SlideShare uma empresa Scribd logo
Metodologia Para Desenvolvimento de Sistemas


               Aula 2
Ciclo de Vida para Desenvolvimento

    Prof. André Constantino da Silva
                 MDP


                  16 de agosto de 2012
Na Aula Anterior...

• Os termos:
  – Metodologia
  – Desenvolvimento
  – Sistemas (de informação)
• Atributos de um software de qualidade
  – Tão difícil é construir um!
• Breve histórico do desenvolvimento de
  software
• Ciclo de Vida do Software
Ciclo de Vida de Sofware
Todos os sistemas bem elaborados passam pelos
estágios de:
  – Concepção: enfoca a questão “o quê?”

  – Desenvolvimento: enfoca a questão “como?”

  – Manutenção: enfoca “mudanças” – no sistema e no
    ambiente

  – Retirada
• Quando o sistema estará acabado?

• Podemos dizer que não existe sistema pronto
  e acabado, pois ao longo de sua vida pode
  exigir:
• Manutenção para atender legislação;
• Melhorias e / ou implementações;
• Eventuais correções de erro.
Ciclo de Vida de Desenvolvimento
• As metodologias definem o CICLO DE VIDA do
  desenvolvimento
  – mostram as fases que compõem o caminho a ser
    seguido pelos analistas e pelos programadores até
    a produção do sistema na sua versão operacional.
    Cada fase pode ser vista como refinamento da
    etapa anterior.
Modelo de Ciclo de Vida
• Definem atividades segundo uma perspectiva
  global
  – são vagos nas descrições de detalhes das
    condições de início e término de uma atividade,
    recursos utilizados, artefatos consumidos ou
    produzidos, papéis desempenhados
• Também conhecido como Paradigma de
  Desenvolvimento
Modelo de Vida Clássico
Implantação




Operação       Manutenção
Vantagens do Modelo de Vida Clássico
• Primeiro modelo proposto para
  desenvolvimento
  – Atividade de desenvolvimento é complexa precisa
    de uma engenharia!


• Estipulou fases bem definidas
  – Cada fase com uma preocupação específica
Desvantagens do Modelo de Vida
              Clássico
• Os projetos raramente seguem o fluxo
  sequencial que o modelo propõe
• Dificuldades do cliente em declarar
  explicitamente todas as suas necessidades
• Uma versão do software somente estará
  pronta ao final do cronograma do projeto
• Incremento dos custos de correção na medida
  em que se avancem as fases
• O processo de desenvolvimento efetivo deve
  considerar:
  – Relação entre todas as tarefas;
  – Ferramentas;
  – Métodos utilizados;
  – Treinamento;
  – Motivação das pessoas envolvidas.
Considerações Finais
• Ciclo de Vida do Software
• Ciclo de Vida de Processo de Software
• O modelo de vida Cascata ou Clássico
  – Vantagens
  – Desvantagens
  – A importância histórica do modelo Cascata

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução ao TelEduc
Introdução ao TelEducIntrodução ao TelEduc
Introdução ao TelEduc
André Constantino da Silva
 
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEducIntrodução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
André Constantino da Silva
 
Introdução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UMLIntrodução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UML
Natanael Simões
 
Testes e avaliação de protótipos
Testes e avaliação de protótiposTestes e avaliação de protótipos
Testes e avaliação de protótipos
Robson Santos
 
Artigo ms
Artigo   msArtigo   ms
Aplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de software
Aplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de softwareAplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de software
Aplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de software
Natanael Simões
 
Protótipos de papel
Protótipos de papelProtótipos de papel
Protótipos de papel
Robson Santos
 
Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...
Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...
Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...
Natanael Simões
 
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
André Constantino da Silva
 
Aula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHCAula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHC
André Constantino da Silva
 
Projeto de sistemas com UML - Parte 1
Projeto de sistemas com UML - Parte 1Projeto de sistemas com UML - Parte 1
Projeto de sistemas com UML - Parte 1
Natanael Simões
 
