SlideShare uma empresa Scribd logo
Profª. – Fatima Freitas
 Na segunda metade do século XX, o Brasil passava
  por um crescimento urbano e industrial
 O país havia participado na 2ª. Guerra combatendo
  o nazifascismo, portanto evidenciou que o regime
  ditatorial do Estado Novo era contraditório com a
  democracia defendida pelos Aliados.
 No final de 1944 cresciam no Brasil os movimentos
  políticos que exigiam o fim do regime ditatorial e o
  retorno da democracia e das liberdades civis.
 Assim a UNE, órgãos da imprensa, grupos liberais
  que se opunham a Vargas começam a se articular
  lançando o nome do brigadeiro Eduardo Gomes à
  sucessão presidencial.
   Pressionado Vargas se antecipou e decretou um novo
    código eleitoral, onde haveria eleições para presidente e
    também a elaboração de uma nova Constituição em
    dezembro de 1945.
   Foi permitida a reorganização dos partidos políticos,
    sendo criados a UDN, grupo de oposição liberal formada
    pelas oligarquias estaduais.
   PSD e PTB, representados por grupos ligados ao governo
    de Vargas.
   O PCB retornou à legalidade e apóia Vargas.
   Nesse momento o ditador representava o nacionalismo,
    única força capaz de conter a ascenção dos liberais da
    UDN, associados aos interesses norte-americanos.
   O PCB passou a apoiar a sua permanência no poder até a
    aprovação da nova Constituição.
•   A propaganda do Estado Novo influenciava as camadas
    populares e estimulava o Queremismo, movimento
    favorável à permanência de Vargas no poder.
•   A palavra de ordem era: “Queremos Getúlio”
•   Esse apoio gerava apreensão entre os políticos liberais, a
    elite, fora a pressão do governo norte-americano pela
    redemocratizações e suas críticas ao populismo de
    Vargas.
•   O nacionalismo econômico de Vargas desagradava os
    interesses norte-americanos e os dos liberais brasileiros,
    após o governo decretar leis contra a formação de
    trustes e cartéis punindo as empresas até com a
    desapropriação.
•   Vargas perdeu o apoio da alta cúpula militar, que
    articulou um golpe de estado, e em novembro de 1945,
    os mesmos líderes militares que apoiaram Vargas em
    1937, comandaram o cerco ao palácio do governo,
    obrigando-o a renunciar.
 Em dezembro de 1945 foram realizadas eleições
  para presidente e para a Assembléia Constituinte.
 Concorreram o general Dutra (PSD-PTB), que tinha o
  apoio de Vargas, o brigadeiro Eduardo Gomes (UDN)
  e o engenheiro Yedo Fiúza (PCB)
 Eduardo Gomes obteve 35% dos votos, Fiúza obteve
  10% e Dutra venceu com 55%.
A nova constituição foi promulgada em 16 de
    setembro de 1946, tendo como pontos principais:

   Forma de governo: República Federativa;
   Eleições gerais e diretas para todos os cargos;
   O mandato presidencial seria de cinco anos;
   Interdependência entre os poderes;
   Liberdade de expressão, pensamento e locomoção;
   As prisões seriam efetuadas somente em flagrante delito
    ou por ordem escrita;
   Voto direto e secreto para ambos os sexos (somente para
    alfabetizados);
   Proibição de greve
   Manutenção da política trabalhista de Vargas.
Na política externa:          Política econômica da 1ª. Fase
                                     (1946-47)
                                    Abertura para o capital
•    fortalecimento dos laços        estrangeiro e a redução das
    políticos com os EUA.            tarifas alfandegárias e o
•   Alinhamento com os EUA           consequente aumento das
    quanto à política                importações;
    anticomunista;                  Estagnação da indústria
•   Apoio aos EUA na Guerra Fria     nacional.
    e rompimento dos laços
    diplomáticos com a URSS;
•   O PCB foi novamente                      2ª. Fase (1947)
    colocado na ilegalidade e os      Restrição às importações;
    partidários tiveram seus
    mandatos cassados, os             Aumento da produção
    funcionários públicos              industrial brasileira voltada
    suspeitos foram demitidos e        para o mercado interno.
    passaram a sofrer                 Essas medidas não foram
    perseguições.                      suficientes para controlar a
                                       inflação e melhorar as
                                       condições de vida das
                                       camadas populares.
                                      Baixos salários que não eram
                                       reajustados desde 1942.
Dutra e Kennedy




