SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 135
Baixar para ler offline
DITADURA MILITAR
1964 – 1985
1. Introdução
o O golpe militar de 31/03/64 pôs fim ao período
populista e iniciou os “anos de chumbo”, marcados
por violência, censura e repressão.
o Promessas: salvar o Brasil do Comunismo, do caos
econômico e social e em nome da democracia e da
liberdade, os militares tomaram o Estado.
o Em nome da Segurança Nacional, foram mantidas
algumas instituições democráticas, criando – se
um Estado de exceção.
DITADURA:
Forma de governo de exceção, baseada
na força e no autoritarismo. O grupo ou a
pessoa que assume o poder passa
a ditar as regras do jogo político.
A liberdade e os direitos individuais
são suprimidos e há uso e abuso de
repressão, violência, censura e
manipulação ideológica.
2. Golpe militar de 31/03/1964
o Diante do caos econômico e social, o governo
Jango propôs as Reformas de Base com medidas
consideradas comunistas, contrariando os setores
conservadores e os EUA.
o O governo Jango adotava um caminho nacionalista
opondo – se às “multis” e aos capitais estrangeiros.
o Temendo que o regime cubano se espalhasse pela
América Latina, prometendo salvar o Brasil do caos
econômico e social e do comunismo, os militares
acabaram com a democracia e tomaram o poder.
DITADURA
MILITAR
(1964 – 1985)
Apoio e expectativas:
o Os conservadores (empresários, fazendeiros,
militares, multinacionais) e o governo dos EUA
apoiaram o golpe esperando obter vantagens
políticas e econômicas.
o Com a Guerra Fria, o medo do comunismo e a
crise do populismo, os militares usaram a Doutrina
da Segurança Nacional, pretexto para violência e
arbitrariedades.
Militares divididos:
Pombos
o Defendiam a necessidade de impor ordem ao caos
e rapidamente devolver o poder aos civis.
Falcões
o A “revolução” não teria preço nem prazo.
o Usariam a força se preciso.
o Permaneceriam no poder enquanto necessário.
3. Marechal Castelo Branco (1964 – 1967)
Pombos (moderados) no poder:
o O Supremo Comando da Revolução assumiu o
controle do Estado.
AI – 1 (09/04/64 a 09/10/64):
o Cassar mandatos, suspender direitos, aposentar
funcionários, decretar estado de sítio.
o Previsão de eleições diretas em outubro/1965.
o Eleição indireta de Castelo Branco.
Atos Institucionais (Ais)
o Decretos autoritários que davam poderes
absolutos ao Presidente, independentemente de
leis, tribunais e Constituição.
o Durante o regime militar foram 17 AIs e os mais
importantes foram: AI – 1, AI – 2 e AI – 5.
o Além dos Ais, mais de 70 atos complementares
reforçaram o poder do Presidente e da Ditadura
Militar.
Primeiras medidas:
o Cassação de políticos (Jango, Jânio, Brizola, etc).
o Demissão de funcionários públicos.
o Intervenção: sindicatos, UNE, ligas camponesas.
o Comprometimento com o antigo governo levava a
perseguição e punição.
o O SNI (Serviço Nacional de Informação) fazia a
espionagem em nome da “segurança nacional”.
Apesar de moderado (pombo), Castelo Branco nomeou vários membros da linha dura (falcões),
que defendiam a Revolução sem preço e sem prazo. O regime foi endurecendo as ações,
perseguindo, prendendo, cassando, demitindo, inclusive militares descontentes.
A ditadura provocou resistências que eram sufocadas com violência.
Para manter a lei e a ordem, militares espancavam e prendiam
“maus brasileiros” que insistiam em protestar contra o autoritarismo.
Linha dura no poder
o Nas eleições estaduais de 1965, a oposição venceu em 02
estados (Minas Gerais e Guanabara).
o Votar contra o governo era imperdoável.
AI – 2 (27/10/1965)
o Fim do pluripartidarismo criação do bipartidarismo.
o Nascem a ARENA (situação) e o MDB (oposição).
o Eleições indiretas para Presidente da República.
o Tribunais militares julgavam crimes contra a segurança
nacional.
o Poderes absolutos ao Presidente da República.
Mudanças políticas
o O governo militar não gostou de perder a eleição
nos Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro.
o Através do AI – 3 impôs eleições indiretas para
governador.
o Eleições indiretas eram, na prática, nomeações de
aliados a Presidente e Governador Estadual.
o O Congresso Nacional e as Assembleias Estaduais
apenas confirmavam.
AI – 4 (Dezembro 1966) – Nova Constituição
o República Federativa Presidencialista.
o Eleições indiretas: Presidente, Vice e Governador.
Poderes do Presidente da República:
o Decretar estado de sítio por 180 dias.
o Intervenção federal para evitar “perturbações”.
o Decretar recesso (fechamento) do Congresso.
o Governar por decretos (AIs).
o Cassar mandatos e suspender direitos políticos.
Estado de sítio
o Estado de sítio é um estado de exceção,
instaurado como uma medida provisória de
proteção do Estado, quando este está sob uma
determinada ameaça, como uma guerra ou uma
calamidade pública.
o Esta situação de exceção tem semelhanças com o
estado de emergência, porque também determina
a suspensão do exercício dos direitos, liberdades e
garantias.
Política econômica:
o Heranças de Jango: inflação, dívida externa alta,
recessão, subdesenvolvimento, atraso tecnológico.
o Desenvolvimento associado: capitais estrangeiros
(apoio do FMI), capitais nacionais e intervenção do
Estado na economia.
o Reformas: administrativa, bancária, tributária e
agrária (PAEG), Banco Central, SUMOC e o cruzeiro novo.
o Tecnocratas e suas medidas: elevação da dívida
externa, restrições no crédito e arrocho salarial.
Política social e trabalhista:
o Aprovação do Estatuto da Terra e criação do IBRA
(Instituto Brasileiro de Reforma Agrária), visando
facilitar acesso à terra e reduzir tensões no campo.
o A criação do FGTS eliminou a estabilidade no
emprego, aumentos salariais a cargo do Executivo.
o O INPS unificou a previdência social.
Castelo Branco reformou instituições militares, criou ministérios
e restabeleceu a ordem interna. integrou o Brasil nas
telecomunicações com satélites e a Embratel. Seu último ato foi
a Lei de Segurança Nacional. Morreu em 18/07/1967.
Otávio Gouveia de Bulhões Neto
(Ministro da Fazenda – 1964/1967)
Roberto de Oliveira Campos
(Ministro do Planejamento – 1964/1967)
4. Marechal Costa e Silva (1967 – 1969)
Falcões (linha dura) no poder:
o Militares linha dura e nacionalistas defendiam um
governo forte contra o moderado Castelo Branco.
Oposição e Frente Ampla
o A oposição ao regime reorganizou – se com apoio
da UNE (movimento estudantil), da Igreja Católica
(ala progressista) e de políticos que exigiam a
redemocratização do país (Lacerda, JK, Jango).
Os militares consideravam a UNE um
antro de comunistas. Símbolo do
movimento estudantil, foi fundamental na
oposição à Ditadura Militar.
Passeata dos cem mil (26/06/1968)
o A Frente Ampla no Congresso foi extinta.
o Denúncias sobre penetração abusiva de capitais
estrangeiros, CPIs, favorecimento à TV Globo que
recebeu US$ 2.800 milhões do grupo Time Life.
o Crescimento do movimento estudantil.
o Em março de 1968 a polícia matou o estudante
Edson Luís, acirrando as tensões.
o A situação levou à passeata dos cem mil.
Endurecimento do regime
o Costa e Silva ampliou os poderes do Conselho de
Segurança Nacional.
o Denúncias que o Para – Sar da Fab sequestrava e
jogava opositores no mar.
Operação Condor
o Ditadores de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e
Chile em parceria para reprimir e assassinar
opositores (“voos da morte”).
“Meu pai não fuzilou pessoas. Aqueles que ele mandou
matar não eram seres humanos, eram animais.”
(Filho do ditador chileno Pinochet)
AI – 5 (símbolo da ditadura militar) – (1968 – 1979)
o O Deputado Federal Moreira Alves propôs o
boicote às celebrações de 07 de Setembro.
o Irritado, Costa e Silva solicitou permissão para
processa – lo que, ao ser negada, levou ao AI – 5.
AI – 5 (Ato Institucional nº 5)
Dava poderes ao Presidente para:
o Fechar Congresso, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais.
o Intervir em estados e municípios.
o Suspender direitos políticos (habeas – corpus) e cassar mandatos.
o Decretar Estado de Sítio por tempo ilimitado.
