SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA - UFPB
CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO – CCAE
CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
DISCIPLINA: Avaliação da Aprendizagem
PROFESSORA: Joseval Miranda
Equipe: Gilson Trajano Soares Costa
Marcelo de Melo Fernandes
Raimundo José Cardoso Filho
Discussão coordenada: Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
Rio Tinto, novembro de 2015
● Avaliação como vem sendo tendencialmente compreendida e
vivenciada na escola, constitui-se, essencialmente, em um
instrumento de legitimação do fracasso escolar. Utilizada como
meio de controle das condutas educacionais e sociais dos
alunos, tem servido a uma prática discriminatória que acentua o
processo de seleção social.
● Avaliação escolar possibilita a identificação das dificuldades,
dos sucessos e fracassos, apoiando encaminhamento e decisões
sobre as ações necessárias, sejam elas de natureza pedagógica,
administrativa ou estrutural.
● Seus resultados devem servir para orientação da aprendizagem,
cumprindo uma função eminentemente educacional.
● Avaliação tem-se confundido com procedimentos de medida, de
verificação do rendimento escolar;
● A aprovação/reprovação ganha centralidade nas relações entre
professores e alunos e pais, sendo o foco de suas preocupações
não a aprendizagem;
● Avaliação tem sido utilizada, em geral, como instrumento de
controle e adaptação das condutas educacionais e sociais do
aluno.
.
● Diagnosticar: caracterizar o aluno ao que diz respeito a
interesses, necessidades, conhecimentos e/ou habilidades,
previstas pelos objetivos educacionais propostos, e identificar
causas de dificuldades de aprendizagem;
● Retroinformar: evidenciar os resultados alcançados ao
processo ensino-aprendizagem, apoiando o replanejamento do
trabalho com base nas informações obtidas;
● Favorecer o desenvolvimento individual: atuar como
atividade que estimula o crescimento do aluno, no sentido de
que se conheça melhor e de que se desenvolva a capacidade de
auto avaliar-se.
Quando se discute com professores o significado dominante das
práticas avaliativas, ouvimos manifestações do tipo: “tudo bem,
isso nós já sabemos. Interessa-nos saber o que fazer para mudar,
principalmente porque isso não depende só de nós.
Como lidar com os alunos e com os pais, que veem qualquer
modificação introduzida na avaliação como afrouxamento das
exigências da escola? É difícil mudar!
Não basta tomar conhecimento das críticas que são feitas, é preciso
construir, a partir delas, a própria análise e reflexão, individual e
coletivamente, na escola; o que se desencadeará quando existir,
de fato, um compromisso com uma prática capaz de promover
permanência, terminalidade e ensino de qualidade para todos.
O educador pode ler um texto que critica o uso autoritário da
avaliação, concordar com ele e continuar com o mesmo tipo de
avaliação. A conscientização é um longo processo de ação-
reflexão-ação; não acontece ‘de uma vez’.
Na busca de transformação da avaliação, não é possível pensar em
buscar um “novo modelo”, pronto e acabado, para ser
“aplicado”. Um caminho promissor é possibilitar a explicitação e
análise das diferenças e divergências, com vistas à construção de
um projeto coletivo de trabalho, que se paute pelo compromisso
com a qualidade de ensino para todos.
• Rui Moura diz que a avaliação não é algo de exógeno ao
processo de ensino-aprendizagem, nem independente das
diversas componentes que envolvem o mesmo processo.
◦ “Quando falamos de avaliação não estamos a falar de um fato pontual ou de um
ato singular, mas de um conjunto de fases que se condicionam mutuamente. Por
sua vez a avaliação não é algo separado do processo de ensino-aprendizagem,
não é apêndice independente do referido processo [...]” (Zabalza, 1995).
• A avaliação tecnoburocrática (Fundamentada na visão objetivista/tecnicista)
Marcou fortemente os modelos avaliativos implantados no Brasil na
década de 70;
Avaliar significa medir, atribuir nota (concepção tecnicista);
Não leva consideração as diferenças de interesses e necessidades dos
participantes do processo: alunos, professores, pais e etc.
• Avaliação democrática (Fundamentada na visão qualitativa/emancipadora)
A avaliação é vista em um contexto mais amplo sociocultural
historicamente situada, auto constituída, transformadora e emancipadora
(concepção construtivista);
Parte do princípio que o conhecimento não está no sujeito e nem no
objeto, mas sim na interação dos dois;
Avaliar é acompanhar e valorizar todo processo da construção do
conhecimento do aluno.
- Repensar o processo avaliativo:
Informações: Para que?
Por quem?
• O professor deve registrar informações;
 O registro pode ser feito de diferentes maneiras, em diferentes
momentos, através da observação;
 Analisa o desenvolvimento do aluno e a decisão de que caminho a
seguir;
 Alunos autônomos;
 Procedimentos de auto-relato.
• Sistema de avaliação da escola.
Tem que possibilitar os alunos o conhecimento crítico e criativo;
Avaliação à inclusão;
O conhecimento tem quer ser tratado como um produto de sua relação e
interpretação da realidade vivida.
CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Avaliação escolar e
democratização: o direito de erra. In: AQUINO, Julio Groppa
(Org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e
práticas. São Paulo: Summus, 1997, p.125-137.
A avaliação no processo Ensino-Aprendizagem. Disponível
<http://rmoura.tripod.com/evaluation.htm>, acessado no dia 09
de novembro de 2015.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Discussao 2
Discussao 2Discussao 2
Discussao 2
EdileideSantosAlves
 
