SlideShare uma empresa Scribd logo
 Resíduos sólidos constituem aquilo que
genericamente se chama lixo: materiais sólidos
considerados sem utilidade, supérfluos ou
perigosos, gerados pela atividade humana, e que
devem ser descartados ou eliminados.
 Resíduo sólido urbano: inclui o resíduo doméstico assim como o resíduo produzido em instalações públicas
(parques, por exemplo), em instalações comerciais, bem como restos de construções e demolições.
 Resíduo industrial: é gerado pela indústria, e pode ser altamente prejudicial ao meio ambiente e à saúde
humana.
 Resíduo hospitalar: é a classificação dada aos resíduos perigosos produzidos dentro de hospitais, como
seringas usadas, aventais, etc. Por conter agentes causadores de doenças, este tipo de lixo é separado do
restante dos resíduos produzidos dentro de um hospital (restos de comida, etc), e é geralmente incinerado.
Porém, certos materiais hospitalares, como aventais que estiveram em contato com raios eletromagnéticos
de alta energia como raios X, são categorizados de forma diferente (o mencionado avental, por exemplo, é
considerado lixo nuclear), e recebem tratamento diferente.
 Resíduo nuclear: composto por produtos altamente radioativos, como restos de combustível nuclear,
produtos hospitalares que tiveram contato com radioatividade (aventais, papéis, etc), enfim, qualquer
material que teve exposição prolongada à radioatividade ou que possui algum grau de radioatividade.
Devido ao fato de que tais materiais continuam a emitir radioatividade por muito tempo, eles precisam ser
totalmente confinados e isolados do resto do mundo.
 Cabe ao empregador capacitar inicialmente e de forma continua os
trabalhadores nos seguintes assuntos:
a) Segregação, acondicionamento e transporte dos resíduos:
b) Definição, classificação e potencial de risco dos resíduos.
c) Sistema de gerenciamento adotado internamente no estabelecimento.
d) Formas de reduzir a geração de resíduos.
e) Conhecimento das responsabilidades e das tarefas.
f) Reconhecimento os símbolos de identificação das classes de resíduos.
g) Conhecimento sobre a utilização dos veículos de coleta.
h) Orientação quanto ao uso de equipamentos de Proteção Individual.
 Os sacos plásticos utilizados no acondicionamento dos resíduos de saúde
devem atender ao disposto na NBR 9191 e ainda ser:
a) Preenchidos até 2/3 de sua capacidade;
b) Fechados te tal forma evitar vazamento, mesmo virado a abertura para baixo.
c) Retirados imediatamente após o preenchimento e fechamento;
d) Mantidos íntegros até o tratamento ou a disposição final do resíduo.
e) Os recipientes sejam constituídos de material lavável, resistente à
punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem
contato manual, com cantos arredondados e que sejam resistentes ao
tombamento.
 Os resíduos perfurocortantes:
a) O limite máximo de enchimento deve
estar localizado 5cm abaixo do bocal.
b) O recipiente deve ser mantido em
suporte exclusivo e em altura que permita
a visualização da abertura para
descarte.
Biossegurança 3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Luciane Santana
 
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição  Ambiental - Tema Lixo HospitalarPoluição  Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Lukas Lima
 
Gerenciamento de resíduos
Gerenciamento de resíduosGerenciamento de resíduos
Gerenciamento de resíduos
Julia Martins Ulhoa
 
Manual biosseguranca
Manual biossegurancaManual biosseguranca
Manual biosseguranca
ojcn
 
Gerenciamento de rss
Gerenciamento de rssGerenciamento de rss
Gerenciamento de rss
Ediones Costa
 
Abnt nbr 12807 - residuos de servicos de saude
Abnt   nbr 12807 - residuos de servicos de saudeAbnt   nbr 12807 - residuos de servicos de saude
Abnt nbr 12807 - residuos de servicos de saude
Universidade Federal da Bahia
 
