SlideShare uma empresa Scribd logo
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Médio, 2ª Série.
Desenvolvimento sustentável: alternativas
energéticas, pobreza e Índice de
desenvolvimento humano.
BIOLOGIA 2015
DWEISON NUNES
E-mail: dnss.nunes@Hotmail.com
O principal foco da ecologia é entender as interações entre organismos, populações,
comunidades, ecossistemas e com seu meio físico.
Ciência que tem como objetivo responder
perguntas sobre a estrutura e o
funcionamento da natureza
Termo chave: INTERAÇÃO
Ar Água
Terra Vida
Aristoteles: primeiro a registrar observações a respeito da
história natural de plantas e animais da terra. Não identifica
claramente as relações dinâmicas e recíprocas entre o meio
biótico e abiótico.
“The History of Animals”, escrito em 350 A.C
Por ~ 2000 anos: não existia a noção de adpatção ou de leis
Darwin?
ESPÉCIE – conjunto de seres vivos semelhantes que ao se cruzarem
darão descendentes férteis.
POPULAÇÃO - Conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que
vivem numa determinada região no mesmo intervalo de tempo.
COMUNIDADE - Conjunto de diferentes populações de uma
determinada área.
ECOSSISTEMA - É a interação entre a comunidade e o meio. Ex. Um
Lago.
BIOSFERA - Conjunto de todos os ecossistemas da Terra ou Pelicula da
terra habitada pelos seres vivos.
Organização da
Biosfera
Universo
Galaxias
Sistema Solar
Planetas
Terra
Biosfera
Ecossitemas
Comunidades
Populações
Organismos
Sistemas de órgãos
Órgãos
Tecidos
Células
Protoplasma
Moléculas
Átomos
Partículas sub-atômicas
Modelo conceitual
hierárquico dos níveis
de organização da
matéria na natureza
(Modif. Miller, 1998)
Sem vida
Limite
Vida
?
Níveis de organização
Determinantes de um ecossistema
Fatores Bióticos: seres vivos que vivem em determinada região.
Fatores Abióticos: fatores físicos e químicos de um ambiente
( luz, pressão, temperatura, água, ar, salinidade, substrato,
umidade, ...)
Complexidade dos sistemas ecológios
Necessidade de uma simplificação ou um modelo conceitual de funcinamento
Herbívoros CarnívorosE Produtores
Decompo-
sitores
Respiração
Respiração
Respiração
Respiração
Calor
Calor
Calor
Calor Calor
Reserv. de
Nutrientes
Fluxo de energia
Ciclagem de nutrientes
Diagrama funcional de um sistema ecológico (Odum, 1983)
Autótrofos
Fluxo de E
Sentido único
Fonte de E
(funções motrizes)
Entrada de materiais
(nutrientes) e organismos
Ciclo e depósito
de materiais
Circuito de contrôle
por retroalimentação
de E e depósito de E
Exportação de E
armazenada (m. o.
e organismos)
Sumidouro
de calor
Exportação
de mateiriais
Heterótrofos
Depósito
Desenvolvimento sustentável
“O desenvolvimento sustentável é aquele que
atende às necessidades do presente sem comprometer a
possibilidade das gerações futuras atenderem às suas
próprias necessidades.”
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Médio, 3ªSérie
O DESENVOLVIMENTO HUMANO
Acesso a água:
- A água contaminada, primeiro fator da mortalidade no
mundo. Em 2013 a cada 15 segundos uma criança morreu
por falta de acesso ao H20 potável. (Unicef, 2013).
