SlideShare uma empresa Scribd logo
ANTIDEPRESSIVOS
Professora: Gabriela
Alunas: Ana Catarina, Katiuscia Izidro, Kimberly Casemiro, Michele Machado
Os antidepressivos foram descobertos casualmente. No
início da década de 1950, investigadores notaram que
pacientes com tuberculose apresentavam elevação
prolongada do humor quando tratados com iproniazida,
um inibidor da monoaminoxidase (IMAO) prescrito como
tuberculostático. A iproniazida mostrou-se ineficaz no
tratamento da tuberculose, mas seu impacto no humor
levou a alguns dos primeiros estudos duplo-cegos em
psicofarmacologia, demonstrando que os IMAOs eram
eficazes na depressão.
Também foi ao acaso a descoberta posterior de que a
imipramina, investigada inicialmente como tratamento para
esquizofrenia, elevava o humor, apesar de não ter ação
antipsicótica. A descoberta dos antidepressivos e sua
utilização na prática clínica trouxeram um avanço importante
no tratamento e no entendimento de possíveis mecanismos
subjacentes aos transtornos depressivos,1,4 o que tornou a
depressão um problema médico passível de tratamento,
semelhante a outras doenças, como o diabete e a hipertensão
arterial.
Até a década de 1980, havia duas classes de
antidepressivos: os tricíclicos (ADTs) e os inibidores
de monoaminoxidase (IMAOs). Embora muito
eficazes, essas drogas apresentavam efeitos
colaterais indesejáveis, causados pela
inespecificidade de sua ação farmacológica, e eram
potencialmente letais em casos de superdosagem.
Nas últimas duas décadas, surgiram novas classes de
antidepressivos a partir da pesquisa de moléculas
desprovidas dos efeitos colaterais dos heterocíclicos.
São medicamentos cuja ação decorre no Sistema Nervoso
Central, normalizando o estado do humor, quando se encontra
deprimido (o que equivale para o doente a tristeza, angústia,
desinteresse, desmotivação, falta de energia, alterações do sono
e do apetite e muitos outros sintomas).
Os medicamentos antidepressivos não actuam quando o estado
do humor é normal, distinguindo-se dos psico-estimulantes
Os antidepressivos são drogas que aumentam o tônus psíquico
melhorando o humor e, consequentemente, melhorando a
psicomotricidade de maneira global. Acredita-se que o efeito
antidepressivo se dê às custas de um aumento da disponibilidade de
neurotransmissores no SNC, notadamente da serotonina (5-HT), da
noradrenalina ou norepinefrima (NE) e da dopamina (DA). Ao bloquearem
receptores 5HT2 (da serotonina) os antidepressivos também funcionam
como antienxaqueca. O aumento de neurotransmissores na fenda sináptica
se dá através do bloqueio da recaptação da NE e da 5HT no neurônio pré-
sináptico ou ainda, através da inibição da Monoaminaoxidase (MAO) que é
a enzima responsável pela inativação destes neurotransmissores.
COMO ATUAM OS
ANTIDEPRESSIVOS?
Atuam no cérebro, modificando e corrigindo a
transmissão neuroquímica em áreas do Sistema
Nervoso que regulam o estado do humor (o nível da
vitalidade, energia, interesse, emoções e a variação
entre alegria e tristeza), quando o humor está
afetado negativamente num grau significativo.
Indicações para Antidepressivos As indicações para o uso dos antidepressivos
veem, progressivamente, sofrendo ampliação, de acordo com o melhor
entendimento sobre a participação dos elementos emocionais em outros
transtornos médicos, além da própria depressão. A própria manifestação clínica
polimórfica da depressão já recomenda o uso desses medicamentos para os
casos onde essa alteração afetiva se manifesta atipicamente. Indicações
Formais:
• Estados Depressivos
• Estados Ansiosos (Pânico...)
• Estados Fóbicos
• Estados Obsessivo-Compulsivos
• Anorexia
• Bulimia
Segundas Indicações
• Estados Hipercinéticos
• Somatizações
• Ejaculação Precoce
• Doenças Psicossomáticas
• Enxaqueca
• Dores neurogênicas
QUAIS OS EFEITOS
COLATERAIS?
Estão incluídos ganho de peso, associado ou não à
preferência por carboidratos, disfunções sexuais
(redução da libido, retardo ou inibição ejaculatória e
inibição do orgasmo) e alterações do sono (pesadelos,
alucinações). O aumento de ansiedade e a síndrome
tricíclica precoce podem ocorrer nos primeiros dias de
tratamento, principalmente em pacientes com ataques
de pânico, e melhoram com associação a
benzodiazepínicos. Dificuldades de memória são mais
comuns em idosos e no curso do tratamento profilático.
ASSISTÊNCIA DA ENFERMAGEM
COM ANTIDEPRESSIVOS:
O enfermeiro desempenha, em seu trabalho, várias funções, sendo uma das mais
tradicionais a função técnica, na qual a responsabilidade pela administração de
medicação ocupa lugar de destaque. Esse encargo inclui: conhecimentos
farmacológicos sobre as drogas; planejamento de estoque e armazenamento;
orientação de funcionários, pacientes e familiares; avaliação do paciente antes e após
ser medicado; cuidados com o preparo e administração do fármaco; avaliação e
promoção dos efeitos terapêuticos; redução de efeitos adversos; redução de
interações adversas, controle da toxicidade, ações que devem ser tomadas pelo
profissional de enfermagem para que a terapia medicamentosa com antidepressivos
seja feita de maneira segura e efetiva.
OBRIGADA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3 antidepressivos
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3  antidepressivos[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3  antidepressivos
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3 antidepressivos
Marcelo Zanotti da Silva
 
Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.
Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.
Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.
MAIQUELE SANTANA
 
Antipsicoticos teste
Antipsicoticos  testeAntipsicoticos  teste
Antipsicoticos teste
Rodrigo Zandonaii
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
Safia Naser
 
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticosApresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
Paula Soares
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Ansiolíticos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos AnsiolíticosAula de Farmacologia sobre Fármacos Ansiolíticos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Ansiolíticos
Jaqueline Almeida
 
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticosPsicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Caio Maximino
 
Antidepressivos - Fármacos
Antidepressivos - FármacosAntidepressivos - Fármacos
Antidepressivos - Fármacos
joanadebarros
 
Psicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade I
Psicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade IPsicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade I
Psicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade I
Caio Maximino
 
Trabalho antipsicóticos
Trabalho antipsicóticosTrabalho antipsicóticos
Trabalho antipsicóticos
Aécio Ferraz
 
psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2
Aroldo Gavioli
 
Farmacologia 10 antidepressivos - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 10   antidepressivos - med resumos (dez-2011)Farmacologia 10   antidepressivos - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 10 antidepressivos - med resumos (dez-2011)
Jucie Vasconcelos
 
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Educação Ucpel
 
AnsiolíTicos E HipnóTicos
AnsiolíTicos E HipnóTicosAnsiolíTicos E HipnóTicos
AnsiolíTicos E HipnóTicos
Farmacêutico Digital
 
Tranquilizantes
TranquilizantesTranquilizantes
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
Vilmar Barbosa
 
Aula antidepressivos
Aula  antidepressivosAula  antidepressivos
Aula antidepressivos
Renato Santos
 
Seminário ansiolíticos e hipnóticos ok
Seminário ansiolíticos e hipnóticos okSeminário ansiolíticos e hipnóticos ok
Seminário ansiolíticos e hipnóticos ok
Robeísa Danya
 
Aula 3 Biomedicina
Aula 3 BiomedicinaAula 3 Biomedicina
Aula 3 Biomedicina
Caio Maximino
 
Ansioliticos
AnsioliticosAnsioliticos
Ansioliticos
Safia Naser
 

Mais procurados (20)

[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3 antidepressivos
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3  antidepressivos[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3  antidepressivos
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 3 antidepressivos
 
Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.
Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.
Farmacologia da depressão + anticonvulsivantes.
 
