SlideShare uma empresa Scribd logo
• EPIs
• Higiene pessoal, coletiva, mental e no
ambiente de trabalho.
• Formas e técnicas de higienização corporal
*
*
* •Barreiras de contenção
•BARREIRAS PRIMÁRIAS
• Equipamento de Proteção
Individual-EPI
• São empregados para proteger o
profissional do contato com
agentes infecciosos, tóxicos ou
corrosivos, calor excessivo, fogo
e outros perigos. A roupa e
equipamentos servem , também,
para evitar a contaminação do
material em experimentos ou em
produção
*
• Considera-se EPI todo dispositivo
de uso individual, de fabricação
nacional ou estrangeira,
destinada a proteger a saúde e
integridade física do trabalhador
• Não são equipamentos de uso
coletivo por questão de
segurança e higiene
• Atualização dos EPIs encontra-se
regulamentada pelo Ministério do
Trabalho através da NR-6.
*
•Barreiras primárias
• Calçados
• Luvas
• Máscaras
• Óculos de proteção ou Escudo
Facial
• Protetor Respiratório
• Avental
• Gorro
• Protetor Auditivo
*
•Calçados
• Destinado a proteção dos pés
contra: umidade, respingos de
substancias químicas ou material
biológico, derramamento de
líquidos quentes e solventes,
impacto de objetos diversos,
cacos provenientes da quebra de
vidrarias, materiais
perfurocortantes.
• Características: antiderrapantes,
estéril, couro, sintético,
borracha.
*
Calçados
*
•Luvas
• As luvas protegem de sujidade
grosseira
• Devem ser usadas em procedimentos
que envolvam sangue, fluidos
corporais, secreções, excreções
(exceto suor) membranas mucosas,
pele não integra e durante a
manipulação de artigos
contaminados
• Remova as luvas logo de usar
• Lave as mão imediatamente apos a
retirada das luvas.
• Caracteristicas: estéril, uso único,
borracha, látex, couro, sintético,
etc...
*
Luvas
*
•Máscaras
• As máscaras servem para as
mucosas dos olhos, nariz e da
boca contra respingos (gotículas)
gerados pela fala, tosse, assim
com aspiração de nevoas,
fumaça, poeira.
• Características: com Filtro HEPA
(High Efficiency Particulate Air),
Filtros para gases, pó. Etc...
*
Máscaras
*
•Óculos
• Óculos de proteção e protetor
Facial: Protege contra
Salpicos, borrifos, gotas e
impacto.
• Óculos de proteção: material
rígido e leve, devem cobrir
completamente a área dos olhos.
*
•Óculos
*
•Escudo facial
• Proteção facial contra partículas,
respingos, objetos, radiação
luminosa.
*
•Escudo facial
*
•Protetor
respiratório
(respirador)
• Usado para proteger as vias
respiratórias contra poeira tóxica
e vapores orgânicos ou químicos.
• Mascara escura: contém uma
camada de carvão ativado. Capaz
de filtrar gases tóxicos e odores.
*
•Protetor respiratório
(respirador)
*
•Avental
• Avental (limpo, não estéril) serve
para proteger a pele e prevenir
sujidade na roupa durante
procedimentos que tenham
prababilidade de gerar respingos
ou contato de sangue, fuidos
corporais, secreçoes ou
excreções.
• Caracteristicas: Plástico, Tecido
*
•Avental
*
•Gorro
• O gorro estará indicado
especificamente para
profissionais que trabalham com
procedimentos que envolvam
dispersão de aerossóis, projeção
de partículas e proteção de
pacientes quando o atendimento
envolver procedimentos
cirúrgicos.
*
•Gorro
*
•Protetor Auditivo
• Equipamento destinado a
prevenir a perda auditiva
provocada por ruídos. NR15
• Existem dois tipos principais de
protetor auditivo: circum-
auriculares (tipo concha) e de
inserção.
*
•Protetor Auditivo
*
•Barreiras
Primárias
• Macacões de tecido de algodão e
macacões impermeáveis
• Uniforme de algodão, composto
de calça e blusa
• Gorros descartáveis
• Luvas de Borracha, amianto,
couro, aldogão e descatáveis
• Dispositivos de pipetagem
(borracha, pipetadores
automáticos, etc.)
• Dosímetro para radiação
ionizante
*
•Outros EPCs
• São equipamentos que
possibilitam a proteção do
pessoal da área de saúde, do
meio-ambiente e do produto ou
pesquisa desenvolvida.
• Cabine de Segurança Biológica
(CSB)
*
•EPCs
• Capela de Exaustão Química;
• Chuveiro de emergência;
• Lava olhos;
• Extintor de incendio;
• Mangueira de incendio
• Dispositivos de pipetagem
• Sprinkle
• ETC…
*
*
•Desenho e
Estrutura Física
de Laboratórios
• Dimensionamento de áreas;