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador HospitalarGerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Fernanda Cabral
 
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúdePGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
Rebeca Purcino
 
Seminário final - Resíduos - Semana do Meio Ambiente
Seminário final - Resíduos - Semana do Meio AmbienteSeminário final - Resíduos - Semana do Meio Ambiente
Seminário final - Resíduos - Semana do Meio Ambiente
Mardelene Gomes
 
Residuos hospitalares
Residuos hospitalares Residuos hospitalares
Residuos hospitalares
micaelaneves
 
Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013
Guilherme Terra
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
santhdalcin
 
Limpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalarLimpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalar
B&R Consultoria Empresarial
 
Folder de residuos de lixo hospitalar
Folder de residuos de lixo hospitalarFolder de residuos de lixo hospitalar
Folder de residuos de lixo hospitalar
ecologiaurbanacwb
 
Curso residuos ufscar
Curso residuos ufscarCurso residuos ufscar
Curso residuos ufscar
Tiago Chimenez
 
Desinfecção e esterilização
Desinfecção e esterilizaçãoDesinfecção e esterilização
Desinfecção e esterilização
Flávia Cunha
 
Palestra+biosegurança
Palestra+biosegurançaPalestra+biosegurança
Palestra+biosegurança
Luis Carlos Silva
 
Biossegurança na Podologia
Biossegurança na PodologiaBiossegurança na Podologia
Biossegurança na Podologia
MARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
IFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos Hospitalares
IFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos HospitalaresIFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos Hospitalares
IFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos Hospitalares
Gabriel Almeida
 

Mais procurados (19)

Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
Programa de gerenciamento de resíduos em serviço De saúde.
 
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição  Ambiental - Tema Lixo HospitalarPoluição  Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
 
Gerenciamento de resíduos
Gerenciamento de resíduosGerenciamento de resíduos
Gerenciamento de resíduos
 
Manual biosseguranca
Manual biossegurancaManual biosseguranca
Manual biosseguranca
 
Gerenciamento de rss
Gerenciamento de rssGerenciamento de rss
Gerenciamento de rss
 
Abnt nbr 12807 - residuos de servicos de saude
Abnt   nbr 12807 - residuos de servicos de saudeAbnt   nbr 12807 - residuos de servicos de saude
Abnt nbr 12807 - residuos de servicos de saude
 
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador HospitalarGerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
 
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúdePGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
 
Seminário final - Resíduos - Semana do Meio Ambiente
Seminário final - Resíduos - Semana do Meio AmbienteSeminário final - Resíduos - Semana do Meio Ambiente
Seminário final - Resíduos - Semana do Meio Ambiente
 
Residuos hospitalares
Residuos hospitalares Residuos hospitalares
Residuos hospitalares
 
Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013Controle de infecção e biossegurança 2013
Controle de infecção e biossegurança 2013
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
 
Limpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalarLimpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalar
 
Folder de residuos de lixo hospitalar
Folder de residuos de lixo hospitalarFolder de residuos de lixo hospitalar
Folder de residuos de lixo hospitalar
 
Curso residuos ufscar
Curso residuos ufscarCurso residuos ufscar
Curso residuos ufscar
 
Desinfecção e esterilização
Desinfecção e esterilizaçãoDesinfecção e esterilização
Desinfecção e esterilização
 
Palestra+biosegurança
Palestra+biosegurançaPalestra+biosegurança
Palestra+biosegurança
 
Biossegurança na Podologia
Biossegurança na PodologiaBiossegurança na Podologia
Biossegurança na Podologia
 
IFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos Hospitalares
IFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos HospitalaresIFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos Hospitalares
IFAM - SEDF12 - GESTÃO AMBIENTAL, GRUPO III: Gestão de Resíduos Hospitalares
 

Destaque

Biossegurança 2
Biossegurança 2Biossegurança 2
Biossegurança 2
drjeffersontst
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
sergio oliveira
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
Renatbar
 
