SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 108
Instrumentos de
Renda Fixa,
Renda Variável e
Derivativos Prof. Milton Henrique do Couto Neto
miltonhenrique@mhempresarial.com
Quem sou eu?
Prof. Milton Henrique do Couto Neto
miltonhenrique@mhempresarial.com
Administração, Estácio
Engenharia Mecânica, UFF
MBA em Gestão Empresarial, UVV
MBA em Marketing Empresarial, UVV
Mestrado Acadêmico em Administração, UFES
Pós-MBA em Inteligência Empresarial, FGV
http://lattes.cnpq.br/8394911895758599
https://br.linkedin.com/in/miltonhenrique
Experiência como Professor Universitário
(graduação e pós-graduação)
Disciplinas Lecionadas
Graduação
 Administração de Materiais
 Economia da Engenharia
 Economia Empresarial
 Empreendedorismo
 Engenharia de Manutenção e Confiabilidade
 Engenharia de Métodos
 Fundamentos da Administração
 Gestão de Marketing
 Gestão de Processos e Empresas
 Gestão de Vendas
 Gestão Financeira e Orçamentária
 Marketing de Relacionamento
 Matemática Básica
 Matemática Financeira
 Novas Abordagens em Administração
 Planejamento Estratégico da Produção
 Plano de Negócios
 Tópicos Especiais em Administração
Pós-Graduação
 Comportamento do Consumidor
 Consultoria de RH
 E-commerce e Marketing Digital
 Endomarketing e Comunicação Corporativa
 Estratégia Competitiva de Preços
 Estudo de Viabilidade Econômico Financeira
 Formação do Preço de Venda no Varejo
 Gestão de Tesouraria
 Marketing Competitivo, Criatividade e
Inovação
 Matemática Financeira
 Pesquisa de Marketing
 Políticas e Modelos de Financiamento
 Teoria do Desenvolvimento Organizacional
Experiência como Gestor
Empresário de
diversos setores
... 2006
2006 2012
2012 2013
2013
20152014
2008
2016
Cursos,
Palestras,
Treinamentos e
Consultorias
miltonhcoutomiltonhenrique miltonhcouto
miltonhenrique@mhempresarial.com
Contatos
Este e outros arquivos estão
disponíveis para download no
www.slideshare.net/miltonh
E vocês, quem são?
Sistema Financeiro
Agente
Superavitário
Agente
Deficitário
Razões Para Fazer a Riqueza Aumentar
• Estamos ficando velhos...
• Além disso:
• Vivemos num mundo de incertezas
• A inflação pode corroer o que já temos
• Os nossos desejos são ilimitados
Investimento
Aplicar hoje para ter
mais ainda no futuro
Investimentos
Otimizar
Retorno
Prazo
Proteção
Maior retorno Maior risco
Menor retorno Menor risco
Equilíbrio
Investimentos
Renda
Variável ou Fixa
Prazo
Variável ou Fixa
Emissão(garantia)
Privada ou Pública
Investimentos
Renda Fixa Renda Variável
Pré-fixado
Pós-fixado
Renda Fixa
Tem
Vencimento
Certo
Tem uma taxa
de juros
conhecida na
contratação
Pode ter ou
não garantia
adicional
Geralmente o Valor Principal é preservado!
Você compra
uma dívida
Renda Variável
Não Tem um
Vencimento
Certo
Não Tem uma
taxa de juros
conhecida na
contratação
Não se
Relaciona com
Dívida, mas
com
Propriedade
Não há garantia alguma do Valor Principal!
Você compra
uma
propriedade
Para uma Empresa Crescer
Capital “Próprio”
Ações
Renda Variável
Capital de Terceiros
Dívida
Renda Fixa
Investimentos
Renda Fixa
• CDB
• CDI
• Letras do Tesouro Nacional
• Letras de Crédito
Imobiliário
• Letras de Crédito do
Agronegócio
• Letra de Câmbio
Renda Variável
• Abertura de um novo
negócio
• Investimento em ações
• Commodities
• Derivativos
Sugestão: Regra dos 100
Idade
Renda
Fixa
Renda
Variável
%
Investimento
70%
30%
30 anos 70 anos
Com 30 anos
Com 70 anos
 30% Renda Fixa
 70% Renda Variável
 70% Renda Fixa
 30% Renda Variável
Mais arriscado!
Mais conservador!
Depósito Compulsório
• O depósito compulsório é um dos instrumentos que o BC (Banco
Central) usa para controlar a quantidade de dinheiro que circula
na economia
• O mecanismo influencia o crédito disponível e as taxas de juros
cobradas
• É geralmente feito através de determinação legal, obrigando os
bancos comerciais e outras instituições financeiras a
depositarem, junto ao Banco Central, parte de suas captações
em depósitos à vista, a prazo ou poupança
Depósito Compulsório (Exemplo)
Depósitos: R$ 20 MM
Títulos: R$ 60MM
Compulsório: R$ 40MM
Falta: R$ 20MM
Depósitos: R$ 60 MM
Títulos: R$ 20MM
Compulsório: R$ 40MM
Sobra: R$ 20MM
Não pode
depositar títulos
Ficar com dinheiro
parado é ruim
Depósito Compulsório (Exemplo)
Depósitos: R$ 20 MM
Títulos: R$ 60MM
Compulsório: R$ 40MM
Falta: R$ 20MM
Depósitos: R$ 60 MM
Títulos: R$ 20MM
Compulsório: R$ 40MM
Sobra: R$ 20MM
Passa R$ 20MM em TÍTULOS
Recebe R$ 20MM em DINHEIRO
Remuneração dos Títulos:
se Públicos – SELIC “OVER”
se Privados – CDI
Formas de Depósito em Conta Corrente
• Depósito à Vista
• Pode ser sacado a qualquer momento
• Não tem remuneração
• Depósito à Prazo
• Tem remuneração
• Nem sempre pode ser sacado a qualquer momento
CDB
O banco não pode “usar” muito, por que a
qualquer momento você pode querer sacar
O banco pode “usar” muito, por que, a
princípio, você informou que não sacaria logo
Renda Fixa
CDB – Certificado de Depósito Bancário
• Geralmente negociado para 1 ano ou 2 anos
• Quanto mais prazo, maior o rendimento
• Título privado (emitido pelo banco)
• Bancos menores remuneram mais (maior risco)
• Tem garantia do FGC (atualmente até R$ 250.000,00 por CPF)
• Tem remuneração atrelada ao CDI (Interbancário)
Diferença entre CDB e RDB
• RDB é mais inflexível
• RDB tem que aguardar até o vencimento
• RDB tem pouca (ou nenhuma!) liquidez
Certificado de Depósito
Bancário
Recibo de Depósito
Bancário
Diferença entre CDB e LF
• Rentabilidade maior que os demais títulos de Renda Fixa
• Tem incidência menor de Imposto de Renda;
• Investimento mínimo de 150 mil;
• Prazo longo (no mínimo dois anos);
• Impossibilidade de resgate antes do vencimento;
• Não há proteção do FGC;
Certificado de Depósito
Bancário
Letra Financeira
LF
Depósito a Prazo com Garantia Especial
• O limite da garantia oferecida pelo FGC é de até R$
20.000.000,00 (vinte milhões de reais) por CPF por instituição.
• A emissão desse título está condicionada à autorização do FGC e
consequente alienação fiduciária de uma carteira de recebíveis
ao fundo;
• Embora possa ser emitido por qualquer banco, é um
instrumento mais utilizado por bancos menores que precisam
captar recursos do mercado com garantia especial;
• O prazo de vencimento deve ser, no mínimo, de 12 meses e no
máximo 60 meses (5 anos);
Letra de Crédito Imobiliário - LCI
Preciso financiar:
R$ 500.000,00
Em 30 anos
O prazo é muito longo para o banco
me emprestar lastreado em CDB
De onde vem o
dinheiro que o
banco me
empresta???
LCI
Garantia Real
Alienação Fiduciária
Letra de Crédito do Agronegócio - LCA
Quanto tempo demora, desde a compra da semente, preparação do solo
(desembolso de dinheiro), até a venda (reembolso de dinheiro)???
LCA
Característica Importante das LCI e LCA
• Para PF não há Imposto de Renda
Por que???
Geração de emprego e renda!
Títulos Públicos Federais
• Quando o governo “fecha no vermelho”, ele vende títulos para
cobrir sua dívida
Quase sempre acontece,
pois o governo tem que
gerar emprego!
Lógica do
Governo
Gera
Emprego
Gera
Renda
Gera
Consumo
Gera
Imposto
Lógica do Mercado
• Como o governo precisa sempre de dinheiro emprestado, ele
tem que ser um bom pagador!
Títulos Públicos Federais
são de baixíssimo risco!
Título Rendimento Remuneração do título
Tesouro Prefixado 20XX (LTN) Taxa Contratada Somente no vencimento
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 20XX
(NTN-F)
Taxa Contratada Semestral e no vencimento
Tesouro IPCA+ 20XX (NTN-B Principal)
IPCA + Taxa
Contratada
Somente no vencimento
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 20XX
(NTN-B)
IPCA + Taxa
Contratada
Semestral e no vencimento
Tesouro Selic 20XX (LFT) Selic + Taxa Contratada Somente no vencimento
Tesouro Direto
Cupom (Bonds)
VP
VF
VP
VF
Juros Semestrais
Operação sem Cupom Operação com Cupom
Debêntures
• Títulos de renda fixa emitidos por empresas de sociedade
anônimas (S/A) para captação de recursos de longo prazo
Capital “Próprio”
Ações
Renda Variável
Capital de Terceiros
Dívida
Renda Fixa
Debêntures
Garantia das Debêntures
• Real
• Garantia real constando na escritura, que não pode ser alterada;
• Flutuante
• Garantia real constando na escritura, mas que pode ser alterada
por outra de igual valor, a qualquer tempo;
• Quirografária
• Sem garantia real. Os investidores concorrem em igualdade de
condições com os demais credores quirografários (sem
preferência), em caso de falência da companhia;
• Subordinada
• O que difere essa garantia da quirografária é o fato de que o
detentor das debêntures será o último da fila para receber;
+ garantia
- rendimento
- garantia
+ rendimento
Escritura da Debênture
• A escritura de uma debênture especifica:
• os direitos dos investidores,
• deveres dos emitentes,
• todas as condições da emissão,
• os pagamentos dos juros,
• prêmio e principal,
• além de conter várias cláusulas padronizadas restritivas e
• referentes às garantias (se a debênture for garantida)
Agente Fiduciário da Debênture
• Protege o interesse dos debenturistas exercendo uma fiscalização
permanente e atenta, verificando se as condições estabelecidas na
escritura da debênture estão sendo cumpridas
• É a empresa emissora do debênture que escolhe quem vai lhe
fiscalizar, mas se o “fiscal for fraco” ninguém compra a debênture
Função do Agente Fiduciário:
 Executar garantias reais, receber o produto da cobrança e aplicá-lo no pagamento, integral ou
proporcional, dos debenturistas;
 Requerer falência da emitente, se não existirem garantias reais;
 Representar os debenturistas em processos de falência, concordata, intervenção ou liquidação
extrajudicial da emitente, salvo deliberação em contrário da assembleia dos debenturistas;
