Curso: Engenharia Ambiental.
Disciplina: Administração.
Docente: João Cesar Bezerra de Menezes.
Discentes: Danielly Cristi...
TEORIA DE SISTEMAS
ORIGEM DA TEORIAS DE SISTEMAS
 Karl Ludwig Von
Bertalanffy (Viena, 19
de setembro de 1901 —
Buffalo, Nova Iorque,
12 de j...
 TEORIA – É a ação de examinar, contemplar,
estudar, etc. É um mapeamento para a
observação de um fenômeno.
 GERAL – Pod...
PRESSUPOSTOS BÁSICOS DA TGS:
 A TGS não busca solucionar problemas ou tentar soluções práticas,
mas produzir teorias e fo...
 Bertalanffy, criticou a visão que se tem do mundo
dividida em diferentes áreas, como Física, Química,
Biologia, Psicolog...
AS TRÊS PREMISSAS BÁSICOS DA TGS:
a)Os sistemas existem dentro de sistemas.
Exemplo: Moléculas que existem dentro de célul...
 A Teoria de Sistemas introduziu-se na Teoria
Administrativa pelas seguintes razões:
1) A necessidade de uma síntese e in...
CONCEITO SE SISTEMAS
 Conjunto de elementos dinamicamente relacionados,
formando uma atividade para atingir um objetivo.
...
CARACTERÍSTICA DOS SISTEMAS
 Emergente Sistêmico: O todo apresenta proprieades e características
próprias que não estão p...
TIPOS DE SISTEMAS
1 - Quanto à sua constituição
 Físicos ou concretos: (hardware) – Podem ser descritos em
termos quantit...
2 – Quanto à sua natureza:
 Fechados: Não apresentam intercâmbio com o meio ambiente
que os circunda. (Não influencia e n...
 Entrada ou insumos (input)
 Processamento ou transformador (throughput)
 Saída ou resultado ou produto (output)
 Retr...
1. COMPORTAMENTO PROBABILÍSTICO E NÃO
DETERMINÍSTICO:
As organizações são sistemas abertos, afetados por mudanças
em seus ...
2. AS ORGANIZAÇÕES COMO PARTE DE UMA SOCIEDADE
MAIOR E CONSTITUÍDA DE PARTES MENORES:
As organizações são vistas como sist...
3. INTERDEPÊNCIA DAS PARTES:
A organização é um sistema social com partes
interdependentes, mas inter-relacionadas. As par...
4. Homeostase ou “Estado Firme”
– A organização alcança um estado firme –
ou seja, um estado de equilíbrio – quando
satisf...
HOMEOSTASE
 Homeostasia
Tendência do sistema permanecer estático ou em equilíbrio,
mantendo inalterado o seu status quo i...
 A homeostasia garante a rotina e a adaptabilidade leva à
ruptura, mudança e a inovação.
 Manutenção e inovação são proc...
5. Fronteiras ou Limites5. Fronteiras ou Limites
As organizações temAs organizações tem
fronteiras que asfronteiras que as...
6. Morfogênese
A organização pode modificar sua
constituição e estrutura, a partir da
comparação dos resultados obtidos e ...
7. Resiliência
Capacidade de superar um distúrbio imposto por um fenômeno externo.
É a resiliência que determina o grau ...
MODELO DE KATZ E KAHN
Robert Kahn
Daniel Katz
 Organizações como um Sistema Aberto
 Importação (entradas)
 Transformação (processamento)
 Exportação (saídas)
 Sist...
 Cultura e Clima Organizacionais
 Cada organização cria sua própria cultura com seus
próprios tabus, costumes e usos.
 ...
 Dinâmica de Sistema
 A organização social cria
estruturas de recompensas, a
fim de vincular seus membros
ao sistema, es...
 Conceito de Eficácia Organizacional
 Eficiência
Quanto de entrada de uma organização resulta como
produto (saída) e qu...
 Organização como um Sistema de Papéis
 Papel é o conjunto de atividades solicitadas de um
individuo que ocupa uma deter...
MODELO SOCIOTÉCNICO DE
TAVISTOCK
 A organização é tratada como um sistema aberto, em
interação constante com seu ambiente...
ORGANIZAÇÃO
SUBSISTEMA SOCIAL
SUBSISTEMA
TÉCNICO
Instalações, planta, máquina,
equipamento, tecnologia,
etc.
Pessoas, rela...
 O modelo de sistema aberto proposto pela abordagem
sociotécnica, entende que toda organização “importa” várias
coisas do...
 Sendo a organização um sistema aberto composto
de elementos interdependentes, com capacidades de
modificar a si mesma e ...
