SlideShare uma empresa Scribd logo
PREFEITURA  MUNICIPAL DO RIO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA  ESTRATÉGIA  DE SAÚDE DA  FAMÍLIA ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER NA SAÚDE DA FAMÍLIA Enf. MSc. Suzi Mara Teixeira Bromberger Coordenadora Municipal da ESF/SMS Rio Grande - 2010
SITUAÇÃO ATUAL DA ESF 41% de cobertura populacional 100% de cobertura na z. rural 23.000famílias cadastradas 75.500pessoas sendo acompanhadas  26 equipes  19UBSF´s 167Agentes Comunitários de Saúde  (132 ESF – 30 EACS)
RELAÇÃO DOS PROFISSIONAIS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF 26 EQUIPES 27 MÉDICOS 28 ENFERMEIROS 167 AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE EQUIPE DE SAÚDE BUCAL 05 ODONTÓLOGOS 05 AUXILIARES DE SAÚDE BUCAL
RELAÇÃO DAS UBSFse nº de EQUIPES SF                                 - 19 UBSF Na Zona Urbana (16): - UBSF Marluz - 02 - UBSF  CAIC - 01 - UBSF Castelo Branco – 03*  - UBSF Santa Rosa - 01 - UBSF São João – 01 - UBSF  Cidade de Águeda - 01 - UBSF Profilurb - 02 - UBSF São Miguel 15 - 01 - UBSF São Miguel 13/14 - 02 - UBSF Aeroporto - 01 - UBSF Bernadeth - 01 Na Zona Rural (09): - UBSF Quinta – 02 - UBSF Quintinha - 01 - UBSF Povo Novo - 02 - UBSF Domingos Petroline - 01 ,[object Object]
 UBSF Taim – 01
 UBSF Ilha dos Marinheiros - 01Na Zona Litorânea:  - UBSF Querência: 01 *Área PPV/PIM
ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER PRÉ-NATAL; PUERPÉRIO; PLANEJAMENTO FAMILIAR; PREVENÇÃO AO CÂNCER DE COLO UTERINO E DE MAMAS; CLIMATÉRIO; RESPONSABILIDADE SOCIAL
ATENÇÃO A SAÚDE MULHER Modalidades de atendimento Consulta médica e de enfermagem por demanda espontâneas; Consulta programada – pré-natal; Coleta de CP e exame de Mamas; Atividades de grupo educativos (de gestantes, planejamento familiar, hipertensos e diabéticos, de saúde mental – promoção da saúde);
ATENÇÃO A SAÚDE MULHER AÇÕES DE PROMOÇÃO À SAÚDE: Oficinas de trabalho e renda; Reuniões comunitárias; Grupos de caminhada; Atenção domiciliar - visita; consulta; internação.
ATENÇÃO AO PRÉ-NATAL O MS preconiza a realização de, no mínimo, 06 (seis) consultas de acompanhamento de pré-natal, sendo, preferencialmente uma no primeiro trimestre, duas no segundo e três no terceiro trimestre de gestação. Intervalo das consultas: Mensais: até 36a semana; Quinzenais: de 36ª  a 38ª semana; Semanais: a partir da 38ª semana.
ATENÇÃO PRÉ-NATAL Roteiro para Acolhimento da Gestante no Pré-Natal Cabe a equipe de saúde ao receber uma gestante na unidade de saúde ou na comunidade, buscar compreender os múltiplos significados da gestação para aquela mulher e sua família. Sendo que o principal objetivo da assistência pré-natal é acolher a mulher desde o início da gestação (1° trimestre).
Cronograma de atendimento dos profissionais para baixo risco: CM – Consulta médica    CE – Consulta de Enfermagem De acordo com a Lei do Exercício Profissional da Enfermagem: - Decreto nº 94.406/87 – “O pré-natal de baixo risco pode ser inteiramente acompanhado pela enfermeira”. (Assistência Pré-Natal: Manual Técnico - 3ª ed. – Brasília: Secretaria de Políticas de Saúde - SPS/Ministério da saúde, 2000, p.18).
Rotina do Pré-natal 1) Pré-consulta - Acolhimento da gestante; 	- Verificar os sinais vitais: TA, peso e altura (somente na primeira consulta); 	- Registrar na SIA/SUS; Responsável: Auxiliar e/ou Técnico de Enfermagem.
2) Consulta 	Abertura do prontuário, ficha da gestante, carteira da gestante e o cadastro do SISPRENATAL (anexo 01); 	Anamnese da gestante e o exame físico, verificando: 	- Definição da DUM/DPP/IG, AU, BCF, MAF, Edema de MI, Exame das Mamas (mamilos) e toque vaginal, quando necessário;  	- Abordagem quanto à saúde bucal, encaminhando se necessário;  	Conduta terapêutica medicamentosa, se necessário; 	Orientações quanto à realização do CP e da VAT; 	Solicitação dos exames laboratoriais de rotina, conforme lista deste protocolo.  	Explicação das fases evolutivas da gestação e a importância da amamentação e a da manutenção do Pré-Natal; 	Esclarecimento de dúvidas quanto: prescrições, exames e encaminhamentos, etc...); 	Encaminhamento ao pré-natal de alto-risco, quando necessário. 	Realização dos registros de rotina. Responsáveis: Médicos e Enfermeiros, sendo a primeira e a segunda com o médico.
3) Pós-consulta 		- Agendamento da próxima consulta; 		- Realização de procedimentos, quando necessários; Responsáveis: burocrata e profissionais de enfermagem.
Estratégias de captação precoce de gestantes - Visita domiciliária à gestante: ACS: mensalmente. 		Demais membros da equipe: no primeiro e terceiro trimestre.  - Busca ativa de faltosas ao PN.
PRODUÇÃO DAS EQUIPES Nº de gestantes cadastradas: Média mensal de consulta  de pré-natal:  Média mensal de atividades educativas:
INDICADORES DE AVALIAÇÃO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIANO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO DE 2008 E 2009.
ATENÇÃO AO PUERPÉRIO
Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: ACS: Visita domiciliar do ACS para verificar o retorno da puérpera e do RN ao domicílio, agendar V.D da equipe, e dar orientações básicas de puerpério; Auxiliar/Técnico de enfermagem: verificação dos sinais vitais, orientações sobre as vacinas, cuidados com RN  ( higiene,coto umbilical,...), incentivo ao aleitamento materno, preenchimento de relatório se RN  for de Risco, realizar e orientar curativos em F.O. C.P.M.
Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: Enfermeira: Consulta de enfermagem no domicílio da puérpera e do RN. Com a puérpera: verificando os sinais vitais e exame físico: das mamas; verificação dos lóquios quanto ao fluxo e aspecto, observar as condições da F.O (incisão ou episio), ouvir as queixas. Incentivar ao aleitamento materno, e a consulta clínica da puérpera com o médico entre 15 e 20 dias na UBSF/UBS. Caso o enfermeiro esteja de férias esse atendimento fica sob responsabilidade do profissional médico.
Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: Consulta ao RN: verificação dos sinais vitais, observar: coto umbilical, situação vacinal, condições do ambiente. Agendar a consulta clínica do RN com o médico na UBSF/UBS
Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: Médico: Consulta clínica de 07 à 10 dias na UBSF/UBS ao RN. Agendamento da puericultura para 30 dias.  Consulta clínica com puérpera no período do 15º ao 20º pós parto, agendando a revisão de parto.
PLANEJAMENTO FAMILIAR
PLANEJAMENTO FAMILIAR ,[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Programa nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Programa nacional de atenção integral à saúde da MulherPrograma nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Programa nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Fernanda Marinho
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
Elisa Brietzke
 
