SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Baixar para ler offline
1 
Ceras & Removedores 
Household 2014 
Augeo Market Development Team 
Coatis Solvents
•Objetivo 
•Coalescente para ceras 
•Ceras Domésticas 
•Ceras Institucionais 
•Removedores de ceras 
•Conclusão 
2 
Agenda
Objetivo 
Apresentar para o mercado soluções sustentáveis de produtos para serem usados como coalescente em ceras e solvente em removedores. 
Validação estatística 
Testes de laboratório 
Aplicação em campo 
3 
Augeo Clean Multi 
Etildiglicol 
Augeo Clean Plus 
Butilglicol
Pilares do Desenvolvimento Sustentável 
Econômico 
Ambiental 
Social 
4 
Pilares para o desenvolvimento de novos produtos na Rhodia
Família Augeo 
6
Coalescente para ceras
Augeo Clean Mu Solvente sustentável para surface care 
•Fonte Renovável com glicerina como matéria-prima 
•Odor suave 
•Categoria 4: Líquido combustível 
•Não classificado como CMR 
•Não bioacumulativo 
•Inerentemente biodegradável (OECD 302) 
•Flexibilidade de formulação: custo x performance 
SSMA 
Competitividade 
Aplicação 
•Alternativa para éteres de glicol 
•Proporciona um desempenho superior devido ao excelente poder de solvência 
•Completa solubilidade em água 
•Aprimoramento da fragrância 
8
Objetivo 
Validar a performance do Augeo Clean Multi contra EDG. 
Criar modelo para avaliação de: 
•Propriedades mais importantes das ceras 
•Impacto do coalescente e do plastificante em cada uma delas. 
9
Definição do escopo 
10 
Ceras 
Teor de Sólidos 
Coalescente 
Plastificante 
Brilho (7ª camada) 
Dureza 
Absorção de água 
TMFF 
Propriedades 
Software: Minitab 16
Avaliação das propriedades 
Brilho (ASTM D-1455) 
•Determinação do brilho especular a 60º de filmes de ceras para pisos depois da aplicação no substrato. 
• Equipamento: Glossmeter 
Dureza 
•Mede a dureza superficial de uma camada orgânica através de um fator de amortecimento. 
•Preparação do filme: 
Substrato: vidro 
Extensor: 120 mm 
•Equipamento: 
Pêndulo de König 
11
Absorção de água 
-Preparação do filme 
-% água absorvida 
Temperatura Mínima de Formação de Filme (ASTM D-2354) 
-Equipamento: Rhopoint MFFT .60 Bar 
4 dias TA 
3 dias T = 45oC 
1 dia TA 
Avaliação das propriedades 
12 
minicial 
mfinal 
100 g 
5 min 
Filme 
Água 
Filme + Água 
Filme 
TMFF 
Tempo
Ceras Domésticas Teor de sólidos = 10%
Ceras Domésticas (10% sólidos) 
14 
Teste do Modelo 
Componentes 
Referência 
(% m/m) 
Teste 
(% m/m) 
Etildiglicol 
1,40 
- 
Augeo Clean Multi 
- 
1,70 
Plastificante 
1,50 
1,20 
Surfactante Aniônico* 
1,00 
1,00 
Resina estireno-acrílica metalizada 
23,00 
23,00 
Resina acrílica álcali-solúvel 
1,20 
1,20 
Emulsão cera PEAD 
2,50 
2,50 
Água 
QSP 
QSP 
*Surfactante Fluorado = 1% ativos (m/m)
Resultados – Ceras Domésticas 
15 
Brilho (60º) 
Brilho (60º) 
EDG Augeo Clean Multi 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• “Diferença 
perceptível ao 
olho humano 4 
unidades de 
brilho”. 
S10-3 Brilho S10-9 Brilho 
79,75 
79,50 
79,25 
79,00 
78,75 
78,50 
Data 
78,83 
79,38 
Interval Plot of S10-3 Brilho; S10-9 Brilho 
95% CI for the Mean
16 
Dureza 
Dureza (nº de oscilações) 
EDG Augeo Clean Multi 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• Quanto maior a 
dureza maior a 
resistência 
mecânica. 
Resultados – Ceras Domésticas 
S10-3 Dureza S10-9 Dureza 
135 
130 
125 
120 
115 
110 
Data 
113,933 
130,3 
Interval Plot of S10-3 Dureza; S10-9 Dureza 
95% CI for the Mean
Resultados - Ceras Domésticas 
17 
Absorção de água 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• Perceptível a 
partir 1% de 
diferença. 
• Quanto menor a 
absorção, mais 
resistente às 
manchas por 
água. 
Absorção de água (% m/m) 
EDG Augeo Clean Multi S10-3 Abs5 S10-9 Abs5 
0,5 
0,4 
0,3 
0,2 
0,1 
0,0 
Data 
0,111387 
0,479526 
Interval Plot of S10-3 Abs5; S10-9 Abs5 
95% CI for the Mean
Resultados - Ceras Domésticas 
18 
Temperatura Mínima de Formação de Filme 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• Quanto menor a 
TMFF, mais fácil 
a formação do 
filme. 
S10-3 TMFF S10-9 TMFF 
1,0 
0,5 
0,0 
-0,5 
-1,0 
-1,5 
-2,0 
Data 
0,38 
-1,65 
Interval Plot of S10-3 TMFF; S10-9 TMFF 
95% CI for the Mean 
TMFF (oC) 
EDG Augeo Clean Multi
Ceras Institucionais Teor de sólidos = 25%
Ceras Institucionais (25% sólidos) 
20 
Teste do Modelo 
Componentes 
Referência 
(% m/m) 
Teste 
(% m/m) 
Etildiglicol 
3,70 
- 
Augeo Clean Multi 
- 
3,70 
Plastificante 
4,00 
4,00 
Surfactante Aniônico 
1,00 
1,00 
Resina estireno-acrílica metalizada 
57,00 
57,00 
Resina acrílica álcali-solúvel 
2,80 
2,80 
Emulsão cera PEAD 
6,70 
6,70 
Emulsão cera PP 
3,70 
3,70 
Água 
QSP 
QSP 
*Surfactante Fluorado = 1% ativos (m/m)
EDG-7Brilho ACM-7Brilho 
81,4 
81,2 
81,0 
80,8 
80,6 
80,4 
80,2 
80,0 
Data 
80,3367 
81,0233 
Interval Plot of EDG-7Brilho; ACM-7Brilho 
95% CI for the Mean 
Resultados – Ceras Institucionais 
21 
Brilho 
Brilho (60º) 
EDG Augeo Clean Multi 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• “Diferença 
perceptível ao 
olho humano 4 
unidades de 
brilho”.
EDG-Dureza ACM-Dureza 
27,5 
27,0 
26,5 
26,0 
25,5 
25,0 
Data 
25,7333 
