SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
EQUILÍBRIO QUÍMICO
SQM 0405 – Química Geral e Experimental: Teórica e Prática
Amanda Ribeiro Guimarães
amandaiqsc@iqsc.usp.br
quimicageralemais.blogspot.com.br
EQUILÍBRIO IÔNICO EM SOLUÇÃO AQUOSA
 Sais pouco solúveis
 Ácidos e bases
 Equilíbrio ácido-base
 Ka, Kb e Kw
 pH e pOH
 Solução Tampão
SAIS POUCO SOLÚVEIS
AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq)
• Soluções concentradas de eletrólitos muito fortes não de comportam
idealmente
Lembrete
Quando trabalhamos com
equilíbrio químico, usamos
soluções ideais!
Equilíbrio de Solubilidade 𝐾 𝑝𝑠
𝐾 𝑝𝑠 = constante do produto de solubilidade
O produto de solubilidade é a constante de equilíbrio entre um
sal não-dissociado e seus íons em uma solução saturada.
AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq)
𝐾 𝑝𝑠 =[𝐴𝑔+][𝐶𝑙−]
Ag+
Cl-
AgCl (s)
SOLUBILIDADE
AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq)
𝐾 𝑝𝑠 = 1,8. 10−10
𝐾 𝑝𝑠 =[𝐴𝑔+
][𝐶𝑙−
]
AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq)
[𝐴𝑔+]= S [𝐶𝑙−] = S
S S
𝐾 𝑝𝑠 =𝑆. 𝑆
𝑆2
=1,8. 10−10 𝑆 =1,3. 10−5
M
Se encontrarmos a solubilidade das espécies encontramos o
número máximo de mols de AgCl que podem ser dissolvidos em 1L
de água.
𝐂𝐚𝑭 𝟐(𝒔) ⇌ 𝑪𝒂 𝟐+(aq) + 𝟐𝑭−(aq)
𝐾 𝑝𝑠 = 3,9. 10−11
Exemplo
1) Calcular a solubilidade do Ca𝐹2(𝑠) em água.
S=2,1. 10−4
SOLUBILIDADE NA PRESENÇA DE ÍON COMUM
Qual a solubilidade do AgCl em uma solução 1,0 𝑥 10−2 𝑀 de AgNO3?
𝐾𝑝𝑠 = 𝐴𝑔+
𝐶𝑙−
𝐴𝑔+
= 𝐴𝑔+
𝑑𝑜 𝐴𝑔𝑁𝑂3
+ 𝐴𝑔+
𝑑𝑜 𝐴𝑔𝐶𝑙
1,0 𝑥 10−2 𝑀
1,3 𝑥 10−5
𝑀
Ag+ Cl-
AgCl (s)
𝐴𝑔+ = 1,3 𝑥 10−5
𝑀
AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq)
[𝐴𝑔+]= S [𝐶𝑙−] = S
𝑆 =1,3. 10−5M
𝑆 =1,3. 10−5M
SOLUBILIDADE NA PRESENÇA DE ÍON COMUM
𝐴𝑔+ = 𝐴𝑔+
𝑑𝑜 𝐴𝑔𝑁𝑂3
+ 𝐴𝑔+
𝑑𝑜 𝐴𝑔𝐶𝑙
1,0 𝑥 10−2
𝑀
< 1,3 𝑥 10−5 𝑀
𝐴𝑔+
≅ 1,0 𝑥 10−2
𝑀
𝐶𝑙− =
𝐾 𝑝𝑠
𝐴𝑔+
≅
1,8 𝑥 10−10
1,0 𝑥 10−2
= 1,8 𝑥 10−8 𝑀
SOLUBILIDADE NA PRESENÇA DE ÍON COMUM
S= 1,8 𝑥 10−8 𝑀
AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq)
S = 1,3 𝑥 10−5
𝑀
Em 𝐻2 𝑂
Em solução de AgNO3
A presença de um íon comum diminui a solubilidade
PREDIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO
AB (s) ⇌ A+ (aq) + B- (aq)
𝐾𝑝𝑠 = 𝐴+ 𝑎
𝐵− 𝑏
𝑄 𝑝𝑠 < 𝐾 𝑝𝑠 𝑄 𝑝𝑠 = 𝐾 𝑝𝑠 𝑄 𝑝𝑠 > 𝐾 𝑝𝑠
Sal dissolve Equilíbrio Sal precipita
𝑄 𝑝𝑠 = 𝐴+ 𝑎
𝐵− 𝑏
PREDIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO
Ocorrerá precipitação quando:
𝑸 𝒑𝒔 ≥ 𝑲 𝒑𝒔
Haverá formação de precipitado de PbI2 quando volumes iguais de
soluções 0,2 M de nitrato de chumbo (II) e iodeto de potássio são
misturadas?
Pb(NO3)2 (aq) + 2KI (aq) → 2KNO3 (aq) + PbI2 (s)
Pb2+ (aq) + 2I- (aq)→ PbI2 (s)
PbI2 (s) ⇌ Pb2+ (aq) + 2I- (aq)
𝐾 𝑝𝑠 = 𝑃𝑏2+ 𝐼− 2 = 1,4 𝑥 10−8
PREDIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO
PbI2 (s) ⇌ Pb2+ (aq) + 2I- (aq) 𝐾 𝑝𝑠 = 𝑃𝑏2+
𝐼− 2
= 1,4 𝑥 10−8
• Volumes iguais de soluções 0,2 M de nitrato de chumbo (II) e
iodeto de potássio são misturadas.
• O volume final será duas vezes maior, logo as novas
molaridades serão: 0,1 M em Pb2+ (aq) e 0,1 M em I- (aq):
𝑄 𝑝𝑠 = 𝑃𝑏2+ 𝐼− 2 = 0,1 𝑥(0,1)2= 1 𝑥 10−3
𝑄 𝑝𝑠 > 𝐾 𝑝𝑠 Haverá precipitação!
PRECIPITAÇÃO SELETIVA
Uma amostra de água do mar contém, entre outros solutos,
as seguintes concentrações de cátions solúveis: 0,050 M de
Mg2+ (aq) e 0,010 M de Ca2+ (aq) . Determine a ordem com
que cada íon precipita com a adição progressiva de NaOH