Saúde da mulher - Cuidados com a saúde feminina
Saúde da mulher - Cuidados com a saúde femininaSaúde da mulher - Cuidados com a saúde feminina
Saúde da mulher - Cuidados com a saúde feminina
Anderson Silva
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
marianagusmao39
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
LASM_UIT
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Politica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulherPolitica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulher
Alanna Alexandre
 
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaAssistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
EDSON ALAN QUEIROZ
 
Pré natal
Pré natalPré natal
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
chirlei ferreira
 
Políticas Públicas de Saúde da Mulher no Brasil
Políticas Públicas de Saúde da Mulher no BrasilPolíticas Públicas de Saúde da Mulher no Brasil
Políticas Públicas de Saúde da Mulher no Brasil
Marciane Missio
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
jusantos_
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
WAGNER OLIVEIRA
 
Aula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarAula Planejamento Familiar
Aula Planejamento Familiar
Unis
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Sanny Pereira
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
Mishela Kelly Almeida
 

Mais procurados (20)

Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Programa nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Programa nacional de atenção integral à saúde da MulherPrograma nacional de atenção integral à saúde da Mulher
Programa nacional de atenção integral à saúde da Mulher
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Saúde da mulher - Cuidados com a saúde feminina
Saúde da mulher - Cuidados com a saúde femininaSaúde da mulher - Cuidados com a saúde feminina
Saúde da mulher - Cuidados com a saúde feminina
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
 