Dutra e Eisenhower
•   Vargas retornou ao poder com uma votação maciça, eleito numa
    campanha que enfatizava os interesses nacionais uniu PTB e PSD.
•   Com Getúlio, volta a política de nacionalismo e intervenção estatal
    e são impulsionadas a produção siderúrgica e a petroquímica.
•   Foi criado o BNDE em 1951 com o objetivo de dar apoio aos
    projetos do governo;
•   Criação da PETROBRÀS em 1953, que estabelecia o monopólio
    estatal da exploração e refino do petróleo no Brasil.
•   Dobrou o valor do salário mínimo e procurou controlar os
    sindicatos.
•   Essa postura nacionalista não agradou aos liberais brasileiros e nem
    aos interesses dos capitalistas norte-americanos.
•   A oposição torna-se implacável e exigem a renúncia de Vargas.
•   Em agosto de 1954, o jornalista opositor, Carlos Lacerda (UDN)
    sofre um atentado na Rua Toneleros, e as investigações apontavam
    o chefe da segurança de Vargas, Gregório Fortunato.
•   Esse episódio fez aumentar as pressões pela renúncia e Vargas não
    admitia nova deposição, e no dia 24 de agosto de 1954, escreveu
    uma carta testamento e suicidou-se com um tiro no peito.
•   Após a morte de Vargas, o vice Café Filho assumiu a
    presidência.
•   No seu governo as divergências entre conservadores e
    progressistas se acentuaram, provocando acirradas
    disputas partidárias.
•   Realizou-se eleições presidenciais em 1955 tendo como
    vencedores os candidatos:
   Juscelino Kubischek (PSD-PTB) para presidente e;
   João Goulart (Jango) (PSD-PTB) para vice-presidente.
•   Um grupo de militares e civis conservadores articulam
    um golpe para impedir a posso de JK e Jango temendo
    que a política nacional fosse mantida.
•   Militares preocupados com em manter a ordem
    democrática prepararam um contragolpe liderado pelo
    marechal Lott que estabeleceu o estado de sítio e
    garantiu a posse em janeiro de 1955.
•   O governo estabeleceu um plano de metas que trazia a frase:
    “cinquenta anos em cinco”.
•   Para financiar o desenvolvimento, o governo recorreu ao
    capital estrangeiro, estimulando a indústria automobilística,
    com instalações da Ford, General Motors, Volksvagem e Willys.
•   O marco definitivo foi a construção de Brasília, projetada por
    Lúcio costa e Oscar Niemeyer.
•   Muitos trabalhadores nordestinos (candangos) foram atraídos
    para a obra e no final sem condições de voltar ou de pagar
    aluguel foram para a periferia contribuindo para a formação
    das cidades-satélites.
•   A política de desenvolvimento de JK trouxe aumento da
    inflação que levou o Brasil para uma crise econômica que seria
    empurrada para os governos futuros.
Benefícios                     Problemas
   Estimulou o
    estabelecimento de             Não criou mecanismos que
    multinacionais barateando       limitassem a remessa de
    o preço de alguns bens de       lucros para o exterior;
    consumo, até então raros;      Para executar as obras o
   Construção de várias            governo emitiu uma grande
    estradas por todo o país        quantidade de papel-moeda,
                                    acarretando enorme inflação;
    colaborando para integrar
    as diversas regiões            As ferrovias, sistema de
    aumentando o fluxo de           transporte de baixo custo
                                    foram abandonadas, e o país
    carros e caminhões;             ficou dependente da
   A política voltada à            importação de combustíveis
    industrialização gerou          derivados do petróleo;
    novos empregos nos meios       Falta de políticas voltadas
    urbanos.                        para os camponeses aumentou
                                    o êxodo rural, provocando o
                                    crescimento desordenado das
                                    cidades.
   Candidato do PSD-PTB com o apoio da UDN, Jânio foi
    eleito com 48% dos votos derrotando o marechal Lott.
   Para vice venceu João Goulart (Jango) da mesma chapa
    de Lott.
   Tomaram posse em Brasília no dia 31 de janeiro de 1961.
   Jânio tinha o apoio das classes médias e das lideranças
    militares, em sua campanha defendeu a moralização das
    instituições políticas e o combate à corrupção.
    Seu símbolo de campanha era uma vassoura.
