SlideShare uma empresa Scribd logo
 
O planejamento familiar consiste na possibilidade de decisão da mulher, do homem ou do casal em ter filhos, o número destes  e o momento ideal de concebê-los .
É BÁSICO PROMOVER TAMBÉM A PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ NÃO PROGRAMADA ENTRE ADOLESCENTES E JOVENS.  ORIENTAMOS QUE SE PRATIQUE, EM GRUPO OU INDIVIDUALMENTE, REFLEXÕES SOBRE O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO, PARA A FORMAÇÃO DE ATITUDES  POSITIVAS EM RELAÇÃO À SEXUALIDADE E SAÚDE. ? ? ?
 
 
É FUNDAMENTAL A MULHER TER INFORMAÇÕES SOBRE A REGIÃO EXTERNA DO SEU APARELHO SEXUAL E REPRODUTIVO PARA SE CONHECER E SE CUIDAR MELHOR.
 
O CONHECIMENTO DE SI PRÓPRIO, FACILITA AO PROFISSIONAL ILUSTTRAR A REGIÃO GENITAL E EXPLICAR COMO SE REALIZA O AUTO-EXAME, A HIGIENE ÍNTIMA E A MASTURBAÇÃO.  TAMBÉM PERMITE VERIFICAR A ENTRADA DA VAGINA, MOSTRANDO O LOCAL ONDE A CAMISINHA FEMININA  E O DIAFRÁGMA DEVEM  SER COLOCADOS.
Apresentamos  os métodos  contraceptivos  mais comuns  que  existem  na oferta  dos  serviços públicos  de  saúde.
Preservativo masculino – a camisinha O preservativo feminino – a camisinha feminina O diafrágma
Pílula injetável Contracepção de emergência
 
* Tabela  e  muco  cervical
 
 
PARA O CASAL COM DIFICULDADE DE ENGRAVIDAR, EXISTEM OS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA PARA FERTILIZAÇÃO
1º QUADRO Amadurecimento  do  óvulo  e  espessamento  do  endométrio.
2º QUADRO Ovulação – Óvulo expulso dirige-se para a extremidade das fímbrias das trompas. A ovulação ocorre no 14º dia do ciclo menstrual. É  o  período  FÉRTIL
3º  QUADRO Pós ovulação – ruptura do folículo, diminuição do estrogênio  e formação do corpo lúteo. O endométrio está mais espesso, preparando para  uma possível  gravidez.
4º QUADRO Se não houver fecundação, o endométrio se descama. MENSTRUAÇÃO
1º QUADRO Entrada dos espermatozóides na vagina no período fértil.
2º QUADRO ENCONTRO DOS ESPERMATOZÓIDES  COM O ÓVULO NA TROMPA GERALMENTE  APENAS UM ESPERMATOZÓIDE FECUNDA O ÓVULO
3º QUADRO O embrião  (óvulo fecundado) fixa-se no útero (Endométrio).
 
O PERÍODO DE AMAMENTAÇÃO NÃO PODE SER CONSIDERADO COMO MÉTODO DE CONTRACEPÇÃO.  Pode ocorrer  ovulação e  gravidez.
Para  este  período,  existe  a mini-pílula  ou  métodos  de  barreira  (preservativo  masculino, feminino e diafrágma) QUE  NÃO INTERFEREM NA AMAMENTAÇÃO.
 
No período da ovulação o muco adquire o aspécto de clara de ovo cru, transparente e elástico. Nestes dias, há risco de engravidar. A eficácia deste método depende da disciplina da mulher nas observações de seu corpo. Corrimento (secreção com odor e cor) é sinal de inflamação. Procure um ginecologista
É importante a mulher saber registrar seu ciclo num calendário por  seis meses e calcular a média  dos dias do ciclo.
EXISTEM PÍLULAS COM DIFERENTES COMBINAÇÕES, COM DOSAGENS ALTAS E BAIXAS. É um método seguro, o importante é usá-las com indicação médica.
Capinha de silicone colocada pela própria mulher no fundo da vagina antes da relação sexual. Cobre o colo do útero, formando uma barreira. Não tem efeito colateral. Existem seis medidas diferentes para se adaptar a cada mulher.  Deve ser retirado 8 horas após a última relação sexual.
Somente retirá-lo no banho, lavá-lo e recolocá-lo, respeitando as 8 horas após a última relação sexual.
OFERECE À MULHER MAIOR PROTEÇÃO CONTRA AS DST E AIDS.  É DESCARTÁVEL É um saquinho de 16 cm, que reveste a vagina e a parte externa da vulva, protegendo os grandes lábios. Impede a passagem dos espermatozóides para o útero . DEVE SER COLOCADO ANTES DA REALAÇÃO SEXUAL.
É uma pequena peça de plástico com uma parte coberta de cobre, em formato espiral. O cobre age como espermicida. É colocado e retirado do útero somente por médico ou enfermeira  treinados.
Dependendo do tipo de DIU a permanência no útero varia de 5 a 10 anos. Exige acompanhamento médico periódico de 6 em 6 meses.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],É IMPORTANTE SEGUIR AS ORIENTAÇÕES MÉDICAS
Possui alta concentração de hormônios de pílulas anticoncepcionais comuns.  Tem maior eficácia (95%) nas primeiras 24 horas. Não provoca aborto, pois atua impedindo a ovulação e a mobilidade dos espermatozóides depois que a relação sexual já ocorreu. O uso em 2 comprimidos tomados com intervalo de 12h ou juntos tem o mesmo efeito, por isso a tendência é que o método tenha seu formato em 1 só comprimido.
 
