SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Baixar para ler offline
12/09/2015
1
ROTULAGEM NUTRICIONAL
DE ALIMENTOS
Prof. Lucas Carvalho
VISÃO REGULATÓRIA
REGULAÇÃO
ANVISA
INDÚSTRIA RÓTULO PRODUTO CONSUMIDOR
12/09/2015
2
PRINCIPAIS OBJETIVOS
• Informações corretas  credibilidade
• Proporcionar escolhas de
alimentos mais saudáveis.
 Política Nacional de Alimentação e
Nutrição/PNAN – Portaria MS nº 710/99.
Diretrizes voltadas para redução da prevalência
de doenças nutricionais e orientação para
consumo de alimentos saudáveis.
BRASIL - ANTECEDENTES
12/09/2015
3
• Rotulagem Nutricional de Alimentos
Embalados – Resolução Anvisa RDC nº
360/2003.
• Porções de Alimentos Embalados para Fins de
Rotulagem Nutricional – Resolução Anvisa RDC
nº 359/2003.
BRASIL - LEGISLAÇÕES
 Âmbito de Aplicação
Todos os alimentos e bebidas
produzidos, comercializados e
embalados na ausência do
cliente e prontos para oferta ao
consumidor.
Como saber se o produto precisa
apresentar informação nutricional?
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
4
• Águas minerais e demais águas envasadas.
• Bebidas alcoólicas.
• Aditivos alimentares e coadjuvantes de
tecnologia.
• Especiarias.
• Vinagres.
• Sal.
Quais produtos estão dispensados?
Resolução RDC nº 360/03
• Café, erva-mate, chá e outros sem adição de
outros ingredientes (ex.: chá com açúcar).
• Alimentos preparados e embalados em
restaurantes e estabelecimentos comerciais (ex:
sobremesas).
Quais produtos estão dispensados?
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
5
• Produtos fracionados nos pontos de venda
a varejo (queijos, presuntos e salames).
• Frutas, vegetais e carnes in natura,
refrigerados ou congelados.
Quais produtos estão dispensados?
Resolução RDC nº 360/03
• Embalagens menores que 100 cm2.
 não se aplica a alimentos para fins
especiais e com declarações de propriedades
nutricionais.
Quais produtos estão dispensados?
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
6
• Toda inscrição destinada a informar ao consumidor
sobre as propriedades do alimento.
Compreende:
declaração de valor energético e nutrientes;
declaração de propriedades nutricionais
(informação nutricional complementar ou claim
nutricional).
O que é rotulagem nutricional?
Resolução RDC nº 360/03
• É qualquer representação que afirme,
sugira ou implique que um produto possui
propriedades nutricionais em relação ao
seu valor energético, conteúdo de
proteínas, gorduras, carboidratos, fibra
alimentar, vitaminas e minerais.
O que é declaração de propriedades
nutricionais (INC)?
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
7
Que nutrientes devem ser declarados?
• Valor energético – kcal e kJ
• Carboidratos – gramas (100-(proteína + gordura + fibra + umidade/matéria sólida + cinzas))
• Proteínas – gramas
• Gorduras totais – gramas
• Gorduras saturadas – gramas
• Gorduras trans* – gramas
• Fibra alimentar – gramas
• Sódio – miligramas
*Folder - http://www.anvisa.gov.br/alimentos/gordura_trans.pdf
Resolução RDC nº 360/03
Que nutrientes devem ser
declarados?
 Quando for realizada informação nutricional
complementar (INC) sobre a quantidade e ou tipo de:
• carboidratos: deve ser indicada a quantidade de açúcar e
do carboidrato objeto da declaração.
• gorduras e ou ácidos graxos e ou colesterol: deve ser
indicada a quantidade de gorduras saturadas, trans,
monoinsaturadas, poliinsaturadas, colesterol e do tipo de
gordura objeto da declaração.
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
8
Que nutrientes devem ser
declarados?
 Exemplo: Claim nutricional – Baixo teor de açúcares
Valor energético
Carboidratos
Açúcares
Proteínas
Gorduras totais
Gorduras saturadas
Gorduras trans
Fibra alimentar
Sódio
Resolução RDC nº 360/03
Exemplo: claim nutricional - Não contém lactose
Valor energético
Carboidratos
Açúcares
Lactose
