SlideShare uma empresa Scribd logo
Produção Limpa
Prof. Milton Henrique
miltonhcouto@gmail.com
Conceito
É uma proposta para representar o sistema de produção
industrial que leve em conta a:
• sustentabilidade de fontes renováveis de matérias-primas;
• redução do consumo de água e energia;
• prevenção de geração de resíduos tóxicos e perigosos na fonte de
produção;
• reutilização e reaproveitamento de materiais por reciclagem de
maneira atóxica e energia-eficiente;
• geração de produtos de vida útil longa, seguros e atóxicos, para o
homem e o ambiente natural; e
• reciclagem (na planta industrial ou fora dela), de maneira atóxica e
eficiente, como substitutivo para as opções de manejo ambiental
representadas por incineração e despejos em aterros.
Modelo de Produção
Berço ao Berço
Modelo de Produção
Berço ao Berço
Os 4 Elementos da Produção Limpa
• O Enfoque Precautório
• Quem paga o ônus da poluição é o agente poluidor.
Os 4 Elementos da Produção Limpa
• O Enfoque Preventivo
• Prevenir é melhor que remediar. Muitas empresas precisam remediar, pois
deixaram no início de suas atividades de fazer a prevenção dos possíveis
agentes poluidores.
Dessa forma, fica muito mais caro para empresa não tomar medidas que
possam vir a garantir uma futura multa pela falta de consciência e eficiência
em sua área ambiental.
Os 4 Elementos da Produção Limpa
• O Controle Democrático
• As informações são a parte mais importante para se atingir o controle
democrático de determinada região. Comunidades devem participar
efetivamente nesse controle bem como todos os registros para controle.
Os 4 Elementos da Produção Limpa
• A Abordagem Integrada e Holística
• O uso dos recursos naturais deve seguir uma direção integrada para se atingir
tal objetivo.
Ou seja, toda poluição que é lançada na natureza deve ser controlada em
processos de produção que garantam uma eficiência limpa e integrada entre
meio ambiente e os homens. Dá-se aí o nome de visão holística. O homem
passa a não ser mais o centro do universo, mas sim, fazer parte dele dentro
de um contexto ambiental.
Produção + Limpa
• É a aplicação contínua de uma estratégia ambiental preventiva e
integrada, nos processos produtivos, nos produtos e nos serviços,
para reduzir os riscos relevantes aos seres humanos e ao ambiente
natural, de acordo com a United Nations Environmental
Program/United Nations Industrial Development Organization –
UNEP/UNIDO
Produção + Limpa
• Significa a aplicação contínua de uma estratégia econômica,
ambiental e tecnológica integrada aos processos e produtos, a
fim de aumentar a eficiência no uso de matérias-primas, água e
energia, por meio da não-geração, minimização ou reciclagem
de resíduos gerados e redução de custos
Produção + Limpa
• O princípio básico da metodologia de Produção mais Limpa (P + L) é
eliminar a poluição durante o processo de produção, não no final
Focos da P + L
• Este processo requer melhorias tecnológicas, aplicação de Know-how
e mudanças de atitude.
• Know-how (saber como fazer): melhorar a eficiência e eficácia, adotando
melhores técnicas de gestão, housekeeping ou solução caseiras e revisando
políticas e procedimentos. INTELIGÊNCIA INTELECTUAL
• Mudança de atitude: nova abordagem entre a indústria e o ambiente, pois ao
repensar um processo industrial pode ocorrer a geração de melhores
resultados
Objetivos da P + L
• Aumentar a produtividade através do uso mais eficiente dos
materiais, energia e água;
• Promover a melhora da performance ambiental através da redução
de resíduos e emissões;
• Reduzir o impacto ambiental dos produtos em todo seu ciclo de vida
através de um projeto ecológico e economicamente eficiente
Benefícios da P + L
• Redução (= uso racional) da quantidade de materiais e energia utilizados (dos custos de
produção), tornando, assim, os processos mais econômicos de maneira sustentável 
rentabilidade do negócio  expansão no mercado dos produtos da empresa;
• Prevenção da poluição, gerando menos resíduos, efluentes, emissões e produtos tóxicos;
• A busca pela redução dos poluentes leva a criação de uma cultura que busca inovação dos
processos continuamente, aumentada consequentemente, a produtividade das empresas;
• Maior grau de comunicação e participação das empresas com os organismos locais
(governamentais ou não governamentais), com as universidades e a comunidade.
• Sensibilizar a participação da força de trabalho  redução dos riscos de acidentes ambientais e
ocupacionais.
• Evita custos do não-cumprimento legal, bem como de seguros
• Facilita o acesso ao crédito e financiamentos específicos
Elementos Essenciais
Housekeeping
Ou boas práticas - são alterações simples nos processos ou nas matérias-