• Nº de Funcionários;
• Quantidade de Equipamentos;
• Facilidade de acesso, etc.
*
•Normas Gerais de Biossegurança
• Prender cabelos longos, proteger barba;
• Evitar o uso de calçados abertos;
• Manter unhas cortadas;
• Evitar usar jóias ou adereços;
• Evitar o uso de lentes de contato;
• Lavar as mãos;
• Não comer e beber em ambiente laboratorial;
• Não fumar, aplicar cosméticos nem pentear os cabelos em
ambiente laboratorial;
*
•Normas Gerais de Biossegurança
• NÃO É PERMITIDO NA ÁREA LABORATORIAL;
• Crianças, ventiladores, rádio, plantas, animais
• ACESSO RESTRITO AOS LABORATORIOS:
• Não permitir a circulação de estranhos sem permissão.
*
•Gerência
•Apoiar os programas de segurança;
•Fornecer recursos adequados;
•Porporcionar um ambiente de trabalho seguro.
*
•Supervisores/Chefias
•Apoiar os programas de segurança;
•Apresentar comportamento correto quanto à
segurança;
•Fornecer capacitação adequada;
•Supervisão, fiscalização e cobrança.
*
•Gerência
•Apoiar os programas de segurança;
•Fornecer recursos adequados;
•Proporcionar um ambiente de trabalho
seguro.
*
•Funcionários
•Seguir os padrões, regras, regulamentos e
normas de segurança ocupacional;
•Usar os EPIs e EPCs quando necessário;
•Relatar todos os acidentes/incidentes e
doenças relacionados aos seus supervisores.
*
•Todos Devem Saber
•Procedimentos em caso de emergência;
•Localização dos equipamentos de emergência;
•Como usar os equipamentos de emergência;
•Normas e telefones das pessoas responsáveis.
*
•A clasificação do lixo hospitalar e dada
de duas formas:
•Segundo natureza do Lixo: Discriminando em
resíduos organicos e inorganicos
•Segundo a origem do lixo: compreeendendo
aquele proveniente das diversas unidades
hospitalares e que assumem determinada
característica perante normas de saúde
pública.
*
•De acordo com o Centro de Vigilância
Sanitária
•Infectantes: Considerados lixo contaminado,
compreendem resíduos provenientes de locais de
isolamento, material biológico, sangue humano e
hemoderivados, resíduos cirúrgicos e anátomo-
patológicos, resíduos pérfurocortantes e animais
contaminados, além daqueles inorgânicos que
tenham entrado em contato com o paciente e
apresentem riscos de estar comitaminados;
*
•De acordo com o Centro de Vigilância
Sanitária
•Especiais: Compostos por matérias
radioativos, farmacêuticos (medicamentos
vencidos ou contaminados) e resíduos químicos
perigosos
(tóxico, corrosivos, inflamáveis, mutagênicos ou
genotóxicos);
*
•De acordo com o Centro de Vigilância
Sanitária
•Gerais ou comuns: Os que caracterizam por ser
de origem administrativa
(papéis, papelão, restos de madeira);
alimentares (material rejeitado na seleção e no
preparo de alimentos na cozinha e sobras de
alientos não distribuídos aos pacientes);
provenientesde áreas abertas ao público e da
limpeza geral do prédio.
*
•De acordo com o Centro de Vigilância
Sanitária
•Saco impermeável para
material contaminado.
•Saco Preto para resíduos comuns.
•Destino final= INCINERAÇÃO
*
•Descarte de resíduos pérfuro-cortantes
•Defini-se com lixo pérfuro-cortante intens
patencialmente contaminados usados no
atendimento médico, que possam causar derida
(picada, corte, rasgo na pele ou mucosas)
incluindo agulhas hipodérmicas, cirúrgicas, de
sutura, pipetas pausteur, lancetas, navalhas,
bisturis e outras lâminas ou objetos cortantes.
•Deve ser embalado em recipientes de material
resistente antes de ser acondicionado em saco
plástico.
*
•Descarte de resíduos pérfuro-cortantes
*
•Lavagem Das Mãos
•Principal medida de bloqueio da transmissão de
germes.
•Antes de depois das atividades.
•Mesmo após o uso de luvas as mãos devem ser
lavadas.
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Técnica da lavagem das mãos
*
•Lavagem Das Mãos
•Doenças e M.O que podem ser evitados lavando as
mãos.
• Shiguela: Diarreia
• Influenza: Pneumonia
• Staphylococcus: Furúnculo
• Streptococcus: Faringite
• Bacillus: Contaminante comum
• Klebsiella: Infecções em ferimentos
• Clostridium: Colite
• Haemophilus: Conjuntivite
Pseudomona: infecções em feridas
• E.coli: Diarréias, infec.urinárias
• Proteus: Inf.tarto urinário
*

