existiriam sem a Internet.
  4. Este slide discute o conceito de comércio eletrônico e seu estado nos dias de hoje. O texto explica que a história do comércio eletrônico espelha a de outras inovações tecnológicas. O comércio eletrônico é semelhante a quais outras inovações? Os alunos possivelmente não conhecem o início da história do rádio e da TV, mas talvez se lembrem da fita cassete, da fita de vídeo VHS e até mesmo dos CDs que, embora ainda estejam entre nós, sofreram um declínio nas vendas. O livro discute novas tendências no comércio eletrônico. Peça aos alunos que lhe ajudem a montar uma lista de algumas dessas novas tendências do comércio eletrônico.
  5. Este gráfico ilustra o crescimento contínuo do comércio eletrônico. O crescimento da receita do setor aumentou de 15 para 25% ao ano até a recessão de 2008-2009, quando “desacelerou” e passou para apenas 3% em 2009. Essa taxa ainda era muito melhor do que a do varejo tradicional, que diminuiu muito durante a recessão. Em 2010-2011, espera-se que as receitas do comércio eletrônico comecem a crescer novamente a uma taxa anual estimada em 10%.
  6. Este slide discute as razões para o rápido crescimento do comércio eletrônico — por conta da natureza única da Internet e do comércio eletrônico, que é mais rica e poderosa do que as revoluções tecnológicas anteriores, como a do rádio e a da TV. Pergunte aos alunos quais os efeitos das características distintivas listadas neste e nos próximos slides. Ubiquidade : c ria-se um “ marketspace ”; a compra pode ocorrer em qualquer lugar. Aumenta a conveniência para o cliente e os custos de compra são reduzidos. Alcance global : o comércio pode atravessar fronteiras nacionais e culturais harmoniosamente, sem modificações. O marketspace inclui potencialmente bilhões de consumidores e milhões de empresas em todo o mundo. Padrões universais : sistemas computacionais díspares podem se comunicar facilmente uns com os outros. Baixos custos de entrada no mercado — custos a serem pagos pelos comerciantes para levarem seus produtos ao mercado. Custos de busca mais baixos — esforço necessário para que se encontrem produtos adequados. Riqueza : é possível enviar mensagens de texto, áudio e vídeo simultaneamente para um grande número de pessoas. Mensagens de marketing de texto, áudio e vídeo são integradas em uma única mensagem e experiência de consumo.
  7. Este slide continua a discussão sobre as características distintivas da Internet e do comércio eletrônico. Pergunte aos alunos quais os efeitos das quatro características listadas neste e nos próximos slides. Interatividade : o s consumidores envolvem-se em um diálogo que ajusta de modo dinâmico a experiência a cada pessoa. O consumidor se torna um coparticipante no processo de levar produtos até o mercado. Densidade da informação : m aior transparência de preços, maior transparência de custos, permite que os comerciantes pratiquem a discriminação de preços. Personalização/customização : m ensagens personalizadas podem ser entregues tanto a indivíduos quanto a grupos . Produtos e serviços podem ser customizados conforme características individuais. Tecnologia social : n ovos modelos de negócio de Internet social permitem a criação e a distribuição de conteúdos criados por usuários e o suporte a redes sociais.
  8. Este slide apresenta os mercados digitais e discute seus efeitos sobre as maneiras como as empresas conduzem seus negócios. Peça aos alunos que definam os termos listados no slide e expliquem como os mercados digitais criam cada um desses efeitos (menor assimetria de informação etc.). Discuta cada um dos três tipos de custos envolvidos em qualquer mercado digital. Os alunos podem não conhecer esses termos, mas estarão familiarizados com os fenômenos. Todos os alunos reconhecerão, por exemplo, que são necessários tempo e dinheiro para ir até um shopping e encontrar uma camiseta (esse é um preço de busca). Atualmente, a mesma camiseta pode ser comprada pela Web com custos de busca mínimos. Assimetria de informação: quando uma das partes envolvidas em uma transação possui mais informações importantes para o processo do que a outra parte. Custos de busca: esforço para encontrar produtos adequados. Custos de transação: custos de participação em um mercado. Custos de menu: custos de mudança de preços nos quais incorre o comerciante. Discriminação de preços: venda dos mesmos produtos, ou quase os mesmos produtos, para grupos distintos e a preços diferentes. Determinação dinâmica de preços: o preço de um produto varia em função das características da demanda do cliente ou da situação de oferta do vendedor. Desintermediação: remoção das camadas de empresas ou processos de negócios responsáveis por etapas intermediárias na cadeia de valor.
  9. Peça aos alunos que descrevam de que maneira algumas das características distintivas do comércio eletrônico são ilustradas no estudo de caso. Você pode sugerir algumas, como personalização, interatividade, riqueza ou tecnologia social. É legal visitar esses sites durante a aula e destacar seus muitos recursos e a alta qualidade do projeto. Não é nenhuma surpresa que eles sejam tão populares.
