SlideShare uma empresa Scribd logo
Fluxo de energia e ciclos de matéria
Transferência de matéria e energia num ecossistema
• Praticamente toda a energia necessária à vida na
Terra provém do Sol. Este é por isso a principal fonte
de energia de um ecossistema.
• As plantas, obtêm a energia directamente do Sol e desse
modo realizam a fotossíntese. Na presença da energia solar,
as plantas captam o dióxido de carbono do ar através das suas
folhas e retiram a água e os sais minerais do solo através das
raízes.
• Através da fotossíntese as plantas transformam a água, os sais
minerais e o dióxido de carbono que retiram do meio em
matéria orgânica e produzem deste modo o seu próprio
alimento. Por esta razão são classificadas como seres
autotróficos.
• Estes seres autotróficos vão servir de alimento a
alguns animais que como não conseguem produzir o
seu próprio alimento são classificados como seres
heterotróficos e é deste modo que se processam as
transferências de matéria e de energia de uns seres
vivos para outros num ecossistema.
Cadeias alimentares
• Traduzem as relações alimentares entre os diversos
seres vivos.
• Cada ser vivo pode fazer parte de mais do que de uma
cadeia alimentar, embora possa ocupar posições
diferentes, dependendo do alimento que ingere. A
essa posição dá-se o nome de nível trófico.
Teias alimentares
• O mesmo ser vivo pode fazer parte de mais do que
uma cadeia alimentar. Portanto, na natureza, não
existem cadeias alimentares isoladas, mas sim redes ou
teias alimentares.
Circulação da matéria
• Nos ecossistemas, a matéria circula ao longo das cadeias
alimentares. Estas cadeias têm como ponto de partida os
produtores que, com o recurso à energia solar e através da
fotossíntese, transformam a matéria mineral em matéria
orgânica. Essa matéria orgânica passa dos produtores para os
consumidores quando estes se alimentam.
• Quando os produtores e os consumidores morrem, a matéria
orgânica que os constitui irá ser processada pelos
decompositores. Estes irão transformar essa matéria orgânica
novamente em matéria mineral através da decomposição.
• A matéria mineral que passa a fazer parte do solo vai ser
utilizada pelos produtores para sintetizarem matéria orgânica,
reiniciando-se deste modo um novo ciclo de matéria.
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de energia
• Ao contrário do fluxo da matéria, o fluxo de energia é
unidireccional pois a energia que é gasta ou perdida não pode
ser reaproveitada. A energia que entra num ecossistema é a
energia solar e vai ser transformada em energia química pelos
produtores, as plantas. As plantas, ao servirem de alimento aos
animais herbívoros, passam-lhes a energia disponível; essa
energia será, por sua vez, passada dos animais herbívoros aos
carnívoros que deles se alimentam.
• Para além deste fluxo, há ainda gastos e perdas de energia em
todos os níveis das cadeias alimentares: gastos de energia nas
funções vitais (como a respiração), e perdas de energia pelos
organismos (como o calor ou nas excreções).
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
• Assim:
• Na passagem de um nível trófico para outro nível trófico
a energia disponível vai diminuindo (desde os
produtores até ao último consumidor);
• Por esse motivo, as cadeias alimentares, geralmente,
não têm mais de cinco níveis tróficos.
Pirâmides ecológicas
• Ao longo de uma cadeia alimentar ocorrem transferências,
gastos e perdas quer de matéria, quer de energia, de nível trófico
para nível trófico. Por essa razão o número de indivíduos vai
diminuindo conforme o nível trófico vai aumentando.
• Para ilustrar este facto utilizam-se as pirâmides ecológicas, que