   Sua política interna foi conservadora e repleta de
    polêmicas como proibição de corridas de cavalos em dias
    úteis, uso de biquinis nas praias, lança perfumes, brigas
    de galo, etc.
   Instalou inquéritos presididos por militares para
    investigar todos os níveis da administração pública e os
    atos do governo anterior.
•   Enfrentou uma inflação de 30% ao ano devido a política emissionista de
    JK.
•   A dívida externa atingia 3,8 bilhões de dólares e para controlá-la Jânio
    adotou corte nos gastos públicos, restringiu o crédito, cancelou
    subsídios dados pelo governo às importações e congelou os salários,
    medidas essas que desagradaram o FMI e trouxe grande
    descontentamento popular.
•   Externamente tentou assumir uma posição de liderança entre os países
    do 3º. Mundo e de não alinhamento aos EUA como:
   Reatar relações diplomáticas com a China comunista;
   Aproximou-se de outros países socialistas;
   Condecorou o líder da revolução cubana Che Guevara com a cruz de
    ferro e o jornalista Carlos Lacerda o acusou de abrir as portas do Brasil
    ao comunismo e de liderar um golpe;
   Mostrou-se favorável à independência das colônias européias na África e
    na Ásia.
   Num gesto inesperado renuncia em 25 de agosto de 1961 declarando
    que “forças terríveis” o obrigavam a deixar a presidência.
   Até hoje se discute essa renúncia, alguns acreditam que a frase era
    somente uma estratégia para conseguir o apoio dos militares e da
    população.
   O certo é que Jânio nunca deixou claro quem fazia parte dessas
    “forças”.
   Após a renúncia de Jânio, o presidente da câmara Ranieri
    Mazzili assume interinamente, pois o vice João Goulart
    estava em visita oficial à China.
   Como Jango havia sido ministro do trabalho de Vargas e
    era acusado de ser “comunista”, tanto os opositores de
    Vargas como os anticomunistas não queriam que ele
    assumisse.
   Leonel Brizola, governador do RS, liderou um movimento
    para garantir o cumprimento da Constituição que previa
    a posse do vice em caso de renúncia do presidente, foi a
    “Campanha da Legalidade”.
   Os golpistas perceberam que o impasse poderia provocar
    uma guerra civil e a solução encontrada pelo Congresso
    foi promulgar o Ato Adicional de 1961, estabelecendo o
    sistema “Parlamentarista no Brasil”, enquanto isso Jango
    aguardava a solução no Uruguai.
   Jango assumiu em sete de setembro de 1 961, com poderes
    reduzidos pela participação de um primeiro-ministro indicado
    pelo Congresso.
   Durante o período parlamentar, ele conseguiu convocar um
    plebiscito para 6 de janeiro de 1964 que o povo escolhesse o
    sistema de governo, vencendo o presidencialismo.
   Com os poderes de volta Jango decretou o monopólio do estado
    para importação de petróleo e passou a controlar os lucros que as
    empresas estrangeiras enviavam para fora do Brasil.
   O presidente anunciou um programa de reformas em um grande
    comício no RJ em 13 de março de 1964, destacando as seguintes
    medidas:
   Estatização de todas as refinarias de petróleo;
   Desapropriação de propriedades com mais de 100 hectares;
   Direito de voto aos analfabetos;
   Ampliação do nº de vagas em universidades públicas.
   Os generais Luis Carlos Guedes e Mourão Filho, apoiados
    por políticos como Magalhães Pinto, governador de MG e
    membro da UDN deflagaram um movimento político e
    militar para depor o presidente.
   Prepara-se um golpe para depor o presidente com os
    pretextos de manter a legalidade “ameaçada” por Jango,
    e impedir o avanço comunista no país.
   Desistindo de uma possível reação contra o golpe militar
    e a consequente guerra civil, Jango retira-se em 1º. De
    abril de 1964 para Porto Alegre e de lá vai para o exílio
    no Uruguai em 4 de abril.
   O presidente da câmara Ranieri Mazzili assume a
    presidência mais uma vez em caráter interino.
   O Alto Comando decreta o Ato Institucional nº. 01, dando
    ao Congresso a função de eleger o novo presidente da
    república.
   Iniciava-se a Ditadura Militar no Brasil
 Coleção  História Novo Olhar – Marco
  Pellegrini – Editora FTD
 Apostilado de História – Profº. Adelino de
  Mello
 História Global – Gilberto Cotrim – Editora
  Saraiva
 Imagens google