Percentual de água à nível planetário
Disponível em: http://water.usgs.gov/edu/graphics/portuguese/earthwheredistribution.gif. Visita em 05/08/2014.
A saber..
Disponível em: http://water.usgs.gov/edu/graphics/portuguese/earthwheredistribution.gif. Visita em 05/08/2014.
Alternativas para uso sustentável da água:
ÁGUA E AS ARTES VISUAIS
Homem Aranha - Filme
Parque do Ibirapuera - SP
Fotografia
Gene Kelly
Dançando na Chuva – Filme
ÁGUA COMO ESCULTURA
Martin Waugh
A ÁGUA COMO FIGURA DE LINGUAGEM
Até de Baixo d`Água.
Águas de março.
Águas passadas.
Afogar-se em pouca água.
Água que passarinho não bebe.
Carregar água em peneira.
Claro como água.
Com água na boca.
Como água.
Como da água para o vinho
De fazer água na boca.
Dar água na boca.
Água mole em pedra dura...
Dar em água.
Enfiar água no espeto.
Estar numa água só.
Fazer água.
Ferver em pouca água
Ir por água abaixo.
Manter em água morna.
Pôr água na fervura.
Ter bebido água de chocalho.
Tirar água de pedra.
Tirar água do joelho.
O DESENVOLVIMENTO HUMANO
Acesso a educação:
- 770 milhões de analfabetos no mundo. (Jornal Hoje, janeiro de 2014).
Uma família na
Alemanha consome o
mesmo que 405
famílias em Chade
1 pessoa morre
de fome a cada
6 segundos no mundo
ALEMANHA – U$ 500,07
USA – U$ 341,98ITÁLIA – U$ 214,36EGITO – U$ 68,53
EQUADOR – U$ 31,55
Comores – U$ 29,11 Burundi – U$ 5,03 Eritreia – U$ 1,23
Gasto com 1 Semana de Alimentação
Fonte: http://pantrypermitting.typepad.com/pantry_permitting/2008/01/what-the-world.html
Fonte: www.compendiosustentabilidade.com.br
Quantos Planetas Temos para Consumir?
Brasil: IDH – 0,744
em 2013.
79ª Posição.
Terra, um Planeta de 4,5 bilhões de anos
Comparando a Terra a uma pessoa de 45 anos.
Nada se sabe a respeito de seus 7 primeiros anos de vida. Embora existam
vagas informações sobre o período intermediário, sabemos que a Terra
apenas começou a florescer com grande exuberância aos 42 anos.
O homem moderno surgiu há 4h e há 1h descobriu a agricultura.
A Revolução Industrial se iniciou há 1min.
Durante estes 60 seg, o homem moderno fez desse paraíso um depósito de
lixo. Ele causou a extinção de muitas espécies, poluiu sua águas,
saqueou em busca de minerais e agora, com total indiferença, contempla o
planeta à beira da extinção da vida, podendo destruir de vez este oásis do
nosso sistema solar.
Fonte original: GREENPEACE. In: VIEIRA, Fabiano M. P. & SOUZA JR., Samuel de. Cooperativa de Catadores: uma alternativa sócio-ambiental para os grandes centros urbanos - Monografia -
MBA GNS - LATEC-UFF
Foto: http://www.imagens-terra.com/globo-america.htm
MEIO AMBIENTE E RISCOSMEIO AMBIENTE E RISCOS
A CETESB - Companhia
de Tecnologia de
Saneamento
Ambiental2013.
PAPEL /
PAPELÃO
PLÁSTICOVIDRO
METAL
R
E
SÍD
U
O
S
PE
R
IG
O
SO
S
LIXO
COMUM
COLETA SELETIVACOLETA SELETIVA
Tempo de DecomposiçãoTempo de Decomposição
do Lixodo Lixo
Produto Tempo de decomposição
Jornais De 14 a 42 dias
Papel De 1 a 4 meses
Guardanapos 3 meses
Restos Orgânicos De 2 meses a 1 ano
Madeira 6 meses
Cigarro e Fósforos 2 anos
Chiclete 5 anos
Nailon Acima de 30 anos
Plástico Acima de 100 anos
