SlideShare uma empresa Scribd logo
Governo do Estado de Rondônia
Secretaria de Estado da Educação – SEDUC
E.E.E.F.M. Cel. Aluízio Pinheiro Ferreira
Rolim de Moura – RO

TEMPERATURA
ESCALAS TERMOMÉTRICAS

Profª.: Daniela Fontana Almenara
Disciplina: Física
TERMOLOGIA é a parte da Física que estuda os
fenômenos relacionados com o calor e a temperatura.

Imagem: Fir0002, flagstaffotos.com.au / GNU Free Documentation License /
http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fire02.jpg

Imagem: Gérald Tapp / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0
Unported
Temperatura: é uma grandeza física, que mensura
a energia cinética média de cada grau de
liberdade de cada uma das partículas de um sistema
em equilíbrio térmico. Esta definição é análoga a
afirmar que a temperatura mensura a energia
cinética média por grau de liberdade de cada
partícula do sistema, uma vez consideradas todas as
partículas de um sistema em equilíbrio térmico em
um certo instante. A rigor, a temperatura é definida
apenas para sistemas em equilíbrio térmico.
(wikipédia)

Calor: é a energia térmica que flui de um corpo de maior temperatura para um de
menor temperatura.

Imagem: SEE-PE

Imagem: Greg L / GNU Free Documentation
License

Calor e Temperatura
As partículas constituintes dos corpos estão em contínuo movimento.
Entende-se temperatura, como sendo uma grandeza que mede a maior ou
menor intensidade dessa agitação térmica.
A quantidade que informa quão quente ou frio é um
objeto em relação a algum padrão é chamada de
temperatura.

Imagens: SEE-PE



Menor temperatura

Maior temperatura
Se os corpos estiverem a
temperaturas diferentes,
a energia pode ser
trocada entre eles

No equilíbrio térmico os corpos em contato térmico
deixam de trocar energia.

Imagem: SEE-PE

Frequentemente associamos o conceito de
temperatura com o grau de quente ou de frio de um
corpo que tocamos. A nossa pele é sensível à taxa de
transferência de energia e não à temperatura do
corpo.
Imagem: SEE-PE

Lei Zero da Termodinâmica

"Se dois corpos estão em
equilíbrio térmico com um
terceiro, então eles estão em
equilíbrio térmico entre si.”
Termometria
É a partir da termologia que se estudam os processos de medição da temperatura de
um corpo.

Imagem: Zwager / Public Domain

Termômetro – Um dispositivo calibrado para medir a temperatura do corpo.
COMO MEDIR A TEMPERATURA

• Instrumento destinado a medir a
temperatura dos corpos;
• A medida da temperatura é feita
de forma indireta;
• Grandezas e substâncias
termométricas;

Imagem: Geof from de.wikipedia.org / GNU Free
Documentation License

Termômetro

Algumas das propriedades físicas que mudam com a temperatura e que são usadas
nos termômetros:
•
•
•
•
•
•

o volume de um líquido;
o comprimento de um sólido;
a pressão de um gás mantido a volume constante;
o volume de um gás mantido a pressão constante;
a resistência elétrica de um condutor;
a cor de um corpo quente.
TIPOS DE TERMÔMETROS
Podem ser: de mercúrio, a álcool, clínico, Six e Bellani, de
resistência elétrica, bimetálico, de pressão de gás, laser e
infravermelho.

Vejam alguns exemplos no livro de
vocês, pág 13
Escalas Termométricas

A Escala Celsius construída em 1742, pelo físico e astrônomo
sueco Anders Celsius, que adotou para o ponto de fusão de
gelo o valor 0 (zero) e para o ponto de ebulição da água o
valor 100 (cem). Dividiu-se o intervalo obtido entre os pontos
fixos em cem partes iguais, em que cada parte corresponde a
uma unidade da escala e foi denominada de grau Celsius,
cujo símbolo é o °C.
Como o intervalo entre os pontos fixos dessa escala foi
dividido em cem partes iguais, ela recebeu o nome
de centesimal e, atualmente, a Escala Celsius é a mais
utilizada em todo o mundo.

Imagem: Pearson Scott Foresman / Wikimedia Foundation /Public Domain

Imagem: Olof Arenius /
Astronomical observatory
of Uppsala University /
Public Domain.