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
Ditaduras na america latina
Ditaduras na america latinaDitaduras na america latina
Ditaduras na america latina
Isabel Aguiar
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
Alex Ferreira dos Santos
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
Janaína Tavares
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
Marilia Pimentel
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
Daniel Alves Bronstrup
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
guest12728e
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
Elton Zanoni
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
Paulo Alexandre
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
Rodrigo Luiz
 
O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)
Edenilson Morais
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
eiprofessor
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Douglas Barraqui
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
Vivihistoria
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Aulas de História
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
Edenilson Morais
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 

Mais procurados (20)

9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
Ditaduras na america latina
Ditaduras na america latinaDitaduras na america latina
Ditaduras na america latina
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
 
Industrialização e Imperialismo
Industrialização e ImperialismoIndustrialização e Imperialismo
Industrialização e Imperialismo
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 

Destaque

O pós guerra no Brasil
O pós guerra no BrasilO pós guerra no Brasil
O pós guerra no Brasil
Janayna Lira
 
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Jéssica Simões
 
Anos dourados no brasil
Anos dourados no brasilAnos dourados no brasil
Anos dourados no brasil
Monique Paulino de Andrade Bom Jesus
 
Trabalho do gustavo sobre o populismo
Trabalho do gustavo sobre o populismoTrabalho do gustavo sobre o populismo
Trabalho do gustavo sobre o populismo
Reginaldo Teixeira Teixeira
 
Ditadura x Democracia
Ditadura x DemocraciaDitadura x Democracia
Ditadura x Democracia
ericacostas
 
O Populismo - Prof. Medeiros
O Populismo - Prof. MedeirosO Populismo - Prof. Medeiros
O Populismo - Prof. Medeiros
João Medeiros
 
Período democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Período democrático 1946 a 1964 - História do BrasilPeríodo democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Período democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Marilia Pimentel
 
Brasil - da Democracia à Ditadura
Brasil -  da Democracia à DitaduraBrasil -  da Democracia à Ditadura
Brasil - da Democracia à Ditadura
margosanta
 

Destaque (8)

O pós guerra no Brasil
O pós guerra no BrasilO pós guerra no Brasil
O pós guerra no Brasil
 
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
 
Anos dourados no brasil
Anos dourados no brasilAnos dourados no brasil
Anos dourados no brasil
 
Trabalho do gustavo sobre o populismo
Trabalho do gustavo sobre o populismoTrabalho do gustavo sobre o populismo
Trabalho do gustavo sobre o populismo
 
Ditadura x Democracia
Ditadura x DemocraciaDitadura x Democracia
Ditadura x Democracia
 
O Populismo - Prof. Medeiros
O Populismo - Prof. MedeirosO Populismo - Prof. Medeiros
O Populismo - Prof. Medeiros
 
Período democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Período democrático 1946 a 1964 - História do BrasilPeríodo democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
Período democrático 1946 a 1964 - História do Brasil
 
Brasil - da Democracia à Ditadura
Brasil -  da Democracia à DitaduraBrasil -  da Democracia à Ditadura
Brasil - da Democracia à Ditadura
 

Semelhante a Brasil democrático (1945 1964)

Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)
Fatima Freitas
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Nelia Salles Nantes
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Nelia Salles Nantes
 
Brasil 1945 1964 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1964 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1964 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1964 - até 2º governo de vargas
historiando
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
historiando
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
Nelia Salles Nantes
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
Nelia Salles Nantes
 
Aularepdemocratica
AularepdemocraticaAularepdemocratica
Aularepdemocratica
Daniel Gonçalves
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
historiando
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Silvia Basso
 
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista   1946 a 1964 - pdfBrasil república populista   1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Capitulo 12 pos guerra no brasil
Capitulo 12  pos guerra no brasilCapitulo 12  pos guerra no brasil
Capitulo 12 pos guerra no brasil
Educandário Imaculada Conceição
 
Aula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura Militar
Aula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura MilitarAula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura Militar
Aula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura Militar
Gerson Coppes
 
