SlideShare uma empresa Scribd logo
TAYLORISMO,
FORDISMO,
TOYOTISMO E
VOLVISMO
OS MODELOS DE
PRODUÇÃO INDUSTRIAL
PRODUÇÃO INDUSTRIAL
Filme Tempos Modernos (Imagem) retrata de forma bem humorada
as condições do trabalhador industrial no início do século XX
PRODUÇÃO INDUSTRIAL
 Durante o início do século XX a indústria passava por
mais um dos muitos processos de transformação.
 O início do uso do petróleo e da energia elétrica, além do
surgimento das indústrias siderúrgica e química foram
importantes para o período que, posteriormente, seria
conhecido como Segunda Revolução Industrial.
 Outro fato fundamental neste período foi o surgimento
do capitalismo financeiro, que integrava o setor
industrial ao lucro dos grandes bancos.
PRODUÇÃO INDUSTRIAL
 Juntamente com tais processos, houve um acirramento
na disputa por lucro dentre as empresas.
 A partir daí, começou-se a disseminar várias novas
formas de produção que visavam aumentar o lucro do
patrão, aumentando a produção e reduzindo preços.
 Estes mecanismos criados para este objetivo ficaram
conhecidos como modelos produtivos, dos quais se
destacam o fordismo, o taylorismo e, mais
recentemente, o toyotismo.
TAYLORISMO
 TAYLORISMO
Criado pelo engenheiro
mecânico Frederick Winslow
Taylor, o taylorismo é um
sistema que consiste na
divisão do trabalho e
especialização do operário em
uma só tarefa.
Frederick Taylor
TAYLORISMO
 Pelos preceitos tayloristas, o trabalhador não
teria mais a necessidade de conhecer todo o
processo de produção, devendo conhecer
apenas um, procurando um aperfeiçoamento
constante apenas desta parte.
 Em outras palavras, em uma fábrica que
fabrica sapatos, por exemplo, o operário não
precisa saber toda a produção, deste a
formação do molde até a colocação dos
cadarços. Se um trabalhador for designado
para colar as solas do sapato, este vai aprender
apenas esta função e vai procurar aperfeiçoar
suas técnicas. O conhecimento de todo
processo ficaria apenas com o gerente, que
fiscalizaria todos os ramos da produção.
TAYLORISMO
 O Taylorismo, ao mesmo tempo que aumentava a produção,
barateava o preço dos produtos industrializados e
especializava um funcionário a um serviço, criava uma
alienação mental do empregado, já que não só o meio de
produção era sistematizado, mas também os horários de
trabalho e a cobrança para sempre produzir mais e mais.
FORDISMO
 Criado por Henry Ford, o
mesmo que criou o Ford T, o
fordismo nada mais é que
uma junção prática do
sistema taylorista e da
facilidade das máquinas.
Ford criou uma espécie de
"esteira rolante", onde as peças
dos automóveis passavam em
frente ao trabalhador, este que
tinha que fazer seu serviço
dentro de um curto espaço de
tempo.
FORDISMO
FORDISMO
 O fordismo propiciou um aumento da produção de
carros, o que faz com que os próprios funcionários
pudessem comprá-lo, aumentando o mercado
consumidor do patrão.
FORDISMO
TOYOTISMO
 Criado depois da Segunda Guerra Mundial pelo
japonês Taiichi Ohno, este sistema de produção foi
implementado pela primeira vez na fábrica da
Toyota.
TOYOTISMO
 Na década de 40, o Japão tinha
uma economia pequena se
comparado aos países europeus
e aos EUA. Além disso, o
pequeno território do país
impedia as estocagem de
produtos. Desta forma, o
Toyotismo, também conhecido
como just-in-time, agia de
forma que fosse produzido
apenas o necessário.
TOYOTISMO
 O MODELO “JUST IN TIME”:
Nas fábricas que seguiam este
modelo, a produção estava em
sintonia com a entrada de
matéria-prima e com o
mercado consumidor. Quando a
procura era alta, eram produzidos
mais produtos, quando ela diminuía,
a produção caia. Assim, tornava-se
desnecessário o espaço com estoque.
TOYOTISMO
TOYOTISMO
 Outra vantagem do toyotismo é que, pelo fato de sempre
agir conforme a configuração do mercado, é mais fácil
garantir sempre a atualização da produção. A cada
tecnologia lançada, o sistema era atualizado, algo que se
tornaria impossível com as técnicas anteriores.
O trabalhador fabril também assumia outras funções.
 Ao contrário do sistema fordista-taylorista, o operário
precisaria conhecer amplamente o processo
produtivo e as novas tecnologias. Isto necessitava
de uma mão-de-obra mais qualificada e reduzia a
quantidade de trabalhadores dentro da indústria. Sendo
assim, o toyotismo provocou, entre outros problemas, o
aumento do desemprego.
VOLVISMO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Toyotismo
ToyotismoToyotismo
Toyotismo
Vivi Basilio
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 
01 historia do trabalho
01 historia do trabalho01 historia do trabalho
01 historia do trabalho
Vânia Franco
 