Proteínas
Gorduras totais
Gorduras saturadas
Gorduras trans
Fibra alimentar
Sódio
Que nutrientes devem ser
declarados?
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
9
Exemplo: claim nutricional - baixo (light) em colesterol
Valor energético
Carboidratos
Proteínas
Gorduras totais
Gorduras saturadas
Gorduras trans
Gorduras poliinsaturadas
Gorduras monoinsaturadas
Colesterol
Fibra alimentar e Sódio
Que nutrientes devem ser
declarados?
Resolução RDC nº 360/03
 A quantidade de qualquernutriente(s) sobre o(s) qual(is) se faça(m)
InformaçãoNutricional Complementar.
 Exemplo: Fonte de vitaminaA
Valor energético
Carboidratos
Proteínas
Gorduras totais
Gorduras saturadas
Gorduras trans
Fibra alimentar
Sódio
Vitamina A
Que nutrientes devem ser
declarados?
Resolução RDC nº 360/03
12/09/2015
10
 Optativamente podem ser declarados
vitaminas e minerais.
 quantidade igual ou superior a 5%
da ingestão diária.
Que nutrientes devem ser
declarados?
Que informações devem ser
apresentadas?
• Porção:
- Grama ou miligrama;
- Medida caseira.
• Percentual de Valor Diário (% VD)*
- Usar Valores Diários de Referência (VDR) e Ingestão Diária
Recomendada (IDR).
* (%VD) não estabelecido para gorduras trans, mono e poliinsaturadas.
12/09/2015
11
O que é Porção?
 Quantidade média do alimento que deve
ser consumida por pessoas sadias, maiores
de 36 meses, em cada ocasião de consumo
com a finalidade de promover uma
alimentação saudável.
Valores Diários de Referência (VD)?
Valor energético – 2000 kcal
Carboidratos – 300 g
Proteínas – 75 g
Gorduras totais – 55 g
Gorduras saturadas – 22 g
Fibra alimentar – 25 g
Sódio 2400 mg
Colesterol – 300 mg
Cálcio – 1000 mg
Ferro – 14 mg
12/09/2015
12
Modelo de
rotulagem
nutricional
INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção de __ g/ ml (medida caseira)
Quantidade por porção % VD(*)
Valor Energético kcal = kJ
Carboidratos g
Proteínas g
Gorduras totais g
Gorduras Saturadas g
Gorduras Trans g --
Fibra Alimentar g
Sódio mg
Outros Minerais (1) mg ou µg
Vitaminas (1) mg ou µg
* Valores Diários de referência com base em uma dieta de
2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser
maiores ou menores dependendo de suas necessidades
energéticas.
(1) Quando declarados
Rótulos
12/09/2015
13
Rótulos
Rótulos
12/09/2015
14
Rótulos
Rótulos
12/09/2015
15
Exemplo de
declaração
simplificada
Opção 1
Amido de Milho
INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção de 20 g (1 colher de sopa)
Quantidade por porção % VD(*)
Valor Energético 70 kcal = 293 kJ 4 %
Carboidratos 18 g 6%
Proteínas 0 g 0 %
Gorduras totais 0 g 0 %
Gorduras
Saturadas
0 g 0 %
Gorduras Trans 0 mg 0 %
Fibra Alimentar 0 g 0 %
Sódio 0 mg 0 %
* Valores Diários de referência com base em uma dieta
de 2.000 Kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem
ser maiores ou menores dependendo de suas
necessidades energéticas.
Exemplo de
declaração
simplificada
Opção 2
Incluir frase abaixo da
tabela
Amido de Milho
INFORMAÇÃO NUTRICIONAL
Porção de 20 g (1 colher de sopa)
Quantidade por porção % VD(*)
Valor
Energético
70 kcal = 293 kJ 4 %
Carboidratos 18 g 6%
Não contém quantidades significativas de proteínas,
gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans,
fibra alimentar e sódio
* Valores Diários de referência com base em uma dieta
de 2.000 Kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem
ser maiores ou menores dependendo de suas
necessidades energéticas.
12/09/2015
16
Como conhecer o tamanho da porção e a
medida caseira correspondente?
12/09/2015
17
Cálculo das informações
nutricionais passo a passo
• Tabela de Valores de Referência para Porções de
Alimentos e Bebidas Embalados para Fins de Rotulagem
Nutricional – RDC nº 359/03.
• Tabela de Composição Química dos Alimentos ou
Banco de dados ou Laudo de Análise Físico-química do
Produto.