Escala Celsius
A Escala Fahrenheit foi construída, em 1727, pelo físico alemão
Daniel Gabriel Fahrenheit, que adotou o valor 0 (zero) para a mistura:
água, gelo picado e sal; e o valor 100 para a temperatura do corpo
humano. Dividiu-se o intervalo entre esses pontos fixos em 100 partes
iguais e cada parte recebeu o nome de grau Fahrenheit, cujo símbolo
é °F.
Ao compararmos os pontos fixos escolhidos por Fahrenheit e Celsius,
temos para o ponto de fusão do gelo, sob pressão de 1 atmosfera, o
valor 32 °F e para o ponto de vapor da água, também sob pressão de
1 atmosfera, o valor 212 °F; o intervalo dividido em 100 partes iguais
pelo sueco (Celsius) é dividido em 180 partes iguais Fahrenheit.
Esta escala foi utilizada principalmente pelos países que foram colonizados pelos britânicos, mas seu uso
atualmente se restringe a poucos países de língua inglesa, como os Estados Unidos e Belize.

Imagem: Pearson Scott Foresman / Wikimedia Foundation /Public Domain

Escala Fahrenheit
Escala kelvin

O Termômetro de Gás

Imagem: Autor
Desconhecido / United
States public domain

O comportamento observado nesse
dispositivo é a variação da pressão
com a temperatura de um volume
fixo de gás.

Foi calibrado utilizando-se os pontos de
fusão do gelo e de ebulição da água.
O reservatório B de mercúrio é levantado ou
abaixado até que o volume do gás
confinado esteja em algum valor, indicado
pelo ponto zero da régua .
A altura h (a diferença entre os níveis do
reservatório e da coluna A) indica a pressão
no frasco, de acordo com a equação:

P  P0  gh

Imagem: Kuroisam / Public Domain
CONVERSÃO ENTRE AS ESCALAS

• De modo geral, designando por T a temperatura
Kelvin e por tc a temperatura Celsius
correspondente e observando a figura ao lado
concluímos que:
T = tc + 273
• Logo, para se expressar, na escala Kelvin, uma
temperatura dada em graus Celsius, basta adicionar
273 a esse valor.
Comentários
É comum ouvirmos algumas
pessoas
dizerem
que
“temperatura é a medida do calor
do corpo”. Essa afirmativa,
entretanto não é correta, pois a
temperatura é um número usado
para traduzir o estado de quente
ou frio de um corpo.

Uma maneira correta de conceituar a
temperatura seria dizer que ela é uma medida
da maior ou menor agitação das moléculas ou
átomos que constituem o corpo.
Algumas temperaturas notáveis
Exercícios de fixação Livro didático CURSO DE FÍSICA –
volume 2, pág. 16

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
Vlamir Gama Rocha
 
Energia Cinética e Potencial
Energia Cinética e PotencialEnergia Cinética e Potencial
Energia Cinética e Potencial
Denise Marinho
 
Escalas termométricas
Escalas termométricasEscalas termométricas
Escalas termométricas
Bruno De Siqueira Costa
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
O mundo da FÍSICA
 
Leis De Newton
Leis De NewtonLeis De Newton
Leis De Newton
Miky Mine
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
fisicaatual
 
Conceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.pptConceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.ppt
GiseleTavares18
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
joaberb
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
O mundo da FÍSICA
 
Quantidade de calor
Quantidade de calorQuantidade de calor
Quantidade de calor
Instituto Federal de Educação
 
Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slides
Micaela Neiva
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
Warlle1992
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
fisicaatual
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Calor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latenteCalor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latente
ReinaldoMassayuki1
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
Rildo Borges
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
O mundo da FÍSICA
 
Medidas e sistema de unidades
Medidas e sistema de unidadesMedidas e sistema de unidades
Medidas e sistema de unidades
Guilherme Machado
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
Kamila Joyce
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
Marco Antonio Sanches
 

Mais procurados (20)

Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
 
Energia Cinética e Potencial
Energia Cinética e PotencialEnergia Cinética e Potencial
Energia Cinética e Potencial
 
Escalas termométricas
Escalas termométricasEscalas termométricas
Escalas termométricas
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
 
Leis De Newton
Leis De NewtonLeis De Newton
Leis De Newton
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Conceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.pptConceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.ppt
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Quantidade de calor
Quantidade de calorQuantidade de calor
Quantidade de calor
 
Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slides
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Calor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latenteCalor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latente
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Medidas e sistema de unidades
Medidas e sistema de unidadesMedidas e sistema de unidades
Medidas e sistema de unidades
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 