Assistência pré natal
Assistência pré natalAssistência pré natal
Assistência pré natal
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
 
Politica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulherPolitica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulher
 
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaAssistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Políticas Públicas de Saúde da Mulher no Brasil
Políticas Públicas de Saúde da Mulher no BrasilPolíticas Públicas de Saúde da Mulher no Brasil
Políticas Públicas de Saúde da Mulher no Brasil
 
Alojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagemAlojamento conjunto e enfermagem
Alojamento conjunto e enfermagem
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
 
Aula Planejamento Familiar
Aula Planejamento FamiliarAula Planejamento Familiar
Aula Planejamento Familiar
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM)
 
Orientações a gestantes
Orientações a gestantesOrientações a gestantes
Orientações a gestantes
 

Semelhante a ApresentaçãO SaúDe Da Mulher

Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
Danubia7410
 
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à SaúdeA Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Gustavo Henrique
 
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioDiretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
raquelwleal
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Professor Robson
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
MARY SOUSA
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
MARY SOUSA
 
materno-infantil.pptx
materno-infantil.pptxmaterno-infantil.pptx
materno-infantil.pptx
jgbkjbjhvhchgfcgh
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
HIURYGOMES
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
HIURYGOMES
 
Pré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo RiscoPré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo Risco
HIURYGOMES
 
Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...
Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...
Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...
Cinthia13Lima
 
Blog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal SlaydBlog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal Slayd
Gláucia Marchini
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
Gláucia Marchini
 
3 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-2012
3 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-20123 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-2012
3 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-2012
Denise Andrade
 
ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010
ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010
ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010
Tania Fonseca
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Auro Gonçalves
 
Rede Cegonha Carmem.ppt
Rede Cegonha  Carmem.pptRede Cegonha  Carmem.ppt
Rede Cegonha Carmem.ppt
DonCorleone22
 
Atendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBS
Atendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBSAtendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBS
Atendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBS
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
Danilo Nunes Anunciação
 

Semelhante a ApresentaçãO SaúDe Da Mulher (20)

Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à SaúdeA Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
 
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natalAula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
Aula 4 -_consulta_de_enfermagem_na_assistencia_pre-natal
 
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpérioDiretrizes de sms pré natal e puerpério
Diretrizes de sms pré natal e puerpério
 
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo riscoProtocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
Protocolo clínico de atendimento na rede básica de pré natal de baixo risco
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
Assist enf prenatal
Assist enf prenatalAssist enf prenatal
Assist enf prenatal
 
materno-infantil.pptx
materno-infantil.pptxmaterno-infantil.pptx
materno-infantil.pptx
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Pré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo RiscoPré-Natal Baixo Risco
Pré-Natal Baixo Risco
 
Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...
Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...
Saúde da mulher. Atividade apresentada no Curso de Especialização em Atenção ...
 
Blog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal SlaydBlog Pré Natal Slayd
Blog Pré Natal Slayd
 
Pré Natal
Pré  NatalPré  Natal
Pré Natal
 
3 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-2012
3 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-20123 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-2012
3 protocolo-consulta-enfermagem-saude-da-crianca-versao-2012
 
ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010
ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010
ApresentaçãO Ser SaúDavel MarçO 2010
 
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2Resumo pré natal de baixo risco parte 2
Resumo pré natal de baixo risco parte 2
 
Rede Cegonha Carmem.ppt
Rede Cegonha  Carmem.pptRede Cegonha  Carmem.ppt
Rede Cegonha Carmem.ppt
 
Atendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBS
Atendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBSAtendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBS
Atendimento Integral ao Binômio Mãe-bebê entre o 3º e o 5º dia de vida na UBS
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 

Mais de Tania Fonseca

Sus Aula2
Sus Aula2Sus Aula2
Sus Aula2
Tania Fonseca
 
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
Tania Fonseca
 
Sus Aula2
Sus Aula2Sus Aula2
Sus Aula2
Tania Fonseca
 
Mortalidade Inf 3ª Crs 2009
Mortalidade Inf 3ª Crs 2009Mortalidade Inf 3ª Crs 2009
Mortalidade Inf 3ª Crs 2009
Tania Fonseca
 
Prog SaúDe Da Mulher
Prog  SaúDe Da MulherProg  SaúDe Da Mulher
Prog SaúDe Da Mulher
Tania Fonseca
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Tania Fonseca
 
