SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
07/11/11 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO – AULA 10 Chegamos a metade de nossas aulas. Vocês foram apresentados aos principais teóricos da  Administração . Passo a passo vimos como a  Arte de Administrar  somou-se à  Ciência de Administrar . Vimos que esta ciência da administração é  multidisciplinar , ou seja, agrega em torno de si diversas outras ciências tais como as exatas, humanas e biológicas. Mas a Arte permaneceu e ainda permanece. Este primeiro momento permitiu uma visualização de que não existe um modo único e certo de administrar. Cada caso é um caso e, para administrar deve-se aplicar o maior e melhor de todos os modelos:  O bom senso . Nesta aula apresentaremos as principais diferenças entre a  Teoria Clássica  e a  Teoria das Relações Humanas . Falaremos sobre as consequências da  Teoria das Relações Humanas , quais os novos caminhos que ela apontou para a  Administração . Daremos início também a  Escola Comportamental .
07/11/11 1. TEORIA CLÁSSICA X TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS Fonte: Adaptado de Chiavenato, 2006 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Teoria das Relações Humanas Teoria Clássica
07/11/11 Com a Teoria das Relações Humanas surge nova linguagem ( motivação ,  liderança ,  comunicação ,  organização informal ,  dinâmica de grupo ) no lugar dos conceitos clássicos ( hierarquia ,  racionalização do trabalho ,  departamentalização ,  princípios gerais de administração . etc.); 2. DECORRÊNCIAS  DA TEORIA DAS  RELAÇÕES HUMANAS O  Homo Econômicus  cede lugar para uma nova concepção sobre a natureza do homem, o  HOMEM SOCIAL : ,[object Object],[object Object],[object Object]
07/11/11 3. INFLUÊNCIA DA MOTIVAÇÃO HUMANA A teoria da motivação procura explicar os  porquês  do comportamento das pessoas. O engenheiro e o técnico passam a dar lugar ao sociólogo e ao psicólogo. Na concepção do “homo econômicus” (Administração Científica) o homem é motivado exclusivamente pela busca do dinheiro e pelas recompensas salariais e materiais do trabalho. Na concepção da  Teoria de Relações Humanas o homem é motivado  não por estímulos econômicos e salariais, mas  por recompensas sociais, simbólicas e não-materiais.  “ (...)  seres humanos só se realizam sendo produtivos .  Organizações são importantes porque são o instrumento para que eles sejam produtivos, e a administração é a mais importante invenção do século 20 porque é a disciplina específica para que as organizações cumpram esse papel.” Peter Druker
07/11/11 4. ESCOLA COMPORTAMENTAL OU BEHAVIORISTA  A escola comportamental surgiu por volta do ano de 1940 como conseqüência da necessidade de complementar as  Teorias das Relações Humanas  e dar um sentido mais profundo às experiências de  Elton Mayo . Surgiu devido a ineficiência da administração científica em relação a produção e a harmonia no local de trabalho .  Se preocupava com as pessoas, com os grupos sociais e com a organização informal.  Esta escola lida mais com o lado humano nas organizações, isto é, com as relações humanas dentro das organizações.  Segundo STONER (1999, p.30) relações humanas é um termo freqüentemente usado para descrever o modo como os administradores interagem com seus subordinados. Dentro de uma organização podemos ter dois tipos de relações humanas:  relações humanas eficazes e relações humanas ineficazes .
07/11/11 Elton Mayo e seus colegas da Haward Business School foram os pioneiros no uso do método científico em seus estudos sobre as pessoa no ambiente de trabalho e concluíram que uma cadeia complexa havia interferido na produtividade dos operários.  Concluiram que não é somente uma variável que altera a produtividade dos operários, mais sim um conjunto de variáveis interligadas.  ( AULAS 8 e 9) Concluíram ainda, que os empregados trabalhariam mais caso acreditassem que a administração estava preocupada com o seu bem-estar e que os supervisores prestavam atenção especial neles.  ( STONER 1999)   Portanto, foi a partir deste estudo de Elton Mayo que se criou o conceito de  Homem Social. A partir deste conceito era necessário uma nova abordagem que contemplasse não um único aspecto, seja ele técnico ou humano. Então, compreende-se que o surgimento da Escola Comportamental é uma consequência direta das limitações da Escola Clássica em relação às motivações das pessoas.
07/11/11 Na verdade, o crescente descontentamento do operariado e o poder crescente dos sindicatos obrigou as organizações a estudarem novas formas de gestão que proporcionassem uma maior satisfação no trabalho.  Alguns desses exemplos são as tentativas de aplicação à gestão de princípios da psicologia iniciadas por  Ordway Tead  e por  Mary Follett  e de princípios da sociologia tentados por  Chester Barnard .  (AULA 7) Contudo, é em razão da grande depressão de 1929 que as organizações em geral e as empresas em particular são obrigadas a intensificarem os seus esforços na busca da eficiência através da motivação dos trabalhadores, ditando assim o fim da Escola Clássica. É neste contexto que nasce a  Teoria das Relações Humanas  fundada por Mayo e seguida de diversas outras teorias e modelos cuja ênfase era colocada na pessoa e nas suas motivações.  Entre essas teorias, e além da Teoria das Relações Humanas, destaca-se  O Comportamento Administrativo  de Herbert Simon, a  Ciência do Comportamento  fundada por Abraham H. Maslow, a  Teoria dos Dois Fatores  de Frederick Herzberg, a  Teoria X e Teoria Y  de Douglas Mcgregor Adaptado de Maximiano, 2002