Tabela de Composição Química dos
Alimentos - UNIFESP
http://www2.unifesp.br/dis/servicos/nutri/public/
12/09/2015
18
• EXEMPLO:
- Produto: Bolo com 425g
- Ingredientes:
100g de farinha de trigo
80g de açúcar refinado
80g de água
50g de ovo (1 unidade)
30g de gordura vegetal hidrogenada
20g de coco ralado
6g de fermento em pó
Obs.: nos casos em que a medida caseira não está
determinada na tabela, ver como realizar os cálculos
na RDC nº 359/03.
12/09/2015
19
12/09/2015
20
100g de farinha de trigo – 75,1g em 100g
80g de açúcar refinado – 99,5g em 100g / 79,6g em 80g
80g de água – não apresenta carboidratos
50g de ovo (1 unidade) – 1,6g em 100g / 0,8g em 50g
30g de gordura vegetal hidrogenada – não apresenta carboidratos
20g de coco ralado – 10,4g em 100g / 2,08g em 20g
6g de fermento em pó – 43,9g em 100g / 2,63g em 6g
TOTAL DE CARBOIDRATOS – 160,21g em 425g de bolo
PORÇÃO de 60g – 22,62g de carboidratos
Como calcular a quantidade de
CARBOIDRATOS?
100g de farinha de trigo – 9,8g em 100g
80g de açúcar refinado – 0,3g em 100g / 0,24g em 80g
80g de água – não apresenta proteínas
50g de ovo (1 unidade) – 13g em 100g / 6,5g em 50g
30g de gordura vegetal hidrogenada – não apresenta proteínas
20g de coco ralado – 3,7g em 100g / 0,74g em 20g
6g de fermento em pó – 0,5g em 100g / 0,03g em 6g
TOTAL DE CARBOIDRATOS – 17,31g em 425g de bolo
PORÇÃO de 60g – 2,44g de proteínas
Como calcular a quantidade de
PROTEÍNAS?
12/09/2015
21
100g de farinha de trigo – 1,4g em 100g
80g de açúcar refinado – traço
80g de água – não apresenta lipídeos
50g de ovo (1 unidade) – 8,9g em 100g / 4,45g em 50g
30g de gordura vegetal hidrogenada – 100g em 100g / 30g em 30g
20g de coco ralado – 42g em 100g / 8,4g em 20g
6g de fermento em pó – 0,1g em 100g / 0,006g em 6g
TOTAL DE CARBOIDRATOS – 44,26g em 425g de bolo
PORÇÃO de 60g – 6,25g de gorduras totais
Como calcular a quantidade de
GORDURAS TOTAIS/LIPÍDEOS?
Seguir a mesma lógica para:
• GORDURAS SATURADAS
• GORDURAS TRANS (de acordo com
o laudo de análise)
• FIBRA ALIMENTAR
• SÓDIO
12/09/2015
22
Como calcular o
VALOR ENERGÉTICO?
Carboidratos fornecem 4 kcal/g – 17 kJ/g
Proteínas fornecem 4 kcal/g – 17 kJ/g
Gorduras fornecem 9 kcal/g – 37 kJ/g
Nutrientes 1 porção de
bolo (60g)
Fator de Conversão
(kcal/g)
Kcal por
porção
Carboidratos 22,62g 4 90,48
Proteínas 2,44g 4 9,76
Gorduras totais 6,25g 9 56,25
TOTAL de kcal por porção de 60g de bolo = 156,49
Regras para declaração e
arredondamento dos resultados
12/09/2015
23
Regras para declaração e
arredondamento dos resultados
... e assim para os outros!
Como calcular os percentuais de Valores
Diários (%VD) e arredondar os resultados
12/09/2015
24
SITE ANVISA
12/09/2015
25
O que é
COMPLIANCE?
COMPLIANCE
RDC nº 360/2003: ± 20% do declarado
12/09/2015
26
COMPLIANCE
EXCEÇÕES (POLÍTICA DA EMPRESA):
1 – nutrientes considerados negativos do ponto de vista de
saúde, como sódio, gordura saturada, gordura trans e
colesterol: considerar limite máximo de 120% do valor
declarado ou disponibilizar JT que comprove variação de
processo/MP que não apresenta oportunidade de correção.
2 – fibras: por este nutriente apresentar benefícios à saúde,
serão considerados compliance produtos que apresentarem
teores acima de 120%.
COMPLIANCE
Nível Confiança Situação de avaliação
2 alta Todos os parâmetros avaliados apresentaram nível 2
1 média
Pelo menos 1 parâmetro avaliado apresentou nível 1 e nenhum parâmetro avaliado
apresentou nível 0
0 baixa Pelo menos 1 parâmetro avaliado apresentou nível 0
12/09/2015
27
Bom estudo!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frio
Aula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frioAula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frio
Aula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frioAlvaro Galdos
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SCelina Martins
 