sólido. Dê a concentração de OH- quando a precipitação de
cada um deles começar e suponha que não há mudança de
volume com a adição de NaOH.
Ca(OH)2 Mg(OH)2
𝐾 𝑝𝑠 = 5,5 𝑥 10−6
𝐾 𝑝𝑠 = 1,1 𝑥 10−11
PRECIPITAÇÃO SELETIVA
Ca(OH)2
Ca(OH)2 (s) ⇌ Ca2+ (aq) + 2OH- (aq)
𝐾𝑝𝑠 = 𝐶𝑎2+ 𝑂𝐻− 2
5,5 𝑥 10−6
= 0,01 𝑥 ( 𝑂𝐻− 2
)
𝑂𝐻−
= 0,023
PRECIPITAÇÃO SELETIVA
Mg(OH)2
Mg(OH)2 (s) ⇌ Mg2+ (aq) + 2OH- (aq)
𝐾𝑝𝑠 = 𝑀𝑔2+ 𝑂𝐻− 2
1,1 𝑥 10−11
= 0,05 𝑥 ( 𝑂𝐻− 2
)
𝑂𝐻−
= 1,5 𝑥 10−5
PRECIPITAÇÃO SELETIVA
Mg(OH)2 𝑂𝐻−
= 1,5 𝑥 10−5
𝑀
Ca(OH)2 𝑂𝐻−
= 0,023 𝑀
Portanto, os hidróxidos precipitam na ordem Mg(OH)2, em
1,5 x 10-5 M OH-(aq) e Ca(OH)2, em 0,023 M OH-(aq).
EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE
 Ácidos e bases
 Conceitos
 Equilíbrio ácido-base
 Ka, Kb e Kw
 pH e pOH
ÁCIDOS E BASES: CONCEITOS
Ácidos e Bases de Arrhenius
ÁCIDO – SE DISSOCIA LIBERANDO H+
BASE – SE DISSOCIA LIBERANDO OH-
HCl (g) + NH3 (l) → NH4
+ + Cl-
BASE
Oi???
ÁCIDOS E BASES: CONCEITOS
Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry
ÁCIDO – DOADOR DE PRÓTONS
BASE – ACEITADOR DE PRÓTONS
HCl (aq) + H2O (l) → H3O+ (aq) + Cl- (aq)
O próton é transferido do ácido para a base!
H+ não existe
isoladamente em água!
Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry
HCl (aq) + H2O (l) → H3O+ (aq) + Cl- (aq)
HCN (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CN- (aq)
ÁCIDO FORTE – completamente desprotonado em solução
ÁCIDO FRACO – parcialmente desprotonado em solução
A força do ácido depende do solvente!
Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry
O2
- (aq) + H2O (l) → 2 OH- (aq)
NH3 (aq) + H2O (l) ⇌ NH4
+ (aq) + OH- (aq)
BASE FORTE – completamente protonada em solução
BASE FRACA – parcialmente protonado em solução
A força da base depende do solvente!
Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry
HCN (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CN- (aq)
Base conjugada do ácido HCN
Base conjugada – espécie produzida
quando um ácido doa um próton
Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry
HCN (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CN- (aq)
Ácido conjugado da base CN-
Ácido conjugado – espécie produzida
quando uma base aceita um próton
Ácidos e Bases de Lewis
ÁCIDO – Aceitador de par de elétrons
BASE – Doador de par de elétrons
CONSTANTES DE ACIDEZ E BASICIDADE
𝐻𝐴 + 𝐻2 𝑂 ⇄ 𝐻3 𝑂+
+ 𝐴−
𝐾𝑎=
𝐻3 𝑂+ [𝐴 −
]
[𝐻𝐴]
B + 𝐻2 𝑂 ⇄ 𝐻𝐵+
+ 𝑂𝐻 −
𝐾𝑏=
𝐻𝐵+ [𝑂𝐻 −
]
[𝐵]
Uma base
abstrairá os
prótons de
qualquer ácido,
inclusive a água.
A maneira de compararmos a
força de um ácido é por meio de
sua tendência em transferir um
próton para uma mesma base,
geralmente a água.
A ESCALA DE PH
pH = -log [H3O+] pOH = -log [OH-]
• Para a água pura, a molaridade dos íons H3O+ é
1,0 𝑥 10−7 𝑚𝑜𝑙 𝐿−1, em 25°C. Seu pH será:
pH = -log [H3O+] = -log (1,0 x 10-7) = 7,0
A AUTO-IONIZAÇÃO DA ÁGUA
2 H2O ⇌ H3O+ + OH-
𝐾 𝑤 = 𝐻3 𝑂+
𝑂𝐻−
CONSTANTE DO PRODUTO IÔNICO DA ÁGUA- Kw
Kw = 1,00 x 10-14, a 25°C
pKw = -log Kw = -log (1,00 x 10-14) = 14,00
A AUTO-IONIZAÇÃO DA ÁGUA
2 H2O ⇌ H3O+ + OH-
CONSTANTE DO PRODUTO IÔNICO DA ÁGUA- Kw
Solução neutra a 25°C:
[H3O+] = [OH-] = 1,00 x 10-7 M
pH = pOH = 7,00
pH + pOH = pKw = 14,00
RELAÇÃO ENTRE KA E KB
𝐾𝑎 =
𝐻3 𝑂+ 𝐵
𝐻𝐵+
HB+ + H2O ⇌ H3O+ + B
𝐾𝑏 =
𝐻𝐵+ 𝑂𝐻−
𝐵
𝐾𝑎 𝐾𝑏 =
𝐻3 𝑂+
𝐵
𝐻𝐵+
𝐻𝐵+
𝑂𝐻−
𝐵
= 𝐻3 𝑂+
𝑂𝐻−
= 𝐾 𝑤
B + H2O ⇌ HB+ + OH-