Projeto de Sistemas - Parte001
Projeto de Sistemas - Parte001Projeto de Sistemas - Parte001
Projeto de Sistemas - Parte001
Cláudio Amaral
 
Projeto de Sistemas - Aula005
Projeto de Sistemas - Aula005Projeto de Sistemas - Aula005
Projeto de Sistemas - Aula005
Cláudio Amaral
 
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Talita Pagani
 
Métodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHCMétodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHC
João Aloísio Winck
 
Avaliação de Interface
Avaliação de InterfaceAvaliação de Interface
Avaliação de Interface
Claudio Diniz - Designer Gráfico
 
Apresentação da disciplina de Introdução à Informática
Apresentação da disciplina de Introdução à InformáticaApresentação da disciplina de Introdução à Informática
Apresentação da disciplina de Introdução à Informática
Késsia Marchi
 
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso CognitivoTeste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Laís Berlatto
 
Design de interface (trabalho acadêmico)
Design de interface (trabalho acadêmico)Design de interface (trabalho acadêmico)
Design de interface (trabalho acadêmico)
DesignCarminatti
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Erico Fileno
 

Mais procurados (20)

Introdução ao TelEduc
Introdução ao TelEducIntrodução ao TelEduc
Introdução ao TelEduc
 
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEducIntrodução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
Introdução ao ambiente virtual de aprendizagem TelEduc
 
Introdução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UMLIntrodução à Engenharia de Software e UML
Introdução à Engenharia de Software e UML
 
Testes e avaliação de protótipos
Testes e avaliação de protótiposTestes e avaliação de protótipos
Testes e avaliação de protótipos
 
Artigo ms
Artigo   msArtigo   ms
Artigo ms
 
Aplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de software
Aplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de softwareAplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de software
Aplicando conceitos gerais de gerenciamento de projetos à engenharia de software
 
Protótipos de papel
Protótipos de papelProtótipos de papel
Protótipos de papel
 
Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...
Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...
Processo de Desenvolvimento de Software - Design de Software, Interface, Arqu...
 
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
Mouse+Teclado x Toque+Caneta: as modalidades de interação em contextos educac...
 
Aula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHCAula 2 - A área de IHC
Aula 2 - A área de IHC
 
Projeto de sistemas com UML - Parte 1
Projeto de sistemas com UML - Parte 1Projeto de sistemas com UML - Parte 1
Projeto de sistemas com UML - Parte 1
 
Projeto de Sistemas - Parte001
Projeto de Sistemas - Parte001Projeto de Sistemas - Parte001
Projeto de Sistemas - Parte001
 
Projeto de Sistemas - Aula005
Projeto de Sistemas - Aula005Projeto de Sistemas - Aula005
Projeto de Sistemas - Aula005
 
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
Técnicas de Prototipação para Smartphones no Apoio à Avaliação de Interfaces ...
 
Métodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHCMétodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHC
 
Avaliação de Interface
Avaliação de InterfaceAvaliação de Interface
Avaliação de Interface
 
Apresentação da disciplina de Introdução à Informática
Apresentação da disciplina de Introdução à InformáticaApresentação da disciplina de Introdução à Informática
Apresentação da disciplina de Introdução à Informática
 
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso CognitivoTeste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
Teste de Usabilidade e Percurso Cognitivo
 
Design de interface (trabalho acadêmico)
Design de interface (trabalho acadêmico)Design de interface (trabalho acadêmico)
Design de interface (trabalho acadêmico)
 
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta FidelidadePrototipos de Baixa e Alta Fidelidade
Prototipos de Baixa e Alta Fidelidade
 

Semelhante a Aula 2 final

Ciclo de Vida
Ciclo de VidaCiclo de Vida
Ciclo de Vida
Wagner Zaparoli
 
Aula2 processos sw
Aula2 processos swAula2 processos sw
Aula2 processos sw
Computação Depressão
 