07/11/11 5. ORIGENS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
07/11/11 6. CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS – POSICIONAMENTO CRÍTICO ,[object Object],[object Object],[object Object],POSICIONAMENTO CRÍTICO Comportamentalistas Organização como um  sistema cooperativo racional; Síntese da teoria da organização formal Ênfase nas  tarefas  e na  estrutura  ( clássica ); Enfoque das relações humanas Critica a Teoria da Burocracia Modelo de máquina Rejeita o posicionamento clássico Princípios rígidos da administração Descuidando da análise das decisões Rejeita a concepção dos Humanistas Satisfação do trabalhador por si só gera eficiência
07/11/11 7 ENFOQUE COMPORTAMENTAL: A MOTIVAÇÃO HUMANA O comportamento humano está associado a motivação das pessoas BEHAVIORISTAS: É necessário o conhecimento das necessidades humanas para poder compreender o comportamento humano e utilizar os conhecimentos sobre motivação para a melhoria das qualidades de vida nas organizações.
07/11/11 Clique na imagem para conhecer mais sobre a vida e a obra de Herbert Simon 8.  HERBERT SIMON ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],“ Uma teoria geral da administração deve incluir princípios de organização que assegurem o processo correto, tanto quanto incluir princípios que assegurem uma ação efetiva” Herbert Simon, 1947 Precisa uma conta no  gmail  para acessar este link
07/11/11 CLIQUE NO LINK Leia:  AS TEORIAS DE MOTIVAÇÃO HUMANA E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A EMPRESA HUMANIZADA: Um tributo a Abraham Maslow. 9. MASLOW Uma das mais famosas teorias de motivação foi desenvolvida por  Abraham Maslow .  Ele desenvolveu a teoria de que a satisfação dos desejos e necessidades motiva o ser humano a buscar o objetivo de auto-realização.  A abordagem da hierarquia de necessidade de Maslow se baseia em quatro premissas:  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
07/11/11 Continuação Segundo Maslow, as pessoas tinham necessidades a serem satisfeitas e que estavam distribuídas numa hierarquia, e que uma pessoa só poderia subir na hierarquia para a necessidade número dois se primeiro ela tivesse satisfeita a necessidade número um.  Na base desta hierarquia estão as necessidade fisiológicas e de seguranças e no topo da hierarquia estão as necessidades de auto-realização.  O que Maslow propunha, é que as necessidades da base necessitam ser satisfeitas para se atender as necessidades do topo da hierarquia. Maslow tentou explicar em seus ensaios científicos, o por que as pessoas são dirigidas por certas necessidades e afirmou que o que motiva as pessoas a agir são as necessidades não atendidas. Mas hierarquizou as necessidades humanas, parte das necessidades mais urgentes (primárias) às menos urgentes (secundárias). Maslow propõe uma hierarquia de necessidades compartilhados por todos.
07/11/11 Fonte: Adaptado de Maximiano, 2000 9.1 Pirâmide de necessidades de Maslow
07/11/11 De acordo com a teoria, as pessoas tentam primeiro satisfazer as necessidades da base da hierarquia.  Somente quando estas necessidades são satisfeitas, as pessoas movem-se para o atendimento das necessidades de categorias superiores.  Quando uma necessidade de nível mais baixo deixa de ser satisfeita, ela volta a predominar no comportamento Vamos entender isso: Cada pessoa sempre possui mais de uma motivação, todos os níveis atuam conjuntamente dominando as necessidades mais elevadas sobre as mais baixas, desde que estas estejam suficientemente atendidas; O efeito das necessidades é sempre global, nunca isolado; Epa! Tem coisa aqui!  Continuação Qualquer frustração da satisfação de certas necessidades transformam-se em uma ameaça psicológica (descontentamento).   ATIVIDADE: Dê sua interpretação à esta informação. Como isso pode afetar o desempenho de uma empresa?
07/11/11 Na próxima aula vamos conhecer outros pensadores que ajudaram a construir o modelo  COMPORTAMENTAL  ou  BEHAVIORISTA . Vamos ter acesso a conceitos que ainda hoje permanecem desconhecidos da maioria das pequenas empresas, onde falta visão administrativa, mas felizmente cada vez mais predomina esta máxima de  Griffin: (Griffin, 2007, p.39-40).  “ Hoje em dia, é mais comum o gerente reconhecer a importância dos processos comportamentais e considerar os funcionários como recursos valiosos e não meras ferramentas”
07/11/11 CHIAVENATO,  Idalberto –  Princípios da Administração . 1ª Ed.  São Paulo: Ed. Campus, 2006 DRUCKER , P.  Os novos paradigmas da administração . Forbes, 1999. Disponível em <http://www.portalexame.com.br>. Acesso em 15.01.2009. GRIFFIN , Ricky W.  Introdução à administração . São Paulo: Ática, 2007. MAXIMIANO,  A. C. A.  Teoria Geral da Administração.  2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2000 MAXIMIANO , Antonio C.  Teoria Geral da Administração: da escola científica à competitividade em Economia Globalizada . 3ª edição - São Paulo. Atlas. 2002 STONER , R.  Teoria Geral da Administração . São Paulo: Makron Books, 1999. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoTeoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoangelaadan
 