𝐾𝑎 𝐾𝑏 = 𝐾 𝑤
RELAÇÃO ENTRE KA E KB
NH3 + H2O ⇌ OH- + NH4
+
𝐾𝑏 =
𝑂𝐻−
𝑁𝐻4
+
𝑁𝐻3
𝐾𝑏 =
𝐾 𝑤
𝐾𝑎
=
1,00 𝑥 10−14
5,7 𝑥 10−10
= 1,8 𝑥 10−5
𝐾 𝑎 𝐾𝑏 = 𝐾 𝑤
• O NH3 é a base conjugada do NH4
+
• Ka do NH4
+ = 5,7 x 10-10
1) 𝐾 𝑎 mede a capacidade de doação de prótons de um ácido
2) 𝐾𝑏 mede a capacidade de aceitação de prótons de uma base
Um 𝐾 𝑎 pequeno (um 𝑝 𝑘𝑎 grande) significa que o ácido doa poucos prótons.
 Quanto maior for o valor de 𝑝 𝑘𝑎 menor será o 𝐾 𝑎
e mais fraco é o ácido.
 Quanto maior for o valor de 𝑝 𝑘𝑏 menor será o 𝐾𝑏
e mais fraco é a base.
Kw = 1,00 x 10-14, a 25°C
pKw = -log Kw= 14,00
EXEMPLOS
SOLUÇÕES DE ÁCIDOS FRACOS
1) Calcular o pH e a percentagem de desprotonação de
0,10 M CH3COOH (aq) sabendo que a constante Ka do
ácido acético é 1,8 x 10-5.
CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2
- (aq)
Percentagem de desprotonação=
𝑀𝑜𝑙𝑎𝑟𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝐴−
𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙𝑑𝑒 𝐻𝐴
𝑋 100%
EXEMPLOS
SOLUÇÕES DE BASES FRACAS
2) Calcular o pH e a percentagem de protonação de uma
solução 0,20 M de metilamina, CH3NH2, em água. A
constante Kb da CH3NH2 é 3,6 x 10-4.
CH3NH2 (aq) + H2O (l) ⇌ CH3NH3
+ (aq) + OH- (aq)
SOLUÇÃO TAMPÃO
 TAMPÃO ÁCIDO
 Ácido fraco + base conjugada na forma de sal
 TAMPÃO BÁSICO
 Base fraca + ácido conjugado na forma de sal
Estabiliza o pH de soluções em água!
TAMPÃO ÁCIDO
CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2
- (aq)
• Ácido fraco + base conjugada na forma de sal
• Estabiliza soluções com pH < 7
Adicionando ácido forte a uma solução com concentrações
aproximadamente iguais de CH3COOH e CH3CO2
- :
Os íons H3O+ adicionados transferem prótons para
os íons CH3CO2
- para produzir CH3COOH e H2O. O
pH se mantém quase inalterado pois os íons hidrônio
adicionados são removidos pelos íons acetato.
TAMPÃO BÁSICO
NH3 (aq) + H2O (l) ⇌ NH4
+ (aq) + OH- (aq)
• Base fraca + ácido conjugado na forma de sal
• Estabiliza soluções com pH > 7
Adicionando base forte a uma solução com concentrações
aproximadamente iguais de NH3 e NH4
+:
Os íons OH- removem prótons dos íons NH4
+ para
produzir NH3 e H2O. O pH se mantém quase inalterado
pois os íons hidroxila adicionados são removidos pelos
íons amônio.
CÁLCULO DO PH DE UMA SOLUÇÃO TAMPÃO
Calcule o pH de uma solução tampão 0,040 M NaCH3CO2 (aq) e
0,080 M CH3COOH (aq) em 25°C.
CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2
- (aq)
𝐾 𝑎 =
𝐻3 𝑂+ 𝐶𝐻3 𝐶𝑂2
−
𝐶𝐻3 𝐶𝑂𝑂𝐻
= 1,8 𝑥 10−5
𝐻3 𝑂+ = 𝐾 𝑎 𝑥
𝐶𝐻3 𝐶𝑂𝑂𝐻
𝐶𝐻3 𝐶𝑂2
− = 1,8 𝑥 10−5 𝑥
0,080
0,040
= 3,6 𝑥 10−5
𝑝𝐻 = − log 3,6 𝑥 10−5
= 4,44
EQUAÇÃO DE HENDERSON-HASSELBALCH
𝑝𝐻 = 𝑝𝐾 𝑎 + 𝑙𝑜𝑔
[𝑏á𝑠𝑖𝑐𝑜]𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙
[á𝑐𝑖𝑑𝑜]𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙
EXEMPLOS
SOLUÇÃO TAMPÃO
3) Suponha que dissolvemos 1,2 g de hidróxido de sódio
(0,030 mol NaOH) em 500 mL da solução tampão
descrita anteriormente. Calcule o pH da solução
resultante e a mudança de pH. Considere que o volume
da solução não se alterou.
CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2
- (aq)
pH=5,44
Aula2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Compostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoCompostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoLarissa Cadorin
 
Aulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte IIAulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte IIiqscquimica
 
Apostila de Química Analítica Qualitativa
Apostila de Química Analítica QualitativaApostila de Química Analítica Qualitativa
Apostila de Química Analítica QualitativaDharma Initiative
 
Tabela função organica pdf.
Tabela função organica pdf.Tabela função organica pdf.
Tabela função organica pdf.Quimica2016
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaPriscila Siqueira
 
Equilíbrio parte2
Equilíbrio parte2Equilíbrio parte2
Equilíbrio parte2iqscquimica
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsThiago
 
Reações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificaçãoReações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificaçãoRafael Nishikawa
 
Capitulo 5 oxidação e redução
Capitulo 5 oxidação e reduçãoCapitulo 5 oxidação e redução
Capitulo 5 oxidação e reduçãoFlavio Cardoso Reis
 
Soluções e Solubilidade
Soluções e SolubilidadeSoluções e Solubilidade
Soluções e SolubilidadeLuana Salgueiro
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕESJessica Amaral
 
Aula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimicoAula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimicoIsabele Félix
 
Dilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesDilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesMarilena Meira
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoKarol Maia
 

Mais procurados (20)

Compostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoCompostos de coordenação
Compostos de coordenação
 
Aulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte IIAulas de Equilíbrio químico - Parte II
Aulas de Equilíbrio químico - Parte II
 
Apostila de Química Analítica Qualitativa
Apostila de Química Analítica QualitativaApostila de Química Analítica Qualitativa
Apostila de Química Analítica Qualitativa
 
Tabela função organica pdf.
Tabela função organica pdf.Tabela função organica pdf.
Tabela função organica pdf.
 
coloides
   coloides   coloides
coloides
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação Potenciométrica
 
Aula 7 teorica
Aula 7 teoricaAula 7 teorica
Aula 7 teorica
 
Mol a unidade da química
Mol a unidade da químicaMol a unidade da química
Mol a unidade da química
 
Equilíbrio parte2
Equilíbrio parte2Equilíbrio parte2
Equilíbrio parte2
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Solubilidade
SolubilidadeSolubilidade
Solubilidade
 
"Somos Físicos" Produção de Sabão
"Somos Físicos" Produção de Sabão"Somos Físicos" Produção de Sabão
"Somos Físicos" Produção de Sabão
 
Reações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificaçãoReações de esterificação e saponificação
Reações de esterificação e saponificação
 
Capitulo 5 oxidação e redução
Capitulo 5 oxidação e reduçãoCapitulo 5 oxidação e redução
Capitulo 5 oxidação e redução
 
Soluções e Solubilidade
Soluções e SolubilidadeSoluções e Solubilidade
Soluções e Solubilidade
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
 
Aula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimicoAula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimico
 
Dilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluçõesDilução e mistura de soluções
Dilução e mistura de soluções
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o ano
 

Destaque

Lista de exercícios equilíbrio químico
Lista de exercícios   equilíbrio químicoLista de exercícios   equilíbrio químico
Lista de exercícios equilíbrio químicoiqscquimica
 
Deslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioDeslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioPaulo Filho
 
Exercícios de Equilíbrio Corporal
Exercícios de Equilíbrio CorporalExercícios de Equilíbrio Corporal
Exercícios de Equilíbrio Corporaldvdsousa
 
Ácidos, Bases e pH - 11ºano FQ A
Ácidos, Bases e pH - 11ºano FQ AÁcidos, Bases e pH - 11ºano FQ A
Ácidos, Bases e pH - 11ºano FQ Aadelinoqueiroz
 
REVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANO
REVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANOREVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANO
REVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANOSilvaprado
 

Destaque (9)

Exercicio1
Exercicio1Exercicio1
Exercicio1
 
Lista de exercícios equilíbrio químico
Lista de exercícios   equilíbrio químicoLista de exercícios   equilíbrio químico
Lista de exercícios equilíbrio químico
 
Deslocamento de equilíbrio
Deslocamento de equilíbrio Deslocamento de equilíbrio
Deslocamento de equilíbrio
 
Deslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioDeslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de Equilíbrio
 
Exercícios de Equilíbrio Corporal
Exercícios de Equilíbrio CorporalExercícios de Equilíbrio Corporal
Exercícios de Equilíbrio Corporal
 
117318593 equilibrio-acido-base
117318593 equilibrio-acido-base117318593 equilibrio-acido-base
117318593 equilibrio-acido-base
 
Ácidos, Bases e pH - 11ºano FQ A
Ácidos, Bases e pH - 11ºano FQ AÁcidos, Bases e pH - 11ºano FQ A
Ácidos, Bases e pH - 11ºano FQ A
 
EQUILÍBRIO - EXERCÍCIOS
EQUILÍBRIO - EXERCÍCIOSEQUILÍBRIO - EXERCÍCIOS
EQUILÍBRIO - EXERCÍCIOS
 
REVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANO
REVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANOREVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANO
REVISÃO DE QUÍMICA DO 3º ANO
 

Semelhante a Aula2

Semelhante a Aula2 (20)

ÁCIDOS E BASES completo em PFf material muito bom
ÁCIDOS E BASES completo em PFf material muito bomÁCIDOS E BASES completo em PFf material muito bom
ÁCIDOS E BASES completo em PFf material muito bom
 
ácido base
ácido baseácido base
ácido base
 
Equilíbrio Iônico
Equilíbrio IônicoEquilíbrio Iônico
Equilíbrio Iônico
 
02.acido base
02.acido base02.acido base
02.acido base
 
Equílibrio ácido base pronto cópia
Equílibrio ácido   base pronto cópiaEquílibrio ácido   base pronto cópia
Equílibrio ácido base pronto cópia
 
Aula_ ácidos e bases
Aula_ ácidos e basesAula_ ácidos e bases
Aula_ ácidos e bases
 
Acidos, bases e sais
Acidos, bases e saisAcidos, bases e sais
Acidos, bases e sais
 
