SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
BONS ESTUDOS!
DESFIBRILAÇÃO
A desfibrilação imediata é o tratamento de escolha nos casos de fibrilação ou taquicardia
ventricular (FV/TV) de curta duração, associado a evento de morte súbita assistida em até 3
minutos. Após 4 minutos de parada cardíaca, a desfibrilação será mais eficaz se as manobras de
reanimação cardiopulmonar (RCP) forem iniciadas precocemente. Deverão ser realizados 5 ciclos
de compressões torácicas e ventilação (30:2), com duração de cerca de 2 minutos; e, em seguida,
deve ser avaliado o ritmo cardíaco. Aplicar pasta condutora nas pás. Na ausência da pasta pode ser
utilizada gaze umedecida em solução fisiológica. Monitorar os pacientes com as pás do aparelho.
No caso de FV/TV selecionar o nível de energia desejado para adultos, com 360J para aparelhos
monofásicos ou 120J ou 200J em bifásicos. Posicionar a pás sobre o tórax do paciente. Uma sobre o
hemitórax direito ao lado da porção superior do esterno logo abaixo da clavícula direita e a outra
sobre o hemitórax esquerdo na linha axilar anterior lateral ao mamilo. Pressionar as pás sobre a pele
para reduzir a impedância. Evitar o contato com o corpo do paciente. Contar em voz alta avisando
aos auxiliares o momento do choque. Pressionar os botões de choque. Após o choque repetir
manobras de RCP durante 5 ciclos de compressões torácicas e ventilação (30:2). Avaliar o ritmo, se
persistir com FV/TV repetir o choque com 360J para aparelhos monofásicos ou 120J ou 200J em
bifásicos. Após o choque repetir manobras de RCP durante 5 ciclos de compressões torácicas e
ventilação (30:2). Obter acesso venoso periférico. protocolos das u nidades de pronto atendimento 2
4 h oras [288] Administrar adrenalina 1 mg IV. Repetir a dose a cada 3 ou 5 minutos. Avaliar o
ritmo, se persistir com FV/TV repetir o choque com 360J para aparelhos monofásicos ou 120J ou
200J em bifásicos. Após o choque repetir manobras de RCP durante 5 ciclos de compressões
torácicas e ventilação (30:2). Considerar o uso de antiarrítmicos durante as manobras de RCP (antes
ou após o choque): amiodarona 300 mg IV em uma dose inicial, podendo ser repetido 150 mg IV
em uma dose adicional ou lidocaína com dose inicial de 1 a 1,5 mg/kg, seguido de doses adicionais
de 0,5 a 0,75 mg/kg, até o máximo de 3 doses ou 3 mg/kg. Considerar o uso de sulfato de magnésio
de 1 a 2 g IV no caso de torsades de pointes.
MASSAGEM DO SEIO CAROTÍDEO PARA REVERSÃO DA TAQUICARDIA
SUPRAVENTRICULAR PAROXÍSTICA
Evitar a realização do procedimento na presença de sopro carotídeo e história de isquemia cerebral.
Efetuar pressão e massagem gentilmente sobre o seio carotídeo direito durante dez a vinte
segundos. Tentar a manobra no lado esquerdo em caso de insucesso. Massagear sempre um seio
carotídeo por vez. Manter o paciente monitorizado, pois pode provocar bradicardia sintomática.
Estar preparado para atuar em caso de parada cardíaca ou de bradicardia sintomática.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ACLS 2010 Prática Rafael Otsuzi
ACLS 2010 Prática Rafael OtsuziACLS 2010 Prática Rafael Otsuzi
ACLS 2010 Prática Rafael OtsuziRafael Otsuzi
 
Arritmias Acls 2005 VersãO Uningá
Arritmias Acls 2005 VersãO UningáArritmias Acls 2005 VersãO Uningá
Arritmias Acls 2005 VersãO Uningáalgerman
 
Suporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistolia
Suporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistoliaSuporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistolia
Suporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistoliaDaniel Valente
 
Parada cardio-respiratoria -11 cópia
Parada cardio-respiratoria -11 cópiaParada cardio-respiratoria -11 cópia
Parada cardio-respiratoria -11 cópiaObomdavida Obomdavida
 
Parada cardiorrespiratória acls
Parada cardiorrespiratória aclsParada cardiorrespiratória acls
Parada cardiorrespiratória aclsdapab
 
Reanimação cardiopulmonar avançada 2015
Reanimação cardiopulmonar avançada 2015Reanimação cardiopulmonar avançada 2015
Reanimação cardiopulmonar avançada 2015Antonio Souto
 
Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Leila Daniele
 
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLaec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLAEC UNIVAG
 
Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)
Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)
Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)Marina Sousa
 
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)Thales Barcellos
 
Novas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHANovas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHALeandro Carvalho
 