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Instrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficialInstrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficial
Eliete Santos
 
introdução semiologia
introdução semiologiaintrodução semiologia
introdução semiologia
Deniziele Bruna
 
Desinfecção e Esterilização
Desinfecção e EsterilizaçãoDesinfecção e Esterilização
Desinfecção e Esterilização
Flavia Carmo
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
clinicansl
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
Aline Bandeira
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
sergio oliveira
 
Biosseguranca
Biosseguranca  Biosseguranca
Biosseguranca
UERGS
 
Biosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemBiosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagem
Gabriela Montargil
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
Fernando de Oliveira Dutra
 
Monitoramento da Esterilização
Monitoramento da EsterilizaçãoMonitoramento da Esterilização
Monitoramento da Esterilização
Janaína Lassala
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
drjeffersontst
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
santhdalcin
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
Gilson Betta Sevilha
 
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro CirúrgicoClínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Sou Enfermagem
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
fnanda
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
Sheilla Sandes
 
Instrumental cirurgico
Instrumental cirurgicoInstrumental cirurgico
Instrumental cirurgico
Marcilio Araujo Araujo
 
Resíduos hospitalares
Resíduos hospitalaresResíduos hospitalares
Resíduos hospitalares
william vilhena
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Aline Bandeira
 
Aula 4 biossegurança ii
Aula 4   biossegurança iiAula 4   biossegurança ii
Aula 4 biossegurança ii
José Vitor Alves
 

Mais procurados (20)

Instrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficialInstrumentação cirúrgica oficial
Instrumentação cirúrgica oficial
 
introdução semiologia
introdução semiologiaintrodução semiologia
introdução semiologia
 
Desinfecção e Esterilização
Desinfecção e EsterilizaçãoDesinfecção e Esterilização
Desinfecção e Esterilização
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
Biosseguranca
Biosseguranca  Biosseguranca
Biosseguranca
 
Biosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagemBiosegurança nas ações de enfermagem
Biosegurança nas ações de enfermagem
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
 
Monitoramento da Esterilização
Monitoramento da EsterilizaçãoMonitoramento da Esterilização
Monitoramento da Esterilização
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
Aula residuos de serviços da saúde
Aula   residuos de serviços da saúdeAula   residuos de serviços da saúde
Aula residuos de serviços da saúde
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro CirúrgicoClínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Instrumental cirurgico
Instrumental cirurgicoInstrumental cirurgico
Instrumental cirurgico
 
Resíduos hospitalares
Resíduos hospitalaresResíduos hospitalares
Resíduos hospitalares
 
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
Protocolo de Cirurgia Segura AULA 2
 
Aula 4 biossegurança ii
Aula 4   biossegurança iiAula 4   biossegurança ii
Aula 4 biossegurança ii
 

Semelhante a Biossegurança 2

(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
Fonte Medicina Diagnóstica
 
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdfK_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
KatiaRegina87
 
Epi
EpiEpi
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas CorretasManual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
Rodrigo Nunes
 
biossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptxbiossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptx
MarcoReisBrugnerotto
 
laboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptx
laboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptxlaboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptx
laboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptx
Tatiane Fernandes
 
7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx
7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx
7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx
MarcoReisBrugnerotto
 
biossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptxbiossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptx
ssuser2b53fe
 
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.pptTreinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
flávio barbosa
 
Aula biossegurança dna
Aula biossegurança   dnaAula biossegurança   dna
Aula biossegurança dna
anadeiva
 