 Tomar qualquer providência necessária para que os debenturistas realizem os seus créditos;
Debêntures Incentivadas
As empresas dos segmentos listados
abaixo podem solicitar ao ministério a
qual é vinculada uma autorização para
emitir debêntures incentivadas.
a) Logística e transporte;
b) Mobilidade urbana;
c) Energia;
d) Telecomunicações;
e) Radiodifusão;
f) Saneamento básico; e
g) Irrigação.
Características das Debêntures incentivadas:
Isenção de IR para PF;
IR para PJ de 15%;
Vencimento mínimo de 48 meses;
Prazo mínimo para resgate de 24 meses;
Notas Promissórias – NP
• Títulos de renda fixa emitidos por empresas de sociedade
anônimas (S/A) para captação de recursos de curto prazo
Capital “Próprio”
Ações
Renda Variável
Capital de Terceiros
Dívida
Renda Fixa
Debêntures
(longo prazo)
NP (curto prazo)
Renda Variável
Você gostaria de ser sócio destas empresas?
Ações
Representam parcelas do capital de uma empresa, podendo ser ações
ordinárias ou preferenciais.
Empresa
Ação
Tipos de Ações
• Ordinárias
• Dão direito a voto nas assembleias
• Preferenciais
• Não dão direito a voto nas assembleias
• Mas em compensação, dão preferência no recebimento dos dividendos
• Dividendos maiores que as ordinárias (pelo menos 10% maior)
• No máximo 50% das ações podem ser preferenciais
• No caso de ficar 3 anos consecutivos sem lucro a ação passa a ter direito
a voto na assembleia
Controlador da Empresa
• Precisa ter 50% + 1 das ações ordinárias
IPO – Oferta Pública de Ações
Initial Public Offering
Mercado Primário e Mercado Secundário
• Mercado Primário
• Compreende o lançamento de novas
ações no mercado, com aporte de
recursos à companhia
• Mercado Secundário
• Uma vez ocorrendo o lançamento
inicial ao mercado, as ações passam a
ser negociadas no Mercado
Secundário, que compreende as bolsas
de valores
Tipos de Ação
• "blue chips" ou de 1ª linha
• são ações de grande liquidez
• em geral de empresas tradicionais, de grande porte/âmbito
nacional e excelente reputação;
• de 2ª linha
• são ações um pouco menos líquidas
• de empresas de boa qualidade, em geral de grande e médio
portes;
• de 3ª linha
• são ações com pouca liquidez
• em geral de companhias de médio e pequeno portes
Codificação de Ações
• Petrobrás
• PETR3: Petrobrás Ordinária
• PETR4: Petrobrás Preferencial
• Vale
• VALE3: Vale Ordinária
• VALE5: Vale Preferencial de Classe A
Lote de Ações
• Padrão
• Títulos de características idênticas e em quantidade
pré-fixada pelas bolsas de valores;
• Fracionário
• Qualquer lote que não contenha um número de
unidades igual ao múltiplo inteiro do lote padrão.
Formação do Preço
• Ao iniciar o pregão de um dia de negociações, cada ação
tem um preço referencial.
Este preço foi a cotação de fechamento do dia anterior.
Ele é influenciado por diferentes fatores, tais como:
• Fluxo de oferta e procura da ação
• Comportamento histórico dos preços
• Projeção da performance da empresa
• Notícias sobre a empresa
Formação de Preço
OfertaProcura R$ 1,00
Conceito Básico
• Por que o mercado sobe?
• Por que existe mais gente comprando do que vendendo
• Por que o mercado cai?
• Por que existe mais gente vendendo do que comprando
Formas de Rentabilidade
Dividendo
Juros sobre o Capital Próprio
Bonificações em Ações
Bonificações em Dinheiro
Direito de Subscrição
Venda de Direitos de Subscrição
Formas de Ganhar Dinheiro com Ações
• Pagamento de Dividendos
(Buy-and-Hold)
• Parte do lucro da empresa
que é dividido aos acionistas
• Rentabilidade (Compra e
Venda)
• A empresa, quando bem
administrada, cresce e tem a
perspectiva de lucrar mais
no futuro
Buy and Hold
Empresa
Empresa
Empresa
Lucro
Lucro
Lucro
2019
Preço Ação = R$ 50,00
Dividendos = R$ 5,00
2018
Preço Ação = R$ 40,00
Dividendos = R$ 4,00
2017
Preço Ação = R$ 30,00
Dividendos = R$ 3,00
Comportamento Bolsa e Dólar
Bolsa em
Alta
Investidores do
mundo inteiro se
interessam e
“entram” no Brasil
Muito Dólar para
trocar por Real –
Sobra Dólar
Dólar em
Queda
Cenário 1
Comportamento Bolsa e Dólar
Dólar em
Alta
Os investidores
perdem o interesse
e “saem” do Brasil
Muito Real para
trocar por Dólar -
Falta Dólar
Bolsa em
Queda
Cenário 2
Bolsa de Valores
Locais que oferecem condições e sistemas necessários
para a realização de negociação de compra e venda de
títulos e valores mobiliários de forma transparente
BM&FBOVESPA
Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros
Bolsa de
Mercadorias &
Futuros
Bovespa
+
B3
Corretoras de Valores
A Corretora de Valores é a parceira de investimentos do investidor.
• Oferece ajuda para escolher as ações, de acordo com o objetivo financeiro;
• Suporte necessário para entender o funcionamento da Bolsa;
• Definição do perfil de investidor;
• Diversos serviços, como home broker, relatórios de recomendação de ações,
informativos, etc.
• Assessoria de profissionais especializados em análise de mercado, de setores da
economia e de companhias. Por acompanharem o mercado o tempo todo,
avaliando os principais acontecimentos, as empresas que estão progredindo e os
fatores que podem gerar mudanças de cenário, as Corretoras prestam um
serviço essencial aos investidores;
• Informar sobre novos produtos no mercado, para garantir a diversificação da
carteira de investimentos;
• Informar sobre o recebimento de dividendos e outros bônus que as empresas
pagam aos acionistas.
Taxas e Custos Operacionais - Corretoras
• As taxas são cobradas pelas corretoras, e são livremente
pactuadas entre elas e os clientes.
As principais taxas são:
• corretagem: cobrada quando da compra ou venda em Bolsa;
• serviços de custódia: para os títulos mantidos em custódia na corretora;
• administração: em casos em que o cliente contrata o serviço de
administração de carteira;
• performance: vinculada à taxa de administração de carteira;
• consultoria técnica: em casos em que o cliente contrata estes serviços
com a corretora.
Taxas e Custos Operacionais - Demais
• Emolumentos
• São pagos à Bovespa como taxa de operação, constituindo-se num
percentual do valor de compra ou venda
• Taxa de Liquidação
• É paga à CLBC na compra e na venda, para custear as liquidações de
ativos
Fundos de Índices - ETFs
Os fundos de índices, conhecidos no mundo todo como ETFs
(Exchange Traded Funds), são fundos espelhados em índices e
suas cotas são negociadas em Bolsa da mesma forma que as
ações.
O investidor pode escolher entre vários tipos de ETF, em função
de suas preferências e estratégias, já que cada ETF é
referenciado em índices que acompanham um setor como: o
imobiliário, de consumo, de instituições financeiras, entre
outros.
Exemplos de ETFs
• ISHARES BOVA CI (BOVA11)
• Baseados no Ibovespa, que mede o retorno de um investimento em
uma carteira teórica composta pelas ações de empresas que respondem
por mais de 80% do número de negócios e do volume financeiro da
Bolsa.
• ISHARES BRAX CI (BRAX11)
• Baseados no Índice Brasil (IBrX 100), que mede o retorno de um
investimento em uma carteira teórica composta pelas 100 ações mais
negociadas na BM&F Bovespa, em termos de número de negócios e
volume financeiro
Exemplos de ETFs
• IT NOW IDIV CI (DIVO11)
• Baseado no Índice Dividendos BM&F Bovespa, que mede o retorno de
um investimento em uma carteira teórica composta pelas ações das
empresas que se destacaram em termos de remuneração dos
investidores, sob a forma de dividendos e juros sobre o capital próprio.
• ISHARES MOBI CI (MOBI11)
• Baseados no Índice BM&F Bovespa Imobiliário, que mede o retorno de
uma carteira teórica composta por ações emitidas pelas empresas mais
representativas na BM&F Bovespa dos seguintes setores do ramo
imobiliário: construção civil, intermediação imobiliária e exploração de
imóveis.
Decisão de Investimento
•Traduz-se em uma
destas quatro
alternativas:
• comprar;
• vender;
• não comprar;
• não vender
Análises de Investimento em Bolsa
Fundamentalista
Fundamentos da
macroeconomia, do setor e
da empresa;
Lucros obtidos,
investimentos, perspectivas
e projeções de lucro e a
capacidade de gerar receita
são dados relevantes;
Através do Fluxo de Caixa
Descontado é determinado
o Preço Justo da Ação
Técnica
Modelos estatísticos e
padrões psicológicos de
massa;
Os grafistas usam o
passado para entender o
futuro;
Identificam tendências de
alta ou de baixa,
considerando que
investidores agem sempre
de maneira similar em
circunstâncias similares
Análise Fundamentalista
1) Análise de mercados baseada nos fatores e fundamentos
econômicos.
Depende de estatísticas, projeções, condições de oferta e
demanda de bens e serviços e os fundamentos da economia e
das empresas.
2) Metodologia para determinar o preço justo de uma ação, que
se fundamenta na expectativa de lucros futuros.
As análises do balanço e do relatório da administração da
companhia são ferramentas de trabalho diário do analista.
Análise Técnica
• Premissas
• Os gráficos descontam tudo
• O mercado se move seguindo certos padrões
• Esses padrões se repetem ao longo do tempo
Análise Técnica
• Análise de mercado baseada na interpretação de gráficos de preços,
volumes e outros indicadores, com a finalidade de projetar as
tendências de um mercado no futuro.
• Metodologia para estudar o movimento de preços das ações,
relacionados aos volumes negociados, para determinar tendências de
alta, estabilidade ou de baixa, em busca da oportunidade de comprar e
vender ações a preços compensadores.
• Mostra como os preços se comportaram no passado, e projeta uma
série de expectativas de movimentos de preços no futuro.
Objetivos da Escola Técnica
• Conhecer e mensurar a Lei de Oferta e Procura;
• Identificar oportunidades de operações atraentes e as melhores
