SlideShare uma empresa Scribd logo
Capítulo 11
  Como desenvolver sistemas de informação e
             gerenciar projetos




slide 1
Objetivos de estudo


• Quais os principais passos de resolução de problemas para
  desenvolver novos sistemas de informação?
• Quais os métodos alternativos para construção de sistemas de
  informação?
• Quais as diversas metodologias para modelagem e projeto de
  sistemas?
• Como os sistemas de informação devem ser escolhidos e avaliados?
• Como devem ser gerenciados os projetos de sistemas de informação?
Novo sistema de pedidos para
os biscoitos das Girl Scouts

• Problema: procedimentos manuais ineficientes, alta taxa de erros.


• Soluções: eliminar os procedimentos manuais, planejar um novo
  processo de encomendas e implantar um banco de dados capaz de
  agregar e rastrear pedidos automaticamente e programar as retiradas
  de encomendas.
Novo sistema de pedidos para
os biscoitos das Girl Scouts



• O QuickBase for Corporate Workgroups, da Intuit, aumentou a eficiência
  e reduziu os erros por um valor menor do que as outras opções
  disponíveis.


• Demonstra o papel da TI na atualização de processos de negócios
  tradicionais.


• Ilustra a tecnologia digital como foco no replanejamento e na construção
  de novos sistemas de informação.
Novo sistema de pedidos para
os biscoitos das Girl Scouts
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas


• Novos sistemas de informação são construídos como soluções para
  problemas.
• Quatro etapas para a construção de um sistema de informação:
   • Definição e entendimento do problema.
   • Desenvolvimento de soluções alternativas.
   • Avaliação e escolha de soluções.
   • Implementação da solução.
• As três primeiras etapas são denominadas “análise de sistemas”.
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas

Desenvolvimento de uma solução de sistema de
informação


O desenvolvimento de
uma solução de sistema
de informação baseia-se
no processo de
resolução de problemas.
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas

Definição e entendimento do problema

• O que causou o problema?

• Por que ele ainda ocorre?


• Por que ainda não foi resolvido?


• Quais os objetivos de uma possível solução?


• Requisitos de informação.
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas

Desenvolvimento de soluções alternativas

• Caminhos para a solução são determinados pela análise de sistemas.

• Algumas soluções não requerem um sistema de informação.


• Algumas soluções demandam a modificação de sistemas existentes.


• Algumas soluções demandam novos sistemas.
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas

Avaliação e escolha de soluções

• Questões de viabilidade
    • Estudo da viabilidade.


• Custos e benefícios.
• Vantagens e desvantagens.
• Valor empresarial dos sistemas.
• Administração da mudança.
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas

Implementação da solução

• Projeto de sistemas.

• Finalização da implementação:
   • Seleção e aquisição de hardware.
   • Desenvolvimento e programação de software.
   • Testes.
   • Treinamento e documentação.
   • Conversão.
   • Produção e manutenção.
• Gestão da mudança.
Resolução de problemas e
desenvolvimento de sistemas
Exemplo de plano de teste para o sistema de biscoitos das
Girl Scouts

Ao desenvolver o plano
de teste, é imperativo
incluir as várias
condições testadas, os
requisitos de cada
condição e os
resultados esperados.
Planos de teste
requerem entradas
tanto de usuários finais
quanto de especialistas
em sistemas de
informação.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Ciclo de vida de sistemas tradicional

• Método mais antigo para construção de sistemas de informação.
• Abordagem baseada em fases, com estágios formais.
• Abordagem “em cascata”.
• Divisão formal do trabalho.
• Utilizada na construção de sistemas grandes e complexos.
• Dispendiosa e demorada.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Ciclo de vida de sistemas tradicional


 O ciclo de vida de
 sistemas fragmenta o
 desenvolvimento de
 sistemas em estágios
 formais; cada estágio
 precisa ser finalizado
 antes que o seguinte
 se inicie.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Prototipagem

• O modelo preliminar é construído de forma rápida e sem muitos gastos

• Processo de quatro etapas:
   • Identificação dos requisitos básicos do usuário.
   • Desenvolvimento de um protótipo inicial.
   • Utilização do protótipo.
   • Revisão e aperfeiçoamento do protótipo.


• Especialmente útil no desenho da interface de usuário.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Processo de prototipagem

O processo de desenvolvimento
de um protótipo pode ser
desdobrado em quatro etapas.
Uma vez que é possível
desenvolver um protótipo
rapidamente e sem grandes
custos, os desenvolvedores de
sistemas podem passar por
diversas alterações, repetindo as
etapas 3 e 4 para refiná-lo e
aperfeiçoá-lo antes de chegar ao
protótipo operacional final.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Desenvolvimento pelo usuário final
• O usuário final cria sistemas de informação simples, com pouca ou
  nenhuma assistência de especialistas técnicos.

• Usa linguagens de quarta geração, linguagens gráficas e ferramentas de
  software para PCs para acessar dados, criar relatórios e desenvolver
  sistemas de informação.