República democrática
República democráticaRepública democrática
República democrática
eunamahcado
 
período Vargas 1930 a 1945 1951 a 1954
período Vargas  1930 a 1945   1951 a 1954período Vargas  1930 a 1945   1951 a 1954
período Vargas 1930 a 1945 1951 a 1954
Ricardo Diniz campos
 
Período Democrático - Saboia - 9° ano
Período Democrático - Saboia - 9° anoPeríodo Democrático - Saboia - 9° ano
Período Democrático - Saboia - 9° ano
Ana Cláudia Dias
 
Anos dourados
Anos douradosAnos dourados
Anos dourados
Ramiro Bicca
 
Brasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica IiBrasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica Ii
ecsette
 
Populismo 1945 1964
Populismo 1945   1964Populismo 1945   1964
Populismo 1945 1964
Isabel Aguiar
 
Governo dutra-1945-1964
Governo dutra-1945-1964Governo dutra-1945-1964
Governo dutra-1945-1964
maida marciano
 

Semelhante a Brasil democrático (1945 1964) (20)

Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)Brasil democrático (1945 1964)
Brasil democrático (1945 1964)
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
 
Brasil 1945 1964 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1964 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1964 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1964 - até 2º governo de vargas
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
 
Aularepdemocratica
AularepdemocraticaAularepdemocratica
Aularepdemocratica
 
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945   1954 - até 2º governo de vargasBrasil 1945   1954 - até 2º governo de vargas
Brasil 1945 1954 - até 2º governo de vargas
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
 
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista   1946 a 1964 - pdfBrasil república populista   1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
 
Capitulo 12 pos guerra no brasil
Capitulo 12  pos guerra no brasilCapitulo 12  pos guerra no brasil
Capitulo 12 pos guerra no brasil
 
Aula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura Militar
Aula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura MilitarAula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura Militar
Aula 9 [3-2022] - Período Democrático e Ditadura Militar
 
República democrática
República democráticaRepública democrática
República democrática
 
período Vargas 1930 a 1945 1951 a 1954
período Vargas  1930 a 1945   1951 a 1954período Vargas  1930 a 1945   1951 a 1954
período Vargas 1930 a 1945 1951 a 1954
 
Período Democrático - Saboia - 9° ano
Período Democrático - Saboia - 9° anoPeríodo Democrático - Saboia - 9° ano
Período Democrático - Saboia - 9° ano
 
Anos dourados
Anos douradosAnos dourados
Anos dourados
 
Brasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica IiBrasil RepúBlica Ii
Brasil RepúBlica Ii
 
Populismo 1945 1964
Populismo 1945   1964Populismo 1945   1964
Populismo 1945 1964
 
Governo dutra-1945-1964
Governo dutra-1945-1964Governo dutra-1945-1964
Governo dutra-1945-1964
 

Mais de Fatima Freitas

Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
Fatima Freitas
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
Fatima Freitas
 
Rio + 20
Rio + 20Rio + 20
Rio + 20
Fatima Freitas
 
Guerra da coreia
Guerra da coreiaGuerra da coreia
Guerra da coreia
Fatima Freitas
 
Revolução chinesa
Revolução chinesaRevolução chinesa
Revolução chinesa
Fatima Freitas
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
Fatima Freitas
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
Fatima Freitas
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
Fatima Freitas
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Fatima Freitas
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
Fatima Freitas
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
Fatima Freitas
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planeta
Fatima Freitas
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasil
Fatima Freitas
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Fatima Freitas
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
Fatima Freitas
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Fatima Freitas
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Fatima Freitas
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
Fatima Freitas
 
Indígenas do brasil
Indígenas do brasilIndígenas do brasil
Indígenas do brasil
Fatima Freitas
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colônia
Fatima Freitas
 

Mais de Fatima Freitas (20)

Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
 
Problemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanosProblemas ambientais urbanos
Problemas ambientais urbanos
 
Rio + 20
Rio + 20Rio + 20
Rio + 20
 
Guerra da coreia
Guerra da coreiaGuerra da coreia
Guerra da coreia
 
Revolução chinesa
Revolução chinesaRevolução chinesa
Revolução chinesa
 
Oriente médio
Oriente médioOriente médio
Oriente médio
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Clima do brasil
Clima do brasilClima do brasil
Clima do brasil
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
áGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e maresáGuas oceanicas e mares
áGuas oceanicas e mares
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Paisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planetaPaisagens naturais do planeta
Paisagens naturais do planeta
 
As paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasilAs paisagens vegetais do brasil
As paisagens vegetais do brasil
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
Antiguidade oriental   mesopotâmia 1Antiguidade oriental   mesopotâmia 1
Antiguidade oriental mesopotâmia 1
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Independência dos eua
Independência dos euaIndependência dos eua
Independência dos eua
 
Indígenas do brasil
Indígenas do brasilIndígenas do brasil
Indígenas do brasil
 
A escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colôniaA escravidão no brasil colônia
A escravidão no brasil colônia
 

Brasil democrático (1945 1964)

  • 2.  Na segunda metade do século XX, o Brasil passava por um crescimento urbano e industrial  O país havia participado na 2ª. Guerra combatendo o nazifascismo, portanto evidenciou que o regime ditatorial do Estado Novo era contraditório com a democracia defendida pelos Aliados.  No final de 1944 cresciam no Brasil os movimentos políticos que exigiam o fim do regime ditatorial e o retorno da democracia e das liberdades civis.  Assim a UNE, órgãos da imprensa, grupos liberais que se opunham a Vargas começam a se articular lançando o nome do brigadeiro Eduardo Gomes à sucessão presidencial.
  • 3. Pressionado Vargas se antecipou e decretou um novo código eleitoral, onde haveria eleições para presidente e também a elaboração de uma nova Constituição em dezembro de 1945.  Foi permitida a reorganização dos partidos políticos, sendo criados a UDN, grupo de oposição liberal formada pelas oligarquias estaduais.  PSD e PTB, representados por grupos ligados ao governo de Vargas.  O PCB retornou à legalidade e apóia Vargas.  Nesse momento o ditador representava o nacionalismo, única força capaz de conter a ascenção dos liberais da UDN, associados aos interesses norte-americanos.  O PCB passou a apoiar a sua permanência no poder até a aprovação da nova Constituição.
  • 4. A propaganda do Estado Novo influenciava as camadas populares e estimulava o Queremismo, movimento favorável à permanência de Vargas no poder. • A palavra de ordem era: “Queremos Getúlio” • Esse apoio gerava apreensão entre os políticos liberais, a elite, fora a pressão do governo norte-americano pela redemocratizações e suas críticas ao populismo de Vargas. • O nacionalismo econômico de Vargas desagradava os interesses norte-americanos e os dos liberais brasileiros, após o governo decretar leis contra a formação de trustes e cartéis punindo as empresas até com a desapropriação. • Vargas perdeu o apoio da alta cúpula militar, que articulou um golpe de estado, e em novembro de 1945, os mesmos líderes militares que apoiaram Vargas em 1937, comandaram o cerco ao palácio do governo, obrigando-o a renunciar.
  • 5.
  • 6.  Em dezembro de 1945 foram realizadas eleições para presidente e para a Assembléia Constituinte.  Concorreram o general Dutra (PSD-PTB), que tinha o apoio de Vargas, o brigadeiro Eduardo Gomes (UDN) e o engenheiro Yedo Fiúza (PCB)  Eduardo Gomes obteve 35% dos votos, Fiúza obteve 10% e Dutra venceu com 55%.
  • 7. A nova constituição foi promulgada em 16 de setembro de 1946, tendo como pontos principais:  Forma de governo: República Federativa;  Eleições gerais e diretas para todos os cargos;  O mandato presidencial seria de cinco anos;  Interdependência entre os poderes;  Liberdade de expressão, pensamento e locomoção;  As prisões seriam efetuadas somente em flagrante delito ou por ordem escrita;  Voto direto e secreto para ambos os sexos (somente para alfabetizados);  Proibição de greve  Manutenção da política trabalhista de Vargas.
  • 8.
  • 9. Na política externa: Política econômica da 1ª. Fase (1946-47)  Abertura para o capital • fortalecimento dos laços estrangeiro e a redução das políticos com os EUA. tarifas alfandegárias e o • Alinhamento com os EUA consequente aumento das quanto à política importações; anticomunista;  Estagnação da indústria • Apoio aos EUA na Guerra Fria nacional. e rompimento dos laços diplomáticos com a URSS; • O PCB foi novamente 2ª. Fase (1947) colocado na ilegalidade e os  Restrição às importações; partidários tiveram seus mandatos cassados, os  Aumento da produção funcionários públicos industrial brasileira voltada suspeitos foram demitidos e para o mercado interno. passaram a sofrer  Essas medidas não foram perseguições. suficientes para controlar a inflação e melhorar as condições de vida das camadas populares.  Baixos salários que não eram reajustados desde 1942.
  • 10. Dutra e Kennedy Dutra e Eisenhower
  • 11. Vargas retornou ao poder com uma votação maciça, eleito numa campanha que enfatizava os interesses nacionais uniu PTB e PSD. • Com Getúlio, volta a política de nacionalismo e intervenção estatal e são impulsionadas a produção siderúrgica e a petroquímica. • Foi criado o BNDE em 1951 com o objetivo de dar apoio aos projetos do governo; • Criação da PETROBRÀS em 1953, que estabelecia o monopólio estatal da exploração e refino do petróleo no Brasil. • Dobrou o valor do salário mínimo e procurou controlar os sindicatos. • Essa postura nacionalista não agradou aos liberais brasileiros e nem aos interesses dos capitalistas norte-americanos. • A oposição torna-se implacável e exigem a renúncia de Vargas. • Em agosto de 1954, o jornalista opositor, Carlos Lacerda (UDN) sofre um atentado na Rua Toneleros, e as investigações apontavam o chefe da segurança de Vargas, Gregório Fortunato. • Esse episódio fez aumentar as pressões pela renúncia e Vargas não admitia nova deposição, e no dia 24 de agosto de 1954, escreveu uma carta testamento e suicidou-se com um tiro no peito.
  • 12.
  • 13. Após a morte de Vargas, o vice Café Filho assumiu a presidência. • No seu governo as divergências entre conservadores e progressistas se acentuaram, provocando acirradas disputas partidárias. • Realizou-se eleições presidenciais em 1955 tendo como vencedores os candidatos:  Juscelino Kubischek (PSD-PTB) para presidente e;  João Goulart (Jango) (PSD-PTB) para vice-presidente. • Um grupo de militares e civis conservadores articulam um golpe para impedir a posso de JK e Jango temendo que a política nacional fosse mantida. • Militares preocupados com em manter a ordem democrática prepararam um contragolpe liderado pelo marechal Lott que estabeleceu o estado de sítio e garantiu a posse em janeiro de 1955.
  • 14. O governo estabeleceu um plano de metas que trazia a frase: “cinquenta anos em cinco”. • Para financiar o desenvolvimento, o governo recorreu ao capital estrangeiro, estimulando a indústria automobilística, com instalações da Ford, General Motors, Volksvagem e Willys. • O marco definitivo foi a construção de Brasília, projetada por Lúcio costa e Oscar Niemeyer. • Muitos trabalhadores nordestinos (candangos) foram atraídos para a obra e no final sem condições de voltar ou de pagar aluguel foram para a periferia contribuindo para a formação das cidades-satélites. • A política de desenvolvimento de JK trouxe aumento da inflação que levou o Brasil para uma crise econômica que seria empurrada para os governos futuros.
  • 15.
  • 16. Benefícios Problemas  Estimulou o estabelecimento de  Não criou mecanismos que multinacionais barateando limitassem a remessa de o preço de alguns bens de lucros para o exterior; consumo, até então raros;  Para executar as obras o  Construção de várias governo emitiu uma grande estradas por todo o país quantidade de papel-moeda, acarretando enorme inflação; colaborando para integrar as diversas regiões  As ferrovias, sistema de aumentando o fluxo de transporte de baixo custo foram abandonadas, e o país carros e caminhões; ficou dependente da  A política voltada à importação de combustíveis industrialização gerou derivados do petróleo; novos empregos nos meios  Falta de políticas voltadas urbanos. para os camponeses aumentou o êxodo rural, provocando o crescimento desordenado das cidades.
  • 17. Candidato do PSD-PTB com o apoio da UDN, Jânio foi eleito com 48% dos votos derrotando o marechal Lott.  Para vice venceu João Goulart (Jango) da mesma chapa de Lott.  Tomaram posse em Brasília no dia 31 de janeiro de 1961.  Jânio tinha o apoio das classes médias e das lideranças militares, em sua campanha defendeu a moralização das instituições políticas e o combate à corrupção.  Seu símbolo de campanha era uma vassoura.  Sua política interna foi conservadora e repleta de polêmicas como proibição de corridas de cavalos em dias úteis, uso de biquinis nas praias, lança perfumes, brigas de galo, etc.  Instalou inquéritos presididos por militares para investigar todos os níveis da administração pública e os atos do governo anterior.