o Demitir ou aposentar funcionários públicos e juízes.
Legitimação da Ditadura
O AI – 5, os outros AIs e vários atos complementares
legitimaram um autoritarismo cruel e absurdo.
Mesmo que alguém tivesse provas de sua inocência,
ficava proibido de apresenta – las. Perseguido, era
demitido e impedido de exercer sua profissão.
Decreto secreto: Decretava – se uma lei com regras
que só o Presidente e os ministros sabiam,
“legalizando” qualquer tipo de punição.
Contracultura
o Foi a profunda crítica ao sistema capitalista e aos
padrões de consumo desenfreado. Os jovens que
integraram esse movimento de contestação aos
valores morais e estéticos da sociedade global.
o Promoviam revoluções em seus modos de vestir:
suas roupas e penteados tornavam – se símbolos
desse universo paralelo que eles elaboraram para
romper com os modismos capitalistas das elites.
5. Movimentos culturais dos anos 1960
Festivais de MPB (TV Excelsior e TV Record)
o Concursos de músicas transmitidos pela TV nos
anos 60 que revelaram grandes compositores e
interpretes da nossa música: Elis Regina, Chico
Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Geraldo
Vandré, Jair Rodrigues, Nara Leão.
o Apesar da vigilância, repressão e perseguição, nas
áreas ligadas à cultura, principalmente na música,
ocorreram formas de protestos contra o regime
militar.
Pra não dizer que não falei das flores
(Geraldo Vandré)
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição
De morrer pela pátria
E viver sem razão
Apesar de Você (Chico Buarque)
Hoje você é quem manda, falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou esse estado
E inventou de inventar toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar
Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Contestação no Teatro
o O Teatro torna – se ferramenta política, usado
como veículo de protesto contra o contexto político
e social do país.
o As peças apresentam conteúdos de crítica: Eles
não usam Black Tie, de Gianfrancesco Guarnieri.
o José Celso Martinez Correa dirige Roda Viva de
Chico Buarque, que também compôs a famosa
trilha sonora.
Tropicália ou Tropicalismo (anos 1960)
o Influência das correntes artísticas de vanguarda e
da cultura pop nacional e estrangeira e misturou
manifestações tradicionais da cultura brasileira a
inovações estéticas radicais.
o Manifestou-se principalmente na música (Caetano
Veloso, Gilberto Gil, Mutantes e Tom Zé).
o Manifestações diversas: artes plásticas Hélio Oiticica,
influências do Cinema novo de Glauber Rocha e
o teatro (peças anárquicas de José Celso Martinez).
o O maior exemplo do movimento tropicalista foi uma
das canções de Caetano Veloso, "Tropicália”.
Características:
o Letras inovadoras, linguagem e a poesia dos concretistas.
"Alegria, Alegria“ traz preocupações da juventude dos anos 60, a
violência da ditadura e o desejo de inovar e de romper barreiras.
o Roupas coloridas, cabelos compridos, várias influências musicais e a
intenção de chocar por performances caracterizadas pela violência
estética, contra a MPB comportada.
o Influencia da contracultura, linguagem da paródia e do deboche, os
tropicalistas transformaram a MPB, influenciando até na moda, sendo
grandes expoentes da arte brasileira de vanguarda.
o O tropicalismo misturava brega, rock psicodélico, música erudita, cultura
popular, entre outros. A guitarra convivia com violinos berimbau. Resgate
do movimento antropofágico aliado às raízes das tradições nacionais.
Jovem Guarda
o Movimento cultural surgido na década de 1960, que mesclava
música, comportamento e moda.
o Surgiu a partir de um programa da TV Record, apresentado por
Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa.
o A Jovem Guarda mudou a linguagem musical e comportamental e
sua alegria e descontração fizeram dela um fenômenos nacional.
o Sua principal influência era o rock dos anos 50/60 e início.
o Grande parte de suas letras tinham temáticas amorosas,
adolescentes e açucaradas, algumas das quais, versões de hits do
rock britânico e norte-americanos da época (Beatles).
o A Jovem Guarda foi o primeiro movimento musical que pôs
a música brasileira em sintonia com o fenômeno internacional
do rock da época, catalisado especialmente pelos Beatles.
6. General Médici (1969 – 1974)
Linha dura e radicalização política
o Com o enfraquecimento de Costa e Silva, uma
junta militar, composta por três ministros militares,
impediu a posse do vice e assumiu o poder.
o O AI – 5 foi mantido e uma nova Lei de Segurança
Nacional endureceram ainda mais o regime.
o O Congresso foi reaberto para dar posse a Médici
(ex chefe do SNI) em 30/10/1969.
Emenda nº 1 à Constituição de 1967
o Mandato presidencial de 05 anos.
o Confirmação dos atos anteriores.
o Eleições indiretas para governador em 1970.
o Pena de morte em caso de subversão.
o Número de deputados de acordo com eleitores.
o Ampliação dos poderes do Executivo.
o Limitação dos poderes do Judiciário.
Terrorismo e luta armada
Guerra civil: direita X esquerda:
o Grupos de militantes de esquerda se organizaram
e partiram para a luta armada contra a Ditadura
Militar: PCdoB (Partido Comunista do Brasil), MNR
(Movimento Nacionalista Revolucionário), MRT
(Movimento Revolucionário Tiradentes), ALN
(Aliança Libertadora Nacional), VPR (Vanguarda
Popular Revolucionária) e MR – 8 (Movimento
Revolucionário 8 de Outubro).
O terror na ordem do dia
o Sequestros, assalto a bancos, atentados eram os
instrumentos usados pela esquerda revolucionária.
o A ditadura militar estruturou – se com o SNI, o
DOPS, o DOI – CODI, espiões, voluntários, apoio de
empresários e dos EUA.
o Nomes como Carlos Marighella e Carlos Lamarca
ficaram famosos.
o Espionagem, atentados, prisões, torturas, exílios,
desaparecimentos, mortes tornaram – se comuns.
Exilados famosos
Comunistas famosos
Milagre econômico
o Crescimento acelerado da economia, com o PND
incentivo à agricultura, tecnologia e indústria.
o Ampliação dos investimentos, incentivos fiscais, a
capacidade ociosa da indústria e o crescimento do
comércio global, o país produzia e exportava.
o As multinacionais investiram maciçamente e os
bancos estrangeiros ofereciam altos empréstimos.
o Obras faraônicas consolidavam o Brasil grande.
1967 4,8%
1968 12,2%
1969 9,9%
1970 9,5%
1971 12,0%
1972 11,2%
1973 13,0%
0
200
400
600
800
1000
1200
1967 1970 1972 1975
INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA
VEÍCULOS (MILHARES) EMPREGADOS (MILHARES)
Obras faraônicas
Ufanismo patriótico e neopopulismo
o Os militares exploraram e propagaram a ideia do
Brasil grande e próspero do milagre econômico.
Slogans ufanistas:
o Esse é um país que vai pra frente.
o Ninguém segura este país.
o Integrar para não entregar.
o Prá frente Brasil.
o Brasil, ame – o ou deixe – o.
Eu te amo meu Brasil
(Os Incríveis)
O Céu do meu Brasil tem mais estrelas
O sol do meu país, mais esplendor
A mão de Deus abençoou
Em terras brasileiras vou plantar amor
Eu te amo, meu Brasil, eu te amo
Meu coração é verde, amarelo, branco, azul-anil
Eu te amo, meu Brasil, eu te amo
Ninguém segura a juventude do Brasil
As tardes do Brasil são mais douradas
Mulatas brotam cheias de calor
A mão de Deus abençoou
Eu vou ficar aqui, porque existe amor
País Tropical
Wilson Simonal
Moro num país tropical, abençoado por Deus
E bonito por natureza, mas que beleza
Em fevereiro (em fevereiro)
Tem carnaval (tem carnaval)
Tenho um fusca e um violão
Sou Flamengo
Tenho uma nêga
Chamada Tereza
Recessão e os pesadelos do milagre
o PIBs negativos e a economia em recessão.
o Queda na produção e nas vendas.
o Pobreza, concentração de renda e arrocho salarial.
o A dívida externa atingiu US$ 100 bilhões.
o A inflação atingiu 212% a.a..
o Dois choques do petróleo (1973 e 1979).
o O Estado faliu e os governos civis assumiram as
heranças do falso milagre econômico.
ANO CRESCIMENTO DO PIB
1981 - 4,0
1982 + 0,5
1983 - 3,0
1984 + 5,0
“Não posso governar pra
todo mundo, o povo tem que
ter paciência. Tem que
esperar o bolo crescer para
depois ser dividido.”
7. General Ernesto Geisel (1974 – 1979)
