SlideShare uma empresa Scribd logo
Avaliação de Usabilidade
Parte 1
Prof. André Constantino da Silva
IHC
Baseado nos slides da
Prof. Dr. Heloísa Vieira da Rocha
• Compreender a importância da avaliação
em um processo de desenvolvimento de
interfaces de usuário
• Conhecer e aplicar dois métodos de
avaliação de usabilidade
Objetivo das Aulas
Usabilidade
ACEITABILIDADE
DE SISTEMAS
ACEITABILIDADE
SOCIAL
ACEITABILIDADE
PRÁTICA
USEFULNESS
•Custo
•Compatibilidade
•Confiabilidade
•Etc
UTILIDADE
USABILIDADE
•Fácil de Aprender
•Eficiente
•Fácil de Lembrar
•Poucos Erros
•Satisfação Subjetiva
Nielsen, 1993
• Aspectos da interface do usuário que
podem causar uma usabilidade reduzida ao
usuário final do sistema
O que é um problema de usabilidade?
• Diferentes tipos de avaliação são
necessárias em diferentes estágios do
design
– Estágios iniciais onde ideias estão sendo
exploradas e tentadas, muitas vezes testes
bastante informais são suficientes
– Estágios finais exigem avaliações mais
formais.
A Avaliação
• Estágio do design (inicio, meio ou fim)
• Quão pioneiro é o projeto (bem definido versus
exploratório)
• número esperado de usuários
• quão crítica é a interface (por exemplo, um sistema de
controle de tráfego aéreo versus um sistema de
orientação de um shopping)
• custo do produto e orçamento alocado para o teste
• tempo disponível
• Experiência dos projetistas e avaliadores
Como determinar qual método usar?
• Três grandes objetivos:
– Avaliar a funcionalidade do sistema
• Estar adequada aos requisitos da tarefa do usuário
• Efetuar a tarefa pretendida e de modo mais fácil e eficiente
– Avaliar o efeito da interface junto ao usuário
• Avaliar quão fácil é aprender a usar o sistema; a atitude do usuário
com relação ao sistema; identificar áreas do design as quais
sobrecarregam o usuário de alguma forma, por exemplo, exigindo que
uma série de informações sejam relembradas
– Identificar problemas específicos do sistema
• Identificar aspectos do design os quais quando usados no contexto
alvo, causam resultados inesperados ou confusão entre os usuários
Objetivos da Avaliação
• Métodos de Inspeção
– Não envolve usuários
– Pode ser usado em qualquer fase do desenvolvimento de um
sistema (implementado ou não)
• Métodos Empíricos
– Envolve a participação do usuário
– Incluem métodos experimentais, métodos observacionais e
técnicas de questionamento
– é necessária a existência de uma implementação real do
sistema em algum formato que pode ser desde uma
simulação da capacidade interativa do sistema, sem
nenhuma funcionalidade, um protótipo básico
implementando, um cenário, ou até a implementação
completa
Grupos de Métodos
Métodos de Avaliação de Usabilidade
• Métodos de Inspeção
– Avaliação Heurística
– Revisão de Guidelines
– Percurso Pluralístico
– Inspeção de Consistência
– Inspeções de Standards
– Percurso Cognitivo
• Testes de Usabilidade
• Métodos empíricos são o principal modo de avaliar
interfaces e certamente o mais tradicional
– Mas usuários reais são difíceis e caros para serem recrutados
de forma a se poder testar todas as fases do
desenvolvimento evolutivo de uma interface
• Muitos estudos demonstram que muitos problemas
encontrados por métodos de inspeção não são
detectados com testes de usuários e vice-versa
– Esses estudos sugerem que os melhores resultados são
obtidos combinando testes com usuários e inspeções
Complementação dos Grupos
Avaliação Heurística
• Realizar uma inspeção da interface tendo
como base uma pequena lista de
heurísticas de usabilidade
• Proposto por Nielsen (1994)
– É fácil (pode ser ensinada em 4hs)
– É rápida (cerca de 1 dia para a maioria das
avaliações)
– E barata
Objetivo
1. Inspetores se reúnem para compreender o contexto da
aplicação, objetivo e visão geral dos usuários
2. Inspetores avaliam individualmente as interfaces de
usuário confrontando com as heurísticas de
usabilidade
3. Inspetores se reúnem para compilar lista única de
potenciais problemas de usabilidade
4. Inspetores atribuem individualmente uma severidade
para os potenciais problemas encontrados
5. Inspetores se reúnem para chegar a um consenso
sobre a severidade de cada um dos problemas
Passos para Realização
• Indica a gravidade de cada problema, sendo
a combinação de três fatores:
– a frequência com que ele ocorre
– impacto do problema quando ele ocorre
– a persistência do problema
– Considerar também o impacto do problema
no mercado
Severidade
1. eu não concordo que isso é um problema de usabilidade
2. É um problema cosmético somente - precisa ser
corrigido somente se sobrar algum tempo no projeto
3. Problema de usabilidade menor - corrigi-lo deve ter
prioridade baixa
4. Problema de usabilidade grave - importante corrigi-lo,
deve ser dada alta prioridade
5. Catástrofe de usabilidade - a sua correção é imperativa
antes do produto ser liberado
Sugestão de Graus de Severidade
Heurísticas de Usabilidade
1. Visibilidade do status do sistema
2. Compatibilidade do sistema com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas de Usabilidade
• Visibilidade do status do sistema
– sistema precisa manter os usuários informados sobre o que
está acontecendo, fornecendo um feedback adequado
dentro de um tempo razoável
Visibilidade do status do sistema
Nenhum feedback
para o usuário
quando entra no
sistema indicando
que a página foi
carregado.
Heurísticas de Usabilidade
• Compatibilidade do sistema com o mundo real
– sistema precisa falar a linguagem do usuário, com palavras,
frases e conceitos familiares ao usuário, ao invés de termos
orientados ao sistema. Seguir convenções do mundo real,
fazendo com que a informação apareça numa ordem
natural e lógica
Compatibilidade do sistema com o mundo real
Termo técnico “Gadgets” pode não ser conhecido pelo usuário.
Compatibilidade do sistema com o mundo real
O botão “e-Tutor” tem rótulo não usual dificultando a compreensão de sua funcionalidade.