Aula 02.pptx
Aula 02.pptxAula 02.pptx
Aula 02.pptx
MarcosSaraiva26
 
7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial
William Dutra
 
Biosegurança.pdf
Biosegurança.pdfBiosegurança.pdf
Biosegurança.pdf
GustavoWallaceAlvesd
 
Epiii top top
Epiii  top topEpiii  top top
Epiii top top
Ademir Vecchi
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
Janaína Lassala
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
AndriellyFernanda1
 
CURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdf
CURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdfCURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdf
CURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdf
ssuserf1aeac2
 
biossegurança (1) (1) (1).pptx
biossegurança (1) (1) (1).pptxbiossegurança (1) (1) (1).pptx
biossegurança (1) (1) (1).pptx
BrendaBarbosa48
 
Aula 03.pdf
Aula 03.pdfAula 03.pdf
Aula 03.pdf
ValldineyCruz
 
Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1
clinicansl
 

Semelhante a Biossegurança 2 (20)

(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
 
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdfK_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
 
Epi
EpiEpi
Epi
 
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas CorretasManual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
 
biossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptxbiossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptx
 
laboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptx
laboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptxlaboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptx
laboratorios-11,l0604065424-phpapp01.pptx
 
7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx
7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx
7biosseguranalaboratorial-120813122204-phpapp02.pptx
 
biossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptxbiossegurança placas.pptx
biossegurança placas.pptx
 
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.pptTreinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
Treinamento NR-6 - LIMPEZA.ppt
 
Aula biossegurança dna
Aula biossegurança   dnaAula biossegurança   dna
Aula biossegurança dna
 
Aula 02.pptx
Aula 02.pptxAula 02.pptx
Aula 02.pptx
 
7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial
 
Biosegurança.pdf
Biosegurança.pdfBiosegurança.pdf
Biosegurança.pdf
 
Epiii top top
Epiii  top topEpiii  top top
Epiii top top
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
 
CURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdf
CURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdfCURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdf
CURSO_COLETA-CRF-Biossegurança.pdf
 
biossegurança (1) (1) (1).pptx
biossegurança (1) (1) (1).pptxbiossegurança (1) (1) (1).pptx
biossegurança (1) (1) (1).pptx
 
Aula 03.pdf
Aula 03.pdfAula 03.pdf
Aula 03.pdf
 
Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1
 

Mais de drjeffersontst

Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveiraApostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
drjeffersontst
 
5 aula eps
5 aula eps5 aula eps
5 aula eps
drjeffersontst
 
4 aula eps
4 aula eps4 aula eps
4 aula eps
drjeffersontst
 
3 aula eps
3 aula eps3 aula eps
3 aula eps
drjeffersontst
 
1 aula eps
1 aula eps1 aula eps
1 aula eps
drjeffersontst
 
2 aula eps
2 aula eps2 aula eps
2 aula eps
drjeffersontst
 
Biossegurança 4
Biossegurança 4Biossegurança 4
Biossegurança 4
drjeffersontst
 
Biossegurança 3
Biossegurança 3Biossegurança 3
Biossegurança 3
drjeffersontst
 
Apostila biosseguranca
Apostila biossegurancaApostila biosseguranca
Apostila biosseguranca
drjeffersontst
 

Mais de drjeffersontst (9)

Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveiraApostila dst eps dr.jefferson oliveira
Apostila dst eps dr.jefferson oliveira
 
5 aula eps
5 aula eps5 aula eps
5 aula eps
 
4 aula eps
4 aula eps4 aula eps
4 aula eps
 
3 aula eps
3 aula eps3 aula eps
3 aula eps
 
1 aula eps
1 aula eps1 aula eps
1 aula eps
 
2 aula eps
2 aula eps2 aula eps
2 aula eps
 
Biossegurança 4
Biossegurança 4Biossegurança 4
Biossegurança 4
 
Biossegurança 3
Biossegurança 3Biossegurança 3
Biossegurança 3
 
Apostila biosseguranca
Apostila biossegurancaApostila biosseguranca
Apostila biosseguranca
 

Último

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 

Último (20)