• São finalizados muito mais rapidamente do que os feitos com as
  ferramentas convencionais.


• Riscos organizacionais.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Desenvolvimento pelo usuário final

• Permite que os usuários finais criem sistemas de informação simples:

   • Reduz o tempo necessário para produzir uma aplicação acabada.
   • Frequentemente eleva o nível de envolvimento e satisfação do
     usuário com o sistema.
   • Também apresenta riscos organizacionais porque os sistemas são
     criados de modo rápido, sem metodologia formal de
     desenvolvimento, teste e documentação.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Soluções de aquisição: pacotes de software aplicativos e
outsourcing (terceirização)

• Solicitação de proposta.
• Pacotes de softwares aplicativos:
    • Sistemas genéricos para funções universais com processos
      padronizados.
    • Customização.
• Outsourcing:
    • Application service providers (ASPs).
    • Outsourcing internacional.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Custo total do outsourcing internacional




Se uma empresa gastar 10 milhões de dólares em contratos de outsourcing
internacional, essa empresa na verdade gastará 15,2% a mais em custos
extras, mesmo no cenário mais otimista. No cenário mais pessimista, em
que existe queda drástica na produtividade, combinada com custos de
demissão e transição excepcionalmente altos, a empresa pode esperar
desembolsar 57% a mais em custos extras, além dos 10 milhões pagos pelo
contrato internacional.
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Seção interativa: Tecnologia Zimbra dispara com o
Oneview
• Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas:
    • Descreva as etapas do processo de vendas da Zimbra. De que forma
      o antigo sistema de automação de marketing apoiou esse processo?
    • Liste e descreva os requisitos da empresa para um novo pacote de
      software de marketing. Se estivesse preparando uma solicitação de
      proposta para o novo sistema da Zimbra, que perguntas faria?
    • De que forma o novo sistema modificou a maneira como a
      organização gerencia seus negócios? Quão bem-sucedido foi o
      sistema?
Diferentes abordagens de
desenvolvimento de sistemas

Desenvolvimento rápido de aplicações para e-business


• Agilidade e escalabilidade.
• Desenvolvimento rápido de aplicações (RAD):
    • Processo de criar sistemas aptos a funcionar em um espaço muito
      curto de tempo.
• Projeto conjunto de aplicações (JAD):
    • Usuários finais e especialistas em sistemas de informação
      trabalhando juntos no projeto.
Como formatar e projetar
sistemas


• Metodologias estruturadas:
   • Diagrama de fluxo de dados.
   • Especificações de processo.
   • Diagrama de estrutura.


• Desenvolvimento orientado a objetos:
   • Baseado nos conceitos de classe e herança.
   • Desenvolvimento baseado em componentes e serviços da Web.


• Engenharia de software assistida por computador (computer-aided
       software engineering – CASE).
Como formatar e projetar
sistemas

Diagrama de fluxo de dados para o sistema de matrícula em
uma universidade a distância

O sistema tem três
processos: verificar
disponibilidade (1.0),
matricular estudante (2.0) e
confirmar matrícula (3.0). O
nome e o conteúdo de cada
fluxo de dados aparecem
adjacentes a cada seta. Há
uma entidade externa neste
sistema: o estudante. E duas
armazenagens de
informações: o arquivo
mestre de estudantes e o
arquivo de cursos.
Como formatar e projetar
sistemas

Diagrama de estrutura de alto nível para um sistema de folha
de pagamento




Este diagrama mostra o nível mais abstrato, ou mais alto, do projeto de um
sistema de folha de pagamento, dando uma visão geral de todo o sistema.
Como formatar e projetar
sistemas

Classe e herança


Esta figura ilustra
como as classes
herdam as
características
comuns de sua
superclasse.
Como formatar e projetar
sistemas

Desenvolvimento orientado a objetos


• Usa o objeto como a unidade básica da análise e do projeto de sistemas:
    • Classe.
    • Herança.

• Mais interativo e incremental do que o desenvolvimento estruturado
  tradicional.

• Desenvolvimento baseado em componentes:
    • Conjuntos de objetos agrupados em componentes de software.
    • Usado na criação de aplicações comerciais de e-commerce.
Como formatar e projetar
sistemas

Engenharia de software assistida por computador


• Oferece ferramentas de software que automatizam as metodologias que
  acabamos de descrever:
    • Reduz o trabalho repetitivo no desenvolvimento de sistemas.