traduzem graficamente as variações de número, massa e energia
nos ecossistemas, mostrando as relações entre os diferentes
níveis tróficos em termos de "quantidades". Cada degrau de uma
pirâmide corresponde a um nível trófico.
• Podem existir três tipos de pirâmides...
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria
• Resolve os exercícios das páginas 62 e 63 do teu
manual:
• Teia alimentar no Parque Nacional – pág. 62;
• Pirâmide ecológica no oceano – pág. 63.
Importância dos decompositores
• Os decompositores são os responsáveis pela
transformação da matéria orgânica em matéria
mineral. Estes seres vivos representam um papel
fundamental no processo de circulação da matéria.
(Bactérias e fungos)
Ciclos de matéria
Ciclo da água
• A energia solar, a fonte impulsionadora do ciclo da
água, promove a evaporação deste líquido dos lagos,
rios e mares, libertando-a para a atmosfera.
• O vapor de água sobe na atmosfera e ao arrefecer
passa ao estado líquido. Desta condensação da água
resultam gotículas de água ou partículas de gelo,
conforme a temperatura da atmosfera, que se
agregam em nuvens.
• A água condensada da atmosfera poderá depois
precipitar-se sob a forma de chuva, neve ou granizo,
regressando à superfície terrestre.
• Ao atingir o solo, a água pode permanecer à superfície
correndo em rios até ao mar ou acumulando-se em
lagos.
• Alternativamente, a água pode infiltrar-se no solo,
acumulando-se em reservas subterrâneas que se
podem denominar depósitos freáticos, se estiverem
mais próximas da superfície, ou depósitos profundos,
se estiverem a maiores profundidades.
• Alguma da água que fica no solo é usada na
alimentação dos seres vivos e é depois libertada por
transpiração para a atmosfera.
• Finalmente o ciclo da água regressa ao início,
repetindo-se continuamente. Neste ciclo há sempre
água, nas diferentes fases.
Sucessão ecológica
• Os elementos de um ecossistema não surgem todos ao
mesmo tempo.
• Surgem através de uma sucessão ecológica.
Ocorre numa área
desprovida de vida
Destruição por
incêndios, vulcões,
etc...
Sucessão ecológica primária
• Há diversos motivos para que, na natureza, possa
ocorrer uma sucessão ecológica primária. Entre esses
motivos encontram-se a formação de montanhas, ilhas
ou dunas que dão origem a substratos virgens onde se
podem desenvolver ecossistemas.
• As primeiras espécies que se estabelecem nos
substratos são chamadas espécies pioneiras e vão criar
condições para que outros seres vivos possam
colonizar esse local. Os líquenes são os melhores
exemplos de espécies pioneiras.
• Em seguida, e depois de estarem criadas condições,
surgem plantas de maior porte, como por exemplo,
fetos e musgos. Conforme a biodiversidade vai
aumentando vão surgindo novas espécies como
arbustos e árvores até que se atinge uma comunidade
clímax, estável e em equilíbrio com o ambiente
(exemplo: floresta).
• Resolve os exercícios da página 68 do teu manual:
• “O Anel de Pedra”
Equilíbrio dinâmico das populações
• No equilíbrio dinâmico de uma população interferem:
• Relações inter e intra-específicas existentes entre os seres vivos;
• Natalidade (aumenta o efectivo populacional);
• Mortalidade (diminui o efectivo populacional);
• Imigração (aumenta o efectivo populacional);
• Emigração (diminui o efectivo populacional).
•Resolve os exercícios da página 72 do manual:
•“Flutuações cíclicas das populações”
• Resolve os exercícios de revisão das páginas 75, 76 e
77 do teu manual:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matériaFluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matéria
Carlos Priante
 