347842.ppt
347842.ppt347842.ppt
347842.ppt
PedrinaBrasil2
 
Aula1 analise de sistemas remixado
Aula1 analise de sistemas remixadoAula1 analise de sistemas remixado
Aula1 analise de sistemas remixado
neilaxavier
 
Aula 2 - Processos de Software
Aula 2 - Processos de SoftwareAula 2 - Processos de Software
Aula 2 - Processos de Software
Rudson Kiyoshi Souza Carvalho
 
Outras Metodologias Ágeis Parte 3
Outras Metodologias Ágeis Parte 3Outras Metodologias Ágeis Parte 3
Outras Metodologias Ágeis Parte 3
Elaine Cecília Gatto
 
Apresentação RUP
Apresentação RUPApresentação RUP
Apresentação RUP
Fernando Nogueira
 
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFSlide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Edton Lemos
 
Engenharia de Software: Processos de Software
Engenharia de Software: Processos de SoftwareEngenharia de Software: Processos de Software
Engenharia de Software: Processos de Software
gabriel-colman
 
Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1
Elaine Cecília Gatto
 
FES_SENAIPR_Processos.pdf
FES_SENAIPR_Processos.pdfFES_SENAIPR_Processos.pdf
FES_SENAIPR_Processos.pdf
FChico2
 
Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)
Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)
Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)
djadrianodez
 
Aula 3 - Processos de Software.pdf
Aula 3 - Processos de Software.pdfAula 3 - Processos de Software.pdf
Aula 3 - Processos de Software.pdf
FChico2
 
Modelos de processos de software
Modelos de processos de softwareModelos de processos de software
Modelos de processos de software
Nécio de Lima Veras
 
Aula 2 - Modelos de processos
Aula 2 -  Modelos de processosAula 2 -  Modelos de processos
Aula 2 - Modelos de processos
Leinylson Fontinele
 
2 engenharia de software
2   engenharia de software2   engenharia de software
2 engenharia de software
Felipe Bugov
 
Analise sistemas 05
Analise sistemas 05Analise sistemas 05
Analise sistemas 05
Caroline Raquel Rodrigues
 
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Cloves da Rocha
 
Aula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile App
Aula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile AppAula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile App
Aula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile App
Cloves da Rocha
 
Ciclo de Vida Clássico da Engenharia de Software
Ciclo de Vida Clássico da Engenharia de SoftwareCiclo de Vida Clássico da Engenharia de Software
Ciclo de Vida Clássico da Engenharia de Software
Eduardo Santos
 

Semelhante a Aula 2 final (20)

Ciclo de Vida
Ciclo de VidaCiclo de Vida
Ciclo de Vida
 
Aula2 processos sw
Aula2 processos swAula2 processos sw
Aula2 processos sw
 
347842.ppt
347842.ppt347842.ppt
347842.ppt
 
Aula1 analise de sistemas remixado
Aula1 analise de sistemas remixadoAula1 analise de sistemas remixado
Aula1 analise de sistemas remixado
 
Aula 2 - Processos de Software
Aula 2 - Processos de SoftwareAula 2 - Processos de Software
Aula 2 - Processos de Software
 
Outras Metodologias Ágeis Parte 3
Outras Metodologias Ágeis Parte 3Outras Metodologias Ágeis Parte 3
Outras Metodologias Ágeis Parte 3
 
Apresentação RUP
Apresentação RUPApresentação RUP
Apresentação RUP
 
Slide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAFSlide apresentação CMMI-TOGAF
Slide apresentação CMMI-TOGAF
 
Engenharia de Software: Processos de Software
Engenharia de Software: Processos de SoftwareEngenharia de Software: Processos de Software
Engenharia de Software: Processos de Software
 
Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1
 
FES_SENAIPR_Processos.pdf
FES_SENAIPR_Processos.pdfFES_SENAIPR_Processos.pdf
FES_SENAIPR_Processos.pdf
 
Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)
Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)
Modelos de desenvolvimento de software (dino brasilis)
 
Aula 3 - Processos de Software.pdf
Aula 3 - Processos de Software.pdfAula 3 - Processos de Software.pdf
Aula 3 - Processos de Software.pdf
 
Modelos de processos de software
Modelos de processos de softwareModelos de processos de software
Modelos de processos de software
 
Aula 2 - Modelos de processos
Aula 2 -  Modelos de processosAula 2 -  Modelos de processos
Aula 2 - Modelos de processos
 
2 engenharia de software
2   engenharia de software2   engenharia de software
2 engenharia de software
 
Analise sistemas 05
Analise sistemas 05Analise sistemas 05
Analise sistemas 05
 
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
 
Aula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile App
Aula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile AppAula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile App
Aula - Modelos de Processos de Desenvolvimento de Software / Mobile App
 
Ciclo de Vida Clássico da Engenharia de Software
Ciclo de Vida Clássico da Engenharia de SoftwareCiclo de Vida Clássico da Engenharia de Software
Ciclo de Vida Clássico da Engenharia de Software
 

Mais de André Constantino da Silva

Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
André Constantino da Silva
 
Como fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficasComo fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficas
André Constantino da Silva
 
Aula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores HumanosAula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores Humanos
André Constantino da Silva
 
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHCAula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
André Constantino da Silva
 
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHCAula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
André Constantino da Silva
 
Aula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHCAula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHC
André Constantino da Silva
 
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning EnvironmentsInkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
André Constantino da Silva
 
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de RepetiçãoAula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
André Constantino da Silva
 
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
André Constantino da Silva
 
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativoAula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
André Constantino da Silva
 
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - FramesAula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
André Constantino da Silva
 
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e OperadoresAula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
André Constantino da Silva
 
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e linksAula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
André Constantino da Silva
 
Aula 3 – Linguagem HTML - formatação de texto
Aula 3 – Linguagem HTML -  formatação de textoAula 3 – Linguagem HTML -  formatação de texto
Aula 3 – Linguagem HTML - formatação de texto
André Constantino da Silva
 
Aula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estrutura
Aula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estruturaAula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estrutura
Aula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estrutura
André Constantino da Silva
 
Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...
Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...
Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...
André Constantino da Silva
 
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UMLUml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
André Constantino da Silva
 
Raciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas Matemáticos
Raciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas MatemáticosRaciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas Matemáticos
Raciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas Matemáticos
André Constantino da Silva
 
Introdução ao TelEduc
Introdução ao TelEducIntrodução ao TelEduc
Introdução ao TelEduc
André Constantino da Silva
 
Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no contexto ...
Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no  contexto ...Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no  contexto ...
Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no contexto ...
André Constantino da Silva
 

Mais de André Constantino da Silva (20)

Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
 
Como fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficasComo fazer citações e referências bibliográficas
Como fazer citações e referências bibliográficas
 
Aula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores HumanosAula 3 - Fatores Humanos
Aula 3 - Fatores Humanos
 
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHCAula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
Aula 5 - Fatores Humanos - Parte 2 - Disciplina de IHC
 
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHCAula 4   Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
Aula 4 Fatores Humanos - parte 1 - Disciplina de IHC
 
Aula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHCAula 3 – A áera de IHC
Aula 3 – A áera de IHC
 
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning EnvironmentsInkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
InkBlog: A Pen-Based Blog Tool for e-Learning Environments
 
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de RepetiçãoAula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
Aula 10 - Comando de Decisão Múltipla e Comandos de Repetição
 
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
Aula 9 - Resultado Operandos Matemáticos, Operadores Aritmeticos, Relacionais...
 