situações de retorno em relação ao risco;
• Otimizar as entradas e saídas do mercado;
• Determinar limites nas oscilações dos preços;
• Estabelecer estratégias de risco.
Linhas de Tendência
• Tendência de Alta
• Topos e fundos ascendentes ao longo do tempo
• Tendência de Lateralização
• Topos e fundos em níveis próximos
• Tendência de Baixa
• Topos e fundos descendentes ao longo do tempo
Tendência de Alta
Tendência de Baixa
Suporte e Resistência
• Resistência
• Nível de preço onde os interesses dos vendedores é suficientemente
forte para se sobre por a pressão compradora
• Suporte
• Nível de preço onde os interesses dos compradores é suficientemente
forte para se sobrepor a pressão vendedora
Exemplo:
Resistência virando suporte:
June July A ugust September October November December 2002 February March A pril May
BRTP4 (17.15, 17.40, 17.01, 17.30)
June July August September October November December 2002 February March April May
5000
10000
15000
20000
25000
x100000
9.5
10.0
10.5
11.0
11.5
12.0
12.5
13.0
13.5
14.0
14.5
15.0
15.5
16.0
16.5
17.0
17.5
18.0
18.5
19.0
19.5
20.0
20.5
21.0
21.5
Zona de Suporte
Zona de Resistencia
Resistencia
BRTP4 (17.15, 17.40, 17.01, 17.30)
Regra de Ouro
Compre próximo ao Suporte!
Venda próximo a Resistência!
Evite o Efeito Manada!
Comprar porque todo mundo comprou!
Vender porque todo mundo vendeu!
Recibo de Depósito de Ação (ADR e BDR)
• ADR’s - American Depositary Receipt: São títulos de empresas
com sede fora dos EUA e com títulos negociados na bolsa de
valores daquele país. A Petrobrás, ao negociar recibos nos EUA,
vai negociar ADR
• BDR’s - Brazilian Depositary Receipt: São títulos de empresas
com sede fora do Brasil com títulos negociados aqui na B3. A
Apple, ao negociar títulos aqui no Brasil, vai negociar BDR
Derivativos
Derivativos
• Possibilitam que o investidor tenha acesso a um ativo, via de
regra, com outro ativo ou até mesmo por uma fração do preço
do ativo objeto
• O objetivo de um derivativo é a transferência de risco
• Quando um investidor procura se proteger de algum risco
específico, ele contrata um derivativo que o manterá
posicionado com a proteção
Tipos de Derivativos
• Derivativos agropecuários: têm como ativo objeto commodities
agrícolas, como café, boi, milho, soja e outros;
• Derivativos financeiros: têm seu valor de mercado referenciado
em alguma taxa ou índice financeiro, como taxa de juro, taxa de
inflação, taxa de câmbio, índice de ações e outros;
• Derivativos de energia e climáticos: têm como objeto de
negociação energia elétrica, gás natural, créditos de carbono e
outros.
Derivativos (Transferência do Risco)
Depende
(risco)
Derivativos (Transferência do Risco)
Depende
(risco)
Plantador de Batata
Derivativos
• O Plantador de Batata tem
medo que o preço da batata
caiano futuro
• O McDonalds tem medo
que o preço da batata
subano futuro
Derivativos
• Imagine que você vai plantar batata e o seu custo de
comprar semente, plantar, adubar, colher e
transportar seja de R$ 40,00 a saca
• Para ter lucro precisará vender por pelo menos R$
50,00 a saca
• Só que existem milhões de produtores de batata que
irão colher na mesma época e isso pode fazer o
preço da saca despencar para R$ 30,00 a saca
(prejuízo de R$ 10,00 a saca)
Derivativos
• Neste caso eu posso vender um contrato futuro de
batata na B3 a R$ 50,00 a saca
• Aconteça o que acontecer, a batata será vendida por
R$ 50,00 a saca
• Transferindo o risco para o comprador
• Foi feito um hedge (proteção)
Derivativos
•Os derivativos são usados para
se proteger contra a queda ou
alta de preços dos ativos
Transações no Mercado de Derivativos
• Mercado de Swap;
• Mercado a Termo;
• Mercado de Opções;
• Mercado Futuro.
Mercado de Swap
• O Hedger (que busca a proteção) possui um ativo financeiro e
gostaria de proteger esse ativo de eventuais mudanças no preço
que iriam contra seu objetivo
• Essa troca de indexadores pode ser feita por indexadores de taxa
juros, moedas ou índice de preços
• Não dá pra negociar um swap com outro investidor, tem que ser
uma instituição financeira
SWAP = Troca
Mercado Swap (Exemplo)
• Imagine que XYZ tenha R$ 1.000.000,00 aplicados num CDB que
rende 100% do CDI
• Pense que a taxa de juros esteja com forte tendência de queda e,
por isso, o rendimento desse CDB vai acompanhar essa queda
• Para proteger essa posição, a diretora financeira aqui escola vai
até o banco e faz um swap de CDI x Pré a uma taxa de 7% a.a
Mercado Swap (Exemplo)
Cenário de Baixa Cenário de Alta
5%aa 10%aa
Valor Base R$ 1.000.000,00 R$ 1.000.000,00
Rendimento Ponta Ativa 7% R$ 70.000,00 R$ 70.000,00
Rendimento Ponta Passiva CDI R$ 50.000,00 R$ 100.000,00
Ajuste das Pontas R$ 20.000,00 R$ (30.000,00)
Saldo Total da Operação
(Valor + Ponta Passiva + Ajuste)
ou
(Valor + Ponta Ativa)
R$ 1.070.000,00 R$ 1.070.000,00
Ponta Passiva = Antigo Indexador
Ponta Ativa = Novo Indexador
Mercado de Opções
• É um contrato que dá a seu detentor ou comprador o direito,
mas não o dever, de comprar, se for uma opção de compra, ou
vender, se for uma opção de venda, determinado ativo objeto,
pelo preço de exercício
Lançador ou Titular ou
Mercado de Opções (Termos)
• Call = Chamar → Opção de Compra
• Put = Empurrar → Opção de Venda
• Lançador → Player que vende a opção no mercado financeiro
• Titular de opção → Player que compra a opção no mercado e, portanto, tem o
direito de exercer a operação
• In the Money → Situação onde exercer uma opção representa lucro para seu
titular;
• Out the Money → Situação onde exercer uma opção representa prejuízo do seu
titular;
• At the Money → Situação onde exercer uma opção não representa lucro nem
prejuízo.
Mercado de Opções (Exemplo)
• Imagine que você tenha em sua carteira ações da XYZ que foram
compradas por R$ 20,00. Você gostaria de “travar” o preço de sua ação a
R$ 21,00 para que não perca em caso de desvalorização do papel
• O que você precisa fazer? Comprar uma call? Uma put? Pagar ou receber o
prêmio?
• Você quer ter a opção de vender sua ação da XYZ a R$ 21,00 daqui a 3
meses. Se você quer vender, então você deve comprar uma put (opção de
venda) que lhe conferirá o direito de vender essa ação a R$ 21,00
• Por essa opção, ele pagará um prêmio, que é considerado a perda máxima
nesse mercado. Vamos assumir que o prêmio pago por essa opção seja de
um R$ 1,00
Mercado de Opções (Exemplo)
Strike Prêmio
Preço de
Mercado
Exerce o
Direito?
Resultado
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 0,00
SIM
R$ 20,00
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 19,00
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 15,00 R$ 5,00
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 20,00 R$ 0,00
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 21,00 SIM / NÃO R$ (1,00)
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 22,00
NÃO
R$ (1,00)
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 25,00 R$ (1,00)
R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 30,00 R$ (1,00)
In the money
Out the money
At the money
Preço combinado para exercício da opção
Mercado de Opções
• O titular pagou o prêmio e, por isso, tem o direito de exercer a opção
• O lançador recebeu o prêmio e, por isso, tem obrigação de comprar
ou vender, se for exercido
Titular da Opção [ - Prêmio , + ∞ [ no máximo perco o prêmio
Lançador da Opção ] - ∞ , + Prêmio ] no máximo ganho o prêmio
Resultado Financeiro
Mercado de Opções
•o investidor que compra uma
opção de venda está apostando na
queda do preço do ativo
•o investidor que compra uma
opção de compra está apostando
na alta do preço do ativo
Mercado a Termo
• No mercado a termo as partes são obrigadas a exercer o que foi
acordado no início
Lembre-se do exemplo:
Mercado Futuro
Negociar no presente a venda ou compra de um ativo que será
entregue no futuro pelo preço combinado hoje
Algumas características do Mercado Futuro:
• Contratos padronizados: nesse tipo de operação a negociação é padronizada para todos os
clientes, ou seja, taxa, prazo e preço são iguais para todos os clientes. O contrato é listado na
bolsa de valores (B3);
• Margem de Garantia: O investidor que entra nesse mercado precisa alocar, como garantia, um
valor junto a B3, que servirá como garantia da operação. Quando o contrato é liquidado a B3
devolve a margem de garantia;
• Liquidação antecipada: não existe a possibilidade de liquidação antecipada desse contrato, no
entanto, o investidor pode inverter sua operação anulando sua exposição ao contrato;
• Ajuste diário: a cotação dos ativos subjacentes e dos contratos são atualizadas diariamente e
pode haver um ajuste negativo ou positivo na conta das contrapartes;
• Risco de contraparte: a B3, ao recolher a margem de garantia dos investidores, assume para si o
risco de contraparte da operação.
Mercado Futuro (Exemplo)
O plantador de batata vende um contrato futuro de batata a R$ 50,00
a saca e deposita como Margem de Garantia R$ 10,00:
Dia Valor
Combinado
Margem de
Garantia
Cotação no
Mercado
Ajuste
Diário
Resultado
(Cotação + Ajuste Diário)
1 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 60,00 R$ (10,00) R$ 50,00
2 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 55,00 R$ (5,00) R$ 50,00
3 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 50,00 R$ 0,00 R$ 50,00
4 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 45,00 R$ 5,00 R$ 50,00
5 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 40,00 R$ 10,00 R$ 50,00
.
.
.
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema financeiro nacional
Sistema financeiro nacionalSistema financeiro nacional
Sistema financeiro nacional
Paula Querino
 