Pode-se confundir esse botão com o botão de ajuda levando o usuário a cometer um erro.
Heurísticas de Usabilidade
• Controle do usuário e liberdade
– usuários frequentemente escolhem por engano funções do
sistema e precisam ter claras saídas de emergência para
sair do estado indesejado sem ter que percorrer um
extenso diálogo. Prover funções undo e redo
Controle do usuário e liberdade
Após preencher todos os
campos e pressionar o botão
“Pesquisar”,
todos os campos do
formulário são apagados. Se
algum campo foi informado
incorretamente,
o usuário precisa digitar todos
os dados novamente para
fazer uma nova pesquisa
Controle do usuário e liberdade
O controle do usuário e
liberdade inexiste
praticamente, pois não há
nenhum indicador onde ele
possa sair do jogo a não ser
fechar o browser. Caso queira
voltar ao início do jogo
também é necessário que
reinicie o jogo pelo browser.
Heurísticas de Usabilidade
• Consistência e padrões
– usuários não precisam adivinhar que diferentes palavras,
situações ou ações significam a mesma coisa. Seguir
convenções de plataforma computacional
Consistência e padrões
Esse botão foge dos padrões do
Windows e acaba “escondendo”
tarefas importantes como abrir um
arquivo.
Botão Pesquisar fora do local padrão.
Heurísticas de Usabilidade
• Prevenção de erros
– melhor que uma boa mensagem de erro é um design
cuidadoso o qual previne o erro antes dele a contecer
Prevenção de Erros
Na caixa para digitar as letras são permitidos 4 caracteres correspondente àqueles que
possuem um gato atrás dos mesmos. Se o usuário não lê a mensagem, ele não sabe
porque não consegue digitar todos os 6 caracteres apresentados.
A mensagem "Only enter symbols
attached to a cat" deveria estar
muito bem destacado. Pois só
encontrando um gato atrás da
letra se consegue fazer o
download.
Heurísticas de Usabilidade
• Reconhecimento ao invés de relembrança
– tornar objetos, ações e opções visíveis. O usuário não deve
ter que lembrar informação de uma para outra parte do
diálogo. Instruções para uso do sistema devem estar
visíveis e facilmente recuperáveis quando necessário
Reconhecimento ao invés de relembrança
Campo Editável no Catálogo.
Não há informação que instrua o usuário a clicar no campo para abrir uma caixa editável. O
usuário pode supor que não há o que atualizar, entretanto, deveria existir instruções sobre
quais campos são editáveis
Tela do sistema
gerenciador EMBRIAO.
Página de atualização
de catálogo
Reconhecimento ao invés de relembrança
O usuário não consegue reconhecer qual é o seu próximo passo já que há “botões”
disponíveis que não alteram o status do sistema
Heurísticas de Usabilidade
• Flexibilidade e eficiência de uso
– usuários novatos se tornam peritos com o uso. Prover
aceleradores de forma a aumentar a velocidade da
interação. Permitir a usuários experientes "cortar caminho"
em ações freqüentes.
Flexibilidade e eficiência de
uso
Não há uma opção para excluir a tabela
No menu de acesso rápido.
Flexibilidade e eficiência de uso
Não existe link para
visualizarmos os
convênios. Só
aparece o nome das
univerdades.
Heurísticas de Usabilidade
• Estética e design minimalista
– diálogos não devem conter informação irrelevante ou
raramente necessária. Qualquer unidade de informação
extra no diálogo irá competir com unidades relevantes de
informação e diminuir sua visibilidade relativa
Estética e Design Minimalista
Muita Informação Competindo
com as opções de Menu
Site do CEL - UNICAMP
Heurísticas de Usabilidade
• Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
– mensagens de erro devem ser expressas em linguagem
clara (sem códigos) indicando precisamente o problema e
construtivamente sugerindo uma solução
Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e
corrigir seus erros
Se o usuário errar na
digitação do número do
RG, uma caixa de
diálogo contendo a
mensagem “Por favor,
preencha corretamente o
dígito de controle do RG”
é mostrada. Essa
mensagem é mostrada
mesmo que o erro seja
em um dígito diferente
do dígito de controle.
Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e
corrigir seus erros
Após detectado um erro
na resposta, nenhuma
janela de dica é mostrada
e é solicitado ao usuário
que volte para corrigir o
erro.
Porém, utilizando o botão
indicado, o jogo volta
para o final da etapa 1 e
todas as respostas
corretas
são perdidas, obrigando
o usuário a digitar as
respostas novamente.
Heurísticas de Usabilidade
• Help e documentação
– embora seja melhor um sistema que possa ser usado sem
documentação, é necessário prover help e documentação.
Essas informações devem ser fáceis de encontrar,
focalizadas na tarefa do usuário e não muito extensas.
Help e documentação
Falta de um Help
• Avaliadores devem percorrer a interface pelo menos
duas vezes. Na primeira vez devem se concentrar no
fluxo e na segunda nas componentes individuais do
diálogo.
• A interface deve ser inspecionada com base em uma
lista de princípios de usabilidade, as denominadas
heurísticas
• Todos os problemas devem ser justificados e detalhados
o máximo possível
• Participação de 3 a 5 avaliadores e fazer com que
trabalhem individualmente (sem que um influencie o
outro)
Cuidados na Avaliação Heurística
Exercício - Heurísticas violadas
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e
liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de
uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação
Heurísticas violadas
1. Visibilidade do status do
sistema
2. Compatibilidade do sistema
com o mundo real
3. Controle do usuário e liberdade
4. Consistência e padrões
5. Prevenção de erros
6. Reconhecimento ao invés de
relembrança
7. Flexibilidade e eficiência de uso
8. Estética e design minimalista
9. Ajudar os usuários a
reconhecer, diagnosticar e
corrigir erros
10. Help e documentação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Daniel Brandão
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Lidiane Dos Santos Carvalho
 
Usabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - DefiniçõesUsabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - Definições
Luiz Agner
 
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
André Constantino da Silva
 
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicasUsabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Alan Vasconcelos
 
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de DesignIHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
Márcio Darlen Lopes Cavalcante
 
Experiência do usuário
Experiência do usuárioExperiência do usuário
Experiência do usuário
Victor Rubens
 
Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07
Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07
Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07
Renato Melo
 
Mta1 aula-04 Framework DECIDE
Mta1 aula-04 Framework DECIDEMta1 aula-04 Framework DECIDE
Mta1 aula-04 Framework DECIDE
Alan Vasconcelos
 
Design de interação
Design de interaçãoDesign de interação
Design de interação
Fabricio Araújo
 
Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02
igoroliveiracosta
 
Aula 1. Introdução: Interface Homem-Máquina
Aula 1. Introdução: Interface Homem-MáquinaAula 1. Introdução: Interface Homem-Máquina
Aula 1. Introdução: Interface Homem-Máquina
Silvia Dotta
 
Métodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHCMétodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHC
João Aloísio Winck
 
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidadeConceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Nécio de Lima Veras
 
UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores
Monica Mesquita
 
O que é Interação Humano-Computador?
O que é Interação Humano-Computador?O que é Interação Humano-Computador?
O que é Interação Humano-Computador?
Sidney Roberto
 
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para ExperiênciaInteração Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Wellington Oliveira
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeErgonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Dra. Camila Hamdan
 
Protótipos de papel
Protótipos de papelProtótipos de papel
Protótipos de papel
Robson Santos
 
Paradigmas da comunicação IHC
Paradigmas da comunicação IHCParadigmas da comunicação IHC
Paradigmas da comunicação IHC
Wellington Oliveira
 

Mais procurados (20)

Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
 
Usabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - DefiniçõesUsabilidade, IHC - Definições
Usabilidade, IHC - Definições
 
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
 
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicasUsabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
 
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de DesignIHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
 
Experiência do usuário
Experiência do usuárioExperiência do usuário
Experiência do usuário
 
Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07
Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07
Apresentação UX e UI - Webdesign - Aula 07
 
Mta1 aula-04 Framework DECIDE
Mta1 aula-04 Framework DECIDEMta1 aula-04 Framework DECIDE
Mta1 aula-04 Framework DECIDE
 
Design de interação
Design de interaçãoDesign de interação
Design de interação
 
Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02
 
Aula 1. Introdução: Interface Homem-Máquina
Aula 1. Introdução: Interface Homem-MáquinaAula 1. Introdução: Interface Homem-Máquina
Aula 1. Introdução: Interface Homem-Máquina
 
Métodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHCMétodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHC
 
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidadeConceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
Conceitos básicos de usabilidade e acessibilidade
 
UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores
 
O que é Interação Humano-Computador?
O que é Interação Humano-Computador?O que é Interação Humano-Computador?
O que é Interação Humano-Computador?
 
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para ExperiênciaInteração Humano-Computador - Design para Experiência
Interação Humano-Computador - Design para Experiência
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeErgonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
 
Protótipos de papel
Protótipos de papelProtótipos de papel
Protótipos de papel
 
Paradigmas da comunicação IHC
Paradigmas da comunicação IHCParadigmas da comunicação IHC
Paradigmas da comunicação IHC
 

Destaque

Aula 2 final
Aula 2 finalAula 2 final
Interação Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de OliveiraInteração Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de Oliveira
Wellington Oliveira
 
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Oziel Moreira Neto
 
Unidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junho
Unidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junhoUnidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junho
Unidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junho
Solange Goulart
 
Avaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestreAvaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestre
Lucyanne Guimaraes
 
Os planetas do sistema solar
Os planetas do sistema solarOs planetas do sistema solar
Os planetas do sistema solar
KLARA Rocha
 
PNAIC - Ano 02 unidade 4
PNAIC - Ano 02   unidade 4PNAIC - Ano 02   unidade 4
PNAIC - Ano 02 unidade 4
ElieneDias
 
Unidade 4 ano 1
Unidade 4 ano 1Unidade 4 ano 1
Unidade 4 ano 1
Andreá Perez Leinat
 
Slide Sistema Solar
Slide Sistema SolarSlide Sistema Solar
A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2
Solange Goulart
 
Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]
Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]
Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]
emefeduprado
 
Avaliação de história 4° bimestre do 1° ano
Avaliação de história 4° bimestre do 1° anoAvaliação de história 4° bimestre do 1° ano
Avaliação de história 4° bimestre do 1° ano
Katia Lopes
 
Unidade 4 novo
Unidade 4  novoUnidade 4  novo
Unidade 4 novo
miesbella
 
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 anoAvaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Katia Lopes
 
2º encontro da unidade 1 avaliação
2º encontro da unidade 1   avaliação2º encontro da unidade 1   avaliação
2º encontro da unidade 1 avaliação
Bete Feliciano
 
Avaliação de inglês 4 ano
Avaliação de inglês 4 anoAvaliação de inglês 4 ano
Avaliação de inglês 4 ano
Professora Hesione
 
atividades áreas
atividades áreas atividades áreas
atividades áreas
Frank Junior
 
Avaliação mat 4 ano
Avaliação mat 4 anoAvaliação mat 4 ano
Avaliação mat 4 ano
Nilda Silva
 
Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1
Bete Feliciano
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Jose Manuel Alho
 

Destaque (20)

Aula 2 final
Aula 2 finalAula 2 final
Aula 2 final
 
Interação Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de OliveiraInteração Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de Oliveira
Interação Humano Computador Capítulo 10 Avaliação - Wellington Pinto de Oliveira
 
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1Usabilidade de Interfaces - Parte 1
Usabilidade de Interfaces - Parte 1
 
Unidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junho
Unidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junhoUnidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junho
Unidade 4 ano 1 e 2 dia 27 junho
 
Avaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestreAvaliação de portugues 2 bimestre
Avaliação de portugues 2 bimestre
 
Os planetas do sistema solar
Os planetas do sistema solarOs planetas do sistema solar
Os planetas do sistema solar
 
PNAIC - Ano 02 unidade 4
PNAIC - Ano 02   unidade 4PNAIC - Ano 02   unidade 4
PNAIC - Ano 02 unidade 4
 
Unidade 4 ano 1
Unidade 4 ano 1Unidade 4 ano 1
Unidade 4 ano 1
 
Slide Sistema Solar
Slide Sistema SolarSlide Sistema Solar
Slide Sistema Solar
 
A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2
 
Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]
Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]
Atividades prontas do 4°ano apronto [recuperado]
 
Avaliação de história 4° bimestre do 1° ano
Avaliação de história 4° bimestre do 1° anoAvaliação de história 4° bimestre do 1° ano
Avaliação de história 4° bimestre do 1° ano
 
Unidade 4 novo
Unidade 4  novoUnidade 4  novo
Unidade 4 novo
 
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 anoAvaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
 
2º encontro da unidade 1 avaliação
2º encontro da unidade 1   avaliação2º encontro da unidade 1   avaliação
2º encontro da unidade 1 avaliação
 
Avaliação de inglês 4 ano
Avaliação de inglês 4 anoAvaliação de inglês 4 ano
Avaliação de inglês 4 ano
 
atividades áreas
atividades áreas atividades áreas
atividades áreas
 
Avaliação mat 4 ano
Avaliação mat 4 anoAvaliação mat 4 ano
Avaliação mat 4 ano
 
Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 

Semelhante a Aula 4 - Avaliação de Interface - Parte 1

Usabilidade1
Usabilidade1Usabilidade1
Aula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuários
Aula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuáriosAula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuários
Aula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuários
André Constantino da Silva
 
Palestra - Heurísticas e Usabilidade
Palestra - Heurísticas e UsabilidadePalestra - Heurísticas e Usabilidade
Palestra - Heurísticas e Usabilidade
Luiz Agner
 
127290035 12-usabilidade-mai-2007
127290035 12-usabilidade-mai-2007127290035 12-usabilidade-mai-2007
127290035 12-usabilidade-mai-2007
Marco Guimarães
 
Qual aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidade
Qual  aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidadeQual  aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidade
Qual aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidade
Rafael Lima
 
Métodos de Avaliação de IHC
Métodos de Avaliação de IHCMétodos de Avaliação de IHC
Métodos de Avaliação de IHC
GeorgiaCruz7
 
Aula 01.ppt
Aula 01.pptAula 01.ppt
Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...
Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...
Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Aula 9. Técnicas de avaliação de interface
Aula 9. Técnicas de avaliação de interfaceAula 9. Técnicas de avaliação de interface
Aula 9. Técnicas de avaliação de interface
Silvia Dotta
 
Ihc Aula8 M I Avaliacao Heuristica
Ihc Aula8 M I Avaliacao HeuristicaIhc Aula8 M I Avaliacao Heuristica
Ihc Aula8 M I Avaliacao Heuristica
Fabiano Damiati
 
Ergonomia & Usabilidade
Ergonomia & UsabilidadeErgonomia & Usabilidade
Ergonomia & Usabilidade
Luiz China
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
Luiz Agner
 
Usabilidade Web Alberane
Usabilidade Web AlberaneUsabilidade Web Alberane
Usabilidade Web Alberane
guest2da055
 
Workshop Robson Santos Ix Da2009
Workshop Robson Santos Ix Da2009Workshop Robson Santos Ix Da2009
Workshop Robson Santos Ix Da2009
Robson Santos
 
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Monique Tavares
 
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
Luiz Agner
 
Avaliacao de Interfaces
Avaliacao de InterfacesAvaliacao de Interfaces
Avaliacao de Interfaces
aiadufmg
 
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean uxTestes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Qualister
 
Mta1 aula-05 Avaliação Heurística
Mta1 aula-05 Avaliação HeurísticaMta1 aula-05 Avaliação Heurística
Mta1 aula-05 Avaliação Heurística
Alan Vasconcelos
 
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso CognitivoTeste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Laís Berlatto
 

Semelhante a Aula 4 - Avaliação de Interface - Parte 1 (20)

Usabilidade1
Usabilidade1Usabilidade1
Usabilidade1
 
Aula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuários
Aula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuáriosAula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuários
Aula 5 -Avaliação de interfaces de usuário - testes com usuários
 
Palestra - Heurísticas e Usabilidade
Palestra - Heurísticas e UsabilidadePalestra - Heurísticas e Usabilidade
Palestra - Heurísticas e Usabilidade
 
127290035 12-usabilidade-mai-2007
127290035 12-usabilidade-mai-2007127290035 12-usabilidade-mai-2007
127290035 12-usabilidade-mai-2007
 
Qual aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidade
Qual  aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidadeQual  aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidade
Qual aula_04__teste_e_inspecao_de_usabilidade
 
Métodos de Avaliação de IHC
Métodos de Avaliação de IHCMétodos de Avaliação de IHC
Métodos de Avaliação de IHC
 
Aula 01.ppt
Aula 01.pptAula 01.ppt
Aula 01.ppt
 
Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...
Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...
Interface Humano Computador - Aula03 - design de experiência de usuário e aná...
 
Aula 9. Técnicas de avaliação de interface
Aula 9. Técnicas de avaliação de interfaceAula 9. Técnicas de avaliação de interface
Aula 9. Técnicas de avaliação de interface
 
Ihc Aula8 M I Avaliacao Heuristica
Ihc Aula8 M I Avaliacao HeuristicaIhc Aula8 M I Avaliacao Heuristica
Ihc Aula8 M I Avaliacao Heuristica
 
Ergonomia & Usabilidade
Ergonomia & UsabilidadeErgonomia & Usabilidade
Ergonomia & Usabilidade
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
 
Usabilidade Web Alberane
Usabilidade Web AlberaneUsabilidade Web Alberane
Usabilidade Web Alberane
 
Workshop Robson Santos Ix Da2009
Workshop Robson Santos Ix Da2009Workshop Robson Santos Ix Da2009
Workshop Robson Santos Ix Da2009
 
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...Apresentação   Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
Apresentação Exitus- Interface Amigável para Questionários Utilizando Table...
 