• Ferramentas CASE facilitam a documentação clara e a coordenação do
  trabalho da equipe de desenvolvimento:
     • Se as ferramentas forem usadas adequadamente, também é possível
       obter um pequeno ganho de produtividade.
Gerência de projetos

Objetivos da gerência de projetos
• Projeto:
    • Série planejada de atividades relacionadas para alcançar um objetivo
      empresarial específico.
• Gerência de projetos:
    • Aplicação de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas de
      modo a alcançar alvos específicos dentro de determinado orçamento
      e com restrições de tempo.
• Escopo.
• Tempo.
• Custo.
• Qualidade.
• Riscos.
Compreensão do valor
empresarial dos sistemas e
administração de mudanças
Seção interativa: Pessoas
A Kaiser Permanente fracassa no projeto de seu Centro de
Transplante de Rins

• Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas:
   • Classifique e descreva os problemas enfrentados pela Kaiser no
     projeto do centro de transplantes. Qual o papel dos sistemas de
     informação e da gestão de informações nesses problemas?
   • Quais os fatores humanos, organizacionais e tecnológicos
     responsáveis por esses problemas?
   • Que medidas você tomaria para aumentar as chances de sucesso do
     projeto?
   • Existiam problemas éticos relacionados ao projeto fracassado?
     Explique.
Gerência de projetos

Escolha de projetos: como montar o estudo de caso
empresarial para o novo sistema

• Determinação de custos e benefícios do projeto:
    • Benefícios tangíveis.
    • Benefícios intangíveis.
    • Métodos de orçamento de capital.


• Plano de sistemas de informação.
• Análise de carteira (portfólio):
    • Modelo de pontuação (scoring).
Gerência de projetos

Portfólio de sistemas

As empresas devem
examinar sua carteira de
projetos em termos de
benefícios potenciais e
riscos prováveis. Certos
tipos de projeto devem
ser totalmente evitados,
e outros, desenvolvidos
rapidamente. Não existe
a fórmula ideal, já que
empresas de diferentes
setores têm perfis
diversos.
Compreensão do valor
empresarial dos sistemas e
administração de mudanças
Gerência de riscos e mudanças relacionadas ao sistema


• Implementação e gestão de mudanças:
    • Implementação.
    • Dificuldade de comunicação usuário-projetista.
• Controlando fatores de risco:
    • Ferramentas formais de planejamento e de controle.
    • Gráficos de Gantt.
    • Diagramas PERT.
    • Software de gerência de projetos.
• Superação da resistência do usuário:
    • Ergonomia.
    • Análise de impacto organizacional.
Gerência de projetos

Gráfico de Gantt




O gráfico de Gantt mostra a tarefa, o número de homens-dia e as iniciais de cada
profissional responsável, bem como as datas de início e término de cada tarefa.
Com o resumo de recursos, um bom gerente consegue ver o total de homens-dia
para cada mês e para cada profissional que trabalha no projeto. O projeto descrito
aqui é um projeto de administração de dados.
Gerência de projetos

Gráfico de Gantt
Gerência de projetos

Gráfico de Gantt
Gerência de projetos

Gráfico PERT

Este é um gráfico PERT simplificado para criação de um site pequeno. Ele
mostra a ordenação das tarefas do projeto e o relacionamento de cada
tarefa com as que a antecedem e sucedem.
Compreensão do valor
empresarial dos sistemas e
administração de mudanças

Gerenciando projetos em escala global

• Os desafios da gerência de projetos para sistemas globais são
  complicados pelo ambiente internacional:
   • Requisitos de informação de usuários, processos de negócios e
     culturas de trabalho diferem de um país a outro.


• Maneiras de convencer os usuários a adotar sistemas globais:
   • Permitir que a unidade de cada país na corporação global seja a
     primeira a desenvolver uma aplicação transnacional em seu território.
   • Desenvolver centros transnacionais de excelência para realizar a
     análise do negócio e do sistema, o projeto e os testes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Banco De Dados
Banco De DadosBanco De Dados
Banco De Dados
Robson Silva Espig
 
Aula-tga-09-matemática
Aula-tga-09-matemáticaAula-tga-09-matemática
Aula-tga-09-matemática
Andre Boavista
 
Aula 1 requisitos
Aula 1   requisitosAula 1   requisitos
Aula 1 requisitos
licardino
 
Apresentação do ERP
Apresentação do ERPApresentação do ERP
Apresentação do ERP
Murilojose10
 
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SOSistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Mauro Duarte
 
GESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA
GESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVAGESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA
GESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA
Pedagogo Santos
 
Plano Diretor de Tecnologia da Informação
Plano Diretor de Tecnologia da InformaçãoPlano Diretor de Tecnologia da Informação
Plano Diretor de Tecnologia da Informação
Helio Rebouças
 
Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)
Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)
Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)
Fernando Pimentel
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas
Modelagem Ágil
Modelagem ÁgilModelagem Ágil
Modelagem Ágil
Felipe Neves Brito
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
veracruzgabriela
 
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Marcus Araújo
 
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Mario Amorim
 
Arvores de problemas
Arvores de problemasArvores de problemas
Arvores de problemas
Marcia Marques
 
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em LibâneoTeorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
R.A Gomes
 
Engenharia Reversa e Reengenharia Software
Engenharia Reversa e Reengenharia SoftwareEngenharia Reversa e Reengenharia Software
Engenharia Reversa e Reengenharia Software
elliando dias
 
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento pptIntrodução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Daniela Barroso
 
Aps lista de exercícios
Aps lista de exercíciosAps lista de exercícios
Aps lista de exercícios
Guilherme
 
