SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
Prof. Wendell Guedes







 Juscelino, que era do PSD mineiro, assume o governo
do estado e concorre a presidência com o apoio do
PTB;
 UDN indica Juarez Távora;
 Existia a possibilidade de serem votados candidatos
a vice e a presidente de chapas diferentes, o que
garantiu a vitória, para vice, de Jango.
Eleições de 1955

Marechal Lott, limitar a ação política
das forças armadas;
Café Filho se afasta da presidência por
problemas de saúde;
Carlos Luz assume, porém é deposto pelo golpe
de Lott, que tinha como objetivo garantir a posse
do presidente eleito, Juscelino;
Nereu Ramos, presidente do senado, assume até
a posse de Juscelino.
Golpe preventivo

 Juscelino promove calmaria política, atendendo
demandas dos militares e mantendo os sindicatos
sob controle;
 Aliança entre PTB e PSD formava a base de apoio de
JK no congresso;
 Os princípios de seu governo foram
DESENVOLVIMENTO e ORDEM
Governo de JK (1955-61)

Os Cinquenta anos em Cinco; (energia,
industria de base, transporte, alimentação e
construção de Brasília)
Surgimento da SUDENE; (Superintendência
do Desenvolvimento do Nordeste)
Política Nacional Desenvolvimentista, com
atração de capitais estrangeiros,
principalmente nos ramos automobilístico,
eletricidade, transporte aéreos e aço;
Crescimento do PIB três vezes maior do que
os países da América Latina (7% ao ano);
Programa de Metas

 GEIA (Grupo Executivo da
indústria automobilística);
 Implantação da indústria automobilística feita com êxito,
em detrimento do desenvolvimento de transportes de
massa e da construção de uma malha ferroviária;
 Cria uma dependência dos derivados do petróleo e gera
uma despesa altíssima com manutenção das estradas;
...



Construção de Brasília
• Execução de um projeto antigo, remonta ao começo
da República;
•Justificativa: segurança e integração;
• projeto planejado por Niemeyer, artista de grande
expressão no cenário internacional, que representa a
modernidade;
• a construção contou com a participação de imigrantes
nordestinos, chamados candangos
• em 1960 JK inaugura a nova capital do Brasil.


 O governo tem gastos exorbitantes, que culminam em
quadro de inflação;
 A atração do capital estrangeiro gera o discurso da
oposição tomando o governo de Juscelino como
“entreguista”, que colocou o Brasil nas mãos das forças
“imperialistas”.
Dificuldades do Governo
JK

 Bossa nova mesmo é ser presidente
desta terra descoberta por Cabral.
Para tanto basta ser tão simplesmente
simpático, risonho, original.
Depois, desfrutar da maravilha, de ser o presidente do Brasil.
Voar da velha cap pra brasília, ver Alvorada e voar de volta
ao rio.
Voar, voar, voar, voar, voar pra bem distante até Versalhes
onde duas
mineirinhas, valsinhas dançam como debutante, interessante.
Mandar parente a jato pro dentista, almoçar com tenista
campeão, também poder ser um bom artista exclusivista,
tomando com dilhermando umas aulinhas de violão, isso é
viver como se aprova é ser um presidente bossa nova, bossa
nova...muito nova...nova mesmo...ultra nova.
Presidente Bossa Nova – Juca Chaves


Candidato que aparece com uma política
independente de partidos ou alinhamentos
ideológicos;
Apelo a população com sua figura popularesca
com denúncias de corrupção;
Disputa com Lott, que desenvolve campanha
desastrosa por falta de traquejo;
Jânio vence como presidente, e o vice de Lott,
Jango, vence para vice. Forma-se o governo
JANJAN.
Candidatura de Jânio Quadros


 governo desastrado, que começa a tomar decisões que
fugiam ao que mais interessava ao governo (proibições
de lança perfume, biquíni e briga de galo);
 Influência na América Latina causada pela Revolução
Cubana;
Governo Jânio Quadros (1961)

Política Externa
• política independente no cenário da
Guerra Fria;
• condecoração de Che com a Ordem do
Cruzeiro do Sul;
• posicionamento mal visto pela elite
conservadora que passa a criticar o governo
de Jânio Quadros.