primas, incluindo mudanças no nível organizacional. Normalmente, são
medidas economicamente mais interessantes e fáceis de implementar. Pode
incluir:
• treinamento e motivação pessoal;
• alteração na forma de operar os equipamentos;
• alteração na concentração ou dosagem de produtos;
• incremento no uso da capacidade dos equipamentos;
• reorganização do sistema de manutenção preventiva e corretiva;
• evitar perdas por evaporação;
• melhoria nas compras, armazenagem e entrega de produtos e matérias-primas;
• padronizações e normatizações, etc.
Princípios
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Balanço da fábrica
• É o balanço total de material e energia da fábrica. Os recursos utilizados são
analisados como entradas (matéria-prima) e saídas (resíduo)
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Balanço do processo
• É a análise de cada processo de produção. É verificado cada passo do
processo, utilizando o esquema de entradas e saídas. Desta forma, quando
todos o resultados finais dos balanços de processos é concluído e somado,
este valor final deve ser igual aquele encontrado no balanço da fábrica.
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Vantagens
• Identificação dos pontos fracos e do potencial de otimização, considerando
que todas as entradas e saídas dos diversos processos são devidamente
identificadas e ordenadas. Portanto, os pontos onde há maior geração de
resíduos, efluentes e emissões são identificados e medidas podem ser
tomadas.
• A análise de matéria e energia resultante do balanço do processo colabora
com dados que serão importantes para a análise do ciclo de vida do produto.
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Desvantagens
• Muitas vezes é difícil estabelecer onde está o “limite” de um determinado
processo de produção. Por esta razão uma solução possível seria a análise de
partes de um determinado processo.
• A realização de um balanço detalhado de processo demanda tempo e envolve
custos.
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Balanço do produto
• Esta é a análise ciclo de vida do produto, ou seja, deste a aquisição de
matéria-prima até a sua disposição final.
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Possibilidades
• O instrumento de análise oferece informações importantes a respeito das
chances para a redução de custos e ou melhoria da qualidade.
• A análise também oferece informações que colaboram para a estratégia de
marketing ambiental
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Limites
• A análise detalhada do ciclo de vida de um produto demanda tempo e
recursos financeiros.
• Deve-se considerar até que ponto vale a pena (tempo-recursos) a realização
de uma análise extremamente detalhada. Existem alternativas para análise
que são menos complexas e que também podem ser úteis para a empresa.
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Balanço da Planta
• É um balanço completo da(s) fábrica(s), e inclui além da análise de entradas e
saídas de matéria e energia outros aspectos como, por exemplo, a análise dos
efeitos sobre o solo na área onde a planta está localizada.
Análise do Ciclo de Vida
Balanço Ambiental
Alguns Softwares Disponíveis
• AUDIT - software para análise de matéria-prima, energia e custos aplicáveis a
fabrica, ao produto ou ao processo.
• GABI - sistema de software para o balanço, análise e avaliação, considerando
todas as questões relativas ao ciclo de vida.
• REGIS - software para análise do fluxo de matéria, para o controle ecológico e
para a organização da documentação do balanço ambiental.
• SYCAT - programa utilizado como ferramenta para gestão do processo.
Permite a análise, modelagem, simulação e documentação.
• UMBERTO - software para apresentação, análise e simulação do fluxo de
matéria, energia e custos, com relação à fábrica, ao produto ou ao processo.
Ecologia Industrial
Quando comparado com o sistema biológico, o sistema industrial
também apresenta produtores, consumidores e decompositores:
• Produtores: são responsáveis pelas atividades primárias de produção de
energia e matéria-prima,
• Consumidores: são os sistemas industriais.
• Decompositores: são as atividades de reciclagem ou tratamento de resíduos,
efluentes e emissões.
Ecologia Industrial
No âmbito da ecologia industrial pretende-se transformar a linearidade
dos sistemas industriais em sistemas cíclicos, no qual matérias-primas,
energia e resíduos sejam sempre reutilizados. Busca-se uma
abordagem sistêmica, a fim de visualizarem-se as conexões entre os
sistemas antropológico, biológico e o ambiente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Milton Henrique do Couto Neto
 