Abertura e redemocratização
o Linha moderada (castelistas) voltam ao poder.
o Governo flexível e menos radical.
o Ex – chefe da Casa Militar de Castelo Branco, ex –
Presidente da Petrobrás, irmão do Ministro do
Exército de Médici Orlando Geisel.
o Aliados influentes, habilidoso, amplos poderes.
Contexto:
Fracasso do milagre econômico e jejum democrático
o Economia: inflação, dívida externa alta, recessão.
o Crise social: desemprego, fome, miséria.
o Sociedade civil cansada de autoritarismo e da falta
de liberdade.
o Os militares desgastados após 21 anos no poder.
o A esquerda radical estava liquidada, sem chances
de retomar a luta armada.
Abertura política
Lenta, gradual e pacífica:
o Processo que iniciou a redemocratização do país.
o Desgaste e insatisfação enfraqueceram o regime.
o Ditadura mantida com menos autoritarismo, mas
sem mudar a política econômica e relativa repressão.
Medidas importantes:
o Sistema eleitoral liberalizado, novos partidos, fim
da censura, anistia a exilados e suspensão dos Ais.
Política econômica:
o II PND foram criadas a Comissão da Construção Civil e
o Polocentro (Cerrados).
o Aprovado o Plano Nacional de Saneamento e assinada
a cooperação nuclear Brasil – Alemanha que levaria às
Usinas Nucleares de Angra dos Reis.
o Assinado o Tratado de Amizade Brasil – Paraguai que
realizaria a Usina Hidrelétrica de Itaipu.
o Petrobras autorizada a assinar contratos com
empresas estrangeiras e explorar petróleo.
o Criado o Proálcool para enfrentar a crise do petróleo.
Mário Henrique Simonsen
Ministro da Fazenda
Eleições de 1974
o O MDB ampliou sua bancada com maioria na Câmara
dos Deputados e no Senado.
Lei Falcão (01/07/1976)
o Regulamentava e limitava o tempo dos candidatos no
rádio e na TV, impedindo o crescimento da oposição.
Pacote de Abril (13/04/1977)
o Fechamento do Congresso, cassação de dissidentes,
senador biônico, mudança na representação estados.
Durante a ditadura, o Congresso foi formalmente fechado
em três períodos:
o O primeiro de 20/10/1966 a 22/11/1966 e teve ares de
escândalo, com o plenário sendo invadido por forças
militares do governo Castello Branco.
o Após a decretação do AI-5, em 13/12/1968 a 21/10/1969
o Parlamento foi novamente fechado.
o A terceira suspensão entre 01/04/1977 a 14/04/1977,
para a edição de um pacote de medidas eleitorais e
garantir a vitória dos candidatos do governo (Lei Falcão).
Tensões políticas
o A imprensa livrou – se da censura.
o A PUC – SP foi invadida, pois membros da UNE lá
reuniram – se para traze – la de volta à legalidade.
o Reorganização dos sindicatos no ABC com greves
reivindicando direitos trabalhistas.
o Passeatas protestando contra o governo militar.
o AI – 5 revogado em 01/01/1979: O Presidente não
poderia fechar Congresso, cassar mandatos, demitir
funcionários públicos nem cercear a liberdade.
8. General João Figueiredo (1979 – 1985)
Ampliou a abertura política (redemocratização)
o Moderado, ligado a Geisel, Chefe do Gabinete
Militar de Médici e Chefe do SNI.
Aspectos econômicos:
o Heranças: dívida externa alta, inflação, recessão.
o Nova crise do petróleo em 1979 (Crise no Irã).
o Dificuldades para obter empréstimos externos.
o Com o fracasso do III PND, recorreu ao FMI.
“Juro fazer deste país
uma democracia.”
Delfim Neto – Czar da economia
o Acordos com o FMI em troca de política recessiva.
o Seu programa previa: equilíbrio nas contas,
descentralização administrativa, queda na inflação,
privatização de estatais, prioridade à agricultura.
Crise econômica e estagflação – a década perdida
o Queda na renda do trabalhador (arrocho salarial).
o Elevação da inflação e da dívida externa.
o Especulação financeira e alta nos juros.
Impactos econômicos:
o A inflação na casa dos 200% a.a. e a dívida externa
chegando a casa dos US$ 100 bilhões.
o Os juros bancários internacionais em elevação.
o Escassez de crédito e renovação dos empréstimos.
o Cruzeiros usados para pagar dívidas em dólares.
o Desvalorização do cruzeiro para estimular as
exportações.
o O Estado e as empresas estavam endividados.
Impactos sociais e políticos:
o O governo fixou reajustes salariais abaixo da
inflação aprofundando o arrocho salarial.
o A economia em crise abalou a “saúde” das
empresas forçando o fantasma do desemprego.
o A situação era crítica: desemprego, miséria, fome.
o Os trabalhadores se organizaram com a criação da
CUT (1983) e da CGT (1986) patrocinando greves.
o O governo impopular e impotente não conseguia
administrar a crise política.
Aprofundamento da abertura política
Lei da Anistia (1979):
o O governo anistiou presos e exilados e possíveis
crime de abuso de poder, torturas e assassinatos.
Fim do bipartidarismo e volta do pluripartidarismo
o A pretexto de redemocratizar o sistema partidário.
o Arena passou a ser PDS (Partido Democrático Social).
o MDB passou a ser PMDB (Partido do Movimento
Democrático Brasileiro).
o Novos partidos: PP, PT, PDT, PTB, PFL.
O Bêbado e A Equilibrista (Elis Regina)
Caía a tarde feito um viaduto
E um bêbado trajando luto
Me lembrou Carlitos
A lua tal qual a dona do bordel
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel
Que sonha com a volta do irmão do Henfil
Com tanta gente que partiu
Num rabo de foguete
Chora
A nossa Pátria mãe gentil
Choram Marias e Clarisses
No solo do Brasil
Tô Voltando (Simone)
Pode ir armando o coreto e preparando
aquele feijão preto
Eu tô voltando
Põe meia dúzia de Brahma pra gelar,
muda a roupa de cama
Eu tô voltando
Leva o chinelo pra sala de jantar
Que é lá mesmo que a mala eu vou largar
Quero te abraçar, pode se perfumar
Porque eu tô voltando
Dá uma geral, faz um bom defumador,
enche a casa de flor
Que eu tô voltando
Pega uma praia, aproveita, tá calor,
vai pegando uma cor
Que eu tô voltando
Faz um cabelo bonito pra eu notar
Que eu só quero mesmo é despentear
Quero te agarrar
Pode se preparar porque
Eu tô voltando
Põe pra tocar na vitrola aquele som,
estreia uma camisola
Eu tô voltando
Dá folga pra empregada, manda a
criançada pra casa da avó
Que eu tô voltando
Diz que eu só volto amanhã se alguém
chamar, telefone não deixa nem tocar
Quero lá, lá, lá, ia,
Porque eu to voltando
Diretas já – 1983
o Em 1982 a oposição elegeu 10 dos 22 governadores,
além da maioria dos deputados federais.
o Fortalecida, a oposição passou a reivindicar uma
Assembleia Constituinte e eleições diretas para o
próximo Presidente da República.
o A linha dura do regime resistia a fazer concessões e
assinar atestado de incompetência.
o A tensão provocou o atentado no Riocentro em
30/04/1981.
Atentado do Riocentro: frustrado ataque a bomba que aconteceria no Riocentro (RJ), em 30/04/81,
num show do Dia do Trabalhador, e culpar radicais da esquerda pelo atentado. Comprovou – se , por
confissão, que o atentado foi uma tentativa de radicais do governo de convencer os setores mais
moderados que era necessária uma nova onda de repressão para paralisar a lenta abertura política.
Emenda Dante de Oliveira – 02/03/1983
o Propunha eleições diretas para Presidente da
República em 1985.
o O povo foi às ruas reivindicar a sua aprovação.
o Votada e rejeitada em 25/04/1984.
o 298 deputados votaram a favor, 65 contra e 3 se
abstiveram. Não compareceram 112 deputados.
o Para que fosse aprovada, eram necessários pelo
menos 320 votos a favor.
Fim do regime militar – 1985
o Com a derrota da Emenda Dante de Oliveira, a
oposição se articulou para enfrentar os militares em
eleições indiretas (Colégio Eleitoral).
o A Aliança Democrática uniu PMDB e PFL e lançou
Tancredo Neves e José Sarney que derrotaram Paulo
Maluf e Flávio Portela em 15/01/1985.
o Tancredo Neves não assumiu, internado na véspera da
posse (14/03/1985) acabou falecendo em 21/04/1985.
o A posse do vice José Sarney pôs fim a ditadura militar
dando início à Nova República.
Tancredo Neves: 480 votos – 72,4%
Paulo Maluf: 180 votos – 27,3%
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)O Governo Dutra (1946-1950)
O Governo Dutra (1946-1950)
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
 
O Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era VargasO Trabalhismo na Era Vargas
O Trabalhismo na Era Vargas
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
 
A Revolução Mexicana (1910)
A Revolução Mexicana (1910)A Revolução Mexicana (1910)
A Revolução Mexicana (1910)
 
Estado novo vargas
Estado novo vargasEstado novo vargas
Estado novo vargas
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
 
Governos populistas(1945-1964) resumo
Governos populistas(1945-1964)   resumoGovernos populistas(1945-1964)   resumo
Governos populistas(1945-1964) resumo
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
 
Ditadura militar no Brasil
Ditadura militar no BrasilDitadura militar no Brasil
Ditadura militar no Brasil
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 

Destaque

Destaque (18)

História introdução e fundamentos
História introdução e fundamentosHistória introdução e fundamentos
História introdução e fundamentos
 
Revolução francesa 2016
Revolução francesa 2016Revolução francesa 2016
Revolução francesa 2016
 
Revolução industrial 2016
Revolução industrial 2016Revolução industrial 2016
Revolução industrial 2016
 
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista   1946 a 1964 - pdfBrasil república populista   1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
 
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
Questão palestina shr
Questão palestina shrQuestão palestina shr
Questão palestina shr
 
Eua potência imperialista
Eua potência imperialistaEua potência imperialista
Eua potência imperialista
 
Brasil revoltas nativistas
Brasil revoltas nativistasBrasil revoltas nativistas
Brasil revoltas nativistas
 
Antiguidade oriental pdf
Antiguidade oriental pdfAntiguidade oriental pdf
Antiguidade oriental pdf
 
Brasil negros no sistema colonial
Brasil negros no sistema colonialBrasil negros no sistema colonial
Brasil negros no sistema colonial
 
Brasil mineração séc. XVIII
Brasil mineração séc. XVIIIBrasil mineração séc. XVIII
Brasil mineração séc. XVIII
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
 
Reforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreformaReforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreforma
 
Brasil período regencial 1831 a 1840
Brasil período regencial 1831 a 1840Brasil período regencial 1831 a 1840
Brasil período regencial 1831 a 1840
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
 
Brasil índios
Brasil índiosBrasil índios
Brasil índios
 
Colonização inglesa francesa holandesa
Colonização  inglesa francesa holandesaColonização  inglesa francesa holandesa
Colonização inglesa francesa holandesa
 

Semelhante a Ditadura Militar no Brasil (1964-1985

A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasilbrunourbino
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasilDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.Daniel Alves Bronstrup
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilFatima Freitas
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar dismaDismael Sagás
 
Ditadura civil-Militar.pptx
Ditadura civil-Militar.pptxDitadura civil-Militar.pptx
Ditadura civil-Militar.pptxWirlanPaje2
 
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil Adna Myrella
 
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarRegime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptxRobsonAbreuProfessor
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARRaimund M Souza
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR Raimund M Souza
 
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp013ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01Daiane Ramalho
 

Semelhante a Ditadura Militar no Brasil (1964-1985 (20)

Regime militar
Regime militarRegime militar
Regime militar
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
Ditadura civil-Militar.pptx
Ditadura civil-Militar.pptxDitadura civil-Militar.pptx
Ditadura civil-Militar.pptx
 
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarRegime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
 
Música popular brasileira
Música popular brasileiraMúsica popular brasileira
Música popular brasileira
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
 
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp013ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
 

Mais de Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia

Mais de Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia (20)

Iluminismo 2021
Iluminismo 2021Iluminismo 2021
Iluminismo 2021
 
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
GUERRA FRIA I, BASES, BIPOLARIDADE, MURO DE BERLIM, CORRIDAS ESPACIAL E ARMAM...
 