5 tga teoria das relações humanas
5 tga teoria das relações humanas5 tga teoria das relações humanas
5 tga teoria das relações humanasErica Castro
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamentalguest06f340
 
Teoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administraçãoTeoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administraçãoRafael Butruce
 
Teorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagemTeorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagemMarianny Dantas
 
Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamentaladmetz01
 
Teoriade relaeshumanas
Teoriade relaeshumanasTeoriade relaeshumanas
Teoriade relaeshumanasguestf9582a
 
Teoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativa
Teoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativaTeoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativa
Teoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativaJorge Lopes
 
Motivação no Trabalho
Motivação no Trabalho Motivação no Trabalho
Motivação no Trabalho ThuanyPessanha
 
Teorias da administração
Teorias da administraçãoTeorias da administração
Teorias da administraçãoEster Santiago
 
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagemAplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagemsuerlilton
 
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações HumanasMapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações HumanasDanilo Mota
 
Visão Histórica Da Administração
Visão Histórica Da AdministraçãoVisão Histórica Da Administração
Visão Histórica Da AdministraçãoDiego Lopes
 
Abordagem Comportamental
Abordagem ComportamentalAbordagem Comportamental
Abordagem Comportamentalrafaelpouzada
 

Mais procurados (20)

Teoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoTeoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administração
 
5 tga teoria das relações humanas
5 tga teoria das relações humanas5 tga teoria das relações humanas
5 tga teoria das relações humanas
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamental
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Teoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administraçãoTeoria ou abordagem comportamental na administração
Teoria ou abordagem comportamental na administração
 
Teorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagemTeorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagem
 
Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamental
 
Teoriade relaeshumanas
Teoriade relaeshumanasTeoriade relaeshumanas
Teoriade relaeshumanas
 
Douglas Mc Gregor e Willian Ouchi
Douglas Mc Gregor e Willian OuchiDouglas Mc Gregor e Willian Ouchi
Douglas Mc Gregor e Willian Ouchi
 
Teoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativa
Teoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativaTeoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativa
Teoria da Burocracia e Teoria Clássica: Uma reflexão comparativa
 
5 abordagem comportamental
5   abordagem comportamental5   abordagem comportamental
5 abordagem comportamental
 
Motivação no Trabalho
Motivação no Trabalho Motivação no Trabalho
Motivação no Trabalho
 
Teorias da administração
Teorias da administraçãoTeorias da administração
Teorias da administração
 
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagemAplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
 
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações HumanasMapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
 
Visão Histórica Da Administração
Visão Histórica Da AdministraçãoVisão Histórica Da Administração
Visão Histórica Da Administração
 
Abordagem Comportamental
Abordagem ComportamentalAbordagem Comportamental
Abordagem Comportamental
 
Den
DenDen
Den
 
Adm ms 2012
Adm ms 2012Adm ms 2012
Adm ms 2012
 

Destaque

Abordagem Comportamental
Abordagem ComportamentalAbordagem Comportamental
Abordagem Comportamentalzalucty
 
Apresentação do projeto ciência sem fronteiras
Apresentação do projeto ciência sem fronteirasApresentação do projeto ciência sem fronteiras
Apresentação do projeto ciência sem fronteirasEverson Rodrigues
 
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem FronteirasInternacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteirascartaconsulta
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamentalguestbeeeda
 
Desvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrõesDesvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrõesGabriel Passeri
 
Tomada de decisão
Tomada de decisãoTomada de decisão
Tomada de decisãoLeila Oliva
 
Teorias das relações humanas
Teorias das relações humanasTeorias das relações humanas
Teorias das relações humanasProfRibamar Campos
 

Destaque (8)

Abordagem Comportamental
Abordagem ComportamentalAbordagem Comportamental
Abordagem Comportamental
 
Apresentação do projeto ciência sem fronteiras
Apresentação do projeto ciência sem fronteirasApresentação do projeto ciência sem fronteiras
Apresentação do projeto ciência sem fronteiras
 
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem FronteirasInternacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamental
 
Tomada de decisao
Tomada de decisaoTomada de decisao
Tomada de decisao
 
Desvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrõesDesvios médios, variância e desvios padrões
Desvios médios, variância e desvios padrões
 
Tomada de decisão
Tomada de decisãoTomada de decisão
Tomada de decisão
 
Teorias das relações humanas
Teorias das relações humanasTeorias das relações humanas
Teorias das relações humanas
 

Semelhante a Aula10

Teoriade Relaes Humanas Power Point Erica
Teoriade Relaes Humanas Power Point EricaTeoriade Relaes Humanas Power Point Erica
Teoriade Relaes Humanas Power Point Ericaguest3ebb133
 
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administraçãoAula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administraçãoAdriely Negrine Azevedo
 
Resumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGAResumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGAMario Costa
 
Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Antonio Diniz
 
Teoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamentalTeoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamentalThales Guimaraes
 
segunda aula gestao
 segunda aula gestao  segunda aula gestao
segunda aula gestao guest680ed0
 
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações HumanasRevisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações HumanasPeterson Danda
 
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptxTEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptxCristianeCavalcante19
 
SlidesVideoaulasTGA_revisados.pptx
SlidesVideoaulasTGA_revisados.pptxSlidesVideoaulasTGA_revisados.pptx
SlidesVideoaulasTGA_revisados.pptxandrikazi
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptRosineiaSantos8
 
ABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdf
ABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdfABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdf
ABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdfPaulus
 
Curso superior de tecnologia em logística
Curso superior de tecnologia em logísticaCurso superior de tecnologia em logística
Curso superior de tecnologia em logísticaCipriano Netto
 