26,6 
Interval Plot of EDG-Dureza; ACM-Dureza 
95% CI for the Mean 
Resultados – Ceras Institucionais 
22 
Dureza 
Dureza (nº de oscilações) 
EDG Augeo Clean Multi 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• Quanto maior a 
dureza maior a 
resistência 
mecânica.
EDG-Abs5 ACM-Abs5 
1,05 
1,00 
0,95 
0,90 
0,85 
0,80 
Data 
0,873728 
0,925444 
Interval Plot of EDG-Abs5; ACM-Abs5 
95% CI for the Mean 
Resultados – Ceras Institucionais 
23 
Absorção de água 
Absorção de água (% m/m) 
EDG Augeo Clean Multi 
• Estatisticamente 
os valores são 
iguais. 
• Perceptível a 
partir 1% de 
diferença. 
• Quanto menor a 
absorção, mais 
resistente às 
manchas por 
água.
EDG-TMFF ACM-TMFF 
-2,8 
-2,9 
-3,0 
-3,1 
-3,2 
-3,3 
Data 
-2,9 
-3,18333 
Interval Plot of EDG-TMFF; ACM-TMFF 
95% CI for the Mean 
Resultados – Ceras Institucionais 
24 
Temperatura Mínima de Formação de Filme (TMFF) 
TMFF (oC) 
EDG Augeo Clean Multi 
• Estatisticamente 
os valores são 
diferentes. 
• Quanto menor a 
TMFF, mais fácil 
a formação do 
filme.
Removedores de ceras
Objetivo 
Validar a performance do Augeo Clean Plus contra BG. 
Entender qual a melhor proporção de substituição que permite: 
•Manter a performance; 
•Reduzir o odor da formulação; 
•Auxiliar em aspectos práticos durante a aplicação. 
26
Augeo Clean Plu Solvente sustentável para surface care 
•Fonte Renovável com glicerina como matéria-prima 
•Odor suave 
•Não inflamável 
•Não classificado como CMR 
•Não bioacumulativo 
•Inerentemente biodegradável (OECD 302) 
•Flexibilidade de formulação: custo x performance 
•Aplicação: redução de solvente x performance 
SSMA 
Competitividade 
Aplicação 
•Removedores de ceras 
•Alternativa para éteres de glicol 
•Proporcionar um desempenho superior devido ao excelente poder de solvência 
•Baixa solubilidade em água 
•Aprimoramento da fragrância 
27
Removedores Domésticos
Removedor de Ceras 
O removedor contendo Augeo Clean Plus apresenta odor suave, melhorando assim as condições ambiente durante a aplicação. 
29 
Componentes 
Referência 
(% m/m) 
Augeo Clean Plus 
(% m/m) 
Água 
89,0 
93,0 
Hidróxido de sódio 50% 
0,5 
0,5 
Monoetanolamina 
2,0 
2,0 
Surfactante não-iônico 
(9,5 EO) 
0,5 
0,5 
Isopropanol 
2,0 
2,0 
Butilglicol 
6,0 
- 
Augeo Clean Plus 
- 
2,0
Aplicação da cera 
-7 camadas de cera de mercado (12% sólidos) 
Remoção da cera 
-Volume = 2 mL de removedor 
-Tempo de contato = 3 minutos 
-Enxague com água corrente 
Medidas de brilho do substrato 
-7ª camada de cera 
-Após remoção e enxague 
Removedor de Ceras – Teste de Remoção 
30
Aplicação Doméstica 
Removedor de Ceras 
Augeo Clean Plus pode ser aplicado como solvente em removedores apresentando uma performance superior ao BG. 
31 
-Placa de Paviflex Preta: 
•Sete camadas de cera auto-brilho de mercado 
Parâmetros 
Referência 
Augeo Clean Plus 
Brilho antes 
82,5 
82,5 
Brilho depois 
7,8 
7,9 
Espalhamento 
Bom 
Bom 
Poder de remoção 
Bom 
Ótimo
Removedores Institucionais
Removedor de Ceras 
O removedor contendo Augeo Clean Plus apresenta odor suave, melhorando assim as condições ambiente durante a aplicação. 
33 
Componentes 
Referência 
(% m/m) 
Augeo Clean Plus 
(% m/m) 
Água 
25,0 
65,0 
Monoetanolamina 
30,0 
10,0 
Surfactante não-iônico 
(9,5 EO) 
15,0 
15,0 
Butilglicol 
30,0 
- 
Augeo Clean Plus 
- 
10,0
Aplicação da cera 
-2 camadas de seladora (20% sólidos) 
-4 camadas de impermeabilizante (21% sólidos) 
Remoção da cera 
-Diluição do removedor na proporção 1:1 
-Volume = 2 mL da solução 
-Espalhamento com esponja limpa 
-Tempo de contato = 10 minutos 
-Enxague com água corrente 
Medidas de brilho do substrato 
-Após 4ª camada de impermeabilizante 
-Após remoção e enxague 
Removedor de Ceras – Teste de Remoção 
34
Placa de Paviflex Preta: 
-Duas camadas de seladora (20% sólidos) 
-Quatro camadas de impermeabilizante (21% sólidos) 
Removedor de Ceras 
Augeo Clean Plus pode ser aplicado como solvente em removedores apresentando uma performance superior ao BG. 
A performance do Augeo Clean Plus é superior podendo assim aumentar a razão de diluição. 
35 
Parâmetros 
(Razão de diluição 1:1) 
Referência 
Augeo Clean Plus 
Brilho antes 
80,2 
80,2 
Brilho depois 
9,6 
9,0 
Espalhamento 
Bom 
Bom 
Poder de remoção 
Bom 
Ótimo
Conclusão 
Ceras 
-O Augeo Clean Multi pode substituir o Etidiglicol na função de coalescente, tanto em formulações domésticas como institucionais. 
Removedores de ceras 
-O Augeo Clean Plus pode substituir o Butilglicol, tanto em formulações domésticas como institucionais utilizando 3x menos e mantendo a mesma performance. 
-O Augeo Clean Plus apresenta odor suave, permitindo assim que a remoção de ceras possa ser realizada em ambientes fechados. 
-O Augeo Clean Plus reduz a formação de espuma durante o processo de enxague do removedor. 
36
www.solvay.com 
Obrigada pela atenção! 
Contatos: darlene.felix@solvay.com jose.mariussi@solvay.com priscila.karan@solvay.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.
Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.
Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.Spraying Systems do Brasil
 
Catálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldante
Catálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldanteCatálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldante
Catálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldanteSpraying Systems do Brasil
 
Aplicações de pulverização na indústria farmacêutica
Aplicações de pulverização na indústria farmacêuticaAplicações de pulverização na indústria farmacêutica
Aplicações de pulverização na indústria farmacêuticaSpraying Systems do Brasil
 
STF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal Federal
STF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal FederalSTF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal Federal
STF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal FederalInstituto Brasileiro do Crisotila
 
Formulando xampu com baixa irritabilidade
Formulando xampu com baixa irritabilidadeFormulando xampu com baixa irritabilidade
Formulando xampu com baixa irritabilidadeBruno Andrade
 
Funcionamento de Industrias Farmacêuticas
Funcionamento de Industrias FarmacêuticasFuncionamento de Industrias Farmacêuticas
Funcionamento de Industrias Farmacêuticasjaccquee
 
Apresentacao nano.docx 2
Apresentacao nano.docx 2Apresentacao nano.docx 2
Apresentacao nano.docx 2Marcos Abreu
 
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadasTecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadasMarmai
 
Tecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureiaTecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureiaMarmai
 
Relatório TUV NANO
Relatório TUV NANORelatório TUV NANO
Relatório TUV NANOMarcos Abreu
 
A ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De Esgoto
A ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De EsgotoA ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De Esgoto
A ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De EsgotoKnut Storvestre
 
Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos DidaticaMPCO
 

Mais procurados (20)

Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.
Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.
Soluções criativas que eliminam o seu problema de poluição.
 
Catálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldante
Catálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldanteCatálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldante
Catálogo Sistema Eletrostático AccuJet para aplicação de desmoldante
 
Aplicações de pulverização na indústria farmacêutica
Aplicações de pulverização na indústria farmacêuticaAplicações de pulverização na indústria farmacêutica
Aplicações de pulverização na indústria farmacêutica
 
STF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal Federal
STF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal FederalSTF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal Federal
STF - Audiência Pública do Amianto - 31/08/2012 - Supremo Tribunal Federal
 
Formulando xampu com baixa irritabilidade
Formulando xampu com baixa irritabilidadeFormulando xampu com baixa irritabilidade
Formulando xampu com baixa irritabilidade
 
Funcionamento de Industrias Farmacêuticas
Funcionamento de Industrias FarmacêuticasFuncionamento de Industrias Farmacêuticas
Funcionamento de Industrias Farmacêuticas
 
Apresentacao nano.docx 2
Apresentacao nano.docx 2Apresentacao nano.docx 2
Apresentacao nano.docx 2
 
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadasTecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
Tecnologia de poliureia nova mas madura e com muitas provas dadas
 
Tecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureiaTecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureia
 
Relatório TUV NANO
Relatório TUV NANORelatório TUV NANO
Relatório TUV NANO
 
Catalogo esp montado_opt
Catalogo esp montado_optCatalogo esp montado_opt
Catalogo esp montado_opt
 
Comprimidos 2006
Comprimidos 2006Comprimidos 2006
Comprimidos 2006
 
Filtros
FiltrosFiltros
Filtros
 
Filtração
FiltraçãoFiltração
Filtração
 
Filtracao1
Filtracao1Filtracao1
Filtracao1
 
A ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De Esgoto
A ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De EsgotoA ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De Esgoto
A ApresentaçãO De Nosso SoluçãO Para O Tratamento De Esgoto
 
Resina acqua multiuso
Resina acqua multiusoResina acqua multiuso
Resina acqua multiuso
 
Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos Sistemas Adesivos
Sistemas Adesivos
 
Tabela norton aam_2016
Tabela norton aam_2016Tabela norton aam_2016
Tabela norton aam_2016
 
Resinas compostas
Resinas compostasResinas compostas
Resinas compostas
 

Destaque

Principios da extracao por solvente
Principios da extracao por solventePrincipios da extracao por solvente
Principios da extracao por solventeAntonio Leão
 
Extração por solvente
Extração por solventeExtração por solvente
Extração por solventeKatia Souza
 
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado Eurides Vicente Marcondes
 
Manual soluções, reagentes e solventes
Manual soluções, reagentes e solventesManual soluções, reagentes e solventes
Manual soluções, reagentes e solventesmatheusquimico
 
Métodos de extração
Métodos de extraçãoMétodos de extração
Métodos de extraçãovanessaracele
 

Destaque (8)

Principios da extracao por solvente
Principios da extracao por solventePrincipios da extracao por solvente
Principios da extracao por solvente
 
Extração por solvente
Extração por solventeExtração por solvente
Extração por solvente
 
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
 
Solventes org.
Solventes org.Solventes org.
Solventes org.
 
Receitas produtos limpeza
Receitas produtos limpezaReceitas produtos limpeza
Receitas produtos limpeza
 
extraçao por solventes
extraçao por solventesextraçao por solventes
extraçao por solventes
 
Manual soluções, reagentes e solventes
Manual soluções, reagentes e solventesManual soluções, reagentes e solventes
Manual soluções, reagentes e solventes
 
Métodos de extração
Métodos de extraçãoMétodos de extração
Métodos de extração
 

Semelhante a Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Darlene Felix

REFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdf
REFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdfREFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdf
REFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdfLarissa Oliveira
 
Lubrificação avançada (3)(1)
Lubrificação avançada (3)(1)Lubrificação avançada (3)(1)
Lubrificação avançada (3)(1)ligiaclaudia
 
Tintas soluções para estruturas metálicas
Tintas soluções para estruturas metálicasTintas soluções para estruturas metálicas
Tintas soluções para estruturas metálicasPaulo Gadelha
 
Pipe Clean & Test Presentation
Pipe Clean & Test PresentationPipe Clean & Test Presentation
Pipe Clean & Test PresentationFrau Soares
 
Franquia de Lavagem a Seco e Estética Automotiva
Franquia de Lavagem a Seco e Estética AutomotivaFranquia de Lavagem a Seco e Estética Automotiva
Franquia de Lavagem a Seco e Estética AutomotivaMarcelo Macedo
 
Apresentação Técnica - 1CSM
Apresentação Técnica - 1CSMApresentação Técnica - 1CSM
Apresentação Técnica - 1CSMFrau Soares
 
Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018
Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018
Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018Manuel Lopes
 
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptxProposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptxFilipeQuintino5
 
LUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE
LUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCELUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE
LUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCEEXCELLENCE CONSULTING
 
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
apresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Pptapresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Ppt
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Pptwaqsondiasjacauna
 
Programa Vidros PDF
Programa Vidros PDFPrograma Vidros PDF
Programa Vidros PDFRúbio Ribas
 

Semelhante a Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Darlene Felix (20)

Projeto PDCA Retrabalho
Projeto PDCA RetrabalhoProjeto PDCA Retrabalho
Projeto PDCA Retrabalho
 
ambienteenergia_petrobras
ambienteenergia_petrobrasambienteenergia_petrobras
ambienteenergia_petrobras
 
REFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdf
REFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdfREFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdf
REFERENCIA TECNICA IPT_MONOCAPA.pdf
 
Programa couro
Programa couroPrograma couro
Programa couro
 
Lubrificação avançada (3)(1)
Lubrificação avançada (3)(1)Lubrificação avançada (3)(1)
Lubrificação avançada (3)(1)
 
Tintas soluções para estruturas metálicas
Tintas soluções para estruturas metálicasTintas soluções para estruturas metálicas
Tintas soluções para estruturas metálicas
 
Isolastic
IsolasticIsolastic
Isolastic
 
Pipe Clean & Test Presentation
Pipe Clean & Test PresentationPipe Clean & Test Presentation
Pipe Clean & Test Presentation
 
Fundamentos da limpeza de dornas
Fundamentos da limpeza de dornasFundamentos da limpeza de dornas
Fundamentos da limpeza de dornas
 
Franquia de Lavagem a Seco e Estética Automotiva
Franquia de Lavagem a Seco e Estética AutomotivaFranquia de Lavagem a Seco e Estética Automotiva
Franquia de Lavagem a Seco e Estética Automotiva
 
Apresentação Técnica - 1CSM
Apresentação Técnica - 1CSMApresentação Técnica - 1CSM
Apresentação Técnica - 1CSM
 
Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018
Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018
Ft deni zyme cat-oc edencolors-pt 20-06-2018
 
Top-Seal apresentação institucional
Top-Seal apresentação institucionalTop-Seal apresentação institucional
Top-Seal apresentação institucional
 
Catalogo NORTON.pdf
Catalogo NORTON.pdfCatalogo NORTON.pdf
Catalogo NORTON.pdf
 
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptxProposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
 
LUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE
LUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCELUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE
LUBRIFICANTES E LUBRIFICAÇÃO DE ALTA PERFORMANCE
 
Espumação filial 85
Espumação filial 85Espumação filial 85
Espumação filial 85
 
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
apresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Pptapresentacao tinta  Ppt -apresentacao tinta  Ppt
apresentacao tinta Ppt -apresentacao tinta Ppt
 
placas.pdf
placas.pdfplacas.pdf
placas.pdf
 
Programa Vidros PDF
Programa Vidros PDFPrograma Vidros PDF
Programa Vidros PDF
 

Mais de Revista H&C

MAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - Unilever
MAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - UnileverMAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - Unilever
MAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - UnileverRevista H&C
 
Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...
Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...
Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...Revista H&C
 
Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM
Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERMLyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM
Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERMRevista H&C
 
Sustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - Oxiteno
Sustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - OxitenoSustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - Oxiteno
Sustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - OxitenoRevista H&C
 
From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...
From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...
From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...Revista H&C
 
Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...
Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...
Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...Revista H&C
 
Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...
Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...
Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...Revista H&C
 
Sustainability on the cleaning products industry - ABIPLA
Sustainability on the cleaning products industry - ABIPLASustainability on the cleaning products industry - ABIPLA
Sustainability on the cleaning products industry - ABIPLARevista H&C
 
Sealed air – Hygene Sustainable Solutions
Sealed air – Hygene Sustainable SolutionsSealed air – Hygene Sustainable Solutions
Sealed air – Hygene Sustainable SolutionsRevista H&C
 
Radiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato Meirelles
Radiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato MeirellesRadiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato Meirelles
Radiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato MeirellesRevista H&C
 
Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...
Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...
Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...Revista H&C
 
Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...
Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...
Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...Revista H&C
 
Linha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAO
Linha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAOLinha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAO
Linha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAORevista H&C
 
Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...
Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...
Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...Revista H&C
 
TEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – Clariant
TEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – ClariantTEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – Clariant
TEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – ClariantRevista H&C
 
Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...
Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...
Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...Revista H&C
 
A dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – Nielsen
A dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – NielsenA dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – Nielsen
A dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – NielsenRevista H&C
 

Mais de Revista H&C (17)

MAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - Unilever
MAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - UnileverMAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - Unilever
MAKING PROGRESS, DRIVING CHANGE - Unilever
 
Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...
Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...
Sustainable Innovation in the Latin America Household appliances development ...
 
Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM
Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERMLyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM
Lyfe Cycle Analyses: Concepts and Case Study - ERM
 
Sustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - Oxiteno
Sustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - OxitenoSustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - Oxiteno
Sustainability in the Chemical Industry: From Theory to Practice - Oxiteno
 
From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...
From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...
From Sustainability Trends and Labelling - to Real Business Actions and Value...
 
Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...
Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...
Collaborative Efforts on Sustainability in the Home Care Industry: Opportunit...
 
Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...
Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...
Sustainability in Household - Global Product Innovation and Consumer Insights...
 
Sustainability on the cleaning products industry - ABIPLA
Sustainability on the cleaning products industry - ABIPLASustainability on the cleaning products industry - ABIPLA
Sustainability on the cleaning products industry - ABIPLA
 
Sealed air – Hygene Sustainable Solutions
Sealed air – Hygene Sustainable SolutionsSealed air – Hygene Sustainable Solutions
Sealed air – Hygene Sustainable Solutions
 
Radiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato Meirelles
Radiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato MeirellesRadiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato Meirelles
Radiografia das Favelas Brasileiras - Instituto Data Popular - Renato Meirelles
 
Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...
Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...
Consumo na nova classe média brasileira - Instituto Data Popular - Renato Mei...
 
Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...
Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...
Situação Atual e Perspectivas na Regulação de Saneantes – Francisco Alexandre...
 
Linha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAO
Linha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAOLinha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAO
Linha Akypo de tensoativos aniônicos verdes multifuncionais - Daniela Baba - KAO
 
Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...
Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...
Desenvolvimentos Recentes em Surfactantes Catiônicos para Fabric Care e Car C...
 
TEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – Clariant
TEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – ClariantTEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – Clariant
TEXCARE: Sua roupa sempre nova – Ana Regina Coimbra – Clariant
 
Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...
Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...
Aminas em Household: aspectos regulatórios e novas oportunidades – Ricardo Lu...
 
A dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – Nielsen
A dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – NielsenA dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – Nielsen
A dinâmica do mercado de Limpeza segundo a Nielsen – Matheus Vieira – Nielsen
 

Último

MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIAMERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIARAFAELREBELO13
 
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...E-Commerce Brasil
 
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdfAula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdflucianatorresdemelo
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfReinerModro
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...E-Commerce Brasil
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.E-Commerce Brasil
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxEduardoRodriguesOliv2
 
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxsistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxCarladeOliveira25
 
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxvaniapatriciapimente
 

Último (12)

MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIAMERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
 
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdfAula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxsistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
 