Latas de Alumínio Acima de 1.000 anos
Vidro Acima de 1 milhão de anos
Depende das condições em que o material estiver mantido. Ex.: exposto ao sol, chuva, água do mar etc.
RESÍDUOS - DESPERDICIO
MEIO AMBIENTE E RISCOSMEIO AMBIENTE E RISCOS
Mudanças climáticas:
- Até 2100, as temperaturas podem subir para mais entre 2,6 à
4,8 graus Celsius. (IPCC, 2013).
Marcas e rastros ambientais:
- Os impactos ambientais das atividades humanas passam de
30% da capacidade do planeta em renovar os seus recursos e
em absorver as poluições geradas.
Carteret – Papua – Nova Guiné
Fonte: airaesustentavel.wordpress.com/.../ - http://pt.wikipedia.org/wiki/Tuvalu
Tuvalu - Polinésia
Efeito Estufa – Ilhas do Pacífico
Francisco de Paula – RS – 08/07/2003 Francisco de Paula – RS – 08/07/2003 Furacão Catarina – SC – 28/03/2004
Furacão Catarina – SC – 28/03/2004
Furacão Catarina – SC – 28/03/2004
Fonte: http://www.lemma.ufpr.br/ernani/torbras.html - http://www.popa.com.br/imagens/03-04/catarina.htm
Indaiatuba – SP – 24/05/2005 (Prejuízos de 98 milhões, 400 casas, ventos de +140 km/h)
Efeito Estufa - Aquecimento Global
27
PARA QUEM NÃO ACREDITA
Fontes de energias movem o mundo
Urânio
Petróleo
Gás Natural
Carvão Mineral
Biomassa
6%
10%
21%
26%
34%
Fontes Renováveis de Energia
Na indústria, comércio
e residências
Usinas hidroelétricas
Usinas eólicas
Painéis fotovoltaicos
Energia das marés
Energia geotérmica
Nos transportes
Álcool
Biodiesel
Células combustíveis
Baterias
Biomassa
Hidroelétrica
Nuclear
Carvão mineral
Gás natural
Petróleo
Outros
Comparação entre as Matrizes Elétricas
Brasil Mundo
Consumo de Energia Elétrica no Mundo
31
Consumo de Energia Per Capita (kcal/dia)
Petróleo no nosso dia a dia
Faça impressão
dos dois lado
Reduza as margens
dos textos
Imprima texto em
modo rascunho
Use papel
reciclado
Use sua canecaevite copinhos
Use material de
limpeza ecológico
Repense a decoração
de Natal
Use a maquina de
lavar quando cheia
Leve uma sacola
para trazer as
compras
Compre produtos
orgânicos
Ande menos
de carro
Use lâmpadas
fluorescentes
Ande debicicleta
Ande a pé
Pequenas atitudes para uma grande mudança
Q
uando
ferver
baixe
o
fogo
Acenda o fósforo
antes de ligar o gás
Tampe as
panelas
Aproveite a
luz natural
Desligue a luz aosair do cômodo
Regule o fogão quando a
chama ficar amarela
Apague a
chama piloto
Use ao máximo a
panela de pressão
Evite ficar abrindo a
geladeira
Use pilhas
recarregáveis
Use ventilador de
teto
Tome banhos
rápidos
Compre alimentos
produzidos na sua
regiãoDesligue o
computador
Desligue os
aparelhos na
tomada
Regue as plantas a
noite
Use mais a
escada
Use mais
transporte
coletivo
Reduza o que puder
Reutilize sempre que possível
Recicle
“Somos hóspedes e não senhorios da natureza, por isso temos que
encontrar um novo paradigma para o desenvolvimento“
Mikhail Gorbachev
Os “Senhores do Conhecimento” sabem tudo sobre um mundo que
não mais existe! Os que permanecem eternos aprendizes herdarão
o futuro!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicosCiências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
elonvila
 
