SlideShare uma empresa Scribd logo
A 2ª GUERRA
MUNDIAL(1939-1945)
1
A 2ª GUERRA MUNDIAL
(1939-1945)
•Antecedentes:
 Tratado de Versalhes;
 Revolução Russa de 1917;
 Fascismo e Nazismo;
 Crise Econômica de 1929;
 Antissemitismo;
 Política do Espaço Vital;
 Política do Apaziguamento;
 Expansionismo Japão X EUA;
2
CONDUTORES DA GUERRA
3
HIROHITO MUSSOLINI HITLER STALIN
CHURCHILL ROOSEVELT TRUMAN
INVASÃO ITALIANA NA
ABISSÍNIA
4
 Depois de vários
conflitos, os italianos
conquistaram a Etiópia
em outubro de 1935.
 A Liga das Nações não
apresentou oposição
consistente.
 O domínio italiano na
região nunca foi total e
as guerrilhas etíopes
foram usadas pelos
ingleses na II Guerra.
INVASÃO ITALIANA NA
ABISSÍNIA 1935
5
Batalha de Adwa – Em 1896, os italianos foram
derrotados pelo exército da Abissínia.
EXPANSÃO JAPONESA
6
INVASÃO JAPONESA NA CHINA
1937
7
BOMBARDEIO DE XANGAI
Segunda Guerra
Sino-Japonesa
(1937-1945)
A ação
imperialista
japonesa na
China iniciou-se
no século XIX →
a invasão
começa em 1931
e a ocupação
total em 1937.
INVASÃO JAPONESA NA CHINA
1937
ESTUPRO DE NANQUIM
8
INVASÃO JAPONESA NA CHINA
1937
ESTUPRO DE NANQUIM: Pelo menos 200 mil
chineses foram mortos nas seis semanas
seguintes à invasão da capital, muitos dos
quais civis indefesos. As autoridades de Pequim
sustentam que o número de vítimas fatais
chegou a 300 mil. Cerca de 20 mil mulheres
foram estupradas e mortas, entre elas crianças
com menos de 10 anos de idade. Grupos de
centenas de chineses eram reunidos e
metralhados pelas tropas invasoras. Vários
outros foram decapitados com espadas em
“competições” realizadas por oficiais
japoneses.
9
INVASÃO DA POLÔNIA
(01/09/1939)
10
Batalha da Polônia → a
Alemanha exige a
devolução da zona do
"corredor polonês" e do
porto de Danzig (atual
Gdansk) → a negativa do
governo polonês, cria um
álibi para justificar a
invasão, um suposto
ataque a uma estação de
rádio.
A URSS invade a Polônia
pelo leste em 17 de
setembro.
Pacto Ribbentrop-
Molotov → 23 de
agosto → pacto de
não-agressão
germano-soviético.
AVANÇO DA GUERRA
• Desrespeito ao Tratado
de Munique → França
e Grã-Bretanha
declaram guerra à
Alemanha.
• 04/1940: Ocupação da
Noruega e Dinamarca
e, em seguida, Bélgica
e Holanda.
• 03/06/1940: Retirada de
Dunquerque.
• 14/06/1940: Tomada de
Paris.
11
• 14/10/1939: Ataque
do U47 à base de
Scapa Flow – 833
mortos.
• Hitler em Paris → 23 de maio de 1940.
12
FRANÇA NAZISTA?
• O Sul da França
assinou um
armistício com os
nazistas que criou a
República de Vichy
(1940-44).
• Tratava-se de um
Estado Facista e
colaboracionista
comandado pelo
Marechal Pétain.
13
GUERRA GRECO-ITALIANA
(28/10/1940-06/04/1941)
• A resistência grega
(com apoio britânico)
contém os italianos.
• A Alemanha é obrigada
a invadir a Iugoslávia
para chegar até a
Grécia (com o apoio da
Bulgária).
• Apesar da derrota,
Mussolini usa a guerra
na sua propaganda do
Mare Nostrum.
14
A Itália invade a Albânia
(04/1939) e usa seu
território para atacar a
Grécia (28/10/1940)
A OCUPAÇÃO DO BÁLTICO
Enquanto todos olhavam para a Alemanha, a
URSS ocupava o Báltico (14-17/06/1940).
15
URSS X FINLÂNDIA
• Finlândia → aliada da Alemanha.
• Guerra de Inverno (30/11/1939-
13/03/1940) → Invasão soviética
→ a resistência usa snipers e
táticas de guerrilha na neve → o
desgaste é grande e a URSS
negocia a paz → a Finlândia
cede 10% do seu território, e
20% da sua capacidade
industrial → Carélia Oriental,
onde estava a cidade de Viipuri,
mais industrializada e a segunda
maior do país.
16
Simo Häyhä, sniper
finlandês. 505
soviéticos foram
mortos por ele.
URSS X FINLÂNDIA
• Guerra da Continuação (25/06/1941-19/09/1944)
→ Finlândia ataca a URSS com o apoio da
Alemanha → 19 de Setembro → armistício →
USSR desmobiliza imediatamente o seu
exército, os alemães deveriam deixar a
Finlândia em 14 dias → diante da recusa, os
finlandeses atacam os antigos aliados.
• A Finlândia recuperou as fronteiras de 1940,
com a adição de outros territórios, a URSS teve
que limpar os campos minados na Carelia e do
Golfo da Finlândia → uma longa operação
concluída somente em 1952.
• Diferente de outros países, a Finlândia
manteve sua soberania.
17
A BATALHA DA INGLATERRA
• "Nunca, no campo dos conflitos humanos,
tantos deveram tanto a tão poucos“. Churchill.
18
A BATALHA DA INGLATERRA
• Depois da retirada de Dunquerque, o
alemães tentam quebrar o poderio aéreo
inglês em uma sucessão de bombardeios.
• Começando em 10 de julho, os bombardeios
seguiram-se até novembro, com destaque
para 24 de agosto (bombardeio acidental de
Londres) e 15 de setembro (ataque com
força máxima da Luftwaffe).
• As defesas inglesas não caíram e a batalha é
considerada o primeiro revés alemão.
19
AFRIKA KORPS
• Com a França ocupada,
Mussolini viu a oportunidade de
invadir o Norte da África sem a
oposição francesa, mas a reação
dos ingleses estrangulou as
tropas italianas.
• Os alemães criam então o Afrika
Korps (12/02/1941-13/05/1943)
que, com recursos limitados,
teve surpreendente desempenho.