Educação Financeira - Prof. Pio
Educação Financeira - Prof. PioEducação Financeira - Prof. Pio
Educação Financeira - Prof. Pio
Centro Tecnologico
 
Metodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradasMetodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradas
simuladocontabil
 
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Daniel Moura
 

Mais procurados (20)

Educação Financeira
Educação FinanceiraEducação Financeira
Educação Financeira
 
Introdução às Finanças Pessoais ]
Introdução às Finanças Pessoais ]Introdução às Finanças Pessoais ]
Introdução às Finanças Pessoais ]
 
Fluxo de Caixa: teoria e prática
Fluxo de Caixa: teoria e práticaFluxo de Caixa: teoria e prática
Fluxo de Caixa: teoria e prática
 
Planejamento Financeiro na Prática
Planejamento Financeiro na PráticaPlanejamento Financeiro na Prática
Planejamento Financeiro na Prática
 
Análise de investimentos
Análise de investimentosAnálise de investimentos
Análise de investimentos
 
Fluxo de caixa
Fluxo de caixaFluxo de caixa
Fluxo de caixa
 
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de CapitaisAula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
Aula 1 - Sistema Financeiro e Instituições do Mercado Financeiro e de Capitais
 
Aula 8 - Fluxo de caixa
Aula 8 - Fluxo de caixaAula 8 - Fluxo de caixa
Aula 8 - Fluxo de caixa
 
Educação financeira
Educação financeiraEducação financeira
Educação financeira
 
Aula 1- Analise de Investimento
Aula 1- Analise de InvestimentoAula 1- Analise de Investimento
Aula 1- Analise de Investimento
 
Palestra Educação e Planejamento Financeiro Pessoal
Palestra Educação e Planejamento Financeiro PessoalPalestra Educação e Planejamento Financeiro Pessoal
Palestra Educação e Planejamento Financeiro Pessoal
 
Sistema financeiro nacional
Sistema financeiro nacionalSistema financeiro nacional
Sistema financeiro nacional
 
A Importância da Gestão Financeira nas Empresas
A Importância da Gestão Financeira nas EmpresasA Importância da Gestão Financeira nas Empresas
A Importância da Gestão Financeira nas Empresas
 
Palestra: Gestão do fluxo de caixa
Palestra: Gestão do fluxo de caixaPalestra: Gestão do fluxo de caixa
Palestra: Gestão do fluxo de caixa
 
Mercado financeiro
Mercado financeiroMercado financeiro
Mercado financeiro
 
Educação Financeira - Prof. Pio
Educação Financeira - Prof. PioEducação Financeira - Prof. Pio
Educação Financeira - Prof. Pio
 
Metodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradasMetodo das partidas dobradas
Metodo das partidas dobradas
 
Aula Administração do capital de giro - adm caixa 07.05.2012
Aula   Administração do capital de giro - adm caixa 07.05.2012Aula   Administração do capital de giro - adm caixa 07.05.2012
Aula Administração do capital de giro - adm caixa 07.05.2012
 
Plano de contas
Plano de contasPlano de contas
Plano de contas
 
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
 

Semelhante a Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos

3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança
3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança
3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança
Enzo Carvalho
 
Leitura investimentos
Leitura investimentosLeitura investimentos
Leitura investimentos
Dione Sousa
 
Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009
Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009
Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009
SEBRAE MS
 

Semelhante a Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos (20)

Investimentos Pessoais
Investimentos PessoaisInvestimentos Pessoais
Investimentos Pessoais
 
Investimentos Pessoais
Investimentos PessoaisInvestimentos Pessoais
Investimentos Pessoais
 
Aprenda a Investir - Introdução ao mercado de renda fixa e variavel - Palestr...
Aprenda a Investir - Introdução ao mercado de renda fixa e variavel - Palestr...Aprenda a Investir - Introdução ao mercado de renda fixa e variavel - Palestr...
Aprenda a Investir - Introdução ao mercado de renda fixa e variavel - Palestr...
 