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Marcelo Gomes
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
Turma Olímpica
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
hugo dias
 
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Nuno Coelho
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
8ºC
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
N C
 
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Maria Cristina Marques Mota
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
Roberto Bagatini
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
Reinan Santos
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
anocas_rita
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
marco :)
 
Apostila ecologia
Apostila ecologiaApostila ecologia
Apostila ecologia
Robson alex santos
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Leonardo Alves
 
Especialidade [DESBRAVADORES] ecologia
Especialidade [DESBRAVADORES] ecologiaEspecialidade [DESBRAVADORES] ecologia
Especialidade [DESBRAVADORES] ecologia
Ronaldo Santana
 
Fluxos de energia e ciclos de matéria
Fluxos de energia e ciclos de matériaFluxos de energia e ciclos de matéria
Fluxos de energia e ciclos de matéria
Tânia Reis
 
Atividade prática montagem de um ecossistema sustentável
Atividade prática   montagem de um ecossistema sustentávelAtividade prática   montagem de um ecossistema sustentável
Atividade prática montagem de um ecossistema sustentável
Maria Cristina Marques Mota
 

Mais procurados (19)

Fluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matériaFluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matéria
 
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)Fundamento de Ecologia -  fluxo de energia (nível superior)
Fundamento de Ecologia - fluxo de energia (nível superior)
 
Fluxo de Energia
Fluxo de EnergiaFluxo de Energia
Fluxo de Energia
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
 
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
 
Ecossistema
EcossistemaEcossistema
Ecossistema
 
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...Trabalho de atividade prática   montagem de um ecossistema sustentável - terr...
Trabalho de atividade prática montagem de um ecossistema sustentável - terr...
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
 
Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Apostila ecologia
Apostila ecologiaApostila ecologia
Apostila ecologia
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
 
Especialidade [DESBRAVADORES] ecologia
Especialidade [DESBRAVADORES] ecologiaEspecialidade [DESBRAVADORES] ecologia
Especialidade [DESBRAVADORES] ecologia
 
Fluxos de energia e ciclos de matéria
Fluxos de energia e ciclos de matériaFluxos de energia e ciclos de matéria
Fluxos de energia e ciclos de matéria
 
Atividade prática montagem de um ecossistema sustentável
Atividade prática   montagem de um ecossistema sustentávelAtividade prática   montagem de um ecossistema sustentável
Atividade prática montagem de um ecossistema sustentável
 

Semelhante a Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria

Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
anocas_rita
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Nanda Freitas
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Altair Hoepers
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
Suely namaste
 
Capítulo 01 ecologia
Capítulo 01   ecologiaCapítulo 01   ecologia
Capítulo 01 ecologia
Igor Brant
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
LarissiFial
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - EcologiaCiências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
elonvila
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
inessalgado
 
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicasSlide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Grazi! !!
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Andrea Barreto
 
Resumos de ciências - 8.º Ano
Resumos de ciências - 8.º AnoResumos de ciências - 8.º Ano
Resumos de ciências - 8.º Ano
Ana Beatriz Gonçalves
 
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
8ºC
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
Catir
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
Catir
 
Cicloener
CicloenerCicloener
Cicloener
uendell
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Tia Fátima Assis Lepesqueur
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Tia Fátima Assis Lepesqueur
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
D3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.ppt
D3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.pptD3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.ppt
D3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.ppt
hliopacheco3
 

Semelhante a Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria (20)

Ciencias 8ºano - 3º teste
Ciencias   8ºano - 3º testeCiencias   8ºano - 3º teste
Ciencias 8ºano - 3º teste
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
 
Capítulo 01 ecologia
Capítulo 01   ecologiaCapítulo 01   ecologia
Capítulo 01 ecologia
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - EcologiaCiências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
 
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicasSlide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Resumos de ciências - 8.º Ano
Resumos de ciências - 8.º AnoResumos de ciências - 8.º Ano
Resumos de ciências - 8.º Ano
 
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
Cicloener
CicloenerCicloener
Cicloener
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
 
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemasFluxo de matéria e energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
D3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.ppt
D3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.pptD3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.ppt
D3 - 3.1 (1) B - Organização Biológica.ppt
 

Mais de Carla Carneiro

Teste diagnóstico 7º ano
Teste diagnóstico 7º anoTeste diagnóstico 7º ano
Teste diagnóstico 7º ano
Carla Carneiro
 
Recursos naturais + correção (1)
Recursos naturais + correção (1)Recursos naturais + correção (1)
Recursos naturais + correção (1)
Carla Carneiro
 
Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01
Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01
Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01
Carla Carneiro
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
Carla Carneiro
 
Ecfecm
EcfecmEcfecm
Exerccios2 130223062423-phpapp01
Exerccios2 130223062423-phpapp01Exerccios2 130223062423-phpapp01
Exerccios2 130223062423-phpapp01
Carla Carneiro
 
Cn8 bq 00005
Cn8 bq 00005Cn8 bq 00005
Cn8 bq 00005
Carla Carneiro
 
8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia
Carla Carneiro
 
4testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp01
4testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp014testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp01
4testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp01
Carla Carneiro
 
2tx 130426061442-phpapp01
2tx 130426061442-phpapp012tx 130426061442-phpapp01
2tx 130426061442-phpapp01
Carla Carneiro
 
05 daterraàlua (1)
05 daterraàlua (1)05 daterraàlua (1)
05 daterraàlua (1)
Carla Carneiro
 