Acido, base e sal
Acido, base e salAcido, base e sal
Acido, base e sal
 
Solucao tampao.ufpr
Solucao tampao.ufprSolucao tampao.ufpr
Solucao tampao.ufpr
 
Solucao tampao
Solucao tampaoSolucao tampao
Solucao tampao
 
solubilidade e precipitação
solubilidade e precipitaçãosolubilidade e precipitação
solubilidade e precipitação
 
aula 4 - acidos e bases.pptx
aula 4 - acidos e bases.pptxaula 4 - acidos e bases.pptx
aula 4 - acidos e bases.pptx
 
Lista de exercicios sais
Lista de exercicios    saisLista de exercicios    sais
Lista de exercicios sais
 
Acido - Base Escola Agrária.pdf Apresentação
Acido - Base Escola Agrária.pdf ApresentaçãoAcido - Base Escola Agrária.pdf Apresentação
Acido - Base Escola Agrária.pdf Apresentação
 
Acidosbasestitulacao
AcidosbasestitulacaoAcidosbasestitulacao
Acidosbasestitulacao
 
hidrolise-salina
 hidrolise-salina hidrolise-salina
hidrolise-salina
 
Exercícios equilíbrio ionico
Exercícios equilíbrio ionicoExercícios equilíbrio ionico
Exercícios equilíbrio ionico
 
Eletroquimica aplicada à Simulação do mundo físico-químico
Eletroquimica aplicada à Simulação do mundo físico-químicoEletroquimica aplicada à Simulação do mundo físico-químico
Eletroquimica aplicada à Simulação do mundo físico-químico
 
Soluções em água e precipitação
Soluções em água e precipitaçãoSoluções em água e precipitação
Soluções em água e precipitação
 
Equilíbrio iônico
Equilíbrio iônicoEquilíbrio iônico
Equilíbrio iônico
 

Mais de iqscquimica

Estrutura atômica 2014 II
Estrutura atômica 2014 IIEstrutura atômica 2014 II
Estrutura atômica 2014 IIiqscquimica
 
Cálculos em Química
Cálculos em QuímicaCálculos em Química
Cálculos em Químicaiqscquimica
 
Estrutura atômica 2014 2_aula1
Estrutura atômica 2014 2_aula1Estrutura atômica 2014 2_aula1
Estrutura atômica 2014 2_aula1iqscquimica
 
Avaliação do blog
Avaliação do blogAvaliação do blog
Avaliação do blogiqscquimica
 
Aula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio QuímicoAula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio Químicoiqscquimica
 
Modelo Pré-Relatório
Modelo Pré-RelatórioModelo Pré-Relatório
Modelo Pré-Relatórioiqscquimica
 
Equilíbrio químico parte i blog
Equilíbrio químico parte i  blogEquilíbrio químico parte i  blog
Equilíbrio químico parte i blogiqscquimica
 
Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1iqscquimica
 
Auladeteoriadebandas
AuladeteoriadebandasAuladeteoriadebandas
Auladeteoriadebandasiqscquimica
 
Aula2 ligacaoquim
Aula2 ligacaoquimAula2 ligacaoquim
Aula2 ligacaoquimiqscquimica
 
Estrutura atômica parte2
Estrutura atômica parte2Estrutura atômica parte2
Estrutura atômica parte2iqscquimica
 
Estrutura atômica parte1
Estrutura atômica parte1Estrutura atômica parte1
Estrutura atômica parte1iqscquimica
 
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte IAulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte Iiqscquimica
 
Lista de Exercícios Estrutura Atômica
Lista de Exercícios Estrutura AtômicaLista de Exercícios Estrutura Atômica
Lista de Exercícios Estrutura Atômicaiqscquimica
 

Mais de iqscquimica (20)

Estrutura atômica 2014 II
Estrutura atômica 2014 IIEstrutura atômica 2014 II
Estrutura atômica 2014 II
 
Cálculos em Química
Cálculos em QuímicaCálculos em Química
Cálculos em Química
 
Estrutura atômica 2014 2_aula1
Estrutura atômica 2014 2_aula1Estrutura atômica 2014 2_aula1
Estrutura atômica 2014 2_aula1
 
Avaliação do blog
Avaliação do blogAvaliação do blog
Avaliação do blog
 
Aula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio QuímicoAula1 Equilibrio Químico
Aula1 Equilibrio Químico
 
Modelo Pré-Relatório
Modelo Pré-RelatórioModelo Pré-Relatório
Modelo Pré-Relatório
 
Estrutura part2
Estrutura part2Estrutura part2
Estrutura part2
 
Estrutura2
Estrutura2Estrutura2
Estrutura2
 
Estrutura2
Estrutura2Estrutura2
Estrutura2
 
Horarios sqm
Horarios sqmHorarios sqm
Horarios sqm
 
Equilíbrio químico parte i blog
Equilíbrio químico parte i  blogEquilíbrio químico parte i  blog
Equilíbrio químico parte i blog
 
Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1
 
Auladeteoriadebandas
AuladeteoriadebandasAuladeteoriadebandas
Auladeteoriadebandas
 
Aula3 ligquim
Aula3 ligquimAula3 ligquim
Aula3 ligquim
 
Aula2 ligacaoquim
Aula2 ligacaoquimAula2 ligacaoquim
Aula2 ligacaoquim
 
Ligquiaula1
Ligquiaula1Ligquiaula1
Ligquiaula1
 
Estrutura atômica parte2
Estrutura atômica parte2Estrutura atômica parte2
Estrutura atômica parte2
 
Estrutura atômica parte1
Estrutura atômica parte1Estrutura atômica parte1
Estrutura atômica parte1
 
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte IAulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
 
Lista de Exercícios Estrutura Atômica
Lista de Exercícios Estrutura AtômicaLista de Exercícios Estrutura Atômica
Lista de Exercícios Estrutura Atômica
 

Último

Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasdiegosouzalira10
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 