Tudo o que você sempre quis saber sobre Investimentos
Tudo o que você sempre quis saber sobre InvestimentosTudo o que você sempre quis saber sobre Investimentos
Tudo o que você sempre quis saber sobre Investimentos
 
4 investimentos-conservadores veja olher investimento pra você
4 investimentos-conservadores veja olher investimento pra você4 investimentos-conservadores veja olher investimento pra você
4 investimentos-conservadores veja olher investimento pra você
 
Lci e lca
Lci  e  lcaLci  e  lca
Lci e lca
 
Guia descomplicado para investir com segurança e rentabilidade
Guia descomplicado para investir com segurança e rentabilidadeGuia descomplicado para investir com segurança e rentabilidade
Guia descomplicado para investir com segurança e rentabilidade
 
Mercado%20 financeiro
Mercado%20 financeiroMercado%20 financeiro
Mercado%20 financeiro
 
Como sair do 0 a 0 e começar a investir
Como sair do 0 a 0 e começar a investir Como sair do 0 a 0 e começar a investir
Como sair do 0 a 0 e começar a investir
 
Renda Fixa: Conheça investimentos alternativos a poupança
Renda Fixa: Conheça investimentos alternativos a poupançaRenda Fixa: Conheça investimentos alternativos a poupança
Renda Fixa: Conheça investimentos alternativos a poupança
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 
219235852 atps-analise-de-investimento
219235852 atps-analise-de-investimento219235852 atps-analise-de-investimento
219235852 atps-analise-de-investimento
 
Resumo conh3 cim3ntos bancarios
Resumo conh3 cim3ntos bancariosResumo conh3 cim3ntos bancarios
Resumo conh3 cim3ntos bancarios
 
3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança
3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança
3 investimentos fáceis que rendem mais que a poupança
 
Leitura investimentos
Leitura investimentosLeitura investimentos
Leitura investimentos
 
Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009
Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009
Palestra Buscando Recursos Financeiros 2009
 
O que você deve saber antes de financiar imóvel?
O que você deve saber antes de financiar imóvel?O que você deve saber antes de financiar imóvel?
O que você deve saber antes de financiar imóvel?
 
Letra de Crédito Imobiliária
Letra de Crédito ImobiliáriaLetra de Crédito Imobiliária
Letra de Crédito Imobiliária
 
Workshop de Finanças Pessoais investeducar
Workshop de Finanças Pessoais investeducarWorkshop de Finanças Pessoais investeducar
Workshop de Finanças Pessoais investeducar
 
Educação Financeira para Jovens
Educação Financeira para JovensEducação Financeira para Jovens
Educação Financeira para Jovens
 

Mais de Milton Henrique do Couto Neto

Mais de Milton Henrique do Couto Neto (20)

A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
 
Gestão Ambiental 08 - eia e rima
Gestão Ambiental 08 - eia e rimaGestão Ambiental 08 - eia e rima
Gestão Ambiental 08 - eia e rima
 
Gestão Ambiental 07 - produção limpa
Gestão Ambiental 07 -  produção limpaGestão Ambiental 07 -  produção limpa
Gestão Ambiental 07 - produção limpa
 
Gestão Ambiental 06 - emissão zero
Gestão Ambiental 06 -  emissão zeroGestão Ambiental 06 -  emissão zero
Gestão Ambiental 06 - emissão zero
 
Gestão Ambiental 05 - politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Gestão Ambiental 05 -  politica nacional para resíduos sólidos e reciclagemGestão Ambiental 05 -  politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Gestão Ambiental 05 - politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
 
Gestão Ambiental 04 - gerenciamento de resíduos sólidos
Gestão Ambiental 04 -  gerenciamento de resíduos sólidosGestão Ambiental 04 -  gerenciamento de resíduos sólidos
Gestão Ambiental 04 - gerenciamento de resíduos sólidos
 
Gestão Ambiental 03 - a sustentabilidade no microambiente
Gestão Ambiental 03 -  a sustentabilidade no microambienteGestão Ambiental 03 -  a sustentabilidade no microambiente
Gestão Ambiental 03 - a sustentabilidade no microambiente
 
Gestão Ambiental 02 - impactos no macroambiente
Gestão Ambiental 02 -  impactos no macroambienteGestão Ambiental 02 -  impactos no macroambiente
Gestão Ambiental 02 - impactos no macroambiente
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
 
Análise das Demonstrações Financeiras
Análise das Demonstrações FinanceirasAnálise das Demonstrações Financeiras
Análise das Demonstrações Financeiras
 
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
 
Questões ENADE - Administração Financeira
Questões ENADE - Administração FinanceiraQuestões ENADE - Administração Financeira
Questões ENADE - Administração Financeira
 
Pós - Matemática Financeira
Pós - Matemática FinanceiraPós - Matemática Financeira
Pós - Matemática Financeira
 
Politicas e Modelos de Financiamento
Politicas e Modelos de FinanciamentoPoliticas e Modelos de Financiamento
Politicas e Modelos de Financiamento
 
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
 
Avaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Avaliação de Empresas e Gestão de InvestimentosAvaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Avaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
 
Gestão de Tesouraria
Gestão de TesourariaGestão de Tesouraria
Gestão de Tesouraria
 
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura OrganizacionalDO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
 

Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos

  • 1. Instrumentos de Renda Fixa, Renda Variável e Derivativos Prof. Milton Henrique do Couto Neto miltonhenrique@mhempresarial.com
  • 2. Quem sou eu? Prof. Milton Henrique do Couto Neto miltonhenrique@mhempresarial.com Administração, Estácio Engenharia Mecânica, UFF MBA em Gestão Empresarial, UVV MBA em Marketing Empresarial, UVV Mestrado Acadêmico em Administração, UFES Pós-MBA em Inteligência Empresarial, FGV http://lattes.cnpq.br/8394911895758599 https://br.linkedin.com/in/miltonhenrique
  • 3. Experiência como Professor Universitário (graduação e pós-graduação)
  • 4. Disciplinas Lecionadas Graduação  Administração de Materiais  Economia da Engenharia  Economia Empresarial  Empreendedorismo  Engenharia de Manutenção e Confiabilidade  Engenharia de Métodos  Fundamentos da Administração  Gestão de Marketing  Gestão de Processos e Empresas  Gestão de Vendas  Gestão Financeira e Orçamentária  Marketing de Relacionamento  Matemática Básica  Matemática Financeira  Novas Abordagens em Administração  Planejamento Estratégico da Produção  Plano de Negócios  Tópicos Especiais em Administração Pós-Graduação  Comportamento do Consumidor  Consultoria de RH  E-commerce e Marketing Digital  Endomarketing e Comunicação Corporativa  Estratégia Competitiva de Preços  Estudo de Viabilidade Econômico Financeira  Formação do Preço de Venda no Varejo  Gestão de Tesouraria  Marketing Competitivo, Criatividade e Inovação  Matemática Financeira  Pesquisa de Marketing  Políticas e Modelos de Financiamento  Teoria do Desenvolvimento Organizacional
  • 5. Experiência como Gestor Empresário de diversos setores ... 2006 2006 2012 2012 2013 2013 20152014 2008 2016
  • 8. Este e outros arquivos estão disponíveis para download no www.slideshare.net/miltonh
  • 11. Razões Para Fazer a Riqueza Aumentar • Estamos ficando velhos... • Além disso: • Vivemos num mundo de incertezas • A inflação pode corroer o que já temos • Os nossos desejos são ilimitados
  • 12. Investimento Aplicar hoje para ter mais ainda no futuro
  • 13. Investimentos Otimizar Retorno Prazo Proteção Maior retorno Maior risco Menor retorno Menor risco Equilíbrio
  • 14. Investimentos Renda Variável ou Fixa Prazo Variável ou Fixa Emissão(garantia) Privada ou Pública
  • 15. Investimentos Renda Fixa Renda Variável Pré-fixado Pós-fixado
  • 16. Renda Fixa Tem Vencimento Certo Tem uma taxa de juros conhecida na contratação Pode ter ou não garantia adicional Geralmente o Valor Principal é preservado! Você compra uma dívida
  • 17. Renda Variável Não Tem um Vencimento Certo Não Tem uma taxa de juros conhecida na contratação Não se Relaciona com Dívida, mas com Propriedade Não há garantia alguma do Valor Principal! Você compra uma propriedade
  • 18. Para uma Empresa Crescer Capital “Próprio” Ações Renda Variável Capital de Terceiros Dívida Renda Fixa
  • 19. Investimentos Renda Fixa • CDB • CDI • Letras do Tesouro Nacional • Letras de Crédito Imobiliário • Letras de Crédito do Agronegócio • Letra de Câmbio Renda Variável • Abertura de um novo negócio • Investimento em ações • Commodities • Derivativos
  • 20. Sugestão: Regra dos 100 Idade Renda Fixa Renda Variável % Investimento 70% 30% 30 anos 70 anos Com 30 anos Com 70 anos  30% Renda Fixa  70% Renda Variável  70% Renda Fixa  30% Renda Variável Mais arriscado! Mais conservador!
  • 21. Depósito Compulsório • O depósito compulsório é um dos instrumentos que o BC (Banco Central) usa para controlar a quantidade de dinheiro que circula na economia • O mecanismo influencia o crédito disponível e as taxas de juros cobradas • É geralmente feito através de determinação legal, obrigando os bancos comerciais e outras instituições financeiras a depositarem, junto ao Banco Central, parte de suas captações em depósitos à vista, a prazo ou poupança
  • 22. Depósito Compulsório (Exemplo) Depósitos: R$ 20 MM Títulos: R$ 60MM Compulsório: R$ 40MM Falta: R$ 20MM Depósitos: R$ 60 MM Títulos: R$ 20MM Compulsório: R$ 40MM Sobra: R$ 20MM Não pode depositar títulos Ficar com dinheiro parado é ruim
  • 23. Depósito Compulsório (Exemplo) Depósitos: R$ 20 MM Títulos: R$ 60MM Compulsório: R$ 40MM Falta: R$ 20MM Depósitos: R$ 60 MM Títulos: R$ 20MM Compulsório: R$ 40MM Sobra: R$ 20MM Passa R$ 20MM em TÍTULOS Recebe R$ 20MM em DINHEIRO Remuneração dos Títulos: se Públicos – SELIC “OVER” se Privados – CDI
  • 24. Formas de Depósito em Conta Corrente • Depósito à Vista • Pode ser sacado a qualquer momento • Não tem remuneração • Depósito à Prazo • Tem remuneração • Nem sempre pode ser sacado a qualquer momento CDB O banco não pode “usar” muito, por que a qualquer momento você pode querer sacar O banco pode “usar” muito, por que, a princípio, você informou que não sacaria logo
  • 26. CDB – Certificado de Depósito Bancário • Geralmente negociado para 1 ano ou 2 anos • Quanto mais prazo, maior o rendimento • Título privado (emitido pelo banco) • Bancos menores remuneram mais (maior risco) • Tem garantia do FGC (atualmente até R$ 250.000,00 por CPF) • Tem remuneração atrelada ao CDI (Interbancário)
  • 27. Diferença entre CDB e RDB • RDB é mais inflexível • RDB tem que aguardar até o vencimento • RDB tem pouca (ou nenhuma!) liquidez Certificado de Depósito Bancário Recibo de Depósito Bancário
  • 28. Diferença entre CDB e LF • Rentabilidade maior que os demais títulos de Renda Fixa • Tem incidência menor de Imposto de Renda; • Investimento mínimo de 150 mil; • Prazo longo (no mínimo dois anos); • Impossibilidade de resgate antes do vencimento; • Não há proteção do FGC; Certificado de Depósito Bancário Letra Financeira LF
  • 29. Depósito a Prazo com Garantia Especial • O limite da garantia oferecida pelo FGC é de até R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais) por CPF por instituição. • A emissão desse título está condicionada à autorização do FGC e consequente alienação fiduciária de uma carteira de recebíveis ao fundo; • Embora possa ser emitido por qualquer banco, é um instrumento mais utilizado por bancos menores que precisam captar recursos do mercado com garantia especial; • O prazo de vencimento deve ser, no mínimo, de 12 meses e no máximo 60 meses (5 anos);
  • 30. Letra de Crédito Imobiliário - LCI Preciso financiar: R$ 500.000,00 Em 30 anos O prazo é muito longo para o banco me emprestar lastreado em CDB De onde vem o dinheiro que o banco me empresta??? LCI Garantia Real Alienação Fiduciária
  • 31. Letra de Crédito do Agronegócio - LCA Quanto tempo demora, desde a compra da semente, preparação do solo (desembolso de dinheiro), até a venda (reembolso de dinheiro)??? LCA
  • 32. Característica Importante das LCI e LCA • Para PF não há Imposto de Renda Por que??? Geração de emprego e renda!
  • 33. Títulos Públicos Federais • Quando o governo “fecha no vermelho”, ele vende títulos para cobrir sua dívida Quase sempre acontece, pois o governo tem que gerar emprego!
  • 35. Lógica do Mercado • Como o governo precisa sempre de dinheiro emprestado, ele tem que ser um bom pagador! Títulos Públicos Federais são de baixíssimo risco!
  • 36. Título Rendimento Remuneração do título Tesouro Prefixado 20XX (LTN) Taxa Contratada Somente no vencimento Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 20XX (NTN-F) Taxa Contratada Semestral e no vencimento Tesouro IPCA+ 20XX (NTN-B Principal) IPCA + Taxa Contratada Somente no vencimento Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 20XX (NTN-B) IPCA + Taxa Contratada Semestral e no vencimento Tesouro Selic 20XX (LFT) Selic + Taxa Contratada Somente no vencimento Tesouro Direto
  • 38. Debêntures • Títulos de renda fixa emitidos por empresas de sociedade anônimas (S/A) para captação de recursos de longo prazo Capital “Próprio” Ações Renda Variável Capital de Terceiros Dívida Renda Fixa Debêntures
  • 39. Garantia das Debêntures • Real • Garantia real constando na escritura, que não pode ser alterada; • Flutuante • Garantia real constando na escritura, mas que pode ser alterada por outra de igual valor, a qualquer tempo; • Quirografária • Sem garantia real. Os investidores concorrem em igualdade de condições com os demais credores quirografários (sem preferência), em caso de falência da companhia; • Subordinada • O que difere essa garantia da quirografária é o fato de que o detentor das debêntures será o último da fila para receber; + garantia - rendimento - garantia + rendimento
  • 40. Escritura da Debênture • A escritura de uma debênture especifica: • os direitos dos investidores, • deveres dos emitentes, • todas as condições da emissão, • os pagamentos dos juros, • prêmio e principal, • além de conter várias cláusulas padronizadas restritivas e • referentes às garantias (se a debênture for garantida)
  • 41. Agente Fiduciário da Debênture • Protege o interesse dos debenturistas exercendo uma fiscalização permanente e atenta, verificando se as condições estabelecidas na escritura da debênture estão sendo cumpridas • É a empresa emissora do debênture que escolhe quem vai lhe fiscalizar, mas se o “fiscal for fraco” ninguém compra a debênture Função do Agente Fiduciário:  Executar garantias reais, receber o produto da cobrança e aplicá-lo no pagamento, integral ou proporcional, dos debenturistas;  Requerer falência da emitente, se não existirem garantias reais;  Representar os debenturistas em processos de falência, concordata, intervenção ou liquidação extrajudicial da emitente, salvo deliberação em contrário da assembleia dos debenturistas;  Tomar qualquer providência necessária para que os debenturistas realizem os seus créditos;