Os modos de produção
Os modos de produçãoOs modos de produção
Os modos de produção
Davi Gonçalves Valério
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
Marilia Pimentel
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
Luciano Pessanha
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
Marcioveras
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
Moacyr Anício
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
André Luiz Marques
 
Sociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade SocialSociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade Social
Jefferson Medeiiros Araújo
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
Portal do Vestibulando
 
Sociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteSociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambiente
EEBMiguelCouto
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Severina Maria Vieira
 
As Transformações no Mundo do Trabalho
As Transformações no Mundo do TrabalhoAs Transformações no Mundo do Trabalho
As Transformações no Mundo do Trabalho
Daniel Rossi
 
As revoluções industriais
As revoluções industriaisAs revoluções industriais
As revoluções industriais
vdailce
 
Socialismo
SocialismoSocialismo
Socialismo
cleiton denez
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
Artur Lara
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Desigualdades sociais
Desigualdades sociaisDesigualdades sociais
Desigualdades sociais
Marcela Marangon Ribeiro
 

Mais procurados (20)

Toyotismo
ToyotismoToyotismo
Toyotismo
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
01 historia do trabalho
01 historia do trabalho01 historia do trabalho
01 historia do trabalho
 
Os modos de produção
Os modos de produçãoOs modos de produção
Os modos de produção
 
3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
 
Sociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade SocialSociologia Desigualdade Social
Sociologia Desigualdade Social
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
 
Sociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteSociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambiente
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
 
As Transformações no Mundo do Trabalho
As Transformações no Mundo do TrabalhoAs Transformações no Mundo do Trabalho
As Transformações no Mundo do Trabalho
 
As revoluções industriais
As revoluções industriaisAs revoluções industriais
As revoluções industriais
 
Socialismo
SocialismoSocialismo
Socialismo
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Desigualdades sociais
Desigualdades sociaisDesigualdades sociais
Desigualdades sociais
 

Semelhante a Taylorismo, Fordismo e Toyotismo

Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdfMaterial 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
WillianVieira54
 
APRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .ppt
APRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .pptAPRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .ppt
APRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .ppt
Agnaldo26
 
Modelos de produção
Modelos de produçãoModelos de produção
Modelos de produção
Thiago OLiveira da Silva
 
Formas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXI
Formas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXIFormas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXI
Formas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXI
Matheus Rodrigues
 
Toyotismo resumos
Toyotismo resumosToyotismo resumos
Toyotismo resumos
Marcelinho Anato
 
AULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptx
AULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptxAULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptx
AULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptx
JosRicardoMarquesBra
 
Taylorismo...
Taylorismo...Taylorismo...
Taylorismo...
beatriz_saltao
 
Apontamentos Trabalho apresentação formas.ppt
Apontamentos Trabalho apresentação formas.pptApontamentos Trabalho apresentação formas.ppt
Apontamentos Trabalho apresentação formas.ppt
Ricardo815517
 
3 ano (tipos de industria).pptx economia
3 ano (tipos de industria).pptx economia3 ano (tipos de industria).pptx economia
3 ano (tipos de industria).pptx economia
CarladeOliveira25
 
Atividades fordismo (1)
Atividades fordismo (1)Atividades fordismo (1)
Atividades fordismo (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Pesquisa sobre a Indústria Automobilística
Pesquisa sobre a Indústria Automobilística Pesquisa sobre a Indústria Automobilística
Pesquisa sobre a Indústria Automobilística
Gustavo Bencini Silva
 