Apostila 01 rh 01
Apostila 01 rh 01Apostila 01 rh 01
Apostila 01 rh 01admcontabil
 
Teorias de Administração - 1ª aula.pptx
Teorias de Administração - 1ª aula.pptxTeorias de Administração - 1ª aula.pptx
Teorias de Administração - 1ª aula.pptxDanielleVieira55
 
Teoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoTeoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoAdm Unime
 
Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1
Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1
Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1Niloar Bissani
 
Lins, zúniga (s.d.) recursos humanos tradicional e não tradicional
Lins, zúniga (s.d.)   recursos humanos tradicional e não tradicionalLins, zúniga (s.d.)   recursos humanos tradicional e não tradicional
Lins, zúniga (s.d.) recursos humanos tradicional e não tradicionalVanessa Guimarães
 

Semelhante a Aula10 (20)

Aula7
Aula7Aula7
Aula7
 
Teoriade Relaes Humanas Power Point Erica
Teoriade Relaes Humanas Power Point EricaTeoriade Relaes Humanas Power Point Erica
Teoriade Relaes Humanas Power Point Erica
 
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administraçãoAula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
 
AULA 08.pdf
AULA 08.pdfAULA 08.pdf
AULA 08.pdf
 
Resumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGAResumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGA
 
Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733
 
Teoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamentalTeoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamental
 
segunda aula gestao
 segunda aula gestao  segunda aula gestao
segunda aula gestao
 
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações HumanasRevisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
 
3042176.ppt
3042176.ppt3042176.ppt
3042176.ppt
 
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptxTEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
 
SlidesVideoaulasTGA_revisados.pptx
SlidesVideoaulasTGA_revisados.pptxSlidesVideoaulasTGA_revisados.pptx
SlidesVideoaulasTGA_revisados.pptx
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
 
ABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdf
ABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdfABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdf
ABORDAGENS ORGANIZACIONAIS EDUCATIVAS.pdf
 
Curso superior de tecnologia em logística
Curso superior de tecnologia em logísticaCurso superior de tecnologia em logística
Curso superior de tecnologia em logística
 
Apostila 01 rh 01
Apostila 01 rh 01Apostila 01 rh 01
Apostila 01 rh 01
 
Teorias de Administração - 1ª aula.pptx
Teorias de Administração - 1ª aula.pptxTeorias de Administração - 1ª aula.pptx
Teorias de Administração - 1ª aula.pptx
 
Teoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoTeoria Behaviorismo
Teoria Behaviorismo
 
Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1
Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1
Teoria geral da adm unidade 1 tópico 1
 
Lins, zúniga (s.d.) recursos humanos tradicional e não tradicional
Lins, zúniga (s.d.)   recursos humanos tradicional e não tradicionalLins, zúniga (s.d.)   recursos humanos tradicional e não tradicional
Lins, zúniga (s.d.) recursos humanos tradicional e não tradicional
 

Mais de Universidade Federal de Alfenas (16)

Mandassaia. ÚLTIMA.-1.pdf
Mandassaia. ÚLTIMA.-1.pdfMandassaia. ÚLTIMA.-1.pdf
Mandassaia. ÚLTIMA.-1.pdf
 
Aula19 20
Aula19 20Aula19 20
Aula19 20
 
Aula17
Aula17Aula17
Aula17
 
Aula16
Aula16Aula16
Aula16
 
Aula15
Aula15Aula15
Aula15
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 
Aula13
Aula13Aula13
Aula13
 
Aula12
Aula12Aula12
Aula12
 
Aula11
Aula11Aula11
Aula11
 
Aula6
Aula6Aula6
Aula6
 
Aula5
Aula5Aula5
Aula5
 
Aula4
Aula4Aula4
Aula4
 
Aula3
Aula3Aula3
Aula3
 
Aula2
Aula2Aula2
Aula2
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Aula18
Aula18Aula18
Aula18
 