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 

Biossegurança 2

  • 1. • EPIs • Higiene pessoal, coletiva, mental e no ambiente de trabalho. • Formas e técnicas de higienização corporal *
  • 2. *
  • 3. * •Barreiras de contenção •BARREIRAS PRIMÁRIAS • Equipamento de Proteção Individual-EPI • São empregados para proteger o profissional do contato com agentes infecciosos, tóxicos ou corrosivos, calor excessivo, fogo e outros perigos. A roupa e equipamentos servem , também, para evitar a contaminação do material em experimentos ou em produção
  • 4. * • Considera-se EPI todo dispositivo de uso individual, de fabricação nacional ou estrangeira, destinada a proteger a saúde e integridade física do trabalhador • Não são equipamentos de uso coletivo por questão de segurança e higiene • Atualização dos EPIs encontra-se regulamentada pelo Ministério do Trabalho através da NR-6.
  • 5. * •Barreiras primárias • Calçados • Luvas • Máscaras • Óculos de proteção ou Escudo Facial • Protetor Respiratório • Avental • Gorro • Protetor Auditivo
  • 6. * •Calçados • Destinado a proteção dos pés contra: umidade, respingos de substancias químicas ou material biológico, derramamento de líquidos quentes e solventes, impacto de objetos diversos, cacos provenientes da quebra de vidrarias, materiais perfurocortantes. • Características: antiderrapantes, estéril, couro, sintético, borracha.
  • 8. * •Luvas • As luvas protegem de sujidade grosseira • Devem ser usadas em procedimentos que envolvam sangue, fluidos corporais, secreções, excreções (exceto suor) membranas mucosas, pele não integra e durante a manipulação de artigos contaminados • Remova as luvas logo de usar • Lave as mão imediatamente apos a retirada das luvas. • Caracteristicas: estéril, uso único, borracha, látex, couro, sintético, etc...
  • 10. * •Máscaras • As máscaras servem para as mucosas dos olhos, nariz e da boca contra respingos (gotículas) gerados pela fala, tosse, assim com aspiração de nevoas, fumaça, poeira. • Características: com Filtro HEPA (High Efficiency Particulate Air), Filtros para gases, pó. Etc...
  • 12. * •Óculos • Óculos de proteção e protetor Facial: Protege contra Salpicos, borrifos, gotas e impacto. • Óculos de proteção: material rígido e leve, devem cobrir completamente a área dos olhos.
  • 14. * •Escudo facial • Proteção facial contra partículas, respingos, objetos, radiação luminosa.
  • 16. * •Protetor respiratório (respirador) • Usado para proteger as vias respiratórias contra poeira tóxica e vapores orgânicos ou químicos. • Mascara escura: contém uma camada de carvão ativado. Capaz de filtrar gases tóxicos e odores.
  • 18. * •Avental • Avental (limpo, não estéril) serve para proteger a pele e prevenir sujidade na roupa durante procedimentos que tenham prababilidade de gerar respingos ou contato de sangue, fuidos corporais, secreçoes ou excreções. • Caracteristicas: Plástico, Tecido
  • 20. * •Gorro • O gorro estará indicado especificamente para profissionais que trabalham com procedimentos que envolvam dispersão de aerossóis, projeção de partículas e proteção de pacientes quando o atendimento envolver procedimentos cirúrgicos.
  • 22. * •Protetor Auditivo • Equipamento destinado a prevenir a perda auditiva provocada por ruídos. NR15 • Existem dois tipos principais de protetor auditivo: circum- auriculares (tipo concha) e de inserção.
  • 24. * •Barreiras Primárias • Macacões de tecido de algodão e macacões impermeáveis • Uniforme de algodão, composto de calça e blusa • Gorros descartáveis • Luvas de Borracha, amianto, couro, aldogão e descatáveis • Dispositivos de pipetagem (borracha, pipetadores automáticos, etc.) • Dosímetro para radiação ionizante
  • 25. * •Outros EPCs • São equipamentos que possibilitam a proteção do pessoal da área de saúde, do meio-ambiente e do produto ou pesquisa desenvolvida. • Cabine de Segurança Biológica (CSB)
  • 26. * •EPCs • Capela de Exaustão Química; • Chuveiro de emergência; • Lava olhos; • Extintor de incendio; • Mangueira de incendio • Dispositivos de pipetagem • Sprinkle • ETC…
  • 27. *