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
Brasil era vargas (1930 - 1945) 2021
 
Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021Expansão marítima e comercial 2021
Expansão marítima e comercial 2021
 
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
Brasil república velha (crise e queda do império república da espada) 2021
 
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
 
Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021Cidadania e direitos humanos 2021
Cidadania e direitos humanos 2021
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
 
Totalitarismo fascismo e nazismo 2021
Totalitarismo fascismo e nazismo 2021Totalitarismo fascismo e nazismo 2021
Totalitarismo fascismo e nazismo 2021
 
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistasBrasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
Brasil: crise do sistema colonial e movimentos emancipacipacionistas
 
Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917
 
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
Crise de1929: Entreguerras (1918-1939)
 
Islamismo 2021
Islamismo 2021Islamismo 2021
Islamismo 2021
 
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)1ª Guerra Mundial (1914-1918)
1ª Guerra Mundial (1914-1918)
 
Brasil Mineração (século XVIII)
Brasil  Mineração (século XVIII)Brasil  Mineração (século XVIII)
Brasil Mineração (século XVIII)
 
Neocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou ImperialismoNeocolonialismo ou Imperialismo
Neocolonialismo ou Imperialismo
 
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
Civilizações do extremo Oriente: Índia, China, Japão.
 
Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021Expansão Marítima e Comercial-2021
Expansão Marítima e Comercial-2021
 
Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.Estrutura social: conceitos básicos.
Estrutura social: conceitos básicos.
 
Ideologias do século XIX
Ideologias do século XIXIdeologias do século XIX
Ideologias do século XIX
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 

Último (20)