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
EXITUS - Interface amigável para questionários utilizando tablets em entrevis...
 
Avaliacao de Interfaces
Avaliacao de InterfacesAvaliacao de Interfaces
Avaliacao de Interfaces
 
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean uxTestes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
 
Mta1 aula-05 Avaliação Heurística
Mta1 aula-05 Avaliação HeurísticaMta1 aula-05 Avaliação Heurística
Mta1 aula-05 Avaliação Heurística
 
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso CognitivoTeste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
 

Mais de André Constantino da Silva

Introdução ao TelEduc
Introdução ao TelEducIntrodução ao TelEduc
Introdução ao TelEduc
André Constantino da Silva
 
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
André Constantino da Silva
 
Aula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimento
Aula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimentoAula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimento
Aula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimento
André Constantino da Silva
 
Como fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficasComo fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficas
André Constantino da Silva
 
Aula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores HumanosAula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores Humanos
André Constantino da Silva
 
Aula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHCAula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHC
André Constantino da Silva
 
Aula 1 - Apresentação da Disciplina
Aula 1 - Apresentação da DisciplinaAula 1 - Apresentação da Disciplina
Aula 1 - Apresentação da Disciplina
André Constantino da Silva
 
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEducIntrodução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
André Constantino da Silva
 
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHCAula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
André Constantino da Silva
 
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHCAula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
André Constantino da Silva
 
Aula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHCAula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHC
André Constantino da Silva
 
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning EnvironmentsInkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
André Constantino da Silva
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 1 final
Aula 1 finalAula 1 final
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de RepetiçãoAula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
André Constantino da Silva
 
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
André Constantino da Silva
 
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativoAula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
André Constantino da Silva
 
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - FramesAula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
André Constantino da Silva
 
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e OperadoresAula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
André Constantino da Silva
 
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e linksAula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
André Constantino da Silva
 

Mais de André Constantino da Silva (20)

Introdução ao TelEduc
Introdução ao TelEducIntrodução ao TelEduc
Introdução ao TelEduc
 
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
 
Aula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimento
Aula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimentoAula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimento
Aula sobre texto academico - elaboração do desenvolvimento
 
Como fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficasComo fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficas
 
Aula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores HumanosAula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores Humanos
 
Aula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHCAula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHC
 
Aula 1 - Apresentação da Disciplina
Aula 1 - Apresentação da DisciplinaAula 1 - Apresentação da Disciplina
Aula 1 - Apresentação da Disciplina
 
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEducIntrodução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
 
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHCAula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
 
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHCAula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
 
Aula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHCAula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHC
 
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning EnvironmentsInkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Aula 1 final
Aula 1 finalAula 1 final
Aula 1 final
 
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de RepetiçãoAula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
 
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
 
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativoAula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
 
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - FramesAula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
 
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e OperadoresAula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
 
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e linksAula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
 

Último

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 

Último (6)