Mais de Carla Carneiro (11)

Teste diagnóstico 7º ano
Teste diagnóstico 7º anoTeste diagnóstico 7º ano
Teste diagnóstico 7º ano
 
Recursos naturais + correção (1)
Recursos naturais + correção (1)Recursos naturais + correção (1)
Recursos naturais + correção (1)
 
Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01
Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01
Fluxodeenergiaecirculaodematrianosgoreti 110324094223-phpapp01
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
 
Ecfecm
EcfecmEcfecm
Ecfecm
 
Exerccios2 130223062423-phpapp01
Exerccios2 130223062423-phpapp01Exerccios2 130223062423-phpapp01
Exerccios2 130223062423-phpapp01
 
Cn8 bq 00005
Cn8 bq 00005Cn8 bq 00005
Cn8 bq 00005
 
8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia
 
4testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp01
4testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp014testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp01
4testerecursosminbiolhid 110527151613-phpapp01
 
2tx 130426061442-phpapp01
2tx 130426061442-phpapp012tx 130426061442-phpapp01
2tx 130426061442-phpapp01
 
05 daterraàlua (1)
05 daterraàlua (1)05 daterraàlua (1)
05 daterraàlua (1)
 

Último

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 

Último (20)

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 

Fluxo de-energia-e-ciclos-de-matc3a9ria

  • 1. Fluxo de energia e ciclos de matéria
  • 2. Transferência de matéria e energia num ecossistema • Praticamente toda a energia necessária à vida na Terra provém do Sol. Este é por isso a principal fonte de energia de um ecossistema.
  • 3. • As plantas, obtêm a energia directamente do Sol e desse modo realizam a fotossíntese. Na presença da energia solar, as plantas captam o dióxido de carbono do ar através das suas folhas e retiram a água e os sais minerais do solo através das raízes. • Através da fotossíntese as plantas transformam a água, os sais minerais e o dióxido de carbono que retiram do meio em matéria orgânica e produzem deste modo o seu próprio alimento. Por esta razão são classificadas como seres autotróficos.
  • 4. • Estes seres autotróficos vão servir de alimento a alguns animais que como não conseguem produzir o seu próprio alimento são classificados como seres heterotróficos e é deste modo que se processam as transferências de matéria e de energia de uns seres vivos para outros num ecossistema.
  • 5. Cadeias alimentares • Traduzem as relações alimentares entre os diversos seres vivos.
  • 6. • Cada ser vivo pode fazer parte de mais do que de uma cadeia alimentar, embora possa ocupar posições diferentes, dependendo do alimento que ingere. A essa posição dá-se o nome de nível trófico.
  • 7. Teias alimentares • O mesmo ser vivo pode fazer parte de mais do que uma cadeia alimentar. Portanto, na natureza, não existem cadeias alimentares isoladas, mas sim redes ou teias alimentares.
  • 8. Circulação da matéria • Nos ecossistemas, a matéria circula ao longo das cadeias alimentares. Estas cadeias têm como ponto de partida os produtores que, com o recurso à energia solar e através da fotossíntese, transformam a matéria mineral em matéria orgânica. Essa matéria orgânica passa dos produtores para os consumidores quando estes se alimentam. • Quando os produtores e os consumidores morrem, a matéria orgânica que os constitui irá ser processada pelos decompositores. Estes irão transformar essa matéria orgânica novamente em matéria mineral através da decomposição. • A matéria mineral que passa a fazer parte do solo vai ser utilizada pelos produtores para sintetizarem matéria orgânica, reiniciando-se deste modo um novo ciclo de matéria.
  • 10. Fluxo de energia • Ao contrário do fluxo da matéria, o fluxo de energia é unidireccional pois a energia que é gasta ou perdida não pode ser reaproveitada. A energia que entra num ecossistema é a energia solar e vai ser transformada em energia química pelos produtores, as plantas. As plantas, ao servirem de alimento aos animais herbívoros, passam-lhes a energia disponível; essa energia será, por sua vez, passada dos animais herbívoros aos carnívoros que deles se alimentam. • Para além deste fluxo, há ainda gastos e perdas de energia em todos os níveis das cadeias alimentares: gastos de energia nas funções vitais (como a respiração), e perdas de energia pelos organismos (como o calor ou nas excreções).