Rotulagem de Alimentos
Rotulagem de AlimentosRotulagem de Alimentos
Rotulagem de Alimentosluiana
 
Manual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor RotulagemManual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor RotulagemFernanda Sampaio
 
aula 7. Tec. de oleos e derivados
aula 7. Tec. de oleos e derivadosaula 7. Tec. de oleos e derivados
aula 7. Tec. de oleos e derivadosprimaquim
 
Apostila avaliação nutricional
Apostila  avaliação nutricionalApostila  avaliação nutricional
Apostila avaliação nutricionalBruna Bellini
 
Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)
Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)
Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)Jaqueline Almeida
 
Planejamento de cardapios parte 2
Planejamento de cardapios   parte 2Planejamento de cardapios   parte 2
Planejamento de cardapios parte 2Romario Barros
 
Tecnologia de carnes
Tecnologia de carnesTecnologia de carnes
Tecnologia de carnesAlvaro Galdos
 
Alimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vidaAlimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vidaphtizzo
 
Técnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidas
Técnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidasTécnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidas
Técnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidasKetlenBatista
 
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptxAula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptxVanusaBelarmino1
 
Alimentação saudável.pptx_
 Alimentação saudável.pptx_ Alimentação saudável.pptx_
Alimentação saudável.pptx_Risoleta Montez
 
Entenda as informações nos rótulos dos alimentos - Anvisa
Entenda as informações nos rótulos dos alimentos - AnvisaEntenda as informações nos rótulos dos alimentos - Anvisa
Entenda as informações nos rótulos dos alimentos - AnvisaRossita Figueira
 
Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoAmanda Thomé
 
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosTreinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosLetícia Gonzaga
 
Slides nutrição
Slides nutriçãoSlides nutrição
Slides nutriçãomelodilva
 

Mais procurados (20)

Aula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frio
Aula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frioAula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frio
Aula 6 métodos de conservação de alimentos pelo frio
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
 
Rotulagem de Alimentos
Rotulagem de AlimentosRotulagem de Alimentos
Rotulagem de Alimentos
 
Manual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor RotulagemManual Consumidor Rotulagem
Manual Consumidor Rotulagem
 
Intolerância á lactose
Intolerância á lactoseIntolerância á lactose
Intolerância á lactose
 
Segurança alimentar
Segurança alimentarSegurança alimentar
Segurança alimentar
 
aula 7. Tec. de oleos e derivados
aula 7. Tec. de oleos e derivadosaula 7. Tec. de oleos e derivados
aula 7. Tec. de oleos e derivados
 
Apostila avaliação nutricional
Apostila  avaliação nutricionalApostila  avaliação nutricional
Apostila avaliação nutricional
 
Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)
Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)
Aula de Bromatologia sobre Rotulagem de Alimentos - Legislação Brasileira (1)
 
Planejamento de cardapios parte 2
Planejamento de cardapios   parte 2Planejamento de cardapios   parte 2
Planejamento de cardapios parte 2
 
Tecnologia de carnes
Tecnologia de carnesTecnologia de carnes
Tecnologia de carnes
 
Alimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vidaAlimentação e qualidade de vida
Alimentação e qualidade de vida
 
Técnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidas
Técnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidasTécnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidas
Técnica e dietética: carnes, cereais, açúcares, gorduras e bebidas
 
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptxAula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx
Aula Guias alimentares população brasileira e idosos.pptx
 
Alimentação saudável.pptx_
 Alimentação saudável.pptx_ Alimentação saudável.pptx_
Alimentação saudável.pptx_
 
