SlideShare uma empresa Scribd logo
Projeto: Redução do índice de repasses na linha de produção de lentes ópticas
Data Inicio: 15/Setembro/2015
Responsável: Julio Cesar Gonçalves / Silvio Proença Neto
Equipe do Projeto: Cássia Costa Ali, , Daniele Alencar, Elizete Vieira Bento, Fabio Luiz
Gonzaga, Gisele Maia, Jucilene Santos Ribeiro.
Local do Projeto: Laboratório de surfaçagem.
Data término: 31/Outubro/2015
PROJETO PDCA
Classificação do Projeto: (Qualidade com impacto em produtividade)
.Melhoria na Qualidade do produto.
.Melhoria no Desempenho da linha de produção.
.Impacto no Cliente:
.Reclamações de atrasos.
.Alto índice de repasse na linha de surfaçagem de lentes.
.Processo não estável.
.OBS: Dados são confiáveis, porque são retirados do Indicador da Qualidade
.Índice de Repasse ( Quanto menor o indicador melhor ).
.APRESENTAÇÃO DO PROBLEMA, ESCOPO E OBJETIVO:
.Reduzir índice de repasse na linha de surfaçagem de lentes, alcançando a meta de 2%
até outubro de 2015.
Mão de obraMeio
Ambiente
Métodos e
Procedimentos
GestãoMatéria primaEquipamento
DIAGRAMA DE ISHIKAWA
Descrição do problema:
.Lentes surfaçadas que geram não conformidade.
.Entre os motivos estão lentes com dioptria (grau) errada, acabamento irregular, eixo fora
do especificado em receita, defeitos gerados após polimento ou aplicação de verniz.
MAPEAMENTO PROCESSO SURFAÇAGEM
Blocagem e
separação de modelo
Definição da seqüência das
atividades de acordo com a
cor da caixa para logística
Aguardar resfriamento
da cera da blocagem
3.53%
3.93%
2.49%
2.89%
3.91%
3.29%
2.81% 2.74%
2.44%
2.67%
Objetivo, 2.00%
0.00%
0.50%
1.00%
1.50%
2.00%
2.50%
3.00%
3.50%
4.00%
4.50%
REPASSE
INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
OBJETIVO
Histórico do problema
Inicio do
projeto!
INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
Histórico do problema
11.73
12.84
8.33
9.61
15.36
12.33
10.88
10.14
9.25
10.12
0.00
3.00
6.00
9.00
12.00
15.00
18.00
MÉDIA DIÁRIA DE REPASSES entre 11/14 À 08/15
Média Diária
Inicio do
projeto!
INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
Histórico do problema
234.5
244
166.5 173
338
246.5
217.5 213
203.5 212.5
50
100
150
200
250
300
350
400
QTD Repasse Mensal entre 11/14 À 08/15
QTD Repasse Mensal
Inicio do
projeto!
1º BRAINSTORMING
Histórico do problema
Após realização do
brainstorming foram
levantadas algumas
possibilidades de
causa do problema e
levado para uma
matriz de priorização!
MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO
Histórico do problema
Na matriz de
priorização foram
definidos pela equipe,
as três principais
causas potenciais:
•Modelo - Curva c/problema
•Ponto de Verniz
•Atenção - Manuseio
Matriz de Priorização Repasse Surfaçagem
Legenda PROBLEMAS PRIORITÁRIOS
10 - Correlação forte
Repasse na linha de surfaçagem
de lente ópticas
5 - Correlação moderada
Peso ( 5 E 10 ) TOTAL
CAUSASPOTENCIAIS
BRAINSTORMING
Equipamentos/Máq. 5 5
Modelo - Curva c/problema 60 60
Lixa 0 0
Água - Temperatura 5 5
Polidor - Temperatura e
Densidade
0 0
Ponto de Verniz 20 20
Erro de Cálculo 0 0
Atenção - Manuseio 20 20
Eixo - Blocagem 10 10
Treinamento 0 0
•Ações para Modelo - Curva c/problema
Foram identificados os modelos utilizados em cada lente que gerou repasse.
Esses modelos foram medidos e verificados quanto a qualidade e situação física.
Quando encontrada diferença deve-se, remarcar ou descartar o mesmo.
Histórico das ações tomadas
•Ações para Ponto de Verniz
As máquinas de aplicação de verniz passaram por uma limpeza e troca de filtros e reparos.
Desenvolveu-se uma sistemática para manutenção diária/semanal para aquecimento e