Último (20)

Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 

Aula2

  • 1. EQUILÍBRIO QUÍMICO SQM 0405 – Química Geral e Experimental: Teórica e Prática Amanda Ribeiro Guimarães amandaiqsc@iqsc.usp.br quimicageralemais.blogspot.com.br
  • 2. EQUILÍBRIO IÔNICO EM SOLUÇÃO AQUOSA  Sais pouco solúveis  Ácidos e bases  Equilíbrio ácido-base  Ka, Kb e Kw  pH e pOH  Solução Tampão
  • 3. SAIS POUCO SOLÚVEIS AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq) • Soluções concentradas de eletrólitos muito fortes não de comportam idealmente Lembrete Quando trabalhamos com equilíbrio químico, usamos soluções ideais! Equilíbrio de Solubilidade 𝐾 𝑝𝑠
  • 4. 𝐾 𝑝𝑠 = constante do produto de solubilidade O produto de solubilidade é a constante de equilíbrio entre um sal não-dissociado e seus íons em uma solução saturada. AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq) 𝐾 𝑝𝑠 =[𝐴𝑔+][𝐶𝑙−] Ag+ Cl- AgCl (s)
  • 5. SOLUBILIDADE AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq) 𝐾 𝑝𝑠 = 1,8. 10−10 𝐾 𝑝𝑠 =[𝐴𝑔+ ][𝐶𝑙− ] AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq) [𝐴𝑔+]= S [𝐶𝑙−] = S S S 𝐾 𝑝𝑠 =𝑆. 𝑆 𝑆2 =1,8. 10−10 𝑆 =1,3. 10−5 M Se encontrarmos a solubilidade das espécies encontramos o número máximo de mols de AgCl que podem ser dissolvidos em 1L de água.
  • 6. 𝐂𝐚𝑭 𝟐(𝒔) ⇌ 𝑪𝒂 𝟐+(aq) + 𝟐𝑭−(aq) 𝐾 𝑝𝑠 = 3,9. 10−11 Exemplo 1) Calcular a solubilidade do Ca𝐹2(𝑠) em água. S=2,1. 10−4
  • 7. SOLUBILIDADE NA PRESENÇA DE ÍON COMUM Qual a solubilidade do AgCl em uma solução 1,0 𝑥 10−2 𝑀 de AgNO3? 𝐾𝑝𝑠 = 𝐴𝑔+ 𝐶𝑙− 𝐴𝑔+ = 𝐴𝑔+ 𝑑𝑜 𝐴𝑔𝑁𝑂3 + 𝐴𝑔+ 𝑑𝑜 𝐴𝑔𝐶𝑙 1,0 𝑥 10−2 𝑀 1,3 𝑥 10−5 𝑀 Ag+ Cl- AgCl (s) 𝐴𝑔+ = 1,3 𝑥 10−5 𝑀 AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq) [𝐴𝑔+]= S [𝐶𝑙−] = S 𝑆 =1,3. 10−5M 𝑆 =1,3. 10−5M
  • 8. SOLUBILIDADE NA PRESENÇA DE ÍON COMUM 𝐴𝑔+ = 𝐴𝑔+ 𝑑𝑜 𝐴𝑔𝑁𝑂3 + 𝐴𝑔+ 𝑑𝑜 𝐴𝑔𝐶𝑙 1,0 𝑥 10−2 𝑀 < 1,3 𝑥 10−5 𝑀 𝐴𝑔+ ≅ 1,0 𝑥 10−2 𝑀 𝐶𝑙− = 𝐾 𝑝𝑠 𝐴𝑔+ ≅ 1,8 𝑥 10−10 1,0 𝑥 10−2 = 1,8 𝑥 10−8 𝑀
  • 9. SOLUBILIDADE NA PRESENÇA DE ÍON COMUM S= 1,8 𝑥 10−8 𝑀 AgCl (s) ⇌ Ag+ (aq) + Cl- (aq) S = 1,3 𝑥 10−5 𝑀 Em 𝐻2 𝑂 Em solução de AgNO3 A presença de um íon comum diminui a solubilidade
  • 10. PREDIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO AB (s) ⇌ A+ (aq) + B- (aq) 𝐾𝑝𝑠 = 𝐴+ 𝑎 𝐵− 𝑏 𝑄 𝑝𝑠 < 𝐾 𝑝𝑠 𝑄 𝑝𝑠 = 𝐾 𝑝𝑠 𝑄 𝑝𝑠 > 𝐾 𝑝𝑠 Sal dissolve Equilíbrio Sal precipita 𝑄 𝑝𝑠 = 𝐴+ 𝑎 𝐵− 𝑏
  • 11. PREDIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO Ocorrerá precipitação quando: 𝑸 𝒑𝒔 ≥ 𝑲 𝒑𝒔 Haverá formação de precipitado de PbI2 quando volumes iguais de soluções 0,2 M de nitrato de chumbo (II) e iodeto de potássio são misturadas? Pb(NO3)2 (aq) + 2KI (aq) → 2KNO3 (aq) + PbI2 (s) Pb2+ (aq) + 2I- (aq)→ PbI2 (s) PbI2 (s) ⇌ Pb2+ (aq) + 2I- (aq) 𝐾 𝑝𝑠 = 𝑃𝑏2+ 𝐼− 2 = 1,4 𝑥 10−8
  • 12. PREDIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO PbI2 (s) ⇌ Pb2+ (aq) + 2I- (aq) 𝐾 𝑝𝑠 = 𝑃𝑏2+ 𝐼− 2 = 1,4 𝑥 10−8 • Volumes iguais de soluções 0,2 M de nitrato de chumbo (II) e iodeto de potássio são misturadas. • O volume final será duas vezes maior, logo as novas molaridades serão: 0,1 M em Pb2+ (aq) e 0,1 M em I- (aq): 𝑄 𝑝𝑠 = 𝑃𝑏2+ 𝐼− 2 = 0,1 𝑥(0,1)2= 1 𝑥 10−3 𝑄 𝑝𝑠 > 𝐾 𝑝𝑠 Haverá precipitação!