Apostila Power BI Udemy.pdf
Apostila Power BI Udemy.pdfApostila Power BI Udemy.pdf
Apostila Power BI Udemy.pdf
JesseFilipe
 
Educação & tecnologia
Educação & tecnologiaEducação & tecnologia
Educação & tecnologia
Izabel Cristina da Silva
 

Mais procurados (20)

Banco De Dados
Banco De DadosBanco De Dados
Banco De Dados
 
Aula-tga-09-matemática
Aula-tga-09-matemáticaAula-tga-09-matemática
Aula-tga-09-matemática
 
Aula 1 requisitos
Aula 1   requisitosAula 1   requisitos
Aula 1 requisitos
 
Apresentação do ERP
Apresentação do ERPApresentação do ERP
Apresentação do ERP
 
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SOSistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
 
GESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA
GESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVAGESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA
GESTÃO ESOLAR DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA
 
Plano Diretor de Tecnologia da Informação
Plano Diretor de Tecnologia da InformaçãoPlano Diretor de Tecnologia da Informação
Plano Diretor de Tecnologia da Informação
 
Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)
Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)
Profissao docente slides_da_2a_unidade (1)
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas
Metodologias ativas
 
Modelagem Ágil
Modelagem ÁgilModelagem Ágil
Modelagem Ágil
 
Planejamento Educacional
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento Educacional
 
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
Sistemas de Informações - Aula 10: Sistemas de Apoio à Decisão (SAD e SAD-G)
 
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
Métodos de Ensino - Texto de Libâneo (1994)
 
Arvores de problemas
Arvores de problemasArvores de problemas
Arvores de problemas
 
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em LibâneoTeorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
 
Engenharia Reversa e Reengenharia Software
Engenharia Reversa e Reengenharia SoftwareEngenharia Reversa e Reengenharia Software
Engenharia Reversa e Reengenharia Software
 
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento pptIntrodução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
Introdução ao ensino superior. estrutura e funcionamento ppt
 
Aps lista de exercícios
Aps lista de exercíciosAps lista de exercícios
Aps lista de exercícios
 
Apostila Power BI Udemy.pdf
Apostila Power BI Udemy.pdfApostila Power BI Udemy.pdf
Apostila Power BI Udemy.pdf
 
Educação & tecnologia
Educação & tecnologiaEducação & tecnologia
Educação & tecnologia
 

Destaque

Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012
Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012
Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012
Jose Aldemir Freire
 
Desenvolvimento de Sistemas de Informação
Desenvolvimento de Sistemas de InformaçãoDesenvolvimento de Sistemas de Informação
Desenvolvimento de Sistemas de Informação
Antonio Dias de Figueiredo
 
Lecture Slides 11 24 08
Lecture Slides 11 24 08Lecture Slides 11 24 08
Lecture Slides 11 24 08
danie158
 
Analise sistemas 02
Analise sistemas 02Analise sistemas 02
Analise sistemas 02
Caroline Raquel Rodrigues
 
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informaçãoCapítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Everton Souza
 
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informaçãoCapítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Everton Souza
 
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informaçãoCapítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Everton Souza
 
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitaisCapítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Everton Souza
 
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Everton Souza
 
Gerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de Sistema
Gerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de SistemaGerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de Sistema
Gerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de Sistema
elliando dias
 
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informaçãoCapítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Everton Souza
 
Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01
Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01
Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01
Leandro Rezende
 
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimentoCapítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Everton Souza
 
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreiraCapitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Everton Souza
 
Aula de desenvolvimento de produtos
Aula de desenvolvimento de produtosAula de desenvolvimento de produtos
Aula de desenvolvimento de produtos
CENNE
 
Apostila banco de dados
Apostila banco de dadosApostila banco de dados
Apostila banco de dados
Elifranio Alves Cruz
 
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Rildo (@rildosan) Santos
 
Sistemas da Informação - Etica
Sistemas da Informação - EticaSistemas da Informação - Etica
Sistemas da Informação - Etica
Universal.org.mx
 
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSAula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Ghiordanno Bruno
 

Destaque (19)

Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012
Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012
Economia brasileira-em-perspectiva-14 ed.especialfev2012
 
Desenvolvimento de Sistemas de Informação
Desenvolvimento de Sistemas de InformaçãoDesenvolvimento de Sistemas de Informação
Desenvolvimento de Sistemas de Informação
 
Lecture Slides 11 24 08
Lecture Slides 11 24 08Lecture Slides 11 24 08
Lecture Slides 11 24 08
 
Analise sistemas 02
Analise sistemas 02Analise sistemas 02
Analise sistemas 02
 
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informaçãoCapítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
Capítulo 07 - Segurança em sistemas de informação
 
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informaçãoCapítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
Capítulo 03 - Conquistando vantagem competitiva com os sistemas de informação
 
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informaçãoCapítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
Capítulo 12 - Questões éticas e sociais em sistemas de informação
 
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitaisCapítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
Capítulo 09 - Comércio eletrônico: mercados digitais, mercadorias digitais
 
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
Capítulo 08 - Conquistando excelência operacional e intimidade com o cliente:...
 
Gerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de Sistema
Gerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de SistemaGerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de Sistema
Gerenciamento de Projeto para Desenvolvimento de Sistema
 
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informaçãoCapítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
Capítulo 04 - Infraestrutura de tecnologia da informação
 
Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01
Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01
Sistemas de Informações Gerenciais - Aula 01
 
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimentoCapítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
Capítulo 10 - Como melhorar a tomada de decisão e a gestão do conhecimento
 
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreiraCapitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
Capitulo 01 - Os sistemas de informação empresariais na sua carreira
 
Aula de desenvolvimento de produtos
Aula de desenvolvimento de produtosAula de desenvolvimento de produtos
Aula de desenvolvimento de produtos
 
Apostila banco de dados
Apostila banco de dadosApostila banco de dados
Apostila banco de dados
 
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
Como demonstrar ROI das entregas de valor com Business Case
 
Sistemas da Informação - Etica
Sistemas da Informação - EticaSistemas da Informação - Etica
Sistemas da Informação - Etica
 
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSAula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
 

Semelhante a Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos

2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
Pedro Alcantara
 
aula01-aulainicial-160805044212.pptx yyy
aula01-aulainicial-160805044212.pptx yyyaula01-aulainicial-160805044212.pptx yyy
aula01-aulainicial-160805044212.pptx yyy
JoefersonDelfino2
 
Modelagem de Sistemas de Informação 03
Modelagem de Sistemas de Informação 03Modelagem de Sistemas de Informação 03
Modelagem de Sistemas de Informação 03
Danielle Ballester, PMP,PSM,SFC,SDC,SMC,SPOC,SCT
 
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01
Danielle Ballester, PMP,PSM,SFC,SDC,SMC,SPOC,SCT
 
Introdução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UMLIntrodução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UML
Natanael Simões
 
O_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdf
O_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdfO_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdf
O_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdf
Athena542429
 
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
Metodologia  de desenvolvimento de sistemasMetodologia  de desenvolvimento de sistemas
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
Priscila Stuani
 
Conceito de analise de desenvolvivento de sistemas
Conceito de analise de desenvolvivento de sistemasConceito de analise de desenvolvivento de sistemas
Conceito de analise de desenvolvivento de sistemas
luanrjesus
 
Engenharia de software i 3 - processos de engenharia de requisitos
Engenharia de software i   3 - processos de engenharia de requisitosEngenharia de software i   3 - processos de engenharia de requisitos
Engenharia de software i 3 - processos de engenharia de requisitos
Willian Moreira Figueiredo de Souza
 
Modelagem de Sistemas de Informação 01
Modelagem de Sistemas de Informação 01Modelagem de Sistemas de Informação 01
Modelagem de Sistemas de Informação 01
Danielle Ballester, PMP,PSM,SFC,SDC,SMC,SPOC,SCT
 
Engenharia informática
Engenharia informáticaEngenharia informática
Engenharia informática
LeYa
 
Análise, projeto e implementação de sistemas
Análise, projeto e implementação de sistemasAnálise, projeto e implementação de sistemas
Análise, projeto e implementação de sistemas
Diego Marek
 
Seminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO II
Seminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO IISeminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO II
Seminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO II
Dheimyson Carlos Sousa Silva
 
Processo e Processo de Software
Processo e Processo de SoftwareProcesso e Processo de Software
Processo e Processo de Software
Elaine Cecília Gatto
 
aula7 software ciclo de vida analise req
aula7 software ciclo de vida analise reqaula7 software ciclo de vida analise req
aula7 software ciclo de vida analise req
patriciaalipiosilva
 
Aula 7 - Ciclo de vida do software.pptx
Aula 7 - Ciclo de vida do software.pptxAula 7 - Ciclo de vida do software.pptx
Aula 7 - Ciclo de vida do software.pptx
AlexandreLisboadaSil
 
Reprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informaçãoReprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informação
Marcelo Carvalho
 
Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2
Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2
Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2
Urique Hoffmann
 
Este trabalho trata
Este trabalho trataEste trabalho trata
Este trabalho trata
Roni Reis
 
Sistema da informacao
Sistema da informacaoSistema da informacao
Sistema da informacao
paulocsm
 

Semelhante a Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos (20)

2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
2. FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 22.06.22.pdf
 
aula01-aulainicial-160805044212.pptx yyy
aula01-aulainicial-160805044212.pptx yyyaula01-aulainicial-160805044212.pptx yyy
aula01-aulainicial-160805044212.pptx yyy
 
Modelagem de Sistemas de Informação 03
Modelagem de Sistemas de Informação 03Modelagem de Sistemas de Informação 03
Modelagem de Sistemas de Informação 03
 
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01
Análise de Sistemas Orientado a Objetos - 01
 
Introdução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UMLIntrodução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UML
 