Aula10

  • 1. 07/11/11 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO – AULA 10 Chegamos a metade de nossas aulas. Vocês foram apresentados aos principais teóricos da Administração . Passo a passo vimos como a Arte de Administrar somou-se à Ciência de Administrar . Vimos que esta ciência da administração é multidisciplinar , ou seja, agrega em torno de si diversas outras ciências tais como as exatas, humanas e biológicas. Mas a Arte permaneceu e ainda permanece. Este primeiro momento permitiu uma visualização de que não existe um modo único e certo de administrar. Cada caso é um caso e, para administrar deve-se aplicar o maior e melhor de todos os modelos: O bom senso . Nesta aula apresentaremos as principais diferenças entre a Teoria Clássica e a Teoria das Relações Humanas . Falaremos sobre as consequências da Teoria das Relações Humanas , quais os novos caminhos que ela apontou para a Administração . Daremos início também a Escola Comportamental .
  • 2.
  • 3.
  • 4. 07/11/11 3. INFLUÊNCIA DA MOTIVAÇÃO HUMANA A teoria da motivação procura explicar os porquês do comportamento das pessoas. O engenheiro e o técnico passam a dar lugar ao sociólogo e ao psicólogo. Na concepção do “homo econômicus” (Administração Científica) o homem é motivado exclusivamente pela busca do dinheiro e pelas recompensas salariais e materiais do trabalho. Na concepção da Teoria de Relações Humanas o homem é motivado não por estímulos econômicos e salariais, mas por recompensas sociais, simbólicas e não-materiais. “ (...) seres humanos só se realizam sendo produtivos . Organizações são importantes porque são o instrumento para que eles sejam produtivos, e a administração é a mais importante invenção do século 20 porque é a disciplina específica para que as organizações cumpram esse papel.” Peter Druker
  • 5. 07/11/11 4. ESCOLA COMPORTAMENTAL OU BEHAVIORISTA A escola comportamental surgiu por volta do ano de 1940 como conseqüência da necessidade de complementar as Teorias das Relações Humanas e dar um sentido mais profundo às experiências de Elton Mayo . Surgiu devido a ineficiência da administração científica em relação a produção e a harmonia no local de trabalho . Se preocupava com as pessoas, com os grupos sociais e com a organização informal. Esta escola lida mais com o lado humano nas organizações, isto é, com as relações humanas dentro das organizações. Segundo STONER (1999, p.30) relações humanas é um termo freqüentemente usado para descrever o modo como os administradores interagem com seus subordinados. Dentro de uma organização podemos ter dois tipos de relações humanas: relações humanas eficazes e relações humanas ineficazes .
  • 6. 07/11/11 Elton Mayo e seus colegas da Haward Business School foram os pioneiros no uso do método científico em seus estudos sobre as pessoa no ambiente de trabalho e concluíram que uma cadeia complexa havia interferido na produtividade dos operários. Concluiram que não é somente uma variável que altera a produtividade dos operários, mais sim um conjunto de variáveis interligadas. ( AULAS 8 e 9) Concluíram ainda, que os empregados trabalhariam mais caso acreditassem que a administração estava preocupada com o seu bem-estar e que os supervisores prestavam atenção especial neles. ( STONER 1999) Portanto, foi a partir deste estudo de Elton Mayo que se criou o conceito de Homem Social. A partir deste conceito era necessário uma nova abordagem que contemplasse não um único aspecto, seja ele técnico ou humano. Então, compreende-se que o surgimento da Escola Comportamental é uma consequência direta das limitações da Escola Clássica em relação às motivações das pessoas.