• A invasão dos aliados ao
Marrocos e a pressão sobre os
alemães dentro da Europa, levou
à dissolução do Afrika Korps.
20
Erwin Johannes
Eugen Rommel, a
Raposa do
Deserto
O HORROR DA GUERRA EM
FORMA DE ARTE
21
Salvador
Dalí:
A Face da
Guerra
(1940-41)
HITLER E O GRANDE MUFTI DE
JERUSALÉM
22
Encontro
com Hitler
em
dezembro de
1941.
Ajudou a recrutar tropas bósnias para os
nazistas, assim como as tropas livres com
voluntários árabes. Defendeu o extermínio dos
judeus.
A FRENTE ORIENTAL
• Em 22 de junho de
1941, os alemães
rompem o pacto
com os soviéticos
e iniciam a
Operação
Barbarossa.
• O deslocamento
alemão foi
extremamente
rápido e as baixas
soviéticas
consideráveis.
23
• A superioridade militar alemã
era muito grande, mas os
soviéticos compensaram com
enormes sacrifícios.
RESISTÊNCIA E REAÇÃO
SOVIÉTICA
• A reação soviética
dependeu e muito da
coragem de civis, como
Zoya Anatolyevna
Kosmodemyanskaya.
• A adolescente de 18 anos,
tornou-se guerrilheira, foi
capturada e enforcada
pelos alemães. Seu corpo
foi deixado exposto.
• Tornou-se heroína nacional,
servindo de inspiração para
a resistência.
24
BATALHAS DA FRENTE
ORIENTAL
• Cerco de Leningrado – 8/09/1941 a 27/01/1944.
• Batalha de Stalingrado – 17/07/1942 a
02/02/1943 → mais de 2 milhões de mortos
civis e militares.
• Batalha de Kursk – 4-22/07/1943 → maior
batalha de blindados de todos tempos.
• Operação Bagration – 22/06-19/08/1944.
• Batalha de Berlim – 16/04-02/05/1945 →
Alemanha se rendeu seis dias depois do fim da
batalha.
25
ASES E SNIPERS
26
Roza Shanina (1924-
45), alvejou 54
alemães, altamente
condecorada, morreu
protegendo seu
comandante ferido.
Lydia Litvyak (1921-43),
a Rosa Branca de
Stalingrado. Os
alemães chamavam as
soviéticas de “Bruxas da
Noite”.
Yekaterina Budanova
(1916-43), junto com
Lydia Litvyak é uma das
duas únicas mulheres
ases de guerra.
A GRANDE GUERRA
PATRIÓTICA
27
AMERICANOS NA GUERRA
• 7 de dezembro de 1941, ataque japonês à
Pearl Harbor. Os EUA entra na guerra.
28
Em 1942, Roosevelt
assinou a lei 9066
obrigando a remoção
de cerca de 117.000
cidadãos nipo-
americanos para
campos prisão. Foi
uma violação de seus
direitos civis, muitos
perderam seus bens.
29
A segregação racial vigorava entre as tropas dos EUA. O Tuskegee
Airmen eram pilotos negros do 447º Grupamento de Bombardeio.
30
Já o 442º Regimento, o mais condecorado do Exército Americano na
Europa, era formado, principalmente, por nipo-americanos.
31
As mulheres norte americanas e britânicas serviram como
enfermeiras ou em forças auxiliares. Cartaz de recrutamento e foto
de um grupo de WASP (Women Airforce Service Pilots)
32
AS MULHERES NO ESFORÇO DE
GUERRA ALIADO
33
AS MULHERES NO ESFORÇO DE
GUERRA ALIADO
Mulheres
também
foram
convoca
das a
ocupar
postos
de
trabalho
nas
fábricas.
34
Quando princesa, a Rainha Elizabeth II serviu
nas tropas auxiliares britânicas. Ela é o único
chefe de estado que serviu na Segunda Guerra
Mundial a ainda vivo.
35
MULHERES NA RESISTÊNCIA
FRANCESA
PRINCIPAIS CONFERÊNCIAS
• Acordo do Atlântico – 14/08/1941 – EUA e
Reino Unido discutem entrada dos americanos
na guerra.
• Conferência de Teerã – 28/11-01/12/1943 –
reconhecimentos de fronteiras, desembarque
na França, partilha da Europa.
• Conferência de Yalta – 02/1945 – definir áreas
de influência, a partilha da Alemanha.
• Conferência de Potsdam – 17/07-02/08/1945 –
divisão do território alemão e punições ao
país.
36
CHURCHIL, ROOSEVELT E
STALIN
37
Conferência de Yalta no Sul da Rússia
REPÚBLICA DE SALÓ
38
• Com a invasão da Itália em
1943, Mussolini perdeu apoio
político e o rei Victor
Emanuel III mandou prendê-
lo → Resgatado pelos
alemães recebeu o governo
do novo Estado.
• Com o avanço aliado, Saló
chegou ao fim em 25/04 →
Mussolini tentou fugir, mas
foi capturado e executado
por partisans (guerrilheiros
comunistas) italianos em
28/04/1945.
A República Social
Italiana (1943-45)
era um Estado
títere alemão.
39
• Cadáver exposto de Mussolini, sua amante
Clara Petacci e outros líderes fascistas.
“DIA D” – 06 DE JUNHO DE
1944
40
A Operação
Overlord foi
definida na
Conferência
de Teerã. Tropas de várias nacionalidades
desembarcaram na Normandia
41
Em 25 de agosto, Paris estava nas mãos dos
aliados. Estava aberta a corrida para Berlim.
L
I
B
E
R
A
Ç
Ã
O
D
E
P
A
R
I
S
42
Mulheres acusadas de “colaboração
horizontal” (serem amantes de alemães)
sofreram humilhação pública na França.
BOMBARDEIO DE DRESDEN
13-15/02/1945
43
Estima-se em até 25 mil o número de baixas civis.
OS RUSSOS TOMAM BERLIM
44
OPERAÇÃO PAPERCLIP
45
• Soviéticos e americanos
fizeram o possível para se
apossar de cientistas e
material de pesquisa
nazistas.
• Os americanos chamaram de
Operação Paperclip essa
corrida aos segredos
nazistas.
• Alguns cientistas nazistas,
cujos passados foram
“apagados”, deram grande
impulso às pesquisas do
início da Guerra Fria e alguns
deles tiveram papel
importante na corrida
espacial.
Wernher von
Braun, cientista
nazista.
A GUERRA NO PACÍFICO
46
• Batalha do Mar de Coral (4-8/05/1942) →