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp026 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
Deolinda Silva
 
ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013
ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013
ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013
Ana Cristina Carvalho
 
1geo17
1geo171geo17
1geo17
NTE_Itaocara
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Guilherme Orlandi Goulart
 
Livro 389
Livro 389Livro 389
Livro 389
familiaestagio
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
Estude Mais
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
wesleydeluky
 
O futuro do planeta uma questão de ética e educação
O futuro do planeta   uma questão de ética e educaçãoO futuro do planeta   uma questão de ética e educação
O futuro do planeta uma questão de ética e educação
babins
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
Angela Boucinha
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
Luís Ferreira
 
Jornal 1 ed
Jornal 1 edJornal 1 ed
Jornal 1 ed
João Victor
 
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9riaFluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Carla Carneiro
 
Projeto de aula jovem do futuro
Projeto de aula   jovem do futuroProjeto de aula   jovem do futuro
Projeto de aula jovem do futuro
Maraiza31
 
Princípios em ecologia 1 (2014)
Princípios em ecologia 1 (2014)Princípios em ecologia 1 (2014)
Princípios em ecologia 1 (2014)
Marcelo Gomes
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
anocas_rita
 
Antropocénico
AntropocénicoAntropocénico
Antropocénico
luiselvas
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
Adriana Paulon
 

Mais procurados (18)

Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicosCiências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
 
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp026 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
6 protecoeconservaodanatureza-110915160059-phpapp02
 
ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013
ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013
ACC. SDS AulaPRÁTICA nº2 2013
 
1geo17
1geo171geo17
1geo17
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
 
Livro 389
Livro 389Livro 389
Livro 389
 
Revisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enemRevisao de ecologia para o enem
Revisao de ecologia para o enem
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
O futuro do planeta uma questão de ética e educação
O futuro do planeta   uma questão de ética e educaçãoO futuro do planeta   uma questão de ética e educação
O futuro do planeta uma questão de ética e educação
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
 
Jornal 1 ed
Jornal 1 edJornal 1 ed
Jornal 1 ed
 
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9riaFluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
 
Projeto de aula jovem do futuro
Projeto de aula   jovem do futuroProjeto de aula   jovem do futuro
Projeto de aula jovem do futuro
 
Princípios em ecologia 1 (2014)
Princípios em ecologia 1 (2014)Princípios em ecologia 1 (2014)
Princípios em ecologia 1 (2014)
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
 
Antropocénico
AntropocénicoAntropocénico
Antropocénico
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 

Destaque

Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Med. Veterinária 2011
 
Ecologia i
Ecologia iEcologia i
Ecologia i
denilsonbio
 
Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8
Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8
Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8
Leonardo Alves
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Antonio Fernandes
 
Ecologia com exercícios
Ecologia com exercíciosEcologia com exercícios
Ecologia com exercícios
helder raposo
 
Ecologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o Espiritismo
Ecologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o EspiritismoEcologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o Espiritismo
Ecologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o Espiritismo
Marcelo Suster
 
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor SucroenergéticoSustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Luciano Meneguetti
 
Ecologia introdução importancia trofismo materia energia piramides
Ecologia   introdução importancia trofismo materia energia piramidesEcologia   introdução importancia trofismo materia energia piramides
Ecologia introdução importancia trofismo materia energia piramides
Thiago Manchester
 
A Ecologia E O Tempo Do Fim
A Ecologia E O Tempo Do FimA Ecologia E O Tempo Do Fim
A Ecologia E O Tempo Do Fim
Hugo Hoffmann
 
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Roney Gusmão
 
Ecologia – Conceitos BáSicos
Ecologia – Conceitos BáSicosEcologia – Conceitos BáSicos
Ecologia – Conceitos BáSicos
Diego Yamazaki Bolano
 
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivosAula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Lucia Virginio
 
Básico de populações
Básico de populaçõesBásico de populações
Básico de populações
unesp
 
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Gabriel Salles
 
Níveis de organização
Níveis de organizaçãoNíveis de organização
Níveis de organização
unesp
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Adaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivosAdaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivos
Rosana Santos Quirino
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
CPM
 

Destaque (18)

Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaaConceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
Conceitos em ecologia e ecossistemas silviaaa
 
Ecologia i
Ecologia iEcologia i
Ecologia i
 
Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8
Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8
Powerpoint nr-2-interaces-seres-vivos-ambiente-1223033712423576-8
 
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e EcossitemasConceitos em Ecologia e Ecossitemas
Conceitos em Ecologia e Ecossitemas
 
Ecologia com exercícios
Ecologia com exercíciosEcologia com exercícios
Ecologia com exercícios
 
Ecologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o Espiritismo
Ecologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o EspiritismoEcologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o Espiritismo
Ecologia, Sustentabilidade, o Progresso Material e o Espiritismo
 
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor SucroenergéticoSustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
Sustentabilidade e Preservação Ambiental no Setor Sucroenergético
 
Ecologia introdução importancia trofismo materia energia piramides
Ecologia   introdução importancia trofismo materia energia piramidesEcologia   introdução importancia trofismo materia energia piramides
Ecologia introdução importancia trofismo materia energia piramides
 
A Ecologia E O Tempo Do Fim
A Ecologia E O Tempo Do FimA Ecologia E O Tempo Do Fim
A Ecologia E O Tempo Do Fim
 
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
 
Ecologia – Conceitos BáSicos
Ecologia – Conceitos BáSicosEcologia – Conceitos BáSicos
Ecologia – Conceitos BáSicos
 
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivosAula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
Aula 1 biodiversidade e a classificação dos seres vivos
 
Básico de populações
Básico de populaçõesBásico de populações
Básico de populações
 
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
 
Níveis de organização
Níveis de organizaçãoNíveis de organização
Níveis de organização
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Adaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivosAdaptação dos seres vivos
Adaptação dos seres vivos
 
Conceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia AulaConceitos De Ecologia Aula
Conceitos De Ecologia Aula
 

Semelhante a Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015

Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...
Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...
Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...
RenatoEstevam6
 
A lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaA lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologia
Helio Cruz
 
EM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdf
EM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdfEM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdf
EM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdf
Faga1939
 
introdução ao aprofundamento Agua solvente universal
introdução ao aprofundamento Agua solvente universalintrodução ao aprofundamento Agua solvente universal
introdução ao aprofundamento Agua solvente universal
lucas543699
 
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revistaGuerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
leia silva
 
Os 400, água e dia mundial do meio ambiente
Os 400, água e dia mundial do meio ambienteOs 400, água e dia mundial do meio ambiente
Os 400, água e dia mundial do meio ambiente
Alexandre Magrineli dos Reis
 
Rcman35
Rcman35Rcman35
Rcman35
Luis Araujo
 
Alice no país das cinzas
Alice no país das cinzasAlice no país das cinzas
Alice no país das cinzas
rsaloes
 
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
Jorge Moreira
 
Slides do livro Eletrônico
Slides do livro EletrônicoSlides do livro Eletrônico
Slides do livro Eletrônico
Flavia Carvalho
 
Educação e desenvolvimento sustentável no século xxi
Educação e desenvolvimento sustentável no século xxiEducação e desenvolvimento sustentável no século xxi
Educação e desenvolvimento sustentável no século xxi
Fernando Alcoforado
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
Henrique Mark
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
Henrique Mark
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
Henrique Mark
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
Henrique Mark
 
Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012
Viviane Porto
 
Ma desafio e perspectivas
Ma desafio e perspectivasMa desafio e perspectivas
Ma desafio e perspectivas
Paulo Eugenio Soares Gonçalves
 
A ciência e o desenvolvimento sustentável
A ciência e o desenvolvimento sustentávelA ciência e o desenvolvimento sustentável
A ciência e o desenvolvimento sustentável
Fernando Alcoforado
 
Aula 03 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 03 de ciências humanas e suas tecnologiasAula 03 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 03 de ciências humanas e suas tecnologias
Homero Alves de Lima
 
Ocupação Territorial do Brasil
Ocupação Territorial do BrasilOcupação Territorial do Brasil
Ocupação Territorial do Brasil
Vitor Vieira Vasconcelos
 

Semelhante a Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015 (20)

Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...
Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...
Caminhos e perspectivas alternativas energéticas, tecnologias ambientais para...
 
A lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaA lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologia
 
EM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdf
EM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdfEM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdf
EM DEFESA DO USO RACIONAL DA ÁGUA, FONTE DE VIDA, NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA.pdf
 
introdução ao aprofundamento Agua solvente universal
introdução ao aprofundamento Agua solvente universalintrodução ao aprofundamento Agua solvente universal
introdução ao aprofundamento Agua solvente universal
 
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revistaGuerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
 
Os 400, água e dia mundial do meio ambiente
Os 400, água e dia mundial do meio ambienteOs 400, água e dia mundial do meio ambiente
Os 400, água e dia mundial do meio ambiente
 
Rcman35
Rcman35Rcman35
Rcman35
 
Alice no país das cinzas
Alice no país das cinzasAlice no país das cinzas
Alice no país das cinzas
 
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
 
Slides do livro Eletrônico
Slides do livro EletrônicoSlides do livro Eletrônico
Slides do livro Eletrônico
 
Educação e desenvolvimento sustentável no século xxi
Educação e desenvolvimento sustentável no século xxiEducação e desenvolvimento sustentável no século xxi
Educação e desenvolvimento sustentável no século xxi
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012
 
Ma desafio e perspectivas
Ma desafio e perspectivasMa desafio e perspectivas
Ma desafio e perspectivas
 
A ciência e o desenvolvimento sustentável
A ciência e o desenvolvimento sustentávelA ciência e o desenvolvimento sustentável
A ciência e o desenvolvimento sustentável
 
Aula 03 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 03 de ciências humanas e suas tecnologiasAula 03 de ciências humanas e suas tecnologias
Aula 03 de ciências humanas e suas tecnologias
 
Ocupação Territorial do Brasil
Ocupação Territorial do BrasilOcupação Territorial do Brasil
Ocupação Territorial do Brasil
 

Último

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 

Último (20)