Geografia das indústrias
Geografia das indústriasGeografia das indústrias
Geografia das indústrias
estevaolima
 
Trabalho e sistemas de organizacao do trabalho
Trabalho e sistemas de organizacao do trabalhoTrabalho e sistemas de organizacao do trabalho
Trabalho e sistemas de organizacao do trabalho
Elbaborgess
 
A revolução técnico científica
A revolução técnico científicaA revolução técnico científica
A revolução técnico científica
Charlles Moreira
 
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.pptO-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
Hedu7
 
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.pptO-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
Hedu7
 
Fordismo
FordismoFordismo
Fordismo
SuperaInf
 
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
edsonfgodoy
 
Sistema toyota
Sistema toyotaSistema toyota
Sistema toyota
arianh
 
Taylorismo e Fordismo
Taylorismo e FordismoTaylorismo e Fordismo
Taylorismo e Fordismo
Ariana Guides
 

Semelhante a Taylorismo, Fordismo e Toyotismo (20)

Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdfMaterial 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
 
APRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .ppt
APRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .pptAPRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .ppt
APRESENTAÇÃO DE GESTÃO INDUSTRIAL .ppt
 
Modelos de produção
Modelos de produçãoModelos de produção
Modelos de produção
 
Formas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXI
Formas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXIFormas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXI
Formas de organização das atividades produtivas no séc. XX e XXI
 
Toyotismo resumos
Toyotismo resumosToyotismo resumos
Toyotismo resumos
 
AULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptx
AULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptxAULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptx
AULA MODELOS PRODUTIVOSsssssssssssssssssssssss.pptx
 
Taylorismo...
Taylorismo...Taylorismo...
Taylorismo...
 
Apontamentos Trabalho apresentação formas.ppt
Apontamentos Trabalho apresentação formas.pptApontamentos Trabalho apresentação formas.ppt
Apontamentos Trabalho apresentação formas.ppt
 
3 ano (tipos de industria).pptx economia
3 ano (tipos de industria).pptx economia3 ano (tipos de industria).pptx economia
3 ano (tipos de industria).pptx economia
 
Atividades fordismo (1)
Atividades fordismo (1)Atividades fordismo (1)
Atividades fordismo (1)
 
Pesquisa sobre a Indústria Automobilística
Pesquisa sobre a Indústria Automobilística Pesquisa sobre a Indústria Automobilística
Pesquisa sobre a Indústria Automobilística
 
Geografia das indústrias
Geografia das indústriasGeografia das indústrias
Geografia das indústrias
 
Trabalho e sistemas de organizacao do trabalho
Trabalho e sistemas de organizacao do trabalhoTrabalho e sistemas de organizacao do trabalho
Trabalho e sistemas de organizacao do trabalho
 
A revolução técnico científica
A revolução técnico científicaA revolução técnico científica
A revolução técnico científica
 
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.pptO-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
 
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.pptO-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
O-PROCESSO-DE-INDUSTRIALIZAÇÃO-NO-BRASIL.ppt
 
Fordismo
FordismoFordismo
Fordismo
 
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
 
Sistema toyota
Sistema toyotaSistema toyota
Sistema toyota
 
Taylorismo e Fordismo
Taylorismo e FordismoTaylorismo e Fordismo
Taylorismo e Fordismo
 

Mais de Rodrigo Pavesi

Transportes no Brasil
Transportes no BrasilTransportes no Brasil
Transportes no Brasil
Rodrigo Pavesi
 
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
Rodrigo Pavesi
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Rodrigo Pavesi
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
Rodrigo Pavesi
 
Classificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroClassificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo Brasileiro
Rodrigo Pavesi
 
Movimentos da Terra
Movimentos da TerraMovimentos da Terra
Movimentos da Terra
Rodrigo Pavesi
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terra
Rodrigo Pavesi
 

Mais de Rodrigo Pavesi (7)

Transportes no Brasil
Transportes no BrasilTransportes no Brasil
Transportes no Brasil
 
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Classificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroClassificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo Brasileiro
 
Movimentos da Terra
Movimentos da TerraMovimentos da Terra
Movimentos da Terra
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terra
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 