Entenda as informações nos rótulos dos alimentos - Anvisa
Entenda as informações nos rótulos dos alimentos - AnvisaEntenda as informações nos rótulos dos alimentos - Anvisa
Entenda as informações nos rótulos dos alimentos - Anvisa
 
Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no Idoso
 
Treinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de AlimentosTreinamento Manipuladores de Alimentos
Treinamento Manipuladores de Alimentos
 
Slides nutrição
Slides nutriçãoSlides nutrição
Slides nutrição
 
Caso clínico de fome compulsiva tratamento
Caso clínico de fome compulsiva tratamentoCaso clínico de fome compulsiva tratamento
Caso clínico de fome compulsiva tratamento
 

Semelhante a Aula rotulagemnutricionaldosalimentos2015 20150912110440

Rotulagem nutricional
Rotulagem nutricionalRotulagem nutricional
Rotulagem nutricionalAna Erbênia
 
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...Qualikadi Assessoria Técnica
 
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...Daniela Lima
 
Manual Industria
Manual IndustriaManual Industria
Manual Industriavivinigro
 
UPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdf
UPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdfUPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdf
UPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdfadelicebraga1
 
Webinar 2_Rotulagem nutricional.pdf
Webinar 2_Rotulagem nutricional.pdfWebinar 2_Rotulagem nutricional.pdf
Webinar 2_Rotulagem nutricional.pdfAndrFonsecaHerrmann
 
Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdf
Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdfAtuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdf
Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdfRita de Cássia Reis Carvalho
 
Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )
Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )
Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )Eduardo Lima
 
Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]slnascimento
 
Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]slnascimento
 
Semaforo nutricional
Semaforo nutricionalSemaforo nutricional
Semaforo nutricionalKarlla Costa
 
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETESMANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETESCreche Segura
 
2 OPerfil da CDL
2 OPerfil da CDL2 OPerfil da CDL
2 OPerfil da CDLiconex
 
Palestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentos
Palestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentosPalestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentos
Palestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentosJGOMES1973
 
Manual de contagem de carboidratos
Manual de contagem de carboidratosManual de contagem de carboidratos
Manual de contagem de carboidratosnatanaelavila
 

Semelhante a Aula rotulagemnutricionaldosalimentos2015 20150912110440 (20)

Rotulagem nutricional
Rotulagem nutricionalRotulagem nutricional
Rotulagem nutricional
 
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
 
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
Rotulagem nutricional obrigatória manual de orientação às indústrias de alime...
 
Manual Industria
Manual IndustriaManual Industria
Manual Industria
 
Guia bolso
Guia bolsoGuia bolso
Guia bolso
 
Anvisa guia bolso
Anvisa guia bolsoAnvisa guia bolso
Anvisa guia bolso
 
A manteiga
A manteigaA manteiga
A manteiga
 
Educação para o consumo saudável
Educação para o consumo saudável Educação para o consumo saudável
Educação para o consumo saudável
 
UPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdf
UPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdfUPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdf
UPA MARAMBAIA - Manual de dietas orais e enteral.pdf
 
Rotulagem codeagro2
Rotulagem codeagro2Rotulagem codeagro2
Rotulagem codeagro2
 
Webinar 2_Rotulagem nutricional.pdf
Webinar 2_Rotulagem nutricional.pdfWebinar 2_Rotulagem nutricional.pdf
Webinar 2_Rotulagem nutricional.pdf
 
Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdf
Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdfAtuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdf
Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis.pdf
 
Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )
Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )
Projeto iogurte milk ( Projeto de disciplina )
 
Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]
 
Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]Cardapio proeti mais_educacao[1]
Cardapio proeti mais_educacao[1]
 
Semaforo nutricional
Semaforo nutricionalSemaforo nutricional
Semaforo nutricional
 
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETESMANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
 
2 OPerfil da CDL
2 OPerfil da CDL2 OPerfil da CDL
2 OPerfil da CDL
 
Palestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentos
Palestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentosPalestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentos
Palestra a importância da rotulagem nutricional dos alimentos
 
Manual de contagem de carboidratos
Manual de contagem de carboidratosManual de contagem de carboidratos
Manual de contagem de carboidratos
 

Último

Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalErikOliveira40
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfEversonFerreira20
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 

Último (20)

Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 

Aula rotulagemnutricionaldosalimentos2015 20150912110440

  • 1. 12/09/2015 1 ROTULAGEM NUTRICIONAL DE ALIMENTOS Prof. Lucas Carvalho VISÃO REGULATÓRIA REGULAÇÃO ANVISA INDÚSTRIA RÓTULO PRODUTO CONSUMIDOR
  • 2. 12/09/2015 2 PRINCIPAIS OBJETIVOS • Informações corretas  credibilidade • Proporcionar escolhas de alimentos mais saudáveis.  Política Nacional de Alimentação e Nutrição/PNAN – Portaria MS nº 710/99. Diretrizes voltadas para redução da prevalência de doenças nutricionais e orientação para consumo de alimentos saudáveis. BRASIL - ANTECEDENTES
  • 3. 12/09/2015 3 • Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados – Resolução Anvisa RDC nº 360/2003. • Porções de Alimentos Embalados para Fins de Rotulagem Nutricional – Resolução Anvisa RDC nº 359/2003. BRASIL - LEGISLAÇÕES  Âmbito de Aplicação Todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e prontos para oferta ao consumidor. Como saber se o produto precisa apresentar informação nutricional? Resolução RDC nº 360/03
  • 4. 12/09/2015 4 • Águas minerais e demais águas envasadas. • Bebidas alcoólicas. • Aditivos alimentares e coadjuvantes de tecnologia. • Especiarias. • Vinagres. • Sal. Quais produtos estão dispensados? Resolução RDC nº 360/03 • Café, erva-mate, chá e outros sem adição de outros ingredientes (ex.: chá com açúcar). • Alimentos preparados e embalados em restaurantes e estabelecimentos comerciais (ex: sobremesas). Quais produtos estão dispensados? Resolução RDC nº 360/03
  • 5. 12/09/2015 5 • Produtos fracionados nos pontos de venda a varejo (queijos, presuntos e salames). • Frutas, vegetais e carnes in natura, refrigerados ou congelados. Quais produtos estão dispensados? Resolução RDC nº 360/03 • Embalagens menores que 100 cm2.  não se aplica a alimentos para fins especiais e com declarações de propriedades nutricionais. Quais produtos estão dispensados? Resolução RDC nº 360/03
  • 6. 12/09/2015 6 • Toda inscrição destinada a informar ao consumidor sobre as propriedades do alimento. Compreende: declaração de valor energético e nutrientes; declaração de propriedades nutricionais (informação nutricional complementar ou claim nutricional). O que é rotulagem nutricional? Resolução RDC nº 360/03 • É qualquer representação que afirme, sugira ou implique que um produto possui propriedades nutricionais em relação ao seu valor energético, conteúdo de proteínas, gorduras, carboidratos, fibra alimentar, vitaminas e minerais. O que é declaração de propriedades nutricionais (INC)? Resolução RDC nº 360/03
  • 7. 12/09/2015 7 Que nutrientes devem ser declarados? • Valor energético – kcal e kJ • Carboidratos – gramas (100-(proteína + gordura + fibra + umidade/matéria sólida + cinzas)) • Proteínas – gramas • Gorduras totais – gramas • Gorduras saturadas – gramas • Gorduras trans* – gramas • Fibra alimentar – gramas • Sódio – miligramas *Folder - http://www.anvisa.gov.br/alimentos/gordura_trans.pdf Resolução RDC nº 360/03 Que nutrientes devem ser declarados?  Quando for realizada informação nutricional complementar (INC) sobre a quantidade e ou tipo de: • carboidratos: deve ser indicada a quantidade de açúcar e do carboidrato objeto da declaração. • gorduras e ou ácidos graxos e ou colesterol: deve ser indicada a quantidade de gorduras saturadas, trans, monoinsaturadas, poliinsaturadas, colesterol e do tipo de gordura objeto da declaração. Resolução RDC nº 360/03