Antipsicoticos teste
Antipsicoticos  testeAntipsicoticos  teste
Antipsicoticos teste
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticosApresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Ansiolíticos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos AnsiolíticosAula de Farmacologia sobre Fármacos Ansiolíticos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Ansiolíticos
 
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticosPsicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
 
Antidepressivos - Fármacos
Antidepressivos - FármacosAntidepressivos - Fármacos
Antidepressivos - Fármacos
 
Psicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade I
Psicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade IPsicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade I
Psicofarmacologia e psicpterapia dos transtornos de ansiedade I
 
Trabalho antipsicóticos
Trabalho antipsicóticosTrabalho antipsicóticos
Trabalho antipsicóticos
 
psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2
 
Farmacologia 10 antidepressivos - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 10   antidepressivos - med resumos (dez-2011)Farmacologia 10   antidepressivos - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 10 antidepressivos - med resumos (dez-2011)
 
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1Aula 3   psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
Aula 3 psicofarmacologia nos transtornos do humor 1
 
AnsiolíTicos E HipnóTicos
AnsiolíTicos E HipnóTicosAnsiolíTicos E HipnóTicos
AnsiolíTicos E HipnóTicos
 
Tranquilizantes
TranquilizantesTranquilizantes
Tranquilizantes
 
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
 
Aula antidepressivos
Aula  antidepressivosAula  antidepressivos
Aula antidepressivos
 
Seminário ansiolíticos e hipnóticos ok
Seminário ansiolíticos e hipnóticos okSeminário ansiolíticos e hipnóticos ok
Seminário ansiolíticos e hipnóticos ok
 
Aula 3 Biomedicina
Aula 3 BiomedicinaAula 3 Biomedicina
Aula 3 Biomedicina
 
Ansioliticos
AnsioliticosAnsioliticos
Ansioliticos
 

Semelhante a Antidepressivos

Farmacologia m3. parte ii 1 (1)
Farmacologia m3. parte ii 1 (1)Farmacologia m3. parte ii 1 (1)
Farmacologia m3. parte ii 1 (1)
LaboratrioFAMETA
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
Isabel Teixeira
 
Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012
Arquivo-FClinico
 
Anfetaminas
AnfetaminasAnfetaminas
Anfetaminas
Leonardo Guimarães
 
Doença de parkinson
Doença de parkinsonDoença de parkinson
Doença de parkinson
migascouto
 
Apresentação Final
Apresentação FinalApresentação Final
Apresentação Final
guest45dd3c
 
Aula 03.pptx
Aula 03.pptxAula 03.pptx
Aula 03.pptx
IvanildoVieira5
 
Psicofarmacologia curso de pós graduação Neuropsicopedagogia
Psicofarmacologia curso de pós graduação NeuropsicopedagogiaPsicofarmacologia curso de pós graduação Neuropsicopedagogia
Psicofarmacologia curso de pós graduação Neuropsicopedagogia
psimikhaele
 
Drogas e suas caracteristicas
Drogas e suas caracteristicasDrogas e suas caracteristicas
Drogas e suas caracteristicas
Henrique Alves Costa
 
aula antipsicoticos.pptx
aula antipsicoticos.pptxaula antipsicoticos.pptx
aula antipsicoticos.pptx
MayaraPereira87
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
Julai1991
 
Depressão palestra uniplac
Depressão   palestra uniplacDepressão   palestra uniplac
Depressão palestra uniplac
eduardo guagliardi
 
Aula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_central
Aula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_centralAula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_central
Aula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_central
oliveiraddrd
 
Aula - SNC - Antidepressivos
Aula - SNC - AntidepressivosAula - SNC - Antidepressivos
Aula - SNC - Antidepressivos
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Drogas - Drogas Estimulantes
Drogas - Drogas EstimulantesDrogas - Drogas Estimulantes
Drogas - Drogas Estimulantes
biancavaleria
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
Cliomar Santos
 
SNC.pptx
SNC.pptxSNC.pptx
eBook - Tratamentos para a Depressão
eBook - Tratamentos para a DepressãoeBook - Tratamentos para a Depressão
eBook - Tratamentos para a Depressão
GnTech
 