primeiro teste para a marinha japonesa.
• Batalha de Midway (4-7/06/1942) → 1ª vitória
americana → Japão perdeu 4 porta-aviões.
• Batalha de Guadalcanal (08/1942-02/1943) →
batalha terrestre e naval → virada da guerra.
• Batalha de Iwo Jima (fevereiro-março de 1945)
→ desembarque em solo japonês.
• Batalha de Okinawa (abril-junho de 1945) →
grandes baixas para ambos os lados.
• Bombardeios de Hiroshima e Nagasaki (6 e 9
de agosto).
• Rendição Japonesa (15/08/1945) → o imperador
Hiroito vai à rádio e anuncia o “cesar fogo”.
KAMIKAZES
47
• Pilotos suicidas japoneses,
tiveram importante papel
no fim da guerra → cerca
de 2.525 kamikaze
morreram; 4.900 soldados
aliados foram mortos e
mais de 4.000 feridos.
• Segundo a propaganda
japonesa foram afundados
81 navios e outros 195
sofreram danos → os
americanos registram 34
barcos afundados e 368
danificados.
HIROSHIMA EM TRÊS
MOMENTOS
48
SOBREVIVENTE DA BOMBA DE
HIROSHIMA
49
HOLOCAUSTO: A SOLUÇÃO
FINAL
50
Mapas dos campos de extermínio e rotas de deportação
HOLOCAUSTO: A
SOLUÇÃO FINAL
51
Ciganos aguardando
transporte para um
campo de extermínio.
Judeus em um
campo de
extermínio.
HOLOCAUSTO: A SOLUÇÃO
FINAL
52
• Campo de concentração → Construídos pelos
nazistas em todos os territórios ocupados.
Abrigavam prisioneiros de guerra e outros
“criminosos”, que poderiam ser submetidos à
trabalhos forçados ou estarem aguardando
transferência. Ex.: Dachau, Belsen e
Ravensbrück (feminino).
• Campo de extermínio → A maioria dos que
chegavam eram imediatamente executados.
Judeus em sua grande maioria, mas, também,
ciganos. Os campos de extermínio foram
Auschwitz-Birkenau ou Auschwitz II; Bełżec;
Chełmno; Majdanek; Sobibór; e Treblinka.
HOLOCAUSTO: A SOLUÇÃO
FINAL
53
CRIANÇAS
ANÔNIMAS
Anne Frank
HOLOCAUSTO: OS CAMPOS DE
MORTE
54
Forno
CrematórioOs trens partiam
lotados para o Leste.
Poucos retornavam.
HOLOCAUSTO: OS CAMPOS
DE MORTE
55
CRIMES DE GUERRA
JAPONESES
56
• Diferente do que aconteceu com os crimes de
guerra alemães, os cometidos pelos japoneses
permanecem quase desconhecidos.
• Os japoneses cometeram massacres de
população civil (Ex.: o Estupro de Nanquim),
usaram armas biológicas contra civis, fizeram
pesquisas com seres humanos em larga
escala (Unidade 731).
• Shiro Ishii, comandante da Unidade 731,
recebeu imunidade dos norte americanos em
troca de seus segredos de pesquisa. Chineses
e soviéticos o queriam executado.
57
“Mulheres do conforto” coreanas encontram-se com o
Papa Francisco em 2014. Prostituídas à força, elas
exigem compensações do Governo Japonês, que alega
que elas eram “necessárias ao bem estar das tropas”.
CRIMES DE GUERRA
JAPONESES
58
• Os EUA pouparam os membros da família
imperial e outras personagens chave de
punição por seus crimes de guerra.
• Até hoje, as principais vítimas, os chineses,
coreanos do sul e do norte, filipinos, e outros,
pleiteiam compensações.
• Ocidentais e soviéticos também foram vítimas,
inclusive da Unidade 731.
• A atual política do governo japonês –
nacionalista e de direita – é negar os crimes
ou tentar atenuá-los, inclusive omitindo-os dos
livros escolares.
59
DESDOBRAMENTOS DA 2ª
GUERRA MUNDIAL
• Estupros em massa cometidos pelas tropas
aliadas na Alemanha (principalmente, os
soviéticos) e na Itália (principalmente, os
franceses → Goumiers → tropas
marroquinas.)
• Destruição da infra-estrutura dos países
europeus que participaram da guerra;
• Milhares de homens ficaram trabalhando
como escravos nos países vencedores
durante meses;
• Julgamentos de Nuremberg (20/11/1945-
1/10/1946) e de Tóquio (3/5/1946-12/11/1948).
60
DESDOBRAMENTOS DA
2ªGUERRA MUNDIAL
• Divisão política da Alemanha;
• Divisão política da Coréia;
• Enfraquecimento das potências da Europa
Ocidental;
• Criação da ONU (Organização das Nações
Unidas) em 24 de outubro de 1945 com 51
estados membros.
• A URSS torna-se uma superpotência;
• Divisão do Mundo entre EUA e URSS →
Guerra Fria.
• Aceleração do processo de descolonização
Afro-Asiática;
61
QUADRINHOS E A SEGUNDA
GUERRA
• A II Guerra Mundial
mobilizou a indústria dos
quadrinhos norte
americana e, até hoje,
alguns heróis patrióticos
estão em atividade. O
maior exemplo é, sem
dúvida, o Capitão América.
• A edição #1 do herói
(Março/1941) é bem
emblemática disso.
• No entanto, a todos os
heróis da época irão se
envolver na campanha
contra o nazismo.
62
QUADRINHOS E A SEGUNDA
GUERRA
• Outro tipo de quadrinho
relacionado à II Guerra é o
que fala dela com alguma
afastamento temporal.
• Um dos exemplos mais
notáveis é é Maus, de Art
Spiegelman.
• O autor narra, usando
animais como
personagens, as
memórias de seu pai, um
judeu sobrevivente do
Holocausto.
63
QUADRINHOS E A SEGUNDA
GUERRA
• Já o mangá Gen
Pés-Descalços
(Hadashi no Gen)
é uma poderosa
crítica ao
belicismo do
Japão Imperial, a
opressão à
população
japonesa e, mais
ainda, uma viva
memória de um
sobrevivente da
bomba de
Hiroshima.
64
Keiji Nakazawa, autor de Gen, faz
um relato fiel sobre os efeitos da
bomba atômica sobre os