  10. Esta figura ilustra como a desintermediação reduz os preços para os consumidores. Ela também permite que os produtores lucrem mais com o produto ao eliminarem a figura do intermediário. Os intermediários são realmente necessários? Pergunte aos alunos quem eles acreditam ocupar o papel de intermediário. O Walmart, por exemplo, é distribuidor e revendedor. Ele ocupa uma função importante? Por que os fabricantes não podem simplesmente ignorar o Walmart e vender diretamente aos consumidores? Embora a desintermediação de mercado pareça uma boa coisa, já que os custos e preços diminuem, a grande maioria dos fabricantes manteve seus padrões e canais de distribuição. Fabricantes como a P&G, por exemplo, ainda precisam do Walmart para vender seus sabonetes.
  11. Este slide dá continuidade à discussão sobre os conceitos-chave no comércio eletrônico, discutindo as mercadorias digitais e como elas se comparam aos produtos tradicionais. Pergunte aos alunos sobre as mudanças ocorridas nos seus hábitos de compra de produtos digitais ao longo dos últimos cinco anos. As mercadorias digitais têm o mesmo valor que seus equivalentes tradicionais? Quais suas vantagens e desvantagens? A música, por exemplo, costumava ser um produto físico (disco ou CD), e não um produto ou serviço digital.
  12. Este slide apresenta as categorias de comércio eletrônico. Os tipos B2C, B2B e C2C são categorizados segundo a natureza dos participantes. A categoria m-commerce baseia-se na natureza da conexão com a Internet. Peça aos alunos que deem exemplos dos diferentes tipos de comércio eletrônico aqui listados. A maioria deles terá dificuldades para exemplificar a categoria B2B. Um site que você pode visitar é o Graiger.com, um dos maiores mercados digitais B2B nos Estados Unidos. Outros exemplos são o Mcmaster.com e o Elemica.com (indústria química).
  13. Este slide continua a discussão sobre os novos modelos de negócios de Internet. Peça aos alunos que deem exemplos desses modelos. Pergunte aos alunos sobre a experiência que têm com cada um dos modelos e peça exemplos. Pergunte de que maneira esses modelos de negócios geram receita. Por exemplo: Provedor de conteúdo — Receita: taxas de acesso, propaganda. Portal — Receita: propaganda. Provedor de serviços — Receita: taxas de assinatura, propaganda.
  14. Este slide e alguns dos próximos discutem novos modelos de negócios que se tornaram viáveis com a Internet e o comércio eletrônico. Embora muitos desses novos modelos sejam exclusivos, outros são virtuais e físicos; em especial, no setor de varejo. Alguns dos novos modelos tiram vantagem dos recursos de comunicação da Internet, como os sites de redes sociais. Pergunte aos alunos quais outros sites se aproveitam das capacidades de comunicação oferecidos pela Internet. Peça aos alunos que diferenciem entre anúncios em banners e anúncios pop-up.
  15. Algum aluno utiliza o Twitter com frequência? Eles pagariam para utilizar o site? Aceitariam propagandas em suas páginas? Em geral, o público do Twitter é mais velho (34 anos, em média), e os adolescentes tendem a utilizar o recurso de mensagens de texto do telefone celular. Essa situação pode estar mudando, entretanto.
  16. A maioria dos alunos conhecerá as tecnologias de redes sociais, mas eles já ouviram falar sobre mercados de previsão? Peça que investiguem esse conceito mais a fundo. Como essas técnicas e esse fenômeno podem ser utilizados pelas empresas? O LinkedIn é a maior rede social de profissionais e empresas na qual os participantes costumam recrutar empregados ou encontrar emprego.
  17. Peça aos alunos que expliquem por que os comerciantes estão começando a analisar o conteúdo de blogs, salas de bate-papo e murais de mensagens. Os alunos já descreveram e avaliaram suas experiências com propagandas em redes sociais, por e-mail ou em outro formato digital?
  18. Esta figura ilustra o funcionamento do rastreamento da cadeia de cliques e o que uma loja pode dizer a respeito das atividades de um comprador em seu site. Existem métricas extensas para diferentes tipos de comportamento, desde o tempo gasto no site até o número de produtos selecionados, postos no carrinho de compras, mas não adquiridos.
  19. Esta figura ilustra alguns dos tipos de personalização que podem ser viabilizados pelo rastreamento da cadeia de cliques. Os alunos acharam úteis as eventuais sugestões recebidas por um site? Você pode visitar a Amazon.com e demonstrar o funcionamento dos sistemas de recomendação. Procure informações sobre um produto e vá ao final da página, onde o sistema de recomendações da loja lhe mostrará o que as outras pessoas que pesquisaram sobre o mesmo produto que você acabaram comprando. O site Netflix também é excelente para demonstrar o funcionamento da personalização.
  20. Qual a opinião dos alunos sobre a maneira como as redes de anúncios seguem os usuários pela Internet? É difícil para qualquer pessoa saber quando está sendo rastreado por uma rede, e ainda mais difícil descobrir como as informações estão sendo utilizadas?