Drogas que atuam
Drogas que atuamDrogas que atuam
Drogas que atuam
thamirys
 
Drogas que atuam
Drogas que atuamDrogas que atuam
Drogas que atuam
thamirys
 

Semelhante a Antidepressivos (20)

Farmacologia m3. parte ii 1 (1)
Farmacologia m3. parte ii 1 (1)Farmacologia m3. parte ii 1 (1)
Farmacologia m3. parte ii 1 (1)
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012Antidepressivos brats 2012
Antidepressivos brats 2012
 
Anfetaminas
AnfetaminasAnfetaminas
Anfetaminas
 
Doença de parkinson
Doença de parkinsonDoença de parkinson
Doença de parkinson
 
Apresentação Final
Apresentação FinalApresentação Final
Apresentação Final
 
Aula 03.pptx
Aula 03.pptxAula 03.pptx
Aula 03.pptx
 
Psicofarmacologia curso de pós graduação Neuropsicopedagogia
Psicofarmacologia curso de pós graduação NeuropsicopedagogiaPsicofarmacologia curso de pós graduação Neuropsicopedagogia
Psicofarmacologia curso de pós graduação Neuropsicopedagogia
 
Drogas e suas caracteristicas
Drogas e suas caracteristicasDrogas e suas caracteristicas
Drogas e suas caracteristicas
 
aula antipsicoticos.pptx
aula antipsicoticos.pptxaula antipsicoticos.pptx
aula antipsicoticos.pptx
 
Esquizofrenia
EsquizofreniaEsquizofrenia
Esquizofrenia
 
Depressão palestra uniplac
Depressão   palestra uniplacDepressão   palestra uniplac
Depressão palestra uniplac
 
Aula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_central
Aula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_centralAula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_central
Aula 5 medicamentos_que_atuam_no_sistema_nervoso_central
 
Aula - SNC - Antidepressivos
Aula - SNC - AntidepressivosAula - SNC - Antidepressivos
Aula - SNC - Antidepressivos
 
Drogas - Drogas Estimulantes
Drogas - Drogas EstimulantesDrogas - Drogas Estimulantes
Drogas - Drogas Estimulantes
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
SNC.pptx
SNC.pptxSNC.pptx
SNC.pptx
 
eBook - Tratamentos para a Depressão
eBook - Tratamentos para a DepressãoeBook - Tratamentos para a Depressão
eBook - Tratamentos para a Depressão
 
Drogas que atuam
Drogas que atuamDrogas que atuam
Drogas que atuam
 
Drogas que atuam
Drogas que atuamDrogas que atuam
Drogas que atuam
 

Último

saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptxTreinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Ruan130129
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
BeatrizLittig1
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
jhordana1
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
WilberthLincoln1
 

Último (8)

saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
 
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptxTreinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
 