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Kéliton Ferreira
 
2ª guerra mundial (1939 45)
2ª guerra mundial (1939 45)2ª guerra mundial (1939 45)
2ª guerra mundial (1939 45)
Ferdinando Scappa
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Valéria Shoujofan
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
Marcos Azevedo
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
7 de Setembro
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Douglas Barraqui
 
Ditaduras na america latina
Ditaduras na america latinaDitaduras na america latina
Ditaduras na america latina
Isabel Aguiar
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
joana71
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Janaína Tavares
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
Edenilson Morais
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
Elaine Bogo Pavani
 
Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
marcosfm32
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
eiprofessor
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Isabel Aguiar
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
cattonia
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Alan
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
Fabiana Tonsis
 

Mais procurados (20)

Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
 
2ª guerra mundial (1939 45)
2ª guerra mundial (1939 45)2ª guerra mundial (1939 45)
2ª guerra mundial (1939 45)
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
Ditaduras na america latina
Ditaduras na america latinaDitaduras na america latina
Ditaduras na america latina
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
 

Destaque

PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferentePPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
josafaslima
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
Jorge Almeida
 
Slide aula da segunda guerra mundial
Slide aula da segunda guerra mundialSlide aula da segunda guerra mundial
Slide aula da segunda guerra mundial
AllexEleuterio
 
Arte Sec Xx
Arte Sec XxArte Sec Xx
Arte Sec Xx
jassis
 
A I Guerra Mundial
A I Guerra MundialA I Guerra Mundial
A I Guerra Mundial
CPH
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
Sílvia Mendonça
 
Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2
Maria João Carlos
 
Física lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnéticaFísica lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnética
Felipe Bueno
 
Ecologia
Ecologia  Ecologia
Ecologia
Vanessa Anzolin
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
Maria Barroso
 
Lei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De FaradayLei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De Faraday
dalgo
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
eiprofessor
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
Wanderson Saraiva de Paula
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
Paulo Filho
 
Governo jk - Disma
Governo jk - DismaGoverno jk - Disma
Governo jk - Disma
Dismael Sagás
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
fisicaatual
 
A Nova República (1985-)
A Nova República (1985-)A Nova República (1985-)
A Nova República (1985-)
Isaquel Silva
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Janaína Tavares
 
O governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slideO governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slide
Neena Gomes
 

Destaque (20)

PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferentePPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 
Slide aula da segunda guerra mundial
Slide aula da segunda guerra mundialSlide aula da segunda guerra mundial
Slide aula da segunda guerra mundial
 
Arte Sec Xx
Arte Sec XxArte Sec Xx
Arte Sec Xx
 
A I Guerra Mundial
A I Guerra MundialA I Guerra Mundial
A I Guerra Mundial
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
 
Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2Riscos e catástrofes naturais 2
Riscos e catástrofes naturais 2
 
Física lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnéticaFísica lei de lenz e indução eletromagnética
Física lei de lenz e indução eletromagnética
 
Ecologia
Ecologia  Ecologia
Ecologia
 
Milagre Economico
Milagre EconomicoMilagre Economico
Milagre Economico
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 
Lei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De FaradayLei De InduçãO De Faraday
Lei De InduçãO De Faraday
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Governo jk - Disma
Governo jk - DismaGoverno jk - Disma
Governo jk - Disma
 
Indução eletromagnética
Indução eletromagnéticaIndução eletromagnética
Indução eletromagnética
 
A Nova República (1985-)
A Nova República (1985-)A Nova República (1985-)
A Nova República (1985-)
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
O governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slideO governo de juscelino kubitschek slide
O governo de juscelino kubitschek slide
 

Semelhante a Segunda Guerra Mundial

Segunda Guerra Mundial (segunda versão)
Segunda Guerra Mundial (segunda versão)Segunda Guerra Mundial (segunda versão)
Segunda Guerra Mundial (segunda versão)
Valéria Shoujofan
 