Avaliação em perrenoud
Avaliação em perrenoudAvaliação em perrenoud
Avaliação em perrenoud
FranciscaLidianeArau
 
Avaliação educacional
Avaliação educacionalAvaliação educacional
Avaliação educacional
uanjo
 
Dicussão 5
Dicussão 5Dicussão 5
Dicussão 5
EdileideSantosAlves
 
Apresentau00 e7u00e3o avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...
Apresentau00 e7u00e3o   avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...Apresentau00 e7u00e3o   avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...
Apresentau00 e7u00e3o avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...
JesicaNascimento
 
Avaliação, aprendizagem e autoria
Avaliação, aprendizagem e autoriaAvaliação, aprendizagem e autoria
Avaliação, aprendizagem e autoria
andremoretty
 
Comunicação dos resultados da avaliação
Comunicação dos resultados da avaliaçãoComunicação dos resultados da avaliação
Comunicação dos resultados da avaliação
Danilo Raniery
 
Avaliacao Institucional
Avaliacao InstitucionalAvaliacao Institucional
Avaliacao Institucional
kayserescolaestadual
 
A comunicação dos resultados da avaliação escolar
A comunicação dos resultados da avaliação escolarA comunicação dos resultados da avaliação escolar
A comunicação dos resultados da avaliação escolar
Gilson Trajano
 
05 como avaliar a aprendizagem dos educandos
05 como avaliar a aprendizagem dos educandos05 como avaliar a aprendizagem dos educandos
05 como avaliar a aprendizagem dos educandos
Joao Balbi
 
Seminario 2
Seminario 2Seminario 2
Seminario 2
EdileideSantosAlves
 
Avaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discuçãoAvaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discução
Cursos Profissionalizantes
 

Mais procurados (12)

Discussao 2
Discussao 2Discussao 2
Discussao 2
 
Avaliação em perrenoud
Avaliação em perrenoudAvaliação em perrenoud
Avaliação em perrenoud
 
Avaliação educacional
Avaliação educacionalAvaliação educacional
Avaliação educacional
 
Dicussão 5
Dicussão 5Dicussão 5
Dicussão 5
 
Apresentau00 e7u00e3o avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...
Apresentau00 e7u00e3o   avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...Apresentau00 e7u00e3o   avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...
Apresentau00 e7u00e3o avaliau00e7u00e3o escolar e democratizau00e7u00e3o- o...
 