Antidepressivos

  • 1. ANTIDEPRESSIVOS Professora: Gabriela Alunas: Ana Catarina, Katiuscia Izidro, Kimberly Casemiro, Michele Machado
  • 2. Os antidepressivos foram descobertos casualmente. No início da década de 1950, investigadores notaram que pacientes com tuberculose apresentavam elevação prolongada do humor quando tratados com iproniazida, um inibidor da monoaminoxidase (IMAO) prescrito como tuberculostático. A iproniazida mostrou-se ineficaz no tratamento da tuberculose, mas seu impacto no humor levou a alguns dos primeiros estudos duplo-cegos em psicofarmacologia, demonstrando que os IMAOs eram eficazes na depressão.
  • 3. Também foi ao acaso a descoberta posterior de que a imipramina, investigada inicialmente como tratamento para esquizofrenia, elevava o humor, apesar de não ter ação antipsicótica. A descoberta dos antidepressivos e sua utilização na prática clínica trouxeram um avanço importante no tratamento e no entendimento de possíveis mecanismos subjacentes aos transtornos depressivos,1,4 o que tornou a depressão um problema médico passível de tratamento, semelhante a outras doenças, como o diabete e a hipertensão arterial.
  • 4. Até a década de 1980, havia duas classes de antidepressivos: os tricíclicos (ADTs) e os inibidores de monoaminoxidase (IMAOs). Embora muito eficazes, essas drogas apresentavam efeitos colaterais indesejáveis, causados pela inespecificidade de sua ação farmacológica, e eram potencialmente letais em casos de superdosagem. Nas últimas duas décadas, surgiram novas classes de antidepressivos a partir da pesquisa de moléculas desprovidas dos efeitos colaterais dos heterocíclicos.
  • 5. São medicamentos cuja ação decorre no Sistema Nervoso Central, normalizando o estado do humor, quando se encontra deprimido (o que equivale para o doente a tristeza, angústia, desinteresse, desmotivação, falta de energia, alterações do sono e do apetite e muitos outros sintomas). Os medicamentos antidepressivos não actuam quando o estado do humor é normal, distinguindo-se dos psico-estimulantes
  • 6. Os antidepressivos são drogas que aumentam o tônus psíquico melhorando o humor e, consequentemente, melhorando a psicomotricidade de maneira global. Acredita-se que o efeito antidepressivo se dê às custas de um aumento da disponibilidade de neurotransmissores no SNC, notadamente da serotonina (5-HT), da noradrenalina ou norepinefrima (NE) e da dopamina (DA). Ao bloquearem receptores 5HT2 (da serotonina) os antidepressivos também funcionam como antienxaqueca. O aumento de neurotransmissores na fenda sináptica se dá através do bloqueio da recaptação da NE e da 5HT no neurônio pré- sináptico ou ainda, através da inibição da Monoaminaoxidase (MAO) que é a enzima responsável pela inativação destes neurotransmissores.
  • 7. COMO ATUAM OS ANTIDEPRESSIVOS? Atuam no cérebro, modificando e corrigindo a transmissão neuroquímica em áreas do Sistema Nervoso que regulam o estado do humor (o nível da vitalidade, energia, interesse, emoções e a variação entre alegria e tristeza), quando o humor está afetado negativamente num grau significativo.
  • 8. Indicações para Antidepressivos As indicações para o uso dos antidepressivos veem, progressivamente, sofrendo ampliação, de acordo com o melhor entendimento sobre a participação dos elementos emocionais em outros transtornos médicos, além da própria depressão. A própria manifestação clínica polimórfica da depressão já recomenda o uso desses medicamentos para os casos onde essa alteração afetiva se manifesta atipicamente. Indicações Formais: • Estados Depressivos • Estados Ansiosos (Pânico...) • Estados Fóbicos • Estados Obsessivo-Compulsivos • Anorexia • Bulimia Segundas Indicações • Estados Hipercinéticos • Somatizações • Ejaculação Precoce • Doenças Psicossomáticas • Enxaqueca • Dores neurogênicas
  • 9. QUAIS OS EFEITOS COLATERAIS? Estão incluídos ganho de peso, associado ou não à preferência por carboidratos, disfunções sexuais (redução da libido, retardo ou inibição ejaculatória e inibição do orgasmo) e alterações do sono (pesadelos, alucinações). O aumento de ansiedade e a síndrome tricíclica precoce podem ocorrer nos primeiros dias de tratamento, principalmente em pacientes com ataques de pânico, e melhoram com associação a benzodiazepínicos. Dificuldades de memória são mais comuns em idosos e no curso do tratamento profilático.
  • 10. ASSISTÊNCIA DA ENFERMAGEM COM ANTIDEPRESSIVOS: O enfermeiro desempenha, em seu trabalho, várias funções, sendo uma das mais tradicionais a função técnica, na qual a responsabilidade pela administração de medicação ocupa lugar de destaque. Esse encargo inclui: conhecimentos farmacológicos sobre as drogas; planejamento de estoque e armazenamento; orientação de funcionários, pacientes e familiares; avaliação do paciente antes e após ser medicado; cuidados com o preparo e administração do fármaco; avaliação e promoção dos efeitos terapêuticos; redução de efeitos adversos; redução de interações adversas, controle da toxicidade, ações que devem ser tomadas pelo profissional de enfermagem para que a terapia medicamentosa com antidepressivos seja feita de maneira segura e efetiva.