O_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdf
O_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdfO_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdf
O_Ciclo_de_Vida_do_Desenvolvimento_de_Sistemas.pdf
 
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
Metodologia  de desenvolvimento de sistemasMetodologia  de desenvolvimento de sistemas
Metodologia de desenvolvimento de sistemas
 
Conceito de analise de desenvolvivento de sistemas
Conceito de analise de desenvolvivento de sistemasConceito de analise de desenvolvivento de sistemas
Conceito de analise de desenvolvivento de sistemas
 
Engenharia de software i 3 - processos de engenharia de requisitos
Engenharia de software i   3 - processos de engenharia de requisitosEngenharia de software i   3 - processos de engenharia de requisitos
Engenharia de software i 3 - processos de engenharia de requisitos
 
Modelagem de Sistemas de Informação 01
Modelagem de Sistemas de Informação 01Modelagem de Sistemas de Informação 01
Modelagem de Sistemas de Informação 01
 
Engenharia informática
Engenharia informáticaEngenharia informática
Engenharia informática
 
Análise, projeto e implementação de sistemas
Análise, projeto e implementação de sistemasAnálise, projeto e implementação de sistemas
Análise, projeto e implementação de sistemas
 
Seminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO II
Seminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO IISeminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO II
Seminários V - Ads -UNOPAR ARAGUAINA,TO - POLO II
 
Processo e Processo de Software
Processo e Processo de SoftwareProcesso e Processo de Software
Processo e Processo de Software
 
aula7 software ciclo de vida analise req
aula7 software ciclo de vida analise reqaula7 software ciclo de vida analise req
aula7 software ciclo de vida analise req
 
Aula 7 - Ciclo de vida do software.pptx
Aula 7 - Ciclo de vida do software.pptxAula 7 - Ciclo de vida do software.pptx
Aula 7 - Ciclo de vida do software.pptx
 
Reprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informaçãoReprojeto da organização com sistemas de informação
Reprojeto da organização com sistemas de informação
 
Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2
Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2
Projeto de Software - PIC Eletrônico - Gerência de Projetos UFAM 2012/2
 
Este trabalho trata
Este trabalho trataEste trabalho trata
Este trabalho trata
 
Sistema da informacao
Sistema da informacaoSistema da informacao
Sistema da informacao
 

Último

IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 

Último (20)

IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 

Capítulo 11 - Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos

  • 1. Capítulo 11 Como desenvolver sistemas de informação e gerenciar projetos slide 1
  • 2. Objetivos de estudo • Quais os principais passos de resolução de problemas para desenvolver novos sistemas de informação? • Quais os métodos alternativos para construção de sistemas de informação? • Quais as diversas metodologias para modelagem e projeto de sistemas? • Como os sistemas de informação devem ser escolhidos e avaliados? • Como devem ser gerenciados os projetos de sistemas de informação?
  • 3. Novo sistema de pedidos para os biscoitos das Girl Scouts • Problema: procedimentos manuais ineficientes, alta taxa de erros. • Soluções: eliminar os procedimentos manuais, planejar um novo processo de encomendas e implantar um banco de dados capaz de agregar e rastrear pedidos automaticamente e programar as retiradas de encomendas.
  • 4. Novo sistema de pedidos para os biscoitos das Girl Scouts • O QuickBase for Corporate Workgroups, da Intuit, aumentou a eficiência e reduziu os erros por um valor menor do que as outras opções disponíveis. • Demonstra o papel da TI na atualização de processos de negócios tradicionais. • Ilustra a tecnologia digital como foco no replanejamento e na construção de novos sistemas de informação.
  • 5. Novo sistema de pedidos para os biscoitos das Girl Scouts
  • 6. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas • Novos sistemas de informação são construídos como soluções para problemas. • Quatro etapas para a construção de um sistema de informação: • Definição e entendimento do problema. • Desenvolvimento de soluções alternativas. • Avaliação e escolha de soluções. • Implementação da solução. • As três primeiras etapas são denominadas “análise de sistemas”.
  • 7. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas Desenvolvimento de uma solução de sistema de informação O desenvolvimento de uma solução de sistema de informação baseia-se no processo de resolução de problemas.
  • 8. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas Definição e entendimento do problema • O que causou o problema? • Por que ele ainda ocorre? • Por que ainda não foi resolvido? • Quais os objetivos de uma possível solução? • Requisitos de informação.
  • 9. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas Desenvolvimento de soluções alternativas • Caminhos para a solução são determinados pela análise de sistemas. • Algumas soluções não requerem um sistema de informação. • Algumas soluções demandam a modificação de sistemas existentes. • Algumas soluções demandam novos sistemas.
  • 10. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas Avaliação e escolha de soluções • Questões de viabilidade • Estudo da viabilidade. • Custos e benefícios. • Vantagens e desvantagens. • Valor empresarial dos sistemas. • Administração da mudança.
  • 11. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas Implementação da solução • Projeto de sistemas. • Finalização da implementação: • Seleção e aquisição de hardware. • Desenvolvimento e programação de software. • Testes. • Treinamento e documentação. • Conversão. • Produção e manutenção. • Gestão da mudança.
  • 12. Resolução de problemas e desenvolvimento de sistemas Exemplo de plano de teste para o sistema de biscoitos das Girl Scouts Ao desenvolver o plano de teste, é imperativo incluir as várias condições testadas, os requisitos de cada condição e os resultados esperados. Planos de teste requerem entradas tanto de usuários finais quanto de especialistas em sistemas de informação.
  • 13. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Ciclo de vida de sistemas tradicional • Método mais antigo para construção de sistemas de informação. • Abordagem baseada em fases, com estágios formais. • Abordagem “em cascata”. • Divisão formal do trabalho. • Utilizada na construção de sistemas grandes e complexos. • Dispendiosa e demorada.
  • 14. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Ciclo de vida de sistemas tradicional O ciclo de vida de sistemas fragmenta o desenvolvimento de sistemas em estágios formais; cada estágio precisa ser finalizado antes que o seguinte se inicie.
  • 15. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Prototipagem • O modelo preliminar é construído de forma rápida e sem muitos gastos • Processo de quatro etapas: • Identificação dos requisitos básicos do usuário. • Desenvolvimento de um protótipo inicial. • Utilização do protótipo. • Revisão e aperfeiçoamento do protótipo. • Especialmente útil no desenho da interface de usuário.
  • 16. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Processo de prototipagem O processo de desenvolvimento de um protótipo pode ser desdobrado em quatro etapas. Uma vez que é possível desenvolver um protótipo rapidamente e sem grandes custos, os desenvolvedores de sistemas podem passar por diversas alterações, repetindo as etapas 3 e 4 para refiná-lo e aperfeiçoá-lo antes de chegar ao protótipo operacional final.
  • 17. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Desenvolvimento pelo usuário final • O usuário final cria sistemas de informação simples, com pouca ou nenhuma assistência de especialistas técnicos. • Usa linguagens de quarta geração, linguagens gráficas e ferramentas de software para PCs para acessar dados, criar relatórios e desenvolver sistemas de informação. • São finalizados muito mais rapidamente do que os feitos com as ferramentas convencionais. • Riscos organizacionais.
  • 18. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Desenvolvimento pelo usuário final • Permite que os usuários finais criem sistemas de informação simples: • Reduz o tempo necessário para produzir uma aplicação acabada. • Frequentemente eleva o nível de envolvimento e satisfação do usuário com o sistema. • Também apresenta riscos organizacionais porque os sistemas são criados de modo rápido, sem metodologia formal de desenvolvimento, teste e documentação.
  • 19. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Soluções de aquisição: pacotes de software aplicativos e outsourcing (terceirização) • Solicitação de proposta. • Pacotes de softwares aplicativos: • Sistemas genéricos para funções universais com processos padronizados. • Customização. • Outsourcing: • Application service providers (ASPs). • Outsourcing internacional.
  • 20. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Custo total do outsourcing internacional Se uma empresa gastar 10 milhões de dólares em contratos de outsourcing internacional, essa empresa na verdade gastará 15,2% a mais em custos extras, mesmo no cenário mais otimista. No cenário mais pessimista, em que existe queda drástica na produtividade, combinada com custos de demissão e transição excepcionalmente altos, a empresa pode esperar desembolsar 57% a mais em custos extras, além dos 10 milhões pagos pelo contrato internacional.