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
 

Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Darlene Felix

  • 1. 1 Ceras & Removedores Household 2014 Augeo Market Development Team Coatis Solvents
  • 2. •Objetivo •Coalescente para ceras •Ceras Domésticas •Ceras Institucionais •Removedores de ceras •Conclusão 2 Agenda
  • 3. Objetivo Apresentar para o mercado soluções sustentáveis de produtos para serem usados como coalescente em ceras e solvente em removedores. Validação estatística Testes de laboratório Aplicação em campo 3 Augeo Clean Multi Etildiglicol Augeo Clean Plus Butilglicol
  • 4. Pilares do Desenvolvimento Sustentável Econômico Ambiental Social 4 Pilares para o desenvolvimento de novos produtos na Rhodia
  • 5.
  • 8. Augeo Clean Mu Solvente sustentável para surface care •Fonte Renovável com glicerina como matéria-prima •Odor suave •Categoria 4: Líquido combustível •Não classificado como CMR •Não bioacumulativo •Inerentemente biodegradável (OECD 302) •Flexibilidade de formulação: custo x performance SSMA Competitividade Aplicação •Alternativa para éteres de glicol •Proporciona um desempenho superior devido ao excelente poder de solvência •Completa solubilidade em água •Aprimoramento da fragrância 8
  • 9. Objetivo Validar a performance do Augeo Clean Multi contra EDG. Criar modelo para avaliação de: •Propriedades mais importantes das ceras •Impacto do coalescente e do plastificante em cada uma delas. 9
  • 10. Definição do escopo 10 Ceras Teor de Sólidos Coalescente Plastificante Brilho (7ª camada) Dureza Absorção de água TMFF Propriedades Software: Minitab 16
  • 11. Avaliação das propriedades Brilho (ASTM D-1455) •Determinação do brilho especular a 60º de filmes de ceras para pisos depois da aplicação no substrato. • Equipamento: Glossmeter Dureza •Mede a dureza superficial de uma camada orgânica através de um fator de amortecimento. •Preparação do filme: Substrato: vidro Extensor: 120 mm •Equipamento: Pêndulo de König 11
  • 12. Absorção de água -Preparação do filme -% água absorvida Temperatura Mínima de Formação de Filme (ASTM D-2354) -Equipamento: Rhopoint MFFT .60 Bar 4 dias TA 3 dias T = 45oC 1 dia TA Avaliação das propriedades 12 minicial mfinal 100 g 5 min Filme Água Filme + Água Filme TMFF Tempo
  • 13. Ceras Domésticas Teor de sólidos = 10%
  • 14. Ceras Domésticas (10% sólidos) 14 Teste do Modelo Componentes Referência (% m/m) Teste (% m/m) Etildiglicol 1,40 - Augeo Clean Multi - 1,70 Plastificante 1,50 1,20 Surfactante Aniônico* 1,00 1,00 Resina estireno-acrílica metalizada 23,00 23,00 Resina acrílica álcali-solúvel 1,20 1,20 Emulsão cera PEAD 2,50 2,50 Água QSP QSP *Surfactante Fluorado = 1% ativos (m/m)
  • 15. Resultados – Ceras Domésticas 15 Brilho (60º) Brilho (60º) EDG Augeo Clean Multi • Estatisticamente os valores são diferentes. • “Diferença perceptível ao olho humano 4 unidades de brilho”. S10-3 Brilho S10-9 Brilho 79,75 79,50 79,25 79,00 78,75 78,50 Data 78,83 79,38 Interval Plot of S10-3 Brilho; S10-9 Brilho 95% CI for the Mean
  • 16. 16 Dureza Dureza (nº de oscilações) EDG Augeo Clean Multi • Estatisticamente os valores são diferentes. • Quanto maior a dureza maior a resistência mecânica. Resultados – Ceras Domésticas S10-3 Dureza S10-9 Dureza 135 130 125 120 115 110 Data 113,933 130,3 Interval Plot of S10-3 Dureza; S10-9 Dureza 95% CI for the Mean
  • 17. Resultados - Ceras Domésticas 17 Absorção de água • Estatisticamente os valores são diferentes. • Perceptível a partir 1% de diferença. • Quanto menor a absorção, mais resistente às manchas por água. Absorção de água (% m/m) EDG Augeo Clean Multi S10-3 Abs5 S10-9 Abs5 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 0,0 Data 0,111387 0,479526 Interval Plot of S10-3 Abs5; S10-9 Abs5 95% CI for the Mean
  • 18. Resultados - Ceras Domésticas 18 Temperatura Mínima de Formação de Filme • Estatisticamente os valores são diferentes. • Quanto menor a TMFF, mais fácil a formação do filme. S10-3 TMFF S10-9 TMFF 1,0 0,5 0,0 -0,5 -1,0 -1,5 -2,0 Data 0,38 -1,65 Interval Plot of S10-3 TMFF; S10-9 TMFF 95% CI for the Mean TMFF (oC) EDG Augeo Clean Multi
  • 19. Ceras Institucionais Teor de sólidos = 25%
  • 20. Ceras Institucionais (25% sólidos) 20 Teste do Modelo Componentes Referência (% m/m) Teste (% m/m) Etildiglicol 3,70 - Augeo Clean Multi - 3,70 Plastificante 4,00 4,00 Surfactante Aniônico 1,00 1,00 Resina estireno-acrílica metalizada 57,00 57,00 Resina acrílica álcali-solúvel 2,80 2,80 Emulsão cera PEAD 6,70 6,70 Emulsão cera PP 3,70 3,70 Água QSP QSP *Surfactante Fluorado = 1% ativos (m/m)
  • 21. EDG-7Brilho ACM-7Brilho 81,4 81,2 81,0 80,8 80,6 80,4 80,2 80,0 Data 80,3367 81,0233 Interval Plot of EDG-7Brilho; ACM-7Brilho 95% CI for the Mean Resultados – Ceras Institucionais 21 Brilho Brilho (60º) EDG Augeo Clean Multi • Estatisticamente os valores são diferentes. • “Diferença perceptível ao olho humano 4 unidades de brilho”.