Taylorismo, Fordismo e Toyotismo

  • 2. PRODUÇÃO INDUSTRIAL Filme Tempos Modernos (Imagem) retrata de forma bem humorada as condições do trabalhador industrial no início do século XX
  • 3. PRODUÇÃO INDUSTRIAL  Durante o início do século XX a indústria passava por mais um dos muitos processos de transformação.  O início do uso do petróleo e da energia elétrica, além do surgimento das indústrias siderúrgica e química foram importantes para o período que, posteriormente, seria conhecido como Segunda Revolução Industrial.  Outro fato fundamental neste período foi o surgimento do capitalismo financeiro, que integrava o setor industrial ao lucro dos grandes bancos.
  • 4. PRODUÇÃO INDUSTRIAL  Juntamente com tais processos, houve um acirramento na disputa por lucro dentre as empresas.  A partir daí, começou-se a disseminar várias novas formas de produção que visavam aumentar o lucro do patrão, aumentando a produção e reduzindo preços.  Estes mecanismos criados para este objetivo ficaram conhecidos como modelos produtivos, dos quais se destacam o fordismo, o taylorismo e, mais recentemente, o toyotismo.
  • 5. TAYLORISMO  TAYLORISMO Criado pelo engenheiro mecânico Frederick Winslow Taylor, o taylorismo é um sistema que consiste na divisão do trabalho e especialização do operário em uma só tarefa. Frederick Taylor
  • 6. TAYLORISMO  Pelos preceitos tayloristas, o trabalhador não teria mais a necessidade de conhecer todo o processo de produção, devendo conhecer apenas um, procurando um aperfeiçoamento constante apenas desta parte.  Em outras palavras, em uma fábrica que fabrica sapatos, por exemplo, o operário não precisa saber toda a produção, deste a formação do molde até a colocação dos cadarços. Se um trabalhador for designado para colar as solas do sapato, este vai aprender apenas esta função e vai procurar aperfeiçoar suas técnicas. O conhecimento de todo processo ficaria apenas com o gerente, que fiscalizaria todos os ramos da produção.
  • 7. TAYLORISMO  O Taylorismo, ao mesmo tempo que aumentava a produção, barateava o preço dos produtos industrializados e especializava um funcionário a um serviço, criava uma alienação mental do empregado, já que não só o meio de produção era sistematizado, mas também os horários de trabalho e a cobrança para sempre produzir mais e mais.
  • 8. FORDISMO  Criado por Henry Ford, o mesmo que criou o Ford T, o fordismo nada mais é que uma junção prática do sistema taylorista e da facilidade das máquinas. Ford criou uma espécie de "esteira rolante", onde as peças dos automóveis passavam em frente ao trabalhador, este que tinha que fazer seu serviço dentro de um curto espaço de tempo.
  • 10. FORDISMO  O fordismo propiciou um aumento da produção de carros, o que faz com que os próprios funcionários pudessem comprá-lo, aumentando o mercado consumidor do patrão.
  • 12. TOYOTISMO  Criado depois da Segunda Guerra Mundial pelo japonês Taiichi Ohno, este sistema de produção foi implementado pela primeira vez na fábrica da Toyota.
  • 13. TOYOTISMO  Na década de 40, o Japão tinha uma economia pequena se comparado aos países europeus e aos EUA. Além disso, o pequeno território do país impedia as estocagem de produtos. Desta forma, o Toyotismo, também conhecido como just-in-time, agia de forma que fosse produzido apenas o necessário.
  • 14. TOYOTISMO  O MODELO “JUST IN TIME”: Nas fábricas que seguiam este modelo, a produção estava em sintonia com a entrada de matéria-prima e com o mercado consumidor. Quando a procura era alta, eram produzidos mais produtos, quando ela diminuía, a produção caia. Assim, tornava-se desnecessário o espaço com estoque.
  • 16. TOYOTISMO  Outra vantagem do toyotismo é que, pelo fato de sempre agir conforme a configuração do mercado, é mais fácil garantir sempre a atualização da produção. A cada tecnologia lançada, o sistema era atualizado, algo que se tornaria impossível com as técnicas anteriores. O trabalhador fabril também assumia outras funções.  Ao contrário do sistema fordista-taylorista, o operário precisaria conhecer amplamente o processo produtivo e as novas tecnologias. Isto necessitava de uma mão-de-obra mais qualificada e reduzia a quantidade de trabalhadores dentro da indústria. Sendo assim, o toyotismo provocou, entre outros problemas, o aumento do desemprego.