Avaliação, aprendizagem e autoria
Avaliação, aprendizagem e autoriaAvaliação, aprendizagem e autoria
Avaliação, aprendizagem e autoria
 
Comunicação dos resultados da avaliação
Comunicação dos resultados da avaliaçãoComunicação dos resultados da avaliação
Comunicação dos resultados da avaliação
 
Avaliacao Institucional
Avaliacao InstitucionalAvaliacao Institucional
Avaliacao Institucional
 
A comunicação dos resultados da avaliação escolar
A comunicação dos resultados da avaliação escolarA comunicação dos resultados da avaliação escolar
A comunicação dos resultados da avaliação escolar
 
05 como avaliar a aprendizagem dos educandos
05 como avaliar a aprendizagem dos educandos05 como avaliar a aprendizagem dos educandos
05 como avaliar a aprendizagem dos educandos
 
Seminario 2
Seminario 2Seminario 2
Seminario 2
 
Avaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discuçãoAvaliação escolar em discução
Avaliação escolar em discução
 

Semelhante a Avaliação escolar e democratização: o direito de errar

Apresentação para slideshare
Apresentação para slideshareApresentação para slideshare
Apresentação para slideshare
neiva valadares
 
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptxAvaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
CARLOSANTONIOCUNHADO
 
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffmanAvaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Valquiria1003
 
Repensando a avaliação
Repensando a avaliaçãoRepensando a avaliação
Repensando a avaliação
Edson Mamprin
 
Artigo clenilson
Artigo clenilsonArtigo clenilson
Artigo clenilson
Ribeiro DE Sousa
 
Seminario o direito de errar
Seminario o direito de errarSeminario o direito de errar
Seminario o direito de errar
Andreza Lira
 
Seminario o direito de errar
Seminario o direito de errarSeminario o direito de errar
Seminario o direito de errar
Andreza Lira
 
Otaciso_Seminário2
Otaciso_Seminário2Otaciso_Seminário2
Otaciso_Seminário2
LidiaPerside
 
Avaliação escolar e democratização o direito de errar
Avaliação escolar e democratização o direito de errarAvaliação escolar e democratização o direito de errar
Avaliação escolar e democratização o direito de errar
jefc21
 
Slide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
Slide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errarSlide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
Slide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
rafaelly04
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
PROIDDBahiana
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
PROIDDBahiana
 
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.pptTeresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
JOAOMAZZUTTI
 
80 conceitos importantes_na_pr
80 conceitos importantes_na_pr80 conceitos importantes_na_pr
80 conceitos importantes_na_pr
afermartins
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
Instituto Consciência GO
 
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - reaA avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
Elizeu Gomes de Faria
 
Avaliação em cursos remotos.pdf
Avaliação em cursos remotos.pdfAvaliação em cursos remotos.pdf
Avaliação em cursos remotos.pdf
AlessandraRodrigues800177
 
AVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docx
AVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docxAVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docx
AVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docx
MirianCes
 
Estudar concurso 80 verdetes
Estudar concurso   80 verdetesEstudar concurso   80 verdetes
Estudar concurso 80 verdetes
Armazém Do Educador
 
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
Franciele Taveira
 

Semelhante a Avaliação escolar e democratização: o direito de errar (20)

Apresentação para slideshare
Apresentação para slideshareApresentação para slideshare
Apresentação para slideshare
 
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptxAvaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
Avaliação Escolar e dos sistemas de ensino.pptx
 
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffmanAvaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
Avaliar para promover as setas do caminho jussara hoffman
 
Repensando a avaliação
Repensando a avaliaçãoRepensando a avaliação
Repensando a avaliação
 
Artigo clenilson
Artigo clenilsonArtigo clenilson
Artigo clenilson
 
Seminario o direito de errar
Seminario o direito de errarSeminario o direito de errar
Seminario o direito de errar
 
Seminario o direito de errar
Seminario o direito de errarSeminario o direito de errar
Seminario o direito de errar
 
Otaciso_Seminário2
Otaciso_Seminário2Otaciso_Seminário2
Otaciso_Seminário2
 
Avaliação escolar e democratização o direito de errar
Avaliação escolar e democratização o direito de errarAvaliação escolar e democratização o direito de errar
Avaliação escolar e democratização o direito de errar
 