Cirurgia definitiva nas trompas para impedir o encontro do óvulo com o espermatozóide. Para se submeter à laqueadura, a mulher ou o casal deverão ser entrevistados, por uma equipe multidisciplinar de profissionais, na UBS ou no próprio hospital.
 
É um saquinho de latex, colocado no pênis ereto antes do contato com a vagina, na relação sexual.   Indicado para adolescentes, jovens e adultos. É um método seguro porque previne DST, Aids e gravidez indesejada.
É uma cirurgia definitiva, de corte dos canais deferentes. Impede a saída dos espermatozóides no líquido seminal
É importante o uso do preservativo após a cirurgia, durante 3 meses até a comprovação de ausência de espermatozóides com exame de espermograma.
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
Stefanny Corrêa
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
Oncoguia
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
Michelle Santos
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Saúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APSSaúde da Mulher na APS
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
Rejane Durães
 
Pré-Natal
Pré-NatalPré-Natal
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
Tania Fonseca
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
Ana Paula Ribeiro da Fonseca Lopes
 
Planejamento Familiar
Planejamento FamiliarPlanejamento Familiar
Planejamento Familiar
chirlei ferreira
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
ilanaseixasladeia
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
joao11batista
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
Ministério da Saúde
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Planejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoPlanejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalho
Vania Ribeiro
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
Escola Básica e Secundária de Vizela - Infias
 
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
Alinebrauna Brauna
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
chirlei ferreira
 

Mais procurados (20)

Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
 
Saúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APSSaúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APS
 
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
 
Pré-Natal
Pré-NatalPré-Natal
Pré-Natal
 
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
Planejamento Familiar
Planejamento FamiliarPlanejamento Familiar
Planejamento Familiar
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Planejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoPlanejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalho
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
 
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
 
Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 

Semelhante a Planejamento familiar

Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
Aulas Biologia
 
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
gggg7777
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
guest44df534
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Ludmila oitavo ano - atividade pontuada - métodos
Ludmila   oitavo ano - atividade pontuada - métodosLudmila   oitavo ano - atividade pontuada - métodos
Ludmila oitavo ano - atividade pontuada - métodos
professoraludmila
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Pelo Siro
 
Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionais
pedropereiraeu
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Pelo Siro
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Pelo Siro
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
Ana Paula Silva
 
metodos contraceptivos
metodos contraceptivosmetodos contraceptivos
metodos contraceptivos
AdrianaDriks
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
António Morais
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos Química
Bruno
 
Métodos contraceptivos garantem o planejamento familiar
Métodos contraceptivos garantem o planejamento familiarMétodos contraceptivos garantem o planejamento familiar
Métodos contraceptivos garantem o planejamento familiar
Sirlane Pinheiro
 
Fecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivosFecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivos
luizinhovlr
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
Zaara Miranda
 
metodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdf
metodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdfmetodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdf
metodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdf
Samara165561
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
Rosário Souza
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
Rosário Souza
 
Anticoncepção
AnticoncepçãoAnticoncepção
Anticoncepção
gracielabtonin
 

Semelhante a Planejamento familiar (20)

Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
 
Ludmila oitavo ano - atividade pontuada - métodos
Ludmila   oitavo ano - atividade pontuada - métodosLudmila   oitavo ano - atividade pontuada - métodos
Ludmila oitavo ano - atividade pontuada - métodos
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
 
Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionais
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
metodos contraceptivos
metodos contraceptivosmetodos contraceptivos
metodos contraceptivos
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos Química
 
Métodos contraceptivos garantem o planejamento familiar
Métodos contraceptivos garantem o planejamento familiarMétodos contraceptivos garantem o planejamento familiar
Métodos contraceptivos garantem o planejamento familiar
 
Fecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivosFecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivos
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
 
metodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdf
metodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdfmetodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdf
metodoscontraceptivos-111017103521-phpapp02 (1).pdf
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 
Anticoncepção
AnticoncepçãoAnticoncepção
Anticoncepção
 