  • 18. Enfrentou uma inflação de 30% ao ano devido a política emissionista de JK. • A dívida externa atingia 3,8 bilhões de dólares e para controlá-la Jânio adotou corte nos gastos públicos, restringiu o crédito, cancelou subsídios dados pelo governo às importações e congelou os salários, medidas essas que desagradaram o FMI e trouxe grande descontentamento popular. • Externamente tentou assumir uma posição de liderança entre os países do 3º. Mundo e de não alinhamento aos EUA como:  Reatar relações diplomáticas com a China comunista;  Aproximou-se de outros países socialistas;  Condecorou o líder da revolução cubana Che Guevara com a cruz de ferro e o jornalista Carlos Lacerda o acusou de abrir as portas do Brasil ao comunismo e de liderar um golpe;  Mostrou-se favorável à independência das colônias européias na África e na Ásia.  Num gesto inesperado renuncia em 25 de agosto de 1961 declarando que “forças terríveis” o obrigavam a deixar a presidência.  Até hoje se discute essa renúncia, alguns acreditam que a frase era somente uma estratégia para conseguir o apoio dos militares e da população.  O certo é que Jânio nunca deixou claro quem fazia parte dessas “forças”.
  • 19.
  • 20. Após a renúncia de Jânio, o presidente da câmara Ranieri Mazzili assume interinamente, pois o vice João Goulart estava em visita oficial à China.  Como Jango havia sido ministro do trabalho de Vargas e era acusado de ser “comunista”, tanto os opositores de Vargas como os anticomunistas não queriam que ele assumisse.  Leonel Brizola, governador do RS, liderou um movimento para garantir o cumprimento da Constituição que previa a posse do vice em caso de renúncia do presidente, foi a “Campanha da Legalidade”.  Os golpistas perceberam que o impasse poderia provocar uma guerra civil e a solução encontrada pelo Congresso foi promulgar o Ato Adicional de 1961, estabelecendo o sistema “Parlamentarista no Brasil”, enquanto isso Jango aguardava a solução no Uruguai.
  • 21. Jango assumiu em sete de setembro de 1 961, com poderes reduzidos pela participação de um primeiro-ministro indicado pelo Congresso.  Durante o período parlamentar, ele conseguiu convocar um plebiscito para 6 de janeiro de 1964 que o povo escolhesse o sistema de governo, vencendo o presidencialismo.  Com os poderes de volta Jango decretou o monopólio do estado para importação de petróleo e passou a controlar os lucros que as empresas estrangeiras enviavam para fora do Brasil.  O presidente anunciou um programa de reformas em um grande comício no RJ em 13 de março de 1964, destacando as seguintes medidas:  Estatização de todas as refinarias de petróleo;  Desapropriação de propriedades com mais de 100 hectares;  Direito de voto aos analfabetos;  Ampliação do nº de vagas em universidades públicas.
  • 22. Os generais Luis Carlos Guedes e Mourão Filho, apoiados por políticos como Magalhães Pinto, governador de MG e membro da UDN deflagaram um movimento político e militar para depor o presidente.  Prepara-se um golpe para depor o presidente com os pretextos de manter a legalidade “ameaçada” por Jango, e impedir o avanço comunista no país.  Desistindo de uma possível reação contra o golpe militar e a consequente guerra civil, Jango retira-se em 1º. De abril de 1964 para Porto Alegre e de lá vai para o exílio no Uruguai em 4 de abril.  O presidente da câmara Ranieri Mazzili assume a presidência mais uma vez em caráter interino.  O Alto Comando decreta o Ato Institucional nº. 01, dando ao Congresso a função de eleger o novo presidente da república.  Iniciava-se a Ditadura Militar no Brasil
  • 23.
  • 24.  Coleção História Novo Olhar – Marco Pellegrini – Editora FTD  Apostilado de História – Profº. Adelino de Mello  História Global – Gilberto Cotrim – Editora Saraiva  Imagens google