Slide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
Slide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errarSlide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
Slide 07 - Avaliação escolar e democratização: o direito de errar
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
 
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.pptTeresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
Teresa_Steban_22-10-2014_2.ppt
 
80 conceitos importantes_na_pr
80 conceitos importantes_na_pr80 conceitos importantes_na_pr
80 conceitos importantes_na_pr
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
 
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - reaA avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
A avaliação no processo de ensino aprendizagem - rea
 
Avaliação em cursos remotos.pdf
Avaliação em cursos remotos.pdfAvaliação em cursos remotos.pdf
Avaliação em cursos remotos.pdf
 
AVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docx
AVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docxAVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docx
AVALIAÇÃO FORMATIVA artigo.docx
 
Estudar concurso 80 verdetes
Estudar concurso   80 verdetesEstudar concurso   80 verdetes
Estudar concurso 80 verdetes
 
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
A avaliação da aprendizagem como um princípio no desenvolvimento da autoria.1
 

Mais de Gilson Trajano

Avaliação recuperação
Avaliação recuperaçãoAvaliação recuperação
Avaliação recuperação
Gilson Trajano
 
Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...
Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...
Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...
Gilson Trajano
 
Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...
Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...
Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...
Gilson Trajano
 
Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato amorosoAvaliação da aprendizagem escolar: Um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato amoroso
Gilson Trajano
 
PRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDE
PRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDEPRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDE
PRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDE
Gilson Trajano
 
Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?
Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?
Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?
Gilson Trajano
 
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides   seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismoSlides   seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Gilson Trajano
 
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismoSlides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Gilson Trajano
 

Mais de Gilson Trajano (8)

Avaliação recuperação
Avaliação recuperaçãoAvaliação recuperação
Avaliação recuperação
 
Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...
Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...
Avaliação da aprendizagem e a ética: O individual e o coletivo na avaliação d...
 
Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...
Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...
Seminário Noções de erro e fracasso no contexto escolar: algumas consideraçõe...
 
Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato amorosoAvaliação da aprendizagem escolar: Um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar: Um ato amoroso
 
PRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDE
PRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDEPRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDE
PRÁTICA ESCOLAR: DO ERRO COMO FONTE DE CASTIGO AO ERRO COMO FONTE DE VIRTUDE
 
Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?
Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?
Slide Avaliação do aluno: a favor ou contra a democratização do ensino?
 
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides   seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismoSlides   seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
 
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismoSlides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
Slides seminário avaliação educacional escolar: para além do autoritarismo
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 