Biossegurança 4
Biossegurança 4Biossegurança 4
Biossegurança 4
drjeffersontst
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
drjeffersontst
 
Rio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em Biossegurança
Rio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em BiossegurançaRio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em Biossegurança
Rio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em Biossegurança
Rio Info
 
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF
 
Manual biosseguranca
Manual biossegurancaManual biosseguranca
Manual biosseguranca
James Camposano
 
Exercícios 1 10-1
Exercícios 1 10-1Exercícios 1 10-1
Exercícios 1 10-1
Silvana
 
Avaliação de biossegurança
Avaliação de biossegurançaAvaliação de biossegurança
Avaliação de biossegurança
Marcos Randall
 
Classificação de risco agentes biológicos
Classificação de risco   agentes biológicosClassificação de risco   agentes biológicos
Classificação de risco agentes biológicos
Lucas Almeida Sá
 
Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1
clinicansl
 
Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]
Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]
Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]
Flavia Oliveira
 
Mapa de Riscos
Mapa de RiscosMapa de Riscos
Mapa de Riscos
proftstsergioetm
 
TST - Riscos Biológicos
TST - Riscos BiológicosTST - Riscos Biológicos
TST - Riscos Biológicos
Bárbara Machado
 
Mapa De Risco
Mapa De RiscoMapa De Risco
Mapa De Risco
Santos de Castro
 
Imunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhadorImunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhador
Ismael Costa
 
modelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-riscomodelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-risco
Patrícia Rodrigues
 
Mapa de riscos
Mapa de riscosMapa de riscos
Mapa de riscos
hps22
 
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosAula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
SMS - Petrópolis
 

Destaque (20)

Biossegurança 2
Biossegurança 2Biossegurança 2
Biossegurança 2
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Biossegurança 4
Biossegurança 4Biossegurança 4
Biossegurança 4
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
Rio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em Biossegurança
Rio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em BiossegurançaRio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em Biossegurança
Rio Info 2009 - Apresentação do projeto do software de Gestão em Biossegurança
 
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
 
Manual biosseguranca
Manual biossegurancaManual biosseguranca
Manual biosseguranca
 
Exercícios 1 10-1
Exercícios 1 10-1Exercícios 1 10-1
Exercícios 1 10-1
 
Avaliação de biossegurança
Avaliação de biossegurançaAvaliação de biossegurança
Avaliação de biossegurança
 
Classificação de risco agentes biológicos
Classificação de risco   agentes biológicosClassificação de risco   agentes biológicos
Classificação de risco agentes biológicos
 
Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1
 
Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]
Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]
Biossegurana1 120226164323-phpapp02[2]
 
Mapa de Riscos
Mapa de RiscosMapa de Riscos
Mapa de Riscos
 
TST - Riscos Biológicos
TST - Riscos BiológicosTST - Riscos Biológicos
TST - Riscos Biológicos
 
Mapa De Risco
Mapa De RiscoMapa De Risco
Mapa De Risco
 
Imunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhadorImunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhador
 
modelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-riscomodelo-de-mapa-de-risco
modelo-de-mapa-de-risco
 
Mapa de riscos
Mapa de riscosMapa de riscos
Mapa de riscos
 
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosAula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
 

Semelhante a Biossegurança 3

Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
RaquelOlimpio1
 
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
RaquelOlimpio1
 
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
NayaraOliver
 
Trab de biologia e saude
Trab de biologia e saudeTrab de biologia e saude
Trab de biologia e saude
Maria Menezes
 
Residuos 9e
Residuos 9eResiduos 9e
Residuos 9e
Mayjö .
 