Apresentacao Mortalidade 2009
Apresentacao Mortalidade 2009Apresentacao Mortalidade 2009
Apresentacao Mortalidade 2009
Tania Fonseca
 
GestãO Para ReduçãO Da Mortalidade Infantil
GestãO Para ReduçãO Da Mortalidade InfantilGestãO Para ReduçãO Da Mortalidade Infantil
GestãO Para ReduçãO Da Mortalidade Infantil
Tania Fonseca
 
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
Tania Fonseca
 
ApresentaçãO Dr Rodrido 17 03 2010 2
ApresentaçãO Dr  Rodrido 17 03 2010 2ApresentaçãO Dr  Rodrido 17 03 2010 2
ApresentaçãO Dr Rodrido 17 03 2010 2
Tania Fonseca
 
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
Tania Fonseca
 
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
Tania Fonseca
 

Mais de Tania Fonseca (12)

Sus Aula2
Sus Aula2Sus Aula2
Sus Aula2
 
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
 
Sus Aula2
Sus Aula2Sus Aula2
Sus Aula2
 
Mortalidade Inf 3ª Crs 2009
Mortalidade Inf 3ª Crs 2009Mortalidade Inf 3ª Crs 2009
Mortalidade Inf 3ª Crs 2009
 
Prog SaúDe Da Mulher
Prog  SaúDe Da MulherProg  SaúDe Da Mulher
Prog SaúDe Da Mulher
 
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
Apresentacao Perinatal 2007 Final 2 1
 
Apresentacao Mortalidade 2009
Apresentacao Mortalidade 2009Apresentacao Mortalidade 2009
Apresentacao Mortalidade 2009
 
GestãO Para ReduçãO Da Mortalidade Infantil
GestãO Para ReduçãO Da Mortalidade InfantilGestãO Para ReduçãO Da Mortalidade Infantil
GestãO Para ReduçãO Da Mortalidade Infantil
 
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
ApresentaçãO Reduzida Furg Mortalidade Infantil 2010
 
ApresentaçãO Dr Rodrido 17 03 2010 2
ApresentaçãO Dr  Rodrido 17 03 2010 2ApresentaçãO Dr  Rodrido 17 03 2010 2
ApresentaçãO Dr Rodrido 17 03 2010 2
 
