Brasil negros no sistema colonial

1.118 visualizações

Publicada em

Brasil: Negros no sistema colonial.

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.118
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brasil negros no sistema colonial

  1. 1. NEGRO NO BRASIL COLONIAL DOMINAÇÃO RESISTÊNCIA
  2. 2. “Que quadro de amarguras! É canto funeral! Que tétricas figuras! Que cena infame e vil! Tinir de ferros, estalar de açoites,Legiões de homens negros como a noite,Negras mulheres suspendendo as tetas, Magras crianças, cujas bocas pretas Regam o sangue das mães... Ontem simples, fortes, bravos, Hoje míseros escravos , Sem ar, sem luz, sem razão.” ( Navio Negreiro – Castro Alves )
  3. 3. 1. O escravismo colonialA – O tráfico:o Comercializados com mercadores muçulmanos.o Comprados de chefes tribais.o Escambo por açúcar, cachaça, armas, ouro ou bugigangas.
  4. 4. B – “Razões” do tráfico:o Altamente lucrativo na lógica mercantilista.o Índios resistiam à escravidão.o A visão de trabalho indígena era antimercantilista.o Os negros já trabalhavam com açúcar em colônias portuguesas.
  5. 5. C – Origem dos negroso Sudaneses foram para regiões de engenhos.o Da Nigéria vieram nagôs, eubás, daomenanos, fanti.Outras procedências:o Serra Leoa, Libéria, Costa do Marfim, Costa da Mina.
  6. 6. D – BantosÁreas agrícolaso Angola, Congo, Moçambique.E – Guineanos (Nigéria e Sudão)o Islamizados.o Dominavam a cultura árabe.o Ofereciam maior resistência.
  7. 7. F – Impactos iniciaiso Arrancados da África eram peças lucrativas enviadas à América.o Famílias eram desmembradas em solo africano.o Ainda na África o batismo cristão.o Perdiam suas raízes e identidade.o Tráfico – inferno em vida.
  8. 8. G – No Brasil Colonial:“Pés e mãos do senhor de engenho.”o Nos engenhos de Sol a Sol.o Serviços domésticos.o Favores sexuais.o Escravos de ganho (serviços).o Mineração e café (séc.XVIII-XIX).
  9. 9. “O homem negro não é melhor nem pior que o homem branco.A pele branca não é pior nem melhor que a vermelha ou amarela .É apenas a roupa que veste um homem, animal nascido do amor, Criado para pensar, sonhar E fazer outros homens com amor.” ( Milton Nascimento – F. Brant )
  10. 10. H - A morte em vida:o Pau, pano e pão.o Chicotes e açoites.o Urina, sal e limão nas feridas.o Gargalheira aos fugitivos.o Ferro em brasa na testa.o Máscara de Flandres.
  11. 11. I – Formas de resistência:o Suicídio.o Fugas.o Quilombos.o Banzo.o Capoeira.o Sincretismo religioso.
  12. 12. “ Quano io tava na minha tera Io chamava capitão, Chega na tera dim baranco, Io me chama Pai João... Baranco quano more, Jezucris que levou, E o pretinho quano more Foi cachaça que matô.” ( Quadrinhas populares )
  13. 13. J – Heranças culturais:Idiomao O português clássico foi alterado e “adocicado” pelos negros.Culináriao Acarajé, vatapá,feijoada, pimenta.Músicao Percussão e ritmos.
  14. 14. O português foi sendo transformado e enriquecido pelo universo cultural africano.Palavras como tetê, papá, xixi, cocô, Tonho, Chico eram ensinadas pelas amas de leite aos “sinhozinhos” brancos.O português do Brasil deve aos negros o seu jeito e características de existir.
  15. 15. Religião:Sincretismo (mistura)o Umbanda,candomblé,quimbanda.Miscigenaçãoo Negritude presente na raça.Cultura popularo Samba, Carnaval, Capoeira.o Orixás, Iemanjá, Senhor Bonfim.
  16. 16. 2. Sociedade Colonial:MiscigenaçãoÍndios – brancos – negroso Branco com negro = Mulato.o Branco com índio = Mameluco.o Negro com índio = Cafuzo. Raça Brasileira Mais tarde chegaram os italianos, alemães, suíços, árabes, japoneses, chineses, coreanos e outros fortalecendo a miscigenação do povo brasileiro

×