Avaliação escolar e democratização: o direito de errar

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA - UFPB CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO – CCAE CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: Avaliação da Aprendizagem PROFESSORA: Joseval Miranda Equipe: Gilson Trajano Soares Costa Marcelo de Melo Fernandes Raimundo José Cardoso Filho Discussão coordenada: Avaliação escolar e democratização: o direito de errar Rio Tinto, novembro de 2015
  • 2. ● Avaliação como vem sendo tendencialmente compreendida e vivenciada na escola, constitui-se, essencialmente, em um instrumento de legitimação do fracasso escolar. Utilizada como meio de controle das condutas educacionais e sociais dos alunos, tem servido a uma prática discriminatória que acentua o processo de seleção social.
  • 3. ● Avaliação escolar possibilita a identificação das dificuldades, dos sucessos e fracassos, apoiando encaminhamento e decisões sobre as ações necessárias, sejam elas de natureza pedagógica, administrativa ou estrutural. ● Seus resultados devem servir para orientação da aprendizagem, cumprindo uma função eminentemente educacional.
  • 4. ● Avaliação tem-se confundido com procedimentos de medida, de verificação do rendimento escolar; ● A aprovação/reprovação ganha centralidade nas relações entre professores e alunos e pais, sendo o foco de suas preocupações não a aprendizagem; ● Avaliação tem sido utilizada, em geral, como instrumento de controle e adaptação das condutas educacionais e sociais do aluno. .
  • 5. ● Diagnosticar: caracterizar o aluno ao que diz respeito a interesses, necessidades, conhecimentos e/ou habilidades, previstas pelos objetivos educacionais propostos, e identificar causas de dificuldades de aprendizagem;
  • 6. ● Retroinformar: evidenciar os resultados alcançados ao processo ensino-aprendizagem, apoiando o replanejamento do trabalho com base nas informações obtidas; ● Favorecer o desenvolvimento individual: atuar como atividade que estimula o crescimento do aluno, no sentido de que se conheça melhor e de que se desenvolva a capacidade de auto avaliar-se.
  • 7. Quando se discute com professores o significado dominante das práticas avaliativas, ouvimos manifestações do tipo: “tudo bem, isso nós já sabemos. Interessa-nos saber o que fazer para mudar, principalmente porque isso não depende só de nós. Como lidar com os alunos e com os pais, que veem qualquer modificação introduzida na avaliação como afrouxamento das exigências da escola? É difícil mudar!
  • 8. Não basta tomar conhecimento das críticas que são feitas, é preciso construir, a partir delas, a própria análise e reflexão, individual e coletivamente, na escola; o que se desencadeará quando existir, de fato, um compromisso com uma prática capaz de promover permanência, terminalidade e ensino de qualidade para todos.
  • 9. O educador pode ler um texto que critica o uso autoritário da avaliação, concordar com ele e continuar com o mesmo tipo de avaliação. A conscientização é um longo processo de ação- reflexão-ação; não acontece ‘de uma vez’.
  • 10. Na busca de transformação da avaliação, não é possível pensar em buscar um “novo modelo”, pronto e acabado, para ser “aplicado”. Um caminho promissor é possibilitar a explicitação e análise das diferenças e divergências, com vistas à construção de um projeto coletivo de trabalho, que se paute pelo compromisso com a qualidade de ensino para todos.
  • 11. • Rui Moura diz que a avaliação não é algo de exógeno ao processo de ensino-aprendizagem, nem independente das diversas componentes que envolvem o mesmo processo. ◦ “Quando falamos de avaliação não estamos a falar de um fato pontual ou de um ato singular, mas de um conjunto de fases que se condicionam mutuamente. Por sua vez a avaliação não é algo separado do processo de ensino-aprendizagem, não é apêndice independente do referido processo [...]” (Zabalza, 1995).
  • 12. • A avaliação tecnoburocrática (Fundamentada na visão objetivista/tecnicista) Marcou fortemente os modelos avaliativos implantados no Brasil na década de 70; Avaliar significa medir, atribuir nota (concepção tecnicista); Não leva consideração as diferenças de interesses e necessidades dos participantes do processo: alunos, professores, pais e etc.
  • 13. • Avaliação democrática (Fundamentada na visão qualitativa/emancipadora) A avaliação é vista em um contexto mais amplo sociocultural historicamente situada, auto constituída, transformadora e emancipadora (concepção construtivista); Parte do princípio que o conhecimento não está no sujeito e nem no objeto, mas sim na interação dos dois; Avaliar é acompanhar e valorizar todo processo da construção do conhecimento do aluno.
  • 14. - Repensar o processo avaliativo: Informações: Para que? Por quem?
  • 15. • O professor deve registrar informações;  O registro pode ser feito de diferentes maneiras, em diferentes momentos, através da observação;  Analisa o desenvolvimento do aluno e a decisão de que caminho a seguir;  Alunos autônomos;  Procedimentos de auto-relato.
  • 16. • Sistema de avaliação da escola. Tem que possibilitar os alunos o conhecimento crítico e criativo; Avaliação à inclusão; O conhecimento tem quer ser tratado como um produto de sua relação e interpretação da realidade vivida.
  • 17. CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Avaliação escolar e democratização: o direito de erra. In: AQUINO, Julio Groppa (Org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1997, p.125-137. A avaliação no processo Ensino-Aprendizagem. Disponível <http://rmoura.tripod.com/evaluation.htm>, acessado no dia 09 de novembro de 2015.