  • 42. Debêntures Incentivadas As empresas dos segmentos listados abaixo podem solicitar ao ministério a qual é vinculada uma autorização para emitir debêntures incentivadas. a) Logística e transporte; b) Mobilidade urbana; c) Energia; d) Telecomunicações; e) Radiodifusão; f) Saneamento básico; e g) Irrigação. Características das Debêntures incentivadas: Isenção de IR para PF; IR para PJ de 15%; Vencimento mínimo de 48 meses; Prazo mínimo para resgate de 24 meses;
  • 43. Notas Promissórias – NP • Títulos de renda fixa emitidos por empresas de sociedade anônimas (S/A) para captação de recursos de curto prazo Capital “Próprio” Ações Renda Variável Capital de Terceiros Dívida Renda Fixa Debêntures (longo prazo) NP (curto prazo)
  • 45. Você gostaria de ser sócio destas empresas?
  • 46. Ações Representam parcelas do capital de uma empresa, podendo ser ações ordinárias ou preferenciais. Empresa Ação
  • 47. Tipos de Ações • Ordinárias • Dão direito a voto nas assembleias • Preferenciais • Não dão direito a voto nas assembleias • Mas em compensação, dão preferência no recebimento dos dividendos • Dividendos maiores que as ordinárias (pelo menos 10% maior) • No máximo 50% das ações podem ser preferenciais • No caso de ficar 3 anos consecutivos sem lucro a ação passa a ter direito a voto na assembleia
  • 48. Controlador da Empresa • Precisa ter 50% + 1 das ações ordinárias
  • 49. IPO – Oferta Pública de Ações Initial Public Offering
  • 50. Mercado Primário e Mercado Secundário • Mercado Primário • Compreende o lançamento de novas ações no mercado, com aporte de recursos à companhia • Mercado Secundário • Uma vez ocorrendo o lançamento inicial ao mercado, as ações passam a ser negociadas no Mercado Secundário, que compreende as bolsas de valores
  • 51. Tipos de Ação • "blue chips" ou de 1ª linha • são ações de grande liquidez • em geral de empresas tradicionais, de grande porte/âmbito nacional e excelente reputação; • de 2ª linha • são ações um pouco menos líquidas • de empresas de boa qualidade, em geral de grande e médio portes; • de 3ª linha • são ações com pouca liquidez • em geral de companhias de médio e pequeno portes
  • 52. Codificação de Ações • Petrobrás • PETR3: Petrobrás Ordinária • PETR4: Petrobrás Preferencial • Vale • VALE3: Vale Ordinária • VALE5: Vale Preferencial de Classe A
  • 53. Lote de Ações • Padrão • Títulos de características idênticas e em quantidade pré-fixada pelas bolsas de valores; • Fracionário • Qualquer lote que não contenha um número de unidades igual ao múltiplo inteiro do lote padrão.
  • 54. Formação do Preço • Ao iniciar o pregão de um dia de negociações, cada ação tem um preço referencial. Este preço foi a cotação de fechamento do dia anterior. Ele é influenciado por diferentes fatores, tais como: • Fluxo de oferta e procura da ação • Comportamento histórico dos preços • Projeção da performance da empresa • Notícias sobre a empresa
  • 56. Conceito Básico • Por que o mercado sobe? • Por que existe mais gente comprando do que vendendo • Por que o mercado cai? • Por que existe mais gente vendendo do que comprando
  • 57. Formas de Rentabilidade Dividendo Juros sobre o Capital Próprio Bonificações em Ações Bonificações em Dinheiro Direito de Subscrição Venda de Direitos de Subscrição
  • 58. Formas de Ganhar Dinheiro com Ações • Pagamento de Dividendos (Buy-and-Hold) • Parte do lucro da empresa que é dividido aos acionistas • Rentabilidade (Compra e Venda) • A empresa, quando bem administrada, cresce e tem a perspectiva de lucrar mais no futuro
  • 59. Buy and Hold Empresa Empresa Empresa Lucro Lucro Lucro 2019 Preço Ação = R$ 50,00 Dividendos = R$ 5,00 2018 Preço Ação = R$ 40,00 Dividendos = R$ 4,00 2017 Preço Ação = R$ 30,00 Dividendos = R$ 3,00
  • 60. Comportamento Bolsa e Dólar Bolsa em Alta Investidores do mundo inteiro se interessam e “entram” no Brasil Muito Dólar para trocar por Real – Sobra Dólar Dólar em Queda Cenário 1
  • 61. Comportamento Bolsa e Dólar Dólar em Alta Os investidores perdem o interesse e “saem” do Brasil Muito Real para trocar por Dólar - Falta Dólar Bolsa em Queda Cenário 2
  • 62. Bolsa de Valores Locais que oferecem condições e sistemas necessários para a realização de negociação de compra e venda de títulos e valores mobiliários de forma transparente
  • 63. BM&FBOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Bolsa de Mercadorias & Futuros Bovespa +
  • 64. B3
  • 65. Corretoras de Valores A Corretora de Valores é a parceira de investimentos do investidor. • Oferece ajuda para escolher as ações, de acordo com o objetivo financeiro; • Suporte necessário para entender o funcionamento da Bolsa; • Definição do perfil de investidor; • Diversos serviços, como home broker, relatórios de recomendação de ações, informativos, etc. • Assessoria de profissionais especializados em análise de mercado, de setores da economia e de companhias. Por acompanharem o mercado o tempo todo, avaliando os principais acontecimentos, as empresas que estão progredindo e os fatores que podem gerar mudanças de cenário, as Corretoras prestam um serviço essencial aos investidores; • Informar sobre novos produtos no mercado, para garantir a diversificação da carteira de investimentos; • Informar sobre o recebimento de dividendos e outros bônus que as empresas pagam aos acionistas.
  • 66. Taxas e Custos Operacionais - Corretoras • As taxas são cobradas pelas corretoras, e são livremente pactuadas entre elas e os clientes. As principais taxas são: • corretagem: cobrada quando da compra ou venda em Bolsa; • serviços de custódia: para os títulos mantidos em custódia na corretora; • administração: em casos em que o cliente contrata o serviço de administração de carteira; • performance: vinculada à taxa de administração de carteira; • consultoria técnica: em casos em que o cliente contrata estes serviços com a corretora.
  • 67. Taxas e Custos Operacionais - Demais • Emolumentos • São pagos à Bovespa como taxa de operação, constituindo-se num percentual do valor de compra ou venda • Taxa de Liquidação • É paga à CLBC na compra e na venda, para custear as liquidações de ativos
  • 68. Fundos de Índices - ETFs Os fundos de índices, conhecidos no mundo todo como ETFs (Exchange Traded Funds), são fundos espelhados em índices e suas cotas são negociadas em Bolsa da mesma forma que as ações. O investidor pode escolher entre vários tipos de ETF, em função de suas preferências e estratégias, já que cada ETF é referenciado em índices que acompanham um setor como: o imobiliário, de consumo, de instituições financeiras, entre outros.
  • 69. Exemplos de ETFs • ISHARES BOVA CI (BOVA11) • Baseados no Ibovespa, que mede o retorno de um investimento em uma carteira teórica composta pelas ações de empresas que respondem por mais de 80% do número de negócios e do volume financeiro da Bolsa. • ISHARES BRAX CI (BRAX11) • Baseados no Índice Brasil (IBrX 100), que mede o retorno de um investimento em uma carteira teórica composta pelas 100 ações mais negociadas na BM&F Bovespa, em termos de número de negócios e volume financeiro
  • 70. Exemplos de ETFs • IT NOW IDIV CI (DIVO11) • Baseado no Índice Dividendos BM&F Bovespa, que mede o retorno de um investimento em uma carteira teórica composta pelas ações das empresas que se destacaram em termos de remuneração dos investidores, sob a forma de dividendos e juros sobre o capital próprio. • ISHARES MOBI CI (MOBI11) • Baseados no Índice BM&F Bovespa Imobiliário, que mede o retorno de uma carteira teórica composta por ações emitidas pelas empresas mais representativas na BM&F Bovespa dos seguintes setores do ramo imobiliário: construção civil, intermediação imobiliária e exploração de imóveis.
  • 71. Decisão de Investimento •Traduz-se em uma destas quatro alternativas: • comprar; • vender; • não comprar; • não vender
  • 72. Análises de Investimento em Bolsa Fundamentalista Fundamentos da macroeconomia, do setor e da empresa; Lucros obtidos, investimentos, perspectivas e projeções de lucro e a capacidade de gerar receita são dados relevantes; Através do Fluxo de Caixa Descontado é determinado o Preço Justo da Ação Técnica Modelos estatísticos e padrões psicológicos de massa; Os grafistas usam o passado para entender o futuro; Identificam tendências de alta ou de baixa, considerando que investidores agem sempre de maneira similar em circunstâncias similares
  • 73. Análise Fundamentalista 1) Análise de mercados baseada nos fatores e fundamentos econômicos. Depende de estatísticas, projeções, condições de oferta e demanda de bens e serviços e os fundamentos da economia e das empresas. 2) Metodologia para determinar o preço justo de uma ação, que se fundamenta na expectativa de lucros futuros. As análises do balanço e do relatório da administração da companhia são ferramentas de trabalho diário do analista.
  • 74. Análise Técnica • Premissas • Os gráficos descontam tudo • O mercado se move seguindo certos padrões • Esses padrões se repetem ao longo do tempo
  • 75. Análise Técnica • Análise de mercado baseada na interpretação de gráficos de preços, volumes e outros indicadores, com a finalidade de projetar as tendências de um mercado no futuro. • Metodologia para estudar o movimento de preços das ações, relacionados aos volumes negociados, para determinar tendências de alta, estabilidade ou de baixa, em busca da oportunidade de comprar e vender ações a preços compensadores. • Mostra como os preços se comportaram no passado, e projeta uma série de expectativas de movimentos de preços no futuro.