Mais de WAGNER OLIVEIRA

INFERTILIDADE FEMININA
INFERTILIDADE FEMININAINFERTILIDADE FEMININA
INFERTILIDADE FEMININA
WAGNER OLIVEIRA
 
Fenilcetonúria
FenilcetonúriaFenilcetonúria
Fenilcetonúria
WAGNER OLIVEIRA
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
WAGNER OLIVEIRA
 
Hospitalização infantil
Hospitalização infantilHospitalização infantil
Hospitalização infantil
WAGNER OLIVEIRA
 
Adolescencia
AdolescenciaAdolescencia
Adolescencia
WAGNER OLIVEIRA
 
Acidentes mais comuns na infância
Acidentes mais comuns na infânciaAcidentes mais comuns na infância
Acidentes mais comuns na infância
WAGNER OLIVEIRA
 
Meningite, encefalite e autismo (2)
Meningite, encefalite e autismo (2)Meningite, encefalite e autismo (2)
Meningite, encefalite e autismo (2)
WAGNER OLIVEIRA
 
Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...
WAGNER OLIVEIRA
 
DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)
DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)
DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)
WAGNER OLIVEIRA
 
O morrer nas religiões
O morrer nas religiõesO morrer nas religiões
O morrer nas religiões
WAGNER OLIVEIRA
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
WAGNER OLIVEIRA
 
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICASCIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
WAGNER OLIVEIRA
 
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALOApresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
WAGNER OLIVEIRA
 

Mais de WAGNER OLIVEIRA (13)

INFERTILIDADE FEMININA
INFERTILIDADE FEMININAINFERTILIDADE FEMININA
INFERTILIDADE FEMININA
 
Fenilcetonúria
FenilcetonúriaFenilcetonúria
Fenilcetonúria
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
 
Hospitalização infantil
Hospitalização infantilHospitalização infantil
Hospitalização infantil
 
Adolescencia
AdolescenciaAdolescencia
Adolescencia
 
Acidentes mais comuns na infância
Acidentes mais comuns na infânciaAcidentes mais comuns na infância
Acidentes mais comuns na infância
 
Meningite, encefalite e autismo (2)
Meningite, encefalite e autismo (2)Meningite, encefalite e autismo (2)
Meningite, encefalite e autismo (2)
 
Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...Principais exames na infância ...
Principais exames na infância ...
 
DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)
DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)
DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO (DHEG)
 
O morrer nas religiões
O morrer nas religiõesO morrer nas religiões
O morrer nas religiões
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
 
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICASCIRURGIAS NEFROLÓGICAS
CIRURGIAS NEFROLÓGICAS
 
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALOApresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
Apresentação Sífilis 2010 TURMA ENFERMAGEM 5º SEMESTRE UNIÍTALO
 