II GUERRA MUNDIAL
II GUERRA MUNDIALII GUERRA MUNDIAL
II GUERRA MUNDIAL
BarretoOtto
 
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Valéria Martorelli Assis
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Elaine Bogo Pavani
 
SEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptx
SEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptxSEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptx
SEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptx
Carvalho Junior Carvalho Junior
 
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
historiando
 
História - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra MundialHistória - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra Mundial
Carson Souza
 
Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)
Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)
Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)
Julia Rech
 
A 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundialA 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundial
ceufaias
 
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
Valéria Shoujofan
 
A ii guerra_mundial
A ii guerra_mundialA ii guerra_mundial
A ii guerra_mundial
guest875f799
 
A segunda Guerra Mundial
A segunda Guerra MundialA segunda Guerra Mundial
A segunda Guerra Mundial
124b
 
A Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra MundialA Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra Mundial
124b
 
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Daniel Oliveira
 
A Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra MundialA Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra Mundial
joaomarcelocosta
 
3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf
3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf
3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf
Elizeu filho
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
harlissoncarvalho
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
viniciusbarbosalima
 

Semelhante a Segunda Guerra Mundial (20)

Segunda Guerra Mundial (segunda versão)
Segunda Guerra Mundial (segunda versão)Segunda Guerra Mundial (segunda versão)
Segunda Guerra Mundial (segunda versão)
 
II GUERRA MUNDIAL
II GUERRA MUNDIALII GUERRA MUNDIAL
II GUERRA MUNDIAL
 
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)3º ano   segunda guerra mundial (1939 – 1945)
3º ano segunda guerra mundial (1939 – 1945)
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
SEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptx
SEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptxSEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptx
SEGUNDA GUERRA MUNDAL.pptx
 
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
 
História - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra MundialHistória - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra Mundial
 
Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)
Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)
Segunda Guerra Mundial (COMPLETO)
 
A 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundialA 2ª guerra mundial
A 2ª guerra mundial
 
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
 
A ii guerra_mundial
A ii guerra_mundialA ii guerra_mundial
A ii guerra_mundial
 
A segunda Guerra Mundial
A segunda Guerra MundialA segunda Guerra Mundial
A segunda Guerra Mundial
 
A Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra MundialA Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra Mundial
 
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
2ª guerra mundial 1939 a 1945 sldsh
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
A Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra MundialA Ii Guerra Mundial
A Ii Guerra Mundial
 
3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf
3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf
3ano-segundaguerramundial19391945-130909092708-.pdf
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 

Mais de Valéria Shoujofan

América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
Valéria Shoujofan
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Valéria Shoujofan
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Valéria Shoujofan
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Valéria Shoujofan
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Valéria Shoujofan
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Valéria Shoujofan
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Valéria Shoujofan
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Valéria Shoujofan
 
Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)
Valéria Shoujofan
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVII
Valéria Shoujofan
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
Valéria Shoujofan
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Valéria Shoujofan
 
Revoltas Emancipacionistas
Revoltas EmancipacionistasRevoltas Emancipacionistas
Revoltas Emancipacionistas
Valéria Shoujofan
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
Valéria Shoujofan
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Valéria Shoujofan
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Valéria Shoujofan
 
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Valéria Shoujofan
 
Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1
Valéria Shoujofan
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Valéria Shoujofan
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVI
Valéria Shoujofan
 

Mais de Valéria Shoujofan (20)

América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
 
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptxEntre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
Entre Negociações, Reiterações e Transgressões.pptx
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas EsclarecidosIluminismo e Déspotas Esclarecidos
Iluminismo e Déspotas Esclarecidos
 
Primeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução IndustrialPrimeira e Segunda Revolução Industrial
Primeira e Segunda Revolução Industrial
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
 
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução AgrícolaInglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
Inglaterra: Revolução Científica e Revolução Agrícola
 
Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)Reformas Religiosas (novo)
Reformas Religiosas (novo)
 
Revoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVIIRevoluções Inglesas - século XVII
Revoluções Inglesas - século XVII
 
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICACONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO (XIV-XVII): ÁFRICA ATLÂNTICA
 
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
Conquista e Colonização das Américas (1º ano)
 
Revoltas Emancipacionistas
Revoltas EmancipacionistasRevoltas Emancipacionistas
Revoltas Emancipacionistas
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
 
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro ReinadoIndependência do Brasil e Primeiro Reinado
Independência do Brasil e Primeiro Reinado
 
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e CruzadasRenascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
Renascimento Urbano e Comercial e Cruzadas
 
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
Sistema feudal - Igreja Católica - Parte 2
 
Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1Sociedade feudal - Parte 1
Sociedade feudal - Parte 1
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
 
Reformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVIReformas religiosas do Século XVI
Reformas religiosas do Século XVI
 

Último

“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 

Último (20)