  • 21. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Seção interativa: Tecnologia Zimbra dispara com o Oneview • Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas: • Descreva as etapas do processo de vendas da Zimbra. De que forma o antigo sistema de automação de marketing apoiou esse processo? • Liste e descreva os requisitos da empresa para um novo pacote de software de marketing. Se estivesse preparando uma solicitação de proposta para o novo sistema da Zimbra, que perguntas faria? • De que forma o novo sistema modificou a maneira como a organização gerencia seus negócios? Quão bem-sucedido foi o sistema?
  • 22. Diferentes abordagens de desenvolvimento de sistemas Desenvolvimento rápido de aplicações para e-business • Agilidade e escalabilidade. • Desenvolvimento rápido de aplicações (RAD): • Processo de criar sistemas aptos a funcionar em um espaço muito curto de tempo. • Projeto conjunto de aplicações (JAD): • Usuários finais e especialistas em sistemas de informação trabalhando juntos no projeto.
  • 23. Como formatar e projetar sistemas • Metodologias estruturadas: • Diagrama de fluxo de dados. • Especificações de processo. • Diagrama de estrutura. • Desenvolvimento orientado a objetos: • Baseado nos conceitos de classe e herança. • Desenvolvimento baseado em componentes e serviços da Web. • Engenharia de software assistida por computador (computer-aided software engineering – CASE).
  • 24. Como formatar e projetar sistemas Diagrama de fluxo de dados para o sistema de matrícula em uma universidade a distância O sistema tem três processos: verificar disponibilidade (1.0), matricular estudante (2.0) e confirmar matrícula (3.0). O nome e o conteúdo de cada fluxo de dados aparecem adjacentes a cada seta. Há uma entidade externa neste sistema: o estudante. E duas armazenagens de informações: o arquivo mestre de estudantes e o arquivo de cursos.
  • 25. Como formatar e projetar sistemas Diagrama de estrutura de alto nível para um sistema de folha de pagamento Este diagrama mostra o nível mais abstrato, ou mais alto, do projeto de um sistema de folha de pagamento, dando uma visão geral de todo o sistema.
  • 26. Como formatar e projetar sistemas Classe e herança Esta figura ilustra como as classes herdam as características comuns de sua superclasse.
  • 27. Como formatar e projetar sistemas Desenvolvimento orientado a objetos • Usa o objeto como a unidade básica da análise e do projeto de sistemas: • Classe. • Herança. • Mais interativo e incremental do que o desenvolvimento estruturado tradicional. • Desenvolvimento baseado em componentes: • Conjuntos de objetos agrupados em componentes de software. • Usado na criação de aplicações comerciais de e-commerce.
  • 28. Como formatar e projetar sistemas Engenharia de software assistida por computador • Oferece ferramentas de software que automatizam as metodologias que acabamos de descrever: • Reduz o trabalho repetitivo no desenvolvimento de sistemas. • Ferramentas CASE facilitam a documentação clara e a coordenação do trabalho da equipe de desenvolvimento: • Se as ferramentas forem usadas adequadamente, também é possível obter um pequeno ganho de produtividade.
  • 29. Gerência de projetos Objetivos da gerência de projetos • Projeto: • Série planejada de atividades relacionadas para alcançar um objetivo empresarial específico. • Gerência de projetos: • Aplicação de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas de modo a alcançar alvos específicos dentro de determinado orçamento e com restrições de tempo. • Escopo. • Tempo. • Custo. • Qualidade. • Riscos.
  • 30. Compreensão do valor empresarial dos sistemas e administração de mudanças Seção interativa: Pessoas A Kaiser Permanente fracassa no projeto de seu Centro de Transplante de Rins • Leia a Seção interativa e responda às seguintes perguntas: • Classifique e descreva os problemas enfrentados pela Kaiser no projeto do centro de transplantes. Qual o papel dos sistemas de informação e da gestão de informações nesses problemas? • Quais os fatores humanos, organizacionais e tecnológicos responsáveis por esses problemas? • Que medidas você tomaria para aumentar as chances de sucesso do projeto? • Existiam problemas éticos relacionados ao projeto fracassado? Explique.
  • 31. Gerência de projetos Escolha de projetos: como montar o estudo de caso empresarial para o novo sistema • Determinação de custos e benefícios do projeto: • Benefícios tangíveis. • Benefícios intangíveis. • Métodos de orçamento de capital. • Plano de sistemas de informação. • Análise de carteira (portfólio): • Modelo de pontuação (scoring).
  • 32. Gerência de projetos Portfólio de sistemas As empresas devem examinar sua carteira de projetos em termos de benefícios potenciais e riscos prováveis. Certos tipos de projeto devem ser totalmente evitados, e outros, desenvolvidos rapidamente. Não existe a fórmula ideal, já que empresas de diferentes setores têm perfis diversos.
  • 33. Compreensão do valor empresarial dos sistemas e administração de mudanças Gerência de riscos e mudanças relacionadas ao sistema • Implementação e gestão de mudanças: • Implementação. • Dificuldade de comunicação usuário-projetista. • Controlando fatores de risco: • Ferramentas formais de planejamento e de controle. • Gráficos de Gantt. • Diagramas PERT. • Software de gerência de projetos. • Superação da resistência do usuário: • Ergonomia. • Análise de impacto organizacional.
  • 34. Gerência de projetos Gráfico de Gantt O gráfico de Gantt mostra a tarefa, o número de homens-dia e as iniciais de cada profissional responsável, bem como as datas de início e término de cada tarefa. Com o resumo de recursos, um bom gerente consegue ver o total de homens-dia para cada mês e para cada profissional que trabalha no projeto. O projeto descrito aqui é um projeto de administração de dados.
  • 37. Gerência de projetos Gráfico PERT Este é um gráfico PERT simplificado para criação de um site pequeno. Ele mostra a ordenação das tarefas do projeto e o relacionamento de cada tarefa com as que a antecedem e sucedem.
  • 38. Compreensão do valor empresarial dos sistemas e administração de mudanças Gerenciando projetos em escala global • Os desafios da gerência de projetos para sistemas globais são complicados pelo ambiente internacional: • Requisitos de informação de usuários, processos de negócios e culturas de trabalho diferem de um país a outro. • Maneiras de convencer os usuários a adotar sistemas globais: • Permitir que a unidade de cada país na corporação global seja a primeira a desenvolver uma aplicação transnacional em seu território. • Desenvolver centros transnacionais de excelência para realizar a análise do negócio e do sistema, o projeto e os testes.