“O melhor melhor do mundo!”

Apesar da neutralidade do governo de Jânio
em relação a guerra fria, as suas medidas no
campo econômico muito agradavam as
potências capitalistas, e representavam
segurança na América Latina;
Foram contraídos novos empréstimos junto
ao FMI e EUA, além de renegociar a dívida
externa;
As medidas internas de estabilização eram
ortodoxas e antipopulares.
Política Econômica

 Jânio, após denúncia falsa de tentativa golpista feita
por Lacerda, comunica ao senado sua renúncia;
 Como fruto de um cálculo político mal feito, Jânio
perde a presidência e tem início a disputa pelo poder
Renúncia do Jânio


Cadê o Jango pra assumir?

 Crise no quadro político pela divisão das forças
armadas entre apoiar ou vetar a volta de Jango;
 Apoio maciço vindo do sul, encabeçado por Leonel
Brizola;
 Resolução: congresso formula parlamentarismo, que
entra em vigor pela porta dos fundos, não tendo
fundamentos para uma maior durabilidade.
Sucessão presidencial

Organiza-se uma política menos direcionada
ao pensamento partidário e mais ideológica,
como ilustração temos a decadência das
forças UDNistas e do PSD;
Tancredo Neves durante o período
Parlamentarista é o Primeiro Ministro;
Plebiscito em 1963 confirma a opção pelo
presidencialismo, correspondendo a
normalização do governo João Goulart.
Governo de João Goulart
(1961-63)


Ligas Camponesas;
Regulamentação do trabalho rural;
Fortalecimento do movimento estudantil, sendo
representado pela UNE;
Divisão das forças da igreja, em alas mais
conservadoras, que apoiarão mais tarde o golpe
militar, e um pequeno grupo radical, com
participação ativa na política e que sofrerá
grande repressão por parte dos governos da
ditadura.
Questões Sociais

 Viabilização da Reforma Agrária;
 Projeto de Reforma Urbana;
 Extensão dos votos a analfabetos e camadas
inferiores das forças armadas;
 Medidas econômicas nacionalistas com maior
intervencionismo por parte do Estado;
Reformas de base

A crise financeira herdada dos governos
anteriores se agrava durante o governo de Jango
O ministro Celso Furtado lança o plano que
pretendia combinar o crescimento econômico, as
reformas sociais e o combate à inflação.
Pretendia realizar a reforma agrária
Redução dos gastos públicos, mas manutenção
dos investimentos
Aumento dos impostos incidentes sobre os
grupos de renda mais alta
Plano Trienal

O sucesso do plano dependia do apoio dos
setores que dispunham de voz na sociedade.
O que não ocorreu.
O fracasso do plano foi evidenciado na
estagnação das taxas de crescimento do PIB
O descontentamento força Jango a reformular
ministérios e reconsiderar sua política
financeira, atraindo forças mais
conservadoras para a cúpula ministerial
Consequência do Plano
Trienal

 Radicalização da atuação das Ligas Camponesas
 Crescimento da oposição, que mesmo divergente
quanto aos rumos políticos do país, tinham como
opositor comum o governo de Jango.
 O setor militar passa a difundir a idéia de que
somente através de um golpe a política brasileira
seria restaurada e as ameaças radicais afastadas
 Jango tenta implementar as reformas de base por
meio de decretos anunciados em comícios, gerando
temor por parte das camadas mais conservadoras da
sociedade.
A gestação do Golpe de
1964



Os cidadãos da classe média urbana ficara
aterrorizados com a possibilidade reforma
urbana;
Os proprietários rurais perderam o rumo com as
declarações de Jango sobre a reforma agrária;
As forças armadas mobilizaram-se, a partir de
MG, acreditando que um golpe seria a única
saída para a ameaça de um possível golpe de
estado, esse visto de diversas formas;
O Golpe