  • 22. EDG-Dureza ACM-Dureza 27,5 27,0 26,5 26,0 25,5 25,0 Data 25,7333 26,6 Interval Plot of EDG-Dureza; ACM-Dureza 95% CI for the Mean Resultados – Ceras Institucionais 22 Dureza Dureza (nº de oscilações) EDG Augeo Clean Multi • Estatisticamente os valores são diferentes. • Quanto maior a dureza maior a resistência mecânica.
  • 23. EDG-Abs5 ACM-Abs5 1,05 1,00 0,95 0,90 0,85 0,80 Data 0,873728 0,925444 Interval Plot of EDG-Abs5; ACM-Abs5 95% CI for the Mean Resultados – Ceras Institucionais 23 Absorção de água Absorção de água (% m/m) EDG Augeo Clean Multi • Estatisticamente os valores são iguais. • Perceptível a partir 1% de diferença. • Quanto menor a absorção, mais resistente às manchas por água.
  • 24. EDG-TMFF ACM-TMFF -2,8 -2,9 -3,0 -3,1 -3,2 -3,3 Data -2,9 -3,18333 Interval Plot of EDG-TMFF; ACM-TMFF 95% CI for the Mean Resultados – Ceras Institucionais 24 Temperatura Mínima de Formação de Filme (TMFF) TMFF (oC) EDG Augeo Clean Multi • Estatisticamente os valores são diferentes. • Quanto menor a TMFF, mais fácil a formação do filme.
  • 26. Objetivo Validar a performance do Augeo Clean Plus contra BG. Entender qual a melhor proporção de substituição que permite: •Manter a performance; •Reduzir o odor da formulação; •Auxiliar em aspectos práticos durante a aplicação. 26
  • 27. Augeo Clean Plu Solvente sustentável para surface care •Fonte Renovável com glicerina como matéria-prima •Odor suave •Não inflamável •Não classificado como CMR •Não bioacumulativo •Inerentemente biodegradável (OECD 302) •Flexibilidade de formulação: custo x performance •Aplicação: redução de solvente x performance SSMA Competitividade Aplicação •Removedores de ceras •Alternativa para éteres de glicol •Proporcionar um desempenho superior devido ao excelente poder de solvência •Baixa solubilidade em água •Aprimoramento da fragrância 27
  • 29. Removedor de Ceras O removedor contendo Augeo Clean Plus apresenta odor suave, melhorando assim as condições ambiente durante a aplicação. 29 Componentes Referência (% m/m) Augeo Clean Plus (% m/m) Água 89,0 93,0 Hidróxido de sódio 50% 0,5 0,5 Monoetanolamina 2,0 2,0 Surfactante não-iônico (9,5 EO) 0,5 0,5 Isopropanol 2,0 2,0 Butilglicol 6,0 - Augeo Clean Plus - 2,0
  • 30. Aplicação da cera -7 camadas de cera de mercado (12% sólidos) Remoção da cera -Volume = 2 mL de removedor -Tempo de contato = 3 minutos -Enxague com água corrente Medidas de brilho do substrato -7ª camada de cera -Após remoção e enxague Removedor de Ceras – Teste de Remoção 30
  • 31. Aplicação Doméstica Removedor de Ceras Augeo Clean Plus pode ser aplicado como solvente em removedores apresentando uma performance superior ao BG. 31 -Placa de Paviflex Preta: •Sete camadas de cera auto-brilho de mercado Parâmetros Referência Augeo Clean Plus Brilho antes 82,5 82,5 Brilho depois 7,8 7,9 Espalhamento Bom Bom Poder de remoção Bom Ótimo
  • 33. Removedor de Ceras O removedor contendo Augeo Clean Plus apresenta odor suave, melhorando assim as condições ambiente durante a aplicação. 33 Componentes Referência (% m/m) Augeo Clean Plus (% m/m) Água 25,0 65,0 Monoetanolamina 30,0 10,0 Surfactante não-iônico (9,5 EO) 15,0 15,0 Butilglicol 30,0 - Augeo Clean Plus - 10,0
  • 34. Aplicação da cera -2 camadas de seladora (20% sólidos) -4 camadas de impermeabilizante (21% sólidos) Remoção da cera -Diluição do removedor na proporção 1:1 -Volume = 2 mL da solução -Espalhamento com esponja limpa -Tempo de contato = 10 minutos -Enxague com água corrente Medidas de brilho do substrato -Após 4ª camada de impermeabilizante -Após remoção e enxague Removedor de Ceras – Teste de Remoção 34
  • 35. Placa de Paviflex Preta: -Duas camadas de seladora (20% sólidos) -Quatro camadas de impermeabilizante (21% sólidos) Removedor de Ceras Augeo Clean Plus pode ser aplicado como solvente em removedores apresentando uma performance superior ao BG. A performance do Augeo Clean Plus é superior podendo assim aumentar a razão de diluição. 35 Parâmetros (Razão de diluição 1:1) Referência Augeo Clean Plus Brilho antes 80,2 80,2 Brilho depois 9,6 9,0 Espalhamento Bom Bom Poder de remoção Bom Ótimo
  • 36. Conclusão Ceras -O Augeo Clean Multi pode substituir o Etidiglicol na função de coalescente, tanto em formulações domésticas como institucionais. Removedores de ceras -O Augeo Clean Plus pode substituir o Butilglicol, tanto em formulações domésticas como institucionais utilizando 3x menos e mantendo a mesma performance. -O Augeo Clean Plus apresenta odor suave, permitindo assim que a remoção de ceras possa ser realizada em ambientes fechados. -O Augeo Clean Plus reduz a formação de espuma durante o processo de enxague do removedor. 36
  • 37. www.solvay.com Obrigada pela atenção! Contatos: darlene.felix@solvay.com jose.mariussi@solvay.com priscila.karan@solvay.com