  • 76. Objetivos da Escola Técnica • Conhecer e mensurar a Lei de Oferta e Procura; • Identificar oportunidades de operações atraentes e as melhores situações de retorno em relação ao risco; • Otimizar as entradas e saídas do mercado; • Determinar limites nas oscilações dos preços; • Estabelecer estratégias de risco.
  • 77. Linhas de Tendência • Tendência de Alta • Topos e fundos ascendentes ao longo do tempo • Tendência de Lateralização • Topos e fundos em níveis próximos • Tendência de Baixa • Topos e fundos descendentes ao longo do tempo
  • 80. Suporte e Resistência • Resistência • Nível de preço onde os interesses dos vendedores é suficientemente forte para se sobre por a pressão compradora • Suporte • Nível de preço onde os interesses dos compradores é suficientemente forte para se sobrepor a pressão vendedora
  • 82. Resistência virando suporte: June July A ugust September October November December 2002 February March A pril May BRTP4 (17.15, 17.40, 17.01, 17.30) June July August September October November December 2002 February March April May 5000 10000 15000 20000 25000 x100000 9.5 10.0 10.5 11.0 11.5 12.0 12.5 13.0 13.5 14.0 14.5 15.0 15.5 16.0 16.5 17.0 17.5 18.0 18.5 19.0 19.5 20.0 20.5 21.0 21.5 Zona de Suporte Zona de Resistencia Resistencia BRTP4 (17.15, 17.40, 17.01, 17.30)
  • 83. Regra de Ouro Compre próximo ao Suporte! Venda próximo a Resistência!
  • 84. Evite o Efeito Manada! Comprar porque todo mundo comprou! Vender porque todo mundo vendeu!
  • 85. Recibo de Depósito de Ação (ADR e BDR) • ADR’s - American Depositary Receipt: São títulos de empresas com sede fora dos EUA e com títulos negociados na bolsa de valores daquele país. A Petrobrás, ao negociar recibos nos EUA, vai negociar ADR • BDR’s - Brazilian Depositary Receipt: São títulos de empresas com sede fora do Brasil com títulos negociados aqui na B3. A Apple, ao negociar títulos aqui no Brasil, vai negociar BDR
  • 87. Derivativos • Possibilitam que o investidor tenha acesso a um ativo, via de regra, com outro ativo ou até mesmo por uma fração do preço do ativo objeto • O objetivo de um derivativo é a transferência de risco • Quando um investidor procura se proteger de algum risco específico, ele contrata um derivativo que o manterá posicionado com a proteção
  • 88. Tipos de Derivativos • Derivativos agropecuários: têm como ativo objeto commodities agrícolas, como café, boi, milho, soja e outros; • Derivativos financeiros: têm seu valor de mercado referenciado em alguma taxa ou índice financeiro, como taxa de juro, taxa de inflação, taxa de câmbio, índice de ações e outros; • Derivativos de energia e climáticos: têm como objeto de negociação energia elétrica, gás natural, créditos de carbono e outros.
  • 89. Derivativos (Transferência do Risco) Depende (risco)
  • 90. Derivativos (Transferência do Risco) Depende (risco) Plantador de Batata
  • 91. Derivativos • O Plantador de Batata tem medo que o preço da batata caiano futuro • O McDonalds tem medo que o preço da batata subano futuro
  • 92. Derivativos • Imagine que você vai plantar batata e o seu custo de comprar semente, plantar, adubar, colher e transportar seja de R$ 40,00 a saca • Para ter lucro precisará vender por pelo menos R$ 50,00 a saca • Só que existem milhões de produtores de batata que irão colher na mesma época e isso pode fazer o preço da saca despencar para R$ 30,00 a saca (prejuízo de R$ 10,00 a saca)
  • 93. Derivativos • Neste caso eu posso vender um contrato futuro de batata na B3 a R$ 50,00 a saca • Aconteça o que acontecer, a batata será vendida por R$ 50,00 a saca • Transferindo o risco para o comprador • Foi feito um hedge (proteção)
  • 94. Derivativos •Os derivativos são usados para se proteger contra a queda ou alta de preços dos ativos
  • 95. Transações no Mercado de Derivativos • Mercado de Swap; • Mercado a Termo; • Mercado de Opções; • Mercado Futuro.
  • 96. Mercado de Swap • O Hedger (que busca a proteção) possui um ativo financeiro e gostaria de proteger esse ativo de eventuais mudanças no preço que iriam contra seu objetivo • Essa troca de indexadores pode ser feita por indexadores de taxa juros, moedas ou índice de preços • Não dá pra negociar um swap com outro investidor, tem que ser uma instituição financeira SWAP = Troca
  • 97. Mercado Swap (Exemplo) • Imagine que XYZ tenha R$ 1.000.000,00 aplicados num CDB que rende 100% do CDI • Pense que a taxa de juros esteja com forte tendência de queda e, por isso, o rendimento desse CDB vai acompanhar essa queda • Para proteger essa posição, a diretora financeira aqui escola vai até o banco e faz um swap de CDI x Pré a uma taxa de 7% a.a
  • 98. Mercado Swap (Exemplo) Cenário de Baixa Cenário de Alta 5%aa 10%aa Valor Base R$ 1.000.000,00 R$ 1.000.000,00 Rendimento Ponta Ativa 7% R$ 70.000,00 R$ 70.000,00 Rendimento Ponta Passiva CDI R$ 50.000,00 R$ 100.000,00 Ajuste das Pontas R$ 20.000,00 R$ (30.000,00) Saldo Total da Operação (Valor + Ponta Passiva + Ajuste) ou (Valor + Ponta Ativa) R$ 1.070.000,00 R$ 1.070.000,00 Ponta Passiva = Antigo Indexador Ponta Ativa = Novo Indexador
  • 99. Mercado de Opções • É um contrato que dá a seu detentor ou comprador o direito, mas não o dever, de comprar, se for uma opção de compra, ou vender, se for uma opção de venda, determinado ativo objeto, pelo preço de exercício Lançador ou Titular ou
  • 100. Mercado de Opções (Termos) • Call = Chamar → Opção de Compra • Put = Empurrar → Opção de Venda • Lançador → Player que vende a opção no mercado financeiro • Titular de opção → Player que compra a opção no mercado e, portanto, tem o direito de exercer a operação • In the Money → Situação onde exercer uma opção representa lucro para seu titular; • Out the Money → Situação onde exercer uma opção representa prejuízo do seu titular; • At the Money → Situação onde exercer uma opção não representa lucro nem prejuízo.
  • 101. Mercado de Opções (Exemplo) • Imagine que você tenha em sua carteira ações da XYZ que foram compradas por R$ 20,00. Você gostaria de “travar” o preço de sua ação a R$ 21,00 para que não perca em caso de desvalorização do papel • O que você precisa fazer? Comprar uma call? Uma put? Pagar ou receber o prêmio? • Você quer ter a opção de vender sua ação da XYZ a R$ 21,00 daqui a 3 meses. Se você quer vender, então você deve comprar uma put (opção de venda) que lhe conferirá o direito de vender essa ação a R$ 21,00 • Por essa opção, ele pagará um prêmio, que é considerado a perda máxima nesse mercado. Vamos assumir que o prêmio pago por essa opção seja de um R$ 1,00
  • 102. Mercado de Opções (Exemplo) Strike Prêmio Preço de Mercado Exerce o Direito? Resultado R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 0,00 SIM R$ 20,00 R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 19,00 R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 15,00 R$ 5,00 R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 20,00 R$ 0,00 R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 21,00 SIM / NÃO R$ (1,00) R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 22,00 NÃO R$ (1,00) R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 25,00 R$ (1,00) R$ 21,00 R$ 1,00 R$ 30,00 R$ (1,00) In the money Out the money At the money Preço combinado para exercício da opção
  • 103. Mercado de Opções • O titular pagou o prêmio e, por isso, tem o direito de exercer a opção • O lançador recebeu o prêmio e, por isso, tem obrigação de comprar ou vender, se for exercido Titular da Opção [ - Prêmio , + ∞ [ no máximo perco o prêmio Lançador da Opção ] - ∞ , + Prêmio ] no máximo ganho o prêmio Resultado Financeiro
  • 104. Mercado de Opções •o investidor que compra uma opção de venda está apostando na queda do preço do ativo •o investidor que compra uma opção de compra está apostando na alta do preço do ativo
  • 105. Mercado a Termo • No mercado a termo as partes são obrigadas a exercer o que foi acordado no início Lembre-se do exemplo:
  • 106. Mercado Futuro Negociar no presente a venda ou compra de um ativo que será entregue no futuro pelo preço combinado hoje Algumas características do Mercado Futuro: • Contratos padronizados: nesse tipo de operação a negociação é padronizada para todos os clientes, ou seja, taxa, prazo e preço são iguais para todos os clientes. O contrato é listado na bolsa de valores (B3); • Margem de Garantia: O investidor que entra nesse mercado precisa alocar, como garantia, um valor junto a B3, que servirá como garantia da operação. Quando o contrato é liquidado a B3 devolve a margem de garantia; • Liquidação antecipada: não existe a possibilidade de liquidação antecipada desse contrato, no entanto, o investidor pode inverter sua operação anulando sua exposição ao contrato; • Ajuste diário: a cotação dos ativos subjacentes e dos contratos são atualizadas diariamente e pode haver um ajuste negativo ou positivo na conta das contrapartes; • Risco de contraparte: a B3, ao recolher a margem de garantia dos investidores, assume para si o risco de contraparte da operação.
  • 107. Mercado Futuro (Exemplo) O plantador de batata vende um contrato futuro de batata a R$ 50,00 a saca e deposita como Margem de Garantia R$ 10,00: Dia Valor Combinado Margem de Garantia Cotação no Mercado Ajuste Diário Resultado (Cotação + Ajuste Diário) 1 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 60,00 R$ (10,00) R$ 50,00 2 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 55,00 R$ (5,00) R$ 50,00 3 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 50,00 R$ 0,00 R$ 50,00 4 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 45,00 R$ 5,00 R$ 50,00 5 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 40,00 R$ 10,00 R$ 50,00 . . .