  21. Este slide analisa as mudanças introduzidas pelo comércio eletrônico B2B através das tecnologias da Internet. Observe que a Internet e a tecnologia da Web permitem que as empresas criem novas vitrines eletrônicas para venda para outras empresas com gráficos multimídia e recursos interativos semelhantes aos dos comércios B2C. Como alternativa, as empresas podem recorrer à tecnologia da Internet para criar extranets ou mercados digitais para conexão com outras empresas e realização de transações de compra e venda.
  22. Esta figura mostra como a troca eletrônica de dados (EDI) é utilizada pelas empresas e seus fornecedores para automatizar as transações para ambos os comércios B2B e para o reabastecimento contínuo. A EDI ainda é largamente utilizada, mas possui limitações descritas no livro e não foi projetada para suportar operações de mercados digitais nos quais existem centenas de vendedores e compradores.
  23. Este slide continua a discussão a respeito das mudanças introduzidas no comércio eletrônico B2B através das tecnologias da Internet e da Web. Uma delas é o uso de uma extranet para conexão com os fornecedores da empresa. O texto cita o exemplo do VW Group Supply, que se conecta ao Grupo Volkswagen e seus fornecedores. O VW Group Supply administra 90% de todas as aquisições globais da Volkswagen, incluindo todas as peças e componentes.
  24. Esta figura ilustra uma rede setorial privada e como ela pode conectar fornecedores e distribuidores. As redes setoriais privadas pertencem somente à empresa responsável por sua criação e utilização. Elas são “privadas” e é preciso pedir para fazer parte dela.
  25. Este slide continua a discussão sobre as mudanças introduzidas no comércio eletrônico B2B através das tecnologias da Internet e da Web; nesse caso, a possibilidade de criar e-marketplaces . Peça aos alunos que diferenciem insumos diretos de insumos indiretos e deem exemplos dos mesmos. (Insumos diretos são aqueles usados no processo de produção, tal como uma chapa de aço na produção de um automóvel. Insumos indiretos são todos os outros que não estão diretamente envolvidos no processo de produção, tais como suprimentos de escritório ou produtos para reparo e manutenção.) Peça aos alunos para citarem as diferenças entre e-marketplaces verticais e horizontais.
  26. Este slide ilustra um e-marketplace e as funções que o mesmo pode oferecer aos participantes no gerenciamento de suas transações. O texto cita o exemplo da Exostar, um exemplo de e-marketplace patrocinado com ênfase em contratos de relacionamentos de compras no longo prazo e na oferta de redes e plataformas computacionais comuns para redução de ineficiências na cadeia de abastecimento. Mais de 16 mil parceiros comerciais dos setores público, comercial e militar usam as ferramentas de busca de fornecedores, e-procurement e colaboração da Exostar para insumos diretos e indiretos.
  27. Este slide continua a discussão sobre as mudanças introduzidas no comércio eletrônico B2B através das tecnologias da Internet e da Web, nesse caso, através da possibilidade de criação de bolsas. O texto cita o exemplo da FoodTrader.com, que automatiza compras não programadas do setor alimentício e agrícola dentre compradores e vendedores em mais de 180 países.
  28. Este slide apresenta o m-commerce , o uso dos dispositivos móveis para aquisição de produtos e serviços. O m-commerce é especialmente adequado para serviços e aplicações baseados em localização. Pergunte aos alunos que serviços e aplicações eles utilizam no telefone celular. Algum deles já comprou jogos ou entretenimento? De quais empresas? Eles já utilizaram serviços baseados em localização? Visite o site http://www.wikitude.org/ e explore o Wikitude.me, um serviço de geoetiquetagem.
  29. Esta figura apresenta a onda de crescimento do m-commerce . Nos anos anteriores a 2009, o m-commerce era pequeno nos Estados Unidos e não crescia de forma rápida. Telefones celulares, em especial os smartphones , mudaram essa situação. Algum dos alunos já comprou algo através do celular ou de um laptop? Quantos alunos possuem um smartphone ?
  30. A construção de um site envolve uma série de considerações. Se for um site de comércio eletrônico, as preferências dos consumidores devem direcionar o projeto. O que os clientes estão procurando? Como podem encontrar o que buscam no site? É fácil realizar compras no site? Como será escolhida a tecnologia? E como será a política de informação do site? Do que ela trata? Seus clientes certamente esperam que você saiba.
  31. A construção de um site começa pela compreensão da empresa e procede com a reflexão a respeito de como a tecnologia pode apoiar o negócio.
  32. Uma das decisões mais importantes a ser tomada pelos administradores no comércio eletrônico diz respeito à construção do site. Existem diversas opções. Embora os custos da tecnologia para construção de sites tenha diminuído consideravelmente, os custos de mão de obra também caíram. Atualmente, existem inúmeros , programadores e administradores de rede (embora o mercado de trabalho esteja um pouco mais “apertado” nos Estados Unidos). Quais opções são mais apropriadas para os tipos de empresa a seguir? — Pequena empresa, com poucos empregados. — Um indivíduo com pouca experiência técnica. — Empresa de médio porte, com poucas localizações.