“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 

Segunda Guerra Mundial

  • 2. A 2ª GUERRA MUNDIAL (1939-1945) •Antecedentes:  Tratado de Versalhes;  Revolução Russa de 1917;  Fascismo e Nazismo;  Crise Econômica de 1929;  Antissemitismo;  Política do Espaço Vital;  Política do Apaziguamento;  Expansionismo Japão X EUA; 2
  • 3. CONDUTORES DA GUERRA 3 HIROHITO MUSSOLINI HITLER STALIN CHURCHILL ROOSEVELT TRUMAN
  • 4. INVASÃO ITALIANA NA ABISSÍNIA 4  Depois de vários conflitos, os italianos conquistaram a Etiópia em outubro de 1935.  A Liga das Nações não apresentou oposição consistente.  O domínio italiano na região nunca foi total e as guerrilhas etíopes foram usadas pelos ingleses na II Guerra.
  • 5. INVASÃO ITALIANA NA ABISSÍNIA 1935 5 Batalha de Adwa – Em 1896, os italianos foram derrotados pelo exército da Abissínia.
  • 7. INVASÃO JAPONESA NA CHINA 1937 7 BOMBARDEIO DE XANGAI Segunda Guerra Sino-Japonesa (1937-1945) A ação imperialista japonesa na China iniciou-se no século XIX → a invasão começa em 1931 e a ocupação total em 1937.
  • 8. INVASÃO JAPONESA NA CHINA 1937 ESTUPRO DE NANQUIM 8
  • 9. INVASÃO JAPONESA NA CHINA 1937 ESTUPRO DE NANQUIM: Pelo menos 200 mil chineses foram mortos nas seis semanas seguintes à invasão da capital, muitos dos quais civis indefesos. As autoridades de Pequim sustentam que o número de vítimas fatais chegou a 300 mil. Cerca de 20 mil mulheres foram estupradas e mortas, entre elas crianças com menos de 10 anos de idade. Grupos de centenas de chineses eram reunidos e metralhados pelas tropas invasoras. Vários outros foram decapitados com espadas em “competições” realizadas por oficiais japoneses. 9
  • 10. INVASÃO DA POLÔNIA (01/09/1939) 10 Batalha da Polônia → a Alemanha exige a devolução da zona do "corredor polonês" e do porto de Danzig (atual Gdansk) → a negativa do governo polonês, cria um álibi para justificar a invasão, um suposto ataque a uma estação de rádio. A URSS invade a Polônia pelo leste em 17 de setembro. Pacto Ribbentrop- Molotov → 23 de agosto → pacto de não-agressão germano-soviético.
  • 11. AVANÇO DA GUERRA • Desrespeito ao Tratado de Munique → França e Grã-Bretanha declaram guerra à Alemanha. • 04/1940: Ocupação da Noruega e Dinamarca e, em seguida, Bélgica e Holanda. • 03/06/1940: Retirada de Dunquerque. • 14/06/1940: Tomada de Paris. 11 • 14/10/1939: Ataque do U47 à base de Scapa Flow – 833 mortos.
  • 12. • Hitler em Paris → 23 de maio de 1940. 12
  • 13. FRANÇA NAZISTA? • O Sul da França assinou um armistício com os nazistas que criou a República de Vichy (1940-44). • Tratava-se de um Estado Facista e colaboracionista comandado pelo Marechal Pétain. 13
  • 14. GUERRA GRECO-ITALIANA (28/10/1940-06/04/1941) • A resistência grega (com apoio britânico) contém os italianos. • A Alemanha é obrigada a invadir a Iugoslávia para chegar até a Grécia (com o apoio da Bulgária). • Apesar da derrota, Mussolini usa a guerra na sua propaganda do Mare Nostrum. 14 A Itália invade a Albânia (04/1939) e usa seu território para atacar a Grécia (28/10/1940)
  • 15. A OCUPAÇÃO DO BÁLTICO Enquanto todos olhavam para a Alemanha, a URSS ocupava o Báltico (14-17/06/1940). 15
  • 16. URSS X FINLÂNDIA • Finlândia → aliada da Alemanha. • Guerra de Inverno (30/11/1939- 13/03/1940) → Invasão soviética → a resistência usa snipers e táticas de guerrilha na neve → o desgaste é grande e a URSS negocia a paz → a Finlândia cede 10% do seu território, e 20% da sua capacidade industrial → Carélia Oriental, onde estava a cidade de Viipuri, mais industrializada e a segunda maior do país. 16 Simo Häyhä, sniper finlandês. 505 soviéticos foram mortos por ele.
  • 17. URSS X FINLÂNDIA • Guerra da Continuação (25/06/1941-19/09/1944) → Finlândia ataca a URSS com o apoio da Alemanha → 19 de Setembro → armistício → USSR desmobiliza imediatamente o seu exército, os alemães deveriam deixar a Finlândia em 14 dias → diante da recusa, os finlandeses atacam os antigos aliados. • A Finlândia recuperou as fronteiras de 1940, com a adição de outros territórios, a URSS teve que limpar os campos minados na Carelia e do Golfo da Finlândia → uma longa operação concluída somente em 1952. • Diferente de outros países, a Finlândia manteve sua soberania. 17
  • 18. A BATALHA DA INGLATERRA • "Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos“. Churchill. 18
  • 19. A BATALHA DA INGLATERRA • Depois da retirada de Dunquerque, o alemães tentam quebrar o poderio aéreo inglês em uma sucessão de bombardeios. • Começando em 10 de julho, os bombardeios seguiram-se até novembro, com destaque para 24 de agosto (bombardeio acidental de Londres) e 15 de setembro (ataque com força máxima da Luftwaffe). • As defesas inglesas não caíram e a batalha é considerada o primeiro revés alemão. 19
  • 20. AFRIKA KORPS • Com a França ocupada, Mussolini viu a oportunidade de invadir o Norte da África sem a oposição francesa, mas a reação dos ingleses estrangulou as tropas italianas. • Os alemães criam então o Afrika Korps (12/02/1941-13/05/1943) que, com recursos limitados, teve surpreendente desempenho. • A invasão dos aliados ao Marrocos e a pressão sobre os alemães dentro da Europa, levou à dissolução do Afrika Korps. 20 Erwin Johannes Eugen Rommel, a Raposa do Deserto