  • 12. • Assim: • Na passagem de um nível trófico para outro nível trófico a energia disponível vai diminuindo (desde os produtores até ao último consumidor); • Por esse motivo, as cadeias alimentares, geralmente, não têm mais de cinco níveis tróficos.
  • 13. Pirâmides ecológicas • Ao longo de uma cadeia alimentar ocorrem transferências, gastos e perdas quer de matéria, quer de energia, de nível trófico para nível trófico. Por essa razão o número de indivíduos vai diminuindo conforme o nível trófico vai aumentando. • Para ilustrar este facto utilizam-se as pirâmides ecológicas, que traduzem graficamente as variações de número, massa e energia nos ecossistemas, mostrando as relações entre os diferentes níveis tróficos em termos de "quantidades". Cada degrau de uma pirâmide corresponde a um nível trófico. • Podem existir três tipos de pirâmides...
  • 17. • Resolve os exercícios das páginas 62 e 63 do teu manual: • Teia alimentar no Parque Nacional – pág. 62; • Pirâmide ecológica no oceano – pág. 63.
  • 18. Importância dos decompositores • Os decompositores são os responsáveis pela transformação da matéria orgânica em matéria mineral. Estes seres vivos representam um papel fundamental no processo de circulação da matéria. (Bactérias e fungos)
  • 20. Ciclo da água • A energia solar, a fonte impulsionadora do ciclo da água, promove a evaporação deste líquido dos lagos, rios e mares, libertando-a para a atmosfera. • O vapor de água sobe na atmosfera e ao arrefecer passa ao estado líquido. Desta condensação da água resultam gotículas de água ou partículas de gelo, conforme a temperatura da atmosfera, que se agregam em nuvens. • A água condensada da atmosfera poderá depois precipitar-se sob a forma de chuva, neve ou granizo, regressando à superfície terrestre.
  • 21. • Ao atingir o solo, a água pode permanecer à superfície correndo em rios até ao mar ou acumulando-se em lagos. • Alternativamente, a água pode infiltrar-se no solo, acumulando-se em reservas subterrâneas que se podem denominar depósitos freáticos, se estiverem mais próximas da superfície, ou depósitos profundos, se estiverem a maiores profundidades. • Alguma da água que fica no solo é usada na alimentação dos seres vivos e é depois libertada por transpiração para a atmosfera.
  • 22. • Finalmente o ciclo da água regressa ao início, repetindo-se continuamente. Neste ciclo há sempre água, nas diferentes fases.
  • 23. Sucessão ecológica • Os elementos de um ecossistema não surgem todos ao mesmo tempo. • Surgem através de uma sucessão ecológica.
  • 24. Ocorre numa área desprovida de vida Destruição por incêndios, vulcões, etc...
  • 25. Sucessão ecológica primária • Há diversos motivos para que, na natureza, possa ocorrer uma sucessão ecológica primária. Entre esses motivos encontram-se a formação de montanhas, ilhas ou dunas que dão origem a substratos virgens onde se podem desenvolver ecossistemas.
  • 26. • As primeiras espécies que se estabelecem nos substratos são chamadas espécies pioneiras e vão criar condições para que outros seres vivos possam colonizar esse local. Os líquenes são os melhores exemplos de espécies pioneiras.
  • 27. • Em seguida, e depois de estarem criadas condições, surgem plantas de maior porte, como por exemplo, fetos e musgos. Conforme a biodiversidade vai aumentando vão surgindo novas espécies como arbustos e árvores até que se atinge uma comunidade clímax, estável e em equilíbrio com o ambiente (exemplo: floresta).
  • 28. • Resolve os exercícios da página 68 do teu manual: • “O Anel de Pedra”
  • 29. Equilíbrio dinâmico das populações • No equilíbrio dinâmico de uma população interferem: • Relações inter e intra-específicas existentes entre os seres vivos; • Natalidade (aumenta o efectivo populacional); • Mortalidade (diminui o efectivo populacional); • Imigração (aumenta o efectivo populacional); • Emigração (diminui o efectivo populacional). •Resolve os exercícios da página 72 do manual: •“Flutuações cíclicas das populações”
  • 30. • Resolve os exercícios de revisão das páginas 75, 76 e 77 do teu manual: