SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE POTIGUAR CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM ATENÇÃO BÁSICA – PAAB 2 DIABETES Prafª: Euglena Lessa Bezerra [email_address]
DIABETES MELLITUS HISTÓRICO Era Egípcia : Hebreus / diabetes gestacional 2000 anos depois: 70 D.C, Grécia: Areteu da Capadócia: silenciosa;  algo “grave e misterioso”/ 4 Ps
DIABETES MELLITUS HISTÓRICO 1670 d.c :médico inglês Thomas Willis/ prova urina, “doce, cheia de açúcar; 1815 o Dr. M. Chevreul: o açúcar dos diabéticos era glicose ( diabetes açucarada ou diabetes mellitus) 1889 cientistas alemães: Von Mering e Minkowski  Pâncreas  hormônios; 1949, Claude Bernard :  “secreção interna”/ Endocrinologia, séc. XX
DIABETES MELLITUS DM é uma síndrome de etiologia múltipla,  decorrente da falta de insulina e/ou incapacidade da insulina de exercer adequadamente seus efeitos. Caracterizada por  hiperglicemia crônica com distúrbio do  metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas
DIABETES MELLITUS Epidemiologia : 120 milhões de diabéticos no mundo: 2011= 213 milhões Brasil: 5 milhões - prev: 7,6%
DIABETES MELLITUS TIPOS TIPO 1; TIPO2; GESTACIONAL; OUTROS:   secundária ao aumento da função das glândulas endócrinas;  à doenças pancreáticas; resistência congênita ou adquirida à insulina; diabetes tipo LADA (latent autoimmune diabetes in adults), etc...
Diferenças maiores entre Tipo 1 e Tipo 2 Tipo 1 20% dos casos aparecimento em crianças e jovens ausência de insulina por destruição das células beta tendência a cetoacidose não é hereditário Tipo 2 80% dos casos aparecimento na idade adulta e idosos resistência do tecido alvo ou diminuição da secreção de  insulina história familiar frequente Obesidade em 80%
DIABETES MELLITUS   Sinais e Sintomas Muita sede;  Vontade de urinar diversas vezes;  Perda de peso;  Fome exagerada;  Visão embaçada;  Infecções repetidas na pele ou mucosas;  Machucados que demoram a cicatrizar;  Fadiga (cansaço inexplicável);  Dores nas pernas por causa da má circulação.   P.S: sintomas vagos ou sem sintomas – tipo 2- anos até descoberta
Exames complementares Glicemia de jejum; Teste oral de tolerância à glicose Glicemia pós-prandial Hemoglobina glicada; Hemoglicoteste(HGT); Frutosamina; EAS
Diagnóstico Diabestes;(>=126mg%); 140mg% TOTG; 200 ou + se pós-prandial; Intolerância à glicose: 100-126mg% Normal: 70-99mg%
Sintomas Hiperglicemia  (alta de açúcar) Hipoglicemia  (baixa de açúcar)  Início Lento Súbito (minutos) Sede Muita Inalterada Urina Muita quantidade Inalterada Fome Muita Muita ou normal Perda de peso Freqüente Não Pele Seca Normal ou úmida Mucosa da Boca Seca Normal Suores Ausentes Freqüentes e frios Tremores Ausentes Freqüentes Fraqueza Presente Sim ou não Cansaço Presente Presente Glicose no sangue Superior a 200 mg% 40 a 60 mg% ou menos Hálito cetônico Presente ou ausente Ausente
Retinopatia   Diabética   Nefropatia   Diabética   Pé   Diabético   Infarto  do  Miocárdio  e  Acidentes   Vasculares   Infecções   Complicações crônicas
DIABETES MELLITUS Fatores de Risco: idade    45 anos história familiar de DM (pais, filhos, irmãos) excesso de peso (IMC   25 Kg/m 2 ) sedentarismo HDL-c baixo ou triglicérides elevados HAS doença coronariana DM gestacional prévio macrossomia, abortos de repetição  ou mortalidade perinatal uso de medicações hiperglicemiantes (corticoides, tiazídicos, beta-bloqueadores)
Obesity and Diabetes Risk Knowler WC et al.  Am J Epidemiol   1981;113:144-156. 0 20 40 60 80 100 <20 20-25 25-30 30-35 35-40 >40 BMI Levels Incidence of New Cases per 1,000 Person-Years
“ A verdadeira felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem um rigoroso controle da gula.&quot; (Mahatma Gandhi)
DIABETES MELLITUS Dieta medicação Exercícios  físicos Educação em diabetes Equilíbrio emocional Motivação pessoal Controle domiciliar  da glicemia Disciplina e força de vontade Apoio social e familiar
Redução na incidência de DM2  com estilo de vida: DPP Incidência Cumulativa  De DM2 (%) N Engl J Med 2002, 346: 393
DIABETES MELLITUS TRATAMENTO DM Tipo 2: antidiabético oral Insulina antidiabético oral + Insulina DM Tipo 1: Insulina Ação lenta- Glargine ação intermediária- NPH  ação rápida – regular ação ultra-rápida- lipro, aspart
Como Agem os Antidiabéticos Orais 1) RETARDAM A ABSORÇÃO DE CABOIDRATOS REDUÇÃO DA GLICEMIA 3) ESTIMULAM A SECREÇÃO ALTERADA DE INSULINA Sulfoniluréias 4) REDUZEM A RESISTÊNCIA PERIFÉRICA À  INSULINA Glitazonas Metformina 2) REDUZEM A PRODUÇÃO EXCESSIVA DE GLICOSE NO FÍGADO Metformina Adaptado de: DeFronzo RA. Ann Intern Med 1999; 131:283-303
INSULINA: Pontos de Aplicação
Slide 54 b
Transplante   pancreático   Transplante  de  ilhotas   Bio- engenharia  com  células   tronco  e  afins   O  pâncreas  virtual   Regeneração  de  ilhotas   Futuro
Prevenção Estilo de vida; Atividade física; Alimentação; Consultas e exames; &quot;Se alguém procura a saúde, pergunta-lhe primeiro se está disposto a evitar no futuro as causas da doença; em caso contrário, abstém-te de o ajudar.&quot; (Sócrates)
PIRÂMIDE DE ATIVIDADE FÍSICA
&quot;Para a saúde da mente e do corpo, os homens deveriam enxergar com seus próprios olhos, falar sem megafone, caminhar com sobre os próprios pés em vez de andar sobre rodas, trabalhar e lutar com seus próprios braços, sem artefatos ou máquinas.&quot; ( John Ruskin  )
PIRÂMIDE ALIMENTAR
Lei  Federal nº 11.347, de 27/09/2006  - Dispõe sobre a distribuição gratuita de medicamentos e materiais necessários à sua aplicação e à monitoração da glicemia capilar aos portadores de diabetes inscritos em programas de educação para diabéticos.  Direitos legais
“ A saúde é o resultado não só de nossos atos como também de nossos pensamentos.&quot;  (Mahatma Gandhi) Obrigada!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitusHipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitus
LUNATH
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
guest30e4af
 
Aula Hiperdia 06.05.2009 I
Aula Hiperdia   06.05.2009 IAula Hiperdia   06.05.2009 I
Aula Hiperdia 06.05.2009 I
Sandra Flôr
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
blogped1
 
Aula de diabetes
Aula de diabetesAula de diabetes
Aula de diabetes
Ellen Santos
 
SUS - Aula
SUS - AulaSUS - Aula
SUS - Aula
Janaína Lassala
 
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALNUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
Elyda Santos
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
Marco Enomoto
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
Viviane da Silva
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Diabetes Mellitus
Diabetes MellitusDiabetes Mellitus
Diabetes Mellitus
Cíntia Costa
 
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticosAtendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Oyara Mello
 
Hipertensão
Hipertensão Hipertensão
Hipertensão
Nome Sobrenome
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
Ismael Costa
 
5ª aula vias de administração
5ª aula   vias de administração5ª aula   vias de administração
5ª aula vias de administração
Claudio Luis Venturini
 
HiperDia
HiperDia HiperDia
HiperDia
joselene beatriz
 
Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus
Hipertensão Arterial e Diabetes MellitusHipertensão Arterial e Diabetes Mellitus
Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
Diabetes Tipo 1
Diabetes Tipo 1Diabetes Tipo 1

Mais procurados (20)

Hipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitusHipertensão arterial e diabetes mellitus
Hipertensão arterial e diabetes mellitus
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Aula Hiperdia 06.05.2009 I
Aula Hiperdia   06.05.2009 IAula Hiperdia   06.05.2009 I
Aula Hiperdia 06.05.2009 I
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Aula de diabetes
Aula de diabetesAula de diabetes
Aula de diabetes
 
SUS - Aula
SUS - AulaSUS - Aula
SUS - Aula
 
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALNUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 
Diabetes Mellitus
Diabetes MellitusDiabetes Mellitus
Diabetes Mellitus
 
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticosAtendimento e cuidados com pacientes diabéticos
Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos
 
Hipertensão
Hipertensão Hipertensão
Hipertensão
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
 
5ª aula vias de administração
5ª aula   vias de administração5ª aula   vias de administração
5ª aula vias de administração
 
HiperDia
HiperDia HiperDia
HiperDia
 
Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus
Hipertensão Arterial e Diabetes MellitusHipertensão Arterial e Diabetes Mellitus
Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Diabetes Tipo 1
Diabetes Tipo 1Diabetes Tipo 1
Diabetes Tipo 1
 

Semelhante a Aula Diabetes

SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptxSLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
DiegoSousa419733
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
Renato
 
HAS e DM- Saúde do idoso.pdf
HAS e DM- Saúde do idoso.pdfHAS e DM- Saúde do idoso.pdf
HAS e DM- Saúde do idoso.pdf
Amanda Fernandes Carvalho
 
Biologia genes
Biologia genesBiologia genes
Biologia genes
turmaceso
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
Renata Carvalho
 
Fatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãO
Fatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãOFatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãO
Fatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãO
liaalima
 
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
Bioquímica ii 15   síndrome metabólicaBioquímica ii 15   síndrome metabólica
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
Jucie Vasconcelos
 
diabetes-mellitus-151217033834.pdf
diabetes-mellitus-151217033834.pdfdiabetes-mellitus-151217033834.pdf
diabetes-mellitus-151217033834.pdf
CarlaFMboa
 
Doença celíaca
 Doença celíaca Doença celíaca
Doença celíaca
Raquelrenno
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
Dessa Reis
 
Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)
Luciane Santana
 
Seminário diabetes mellitus
Seminário diabetes mellitusSeminário diabetes mellitus
Seminário diabetes mellitus
Artemosfera Cia de Artes
 
Tratamento Da Obesidade
Tratamento Da  ObesidadeTratamento Da  Obesidade
Tratamento Da Obesidade
Fernanda Melo
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Doença de alzheimer
Doença de alzheimerDoença de alzheimer
Doença de alzheimer
carla-monteiro
 
Aula dm farmaco 2013
Aula dm farmaco 2013Aula dm farmaco 2013
Aula dm farmaco 2013
Elaine Moura
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
Dessa Reis
 
E-book EuSaúde - Diabetes
E-book EuSaúde - DiabetesE-book EuSaúde - Diabetes
E-book EuSaúde - Diabetes
EuSaúde
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
Cms Nunes
 
Aula Síndrome Metabólica Paab VI
Aula Síndrome Metabólica Paab VIAula Síndrome Metabólica Paab VI
Aula Síndrome Metabólica Paab VI
Professor Robson
 

Semelhante a Aula Diabetes (20)

SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptxSLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
HAS e DM- Saúde do idoso.pdf
HAS e DM- Saúde do idoso.pdfHAS e DM- Saúde do idoso.pdf
HAS e DM- Saúde do idoso.pdf
 
Biologia genes
Biologia genesBiologia genes
Biologia genes
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Fatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãO
Fatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãOFatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãO
Fatores De Risco Cardiovascular ApresentaçãO
 
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
Bioquímica ii 15   síndrome metabólicaBioquímica ii 15   síndrome metabólica
Bioquímica ii 15 síndrome metabólica
 
diabetes-mellitus-151217033834.pdf
diabetes-mellitus-151217033834.pdfdiabetes-mellitus-151217033834.pdf
diabetes-mellitus-151217033834.pdf
 
Doença celíaca
 Doença celíaca Doença celíaca
Doença celíaca
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
 
Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)Diabetes mellitus (1)
Diabetes mellitus (1)
 
Seminário diabetes mellitus
Seminário diabetes mellitusSeminário diabetes mellitus
Seminário diabetes mellitus
 
Tratamento Da Obesidade
Tratamento Da  ObesidadeTratamento Da  Obesidade
Tratamento Da Obesidade
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Doença de alzheimer
Doença de alzheimerDoença de alzheimer
Doença de alzheimer
 
Aula dm farmaco 2013
Aula dm farmaco 2013Aula dm farmaco 2013
Aula dm farmaco 2013
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
 
E-book EuSaúde - Diabetes
E-book EuSaúde - DiabetesE-book EuSaúde - Diabetes
E-book EuSaúde - Diabetes
 
Controle da diabetes
Controle da diabetesControle da diabetes
Controle da diabetes
 
Aula Síndrome Metabólica Paab VI
Aula Síndrome Metabólica Paab VIAula Síndrome Metabólica Paab VI
Aula Síndrome Metabólica Paab VI
 

Mais de Professor Robson

Como cuidar da criança com tuberculose
Como cuidar da criança com tuberculoseComo cuidar da criança com tuberculose
Como cuidar da criança com tuberculose
Professor Robson
 
Questões Meningite Meningocócica
Questões Meningite Meningocócica Questões Meningite Meningocócica
Questões Meningite Meningocócica
Professor Robson
 
Tópicos para manejo da criança exposta ao HIV
Tópicos para manejo da criança exposta ao HIVTópicos para manejo da criança exposta ao HIV
Tópicos para manejo da criança exposta ao HIV
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35
Professor Robson
 
Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...
Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...
Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34
Professor Robson
 
Fluxograma para manejo da sífilis congênita
Fluxograma para manejo da sífilis congênitaFluxograma para manejo da sífilis congênita
Fluxograma para manejo da sífilis congênita
Professor Robson
 
Fluxograma para manejo de acidente por escorpião
Fluxograma para manejo de acidente por escorpiãoFluxograma para manejo de acidente por escorpião
Fluxograma para manejo de acidente por escorpião
Professor Robson
 
Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...
Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...
Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Professor Robson
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Professor Robson
 

Mais de Professor Robson (20)

Como cuidar da criança com tuberculose
Como cuidar da criança com tuberculoseComo cuidar da criança com tuberculose
Como cuidar da criança com tuberculose
 
Questões Meningite Meningocócica
Questões Meningite Meningocócica Questões Meningite Meningocócica
Questões Meningite Meningocócica
 
Tópicos para manejo da criança exposta ao HIV
Tópicos para manejo da criança exposta ao HIVTópicos para manejo da criança exposta ao HIV
Tópicos para manejo da criança exposta ao HIV
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 37
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 36
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 35
 
Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...
Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...
Fluxograma para manejo da toxoplasmose adquirida na gravidez e congênita prof...
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 34
 
Fluxograma para manejo da sífilis congênita
Fluxograma para manejo da sífilis congênitaFluxograma para manejo da sífilis congênita
Fluxograma para manejo da sífilis congênita
 
Fluxograma para manejo de acidente por escorpião
Fluxograma para manejo de acidente por escorpiãoFluxograma para manejo de acidente por escorpião
Fluxograma para manejo de acidente por escorpião
 
Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...
Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...
Rotinas Ambulatoriais do Serviço de Infectologia Pediátrica da Universidade P...
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 33
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 32
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 31
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 30
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 29
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 28
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 27
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 26
 
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
Serviço de infectologia pediátrica caso clínico 25
 

Último

mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
Anderson1783
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
dantemalca
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
GleenseCartonilho
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 

Último (9)

mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 

Aula Diabetes

  • 1. UNIVERSIDADE POTIGUAR CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM ATENÇÃO BÁSICA – PAAB 2 DIABETES Prafª: Euglena Lessa Bezerra [email_address]
  • 2. DIABETES MELLITUS HISTÓRICO Era Egípcia : Hebreus / diabetes gestacional 2000 anos depois: 70 D.C, Grécia: Areteu da Capadócia: silenciosa; algo “grave e misterioso”/ 4 Ps
  • 3. DIABETES MELLITUS HISTÓRICO 1670 d.c :médico inglês Thomas Willis/ prova urina, “doce, cheia de açúcar; 1815 o Dr. M. Chevreul: o açúcar dos diabéticos era glicose ( diabetes açucarada ou diabetes mellitus) 1889 cientistas alemães: Von Mering e Minkowski Pâncreas  hormônios; 1949, Claude Bernard : “secreção interna”/ Endocrinologia, séc. XX
  • 4. DIABETES MELLITUS DM é uma síndrome de etiologia múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou incapacidade da insulina de exercer adequadamente seus efeitos. Caracterizada por hiperglicemia crônica com distúrbio do metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas
  • 5. DIABETES MELLITUS Epidemiologia : 120 milhões de diabéticos no mundo: 2011= 213 milhões Brasil: 5 milhões - prev: 7,6%
  • 6. DIABETES MELLITUS TIPOS TIPO 1; TIPO2; GESTACIONAL; OUTROS: secundária ao aumento da função das glândulas endócrinas; à doenças pancreáticas; resistência congênita ou adquirida à insulina; diabetes tipo LADA (latent autoimmune diabetes in adults), etc...
  • 7. Diferenças maiores entre Tipo 1 e Tipo 2 Tipo 1 20% dos casos aparecimento em crianças e jovens ausência de insulina por destruição das células beta tendência a cetoacidose não é hereditário Tipo 2 80% dos casos aparecimento na idade adulta e idosos resistência do tecido alvo ou diminuição da secreção de insulina história familiar frequente Obesidade em 80%
  • 8. DIABETES MELLITUS Sinais e Sintomas Muita sede; Vontade de urinar diversas vezes; Perda de peso; Fome exagerada; Visão embaçada; Infecções repetidas na pele ou mucosas; Machucados que demoram a cicatrizar; Fadiga (cansaço inexplicável); Dores nas pernas por causa da má circulação. P.S: sintomas vagos ou sem sintomas – tipo 2- anos até descoberta
  • 9. Exames complementares Glicemia de jejum; Teste oral de tolerância à glicose Glicemia pós-prandial Hemoglobina glicada; Hemoglicoteste(HGT); Frutosamina; EAS
  • 10. Diagnóstico Diabestes;(>=126mg%); 140mg% TOTG; 200 ou + se pós-prandial; Intolerância à glicose: 100-126mg% Normal: 70-99mg%
  • 11. Sintomas Hiperglicemia (alta de açúcar) Hipoglicemia (baixa de açúcar) Início Lento Súbito (minutos) Sede Muita Inalterada Urina Muita quantidade Inalterada Fome Muita Muita ou normal Perda de peso Freqüente Não Pele Seca Normal ou úmida Mucosa da Boca Seca Normal Suores Ausentes Freqüentes e frios Tremores Ausentes Freqüentes Fraqueza Presente Sim ou não Cansaço Presente Presente Glicose no sangue Superior a 200 mg% 40 a 60 mg% ou menos Hálito cetônico Presente ou ausente Ausente
  • 12. Retinopatia Diabética Nefropatia Diabética Pé Diabético Infarto do Miocárdio e Acidentes Vasculares Infecções Complicações crônicas
  • 13. DIABETES MELLITUS Fatores de Risco: idade  45 anos história familiar de DM (pais, filhos, irmãos) excesso de peso (IMC  25 Kg/m 2 ) sedentarismo HDL-c baixo ou triglicérides elevados HAS doença coronariana DM gestacional prévio macrossomia, abortos de repetição ou mortalidade perinatal uso de medicações hiperglicemiantes (corticoides, tiazídicos, beta-bloqueadores)
  • 14. Obesity and Diabetes Risk Knowler WC et al. Am J Epidemiol 1981;113:144-156. 0 20 40 60 80 100 <20 20-25 25-30 30-35 35-40 >40 BMI Levels Incidence of New Cases per 1,000 Person-Years
  • 15. “ A verdadeira felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem um rigoroso controle da gula.&quot; (Mahatma Gandhi)
  • 16. DIABETES MELLITUS Dieta medicação Exercícios físicos Educação em diabetes Equilíbrio emocional Motivação pessoal Controle domiciliar da glicemia Disciplina e força de vontade Apoio social e familiar
  • 17. Redução na incidência de DM2 com estilo de vida: DPP Incidência Cumulativa De DM2 (%) N Engl J Med 2002, 346: 393
  • 18. DIABETES MELLITUS TRATAMENTO DM Tipo 2: antidiabético oral Insulina antidiabético oral + Insulina DM Tipo 1: Insulina Ação lenta- Glargine ação intermediária- NPH ação rápida – regular ação ultra-rápida- lipro, aspart
  • 19. Como Agem os Antidiabéticos Orais 1) RETARDAM A ABSORÇÃO DE CABOIDRATOS REDUÇÃO DA GLICEMIA 3) ESTIMULAM A SECREÇÃO ALTERADA DE INSULINA Sulfoniluréias 4) REDUZEM A RESISTÊNCIA PERIFÉRICA À INSULINA Glitazonas Metformina 2) REDUZEM A PRODUÇÃO EXCESSIVA DE GLICOSE NO FÍGADO Metformina Adaptado de: DeFronzo RA. Ann Intern Med 1999; 131:283-303
  • 20. INSULINA: Pontos de Aplicação
  • 22. Transplante pancreático Transplante de ilhotas Bio- engenharia com células tronco e afins O pâncreas virtual Regeneração de ilhotas Futuro
  • 23. Prevenção Estilo de vida; Atividade física; Alimentação; Consultas e exames; &quot;Se alguém procura a saúde, pergunta-lhe primeiro se está disposto a evitar no futuro as causas da doença; em caso contrário, abstém-te de o ajudar.&quot; (Sócrates)
  • 25. &quot;Para a saúde da mente e do corpo, os homens deveriam enxergar com seus próprios olhos, falar sem megafone, caminhar com sobre os próprios pés em vez de andar sobre rodas, trabalhar e lutar com seus próprios braços, sem artefatos ou máquinas.&quot; ( John Ruskin )
  • 27. Lei Federal nº 11.347, de 27/09/2006 - Dispõe sobre a distribuição gratuita de medicamentos e materiais necessários à sua aplicação e à monitoração da glicemia capilar aos portadores de diabetes inscritos em programas de educação para diabéticos. Direitos legais
  • 28. “ A saúde é o resultado não só de nossos atos como também de nossos pensamentos.&quot; (Mahatma Gandhi) Obrigada!