  • 21. O HORROR DA GUERRA EM FORMA DE ARTE 21 Salvador Dalí: A Face da Guerra (1940-41)
  • 22. HITLER E O GRANDE MUFTI DE JERUSALÉM 22 Encontro com Hitler em dezembro de 1941. Ajudou a recrutar tropas bósnias para os nazistas, assim como as tropas livres com voluntários árabes. Defendeu o extermínio dos judeus.
  • 23. A FRENTE ORIENTAL • Em 22 de junho de 1941, os alemães rompem o pacto com os soviéticos e iniciam a Operação Barbarossa. • O deslocamento alemão foi extremamente rápido e as baixas soviéticas consideráveis. 23 • A superioridade militar alemã era muito grande, mas os soviéticos compensaram com enormes sacrifícios.
  • 24. RESISTÊNCIA E REAÇÃO SOVIÉTICA • A reação soviética dependeu e muito da coragem de civis, como Zoya Anatolyevna Kosmodemyanskaya. • A adolescente de 18 anos, tornou-se guerrilheira, foi capturada e enforcada pelos alemães. Seu corpo foi deixado exposto. • Tornou-se heroína nacional, servindo de inspiração para a resistência. 24
  • 25. BATALHAS DA FRENTE ORIENTAL • Cerco de Leningrado – 8/09/1941 a 27/01/1944. • Batalha de Stalingrado – 17/07/1942 a 02/02/1943 → mais de 2 milhões de mortos civis e militares. • Batalha de Kursk – 4-22/07/1943 → maior batalha de blindados de todos tempos. • Operação Bagration – 22/06-19/08/1944. • Batalha de Berlim – 16/04-02/05/1945 → Alemanha se rendeu seis dias depois do fim da batalha. 25
  • 26. ASES E SNIPERS 26 Roza Shanina (1924- 45), alvejou 54 alemães, altamente condecorada, morreu protegendo seu comandante ferido. Lydia Litvyak (1921-43), a Rosa Branca de Stalingrado. Os alemães chamavam as soviéticas de “Bruxas da Noite”. Yekaterina Budanova (1916-43), junto com Lydia Litvyak é uma das duas únicas mulheres ases de guerra.
  • 28. AMERICANOS NA GUERRA • 7 de dezembro de 1941, ataque japonês à Pearl Harbor. Os EUA entra na guerra. 28
  • 29. Em 1942, Roosevelt assinou a lei 9066 obrigando a remoção de cerca de 117.000 cidadãos nipo- americanos para campos prisão. Foi uma violação de seus direitos civis, muitos perderam seus bens. 29
  • 30. A segregação racial vigorava entre as tropas dos EUA. O Tuskegee Airmen eram pilotos negros do 447º Grupamento de Bombardeio. 30
  • 31. Já o 442º Regimento, o mais condecorado do Exército Americano na Europa, era formado, principalmente, por nipo-americanos. 31
  • 32. As mulheres norte americanas e britânicas serviram como enfermeiras ou em forças auxiliares. Cartaz de recrutamento e foto de um grupo de WASP (Women Airforce Service Pilots) 32 AS MULHERES NO ESFORÇO DE GUERRA ALIADO
  • 33. 33 AS MULHERES NO ESFORÇO DE GUERRA ALIADO Mulheres também foram convoca das a ocupar postos de trabalho nas fábricas.
  • 34. 34 Quando princesa, a Rainha Elizabeth II serviu nas tropas auxiliares britânicas. Ela é o único chefe de estado que serviu na Segunda Guerra Mundial a ainda vivo.
  • 36. PRINCIPAIS CONFERÊNCIAS • Acordo do Atlântico – 14/08/1941 – EUA e Reino Unido discutem entrada dos americanos na guerra. • Conferência de Teerã – 28/11-01/12/1943 – reconhecimentos de fronteiras, desembarque na França, partilha da Europa. • Conferência de Yalta – 02/1945 – definir áreas de influência, a partilha da Alemanha. • Conferência de Potsdam – 17/07-02/08/1945 – divisão do território alemão e punições ao país. 36
  • 37. CHURCHIL, ROOSEVELT E STALIN 37 Conferência de Yalta no Sul da Rússia
  • 38. REPÚBLICA DE SALÓ 38 • Com a invasão da Itália em 1943, Mussolini perdeu apoio político e o rei Victor Emanuel III mandou prendê- lo → Resgatado pelos alemães recebeu o governo do novo Estado. • Com o avanço aliado, Saló chegou ao fim em 25/04 → Mussolini tentou fugir, mas foi capturado e executado por partisans (guerrilheiros comunistas) italianos em 28/04/1945. A República Social Italiana (1943-45) era um Estado títere alemão.
  • 39. 39 • Cadáver exposto de Mussolini, sua amante Clara Petacci e outros líderes fascistas.
  • 40. “DIA D” – 06 DE JUNHO DE 1944 40 A Operação Overlord foi definida na Conferência de Teerã. Tropas de várias nacionalidades desembarcaram na Normandia
  • 41. 41 Em 25 de agosto, Paris estava nas mãos dos aliados. Estava aberta a corrida para Berlim. L I B E R A Ç Ã O D E P A R I S
  • 42. 42 Mulheres acusadas de “colaboração horizontal” (serem amantes de alemães) sofreram humilhação pública na França.
  • 43. BOMBARDEIO DE DRESDEN 13-15/02/1945 43 Estima-se em até 25 mil o número de baixas civis.
  • 44. OS RUSSOS TOMAM BERLIM 44
  • 45. OPERAÇÃO PAPERCLIP 45 • Soviéticos e americanos fizeram o possível para se apossar de cientistas e material de pesquisa nazistas. • Os americanos chamaram de Operação Paperclip essa corrida aos segredos nazistas. • Alguns cientistas nazistas, cujos passados foram “apagados”, deram grande impulso às pesquisas do início da Guerra Fria e alguns deles tiveram papel importante na corrida espacial. Wernher von Braun, cientista nazista.