Planejamento familiar

  • 1.  
  • 2. O planejamento familiar consiste na possibilidade de decisão da mulher, do homem ou do casal em ter filhos, o número destes e o momento ideal de concebê-los .
  • 3. É BÁSICO PROMOVER TAMBÉM A PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ NÃO PROGRAMADA ENTRE ADOLESCENTES E JOVENS. ORIENTAMOS QUE SE PRATIQUE, EM GRUPO OU INDIVIDUALMENTE, REFLEXÕES SOBRE O PLANEJAMENTO REPRODUTIVO, PARA A FORMAÇÃO DE ATITUDES POSITIVAS EM RELAÇÃO À SEXUALIDADE E SAÚDE. ? ? ?
  • 4.  
  • 5.  
  • 6. É FUNDAMENTAL A MULHER TER INFORMAÇÕES SOBRE A REGIÃO EXTERNA DO SEU APARELHO SEXUAL E REPRODUTIVO PARA SE CONHECER E SE CUIDAR MELHOR.
  • 7.  
  • 8. O CONHECIMENTO DE SI PRÓPRIO, FACILITA AO PROFISSIONAL ILUSTTRAR A REGIÃO GENITAL E EXPLICAR COMO SE REALIZA O AUTO-EXAME, A HIGIENE ÍNTIMA E A MASTURBAÇÃO. TAMBÉM PERMITE VERIFICAR A ENTRADA DA VAGINA, MOSTRANDO O LOCAL ONDE A CAMISINHA FEMININA E O DIAFRÁGMA DEVEM SER COLOCADOS.
  • 9. Apresentamos os métodos contraceptivos mais comuns que existem na oferta dos serviços públicos de saúde.
  • 10. Preservativo masculino – a camisinha O preservativo feminino – a camisinha feminina O diafrágma
  • 12.  
  • 13. * Tabela e muco cervical
  • 14.  
  • 15.  
  • 16. PARA O CASAL COM DIFICULDADE DE ENGRAVIDAR, EXISTEM OS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA PARA FERTILIZAÇÃO
  • 17. 1º QUADRO Amadurecimento do óvulo e espessamento do endométrio.
  • 18. 2º QUADRO Ovulação – Óvulo expulso dirige-se para a extremidade das fímbrias das trompas. A ovulação ocorre no 14º dia do ciclo menstrual. É o período FÉRTIL
  • 19. 3º QUADRO Pós ovulação – ruptura do folículo, diminuição do estrogênio e formação do corpo lúteo. O endométrio está mais espesso, preparando para uma possível gravidez.
  • 20. 4º QUADRO Se não houver fecundação, o endométrio se descama. MENSTRUAÇÃO
  • 21. 1º QUADRO Entrada dos espermatozóides na vagina no período fértil.
  • 22. 2º QUADRO ENCONTRO DOS ESPERMATOZÓIDES COM O ÓVULO NA TROMPA GERALMENTE APENAS UM ESPERMATOZÓIDE FECUNDA O ÓVULO
  • 23. 3º QUADRO O embrião (óvulo fecundado) fixa-se no útero (Endométrio).
  • 24.  
  • 25. O PERÍODO DE AMAMENTAÇÃO NÃO PODE SER CONSIDERADO COMO MÉTODO DE CONTRACEPÇÃO. Pode ocorrer ovulação e gravidez.
  • 26. Para este período, existe a mini-pílula ou métodos de barreira (preservativo masculino, feminino e diafrágma) QUE NÃO INTERFEREM NA AMAMENTAÇÃO.
  • 27.  
  • 28. No período da ovulação o muco adquire o aspécto de clara de ovo cru, transparente e elástico. Nestes dias, há risco de engravidar. A eficácia deste método depende da disciplina da mulher nas observações de seu corpo. Corrimento (secreção com odor e cor) é sinal de inflamação. Procure um ginecologista
  • 29. É importante a mulher saber registrar seu ciclo num calendário por seis meses e calcular a média dos dias do ciclo.
  • 30. EXISTEM PÍLULAS COM DIFERENTES COMBINAÇÕES, COM DOSAGENS ALTAS E BAIXAS. É um método seguro, o importante é usá-las com indicação médica.
  • 31. Capinha de silicone colocada pela própria mulher no fundo da vagina antes da relação sexual. Cobre o colo do útero, formando uma barreira. Não tem efeito colateral. Existem seis medidas diferentes para se adaptar a cada mulher. Deve ser retirado 8 horas após a última relação sexual.
  • 32. Somente retirá-lo no banho, lavá-lo e recolocá-lo, respeitando as 8 horas após a última relação sexual.
  • 33. OFERECE À MULHER MAIOR PROTEÇÃO CONTRA AS DST E AIDS. É DESCARTÁVEL É um saquinho de 16 cm, que reveste a vagina e a parte externa da vulva, protegendo os grandes lábios. Impede a passagem dos espermatozóides para o útero . DEVE SER COLOCADO ANTES DA REALAÇÃO SEXUAL.
  • 34. É uma pequena peça de plástico com uma parte coberta de cobre, em formato espiral. O cobre age como espermicida. É colocado e retirado do útero somente por médico ou enfermeira treinados.
  • 35. Dependendo do tipo de DIU a permanência no útero varia de 5 a 10 anos. Exige acompanhamento médico periódico de 6 em 6 meses.
  • 36.
  • 37. Possui alta concentração de hormônios de pílulas anticoncepcionais comuns. Tem maior eficácia (95%) nas primeiras 24 horas. Não provoca aborto, pois atua impedindo a ovulação e a mobilidade dos espermatozóides depois que a relação sexual já ocorreu. O uso em 2 comprimidos tomados com intervalo de 12h ou juntos tem o mesmo efeito, por isso a tendência é que o método tenha seu formato em 1 só comprimido.
  • 38.  
  • 39. Cirurgia definitiva nas trompas para impedir o encontro do óvulo com o espermatozóide. Para se submeter à laqueadura, a mulher ou o casal deverão ser entrevistados, por uma equipe multidisciplinar de profissionais, na UBS ou no próprio hospital.
  • 40.  
  • 41. É um saquinho de latex, colocado no pênis ereto antes do contato com a vagina, na relação sexual. Indicado para adolescentes, jovens e adultos. É um método seguro porque previne DST, Aids e gravidez indesejada.
  • 42. É uma cirurgia definitiva, de corte dos canais deferentes. Impede a saída dos espermatozóides no líquido seminal
  • 43. É importante o uso do preservativo após a cirurgia, durante 3 meses até a comprovação de ausência de espermatozóides com exame de espermograma.
  • 44.