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativoAula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
Aula 6 – linguagem HTML - Endereço absoluto e relativo
 
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - FramesAula 7 – linguagem HTML - Frames
Aula 7 – linguagem HTML - Frames
 
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e OperadoresAula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
Aula 8 - Lógica de Programação - Variáveis, Tipos de dados e Operadores
 
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e linksAula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
Aula 4 – Linguagem HTML - Imagens e links
 
Aula 3 – Linguagem HTML - formatação de texto
Aula 3 – Linguagem HTML -  formatação de textoAula 3 – Linguagem HTML -  formatação de texto
Aula 3 – Linguagem HTML - formatação de texto
 
Aula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estrutura
Aula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estruturaAula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estrutura
Aula 2 – Introdução a HTML - conceitos básicos e estrutura
 
Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...
Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...
Desenvolvimento de Sistemas Interativos - Integração das Visões de Engenharia...
 
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UMLUml - Exemplos de Modelagem em UML
Uml - Exemplos de Modelagem em UML
 
Raciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas Matemáticos
Raciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas MatemáticosRaciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas Matemáticos
Raciocínio Lógico Aplicado a Resolução de Problemas Matemáticos
 
Introdução ao TelEduc
Introdução ao TelEducIntrodução ao TelEduc
Introdução ao TelEduc
 
Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no contexto ...
Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no  contexto ...Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no  contexto ...
Práticas de Linguagem e Design: algumas questões de usabilidade no contexto ...
 

Último

CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 

Último (20)

CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 

Aula 2 final

  • 1. Metodologia Para Desenvolvimento de Sistemas Aula 2 Ciclo de Vida para Desenvolvimento Prof. André Constantino da Silva MDP 16 de agosto de 2012
  • 2. Na Aula Anterior... • Os termos: – Metodologia – Desenvolvimento – Sistemas (de informação) • Atributos de um software de qualidade – Tão difícil é construir um! • Breve histórico do desenvolvimento de software • Ciclo de Vida do Software
  • 3. Ciclo de Vida de Sofware Todos os sistemas bem elaborados passam pelos estágios de: – Concepção: enfoca a questão “o quê?” – Desenvolvimento: enfoca a questão “como?” – Manutenção: enfoca “mudanças” – no sistema e no ambiente – Retirada
  • 4. • Quando o sistema estará acabado? • Podemos dizer que não existe sistema pronto e acabado, pois ao longo de sua vida pode exigir: • Manutenção para atender legislação; • Melhorias e / ou implementações; • Eventuais correções de erro.
  • 5. Ciclo de Vida de Desenvolvimento • As metodologias definem o CICLO DE VIDA do desenvolvimento – mostram as fases que compõem o caminho a ser seguido pelos analistas e pelos programadores até a produção do sistema na sua versão operacional. Cada fase pode ser vista como refinamento da etapa anterior.
  • 6. Modelo de Ciclo de Vida • Definem atividades segundo uma perspectiva global – são vagos nas descrições de detalhes das condições de início e término de uma atividade, recursos utilizados, artefatos consumidos ou produzidos, papéis desempenhados • Também conhecido como Paradigma de Desenvolvimento
  • 7. Modelo de Vida Clássico
  • 9. Vantagens do Modelo de Vida Clássico • Primeiro modelo proposto para desenvolvimento – Atividade de desenvolvimento é complexa precisa de uma engenharia! • Estipulou fases bem definidas – Cada fase com uma preocupação específica
  • 10. Desvantagens do Modelo de Vida Clássico • Os projetos raramente seguem o fluxo sequencial que o modelo propõe • Dificuldades do cliente em declarar explicitamente todas as suas necessidades • Uma versão do software somente estará pronta ao final do cronograma do projeto • Incremento dos custos de correção na medida em que se avancem as fases
  • 11. • O processo de desenvolvimento efetivo deve considerar: – Relação entre todas as tarefas; – Ferramentas; – Métodos utilizados; – Treinamento; – Motivação das pessoas envolvidas.
  • 12. Considerações Finais • Ciclo de Vida do Software • Ciclo de Vida de Processo de Software • O modelo de vida Cascata ou Clássico – Vantagens – Desvantagens – A importância histórica do modelo Cascata