colocação da máquina em funcionamento (limpeza, verificação de nível de álcool e verniz,
temperatura do ambiente).
Certificação de que os procedimentos definidos estão sendo seguidos pelos
colaboradores.
•Ações para Atenção – Manuseio
Elaborado ciclo de palestras e treinamentos, sobre o produto e equipamentos utilizados
na surfaçagem.
Estas palestras e treinamentos foram implementadas e seguirão um cronograma pré
estabelecido.
2º ETAPA BRAINSTORMING
Histórico do problema
Após verificação
realizada, foi
observado que a ação
não foi eficaz, foi
realizada uma segunda
rodada de
brainstorming e
analisado novamente
identificando outros
dois fatores e
definindo uma nova
ação.
MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO
Histórico do problema
Após verificação
realizada alterou-se a
matriz de priorização
definindo novas ações
nas causas potenciais:
•Lixa
•Eixo - Blocagem
Matriz de Priorização Repasse Surfaçagem
Legenda PROBLEMAS PRIORITÁRIOS
10 - Correlação forte
Repasse na linha de surfaçagem
de lente ópticas
5 - Correlação moderada
Peso ( 5 E 10 ) TOTAL
CAUSASPOTENCIAIS
BRAINSTORMING
Equipamentos/Máq. 5 5
Modelo - Curva c/problema 0 0
Lixa 50 50
Água - Temperatura 5 5
Polidor - Temperatura e
Densidade
0 0
Ponto de Verniz 20 20
Erro de Cálculo 0 0
Atenção - Manuseio 0 0
Eixo - Blocagem 40 40
Treinamento 0 0
•Ações para Lixa
Foi identificado que o procedimento de troca das lixas não era realizado corretamente na
freqüência que deveria. (justamente o horário que gerava mais repasses)
Foi definida a troca das lixas na freqüência estabelecida em procedimento e/ou sempre
que identificada falta de qualidade na mesma.
Histórico das ações tomadas
•Ações para Eixo – Blocagem
Foram orientados os colaboradores quanto ao procedimento correto na operação de
blocagem das lentes.
Foi trocado o visor da máquina para melhorar a visualização na hora da blocagem.
3.53%
3.93%
2.49%
2.89%
3.91%
3.29%
2.81%2.74%
2.44%
2.67%
2.53%
2.15%
1.94%
2.12%
1.57%
0.00%
0.50%
1.00%
1.50%
2.00%
2.50%
3.00%
3.50%
4.00%
4.50%
REPASSE
Avaliação dos resultados
Inicio do
projeto!
INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
OBJETIVO
Avaliação dos resultados
11.73
12.84
8.33
9.61
15.36
12.33
10.88
10.14
9.25
10.12 10.29
8.36 7.87 8.35
5.15
0.00
3.00
6.00
9.00
12.00
15.00
18.00
MÉDIA DIÁRIA DE REPASSES 11/14 À 08/15
Média Diária
Series1
Inicio do
projeto!
INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
234.5
244
166.5 173
338
246.5
217.5 213
203.5 212.5 216
175.5
149.5
167
103
10
60
110
160
210
260
310
360
QTD Repasse Surfaçagem
QTD Repasse Mensal Series1
Avaliação dos resultados
Inicio do
projeto!
INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
FIM DE PROJETO - CONCLUSÃO:
•Os resultados do projeto foram consistentes, uma vez que mesmo não atingindo a
meta no prazo estabelecido, nos deu direcionamento correto quanto as ações a serem
tomadas e conforme os indicadores a tendência é positiva.
•O acompanhamento continuará a ser realizado semanalmente e todas as ações farão
parte do procedimento interno de operação (PIO) a fim de manter os padrões para
produção e os indicadores de qualidade dentro dos limites estabelecidos.
•As lições aprendidas aqui documentadas nos servirão para direcionar novas ações em
situações semelhantes, garantindo nosso aprimoramento e a melhoria continua dos
nossos processos produtivos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação da minha PAP
Apresentação da minha PAPApresentação da minha PAP
Apresentação da minha PAP
Ruben Alves
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
AyslanAnholon
 