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 

Ditadura Militar no Brasil (1964-1985

  • 2.
  • 3. 1. Introdução o O golpe militar de 31/03/64 pôs fim ao período populista e iniciou os “anos de chumbo”, marcados por violência, censura e repressão. o Promessas: salvar o Brasil do Comunismo, do caos econômico e social e em nome da democracia e da liberdade, os militares tomaram o Estado. o Em nome da Segurança Nacional, foram mantidas algumas instituições democráticas, criando – se um Estado de exceção.
  • 4. DITADURA: Forma de governo de exceção, baseada na força e no autoritarismo. O grupo ou a pessoa que assume o poder passa a ditar as regras do jogo político. A liberdade e os direitos individuais são suprimidos e há uso e abuso de repressão, violência, censura e manipulação ideológica.
  • 5. 2. Golpe militar de 31/03/1964 o Diante do caos econômico e social, o governo Jango propôs as Reformas de Base com medidas consideradas comunistas, contrariando os setores conservadores e os EUA. o O governo Jango adotava um caminho nacionalista opondo – se às “multis” e aos capitais estrangeiros. o Temendo que o regime cubano se espalhasse pela América Latina, prometendo salvar o Brasil do caos econômico e social e do comunismo, os militares acabaram com a democracia e tomaram o poder.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 16. Apoio e expectativas: o Os conservadores (empresários, fazendeiros, militares, multinacionais) e o governo dos EUA apoiaram o golpe esperando obter vantagens políticas e econômicas. o Com a Guerra Fria, o medo do comunismo e a crise do populismo, os militares usaram a Doutrina da Segurança Nacional, pretexto para violência e arbitrariedades.
  • 17. Militares divididos: Pombos o Defendiam a necessidade de impor ordem ao caos e rapidamente devolver o poder aos civis. Falcões o A “revolução” não teria preço nem prazo. o Usariam a força se preciso. o Permaneceriam no poder enquanto necessário.
  • 18. 3. Marechal Castelo Branco (1964 – 1967) Pombos (moderados) no poder: o O Supremo Comando da Revolução assumiu o controle do Estado. AI – 1 (09/04/64 a 09/10/64): o Cassar mandatos, suspender direitos, aposentar funcionários, decretar estado de sítio. o Previsão de eleições diretas em outubro/1965. o Eleição indireta de Castelo Branco.
  • 19.
  • 20. Atos Institucionais (Ais) o Decretos autoritários que davam poderes absolutos ao Presidente, independentemente de leis, tribunais e Constituição. o Durante o regime militar foram 17 AIs e os mais importantes foram: AI – 1, AI – 2 e AI – 5. o Além dos Ais, mais de 70 atos complementares reforçaram o poder do Presidente e da Ditadura Militar.
  • 21. Primeiras medidas: o Cassação de políticos (Jango, Jânio, Brizola, etc). o Demissão de funcionários públicos. o Intervenção: sindicatos, UNE, ligas camponesas. o Comprometimento com o antigo governo levava a perseguição e punição. o O SNI (Serviço Nacional de Informação) fazia a espionagem em nome da “segurança nacional”. Apesar de moderado (pombo), Castelo Branco nomeou vários membros da linha dura (falcões), que defendiam a Revolução sem preço e sem prazo. O regime foi endurecendo as ações, perseguindo, prendendo, cassando, demitindo, inclusive militares descontentes.
  • 22.
  • 23.
  • 24. A ditadura provocou resistências que eram sufocadas com violência. Para manter a lei e a ordem, militares espancavam e prendiam “maus brasileiros” que insistiam em protestar contra o autoritarismo.
  • 25. Linha dura no poder o Nas eleições estaduais de 1965, a oposição venceu em 02 estados (Minas Gerais e Guanabara). o Votar contra o governo era imperdoável. AI – 2 (27/10/1965) o Fim do pluripartidarismo criação do bipartidarismo. o Nascem a ARENA (situação) e o MDB (oposição). o Eleições indiretas para Presidente da República. o Tribunais militares julgavam crimes contra a segurança nacional. o Poderes absolutos ao Presidente da República.
  • 26. Mudanças políticas o O governo militar não gostou de perder a eleição nos Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. o Através do AI – 3 impôs eleições indiretas para governador. o Eleições indiretas eram, na prática, nomeações de aliados a Presidente e Governador Estadual. o O Congresso Nacional e as Assembleias Estaduais apenas confirmavam.
  • 27. AI – 4 (Dezembro 1966) – Nova Constituição o República Federativa Presidencialista. o Eleições indiretas: Presidente, Vice e Governador. Poderes do Presidente da República: o Decretar estado de sítio por 180 dias. o Intervenção federal para evitar “perturbações”. o Decretar recesso (fechamento) do Congresso. o Governar por decretos (AIs). o Cassar mandatos e suspender direitos políticos.
  • 28. Estado de sítio o Estado de sítio é um estado de exceção, instaurado como uma medida provisória de proteção do Estado, quando este está sob uma determinada ameaça, como uma guerra ou uma calamidade pública. o Esta situação de exceção tem semelhanças com o estado de emergência, porque também determina a suspensão do exercício dos direitos, liberdades e garantias.
  • 29. Política econômica: o Heranças de Jango: inflação, dívida externa alta, recessão, subdesenvolvimento, atraso tecnológico. o Desenvolvimento associado: capitais estrangeiros (apoio do FMI), capitais nacionais e intervenção do Estado na economia. o Reformas: administrativa, bancária, tributária e agrária (PAEG), Banco Central, SUMOC e o cruzeiro novo. o Tecnocratas e suas medidas: elevação da dívida externa, restrições no crédito e arrocho salarial.
  • 30. Política social e trabalhista: o Aprovação do Estatuto da Terra e criação do IBRA (Instituto Brasileiro de Reforma Agrária), visando facilitar acesso à terra e reduzir tensões no campo. o A criação do FGTS eliminou a estabilidade no emprego, aumentos salariais a cargo do Executivo. o O INPS unificou a previdência social. Castelo Branco reformou instituições militares, criou ministérios e restabeleceu a ordem interna. integrou o Brasil nas telecomunicações com satélites e a Embratel. Seu último ato foi a Lei de Segurança Nacional. Morreu em 18/07/1967.
  • 31. Otávio Gouveia de Bulhões Neto (Ministro da Fazenda – 1964/1967) Roberto de Oliveira Campos (Ministro do Planejamento – 1964/1967)
  • 32. 4. Marechal Costa e Silva (1967 – 1969) Falcões (linha dura) no poder: o Militares linha dura e nacionalistas defendiam um governo forte contra o moderado Castelo Branco. Oposição e Frente Ampla o A oposição ao regime reorganizou – se com apoio da UNE (movimento estudantil), da Igreja Católica (ala progressista) e de políticos que exigiam a redemocratização do país (Lacerda, JK, Jango).
  • 33.
  • 34. Os militares consideravam a UNE um antro de comunistas. Símbolo do movimento estudantil, foi fundamental na oposição à Ditadura Militar.
  • 35.
  • 36.
  • 37. Passeata dos cem mil (26/06/1968) o A Frente Ampla no Congresso foi extinta. o Denúncias sobre penetração abusiva de capitais estrangeiros, CPIs, favorecimento à TV Globo que recebeu US$ 2.800 milhões do grupo Time Life. o Crescimento do movimento estudantil. o Em março de 1968 a polícia matou o estudante Edson Luís, acirrando as tensões. o A situação levou à passeata dos cem mil.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43. Endurecimento do regime o Costa e Silva ampliou os poderes do Conselho de Segurança Nacional. o Denúncias que o Para – Sar da Fab sequestrava e jogava opositores no mar. Operação Condor o Ditadores de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile em parceria para reprimir e assassinar opositores (“voos da morte”).
  • 44. “Meu pai não fuzilou pessoas. Aqueles que ele mandou matar não eram seres humanos, eram animais.” (Filho do ditador chileno Pinochet)
  • 45. AI – 5 (símbolo da ditadura militar) – (1968 – 1979) o O Deputado Federal Moreira Alves propôs o boicote às celebrações de 07 de Setembro. o Irritado, Costa e Silva solicitou permissão para processa – lo que, ao ser negada, levou ao AI – 5. AI – 5 (Ato Institucional nº 5) Dava poderes ao Presidente para: o Fechar Congresso, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. o Intervir em estados e municípios. o Suspender direitos políticos (habeas – corpus) e cassar mandatos. o Decretar Estado de Sítio por tempo ilimitado. o Demitir ou aposentar funcionários públicos e juízes.
  • 46. Legitimação da Ditadura O AI – 5, os outros AIs e vários atos complementares legitimaram um autoritarismo cruel e absurdo. Mesmo que alguém tivesse provas de sua inocência, ficava proibido de apresenta – las. Perseguido, era demitido e impedido de exercer sua profissão. Decreto secreto: Decretava – se uma lei com regras que só o Presidente e os ministros sabiam, “legalizando” qualquer tipo de punição.
  • 47.
  • 48.
  • 49.
  • 50. Contracultura o Foi a profunda crítica ao sistema capitalista e aos padrões de consumo desenfreado. Os jovens que integraram esse movimento de contestação aos valores morais e estéticos da sociedade global. o Promoviam revoluções em seus modos de vestir: suas roupas e penteados tornavam – se símbolos desse universo paralelo que eles elaboraram para romper com os modismos capitalistas das elites.
  • 51.
  • 52. 5. Movimentos culturais dos anos 1960 Festivais de MPB (TV Excelsior e TV Record) o Concursos de músicas transmitidos pela TV nos anos 60 que revelaram grandes compositores e interpretes da nossa música: Elis Regina, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Geraldo Vandré, Jair Rodrigues, Nara Leão. o Apesar da vigilância, repressão e perseguição, nas áreas ligadas à cultura, principalmente na música, ocorreram formas de protestos contra o regime militar.
  • 53.
  • 54.
  • 55. Pra não dizer que não falei das flores (Geraldo Vandré) Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer Há soldados armados Amados ou não Quase todos perdidos De armas na mão Nos quartéis lhes ensinam Uma antiga lição De morrer pela pátria E viver sem razão
  • 56. Apesar de Você (Chico Buarque) Hoje você é quem manda, falou, tá falado Não tem discussão A minha gente hoje anda falando de lado E olhando pro chão, viu Você que inventou esse estado E inventou de inventar toda a escuridão Você que inventou o pecado Esqueceu-se de inventar o perdão Apesar de você Amanhã há de ser outro dia Eu pergunto a você onde vai se esconder Da enorme euforia Como vai proibir Quando o galo insistir em cantar Água nova brotando E a gente se amando sem parar Quando chegar o momento Esse meu sofrimento Vou cobrar com juros, juro Todo esse amor reprimido Esse grito contido Este samba no escuro
  • 57. Contestação no Teatro o O Teatro torna – se ferramenta política, usado como veículo de protesto contra o contexto político e social do país. o As peças apresentam conteúdos de crítica: Eles não usam Black Tie, de Gianfrancesco Guarnieri. o José Celso Martinez Correa dirige Roda Viva de Chico Buarque, que também compôs a famosa trilha sonora.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61. Tropicália ou Tropicalismo (anos 1960) o Influência das correntes artísticas de vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira e misturou manifestações tradicionais da cultura brasileira a inovações estéticas radicais. o Manifestou-se principalmente na música (Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes e Tom Zé). o Manifestações diversas: artes plásticas Hélio Oiticica, influências do Cinema novo de Glauber Rocha e o teatro (peças anárquicas de José Celso Martinez). o O maior exemplo do movimento tropicalista foi uma das canções de Caetano Veloso, "Tropicália”.
  • 62. Características: o Letras inovadoras, linguagem e a poesia dos concretistas. "Alegria, Alegria“ traz preocupações da juventude dos anos 60, a violência da ditadura e o desejo de inovar e de romper barreiras. o Roupas coloridas, cabelos compridos, várias influências musicais e a intenção de chocar por performances caracterizadas pela violência estética, contra a MPB comportada. o Influencia da contracultura, linguagem da paródia e do deboche, os tropicalistas transformaram a MPB, influenciando até na moda, sendo grandes expoentes da arte brasileira de vanguarda. o O tropicalismo misturava brega, rock psicodélico, música erudita, cultura popular, entre outros. A guitarra convivia com violinos berimbau. Resgate do movimento antropofágico aliado às raízes das tradições nacionais.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67. Jovem Guarda o Movimento cultural surgido na década de 1960, que mesclava música, comportamento e moda. o Surgiu a partir de um programa da TV Record, apresentado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. o A Jovem Guarda mudou a linguagem musical e comportamental e sua alegria e descontração fizeram dela um fenômenos nacional. o Sua principal influência era o rock dos anos 50/60 e início. o Grande parte de suas letras tinham temáticas amorosas, adolescentes e açucaradas, algumas das quais, versões de hits do rock britânico e norte-americanos da época (Beatles). o A Jovem Guarda foi o primeiro movimento musical que pôs a música brasileira em sintonia com o fenômeno internacional do rock da época, catalisado especialmente pelos Beatles.
  • 68.
  • 69. 6. General Médici (1969 – 1974) Linha dura e radicalização política o Com o enfraquecimento de Costa e Silva, uma junta militar, composta por três ministros militares, impediu a posse do vice e assumiu o poder. o O AI – 5 foi mantido e uma nova Lei de Segurança Nacional endureceram ainda mais o regime. o O Congresso foi reaberto para dar posse a Médici (ex chefe do SNI) em 30/10/1969.
  • 70.
  • 71. Emenda nº 1 à Constituição de 1967 o Mandato presidencial de 05 anos. o Confirmação dos atos anteriores. o Eleições indiretas para governador em 1970. o Pena de morte em caso de subversão. o Número de deputados de acordo com eleitores. o Ampliação dos poderes do Executivo. o Limitação dos poderes do Judiciário.
  • 72. Terrorismo e luta armada Guerra civil: direita X esquerda: o Grupos de militantes de esquerda se organizaram e partiram para a luta armada contra a Ditadura Militar: PCdoB (Partido Comunista do Brasil), MNR (Movimento Nacionalista Revolucionário), MRT (Movimento Revolucionário Tiradentes), ALN (Aliança Libertadora Nacional), VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) e MR – 8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro).
  • 73. O terror na ordem do dia o Sequestros, assalto a bancos, atentados eram os instrumentos usados pela esquerda revolucionária. o A ditadura militar estruturou – se com o SNI, o DOPS, o DOI – CODI, espiões, voluntários, apoio de empresários e dos EUA. o Nomes como Carlos Marighella e Carlos Lamarca ficaram famosos. o Espionagem, atentados, prisões, torturas, exílios, desaparecimentos, mortes tornaram – se comuns.
  • 74.
  • 75.
  • 76.
  • 77.
  • 78.
  • 79.
  • 80.
  • 83. Milagre econômico o Crescimento acelerado da economia, com o PND incentivo à agricultura, tecnologia e indústria. o Ampliação dos investimentos, incentivos fiscais, a capacidade ociosa da indústria e o crescimento do comércio global, o país produzia e exportava. o As multinacionais investiram maciçamente e os bancos estrangeiros ofereciam altos empréstimos. o Obras faraônicas consolidavam o Brasil grande.
  • 84.
  • 85. 1967 4,8% 1968 12,2% 1969 9,9% 1970 9,5% 1971 12,0% 1972 11,2% 1973 13,0%
  • 86. 0 200 400 600 800 1000 1200 1967 1970 1972 1975 INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA VEÍCULOS (MILHARES) EMPREGADOS (MILHARES)
  • 88. Ufanismo patriótico e neopopulismo o Os militares exploraram e propagaram a ideia do Brasil grande e próspero do milagre econômico. Slogans ufanistas: o Esse é um país que vai pra frente. o Ninguém segura este país. o Integrar para não entregar. o Prá frente Brasil. o Brasil, ame – o ou deixe – o.
  • 89.
  • 90. Eu te amo meu Brasil (Os Incríveis) O Céu do meu Brasil tem mais estrelas O sol do meu país, mais esplendor A mão de Deus abençoou Em terras brasileiras vou plantar amor Eu te amo, meu Brasil, eu te amo Meu coração é verde, amarelo, branco, azul-anil Eu te amo, meu Brasil, eu te amo Ninguém segura a juventude do Brasil As tardes do Brasil são mais douradas Mulatas brotam cheias de calor A mão de Deus abençoou Eu vou ficar aqui, porque existe amor
  • 91. País Tropical Wilson Simonal Moro num país tropical, abençoado por Deus E bonito por natureza, mas que beleza Em fevereiro (em fevereiro) Tem carnaval (tem carnaval) Tenho um fusca e um violão Sou Flamengo Tenho uma nêga Chamada Tereza
  • 92.
  • 93.
  • 94. Recessão e os pesadelos do milagre o PIBs negativos e a economia em recessão. o Queda na produção e nas vendas. o Pobreza, concentração de renda e arrocho salarial. o A dívida externa atingiu US$ 100 bilhões. o A inflação atingiu 212% a.a.. o Dois choques do petróleo (1973 e 1979). o O Estado faliu e os governos civis assumiram as heranças do falso milagre econômico.
  • 95. ANO CRESCIMENTO DO PIB 1981 - 4,0 1982 + 0,5 1983 - 3,0 1984 + 5,0
  • 96. “Não posso governar pra todo mundo, o povo tem que ter paciência. Tem que esperar o bolo crescer para depois ser dividido.”
  • 97. 7. General Ernesto Geisel (1974 – 1979) Abertura e redemocratização o Linha moderada (castelistas) voltam ao poder. o Governo flexível e menos radical. o Ex – chefe da Casa Militar de Castelo Branco, ex – Presidente da Petrobrás, irmão do Ministro do Exército de Médici Orlando Geisel. o Aliados influentes, habilidoso, amplos poderes.
  • 98.
  • 99. Contexto: Fracasso do milagre econômico e jejum democrático o Economia: inflação, dívida externa alta, recessão. o Crise social: desemprego, fome, miséria. o Sociedade civil cansada de autoritarismo e da falta de liberdade. o Os militares desgastados após 21 anos no poder. o A esquerda radical estava liquidada, sem chances de retomar a luta armada.
  • 100. Abertura política Lenta, gradual e pacífica: o Processo que iniciou a redemocratização do país. o Desgaste e insatisfação enfraqueceram o regime. o Ditadura mantida com menos autoritarismo, mas sem mudar a política econômica e relativa repressão. Medidas importantes: o Sistema eleitoral liberalizado, novos partidos, fim da censura, anistia a exilados e suspensão dos Ais.
  • 101. Política econômica: o II PND foram criadas a Comissão da Construção Civil e o Polocentro (Cerrados). o Aprovado o Plano Nacional de Saneamento e assinada a cooperação nuclear Brasil – Alemanha que levaria às Usinas Nucleares de Angra dos Reis. o Assinado o Tratado de Amizade Brasil – Paraguai que realizaria a Usina Hidrelétrica de Itaipu. o Petrobras autorizada a assinar contratos com empresas estrangeiras e explorar petróleo. o Criado o Proálcool para enfrentar a crise do petróleo.
  • 103.
  • 104. Eleições de 1974 o O MDB ampliou sua bancada com maioria na Câmara dos Deputados e no Senado. Lei Falcão (01/07/1976) o Regulamentava e limitava o tempo dos candidatos no rádio e na TV, impedindo o crescimento da oposição. Pacote de Abril (13/04/1977) o Fechamento do Congresso, cassação de dissidentes, senador biônico, mudança na representação estados.
  • 105.
  • 106. Durante a ditadura, o Congresso foi formalmente fechado em três períodos: o O primeiro de 20/10/1966 a 22/11/1966 e teve ares de escândalo, com o plenário sendo invadido por forças militares do governo Castello Branco. o Após a decretação do AI-5, em 13/12/1968 a 21/10/1969 o Parlamento foi novamente fechado. o A terceira suspensão entre 01/04/1977 a 14/04/1977, para a edição de um pacote de medidas eleitorais e garantir a vitória dos candidatos do governo (Lei Falcão).
  • 107. Tensões políticas o A imprensa livrou – se da censura. o A PUC – SP foi invadida, pois membros da UNE lá reuniram – se para traze – la de volta à legalidade. o Reorganização dos sindicatos no ABC com greves reivindicando direitos trabalhistas. o Passeatas protestando contra o governo militar. o AI – 5 revogado em 01/01/1979: O Presidente não poderia fechar Congresso, cassar mandatos, demitir funcionários públicos nem cercear a liberdade.
  • 108.
  • 109.
  • 110.
  • 111. 8. General João Figueiredo (1979 – 1985) Ampliou a abertura política (redemocratização) o Moderado, ligado a Geisel, Chefe do Gabinete Militar de Médici e Chefe do SNI. Aspectos econômicos: o Heranças: dívida externa alta, inflação, recessão. o Nova crise do petróleo em 1979 (Crise no Irã). o Dificuldades para obter empréstimos externos. o Com o fracasso do III PND, recorreu ao FMI.
  • 112. “Juro fazer deste país uma democracia.”
  • 113. Delfim Neto – Czar da economia o Acordos com o FMI em troca de política recessiva. o Seu programa previa: equilíbrio nas contas, descentralização administrativa, queda na inflação, privatização de estatais, prioridade à agricultura. Crise econômica e estagflação – a década perdida o Queda na renda do trabalhador (arrocho salarial). o Elevação da inflação e da dívida externa. o Especulação financeira e alta nos juros.
  • 114. Impactos econômicos: o A inflação na casa dos 200% a.a. e a dívida externa chegando a casa dos US$ 100 bilhões. o Os juros bancários internacionais em elevação. o Escassez de crédito e renovação dos empréstimos. o Cruzeiros usados para pagar dívidas em dólares. o Desvalorização do cruzeiro para estimular as exportações. o O Estado e as empresas estavam endividados.
  • 115. Impactos sociais e políticos: o O governo fixou reajustes salariais abaixo da inflação aprofundando o arrocho salarial. o A economia em crise abalou a “saúde” das empresas forçando o fantasma do desemprego. o A situação era crítica: desemprego, miséria, fome. o Os trabalhadores se organizaram com a criação da CUT (1983) e da CGT (1986) patrocinando greves. o O governo impopular e impotente não conseguia administrar a crise política.
  • 116. Aprofundamento da abertura política Lei da Anistia (1979): o O governo anistiou presos e exilados e possíveis crime de abuso de poder, torturas e assassinatos. Fim do bipartidarismo e volta do pluripartidarismo o A pretexto de redemocratizar o sistema partidário. o Arena passou a ser PDS (Partido Democrático Social). o MDB passou a ser PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro). o Novos partidos: PP, PT, PDT, PTB, PFL.
  • 117.
  • 118. O Bêbado e A Equilibrista (Elis Regina) Caía a tarde feito um viaduto E um bêbado trajando luto Me lembrou Carlitos A lua tal qual a dona do bordel Pedia a cada estrela fria Um brilho de aluguel Que sonha com a volta do irmão do Henfil Com tanta gente que partiu Num rabo de foguete Chora A nossa Pátria mãe gentil Choram Marias e Clarisses No solo do Brasil
  • 119. Tô Voltando (Simone) Pode ir armando o coreto e preparando aquele feijão preto Eu tô voltando Põe meia dúzia de Brahma pra gelar, muda a roupa de cama Eu tô voltando Leva o chinelo pra sala de jantar Que é lá mesmo que a mala eu vou largar Quero te abraçar, pode se perfumar Porque eu tô voltando Dá uma geral, faz um bom defumador, enche a casa de flor Que eu tô voltando Pega uma praia, aproveita, tá calor, vai pegando uma cor Que eu tô voltando Faz um cabelo bonito pra eu notar Que eu só quero mesmo é despentear Quero te agarrar Pode se preparar porque Eu tô voltando Põe pra tocar na vitrola aquele som, estreia uma camisola Eu tô voltando Dá folga pra empregada, manda a criançada pra casa da avó Que eu tô voltando Diz que eu só volto amanhã se alguém chamar, telefone não deixa nem tocar Quero lá, lá, lá, ia, Porque eu to voltando
  • 120. Diretas já – 1983 o Em 1982 a oposição elegeu 10 dos 22 governadores, além da maioria dos deputados federais. o Fortalecida, a oposição passou a reivindicar uma Assembleia Constituinte e eleições diretas para o próximo Presidente da República. o A linha dura do regime resistia a fazer concessões e assinar atestado de incompetência. o A tensão provocou o atentado no Riocentro em 30/04/1981.
  • 121. Atentado do Riocentro: frustrado ataque a bomba que aconteceria no Riocentro (RJ), em 30/04/81, num show do Dia do Trabalhador, e culpar radicais da esquerda pelo atentado. Comprovou – se , por confissão, que o atentado foi uma tentativa de radicais do governo de convencer os setores mais moderados que era necessária uma nova onda de repressão para paralisar a lenta abertura política.
  • 122.
  • 123.
  • 124.
  • 125. Emenda Dante de Oliveira – 02/03/1983 o Propunha eleições diretas para Presidente da República em 1985. o O povo foi às ruas reivindicar a sua aprovação. o Votada e rejeitada em 25/04/1984. o 298 deputados votaram a favor, 65 contra e 3 se abstiveram. Não compareceram 112 deputados. o Para que fosse aprovada, eram necessários pelo menos 320 votos a favor.
  • 126.
  • 127.
  • 128.
  • 129.
  • 130.
  • 131. Fim do regime militar – 1985 o Com a derrota da Emenda Dante de Oliveira, a oposição se articulou para enfrentar os militares em eleições indiretas (Colégio Eleitoral). o A Aliança Democrática uniu PMDB e PFL e lançou Tancredo Neves e José Sarney que derrotaram Paulo Maluf e Flávio Portela em 15/01/1985. o Tancredo Neves não assumiu, internado na véspera da posse (14/03/1985) acabou falecendo em 21/04/1985. o A posse do vice José Sarney pôs fim a ditadura militar dando início à Nova República.
  • 132. Tancredo Neves: 480 votos – 72,4% Paulo Maluf: 180 votos – 27,3%