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 

Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015

  • 1. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 2ª Série. Desenvolvimento sustentável: alternativas energéticas, pobreza e Índice de desenvolvimento humano. BIOLOGIA 2015 DWEISON NUNES E-mail: dnss.nunes@Hotmail.com
  • 2. O principal foco da ecologia é entender as interações entre organismos, populações, comunidades, ecossistemas e com seu meio físico. Ciência que tem como objetivo responder perguntas sobre a estrutura e o funcionamento da natureza Termo chave: INTERAÇÃO Ar Água Terra Vida
  • 3. Aristoteles: primeiro a registrar observações a respeito da história natural de plantas e animais da terra. Não identifica claramente as relações dinâmicas e recíprocas entre o meio biótico e abiótico. “The History of Animals”, escrito em 350 A.C Por ~ 2000 anos: não existia a noção de adpatção ou de leis Darwin?
  • 4. ESPÉCIE – conjunto de seres vivos semelhantes que ao se cruzarem darão descendentes férteis. POPULAÇÃO - Conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vivem numa determinada região no mesmo intervalo de tempo. COMUNIDADE - Conjunto de diferentes populações de uma determinada área. ECOSSISTEMA - É a interação entre a comunidade e o meio. Ex. Um Lago. BIOSFERA - Conjunto de todos os ecossistemas da Terra ou Pelicula da terra habitada pelos seres vivos. Organização da Biosfera
  • 5. Universo Galaxias Sistema Solar Planetas Terra Biosfera Ecossitemas Comunidades Populações Organismos Sistemas de órgãos Órgãos Tecidos Células Protoplasma Moléculas Átomos Partículas sub-atômicas Modelo conceitual hierárquico dos níveis de organização da matéria na natureza (Modif. Miller, 1998) Sem vida Limite Vida ? Níveis de organização
  • 6. Determinantes de um ecossistema Fatores Bióticos: seres vivos que vivem em determinada região. Fatores Abióticos: fatores físicos e químicos de um ambiente ( luz, pressão, temperatura, água, ar, salinidade, substrato, umidade, ...)
  • 7. Complexidade dos sistemas ecológios Necessidade de uma simplificação ou um modelo conceitual de funcinamento Herbívoros CarnívorosE Produtores Decompo- sitores Respiração Respiração Respiração Respiração Calor Calor Calor Calor Calor Reserv. de Nutrientes Fluxo de energia Ciclagem de nutrientes
  • 8. Diagrama funcional de um sistema ecológico (Odum, 1983) Autótrofos Fluxo de E Sentido único Fonte de E (funções motrizes) Entrada de materiais (nutrientes) e organismos Ciclo e depósito de materiais Circuito de contrôle por retroalimentação de E e depósito de E Exportação de E armazenada (m. o. e organismos) Sumidouro de calor Exportação de mateiriais Heterótrofos Depósito
  • 9. Desenvolvimento sustentável “O desenvolvimento sustentável é aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem às suas próprias necessidades.” Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  • 10. O DESENVOLVIMENTO HUMANO Acesso a água: - A água contaminada, primeiro fator da mortalidade no mundo. Em 2013 a cada 15 segundos uma criança morreu por falta de acesso ao H20 potável. (Unicef, 2013).
  • 11. Percentual de água à nível planetário Disponível em: http://water.usgs.gov/edu/graphics/portuguese/earthwheredistribution.gif. Visita em 05/08/2014.
  • 12. A saber.. Disponível em: http://water.usgs.gov/edu/graphics/portuguese/earthwheredistribution.gif. Visita em 05/08/2014.
  • 13. Alternativas para uso sustentável da água: ÁGUA E AS ARTES VISUAIS Homem Aranha - Filme Parque do Ibirapuera - SP Fotografia Gene Kelly Dançando na Chuva – Filme
  • 15. A ÁGUA COMO FIGURA DE LINGUAGEM Até de Baixo d`Água. Águas de março. Águas passadas. Afogar-se em pouca água. Água que passarinho não bebe. Carregar água em peneira. Claro como água. Com água na boca. Como água. Como da água para o vinho De fazer água na boca. Dar água na boca. Água mole em pedra dura... Dar em água. Enfiar água no espeto. Estar numa água só. Fazer água. Ferver em pouca água Ir por água abaixo. Manter em água morna. Pôr água na fervura. Ter bebido água de chocalho. Tirar água de pedra. Tirar água do joelho.
  • 16. O DESENVOLVIMENTO HUMANO Acesso a educação: - 770 milhões de analfabetos no mundo. (Jornal Hoje, janeiro de 2014).
  • 17. Uma família na Alemanha consome o mesmo que 405 famílias em Chade 1 pessoa morre de fome a cada 6 segundos no mundo ALEMANHA – U$ 500,07 USA – U$ 341,98ITÁLIA – U$ 214,36EGITO – U$ 68,53 EQUADOR – U$ 31,55 Comores – U$ 29,11 Burundi – U$ 5,03 Eritreia – U$ 1,23 Gasto com 1 Semana de Alimentação Fonte: http://pantrypermitting.typepad.com/pantry_permitting/2008/01/what-the-world.html