Procedimento de Controle de Documentos
Procedimento de Controle de DocumentosProcedimento de Controle de Documentos
Procedimento de Controle de Documentos
Marcos Abreu
 
Aula Lean
Aula LeanAula Lean
Programa de Gestão de Programas e Projetos do Desporto
Programa de Gestão de Programas e Projetos do DesportoPrograma de Gestão de Programas e Projetos do Desporto
Programa de Gestão de Programas e Projetos do Desporto
Margarida Camboias
 
Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte
Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte
Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte
Stratec Informática
 
Planos de sessão
Planos de sessãoPlanos de sessão
Planos de sessão
Ana Narciso
 
Treinamento 5s
Treinamento 5sTreinamento 5s
Treinamento 5s
Vinicius Souza
 
5W1H
5W1H5W1H
Procedimento de Treinamento e Qualificação
Procedimento de Treinamento e QualificaçãoProcedimento de Treinamento e Qualificação
Procedimento de Treinamento e Qualificação
Marcos Abreu
 
Manual Vigor
Manual VigorManual Vigor
Copia Bpf Itabira
Copia Bpf ItabiraCopia Bpf Itabira
Gestão de Recursos Humanos em Projetos
Gestão de Recursos Humanos em ProjetosGestão de Recursos Humanos em Projetos
Gestão de Recursos Humanos em Projetos
Sustentare Escola de Negócios
 
Merc 6 a_a01
Merc 6 a_a01Merc 6 a_a01
Merc 6 a_a01
Angelo Yasui
 
Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...
Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...
Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...
Felipe Torres Sahão
 
Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2
Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2
Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2
Valor Agregado Consulting
 
Wcm 001
Wcm 001Wcm 001
Wcm 001
fabioavela
 
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de ProjetoAula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
Daniela Brauner
 
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escutaFicha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Leonor Alves
 
Carta de reclamação
Carta de reclamaçãoCarta de reclamação
Carta de reclamação
kardovsky
 

Mais procurados (20)

Apresentação da minha PAP
Apresentação da minha PAPApresentação da minha PAP
Apresentação da minha PAP
 
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de ProjetosAula Pronta - Gerenciamento de Projetos
Aula Pronta - Gerenciamento de Projetos
 
Procedimento de Controle de Documentos
Procedimento de Controle de DocumentosProcedimento de Controle de Documentos
Procedimento de Controle de Documentos
 
Aula Lean
Aula LeanAula Lean
Aula Lean
 
Programa de Gestão de Programas e Projetos do Desporto
Programa de Gestão de Programas e Projetos do DesportoPrograma de Gestão de Programas e Projetos do Desporto
Programa de Gestão de Programas e Projetos do Desporto
 
Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte
Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte
Criação e gestão de indicadores processo - 2a parte
 
Planos de sessão
Planos de sessãoPlanos de sessão
Planos de sessão
 
Treinamento 5s
Treinamento 5sTreinamento 5s
Treinamento 5s
 
5W1H
5W1H5W1H
5W1H
 
Procedimento de Treinamento e Qualificação
Procedimento de Treinamento e QualificaçãoProcedimento de Treinamento e Qualificação
Procedimento de Treinamento e Qualificação
 
Manual Vigor
Manual VigorManual Vigor
Manual Vigor
 
Copia Bpf Itabira
Copia Bpf ItabiraCopia Bpf Itabira
Copia Bpf Itabira
 
Gestão de Recursos Humanos em Projetos
Gestão de Recursos Humanos em ProjetosGestão de Recursos Humanos em Projetos
Gestão de Recursos Humanos em Projetos
 
Merc 6 a_a01
Merc 6 a_a01Merc 6 a_a01
Merc 6 a_a01
 
Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...
Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...
Business Consultoria - Apresentação Case Modelo de Gestão Paraná Júnior 2010 ...
 
Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2
Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2
Ata de Reunião - Minutes of Meeting v2
 
Wcm 001
Wcm 001Wcm 001
Wcm 001
 
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de ProjetoAula03 - Termo de Abertura de Projeto
Aula03 - Termo de Abertura de Projeto
 
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escutaFicha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
 
Carta de reclamação
Carta de reclamaçãoCarta de reclamação
Carta de reclamação
 

Semelhante a Projeto PDCA Retrabalho

OEE Apresentação TCC
OEE Apresentação TCCOEE Apresentação TCC
OEE Apresentação TCC
Marcos Valle
 
Apresentação Projeto TCC
Apresentação Projeto TCCApresentação Projeto TCC
Apresentação Projeto TCC
Diego Tamanini
 
Ferramentas Lean na Optimização da Linha de Prensagem
Ferramentas  Lean na Optimização da Linha de PrensagemFerramentas  Lean na Optimização da Linha de Prensagem
Ferramentas Lean na Optimização da Linha de Prensagem
CLT Valuebased Services
 
Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Dar...
Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de  cera de baixo odor - Dar...Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de  cera de baixo odor - Dar...
Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Dar...
Revista H&C
 
Controle de processos
Controle de processosControle de processos
Controle de processos
Luiz Henrique
 
CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...
CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...
CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...
Camila Oliveira
 
Pdca
PdcaPdca
Pdca
emc5714
 
Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013
Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013
Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013
CLT Valuebased Services
 
Avaliação de soluções para a consolidação dinâmica
Avaliação de soluções para a consolidação dinâmicaAvaliação de soluções para a consolidação dinâmica
Avaliação de soluções para a consolidação dinâmica
Geraldo A Sarmento Nt
 
ApresentaçãO Projeto Industrial
ApresentaçãO Projeto IndustrialApresentaçãO Projeto Industrial
ApresentaçãO Projeto Industrial
Marcos Aurelio Felicio
 
Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...
Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...
Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...
TIAGO SAMPOGNA DE MORAES
 
Apresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert AngolaApresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert Angola
Vitor Marques
 
Método Kanban de Produção
Método Kanban de ProduçãoMétodo Kanban de Produção
Método Kanban de Produção
Adriano Pereira
 
Programa de qualidade 5 s para latina textil
Programa de qualidade 5 s para latina textilPrograma de qualidade 5 s para latina textil
Programa de qualidade 5 s para latina textil
Breno Nakao
 
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptxProposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
FilipeQuintino5
 
Six Sigma
Six SigmaSix Sigma
Six Sigma
Jairo Siqueira
 
21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires
21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires
21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires
Thiago Souza Santos
 
NHO 07
NHO 07NHO 07
NHO 07
Ane Costa
 
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para ImplantaçãoAula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Claudio Bernardi Stringari
 
Projeto automação.pptx
Projeto automação.pptxProjeto automação.pptx
Projeto automação.pptx
JOOLUCASDASILVA3
 

Semelhante a Projeto PDCA Retrabalho (20)

OEE Apresentação TCC
OEE Apresentação TCCOEE Apresentação TCC
OEE Apresentação TCC
 
Apresentação Projeto TCC
Apresentação Projeto TCCApresentação Projeto TCC
Apresentação Projeto TCC
 
Ferramentas Lean na Optimização da Linha de Prensagem
Ferramentas  Lean na Optimização da Linha de PrensagemFerramentas  Lean na Optimização da Linha de Prensagem
Ferramentas Lean na Optimização da Linha de Prensagem
 
Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Dar...
Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de  cera de baixo odor - Dar...Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de  cera de baixo odor - Dar...
Rhodia - Coalescentes sustentáveis e removedores de cera de baixo odor - Dar...
 
Controle de processos
Controle de processosControle de processos
Controle de processos
 
CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...
CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...
CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO (CEP) : IMPLANTAÇÃO EM UMA REFUSORA DE ALUMÍ...
 
Pdca
PdcaPdca
Pdca
 
Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013
Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013
Jornadas de Boas Praticas Lean Management 2013
 
Avaliação de soluções para a consolidação dinâmica
Avaliação de soluções para a consolidação dinâmicaAvaliação de soluções para a consolidação dinâmica
Avaliação de soluções para a consolidação dinâmica
 
ApresentaçãO Projeto Industrial
ApresentaçãO Projeto IndustrialApresentaçãO Projeto Industrial
ApresentaçãO Projeto Industrial
 
Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...
Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...
Melhoria contínua de processo e qualidade nas operações utilização do ciclo d...
 
Apresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert AngolaApresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert Angola
 
Método Kanban de Produção
Método Kanban de ProduçãoMétodo Kanban de Produção
Método Kanban de Produção
 
Programa de qualidade 5 s para latina textil
Programa de qualidade 5 s para latina textilPrograma de qualidade 5 s para latina textil
Programa de qualidade 5 s para latina textil
 
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptxProposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
Proposta Técnica Comercial BOILER TECH rev1.pptx
 
Six Sigma
Six SigmaSix Sigma
Six Sigma
 
21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires
21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires
21 10 - painel gestão do conhecimento e inovação aberta - marcia regina b aires
 
NHO 07
NHO 07NHO 07
NHO 07
 
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para ImplantaçãoAula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
Aula 07 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 10 + Razões para Implantação
 
Projeto automação.pptx
Projeto automação.pptxProjeto automação.pptx
Projeto automação.pptx
 

Projeto PDCA Retrabalho

  • 1.
  • 2. Projeto: Redução do índice de repasses na linha de produção de lentes ópticas Data Inicio: 15/Setembro/2015 Responsável: Julio Cesar Gonçalves / Silvio Proença Neto Equipe do Projeto: Cássia Costa Ali, , Daniele Alencar, Elizete Vieira Bento, Fabio Luiz Gonzaga, Gisele Maia, Jucilene Santos Ribeiro. Local do Projeto: Laboratório de surfaçagem. Data término: 31/Outubro/2015 PROJETO PDCA
  • 3. Classificação do Projeto: (Qualidade com impacto em produtividade) .Melhoria na Qualidade do produto. .Melhoria no Desempenho da linha de produção. .Impacto no Cliente: .Reclamações de atrasos. .Alto índice de repasse na linha de surfaçagem de lentes. .Processo não estável. .OBS: Dados são confiáveis, porque são retirados do Indicador da Qualidade .Índice de Repasse ( Quanto menor o indicador melhor ). .APRESENTAÇÃO DO PROBLEMA, ESCOPO E OBJETIVO: .Reduzir índice de repasse na linha de surfaçagem de lentes, alcançando a meta de 2% até outubro de 2015.
  • 4. Mão de obraMeio Ambiente Métodos e Procedimentos GestãoMatéria primaEquipamento DIAGRAMA DE ISHIKAWA
  • 5. Descrição do problema: .Lentes surfaçadas que geram não conformidade. .Entre os motivos estão lentes com dioptria (grau) errada, acabamento irregular, eixo fora do especificado em receita, defeitos gerados após polimento ou aplicação de verniz. MAPEAMENTO PROCESSO SURFAÇAGEM Blocagem e separação de modelo Definição da seqüência das atividades de acordo com a cor da caixa para logística Aguardar resfriamento da cera da blocagem
  • 7. INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES Histórico do problema 11.73 12.84 8.33 9.61 15.36 12.33 10.88 10.14 9.25 10.12 0.00 3.00 6.00 9.00 12.00 15.00 18.00 MÉDIA DIÁRIA DE REPASSES entre 11/14 À 08/15 Média Diária Inicio do projeto!
  • 8. INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES Histórico do problema 234.5 244 166.5 173 338 246.5 217.5 213 203.5 212.5 50 100 150 200 250 300 350 400 QTD Repasse Mensal entre 11/14 À 08/15 QTD Repasse Mensal Inicio do projeto!
  • 9. 1º BRAINSTORMING Histórico do problema Após realização do brainstorming foram levantadas algumas possibilidades de causa do problema e levado para uma matriz de priorização!
  • 10. MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO Histórico do problema Na matriz de priorização foram definidos pela equipe, as três principais causas potenciais: •Modelo - Curva c/problema •Ponto de Verniz •Atenção - Manuseio Matriz de Priorização Repasse Surfaçagem Legenda PROBLEMAS PRIORITÁRIOS 10 - Correlação forte Repasse na linha de surfaçagem de lente ópticas 5 - Correlação moderada Peso ( 5 E 10 ) TOTAL CAUSASPOTENCIAIS BRAINSTORMING Equipamentos/Máq. 5 5 Modelo - Curva c/problema 60 60 Lixa 0 0 Água - Temperatura 5 5 Polidor - Temperatura e Densidade 0 0 Ponto de Verniz 20 20 Erro de Cálculo 0 0 Atenção - Manuseio 20 20 Eixo - Blocagem 10 10 Treinamento 0 0