RESIDOS HOSPITALARES
                  RESIDOS HOSPITALARES                  RESIDOS HOSPITALARES
RESIDOS HOSPITALARES
wgnwagner
 
Importância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalares
Importância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalaresImportância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalares
Importância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalares
Conceicao Santos
 
10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]
Renatbar
 
AULA 13.pptx
AULA 13.pptxAULA 13.pptx
AULA 13.pptx
VanessaPereira757054
 
Lixo Comum e Descarte do Lixo Hospitalar
Lixo Comum e Descarte do Lixo HospitalarLixo Comum e Descarte do Lixo Hospitalar
Lixo Comum e Descarte do Lixo Hospitalar
tammygerbasi
 
Biossegurança gerenciamento de residuos 1.pdf
Biossegurança gerenciamento de residuos 1.pdfBiossegurança gerenciamento de residuos 1.pdf
Biossegurança gerenciamento de residuos 1.pdf
potgasAce
 
Precações padrões
Precações padrõesPrecações padrões
Precações padrões
tatianabd1992
 
Resíduos.pdf
Resíduos.pdfResíduos.pdf
Resíduos.pdf
RutePinho6
 
Procedimento Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR NOS FAZEMOS(11)98950 3543
Procedimento  Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR  NOS FAZEMOS(11)98950 3543Procedimento  Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR  NOS FAZEMOS(11)98950 3543
Procedimento Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR NOS FAZEMOS(11)98950 3543
TERCERIZADOS
 
Nr 25
Nr 25Nr 25
Resíduos hospitalares enquadramento
Resíduos hospitalares   enquadramentoResíduos hospitalares   enquadramento
Resíduos hospitalares enquadramento
Arménio Rocha
 
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Luiz Carlos
 
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
MendesAanjossMeendes
 
Gerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicosGerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicos
Ricardo Alanís
 
Lixo
LixoLixo

Semelhante a Biossegurança 3 (20)

Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
 
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
 
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
 
Trab de biologia e saude
Trab de biologia e saudeTrab de biologia e saude
Trab de biologia e saude
 
Residuos 9e
Residuos 9eResiduos 9e
Residuos 9e
 
RESIDOS HOSPITALARES
                  RESIDOS HOSPITALARES                  RESIDOS HOSPITALARES
RESIDOS HOSPITALARES
 
Importância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalares
Importância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalaresImportância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalares
Importância ambiental do gerenciamento dos resíduos hospitalares
 
10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]
 
AULA 13.pptx
AULA 13.pptxAULA 13.pptx
AULA 13.pptx
 
Lixo Comum e Descarte do Lixo Hospitalar
Lixo Comum e Descarte do Lixo HospitalarLixo Comum e Descarte do Lixo Hospitalar
Lixo Comum e Descarte do Lixo Hospitalar
 
Biossegurança gerenciamento de residuos 1.pdf
Biossegurança gerenciamento de residuos 1.pdfBiossegurança gerenciamento de residuos 1.pdf
Biossegurança gerenciamento de residuos 1.pdf
 
Precações padrões
Precações padrõesPrecações padrões
Precações padrões
 
Resíduos.pdf
Resíduos.pdfResíduos.pdf
Resíduos.pdf
 
Procedimento Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR NOS FAZEMOS(11)98950 3543
Procedimento  Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR  NOS FAZEMOS(11)98950 3543Procedimento  Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR  NOS FAZEMOS(11)98950 3543
Procedimento Limpeza CONDOMINIOS HOSPITALAR NOS FAZEMOS(11)98950 3543
 
Nr 25
Nr 25Nr 25
Nr 25
 
Resíduos hospitalares enquadramento
Resíduos hospitalares   enquadramentoResíduos hospitalares   enquadramento
Resíduos hospitalares enquadramento
 
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
 
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
Classificação, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e destino final ...
 
Gerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicosGerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicos
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 

Mais de drjeffersontst

Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveiraApostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
drjeffersontst
 
5 aula eps
5 aula eps5 aula eps
5 aula eps
drjeffersontst
 
4 aula eps
4 aula eps4 aula eps
4 aula eps
drjeffersontst
 
3 aula eps
3 aula eps3 aula eps
3 aula eps
drjeffersontst
 
1 aula eps
1 aula eps1 aula eps
1 aula eps
drjeffersontst
 
2 aula eps
2 aula eps2 aula eps
2 aula eps
drjeffersontst
 
Apostila biosseguranca
Apostila biossegurancaApostila biosseguranca
Apostila biosseguranca
drjeffersontst
 

Mais de drjeffersontst (7)

Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveiraApostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
 
5 aula eps
5 aula eps5 aula eps
5 aula eps
 
4 aula eps
4 aula eps4 aula eps
4 aula eps
 
3 aula eps
3 aula eps3 aula eps
3 aula eps
 
1 aula eps
1 aula eps1 aula eps
1 aula eps
 
2 aula eps
2 aula eps2 aula eps
2 aula eps
 
Apostila biosseguranca
Apostila biossegurancaApostila biosseguranca
Apostila biosseguranca
 

Último

Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 

Último (20)

Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 

Biossegurança 3

  • 1.
  • 2.  Resíduos sólidos constituem aquilo que genericamente se chama lixo: materiais sólidos considerados sem utilidade, supérfluos ou perigosos, gerados pela atividade humana, e que devem ser descartados ou eliminados.
  • 3.
  • 4.  Resíduo sólido urbano: inclui o resíduo doméstico assim como o resíduo produzido em instalações públicas (parques, por exemplo), em instalações comerciais, bem como restos de construções e demolições.  Resíduo industrial: é gerado pela indústria, e pode ser altamente prejudicial ao meio ambiente e à saúde humana.  Resíduo hospitalar: é a classificação dada aos resíduos perigosos produzidos dentro de hospitais, como seringas usadas, aventais, etc. Por conter agentes causadores de doenças, este tipo de lixo é separado do restante dos resíduos produzidos dentro de um hospital (restos de comida, etc), e é geralmente incinerado. Porém, certos materiais hospitalares, como aventais que estiveram em contato com raios eletromagnéticos de alta energia como raios X, são categorizados de forma diferente (o mencionado avental, por exemplo, é considerado lixo nuclear), e recebem tratamento diferente.  Resíduo nuclear: composto por produtos altamente radioativos, como restos de combustível nuclear, produtos hospitalares que tiveram contato com radioatividade (aventais, papéis, etc), enfim, qualquer material que teve exposição prolongada à radioatividade ou que possui algum grau de radioatividade. Devido ao fato de que tais materiais continuam a emitir radioatividade por muito tempo, eles precisam ser totalmente confinados e isolados do resto do mundo.
  • 5.  Cabe ao empregador capacitar inicialmente e de forma continua os trabalhadores nos seguintes assuntos: a) Segregação, acondicionamento e transporte dos resíduos: b) Definição, classificação e potencial de risco dos resíduos. c) Sistema de gerenciamento adotado internamente no estabelecimento. d) Formas de reduzir a geração de resíduos. e) Conhecimento das responsabilidades e das tarefas. f) Reconhecimento os símbolos de identificação das classes de resíduos. g) Conhecimento sobre a utilização dos veículos de coleta. h) Orientação quanto ao uso de equipamentos de Proteção Individual.
  • 6.  Os sacos plásticos utilizados no acondicionamento dos resíduos de saúde devem atender ao disposto na NBR 9191 e ainda ser: a) Preenchidos até 2/3 de sua capacidade; b) Fechados te tal forma evitar vazamento, mesmo virado a abertura para baixo. c) Retirados imediatamente após o preenchimento e fechamento; d) Mantidos íntegros até o tratamento ou a disposição final do resíduo. e) Os recipientes sejam constituídos de material lavável, resistente à punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados e que sejam resistentes ao tombamento.
  • 7.  Os resíduos perfurocortantes: a) O limite máximo de enchimento deve estar localizado 5cm abaixo do bocal. b) O recipiente deve ser mantido em suporte exclusivo e em altura que permita a visualização da abertura para descarte.