Destaque

Temperatura
TemperaturaTemperatura
Aula de TERMOMETRIA
Aula de TERMOMETRIAAula de TERMOMETRIA
Aula de TERMOMETRIA
marcosconvest
 
Slide Sobre Escalas TermoméTricas
Slide Sobre Escalas TermoméTricasSlide Sobre Escalas TermoméTricas
Slide Sobre Escalas TermoméTricas
Kátia Cilene Suptitz
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
Rildo Borges
 
Termologia
TermologiaTermologia
Termologia
Fabricio Scheffer
 
Temperatura vs calor
Temperatura vs calorTemperatura vs calor
Temperatura vs calor
ines03
 
Calor e escalas termométricas
Calor e escalas termométricasCalor e escalas termométricas
Calor e escalas termométricas
Marcos Júnior
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
joaberb
 
Eletrostatica
EletrostaticaEletrostatica
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
Paulo Filho
 
Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1
Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1
Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1
carolineborba
 
Termologia - Cap. 18 - Professor Bruce Colombi
Termologia - Cap. 18 - Professor Bruce ColombiTermologia - Cap. 18 - Professor Bruce Colombi
Termologia - Cap. 18 - Professor Bruce Colombi
Bruce Colombi
 
O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?
O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?  O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?
O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?
Isabel Silva
 
Termologia
TermologiaTermologia
Termologia
Valdir Eduardo
 
Física
FísicaFísica
Medição De Temperatura
Medição De TemperaturaMedição De Temperatura
Medição De Temperatura
Geo_Nay
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
igorazevedo
 
SLIDE SOBRE TERMOLOGIA
SLIDE SOBRE TERMOLOGIASLIDE SOBRE TERMOLOGIA
SLIDE SOBRE TERMOLOGIA
Manoel Dias Dias
 
A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)
A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)
A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)
sepb
 
A Luz Cor
A Luz CorA Luz Cor
A Luz Cor
dianacmendes7
 

Destaque (20)

Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
 
Aula de TERMOMETRIA
Aula de TERMOMETRIAAula de TERMOMETRIA
Aula de TERMOMETRIA
 
Slide Sobre Escalas TermoméTricas
Slide Sobre Escalas TermoméTricasSlide Sobre Escalas TermoméTricas
Slide Sobre Escalas TermoméTricas
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
 
Termologia
TermologiaTermologia
Termologia
 
Temperatura vs calor
Temperatura vs calorTemperatura vs calor
Temperatura vs calor
 
Calor e escalas termométricas
Calor e escalas termométricasCalor e escalas termométricas
Calor e escalas termométricas
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Eletrostatica
EletrostaticaEletrostatica
Eletrostatica
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1
Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1
Trabalho Sobre Termologia Lorena Da Costa Gonzaga ,Cristina Mendes 2 V1
 
Termologia - Cap. 18 - Professor Bruce Colombi
Termologia - Cap. 18 - Professor Bruce ColombiTermologia - Cap. 18 - Professor Bruce Colombi
Termologia - Cap. 18 - Professor Bruce Colombi
 
O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?
O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?  O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?
O Rei Sol - Por que o Sol dá luz e Calor?
 
Termologia
TermologiaTermologia
Termologia
 
Física
FísicaFísica
Física
 
Medição De Temperatura
Medição De TemperaturaMedição De Temperatura
Medição De Temperatura
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
SLIDE SOBRE TERMOLOGIA
SLIDE SOBRE TERMOLOGIASLIDE SOBRE TERMOLOGIA
SLIDE SOBRE TERMOLOGIA
 
A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)
A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)
A influência da temperatura nos seres vivos (2) (v)
 
A Luz Cor
A Luz CorA Luz Cor
A Luz Cor
 

Semelhante a Aula 1 temperatura

FÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdf
FÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdfFÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdf
FÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdf
JosOrlando23
 
Escalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdf
Escalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdfEscalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdf
Escalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdf
JosOrlando23
 
Escalas termométricas.pptx
Escalas termométricas.pptxEscalas termométricas.pptx
Escalas termométricas.pptx
MarcoReisBrugnerotto
 
Termoligia trabalhar.pptx
Termoligia trabalhar.pptxTermoligia trabalhar.pptx
Termoligia trabalhar.pptx
Márcia Moura
 