  • 13. PRECIPITAÇÃO SELETIVA Uma amostra de água do mar contém, entre outros solutos, as seguintes concentrações de cátions solúveis: 0,050 M de Mg2+ (aq) e 0,010 M de Ca2+ (aq) . Determine a ordem com que cada íon precipita com a adição progressiva de NaOH sólido. Dê a concentração de OH- quando a precipitação de cada um deles começar e suponha que não há mudança de volume com a adição de NaOH. Ca(OH)2 Mg(OH)2 𝐾 𝑝𝑠 = 5,5 𝑥 10−6 𝐾 𝑝𝑠 = 1,1 𝑥 10−11
  • 14. PRECIPITAÇÃO SELETIVA Ca(OH)2 Ca(OH)2 (s) ⇌ Ca2+ (aq) + 2OH- (aq) 𝐾𝑝𝑠 = 𝐶𝑎2+ 𝑂𝐻− 2 5,5 𝑥 10−6 = 0,01 𝑥 ( 𝑂𝐻− 2 ) 𝑂𝐻− = 0,023
  • 15. PRECIPITAÇÃO SELETIVA Mg(OH)2 Mg(OH)2 (s) ⇌ Mg2+ (aq) + 2OH- (aq) 𝐾𝑝𝑠 = 𝑀𝑔2+ 𝑂𝐻− 2 1,1 𝑥 10−11 = 0,05 𝑥 ( 𝑂𝐻− 2 ) 𝑂𝐻− = 1,5 𝑥 10−5
  • 16. PRECIPITAÇÃO SELETIVA Mg(OH)2 𝑂𝐻− = 1,5 𝑥 10−5 𝑀 Ca(OH)2 𝑂𝐻− = 0,023 𝑀 Portanto, os hidróxidos precipitam na ordem Mg(OH)2, em 1,5 x 10-5 M OH-(aq) e Ca(OH)2, em 0,023 M OH-(aq).
  • 17. EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE  Ácidos e bases  Conceitos  Equilíbrio ácido-base  Ka, Kb e Kw  pH e pOH
  • 18. ÁCIDOS E BASES: CONCEITOS Ácidos e Bases de Arrhenius ÁCIDO – SE DISSOCIA LIBERANDO H+ BASE – SE DISSOCIA LIBERANDO OH- HCl (g) + NH3 (l) → NH4 + + Cl- BASE Oi???
  • 19. ÁCIDOS E BASES: CONCEITOS Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry ÁCIDO – DOADOR DE PRÓTONS BASE – ACEITADOR DE PRÓTONS HCl (aq) + H2O (l) → H3O+ (aq) + Cl- (aq) O próton é transferido do ácido para a base! H+ não existe isoladamente em água!
  • 20. Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry HCl (aq) + H2O (l) → H3O+ (aq) + Cl- (aq) HCN (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CN- (aq) ÁCIDO FORTE – completamente desprotonado em solução ÁCIDO FRACO – parcialmente desprotonado em solução A força do ácido depende do solvente!
  • 21. Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry O2 - (aq) + H2O (l) → 2 OH- (aq) NH3 (aq) + H2O (l) ⇌ NH4 + (aq) + OH- (aq) BASE FORTE – completamente protonada em solução BASE FRACA – parcialmente protonado em solução A força da base depende do solvente!
  • 22. Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry HCN (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CN- (aq) Base conjugada do ácido HCN Base conjugada – espécie produzida quando um ácido doa um próton
  • 23. Ácidos e Bases de Brønsted-Lowry HCN (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CN- (aq) Ácido conjugado da base CN- Ácido conjugado – espécie produzida quando uma base aceita um próton
  • 24. Ácidos e Bases de Lewis ÁCIDO – Aceitador de par de elétrons BASE – Doador de par de elétrons
  • 25. CONSTANTES DE ACIDEZ E BASICIDADE 𝐻𝐴 + 𝐻2 𝑂 ⇄ 𝐻3 𝑂+ + 𝐴− 𝐾𝑎= 𝐻3 𝑂+ [𝐴 − ] [𝐻𝐴] B + 𝐻2 𝑂 ⇄ 𝐻𝐵+ + 𝑂𝐻 − 𝐾𝑏= 𝐻𝐵+ [𝑂𝐻 − ] [𝐵] Uma base abstrairá os prótons de qualquer ácido, inclusive a água. A maneira de compararmos a força de um ácido é por meio de sua tendência em transferir um próton para uma mesma base, geralmente a água.
  • 26. A ESCALA DE PH pH = -log [H3O+] pOH = -log [OH-] • Para a água pura, a molaridade dos íons H3O+ é 1,0 𝑥 10−7 𝑚𝑜𝑙 𝐿−1, em 25°C. Seu pH será: pH = -log [H3O+] = -log (1,0 x 10-7) = 7,0
  • 27. A AUTO-IONIZAÇÃO DA ÁGUA 2 H2O ⇌ H3O+ + OH- 𝐾 𝑤 = 𝐻3 𝑂+ 𝑂𝐻− CONSTANTE DO PRODUTO IÔNICO DA ÁGUA- Kw Kw = 1,00 x 10-14, a 25°C pKw = -log Kw = -log (1,00 x 10-14) = 14,00
  • 28. A AUTO-IONIZAÇÃO DA ÁGUA 2 H2O ⇌ H3O+ + OH- CONSTANTE DO PRODUTO IÔNICO DA ÁGUA- Kw Solução neutra a 25°C: [H3O+] = [OH-] = 1,00 x 10-7 M pH = pOH = 7,00 pH + pOH = pKw = 14,00