  • 8. 12/09/2015 8 Que nutrientes devem ser declarados?  Exemplo: Claim nutricional – Baixo teor de açúcares Valor energético Carboidratos Açúcares Proteínas Gorduras totais Gorduras saturadas Gorduras trans Fibra alimentar Sódio Resolução RDC nº 360/03 Exemplo: claim nutricional - Não contém lactose Valor energético Carboidratos Açúcares Lactose Proteínas Gorduras totais Gorduras saturadas Gorduras trans Fibra alimentar Sódio Que nutrientes devem ser declarados? Resolução RDC nº 360/03
  • 9. 12/09/2015 9 Exemplo: claim nutricional - baixo (light) em colesterol Valor energético Carboidratos Proteínas Gorduras totais Gorduras saturadas Gorduras trans Gorduras poliinsaturadas Gorduras monoinsaturadas Colesterol Fibra alimentar e Sódio Que nutrientes devem ser declarados? Resolução RDC nº 360/03  A quantidade de qualquernutriente(s) sobre o(s) qual(is) se faça(m) InformaçãoNutricional Complementar.  Exemplo: Fonte de vitaminaA Valor energético Carboidratos Proteínas Gorduras totais Gorduras saturadas Gorduras trans Fibra alimentar Sódio Vitamina A Que nutrientes devem ser declarados? Resolução RDC nº 360/03
  • 10. 12/09/2015 10  Optativamente podem ser declarados vitaminas e minerais.  quantidade igual ou superior a 5% da ingestão diária. Que nutrientes devem ser declarados? Que informações devem ser apresentadas? • Porção: - Grama ou miligrama; - Medida caseira. • Percentual de Valor Diário (% VD)* - Usar Valores Diários de Referência (VDR) e Ingestão Diária Recomendada (IDR). * (%VD) não estabelecido para gorduras trans, mono e poliinsaturadas.
  • 11. 12/09/2015 11 O que é Porção?  Quantidade média do alimento que deve ser consumida por pessoas sadias, maiores de 36 meses, em cada ocasião de consumo com a finalidade de promover uma alimentação saudável. Valores Diários de Referência (VD)? Valor energético – 2000 kcal Carboidratos – 300 g Proteínas – 75 g Gorduras totais – 55 g Gorduras saturadas – 22 g Fibra alimentar – 25 g Sódio 2400 mg Colesterol – 300 mg Cálcio – 1000 mg Ferro – 14 mg
  • 12. 12/09/2015 12 Modelo de rotulagem nutricional INFORMAÇÃO NUTRICIONAL Porção de __ g/ ml (medida caseira) Quantidade por porção % VD(*) Valor Energético kcal = kJ Carboidratos g Proteínas g Gorduras totais g Gorduras Saturadas g Gorduras Trans g -- Fibra Alimentar g Sódio mg Outros Minerais (1) mg ou µg Vitaminas (1) mg ou µg * Valores Diários de referência com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. (1) Quando declarados Rótulos
  • 15. 12/09/2015 15 Exemplo de declaração simplificada Opção 1 Amido de Milho INFORMAÇÃO NUTRICIONAL Porção de 20 g (1 colher de sopa) Quantidade por porção % VD(*) Valor Energético 70 kcal = 293 kJ 4 % Carboidratos 18 g 6% Proteínas 0 g 0 % Gorduras totais 0 g 0 % Gorduras Saturadas 0 g 0 % Gorduras Trans 0 mg 0 % Fibra Alimentar 0 g 0 % Sódio 0 mg 0 % * Valores Diários de referência com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Exemplo de declaração simplificada Opção 2 Incluir frase abaixo da tabela Amido de Milho INFORMAÇÃO NUTRICIONAL Porção de 20 g (1 colher de sopa) Quantidade por porção % VD(*) Valor Energético 70 kcal = 293 kJ 4 % Carboidratos 18 g 6% Não contém quantidades significativas de proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio * Valores Diários de referência com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8400 kJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
  • 16. 12/09/2015 16 Como conhecer o tamanho da porção e a medida caseira correspondente?
  • 17. 12/09/2015 17 Cálculo das informações nutricionais passo a passo • Tabela de Valores de Referência para Porções de Alimentos e Bebidas Embalados para Fins de Rotulagem Nutricional – RDC nº 359/03. • Tabela de Composição Química dos Alimentos ou Banco de dados ou Laudo de Análise Físico-química do Produto. Tabela de Composição Química dos Alimentos - UNIFESP http://www2.unifesp.br/dis/servicos/nutri/public/