“Ser derrotado é normalmente uma condição
temporária. Desistir é o que a faz permanente.”
Marilyn vos Savant

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
carlosbidu
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
Aula 09 republica populista 1
Aula 09  republica populista 1Aula 09  republica populista 1
Aula 09 republica populista 1
Fabiana Tonsis
 
Ditaduras na america latina
Ditaduras na america latinaDitaduras na america latina
Ditaduras na america latina
Isabel Aguiar
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
Isabel Aguiar
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
Isaquel Silva
 

Mais procurados (20)

BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
A República Populista
A República PopulistaA República Populista
A República Populista
 
República da espada
República da espadaRepública da espada
República da espada
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Aula 09 republica populista 1
Aula 09  republica populista 1Aula 09  republica populista 1
Aula 09 republica populista 1
 
Ditaduras na america latina
Ditaduras na america latinaDitaduras na america latina
Ditaduras na america latina
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
Getulio vargas
Getulio vargasGetulio vargas
Getulio vargas
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 

Destaque

As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste AsiáticoAs Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
eiprofessor
 
II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)
eiprofessor
 
Sociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da HumanidadeSociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da Humanidade
José Augusto Fiorin
 
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopoliticaOriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Gisele Finatti Baraglio
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
eiprofessor
 
História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)
eiprofessor
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
eiprofessor
 
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no BrasilDa Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
eiprofessor
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
eiprofessor
 
II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)
eiprofessor
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
eiprofessor
 
O Renascimento e Tartarugas Ninjas
O Renascimento e Tartarugas NinjasO Renascimento e Tartarugas Ninjas
O Renascimento e Tartarugas Ninjas
eiprofessor
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
eiprofessor
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
eiprofessor
 
Colonialismo, racismo e descolonização.
Colonialismo, racismo e descolonização.Colonialismo, racismo e descolonização.
Colonialismo, racismo e descolonização.
eiprofessor
 

Destaque (20)

As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste AsiáticoAs Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
As Guerras de Independência da África e Sudeste Asiático
 
Nicaraguan revolution
Nicaraguan revolutionNicaraguan revolution
Nicaraguan revolution
 
II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)II Reinado - Decadência (parte final)
II Reinado - Decadência (parte final)
 
Sociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da HumanidadeSociedades na História da Humanidade
Sociedades na História da Humanidade
 
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopoliticaOriente proximo evolucao_historica e geopolitica
Oriente proximo evolucao_historica e geopolitica
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
 
História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)História Social Inglesa (do trabalho)
História Social Inglesa (do trabalho)
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
 
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no BrasilDa Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
Da Igreja a Moenda - Sociedade Colonial no Brasil
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
 
II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)II Reinado - Política Externa (parte 3)
II Reinado - Política Externa (parte 3)
 
Período Regencial
Período RegencialPeríodo Regencial
Período Regencial
 
O Renascimento e Tartarugas Ninjas
O Renascimento e Tartarugas NinjasO Renascimento e Tartarugas Ninjas
O Renascimento e Tartarugas Ninjas
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
 
História da TV no mundo
História da TV no mundoHistória da TV no mundo
História da TV no mundo
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Colonialismo, racismo e descolonização.
Colonialismo, racismo e descolonização.Colonialismo, racismo e descolonização.
Colonialismo, racismo e descolonização.
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Uma breve história da humanidade - sapiens - Harari - fichamento
Uma breve história da humanidade - sapiens - Harari - fichamentoUma breve história da humanidade - sapiens - Harari - fichamento
Uma breve história da humanidade - sapiens - Harari - fichamento
 
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democraticaBRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
BRASIL 1945 a 64 - Republica populista - democratica
 

Semelhante a Governos Populistas

Brasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica IiBrasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica Ii
ecsette
 