  • 11. •Ações para Modelo - Curva c/problema Foram identificados os modelos utilizados em cada lente que gerou repasse. Esses modelos foram medidos e verificados quanto a qualidade e situação física. Quando encontrada diferença deve-se, remarcar ou descartar o mesmo. Histórico das ações tomadas •Ações para Ponto de Verniz As máquinas de aplicação de verniz passaram por uma limpeza e troca de filtros e reparos. Desenvolveu-se uma sistemática para manutenção diária/semanal para aquecimento e colocação da máquina em funcionamento (limpeza, verificação de nível de álcool e verniz, temperatura do ambiente). Certificação de que os procedimentos definidos estão sendo seguidos pelos colaboradores. •Ações para Atenção – Manuseio Elaborado ciclo de palestras e treinamentos, sobre o produto e equipamentos utilizados na surfaçagem. Estas palestras e treinamentos foram implementadas e seguirão um cronograma pré estabelecido.
  • 12. 2º ETAPA BRAINSTORMING Histórico do problema Após verificação realizada, foi observado que a ação não foi eficaz, foi realizada uma segunda rodada de brainstorming e analisado novamente identificando outros dois fatores e definindo uma nova ação.
  • 13. MATRIZ DE PRIORIZAÇÃO Histórico do problema Após verificação realizada alterou-se a matriz de priorização definindo novas ações nas causas potenciais: •Lixa •Eixo - Blocagem Matriz de Priorização Repasse Surfaçagem Legenda PROBLEMAS PRIORITÁRIOS 10 - Correlação forte Repasse na linha de surfaçagem de lente ópticas 5 - Correlação moderada Peso ( 5 E 10 ) TOTAL CAUSASPOTENCIAIS BRAINSTORMING Equipamentos/Máq. 5 5 Modelo - Curva c/problema 0 0 Lixa 50 50 Água - Temperatura 5 5 Polidor - Temperatura e Densidade 0 0 Ponto de Verniz 20 20 Erro de Cálculo 0 0 Atenção - Manuseio 0 0 Eixo - Blocagem 40 40 Treinamento 0 0
  • 14. •Ações para Lixa Foi identificado que o procedimento de troca das lixas não era realizado corretamente na freqüência que deveria. (justamente o horário que gerava mais repasses) Foi definida a troca das lixas na freqüência estabelecida em procedimento e/ou sempre que identificada falta de qualidade na mesma. Histórico das ações tomadas •Ações para Eixo – Blocagem Foram orientados os colaboradores quanto ao procedimento correto na operação de blocagem das lentes. Foi trocado o visor da máquina para melhorar a visualização na hora da blocagem.
  • 16. Avaliação dos resultados 11.73 12.84 8.33 9.61 15.36 12.33 10.88 10.14 9.25 10.12 10.29 8.36 7.87 8.35 5.15 0.00 3.00 6.00 9.00 12.00 15.00 18.00 MÉDIA DIÁRIA DE REPASSES 11/14 À 08/15 Média Diária Series1 Inicio do projeto! INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
  • 17. 234.5 244 166.5 173 338 246.5 217.5 213 203.5 212.5 216 175.5 149.5 167 103 10 60 110 160 210 260 310 360 QTD Repasse Surfaçagem QTD Repasse Mensal Series1 Avaliação dos resultados Inicio do projeto! INDICADOR DE ACOMPANHAMENTO DE REPASSES
  • 18. FIM DE PROJETO - CONCLUSÃO: •Os resultados do projeto foram consistentes, uma vez que mesmo não atingindo a meta no prazo estabelecido, nos deu direcionamento correto quanto as ações a serem tomadas e conforme os indicadores a tendência é positiva. •O acompanhamento continuará a ser realizado semanalmente e todas as ações farão parte do procedimento interno de operação (PIO) a fim de manter os padrões para produção e os indicadores de qualidade dentro dos limites estabelecidos. •As lições aprendidas aqui documentadas nos servirão para direcionar novas ações em situações semelhantes, garantindo nosso aprimoramento e a melhoria continua dos nossos processos produtivos.