  • 7. 07/11/11 Na verdade, o crescente descontentamento do operariado e o poder crescente dos sindicatos obrigou as organizações a estudarem novas formas de gestão que proporcionassem uma maior satisfação no trabalho. Alguns desses exemplos são as tentativas de aplicação à gestão de princípios da psicologia iniciadas por Ordway Tead e por Mary Follett e de princípios da sociologia tentados por Chester Barnard . (AULA 7) Contudo, é em razão da grande depressão de 1929 que as organizações em geral e as empresas em particular são obrigadas a intensificarem os seus esforços na busca da eficiência através da motivação dos trabalhadores, ditando assim o fim da Escola Clássica. É neste contexto que nasce a Teoria das Relações Humanas fundada por Mayo e seguida de diversas outras teorias e modelos cuja ênfase era colocada na pessoa e nas suas motivações. Entre essas teorias, e além da Teoria das Relações Humanas, destaca-se O Comportamento Administrativo de Herbert Simon, a Ciência do Comportamento fundada por Abraham H. Maslow, a Teoria dos Dois Fatores de Frederick Herzberg, a Teoria X e Teoria Y de Douglas Mcgregor Adaptado de Maximiano, 2002
  • 8.
  • 9.
  • 10. 07/11/11 7 ENFOQUE COMPORTAMENTAL: A MOTIVAÇÃO HUMANA O comportamento humano está associado a motivação das pessoas BEHAVIORISTAS: É necessário o conhecimento das necessidades humanas para poder compreender o comportamento humano e utilizar os conhecimentos sobre motivação para a melhoria das qualidades de vida nas organizações.
  • 11.
  • 12.
  • 13. 07/11/11 Continuação Segundo Maslow, as pessoas tinham necessidades a serem satisfeitas e que estavam distribuídas numa hierarquia, e que uma pessoa só poderia subir na hierarquia para a necessidade número dois se primeiro ela tivesse satisfeita a necessidade número um. Na base desta hierarquia estão as necessidade fisiológicas e de seguranças e no topo da hierarquia estão as necessidades de auto-realização. O que Maslow propunha, é que as necessidades da base necessitam ser satisfeitas para se atender as necessidades do topo da hierarquia. Maslow tentou explicar em seus ensaios científicos, o por que as pessoas são dirigidas por certas necessidades e afirmou que o que motiva as pessoas a agir são as necessidades não atendidas. Mas hierarquizou as necessidades humanas, parte das necessidades mais urgentes (primárias) às menos urgentes (secundárias). Maslow propõe uma hierarquia de necessidades compartilhados por todos.
  • 14. 07/11/11 Fonte: Adaptado de Maximiano, 2000 9.1 Pirâmide de necessidades de Maslow
  • 15. 07/11/11 De acordo com a teoria, as pessoas tentam primeiro satisfazer as necessidades da base da hierarquia. Somente quando estas necessidades são satisfeitas, as pessoas movem-se para o atendimento das necessidades de categorias superiores. Quando uma necessidade de nível mais baixo deixa de ser satisfeita, ela volta a predominar no comportamento Vamos entender isso: Cada pessoa sempre possui mais de uma motivação, todos os níveis atuam conjuntamente dominando as necessidades mais elevadas sobre as mais baixas, desde que estas estejam suficientemente atendidas; O efeito das necessidades é sempre global, nunca isolado; Epa! Tem coisa aqui! Continuação Qualquer frustração da satisfação de certas necessidades transformam-se em uma ameaça psicológica (descontentamento). ATIVIDADE: Dê sua interpretação à esta informação. Como isso pode afetar o desempenho de uma empresa?
  • 16. 07/11/11 Na próxima aula vamos conhecer outros pensadores que ajudaram a construir o modelo COMPORTAMENTAL ou BEHAVIORISTA . Vamos ter acesso a conceitos que ainda hoje permanecem desconhecidos da maioria das pequenas empresas, onde falta visão administrativa, mas felizmente cada vez mais predomina esta máxima de Griffin: (Griffin, 2007, p.39-40). “ Hoje em dia, é mais comum o gerente reconhecer a importância dos processos comportamentais e considerar os funcionários como recursos valiosos e não meras ferramentas”
  • 17. 07/11/11 CHIAVENATO, Idalberto – Princípios da Administração . 1ª Ed. São Paulo: Ed. Campus, 2006 DRUCKER , P. Os novos paradigmas da administração . Forbes, 1999. Disponível em <http://www.portalexame.com.br>. Acesso em 15.01.2009. GRIFFIN , Ricky W. Introdução à administração . São Paulo: Ática, 2007. MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral da Administração. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2000 MAXIMIANO , Antonio C. Teoria Geral da Administração: da escola científica à competitividade em Economia Globalizada . 3ª edição - São Paulo. Atlas. 2002 STONER , R. Teoria Geral da Administração . São Paulo: Makron Books, 1999. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS