Abordagem sistêmica

12.567 visualizações

Publicada em

Teoria Geral dos Sistemas

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.567
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
235
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abordagem sistêmica

  1. 1. Abordagem Sistêmica Teoria dos Sistemas
  2. 2. Origem A Teoria dos Sistemas (TGS) surgiu com os trabalhos do biólogo alemão Ludwig Von Bertalanffy, entre 1950 e 1968
  3. 3. Pressupostos      Existe uma nítida tendência para a integração nas várias ciências naturais e sociais; Essa integração parece orientar-se rumo a uma teoria dos sistemas; Essa teoria de sistemas pode ser uma maneira mais abrangente de estudar os campos não físicos do conhecimento científico, especialmente as ciências sociais; Essa teoria de sistemas, ao desenvolver princípios unificadores que atravessam verticalmente os universos particulares das diversas ciências envolvidas, aproxima-nos do objetivo da unidade da ciência; Isso pode levar a uma integração muito necessária da educação científica.
  4. 4. Conceito Principal VISÃO SISTÊMICA Organização como um todo “o todo é maior do que a soma das partes...’ VISÃO CLÁSSICA RH FIN CO N
  5. 5. Teoria Geral dos Sistemas   A teoria dos sistemas começou a ser aplicada na administração principalmente em função da necessidade de uma síntese e uma maior integração das teorias anteriores (Científicas e Relações Humanas, Estruturalista e Comportamental oriundas das Ciências Sociais) e da intensificação do uso da cibernética e da tecnologia da informação nas empresas. Os sistemas vivos, sejam indivíduos ou organizações, são analisados como “sistema abertos”, mantendo um continuo intercâmbio de matéria/energia/informação com o ambiente. A Teoria de Sistema permite reconceituar os fenômenos em uma abordagem global, permitindo a inter-relação e integração de assuntos que são, na maioria das vezes, de natureza completamente diferentes.
  6. 6. Tipos de Sistemas  Físicos ou Concretos: São compostos de equipamentos, maquinaria etc. (máquinas, software)  Abstratos ou conceituais: São oriundos de idéias, conceitos, planos. Interessante observar que os sistemas físicos necessitam dos abstratos para funcionar e vice-versa
  7. 7. A natureza dos sistemas  Fechados: São sistemas que não permitem o intercâmbio com a natureza, o meio ambiente. Ex: Matemática (1+1 = 2)  Abertos: São sistemas que representam o intercâmbio com o meio externo, seja pela entrada ou pela saída (matéria prima ou produto acabado)
  8. 8. Características das Organizações     Comportamento probabilístico: As organizações sempre são afetadas pelas variáveis externas cujas mesmas são incontroláveis e imprevisíveis. Interdependência entre as partes: uma organização não é um sistema mecânico, no qual uma das partes pode ser mudada sem um efeito concomitante sobre as outras Parte de uma sociedade maior: As organizações são vistas como parte de um sistema maior Homeostasia versus adaptabilidade: a homeostasia(auto regulação) garante a rotina e a permanência do sistema, enquanto a adaptabilidade leva a ruptura, à mudança e à inovação. Rotina e ruptura. Estabilidade e mudança.
  9. 9. Características das Organizações      Fronteiras ou limites: é a linha imaginária que serve para marcar o que está dentro e o que está fora do sistema. Morfogênese – capacidade de se modificar, de determinar o crescimento e as formas da organização, de se corrigir e de obter novos e melhores resultados Resiliência - capacidade de o sistema superar o distúrbio imposto por um fenômeno externo. As organizações, como sistemas abertos, apresentam a capacidade de enfrentar e superar perturbações externas provocadas pela sociedade sem que desapareça seu potencial de auto-organização Sinergia - esforço simultâneo de vários órgãos que provoca um resultado ampliado. A soma das partes é maior do que o todo (2 + 2 = 5 ou mais) Entropia - consequência da falta de relacionamento entre as partes de um sistema, o que provoca perdas e desperdícios. É um processo inverso a sinergia, a soma das partes é menor que o todo (2 + 2 = 3). A entropia leva o sistema à perda de energia, decomposição e desintegração.
  10. 10. Referências  CHIAVENATTO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração.
  11. 11. Peter Drucker  Uma jornada intelectual

×