  • 28. * •Desenho e Estrutura Física de Laboratórios • Dimensionamento de áreas; • Nº de Funcionários; • Quantidade de Equipamentos; • Facilidade de acesso, etc.
  • 29. * •Normas Gerais de Biossegurança • Prender cabelos longos, proteger barba; • Evitar o uso de calçados abertos; • Manter unhas cortadas; • Evitar usar jóias ou adereços; • Evitar o uso de lentes de contato; • Lavar as mãos; • Não comer e beber em ambiente laboratorial; • Não fumar, aplicar cosméticos nem pentear os cabelos em ambiente laboratorial;
  • 30. * •Normas Gerais de Biossegurança • NÃO É PERMITIDO NA ÁREA LABORATORIAL; • Crianças, ventiladores, rádio, plantas, animais • ACESSO RESTRITO AOS LABORATORIOS: • Não permitir a circulação de estranhos sem permissão.
  • 31. * •Gerência •Apoiar os programas de segurança; •Fornecer recursos adequados; •Porporcionar um ambiente de trabalho seguro.
  • 32. * •Supervisores/Chefias •Apoiar os programas de segurança; •Apresentar comportamento correto quanto à segurança; •Fornecer capacitação adequada; •Supervisão, fiscalização e cobrança.
  • 33. * •Gerência •Apoiar os programas de segurança; •Fornecer recursos adequados; •Proporcionar um ambiente de trabalho seguro.
  • 34. * •Funcionários •Seguir os padrões, regras, regulamentos e normas de segurança ocupacional; •Usar os EPIs e EPCs quando necessário; •Relatar todos os acidentes/incidentes e doenças relacionados aos seus supervisores.
  • 35. * •Todos Devem Saber •Procedimentos em caso de emergência; •Localização dos equipamentos de emergência; •Como usar os equipamentos de emergência; •Normas e telefones das pessoas responsáveis.
  • 36. * •A clasificação do lixo hospitalar e dada de duas formas: •Segundo natureza do Lixo: Discriminando em resíduos organicos e inorganicos •Segundo a origem do lixo: compreeendendo aquele proveniente das diversas unidades hospitalares e que assumem determinada característica perante normas de saúde pública.
  • 37. * •De acordo com o Centro de Vigilância Sanitária •Infectantes: Considerados lixo contaminado, compreendem resíduos provenientes de locais de isolamento, material biológico, sangue humano e hemoderivados, resíduos cirúrgicos e anátomo- patológicos, resíduos pérfurocortantes e animais contaminados, além daqueles inorgânicos que tenham entrado em contato com o paciente e apresentem riscos de estar comitaminados;
  • 38. * •De acordo com o Centro de Vigilância Sanitária •Especiais: Compostos por matérias radioativos, farmacêuticos (medicamentos vencidos ou contaminados) e resíduos químicos perigosos (tóxico, corrosivos, inflamáveis, mutagênicos ou genotóxicos);
  • 39. * •De acordo com o Centro de Vigilância Sanitária •Gerais ou comuns: Os que caracterizam por ser de origem administrativa (papéis, papelão, restos de madeira); alimentares (material rejeitado na seleção e no preparo de alimentos na cozinha e sobras de alientos não distribuídos aos pacientes); provenientesde áreas abertas ao público e da limpeza geral do prédio.
  • 40. * •De acordo com o Centro de Vigilância Sanitária •Saco impermeável para material contaminado. •Saco Preto para resíduos comuns. •Destino final= INCINERAÇÃO
  • 41. * •Descarte de resíduos pérfuro-cortantes •Defini-se com lixo pérfuro-cortante intens patencialmente contaminados usados no atendimento médico, que possam causar derida (picada, corte, rasgo na pele ou mucosas) incluindo agulhas hipodérmicas, cirúrgicas, de sutura, pipetas pausteur, lancetas, navalhas, bisturis e outras lâminas ou objetos cortantes. •Deve ser embalado em recipientes de material resistente antes de ser acondicionado em saco plástico.
  • 42. * •Descarte de resíduos pérfuro-cortantes
  • 43. * •Lavagem Das Mãos •Principal medida de bloqueio da transmissão de germes. •Antes de depois das atividades. •Mesmo após o uso de luvas as mãos devem ser lavadas.
  • 55. * •Lavagem Das Mãos •Doenças e M.O que podem ser evitados lavando as mãos. • Shiguela: Diarreia • Influenza: Pneumonia • Staphylococcus: Furúnculo • Streptococcus: Faringite • Bacillus: Contaminante comum • Klebsiella: Infecções em ferimentos • Clostridium: Colite • Haemophilus: Conjuntivite Pseudomona: infecções em feridas • E.coli: Diarréias, infec.urinárias • Proteus: Inf.tarto urinário
  • 56. *