2 ano fisica
2 ano fisica2 ano fisica
2 ano fisica
Juliana Aguiar
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
Rildo Borges
 
C:\Fakepath\Termometria
C:\Fakepath\TermometriaC:\Fakepath\Termometria
C:\Fakepath\Termometria
guest71640d
 
AULA SOBRE Termometria
AULA SOBRE TermometriaAULA SOBRE Termometria
AULA SOBRE Termometria
andre alcantara
 
Aula de termometria anselmo júnior
Aula de termometria   anselmo júniorAula de termometria   anselmo júnior
Aula de termometria anselmo júnior
maria do socorro dos santos
 
Termologia 2 aula
Termologia 2   aulaTermologia 2   aula
Termologia 2 aula
Roberto Bagatini
 
Pdf fisica
Pdf fisicaPdf fisica
Pdf fisica
EMSNEWS
 
Apostila de Física
Apostila de FísicaApostila de Física
Apostila de Física
Maurício Vieira
 
Fisica
FisicaFisica
Fisica
sergiocarlos
 
Termologia - I-Termometria
Termologia - I-TermometriaTermologia - I-Termometria
Termologia - I-Termometria
Marco Antonio Sanches
 
Fisica
FisicaFisica
Termologia -profª_luciana
Termologia  -profª_lucianaTermologia  -profª_luciana
Termologia -profª_luciana
ffilipelima
 
Termometria aula
Termometria   aulaTermometria   aula
Termometria aula
Roberto Bagatini
 
Resumo de termologia
Resumo de termologiaResumo de termologia
Resumo de termologia
Roberto Bagatini
 
TRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICA
TRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICATRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICA
TRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICA
RoseNeves10
 
Termodinâmica (módulo F5)
Termodinâmica (módulo F5)Termodinâmica (módulo F5)
Termodinâmica (módulo F5)
stair735alcino
 

Semelhante a Aula 1 temperatura (20)

FÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdf
FÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdfFÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdf
FÍSICA -Aula introdutória de TERMOLOGIA - 2° Ano (2).pdf
 
Escalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdf
Escalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdfEscalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdf
Escalas termométricas - 2° Ano-Orlando.pdf
 
Escalas termométricas.pptx
Escalas termométricas.pptxEscalas termométricas.pptx
Escalas termométricas.pptx
 
Termoligia trabalhar.pptx
Termoligia trabalhar.pptxTermoligia trabalhar.pptx
Termoligia trabalhar.pptx
 
2 ano fisica
2 ano fisica2 ano fisica
2 ano fisica
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
 
C:\Fakepath\Termometria
C:\Fakepath\TermometriaC:\Fakepath\Termometria
C:\Fakepath\Termometria
 
AULA SOBRE Termometria
AULA SOBRE TermometriaAULA SOBRE Termometria
AULA SOBRE Termometria
 
Aula de termometria anselmo júnior
Aula de termometria   anselmo júniorAula de termometria   anselmo júnior
Aula de termometria anselmo júnior
 
Termologia 2 aula
Termologia 2   aulaTermologia 2   aula
Termologia 2 aula
 
Pdf fisica
Pdf fisicaPdf fisica
Pdf fisica
 
Apostila de Física
Apostila de FísicaApostila de Física
Apostila de Física
 
Fisica
FisicaFisica
Fisica
 
Termologia - I-Termometria
Termologia - I-TermometriaTermologia - I-Termometria
Termologia - I-Termometria
 
Fisica
FisicaFisica
Fisica
 
Termologia -profª_luciana
Termologia  -profª_lucianaTermologia  -profª_luciana
Termologia -profª_luciana
 
Termometria aula
Termometria   aulaTermometria   aula
Termometria aula
 
Resumo de termologia
Resumo de termologiaResumo de termologia
Resumo de termologia
 
TRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICA
TRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICATRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICA
TRABALHO DE FISICA SOBRE FÍSICA TERMOLÓGICA
 
Termodinâmica (módulo F5)
Termodinâmica (módulo F5)Termodinâmica (módulo F5)
Termodinâmica (módulo F5)
 

Mais de Daniela F Almenara

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
Daniela F Almenara
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
Daniela F Almenara
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Daniela F Almenara
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
Daniela F Almenara
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
MandalasMandalas
Pg
PgPg
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
Daniela F Almenara
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
Daniela F Almenara
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
Daniela F Almenara
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Daniela F Almenara
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
Daniela F Almenara
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
Daniela F Almenara
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
Daniela F Almenara
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
Daniela F Almenara
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
Daniela F Almenara
 
2º magnetismo
2º magnetismo2º magnetismo
2º magnetismo
Daniela F Almenara
 
Modelo
ModeloModelo

Mais de Daniela F Almenara (20)

Trabalho mandalas
Trabalho mandalasTrabalho mandalas
Trabalho mandalas
 
Aec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bimAec 9º-ano-1º-bim
Aec 9º-ano-1º-bim
 
Atividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º anoAtividade em classe 1º bim 6º ano
Atividade em classe 1º bim 6º ano
 
Atividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º anoAtividade extraclasse 1º ano
Atividade extraclasse 1º ano
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Mandalas
MandalasMandalas
Mandalas
 
Pg
PgPg
Pg
 
Função horária das posições
Função horária das posiçõesFunção horária das posições
Função horária das posições
 
Atividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanosAtividade de reforço algarismos romanos
Atividade de reforço algarismos romanos
 
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-20166º ano-avaliação-diagnótica-2016
6º ano-avaliação-diagnótica-2016
 
Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano Avaliação de diagnóstica 8º ano
Avaliação de diagnóstica 8º ano
 
As formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciaisAs formas geométricas espaciais
As formas geométricas espaciais
 
2º atv em classe 2º bim 2014
2º atv em classe  2º bim 20142º atv em classe  2º bim 2014
2º atv em classe 2º bim 2014
 
Álbum 7º C
Álbum 7º CÁlbum 7º C
Álbum 7º C
 
Álbum 7º B
Álbum  7º BÁlbum  7º B
Álbum 7º B
 
Álbum 7º A
Álbum 7º  AÁlbum 7º  A
Álbum 7º A
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
 
Atividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º anoAtividade extraclasse 2º ano
Atividade extraclasse 2º ano
 
2º magnetismo
2º magnetismo2º magnetismo
2º magnetismo
 
Modelo
ModeloModelo
Modelo
 

Último

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 

Último (20)

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 

Aula 1 temperatura

  • 1. Governo do Estado de Rondônia Secretaria de Estado da Educação – SEDUC E.E.E.F.M. Cel. Aluízio Pinheiro Ferreira Rolim de Moura – RO TEMPERATURA ESCALAS TERMOMÉTRICAS Profª.: Daniela Fontana Almenara Disciplina: Física
  • 2. TERMOLOGIA é a parte da Física que estuda os fenômenos relacionados com o calor e a temperatura. Imagem: Fir0002, flagstaffotos.com.au / GNU Free Documentation License / http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fire02.jpg Imagem: Gérald Tapp / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported
  • 3. Temperatura: é uma grandeza física, que mensura a energia cinética média de cada grau de liberdade de cada uma das partículas de um sistema em equilíbrio térmico. Esta definição é análoga a afirmar que a temperatura mensura a energia cinética média por grau de liberdade de cada partícula do sistema, uma vez consideradas todas as partículas de um sistema em equilíbrio térmico em um certo instante. A rigor, a temperatura é definida apenas para sistemas em equilíbrio térmico. (wikipédia) Calor: é a energia térmica que flui de um corpo de maior temperatura para um de menor temperatura. Imagem: SEE-PE Imagem: Greg L / GNU Free Documentation License Calor e Temperatura
  • 4. As partículas constituintes dos corpos estão em contínuo movimento. Entende-se temperatura, como sendo uma grandeza que mede a maior ou menor intensidade dessa agitação térmica. A quantidade que informa quão quente ou frio é um objeto em relação a algum padrão é chamada de temperatura. Imagens: SEE-PE  Menor temperatura Maior temperatura
  • 5. Se os corpos estiverem a temperaturas diferentes, a energia pode ser trocada entre eles No equilíbrio térmico os corpos em contato térmico deixam de trocar energia. Imagem: SEE-PE Frequentemente associamos o conceito de temperatura com o grau de quente ou de frio de um corpo que tocamos. A nossa pele é sensível à taxa de transferência de energia e não à temperatura do corpo.
  • 6. Imagem: SEE-PE Lei Zero da Termodinâmica "Se dois corpos estão em equilíbrio térmico com um terceiro, então eles estão em equilíbrio térmico entre si.”
  • 7. Termometria É a partir da termologia que se estudam os processos de medição da temperatura de um corpo. Imagem: Zwager / Public Domain Termômetro – Um dispositivo calibrado para medir a temperatura do corpo.
  • 8. COMO MEDIR A TEMPERATURA • Instrumento destinado a medir a temperatura dos corpos; • A medida da temperatura é feita de forma indireta; • Grandezas e substâncias termométricas; Imagem: Geof from de.wikipedia.org / GNU Free Documentation License Termômetro Algumas das propriedades físicas que mudam com a temperatura e que são usadas nos termômetros: • • • • • • o volume de um líquido; o comprimento de um sólido; a pressão de um gás mantido a volume constante; o volume de um gás mantido a pressão constante; a resistência elétrica de um condutor; a cor de um corpo quente.
  • 9. TIPOS DE TERMÔMETROS Podem ser: de mercúrio, a álcool, clínico, Six e Bellani, de resistência elétrica, bimetálico, de pressão de gás, laser e infravermelho. Vejam alguns exemplos no livro de vocês, pág 13
  • 10. Escalas Termométricas A Escala Celsius construída em 1742, pelo físico e astrônomo sueco Anders Celsius, que adotou para o ponto de fusão de gelo o valor 0 (zero) e para o ponto de ebulição da água o valor 100 (cem). Dividiu-se o intervalo obtido entre os pontos fixos em cem partes iguais, em que cada parte corresponde a uma unidade da escala e foi denominada de grau Celsius, cujo símbolo é o °C. Como o intervalo entre os pontos fixos dessa escala foi dividido em cem partes iguais, ela recebeu o nome de centesimal e, atualmente, a Escala Celsius é a mais utilizada em todo o mundo. Imagem: Pearson Scott Foresman / Wikimedia Foundation /Public Domain Imagem: Olof Arenius / Astronomical observatory of Uppsala University / Public Domain. Escala Celsius
  • 11. A Escala Fahrenheit foi construída, em 1727, pelo físico alemão Daniel Gabriel Fahrenheit, que adotou o valor 0 (zero) para a mistura: água, gelo picado e sal; e o valor 100 para a temperatura do corpo humano. Dividiu-se o intervalo entre esses pontos fixos em 100 partes iguais e cada parte recebeu o nome de grau Fahrenheit, cujo símbolo é °F. Ao compararmos os pontos fixos escolhidos por Fahrenheit e Celsius, temos para o ponto de fusão do gelo, sob pressão de 1 atmosfera, o valor 32 °F e para o ponto de vapor da água, também sob pressão de 1 atmosfera, o valor 212 °F; o intervalo dividido em 100 partes iguais pelo sueco (Celsius) é dividido em 180 partes iguais Fahrenheit. Esta escala foi utilizada principalmente pelos países que foram colonizados pelos britânicos, mas seu uso atualmente se restringe a poucos países de língua inglesa, como os Estados Unidos e Belize. Imagem: Pearson Scott Foresman / Wikimedia Foundation /Public Domain Escala Fahrenheit
  • 12. Escala kelvin O Termômetro de Gás Imagem: Autor Desconhecido / United States public domain O comportamento observado nesse dispositivo é a variação da pressão com a temperatura de um volume fixo de gás. Foi calibrado utilizando-se os pontos de fusão do gelo e de ebulição da água. O reservatório B de mercúrio é levantado ou abaixado até que o volume do gás confinado esteja em algum valor, indicado pelo ponto zero da régua . A altura h (a diferença entre os níveis do reservatório e da coluna A) indica a pressão no frasco, de acordo com a equação: P  P0  gh Imagem: Kuroisam / Public Domain
  • 13. CONVERSÃO ENTRE AS ESCALAS • De modo geral, designando por T a temperatura Kelvin e por tc a temperatura Celsius correspondente e observando a figura ao lado concluímos que: T = tc + 273 • Logo, para se expressar, na escala Kelvin, uma temperatura dada em graus Celsius, basta adicionar 273 a esse valor.
  • 14. Comentários É comum ouvirmos algumas pessoas dizerem que “temperatura é a medida do calor do corpo”. Essa afirmativa, entretanto não é correta, pois a temperatura é um número usado para traduzir o estado de quente ou frio de um corpo. Uma maneira correta de conceituar a temperatura seria dizer que ela é uma medida da maior ou menor agitação das moléculas ou átomos que constituem o corpo.
  • 16. Exercícios de fixação Livro didático CURSO DE FÍSICA – volume 2, pág. 16