Lixo
LixoLixo
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
janeibe
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
carlosbidu
 
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho -  Resíduos Sólidos da Construção CivilTrabalho -  Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
Tania Barboza
 
Aula 3 gerenciamento
Aula 3 gerenciamentoAula 3 gerenciamento
Aula 3 gerenciamento
Giovanna Ortiz
 
Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos
Coleta Seletiva de Resíduos SólidosColeta Seletiva de Resíduos Sólidos
Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos
Master Ambiental
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Aula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislaçãoAula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislação
Giovanna Ortiz
 
Coleta Seletiva
Coleta SeletivaColeta Seletiva
Coleta Seletiva
DeaaSouza
 
Projeto reciclar
Projeto reciclarProjeto reciclar
Projeto reciclar
xellli
 
Residuos Industriais
Residuos IndustriaisResiduos Industriais
Residuos Industriais
Odair Medrado
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
taisy goncalves
 
Lixo: consequências e solucões
Lixo: consequências e solucõesLixo: consequências e solucões
Lixo: consequências e solucões
Cleber Reis
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
lupajero
 
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
Zoraide6
 
Aula 7
Aula 7Aula 7
Slide coleta seletiva
Slide coleta seletivaSlide coleta seletiva
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 

Mais procurados (20)

Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
 
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho -  Resíduos Sólidos da Construção CivilTrabalho -  Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
 
Aula 3 gerenciamento
Aula 3 gerenciamentoAula 3 gerenciamento
Aula 3 gerenciamento
 
Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos
Coleta Seletiva de Resíduos SólidosColeta Seletiva de Resíduos Sólidos
Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
 
Aula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislaçãoAula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislação
 
Coleta Seletiva
Coleta SeletivaColeta Seletiva
Coleta Seletiva
 
Projeto reciclar
Projeto reciclarProjeto reciclar
Projeto reciclar
 
Residuos Industriais
Residuos IndustriaisResiduos Industriais
Residuos Industriais
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Lixo: consequências e solucões
Lixo: consequências e solucõesLixo: consequências e solucões
Lixo: consequências e solucões
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
 
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
 
Aula 7
Aula 7Aula 7
Aula 7
 
Slide coleta seletiva
Slide coleta seletivaSlide coleta seletiva
Slide coleta seletiva
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 

Semelhante a Gestão Ambiental 07 - produção limpa

Produção sustentável
Produção sustentávelProdução sustentável
Produção sustentável
Pedro Henrique Alves
 
Aproducao
AproducaoAproducao
Aproducao
afermartins
 
Proc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introduçãoProc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introdução
leonardolepesqueur
 
Aula 5 sebrae
Aula 5   sebraeAula 5   sebrae
Aula 5 sebrae
Giovanna Ortiz
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
Cadernos PPT
 
Artigo gestão
Artigo gestãoArtigo gestão
Artigo gestão
catty27
 
Guia da-pmaisl
Guia da-pmaislGuia da-pmaisl
Guia da-pmaisl
afermartins
 
Gestão ambiental empresarial
Gestão ambiental empresarialGestão ambiental empresarial
Gestão ambiental empresarial
Alexandre Miranda
 
Análise do ciclo de vida
Análise do ciclo de vidaAnálise do ciclo de vida
Análise do ciclo de vida
felipeviaro
 
Guia economiacircular
Guia economiacircularGuia economiacircular
Guia economiacircular
Marcos Ferreira
 
Aula 4 prevenção a poluição
Aula 4   prevenção a poluiçãoAula 4   prevenção a poluição
Aula 4 prevenção a poluição
Giovanna Ortiz
 
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdfAula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
LilianeLili11
 
prevenção de poluição.pptx
prevenção de poluição.pptxprevenção de poluição.pptx
prevenção de poluição.pptx
ssuser51d27c1
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
Giovanna Ortiz
 
Economia Circular.pptx
Economia Circular.pptxEconomia Circular.pptx
Economia Circular.pptx
AlexandraSofiaVieira
 
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - SustentabilidadeEngenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Fernando Alves
 
Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010
grupogaia
 
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpegAdubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
afermartins
 
Sustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obrasSustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obras
Tiago Machado, MBA
 
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Pueblo Peçanha
 

Semelhante a Gestão Ambiental 07 - produção limpa (20)

Produção sustentável
Produção sustentávelProdução sustentável
Produção sustentável
 
Aproducao
AproducaoAproducao
Aproducao
 
Proc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introduçãoProc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introdução
 
Aula 5 sebrae
Aula 5   sebraeAula 5   sebrae
Aula 5 sebrae
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Artigo gestão
Artigo gestãoArtigo gestão
Artigo gestão
 
Guia da-pmaisl
Guia da-pmaislGuia da-pmaisl
Guia da-pmaisl
 
Gestão ambiental empresarial
Gestão ambiental empresarialGestão ambiental empresarial
Gestão ambiental empresarial
 
Análise do ciclo de vida
Análise do ciclo de vidaAnálise do ciclo de vida
Análise do ciclo de vida
 
Guia economiacircular
Guia economiacircularGuia economiacircular
Guia economiacircular
 
Aula 4 prevenção a poluição
Aula 4   prevenção a poluiçãoAula 4   prevenção a poluição
Aula 4 prevenção a poluição
 
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdfAula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
Aula 2 - SGA Normas ISOs 14001 e 14004.pdf
 
prevenção de poluição.pptx
prevenção de poluição.pptxprevenção de poluição.pptx
prevenção de poluição.pptx
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
 
Economia Circular.pptx
Economia Circular.pptxEconomia Circular.pptx
Economia Circular.pptx
 
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - SustentabilidadeEngenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
Engenharia de Produção - Gestão ambiental - Sustentabilidade
 
Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010
 
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpegAdubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
 
Sustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obrasSustentabilidade no canteiro de obras
Sustentabilidade no canteiro de obras
 
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
Prof. Pueblo Peçanha - Gestão ambiental slide 01
 

Mais de Milton Henrique do Couto Neto

A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
Milton Henrique do Couto Neto
 
Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos
Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e DerivativosAula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos
Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão Ambiental 08 - eia e rima
Gestão Ambiental 08 - eia e rimaGestão Ambiental 08 - eia e rima
Gestão Ambiental 08 - eia e rima
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão Ambiental 06 - emissão zero
Gestão Ambiental 06 -  emissão zeroGestão Ambiental 06 -  emissão zero
Gestão Ambiental 06 - emissão zero
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão Ambiental 05 - politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Gestão Ambiental 05 -  politica nacional para resíduos sólidos e reciclagemGestão Ambiental 05 -  politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Gestão Ambiental 05 - politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão Ambiental 04 - gerenciamento de resíduos sólidos
Gestão Ambiental 04 -  gerenciamento de resíduos sólidosGestão Ambiental 04 -  gerenciamento de resíduos sólidos
Gestão Ambiental 04 - gerenciamento de resíduos sólidos
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão Ambiental 03 - a sustentabilidade no microambiente
Gestão Ambiental 03 -  a sustentabilidade no microambienteGestão Ambiental 03 -  a sustentabilidade no microambiente
Gestão Ambiental 03 - a sustentabilidade no microambiente
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão Ambiental 02 - impactos no macroambiente
Gestão Ambiental 02 -  impactos no macroambienteGestão Ambiental 02 -  impactos no macroambiente
Gestão Ambiental 02 - impactos no macroambiente
Milton Henrique do Couto Neto
 
Análise das Demonstrações Financeiras
Análise das Demonstrações FinanceirasAnálise das Demonstrações Financeiras
Análise das Demonstrações Financeiras
Milton Henrique do Couto Neto
 
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Milton Henrique do Couto Neto
 
Questões ENADE - Administração Financeira
Questões ENADE - Administração FinanceiraQuestões ENADE - Administração Financeira
Questões ENADE - Administração Financeira
Milton Henrique do Couto Neto
 
Pós - Matemática Financeira
Pós - Matemática FinanceiraPós - Matemática Financeira
Pós - Matemática Financeira
Milton Henrique do Couto Neto
 
Politicas e Modelos de Financiamento
Politicas e Modelos de FinanciamentoPoliticas e Modelos de Financiamento
Politicas e Modelos de Financiamento
Milton Henrique do Couto Neto
 
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Milton Henrique do Couto Neto
 
Avaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Avaliação de Empresas e Gestão de InvestimentosAvaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Avaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Milton Henrique do Couto Neto
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
Milton Henrique do Couto Neto
 
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão de Tesouraria
Gestão de TesourariaGestão de Tesouraria
Gestão de Tesouraria
Milton Henrique do Couto Neto
 
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura OrganizacionalDO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
Milton Henrique do Couto Neto
 
DO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do Conhecimento
DO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do ConhecimentoDO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do Conhecimento
DO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do Conhecimento
Milton Henrique do Couto Neto
 

Mais de Milton Henrique do Couto Neto (20)

A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
A implantação de uma Central de Monitoramento como inteligência, numa empresa...
 
Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos
Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e DerivativosAula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos
Aula Pós - Instrumentos de Renda Fixa, Variável e Derivativos
 
Gestão Ambiental 08 - eia e rima
Gestão Ambiental 08 - eia e rimaGestão Ambiental 08 - eia e rima
Gestão Ambiental 08 - eia e rima
 
Gestão Ambiental 06 - emissão zero
Gestão Ambiental 06 -  emissão zeroGestão Ambiental 06 -  emissão zero
Gestão Ambiental 06 - emissão zero
 
Gestão Ambiental 05 - politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Gestão Ambiental 05 -  politica nacional para resíduos sólidos e reciclagemGestão Ambiental 05 -  politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
Gestão Ambiental 05 - politica nacional para resíduos sólidos e reciclagem
 
Gestão Ambiental 04 - gerenciamento de resíduos sólidos
Gestão Ambiental 04 -  gerenciamento de resíduos sólidosGestão Ambiental 04 -  gerenciamento de resíduos sólidos
Gestão Ambiental 04 - gerenciamento de resíduos sólidos
 
Gestão Ambiental 03 - a sustentabilidade no microambiente
Gestão Ambiental 03 -  a sustentabilidade no microambienteGestão Ambiental 03 -  a sustentabilidade no microambiente
Gestão Ambiental 03 - a sustentabilidade no microambiente
 
Gestão Ambiental 02 - impactos no macroambiente
Gestão Ambiental 02 -  impactos no macroambienteGestão Ambiental 02 -  impactos no macroambiente
Gestão Ambiental 02 - impactos no macroambiente
 
Análise das Demonstrações Financeiras
Análise das Demonstrações FinanceirasAnálise das Demonstrações Financeiras
Análise das Demonstrações Financeiras
 
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
Pesquisa de Marketing - UFES (Curso de Verão)
 
Questões ENADE - Administração Financeira
Questões ENADE - Administração FinanceiraQuestões ENADE - Administração Financeira
Questões ENADE - Administração Financeira
 
Pós - Matemática Financeira
Pós - Matemática FinanceiraPós - Matemática Financeira
Pós - Matemática Financeira
 
Politicas e Modelos de Financiamento
Politicas e Modelos de FinanciamentoPoliticas e Modelos de Financiamento
Politicas e Modelos de Financiamento
 
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
Análise da criação, manutenção e exclusão das redes de relacionamentos (netwo...
 
Avaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Avaliação de Empresas e Gestão de InvestimentosAvaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
Avaliação de Empresas e Gestão de Investimentos
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
60 Exercícios Resolvidos de Administração Financeira para Concursos
 
Gestão de Tesouraria
Gestão de TesourariaGestão de Tesouraria
Gestão de Tesouraria
 
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura OrganizacionalDO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
DO Unidade 3 - Resiliência e Arquitetura Organizacional
 
DO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do Conhecimento
DO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do ConhecimentoDO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do Conhecimento
DO Unidade 1 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional e Gestão do Conhecimento
 

Último

Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
E-Commerce Brasil
 
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊMANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
EMERSON BRITO
 
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
E-Commerce Brasil
 
APRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptx
APRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptxAPRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptx
APRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptx
thiago718348
 
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamentoGuia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Leonardo Espírito Santo
 
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
E-Commerce Brasil
 

Último (14)

Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
 
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
 
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊMANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
 
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
 
APRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptx
APRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptxAPRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptx
APRESENTAÇÃO PTA NR 18 trabalho - R2.pptx
 
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamentoGuia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
 
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
 
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
 
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
 
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
 
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
 
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
 
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
 

Gestão Ambiental 07 - produção limpa

  • 1. Produção Limpa Prof. Milton Henrique miltonhcouto@gmail.com
  • 2. Conceito É uma proposta para representar o sistema de produção industrial que leve em conta a: • sustentabilidade de fontes renováveis de matérias-primas; • redução do consumo de água e energia; • prevenção de geração de resíduos tóxicos e perigosos na fonte de produção; • reutilização e reaproveitamento de materiais por reciclagem de maneira atóxica e energia-eficiente; • geração de produtos de vida útil longa, seguros e atóxicos, para o homem e o ambiente natural; e • reciclagem (na planta industrial ou fora dela), de maneira atóxica e eficiente, como substitutivo para as opções de manejo ambiental representadas por incineração e despejos em aterros.
  • 5. Os 4 Elementos da Produção Limpa • O Enfoque Precautório • Quem paga o ônus da poluição é o agente poluidor.
  • 6. Os 4 Elementos da Produção Limpa • O Enfoque Preventivo • Prevenir é melhor que remediar. Muitas empresas precisam remediar, pois deixaram no início de suas atividades de fazer a prevenção dos possíveis agentes poluidores. Dessa forma, fica muito mais caro para empresa não tomar medidas que possam vir a garantir uma futura multa pela falta de consciência e eficiência em sua área ambiental.
  • 7. Os 4 Elementos da Produção Limpa • O Controle Democrático • As informações são a parte mais importante para se atingir o controle democrático de determinada região. Comunidades devem participar efetivamente nesse controle bem como todos os registros para controle.
  • 8. Os 4 Elementos da Produção Limpa • A Abordagem Integrada e Holística • O uso dos recursos naturais deve seguir uma direção integrada para se atingir tal objetivo. Ou seja, toda poluição que é lançada na natureza deve ser controlada em processos de produção que garantam uma eficiência limpa e integrada entre meio ambiente e os homens. Dá-se aí o nome de visão holística. O homem passa a não ser mais o centro do universo, mas sim, fazer parte dele dentro de um contexto ambiental.
  • 9. Produção + Limpa • É a aplicação contínua de uma estratégia ambiental preventiva e integrada, nos processos produtivos, nos produtos e nos serviços, para reduzir os riscos relevantes aos seres humanos e ao ambiente natural, de acordo com a United Nations Environmental Program/United Nations Industrial Development Organization – UNEP/UNIDO
  • 10. Produção + Limpa • Significa a aplicação contínua de uma estratégia econômica, ambiental e tecnológica integrada aos processos e produtos, a fim de aumentar a eficiência no uso de matérias-primas, água e energia, por meio da não-geração, minimização ou reciclagem de resíduos gerados e redução de custos
  • 11. Produção + Limpa • O princípio básico da metodologia de Produção mais Limpa (P + L) é eliminar a poluição durante o processo de produção, não no final
  • 12. Focos da P + L • Este processo requer melhorias tecnológicas, aplicação de Know-how e mudanças de atitude. • Know-how (saber como fazer): melhorar a eficiência e eficácia, adotando melhores técnicas de gestão, housekeeping ou solução caseiras e revisando políticas e procedimentos. INTELIGÊNCIA INTELECTUAL • Mudança de atitude: nova abordagem entre a indústria e o ambiente, pois ao repensar um processo industrial pode ocorrer a geração de melhores resultados
  • 13. Objetivos da P + L • Aumentar a produtividade através do uso mais eficiente dos materiais, energia e água; • Promover a melhora da performance ambiental através da redução de resíduos e emissões; • Reduzir o impacto ambiental dos produtos em todo seu ciclo de vida através de um projeto ecológico e economicamente eficiente
  • 14. Benefícios da P + L • Redução (= uso racional) da quantidade de materiais e energia utilizados (dos custos de produção), tornando, assim, os processos mais econômicos de maneira sustentável  rentabilidade do negócio  expansão no mercado dos produtos da empresa; • Prevenção da poluição, gerando menos resíduos, efluentes, emissões e produtos tóxicos; • A busca pela redução dos poluentes leva a criação de uma cultura que busca inovação dos processos continuamente, aumentada consequentemente, a produtividade das empresas; • Maior grau de comunicação e participação das empresas com os organismos locais (governamentais ou não governamentais), com as universidades e a comunidade. • Sensibilizar a participação da força de trabalho  redução dos riscos de acidentes ambientais e ocupacionais. • Evita custos do não-cumprimento legal, bem como de seguros • Facilita o acesso ao crédito e financiamentos específicos