  • 29. RELAÇÃO ENTRE KA E KB 𝐾𝑎 = 𝐻3 𝑂+ 𝐵 𝐻𝐵+ HB+ + H2O ⇌ H3O+ + B 𝐾𝑏 = 𝐻𝐵+ 𝑂𝐻− 𝐵 𝐾𝑎 𝐾𝑏 = 𝐻3 𝑂+ 𝐵 𝐻𝐵+ 𝐻𝐵+ 𝑂𝐻− 𝐵 = 𝐻3 𝑂+ 𝑂𝐻− = 𝐾 𝑤 B + H2O ⇌ HB+ + OH- 𝐾𝑎 𝐾𝑏 = 𝐾 𝑤
  • 30. RELAÇÃO ENTRE KA E KB NH3 + H2O ⇌ OH- + NH4 + 𝐾𝑏 = 𝑂𝐻− 𝑁𝐻4 + 𝑁𝐻3 𝐾𝑏 = 𝐾 𝑤 𝐾𝑎 = 1,00 𝑥 10−14 5,7 𝑥 10−10 = 1,8 𝑥 10−5 𝐾 𝑎 𝐾𝑏 = 𝐾 𝑤 • O NH3 é a base conjugada do NH4 + • Ka do NH4 + = 5,7 x 10-10
  • 31. 1) 𝐾 𝑎 mede a capacidade de doação de prótons de um ácido 2) 𝐾𝑏 mede a capacidade de aceitação de prótons de uma base Um 𝐾 𝑎 pequeno (um 𝑝 𝑘𝑎 grande) significa que o ácido doa poucos prótons.  Quanto maior for o valor de 𝑝 𝑘𝑎 menor será o 𝐾 𝑎 e mais fraco é o ácido.  Quanto maior for o valor de 𝑝 𝑘𝑏 menor será o 𝐾𝑏 e mais fraco é a base. Kw = 1,00 x 10-14, a 25°C pKw = -log Kw= 14,00
  • 32. EXEMPLOS SOLUÇÕES DE ÁCIDOS FRACOS 1) Calcular o pH e a percentagem de desprotonação de 0,10 M CH3COOH (aq) sabendo que a constante Ka do ácido acético é 1,8 x 10-5. CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2 - (aq) Percentagem de desprotonação= 𝑀𝑜𝑙𝑎𝑟𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑑𝑒𝐴− 𝑚𝑜𝑙𝑎𝑟𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙𝑑𝑒 𝐻𝐴 𝑋 100%
  • 33. EXEMPLOS SOLUÇÕES DE BASES FRACAS 2) Calcular o pH e a percentagem de protonação de uma solução 0,20 M de metilamina, CH3NH2, em água. A constante Kb da CH3NH2 é 3,6 x 10-4. CH3NH2 (aq) + H2O (l) ⇌ CH3NH3 + (aq) + OH- (aq)
  • 34. SOLUÇÃO TAMPÃO  TAMPÃO ÁCIDO  Ácido fraco + base conjugada na forma de sal  TAMPÃO BÁSICO  Base fraca + ácido conjugado na forma de sal Estabiliza o pH de soluções em água!
  • 35. TAMPÃO ÁCIDO CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2 - (aq) • Ácido fraco + base conjugada na forma de sal • Estabiliza soluções com pH < 7 Adicionando ácido forte a uma solução com concentrações aproximadamente iguais de CH3COOH e CH3CO2 - : Os íons H3O+ adicionados transferem prótons para os íons CH3CO2 - para produzir CH3COOH e H2O. O pH se mantém quase inalterado pois os íons hidrônio adicionados são removidos pelos íons acetato.
  • 36. TAMPÃO BÁSICO NH3 (aq) + H2O (l) ⇌ NH4 + (aq) + OH- (aq) • Base fraca + ácido conjugado na forma de sal • Estabiliza soluções com pH > 7 Adicionando base forte a uma solução com concentrações aproximadamente iguais de NH3 e NH4 +: Os íons OH- removem prótons dos íons NH4 + para produzir NH3 e H2O. O pH se mantém quase inalterado pois os íons hidroxila adicionados são removidos pelos íons amônio.
  • 37. CÁLCULO DO PH DE UMA SOLUÇÃO TAMPÃO Calcule o pH de uma solução tampão 0,040 M NaCH3CO2 (aq) e 0,080 M CH3COOH (aq) em 25°C. CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2 - (aq) 𝐾 𝑎 = 𝐻3 𝑂+ 𝐶𝐻3 𝐶𝑂2 − 𝐶𝐻3 𝐶𝑂𝑂𝐻 = 1,8 𝑥 10−5 𝐻3 𝑂+ = 𝐾 𝑎 𝑥 𝐶𝐻3 𝐶𝑂𝑂𝐻 𝐶𝐻3 𝐶𝑂2 − = 1,8 𝑥 10−5 𝑥 0,080 0,040 = 3,6 𝑥 10−5 𝑝𝐻 = − log 3,6 𝑥 10−5 = 4,44
  • 38. EQUAÇÃO DE HENDERSON-HASSELBALCH 𝑝𝐻 = 𝑝𝐾 𝑎 + 𝑙𝑜𝑔 [𝑏á𝑠𝑖𝑐𝑜]𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 [á𝑐𝑖𝑑𝑜]𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙
  • 39. EXEMPLOS SOLUÇÃO TAMPÃO 3) Suponha que dissolvemos 1,2 g de hidróxido de sódio (0,030 mol NaOH) em 500 mL da solução tampão descrita anteriormente. Calcule o pH da solução resultante e a mudança de pH. Considere que o volume da solução não se alterou. CH3COOH (aq) + H2O (l) ⇌ H3O+ (aq) + CH3CO2 - (aq) pH=5,44