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
 
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
ApresenatçãO Dr Rodrigo 1
 

ApresentaçãO SaúDe Da Mulher

  • 1. PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER NA SAÚDE DA FAMÍLIA Enf. MSc. Suzi Mara Teixeira Bromberger Coordenadora Municipal da ESF/SMS Rio Grande - 2010
  • 2. SITUAÇÃO ATUAL DA ESF 41% de cobertura populacional 100% de cobertura na z. rural 23.000famílias cadastradas 75.500pessoas sendo acompanhadas 26 equipes 19UBSF´s 167Agentes Comunitários de Saúde (132 ESF – 30 EACS)
  • 3. RELAÇÃO DOS PROFISSIONAIS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF 26 EQUIPES 27 MÉDICOS 28 ENFERMEIROS 167 AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE EQUIPE DE SAÚDE BUCAL 05 ODONTÓLOGOS 05 AUXILIARES DE SAÚDE BUCAL
  • 4.
  • 5. UBSF Taim – 01
  • 6. UBSF Ilha dos Marinheiros - 01Na Zona Litorânea: - UBSF Querência: 01 *Área PPV/PIM
  • 7. ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER PRÉ-NATAL; PUERPÉRIO; PLANEJAMENTO FAMILIAR; PREVENÇÃO AO CÂNCER DE COLO UTERINO E DE MAMAS; CLIMATÉRIO; RESPONSABILIDADE SOCIAL
  • 8. ATENÇÃO A SAÚDE MULHER Modalidades de atendimento Consulta médica e de enfermagem por demanda espontâneas; Consulta programada – pré-natal; Coleta de CP e exame de Mamas; Atividades de grupo educativos (de gestantes, planejamento familiar, hipertensos e diabéticos, de saúde mental – promoção da saúde);
  • 9. ATENÇÃO A SAÚDE MULHER AÇÕES DE PROMOÇÃO À SAÚDE: Oficinas de trabalho e renda; Reuniões comunitárias; Grupos de caminhada; Atenção domiciliar - visita; consulta; internação.
  • 10. ATENÇÃO AO PRÉ-NATAL O MS preconiza a realização de, no mínimo, 06 (seis) consultas de acompanhamento de pré-natal, sendo, preferencialmente uma no primeiro trimestre, duas no segundo e três no terceiro trimestre de gestação. Intervalo das consultas: Mensais: até 36a semana; Quinzenais: de 36ª a 38ª semana; Semanais: a partir da 38ª semana.
  • 11. ATENÇÃO PRÉ-NATAL Roteiro para Acolhimento da Gestante no Pré-Natal Cabe a equipe de saúde ao receber uma gestante na unidade de saúde ou na comunidade, buscar compreender os múltiplos significados da gestação para aquela mulher e sua família. Sendo que o principal objetivo da assistência pré-natal é acolher a mulher desde o início da gestação (1° trimestre).
  • 12. Cronograma de atendimento dos profissionais para baixo risco: CM – Consulta médica CE – Consulta de Enfermagem De acordo com a Lei do Exercício Profissional da Enfermagem: - Decreto nº 94.406/87 – “O pré-natal de baixo risco pode ser inteiramente acompanhado pela enfermeira”. (Assistência Pré-Natal: Manual Técnico - 3ª ed. – Brasília: Secretaria de Políticas de Saúde - SPS/Ministério da saúde, 2000, p.18).
  • 13. Rotina do Pré-natal 1) Pré-consulta - Acolhimento da gestante; - Verificar os sinais vitais: TA, peso e altura (somente na primeira consulta); - Registrar na SIA/SUS; Responsável: Auxiliar e/ou Técnico de Enfermagem.
  • 14. 2) Consulta Abertura do prontuário, ficha da gestante, carteira da gestante e o cadastro do SISPRENATAL (anexo 01); Anamnese da gestante e o exame físico, verificando: - Definição da DUM/DPP/IG, AU, BCF, MAF, Edema de MI, Exame das Mamas (mamilos) e toque vaginal, quando necessário; - Abordagem quanto à saúde bucal, encaminhando se necessário; Conduta terapêutica medicamentosa, se necessário; Orientações quanto à realização do CP e da VAT; Solicitação dos exames laboratoriais de rotina, conforme lista deste protocolo. Explicação das fases evolutivas da gestação e a importância da amamentação e a da manutenção do Pré-Natal; Esclarecimento de dúvidas quanto: prescrições, exames e encaminhamentos, etc...); Encaminhamento ao pré-natal de alto-risco, quando necessário. Realização dos registros de rotina. Responsáveis: Médicos e Enfermeiros, sendo a primeira e a segunda com o médico.
  • 15. 3) Pós-consulta - Agendamento da próxima consulta; - Realização de procedimentos, quando necessários; Responsáveis: burocrata e profissionais de enfermagem.
  • 16. Estratégias de captação precoce de gestantes - Visita domiciliária à gestante: ACS: mensalmente. Demais membros da equipe: no primeiro e terceiro trimestre. - Busca ativa de faltosas ao PN.
  • 17. PRODUÇÃO DAS EQUIPES Nº de gestantes cadastradas: Média mensal de consulta de pré-natal: Média mensal de atividades educativas:
  • 18. INDICADORES DE AVALIAÇÃO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIANO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO DE 2008 E 2009.
  • 20. Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: ACS: Visita domiciliar do ACS para verificar o retorno da puérpera e do RN ao domicílio, agendar V.D da equipe, e dar orientações básicas de puerpério; Auxiliar/Técnico de enfermagem: verificação dos sinais vitais, orientações sobre as vacinas, cuidados com RN ( higiene,coto umbilical,...), incentivo ao aleitamento materno, preenchimento de relatório se RN for de Risco, realizar e orientar curativos em F.O. C.P.M.
  • 21. Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: Enfermeira: Consulta de enfermagem no domicílio da puérpera e do RN. Com a puérpera: verificando os sinais vitais e exame físico: das mamas; verificação dos lóquios quanto ao fluxo e aspecto, observar as condições da F.O (incisão ou episio), ouvir as queixas. Incentivar ao aleitamento materno, e a consulta clínica da puérpera com o médico entre 15 e 20 dias na UBSF/UBS. Caso o enfermeiro esteja de férias esse atendimento fica sob responsabilidade do profissional médico.
  • 22. Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: Consulta ao RN: verificação dos sinais vitais, observar: coto umbilical, situação vacinal, condições do ambiente. Agendar a consulta clínica do RN com o médico na UBSF/UBS
  • 23. Rotina do atendimento no pós-partona primeira semana: Médico: Consulta clínica de 07 à 10 dias na UBSF/UBS ao RN. Agendamento da puericultura para 30 dias. Consulta clínica com puérpera no período do 15º ao 20º pós parto, agendando a revisão de parto.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. Obrigada pela atenção!