BIBLIOGRAFIA
CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria
Geral da Administração. 6ª. Edição,
Ed. Campus.
Geral de Sistemas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Geral de Sistemas

1.553 visualizações

Publicada em

Administração:Teoria Geral de Sistemas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.553
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Tem características Próprias
  • Desta forma, um completa o outro.
  • Entrada: força impulsionadora do sistema (MATERIA- PRIMA, TALENTO HUMANO, EQUIPAMENTO)
    Saída: finalidade para a qual se reuniram elementos e relações do sistema (PRODUTOS, SERVIÇOS, RESULTADOS FINANCEIROS)
    Processamento: fenômeno que produz mudanças (ATIVIDADE OPERACIONAL E GERENCIAL)
    Retroação: compara a saída com um critério ou padrão previamente estabelecido
    Ambiente: é o meio que envolve externamente o sistema.
  • Geral de Sistemas

    1. 1. Curso: Engenharia Ambiental. Disciplina: Administração. Docente: João Cesar Bezerra de Menezes. Discentes: Danielly Cristina Alves Ingrid Honório Isabelle Barreto Karina Alves Gomes Maria Christina V. Vasconcelos Roseane Oliveira João Pessoa Março - 2014
    2. 2. TEORIA DE SISTEMAS
    3. 3. ORIGEM DA TEORIAS DE SISTEMAS  Karl Ludwig Von Bertalanffy (Viena, 19 de setembro de 1901 — Buffalo, Nova Iorque, 12 de junho de 1972), foi um biólogo austríaco e criador da Teoria geral dos sistemas. Cidadão austríaco, desenvolveu a maior parte do seu trabalho científico nos Estados Unidos.
    4. 4.  TEORIA – É a ação de examinar, contemplar, estudar, etc. É um mapeamento para a observação de um fenômeno.  GERAL – Pode ser aplicada a todo tipo de sistemas.  SISTEMAS – Conjunto de elementos, materiais ou ideais, entre os quais se possa encontrar ou definir alguma relação. Um todo organizado u complexo. Um conjunto ou combinação de coisas ou partes, formando um todo complexo ou unitário.
    5. 5. PRESSUPOSTOS BÁSICOS DA TGS:  A TGS não busca solucionar problemas ou tentar soluções práticas, mas produzir teorias e formulações conceituais para aplicação na realidade de experiências vividas, e os seus pressupostos são: a) Existe uma tendência para integração das ciências naturais e sociais. b) Esta integração parece orientar-se rumo a uma teoria dos sistemas. c) A teoria dos sistemas constitui o modo mais abrangente de estudar os campos não-físicos do conhecimento científico, como as ciências sociais. d) A teoria dos sistemas desenvolve princípios unificadores que atravessam verticalmente os universos particulares das diversas ciências envolvidas, visando ao objetivo da unidade da ciência. e) Isto conduz a uma integração na educação científica.
    6. 6.  Bertalanffy, criticou a visão que se tem do mundo dividida em diferentes áreas, como Física, Química, Biologia, Psicologia, Sociologia e etc. A TGS sugere que se deve estudar sistemas globalmente, de forma a envolver todas as suas interdependências, pois cada um dos elementos, ao serem reunidos para constituir uma unidade funcional maior, desenvolvem qualidades que não se encontram em seus componentes isolados.  “A natureza não esta dividida em nenhuma dessas partes”.
    7. 7. AS TRÊS PREMISSAS BÁSICOS DA TGS: a)Os sistemas existem dentro de sistemas. Exemplo: Moléculas que existem dentro de células, que existem dentro de tecidos, que compõem os órgãos, que compõem os organismos. b)Os sistemas são abertos. Exemplo: A troca de informações das organizações em geral e das empresas em particular. c) As funções de um sistema dependem de sua estrutura. Exemplo: O objetivo e finalidade do sistema que constitui o seu papel na interação de outros sistemas dentro do meio ambiente.
    8. 8.  A Teoria de Sistemas introduziu-se na Teoria Administrativa pelas seguintes razões: 1) A necessidade de uma síntese e integração das teorias que a precederam, esforço tentado sem muito sucesso pelas teorias estruturalistas e comportamentais. 2) A Cibernética permitiu o desenvolvimento e operacionalização das ideias que convergiam para uma teoria de sistemas aplicada à Administração. 3) Os resultados bem sucedidos da aplicação da Teoria de Sistemas nas demais ciências.
    9. 9. CONCEITO SE SISTEMAS  Conjunto de elementos dinamicamente relacionados, formando uma atividade para atingir um objetivo.  Operando sobre dados/energia/matéria para fornecer informações/energia/matéria. Causas PROBLEMAS, SITUAÇÕES E EVENTOS Efeitos
    10. 10. CARACTERÍSTICA DOS SISTEMAS  Emergente Sistêmico: O todo apresenta proprieades e características próprias que não estão presentes nos elementos isolados. Exemplo: Água.  Propósito ou objetivo: definidos pelos arranjos de suas unidades ou elementos.  Globalidade ou totalidade: qualquer estimulação em qualquer unidade do sistema afetará todas as unidades.  A complexidade do sistema define a hierarquia e o número de subsistemas que o compõem.  Não existe sistema fora de um meio especifico – meio é tudo que existe fora e ao redor do sistema e que tem alguma influência sobre a sua operação.
    11. 11. TIPOS DE SISTEMAS 1 - Quanto à sua constituição  Físicos ou concretos: (hardware) – Podem ser descritos em termos quantitativos de desempenho.  Abstratos ou conceituais: (software) – Os símbolos representam atributos e objetos, que muitas vezes só existem no pensamento das pessoas.
    12. 12. 2 – Quanto à sua natureza:  Fechados: Não apresentam intercâmbio com o meio ambiente que os circunda. (Não influencia e nem recebe influência do meio ambiente) Abertos: São os que apresentam relações de intercâmbio com o meio ambiente, através de entradas e de saídas. TIPOS DE SISTEMAS
    13. 13.  Entrada ou insumos (input)  Processamento ou transformador (throughput)  Saída ou resultado ou produto (output)  Retroação ou retroalimentação ou retroinformação (feedback)  Ambiente (environment) PARÂMETROS DOS SISTEMAS AMBIENTE ENTRADA PROCESSAMENTO SAÍDA AMBIENTE RETROAÇÃO
    14. 14. 1. COMPORTAMENTO PROBABILÍSTICO E NÃO DETERMINÍSTICO: As organizações são sistemas abertos, afetados por mudanças em seus ambientes. Por essa razão, as consequências dos sistemas são probabilísticas e não determinísticas e seu comportamento nunca é previsível. CARACTERÍSTICA DAS ORGANIZAÇÕES COMO SISTEMAS ABERTOS
    15. 15. 2. AS ORGANIZAÇÕES COMO PARTE DE UMA SOCIEDADE MAIOR E CONSTITUÍDA DE PARTES MENORES: As organizações são vistas como sistemas dentro de sistemas. Os membros de uma organização são simultaneamente membros de muitos outros grupos competidores entre si ou mantendo a lealdade complementar. CARACTERÍSTICA DAS ORGANIZAÇÕES COMO SISTEMAS ABERTOS
    16. 16. 3. INTERDEPÊNCIA DAS PARTES: A organização é um sistema social com partes interdependentes, mas inter-relacionadas. As partes precisam ser coordenadas através de meios de integração e controle. CARACTERÍSTICA DAS ORGANIZAÇÕES COMO SISTEMAS ABERTOS
    17. 17. 4. Homeostase ou “Estado Firme” – A organização alcança um estado firme – ou seja, um estado de equilíbrio – quando satisfaz dois requisitos: unidirecionalidade e progresso.  Unidirecionalidade: Apesar das mudanças do ambiente, o sistema continua orientado para o mesmo fim, usando outros meios.  Progresso: O sistema mantém, em relação ao fim desejado, um grau de progresso dentro dos limites definidos como toleráveis. CARACTERÍSTICA DAS ORGANIZAÇÕES COMO SISTEMAS ABERTOS
    18. 18. HOMEOSTASE  Homeostasia Tendência do sistema permanecer estático ou em equilíbrio, mantendo inalterado o seu status quo interno.  Adaptabilidade Mudança no sistema no sentido de ajustar-se aos padrões requeridos em sua interação com o ambiente externo, alterando o seu status quo interno para alcançar um equilíbrio frente a novas situações.
    19. 19.  A homeostasia garante a rotina e a adaptabilidade leva à ruptura, mudança e a inovação.  Manutenção e inovação são processos que devem ser implementados pela organização para garantir sua viabilidade.
    20. 20. 5. Fronteiras ou Limites5. Fronteiras ou Limites As organizações temAs organizações tem fronteiras que asfronteiras que as diferenciam dodiferenciam do ambiente. É atravésambiente. É através das fronteiras quedas fronteiras que existe a interface.existe a interface.
    21. 21. 6. Morfogênese A organização pode modificar sua constituição e estrutura, a partir da comparação dos resultados obtidos e os desejados, quando são detectados erros que devem ser corrigidos para modificar a situação.
    22. 22. 7. Resiliência Capacidade de superar um distúrbio imposto por um fenômeno externo. É a resiliência que determina o grau de defesa ou vulnerabilidade do sistema a pressões ambientais externas. Isso explica por que quando uma organização apresenta elevada resiliência, as tentativas de recauchutagem dos modelos tradicionais e burocráticos sofrem resistência ao avanço e inovação. É a imunidade organizacional contra o vírus da mudança.
    23. 23. MODELO DE KATZ E KAHN Robert Kahn Daniel Katz
    24. 24.  Organizações como um Sistema Aberto  Importação (entradas)  Transformação (processamento)  Exportação (saídas)  Sistemas são ciclos de eventos que se repetem  Entropia Negativa (perdem energia no processo)  Informação como insumo (retroalimentação)  Estado firme e homeostase dinâmica (equilíbrio entre entradas e saídas)  Diferenciação (especialização, hierarquização e diferenciação)  Equifinalidade (vários caminhos chegando a um mesmo final)  Limites ou Fronteiras (barreiras entre o sistema e o ambiente) ORGANIZAÇÕES SEGUNDO KATZ E KAHN
    25. 25.  Cultura e Clima Organizacionais  Cada organização cria sua própria cultura com seus próprios tabus, costumes e usos.  A cultura do sistema reflete normas e valores do sistema formal e sua reinterpretação pelo sistema informal.  A cultura do sistema reflete também as disputas internas e externas das pessoas que a organização atrai, seus processos de trabalho e distribuição física, as modalidades de comunicação e o exercício da autoridade, dentro do sistema.  Como herança cultural os padrões de sentimentos e crença coletivos são transmitidos aos novos membros. ORGANIZAÇÕES SEGUNDO KATZ E KAHN
    26. 26.  Dinâmica de Sistema  A organização social cria estruturas de recompensas, a fim de vincular seus membros ao sistema, estabelecem normas e valores para justificar e estimular as atividades requeridas e os dispositivos de autoridade para controlar e dirigir o comportamento organizacional. ORGANIZAÇÕES SEGUNDO KATZ E KAHN
    27. 27.  Conceito de Eficácia Organizacional  Eficiência Quanto de entrada de uma organização resulta como produto (saída) e quanto é absorvida pelo sistema. Busca incrementos através de soluções técnicas e econômicas.  Eficiência Relaciona-se com a extensão em que todas as formas de rendimento para a organização são maximizadas. Procura a maximização dos rendimentos por meios técnicos e econômicos (eficiência) e por meios políticos (não econômicos). ORGANIZAÇÕES SEGUNDO KATZ E KAHN
    28. 28.  Organização como um Sistema de Papéis  Papel é o conjunto de atividades solicitadas de um individuo que ocupa uma determinada posição em uma organização.  A organização consiste de papéis ou aglomerados de atividades esperadas dos indivíduos. ORGANIZAÇÕES SEGUNDO KATZ E KAHN
    29. 29. MODELO SOCIOTÉCNICO DE TAVISTOCK  A organização é tratada como um sistema aberto, em interação constante com seu ambiente, mais do que isso, a organização é um sistema sociotécnico estruturado sobre dois subsistemas:  Subsistema Técnico: compreende todas as variáveis tecnológicas, temporais e físicas.  Subsistema Social: compreende todas as variáveis diretamente relacionadas aos indivíduos.
    30. 30. ORGANIZAÇÃO SUBSISTEMA SOCIAL SUBSISTEMA TÉCNICO Instalações, planta, máquina, equipamento, tecnologia, etc. Pessoas, relações, aspirações, habilidades, capacidades, etc. FLUXOGRAMA DO SISTEMA TAVISTOCK
    31. 31.  O modelo de sistema aberto proposto pela abordagem sociotécnica, entende que toda organização “importa” várias coisas do meio ambiente e as utiliza no processo de conversão, para então ”exportar ” produtos e serviços.  A tecnologia é fator principal na determinação da estrutura organizacional, o subsistema técnico é responsável pela eficiência potencial da organização, entretanto o subsistema social também tem sua relevância. MODELO SOCIOTÉCNICO DE TAVISTOCK
    32. 32.  Sendo a organização um sistema aberto composto de elementos interdependentes, com capacidades de modificar a si mesma e sua estrutura (morfogênese), enfrentar e superar distúrbios, perturbações externas (resiliência), com tendência à alcançar um estado firme ou seja manter seu equilíbrio externo (homeostase), considera-se a Teoria de Sistema a que mais se adéqua, pelo fato de sua perspectiva sistêmica combinar com a preocupação estrutural- funcionalista típica das ciências sociais dos países socialistas de hoje. CONCLUSÃO
    33. 33. BIBLIOGRAFIA CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. 6ª. Edição, Ed. Campus.

    ×