  • 18. Fonte: www.compendiosustentabilidade.com.br Quantos Planetas Temos para Consumir? Brasil: IDH – 0,744 em 2013. 79ª Posição.
  • 19. Terra, um Planeta de 4,5 bilhões de anos Comparando a Terra a uma pessoa de 45 anos. Nada se sabe a respeito de seus 7 primeiros anos de vida. Embora existam vagas informações sobre o período intermediário, sabemos que a Terra apenas começou a florescer com grande exuberância aos 42 anos. O homem moderno surgiu há 4h e há 1h descobriu a agricultura. A Revolução Industrial se iniciou há 1min. Durante estes 60 seg, o homem moderno fez desse paraíso um depósito de lixo. Ele causou a extinção de muitas espécies, poluiu sua águas, saqueou em busca de minerais e agora, com total indiferença, contempla o planeta à beira da extinção da vida, podendo destruir de vez este oásis do nosso sistema solar. Fonte original: GREENPEACE. In: VIEIRA, Fabiano M. P. & SOUZA JR., Samuel de. Cooperativa de Catadores: uma alternativa sócio-ambiental para os grandes centros urbanos - Monografia - MBA GNS - LATEC-UFF Foto: http://www.imagens-terra.com/globo-america.htm
  • 20. MEIO AMBIENTE E RISCOSMEIO AMBIENTE E RISCOS A CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental2013.
  • 22. Tempo de DecomposiçãoTempo de Decomposição do Lixodo Lixo Produto Tempo de decomposição Jornais De 14 a 42 dias Papel De 1 a 4 meses Guardanapos 3 meses Restos Orgânicos De 2 meses a 1 ano Madeira 6 meses Cigarro e Fósforos 2 anos Chiclete 5 anos Nailon Acima de 30 anos Plástico Acima de 100 anos Latas de Alumínio Acima de 1.000 anos Vidro Acima de 1 milhão de anos Depende das condições em que o material estiver mantido. Ex.: exposto ao sol, chuva, água do mar etc.
  • 24. MEIO AMBIENTE E RISCOSMEIO AMBIENTE E RISCOS Mudanças climáticas: - Até 2100, as temperaturas podem subir para mais entre 2,6 à 4,8 graus Celsius. (IPCC, 2013). Marcas e rastros ambientais: - Os impactos ambientais das atividades humanas passam de 30% da capacidade do planeta em renovar os seus recursos e em absorver as poluições geradas.
  • 25. Carteret – Papua – Nova Guiné Fonte: airaesustentavel.wordpress.com/.../ - http://pt.wikipedia.org/wiki/Tuvalu Tuvalu - Polinésia Efeito Estufa – Ilhas do Pacífico
  • 26. Francisco de Paula – RS – 08/07/2003 Francisco de Paula – RS – 08/07/2003 Furacão Catarina – SC – 28/03/2004 Furacão Catarina – SC – 28/03/2004 Furacão Catarina – SC – 28/03/2004 Fonte: http://www.lemma.ufpr.br/ernani/torbras.html - http://www.popa.com.br/imagens/03-04/catarina.htm Indaiatuba – SP – 24/05/2005 (Prejuízos de 98 milhões, 400 casas, ventos de +140 km/h) Efeito Estufa - Aquecimento Global
  • 27. 27 PARA QUEM NÃO ACREDITA
  • 28. Fontes de energias movem o mundo Urânio Petróleo Gás Natural Carvão Mineral Biomassa 6% 10% 21% 26% 34%
  • 29. Fontes Renováveis de Energia Na indústria, comércio e residências Usinas hidroelétricas Usinas eólicas Painéis fotovoltaicos Energia das marés Energia geotérmica Nos transportes Álcool Biodiesel Células combustíveis Baterias
  • 30. Biomassa Hidroelétrica Nuclear Carvão mineral Gás natural Petróleo Outros Comparação entre as Matrizes Elétricas Brasil Mundo Consumo de Energia Elétrica no Mundo
  • 31. 31 Consumo de Energia Per Capita (kcal/dia)
  • 32. Petróleo no nosso dia a dia
  • 33. Faça impressão dos dois lado Reduza as margens dos textos Imprima texto em modo rascunho Use papel reciclado Use sua canecaevite copinhos Use material de limpeza ecológico Repense a decoração de Natal Use a maquina de lavar quando cheia Leve uma sacola para trazer as compras Compre produtos orgânicos Ande menos de carro Use lâmpadas fluorescentes Ande debicicleta Ande a pé Pequenas atitudes para uma grande mudança Q uando ferver baixe o fogo Acenda o fósforo antes de ligar o gás Tampe as panelas Aproveite a luz natural Desligue a luz aosair do cômodo Regule o fogão quando a chama ficar amarela Apague a chama piloto Use ao máximo a panela de pressão Evite ficar abrindo a geladeira Use pilhas recarregáveis Use ventilador de teto Tome banhos rápidos Compre alimentos produzidos na sua regiãoDesligue o computador Desligue os aparelhos na tomada Regue as plantas a noite Use mais a escada Use mais transporte coletivo Reduza o que puder Reutilize sempre que possível Recicle
  • 34. “Somos hóspedes e não senhorios da natureza, por isso temos que encontrar um novo paradigma para o desenvolvimento“ Mikhail Gorbachev Os “Senhores do Conhecimento” sabem tudo sobre um mundo que não mais existe! Os que permanecem eternos aprendizes herdarão o futuro!