  • 15.
  • 17. Housekeeping Ou boas práticas - são alterações simples nos processos ou nas matérias- primas, incluindo mudanças no nível organizacional. Normalmente, são medidas economicamente mais interessantes e fáceis de implementar. Pode incluir: • treinamento e motivação pessoal; • alteração na forma de operar os equipamentos; • alteração na concentração ou dosagem de produtos; • incremento no uso da capacidade dos equipamentos; • reorganização do sistema de manutenção preventiva e corretiva; • evitar perdas por evaporação; • melhoria nas compras, armazenagem e entrega de produtos e matérias-primas; • padronizações e normatizações, etc.
  • 19. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Balanço da fábrica • É o balanço total de material e energia da fábrica. Os recursos utilizados são analisados como entradas (matéria-prima) e saídas (resíduo)
  • 20. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Balanço do processo • É a análise de cada processo de produção. É verificado cada passo do processo, utilizando o esquema de entradas e saídas. Desta forma, quando todos o resultados finais dos balanços de processos é concluído e somado, este valor final deve ser igual aquele encontrado no balanço da fábrica.
  • 21. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Vantagens • Identificação dos pontos fracos e do potencial de otimização, considerando que todas as entradas e saídas dos diversos processos são devidamente identificadas e ordenadas. Portanto, os pontos onde há maior geração de resíduos, efluentes e emissões são identificados e medidas podem ser tomadas. • A análise de matéria e energia resultante do balanço do processo colabora com dados que serão importantes para a análise do ciclo de vida do produto.
  • 22. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Desvantagens • Muitas vezes é difícil estabelecer onde está o “limite” de um determinado processo de produção. Por esta razão uma solução possível seria a análise de partes de um determinado processo. • A realização de um balanço detalhado de processo demanda tempo e envolve custos.
  • 23. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Balanço do produto • Esta é a análise ciclo de vida do produto, ou seja, deste a aquisição de matéria-prima até a sua disposição final.
  • 24. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Possibilidades • O instrumento de análise oferece informações importantes a respeito das chances para a redução de custos e ou melhoria da qualidade. • A análise também oferece informações que colaboram para a estratégia de marketing ambiental
  • 25. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Limites • A análise detalhada do ciclo de vida de um produto demanda tempo e recursos financeiros. • Deve-se considerar até que ponto vale a pena (tempo-recursos) a realização de uma análise extremamente detalhada. Existem alternativas para análise que são menos complexas e que também podem ser úteis para a empresa.
  • 26. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Balanço da Planta • É um balanço completo da(s) fábrica(s), e inclui além da análise de entradas e saídas de matéria e energia outros aspectos como, por exemplo, a análise dos efeitos sobre o solo na área onde a planta está localizada.
  • 27. Análise do Ciclo de Vida Balanço Ambiental Alguns Softwares Disponíveis • AUDIT - software para análise de matéria-prima, energia e custos aplicáveis a fabrica, ao produto ou ao processo. • GABI - sistema de software para o balanço, análise e avaliação, considerando todas as questões relativas ao ciclo de vida. • REGIS - software para análise do fluxo de matéria, para o controle ecológico e para a organização da documentação do balanço ambiental. • SYCAT - programa utilizado como ferramenta para gestão do processo. Permite a análise, modelagem, simulação e documentação. • UMBERTO - software para apresentação, análise e simulação do fluxo de matéria, energia e custos, com relação à fábrica, ao produto ou ao processo.
  • 28. Ecologia Industrial Quando comparado com o sistema biológico, o sistema industrial também apresenta produtores, consumidores e decompositores: • Produtores: são responsáveis pelas atividades primárias de produção de energia e matéria-prima, • Consumidores: são os sistemas industriais. • Decompositores: são as atividades de reciclagem ou tratamento de resíduos, efluentes e emissões.
  • 29. Ecologia Industrial No âmbito da ecologia industrial pretende-se transformar a linearidade dos sistemas industriais em sistemas cíclicos, no qual matérias-primas, energia e resíduos sejam sempre reutilizados. Busca-se uma abordagem sistêmica, a fim de visualizarem-se as conexões entre os sistemas antropológico, biológico e o ambiente.