  • 18. 12/09/2015 18 • EXEMPLO: - Produto: Bolo com 425g - Ingredientes: 100g de farinha de trigo 80g de açúcar refinado 80g de água 50g de ovo (1 unidade) 30g de gordura vegetal hidrogenada 20g de coco ralado 6g de fermento em pó Obs.: nos casos em que a medida caseira não está determinada na tabela, ver como realizar os cálculos na RDC nº 359/03.
  • 20. 12/09/2015 20 100g de farinha de trigo – 75,1g em 100g 80g de açúcar refinado – 99,5g em 100g / 79,6g em 80g 80g de água – não apresenta carboidratos 50g de ovo (1 unidade) – 1,6g em 100g / 0,8g em 50g 30g de gordura vegetal hidrogenada – não apresenta carboidratos 20g de coco ralado – 10,4g em 100g / 2,08g em 20g 6g de fermento em pó – 43,9g em 100g / 2,63g em 6g TOTAL DE CARBOIDRATOS – 160,21g em 425g de bolo PORÇÃO de 60g – 22,62g de carboidratos Como calcular a quantidade de CARBOIDRATOS? 100g de farinha de trigo – 9,8g em 100g 80g de açúcar refinado – 0,3g em 100g / 0,24g em 80g 80g de água – não apresenta proteínas 50g de ovo (1 unidade) – 13g em 100g / 6,5g em 50g 30g de gordura vegetal hidrogenada – não apresenta proteínas 20g de coco ralado – 3,7g em 100g / 0,74g em 20g 6g de fermento em pó – 0,5g em 100g / 0,03g em 6g TOTAL DE CARBOIDRATOS – 17,31g em 425g de bolo PORÇÃO de 60g – 2,44g de proteínas Como calcular a quantidade de PROTEÍNAS?
  • 21. 12/09/2015 21 100g de farinha de trigo – 1,4g em 100g 80g de açúcar refinado – traço 80g de água – não apresenta lipídeos 50g de ovo (1 unidade) – 8,9g em 100g / 4,45g em 50g 30g de gordura vegetal hidrogenada – 100g em 100g / 30g em 30g 20g de coco ralado – 42g em 100g / 8,4g em 20g 6g de fermento em pó – 0,1g em 100g / 0,006g em 6g TOTAL DE CARBOIDRATOS – 44,26g em 425g de bolo PORÇÃO de 60g – 6,25g de gorduras totais Como calcular a quantidade de GORDURAS TOTAIS/LIPÍDEOS? Seguir a mesma lógica para: • GORDURAS SATURADAS • GORDURAS TRANS (de acordo com o laudo de análise) • FIBRA ALIMENTAR • SÓDIO
  • 22. 12/09/2015 22 Como calcular o VALOR ENERGÉTICO? Carboidratos fornecem 4 kcal/g – 17 kJ/g Proteínas fornecem 4 kcal/g – 17 kJ/g Gorduras fornecem 9 kcal/g – 37 kJ/g Nutrientes 1 porção de bolo (60g) Fator de Conversão (kcal/g) Kcal por porção Carboidratos 22,62g 4 90,48 Proteínas 2,44g 4 9,76 Gorduras totais 6,25g 9 56,25 TOTAL de kcal por porção de 60g de bolo = 156,49 Regras para declaração e arredondamento dos resultados
  • 23. 12/09/2015 23 Regras para declaração e arredondamento dos resultados ... e assim para os outros! Como calcular os percentuais de Valores Diários (%VD) e arredondar os resultados
  • 25. 12/09/2015 25 O que é COMPLIANCE? COMPLIANCE RDC nº 360/2003: ± 20% do declarado
  • 26. 12/09/2015 26 COMPLIANCE EXCEÇÕES (POLÍTICA DA EMPRESA): 1 – nutrientes considerados negativos do ponto de vista de saúde, como sódio, gordura saturada, gordura trans e colesterol: considerar limite máximo de 120% do valor declarado ou disponibilizar JT que comprove variação de processo/MP que não apresenta oportunidade de correção. 2 – fibras: por este nutriente apresentar benefícios à saúde, serão considerados compliance produtos que apresentarem teores acima de 120%. COMPLIANCE Nível Confiança Situação de avaliação 2 alta Todos os parâmetros avaliados apresentaram nível 2 1 média Pelo menos 1 parâmetro avaliado apresentou nível 1 e nenhum parâmetro avaliado apresentou nível 0 0 baixa Pelo menos 1 parâmetro avaliado apresentou nível 0