Slides -aula_dmeb_pdf_
Slides  -aula_dmeb_pdf_Slides  -aula_dmeb_pdf_
Slides -aula_dmeb_pdf_
Diego Leonel
 
Governos populistas- Brasil
Governos populistas- BrasilGovernos populistas- Brasil
Governos populistas- Brasil
Thayna Oliveira
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
historiando
 

Semelhante a Governos Populistas (20)

Governos populistas
Governos populistasGovernos populistas
Governos populistas
 
Aula 23 república populista
Aula 23   república populistaAula 23   república populista
Aula 23 república populista
 
Comissaodaverdade
ComissaodaverdadeComissaodaverdade
Comissaodaverdade
 
Brasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica IiBrasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica Ii
 
Slides -aula_dmeb_pdf_
Slides  -aula_dmeb_pdf_Slides  -aula_dmeb_pdf_
Slides -aula_dmeb_pdf_
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
 
Período pós-vargas
Período pós-vargasPeríodo pós-vargas
Período pós-vargas
 
DE JK A LULA-LÁ
DE JK A LULA-LÁDE JK A LULA-LÁ
DE JK A LULA-LÁ
 
Governos populistas- Brasil
Governos populistas- BrasilGovernos populistas- Brasil
Governos populistas- Brasil
 
A república liberal
A república liberalA república liberal
A república liberal
 
De Juscelino a Jango
De Juscelino a JangoDe Juscelino a Jango
De Juscelino a Jango
 
República democrática
República democráticaRepública democrática
República democrática
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
 
A partir de Vargas
A partir de VargasA partir de Vargas
A partir de Vargas
 
20 A República Populista
20 A República Populista20 A República Populista
20 A República Populista
 
2014 50 anos da ditadura civil militar no brasil
2014  50 anos da ditadura civil militar no brasil2014  50 anos da ditadura civil militar no brasil
2014 50 anos da ditadura civil militar no brasil
 
Brasil Finaleira
Brasil  FinaleiraBrasil  Finaleira
Brasil Finaleira
 
João Goulart
João Goulart João Goulart
João Goulart
 
Governo militar
Governo militarGoverno militar
Governo militar
 

Mais de eiprofessor

Período Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I ReinadoPeríodo Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I Reinado
eiprofessor
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
eiprofessor
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
eiprofessor
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
eiprofessor
 
República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)
eiprofessor
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
eiprofessor
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
eiprofessor
 
Revolucão Industrial
Revolucão IndustrialRevolucão Industrial
Revolucão Industrial
eiprofessor
 
EUA no século XIX
EUA no século XIXEUA no século XIX
EUA no século XIX
eiprofessor
 
República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)
eiprofessor
 
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na AméricaIndependência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
eiprofessor
 
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
eiprofessor
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
eiprofessor
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
eiprofessor
 
Civilização Inca
Civilização IncaCivilização Inca
Civilização Inca
eiprofessor
 
Civilização Asteca
Civilização AstecaCivilização Asteca
Civilização Asteca
eiprofessor
 

Mais de eiprofessor (19)

Período Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I ReinadoPeríodo Joanino, Independência e I Reinado
Período Joanino, Independência e I Reinado
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)República Velha (Revoltas)
República Velha (Revoltas)
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Revolucão Industrial
Revolucão IndustrialRevolucão Industrial
Revolucão Industrial
 
EUA no século XIX
EUA no século XIXEUA no século XIX
EUA no século XIX
 
República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)República Velha (Oligárquica)
República Velha (Oligárquica)
 
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na AméricaIndependência das 13 Colônias Inglesas na América
Independência das 13 Colônias Inglesas na América
 
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
 
Civilização Inca
Civilização IncaCivilização Inca
Civilização Inca
 
Civilização Asteca
Civilização AstecaCivilização Asteca
Civilização Asteca
 

Governos Populistas

  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.   Juscelino, que era do PSD mineiro, assume o governo do estado e concorre a presidência com o apoio do PTB;  UDN indica Juarez Távora;  Existia a possibilidade de serem votados candidatos a vice e a presidente de chapas diferentes, o que garantiu a vitória, para vice, de Jango. Eleições de 1955
  • 9.  Marechal Lott, limitar a ação política das forças armadas; Café Filho se afasta da presidência por problemas de saúde; Carlos Luz assume, porém é deposto pelo golpe de Lott, que tinha como objetivo garantir a posse do presidente eleito, Juscelino; Nereu Ramos, presidente do senado, assume até a posse de Juscelino. Golpe preventivo
  • 10.   Juscelino promove calmaria política, atendendo demandas dos militares e mantendo os sindicatos sob controle;  Aliança entre PTB e PSD formava a base de apoio de JK no congresso;  Os princípios de seu governo foram DESENVOLVIMENTO e ORDEM Governo de JK (1955-61)
  • 11.  Os Cinquenta anos em Cinco; (energia, industria de base, transporte, alimentação e construção de Brasília) Surgimento da SUDENE; (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) Política Nacional Desenvolvimentista, com atração de capitais estrangeiros, principalmente nos ramos automobilístico, eletricidade, transporte aéreos e aço; Crescimento do PIB três vezes maior do que os países da América Latina (7% ao ano); Programa de Metas
  • 12.   GEIA (Grupo Executivo da indústria automobilística);  Implantação da indústria automobilística feita com êxito, em detrimento do desenvolvimento de transportes de massa e da construção de uma malha ferroviária;  Cria uma dependência dos derivados do petróleo e gera uma despesa altíssima com manutenção das estradas; ...
  • 13.
  • 14.
  • 15.  Construção de Brasília • Execução de um projeto antigo, remonta ao começo da República; •Justificativa: segurança e integração; • projeto planejado por Niemeyer, artista de grande expressão no cenário internacional, que representa a modernidade; • a construção contou com a participação de imigrantes nordestinos, chamados candangos • em 1960 JK inaugura a nova capital do Brasil.
  • 16.
  • 17.   O governo tem gastos exorbitantes, que culminam em quadro de inflação;  A atração do capital estrangeiro gera o discurso da oposição tomando o governo de Juscelino como “entreguista”, que colocou o Brasil nas mãos das forças “imperialistas”. Dificuldades do Governo JK
  • 18.   Bossa nova mesmo é ser presidente desta terra descoberta por Cabral. Para tanto basta ser tão simplesmente simpático, risonho, original. Depois, desfrutar da maravilha, de ser o presidente do Brasil. Voar da velha cap pra brasília, ver Alvorada e voar de volta ao rio. Voar, voar, voar, voar, voar pra bem distante até Versalhes onde duas mineirinhas, valsinhas dançam como debutante, interessante. Mandar parente a jato pro dentista, almoçar com tenista campeão, também poder ser um bom artista exclusivista, tomando com dilhermando umas aulinhas de violão, isso é viver como se aprova é ser um presidente bossa nova, bossa nova...muito nova...nova mesmo...ultra nova. Presidente Bossa Nova – Juca Chaves
  • 19.
  • 20.  Candidato que aparece com uma política independente de partidos ou alinhamentos ideológicos; Apelo a população com sua figura popularesca com denúncias de corrupção; Disputa com Lott, que desenvolve campanha desastrosa por falta de traquejo; Jânio vence como presidente, e o vice de Lott, Jango, vence para vice. Forma-se o governo JANJAN. Candidatura de Jânio Quadros
  • 21.
  • 22.   governo desastrado, que começa a tomar decisões que fugiam ao que mais interessava ao governo (proibições de lança perfume, biquíni e briga de galo);  Influência na América Latina causada pela Revolução Cubana; Governo Jânio Quadros (1961)
  • 23.  Política Externa • política independente no cenário da Guerra Fria; • condecoração de Che com a Ordem do Cruzeiro do Sul; • posicionamento mal visto pela elite conservadora que passa a criticar o governo de Jânio Quadros.
  • 24.  “O melhor melhor do mundo!”
  • 25.  Apesar da neutralidade do governo de Jânio em relação a guerra fria, as suas medidas no campo econômico muito agradavam as potências capitalistas, e representavam segurança na América Latina; Foram contraídos novos empréstimos junto ao FMI e EUA, além de renegociar a dívida externa; As medidas internas de estabilização eram ortodoxas e antipopulares. Política Econômica
  • 26.   Jânio, após denúncia falsa de tentativa golpista feita por Lacerda, comunica ao senado sua renúncia;  Como fruto de um cálculo político mal feito, Jânio perde a presidência e tem início a disputa pelo poder Renúncia do Jânio
  • 27.
  • 28.  Cadê o Jango pra assumir?
  • 29.   Crise no quadro político pela divisão das forças armadas entre apoiar ou vetar a volta de Jango;  Apoio maciço vindo do sul, encabeçado por Leonel Brizola;  Resolução: congresso formula parlamentarismo, que entra em vigor pela porta dos fundos, não tendo fundamentos para uma maior durabilidade. Sucessão presidencial
  • 30.  Organiza-se uma política menos direcionada ao pensamento partidário e mais ideológica, como ilustração temos a decadência das forças UDNistas e do PSD; Tancredo Neves durante o período Parlamentarista é o Primeiro Ministro; Plebiscito em 1963 confirma a opção pelo presidencialismo, correspondendo a normalização do governo João Goulart. Governo de João Goulart (1961-63)
  • 31.
  • 32.  Ligas Camponesas; Regulamentação do trabalho rural; Fortalecimento do movimento estudantil, sendo representado pela UNE; Divisão das forças da igreja, em alas mais conservadoras, que apoiarão mais tarde o golpe militar, e um pequeno grupo radical, com participação ativa na política e que sofrerá grande repressão por parte dos governos da ditadura. Questões Sociais
  • 33.   Viabilização da Reforma Agrária;  Projeto de Reforma Urbana;  Extensão dos votos a analfabetos e camadas inferiores das forças armadas;  Medidas econômicas nacionalistas com maior intervencionismo por parte do Estado; Reformas de base
  • 34.  A crise financeira herdada dos governos anteriores se agrava durante o governo de Jango O ministro Celso Furtado lança o plano que pretendia combinar o crescimento econômico, as reformas sociais e o combate à inflação. Pretendia realizar a reforma agrária Redução dos gastos públicos, mas manutenção dos investimentos Aumento dos impostos incidentes sobre os grupos de renda mais alta Plano Trienal
  • 35.  O sucesso do plano dependia do apoio dos setores que dispunham de voz na sociedade. O que não ocorreu. O fracasso do plano foi evidenciado na estagnação das taxas de crescimento do PIB O descontentamento força Jango a reformular ministérios e reconsiderar sua política financeira, atraindo forças mais conservadoras para a cúpula ministerial Consequência do Plano Trienal
  • 36.   Radicalização da atuação das Ligas Camponesas  Crescimento da oposição, que mesmo divergente quanto aos rumos políticos do país, tinham como opositor comum o governo de Jango.  O setor militar passa a difundir a idéia de que somente através de um golpe a política brasileira seria restaurada e as ameaças radicais afastadas  Jango tenta implementar as reformas de base por meio de decretos anunciados em comícios, gerando temor por parte das camadas mais conservadoras da sociedade. A gestação do Golpe de 1964
  • 37.
  • 38.
  • 39.  Os cidadãos da classe média urbana ficara aterrorizados com a possibilidade reforma urbana; Os proprietários rurais perderam o rumo com as declarações de Jango sobre a reforma agrária; As forças armadas mobilizaram-se, a partir de MG, acreditando que um golpe seria a única saída para a ameaça de um possível golpe de estado, esse visto de diversas formas; O Golpe
  • 40.
  • 41.
  • 42.  “Ser derrotado é normalmente uma condição temporária. Desistir é o que a faz permanente.” Marilyn vos Savant