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 

Aula 4 - Avaliação de Interface - Parte 1

  • 1. Avaliação de Usabilidade Parte 1 Prof. André Constantino da Silva IHC Baseado nos slides da Prof. Dr. Heloísa Vieira da Rocha
  • 2. • Compreender a importância da avaliação em um processo de desenvolvimento de interfaces de usuário • Conhecer e aplicar dois métodos de avaliação de usabilidade Objetivo das Aulas
  • 4. • Aspectos da interface do usuário que podem causar uma usabilidade reduzida ao usuário final do sistema O que é um problema de usabilidade?
  • 5. • Diferentes tipos de avaliação são necessárias em diferentes estágios do design – Estágios iniciais onde ideias estão sendo exploradas e tentadas, muitas vezes testes bastante informais são suficientes – Estágios finais exigem avaliações mais formais. A Avaliação
  • 6. • Estágio do design (inicio, meio ou fim) • Quão pioneiro é o projeto (bem definido versus exploratório) • número esperado de usuários • quão crítica é a interface (por exemplo, um sistema de controle de tráfego aéreo versus um sistema de orientação de um shopping) • custo do produto e orçamento alocado para o teste • tempo disponível • Experiência dos projetistas e avaliadores Como determinar qual método usar?
  • 7. • Três grandes objetivos: – Avaliar a funcionalidade do sistema • Estar adequada aos requisitos da tarefa do usuário • Efetuar a tarefa pretendida e de modo mais fácil e eficiente – Avaliar o efeito da interface junto ao usuário • Avaliar quão fácil é aprender a usar o sistema; a atitude do usuário com relação ao sistema; identificar áreas do design as quais sobrecarregam o usuário de alguma forma, por exemplo, exigindo que uma série de informações sejam relembradas – Identificar problemas específicos do sistema • Identificar aspectos do design os quais quando usados no contexto alvo, causam resultados inesperados ou confusão entre os usuários Objetivos da Avaliação
  • 8. • Métodos de Inspeção – Não envolve usuários – Pode ser usado em qualquer fase do desenvolvimento de um sistema (implementado ou não) • Métodos Empíricos – Envolve a participação do usuário – Incluem métodos experimentais, métodos observacionais e técnicas de questionamento – é necessária a existência de uma implementação real do sistema em algum formato que pode ser desde uma simulação da capacidade interativa do sistema, sem nenhuma funcionalidade, um protótipo básico implementando, um cenário, ou até a implementação completa Grupos de Métodos
  • 9. Métodos de Avaliação de Usabilidade • Métodos de Inspeção – Avaliação Heurística – Revisão de Guidelines – Percurso Pluralístico – Inspeção de Consistência – Inspeções de Standards – Percurso Cognitivo • Testes de Usabilidade
  • 10. • Métodos empíricos são o principal modo de avaliar interfaces e certamente o mais tradicional – Mas usuários reais são difíceis e caros para serem recrutados de forma a se poder testar todas as fases do desenvolvimento evolutivo de uma interface • Muitos estudos demonstram que muitos problemas encontrados por métodos de inspeção não são detectados com testes de usuários e vice-versa – Esses estudos sugerem que os melhores resultados são obtidos combinando testes com usuários e inspeções Complementação dos Grupos
  • 12. • Realizar uma inspeção da interface tendo como base uma pequena lista de heurísticas de usabilidade • Proposto por Nielsen (1994) – É fácil (pode ser ensinada em 4hs) – É rápida (cerca de 1 dia para a maioria das avaliações) – E barata Objetivo
  • 13. 1. Inspetores se reúnem para compreender o contexto da aplicação, objetivo e visão geral dos usuários 2. Inspetores avaliam individualmente as interfaces de usuário confrontando com as heurísticas de usabilidade 3. Inspetores se reúnem para compilar lista única de potenciais problemas de usabilidade 4. Inspetores atribuem individualmente uma severidade para os potenciais problemas encontrados 5. Inspetores se reúnem para chegar a um consenso sobre a severidade de cada um dos problemas Passos para Realização
  • 14. • Indica a gravidade de cada problema, sendo a combinação de três fatores: – a frequência com que ele ocorre – impacto do problema quando ele ocorre – a persistência do problema – Considerar também o impacto do problema no mercado Severidade
  • 15. 1. eu não concordo que isso é um problema de usabilidade 2. É um problema cosmético somente - precisa ser corrigido somente se sobrar algum tempo no projeto 3. Problema de usabilidade menor - corrigi-lo deve ter prioridade baixa 4. Problema de usabilidade grave - importante corrigi-lo, deve ser dada alta prioridade 5. Catástrofe de usabilidade - a sua correção é imperativa antes do produto ser liberado Sugestão de Graus de Severidade
  • 16. Heurísticas de Usabilidade 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 17. Heurísticas de Usabilidade • Visibilidade do status do sistema – sistema precisa manter os usuários informados sobre o que está acontecendo, fornecendo um feedback adequado dentro de um tempo razoável
  • 18. Visibilidade do status do sistema Nenhum feedback para o usuário quando entra no sistema indicando que a página foi carregado.
  • 19. Heurísticas de Usabilidade • Compatibilidade do sistema com o mundo real – sistema precisa falar a linguagem do usuário, com palavras, frases e conceitos familiares ao usuário, ao invés de termos orientados ao sistema. Seguir convenções do mundo real, fazendo com que a informação apareça numa ordem natural e lógica
  • 20. Compatibilidade do sistema com o mundo real Termo técnico “Gadgets” pode não ser conhecido pelo usuário.
  • 21. Compatibilidade do sistema com o mundo real O botão “e-Tutor” tem rótulo não usual dificultando a compreensão de sua funcionalidade. Pode-se confundir esse botão com o botão de ajuda levando o usuário a cometer um erro.
  • 22. Heurísticas de Usabilidade • Controle do usuário e liberdade – usuários frequentemente escolhem por engano funções do sistema e precisam ter claras saídas de emergência para sair do estado indesejado sem ter que percorrer um extenso diálogo. Prover funções undo e redo
  • 23. Controle do usuário e liberdade Após preencher todos os campos e pressionar o botão “Pesquisar”, todos os campos do formulário são apagados. Se algum campo foi informado incorretamente, o usuário precisa digitar todos os dados novamente para fazer uma nova pesquisa
  • 24. Controle do usuário e liberdade O controle do usuário e liberdade inexiste praticamente, pois não há nenhum indicador onde ele possa sair do jogo a não ser fechar o browser. Caso queira voltar ao início do jogo também é necessário que reinicie o jogo pelo browser.
  • 25. Heurísticas de Usabilidade • Consistência e padrões – usuários não precisam adivinhar que diferentes palavras, situações ou ações significam a mesma coisa. Seguir convenções de plataforma computacional
  • 26. Consistência e padrões Esse botão foge dos padrões do Windows e acaba “escondendo” tarefas importantes como abrir um arquivo. Botão Pesquisar fora do local padrão.
  • 27. Heurísticas de Usabilidade • Prevenção de erros – melhor que uma boa mensagem de erro é um design cuidadoso o qual previne o erro antes dele a contecer
  • 28. Prevenção de Erros Na caixa para digitar as letras são permitidos 4 caracteres correspondente àqueles que possuem um gato atrás dos mesmos. Se o usuário não lê a mensagem, ele não sabe porque não consegue digitar todos os 6 caracteres apresentados. A mensagem "Only enter symbols attached to a cat" deveria estar muito bem destacado. Pois só encontrando um gato atrás da letra se consegue fazer o download.
  • 29. Heurísticas de Usabilidade • Reconhecimento ao invés de relembrança – tornar objetos, ações e opções visíveis. O usuário não deve ter que lembrar informação de uma para outra parte do diálogo. Instruções para uso do sistema devem estar visíveis e facilmente recuperáveis quando necessário
  • 30. Reconhecimento ao invés de relembrança Campo Editável no Catálogo. Não há informação que instrua o usuário a clicar no campo para abrir uma caixa editável. O usuário pode supor que não há o que atualizar, entretanto, deveria existir instruções sobre quais campos são editáveis Tela do sistema gerenciador EMBRIAO. Página de atualização de catálogo
  • 31. Reconhecimento ao invés de relembrança O usuário não consegue reconhecer qual é o seu próximo passo já que há “botões” disponíveis que não alteram o status do sistema
  • 32. Heurísticas de Usabilidade • Flexibilidade e eficiência de uso – usuários novatos se tornam peritos com o uso. Prover aceleradores de forma a aumentar a velocidade da interação. Permitir a usuários experientes "cortar caminho" em ações freqüentes.
  • 33. Flexibilidade e eficiência de uso Não há uma opção para excluir a tabela No menu de acesso rápido.
  • 34. Flexibilidade e eficiência de uso Não existe link para visualizarmos os convênios. Só aparece o nome das univerdades.
  • 35. Heurísticas de Usabilidade • Estética e design minimalista – diálogos não devem conter informação irrelevante ou raramente necessária. Qualquer unidade de informação extra no diálogo irá competir com unidades relevantes de informação e diminuir sua visibilidade relativa
  • 36. Estética e Design Minimalista Muita Informação Competindo com as opções de Menu Site do CEL - UNICAMP
  • 37. Heurísticas de Usabilidade • Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros – mensagens de erro devem ser expressas em linguagem clara (sem códigos) indicando precisamente o problema e construtivamente sugerindo uma solução
  • 38. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir seus erros Se o usuário errar na digitação do número do RG, uma caixa de diálogo contendo a mensagem “Por favor, preencha corretamente o dígito de controle do RG” é mostrada. Essa mensagem é mostrada mesmo que o erro seja em um dígito diferente do dígito de controle.
  • 39. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir seus erros Após detectado um erro na resposta, nenhuma janela de dica é mostrada e é solicitado ao usuário que volte para corrigir o erro. Porém, utilizando o botão indicado, o jogo volta para o final da etapa 1 e todas as respostas corretas são perdidas, obrigando o usuário a digitar as respostas novamente.
  • 40. Heurísticas de Usabilidade • Help e documentação – embora seja melhor um sistema que possa ser usado sem documentação, é necessário prover help e documentação. Essas informações devem ser fáceis de encontrar, focalizadas na tarefa do usuário e não muito extensas.
  • 42. • Avaliadores devem percorrer a interface pelo menos duas vezes. Na primeira vez devem se concentrar no fluxo e na segunda nas componentes individuais do diálogo. • A interface deve ser inspecionada com base em uma lista de princípios de usabilidade, as denominadas heurísticas • Todos os problemas devem ser justificados e detalhados o máximo possível • Participação de 3 a 5 avaliadores e fazer com que trabalhem individualmente (sem que um influencie o outro) Cuidados na Avaliação Heurística
  • 44. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 45. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 46. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 47. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 48. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 49. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 50. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 51. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 52. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação
  • 53. Heurísticas violadas 1. Visibilidade do status do sistema 2. Compatibilidade do sistema com o mundo real 3. Controle do usuário e liberdade 4. Consistência e padrões 5. Prevenção de erros 6. Reconhecimento ao invés de relembrança 7. Flexibilidade e eficiência de uso 8. Estética e design minimalista 9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 10. Help e documentação