  • 46. A GUERRA NO PACÍFICO 46 • Batalha do Mar de Coral (4-8/05/1942) → primeiro teste para a marinha japonesa. • Batalha de Midway (4-7/06/1942) → 1ª vitória americana → Japão perdeu 4 porta-aviões. • Batalha de Guadalcanal (08/1942-02/1943) → batalha terrestre e naval → virada da guerra. • Batalha de Iwo Jima (fevereiro-março de 1945) → desembarque em solo japonês. • Batalha de Okinawa (abril-junho de 1945) → grandes baixas para ambos os lados. • Bombardeios de Hiroshima e Nagasaki (6 e 9 de agosto). • Rendição Japonesa (15/08/1945) → o imperador Hiroito vai à rádio e anuncia o “cesar fogo”.
  • 47. KAMIKAZES 47 • Pilotos suicidas japoneses, tiveram importante papel no fim da guerra → cerca de 2.525 kamikaze morreram; 4.900 soldados aliados foram mortos e mais de 4.000 feridos. • Segundo a propaganda japonesa foram afundados 81 navios e outros 195 sofreram danos → os americanos registram 34 barcos afundados e 368 danificados.
  • 49. SOBREVIVENTE DA BOMBA DE HIROSHIMA 49
  • 50. HOLOCAUSTO: A SOLUÇÃO FINAL 50 Mapas dos campos de extermínio e rotas de deportação
  • 51. HOLOCAUSTO: A SOLUÇÃO FINAL 51 Ciganos aguardando transporte para um campo de extermínio. Judeus em um campo de extermínio.
  • 52. HOLOCAUSTO: A SOLUÇÃO FINAL 52 • Campo de concentração → Construídos pelos nazistas em todos os territórios ocupados. Abrigavam prisioneiros de guerra e outros “criminosos”, que poderiam ser submetidos à trabalhos forçados ou estarem aguardando transferência. Ex.: Dachau, Belsen e Ravensbrück (feminino). • Campo de extermínio → A maioria dos que chegavam eram imediatamente executados. Judeus em sua grande maioria, mas, também, ciganos. Os campos de extermínio foram Auschwitz-Birkenau ou Auschwitz II; Bełżec; Chełmno; Majdanek; Sobibór; e Treblinka.
  • 54. HOLOCAUSTO: OS CAMPOS DE MORTE 54 Forno CrematórioOs trens partiam lotados para o Leste. Poucos retornavam.
  • 56. CRIMES DE GUERRA JAPONESES 56 • Diferente do que aconteceu com os crimes de guerra alemães, os cometidos pelos japoneses permanecem quase desconhecidos. • Os japoneses cometeram massacres de população civil (Ex.: o Estupro de Nanquim), usaram armas biológicas contra civis, fizeram pesquisas com seres humanos em larga escala (Unidade 731). • Shiro Ishii, comandante da Unidade 731, recebeu imunidade dos norte americanos em troca de seus segredos de pesquisa. Chineses e soviéticos o queriam executado.
  • 57. 57 “Mulheres do conforto” coreanas encontram-se com o Papa Francisco em 2014. Prostituídas à força, elas exigem compensações do Governo Japonês, que alega que elas eram “necessárias ao bem estar das tropas”.
  • 58. CRIMES DE GUERRA JAPONESES 58 • Os EUA pouparam os membros da família imperial e outras personagens chave de punição por seus crimes de guerra. • Até hoje, as principais vítimas, os chineses, coreanos do sul e do norte, filipinos, e outros, pleiteiam compensações. • Ocidentais e soviéticos também foram vítimas, inclusive da Unidade 731. • A atual política do governo japonês – nacionalista e de direita – é negar os crimes ou tentar atenuá-los, inclusive omitindo-os dos livros escolares.
  • 59. 59
  • 60. DESDOBRAMENTOS DA 2ª GUERRA MUNDIAL • Estupros em massa cometidos pelas tropas aliadas na Alemanha (principalmente, os soviéticos) e na Itália (principalmente, os franceses → Goumiers → tropas marroquinas.) • Destruição da infra-estrutura dos países europeus que participaram da guerra; • Milhares de homens ficaram trabalhando como escravos nos países vencedores durante meses; • Julgamentos de Nuremberg (20/11/1945- 1/10/1946) e de Tóquio (3/5/1946-12/11/1948). 60
  • 61. DESDOBRAMENTOS DA 2ªGUERRA MUNDIAL • Divisão política da Alemanha; • Divisão política da Coréia; • Enfraquecimento das potências da Europa Ocidental; • Criação da ONU (Organização das Nações Unidas) em 24 de outubro de 1945 com 51 estados membros. • A URSS torna-se uma superpotência; • Divisão do Mundo entre EUA e URSS → Guerra Fria. • Aceleração do processo de descolonização Afro-Asiática; 61
  • 62. QUADRINHOS E A SEGUNDA GUERRA • A II Guerra Mundial mobilizou a indústria dos quadrinhos norte americana e, até hoje, alguns heróis patrióticos estão em atividade. O maior exemplo é, sem dúvida, o Capitão América. • A edição #1 do herói (Março/1941) é bem emblemática disso. • No entanto, a todos os heróis da época irão se envolver na campanha contra o nazismo. 62
  • 63. QUADRINHOS E A SEGUNDA GUERRA • Outro tipo de quadrinho relacionado à II Guerra é o que fala dela com alguma afastamento temporal. • Um dos exemplos mais notáveis é é Maus, de Art Spiegelman. • O autor narra, usando animais como personagens, as memórias de seu pai, um judeu sobrevivente do Holocausto. 63
  • 64. QUADRINHOS E A SEGUNDA GUERRA • Já o mangá Gen Pés-Descalços (Hadashi no Gen) é uma poderosa crítica ao belicismo do Japão Imperial, a opressão à população japonesa e, mais ainda, uma viva memória de um sobrevivente da bomba de Hiroshima. 64 Keiji Nakazawa, autor de Gen, faz um relato fiel sobre os efeitos da bomba atômica sobre os