Aula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vidaAula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vidaGuilhermeRafael22
 

Mais procurados (20)

Aula do DEA Silvio
Aula do DEA SilvioAula do DEA Silvio
Aula do DEA Silvio
 
ACLS 2010 Prática Rafael Otsuzi
ACLS 2010 Prática Rafael OtsuziACLS 2010 Prática Rafael Otsuzi
ACLS 2010 Prática Rafael Otsuzi
 
Sbv
SbvSbv
Sbv
 
Arritmias Acls 2005 VersãO Uningá
Arritmias Acls 2005 VersãO UningáArritmias Acls 2005 VersãO Uningá
Arritmias Acls 2005 VersãO Uningá
 
Currents
CurrentsCurrents
Currents
 
Currents
CurrentsCurrents
Currents
 
Pcr
PcrPcr
Pcr
 
Suporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistolia
Suporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistoliaSuporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistolia
Suporte avançado de vida em cardiologia aesp e assistolia
 
Parada cardio-respiratoria -11 cópia
Parada cardio-respiratoria -11 cópiaParada cardio-respiratoria -11 cópia
Parada cardio-respiratoria -11 cópia
 
Parada cardiorrespiratória acls
Parada cardiorrespiratória aclsParada cardiorrespiratória acls
Parada cardiorrespiratória acls
 
Mercredi pcr
Mercredi pcrMercredi pcr
Mercredi pcr
 
Reanimação cardiopulmonar avançada 2015
Reanimação cardiopulmonar avançada 2015Reanimação cardiopulmonar avançada 2015
Reanimação cardiopulmonar avançada 2015
 
Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória
 
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizadoLaec   liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
Laec liga acadêmica de emergências clínicas - rcp 2015 atualizado
 
Novas diretrizes na pcr
Novas diretrizes na pcrNovas diretrizes na pcr
Novas diretrizes na pcr
 
Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)
Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)
Supoerte Básico de Vida - Basic Life Suporte (BLS)
 
RCP/DEA
RCP/DEARCP/DEA
RCP/DEA
 
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
 
Novas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHANovas Diretrizes PCR - AHA
Novas Diretrizes PCR - AHA
 
Aula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vidaAula 1. suporte básico de vida
Aula 1. suporte básico de vida
 

Semelhante a Desfibrilação e massagem do seio carotídeo

Semelhante a Desfibrilação e massagem do seio carotídeo (20)

U drogas na_emergencia
U drogas na_emergenciaU drogas na_emergencia
U drogas na_emergencia
 
Curso HC Emergencias Pre-hospitalar
Curso HC Emergencias Pre-hospitalarCurso HC Emergencias Pre-hospitalar
Curso HC Emergencias Pre-hospitalar
 
aula jornada.pptx
aula jornada.pptxaula jornada.pptx
aula jornada.pptx
 
ITO 23 - Módulo 200 sbv
ITO 23 - Módulo 200   sbvITO 23 - Módulo 200   sbv
ITO 23 - Módulo 200 sbv
 
Mercredi pcr
Mercredi pcrMercredi pcr
Mercredi pcr
 
SUPORTE BASICO DE VIDA - RCP
SUPORTE BASICO DE VIDA - RCPSUPORTE BASICO DE VIDA - RCP
SUPORTE BASICO DE VIDA - RCP
 
aula suporte basico 16 - ADULTO.ppt
aula suporte basico 16 - ADULTO.pptaula suporte basico 16 - ADULTO.ppt
aula suporte basico 16 - ADULTO.ppt
 
RCP - Suporte Básico de Vida (2014)
RCP - Suporte Básico de Vida (2014)RCP - Suporte Básico de Vida (2014)
RCP - Suporte Básico de Vida (2014)
 
REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR-RCP.pdf
REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR-RCP.pdfREANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR-RCP.pdf
REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR-RCP.pdf
 
Ppt rcp 2014 (1)
Ppt rcp 2014 (1)Ppt rcp 2014 (1)
Ppt rcp 2014 (1)
 
Fast Hug
Fast HugFast Hug
Fast Hug
 
Aula PCR.pptx
Aula PCR.pptxAula PCR.pptx
Aula PCR.pptx
 
Protocolo rcp basico banner
Protocolo rcp basico bannerProtocolo rcp basico banner
Protocolo rcp basico banner
 
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdfDrogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
Drogas de interesse em Alta Complexidade.pdf
 
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensivaAPOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
APOSTILA 3 cti centro de terapia intensiva
 
slide-sv.pdf
slide-sv.pdfslide-sv.pdf
slide-sv.pdf
 
Drogas na sala de urgência
Drogas na sala de urgênciaDrogas na sala de urgência
Drogas na sala de urgência
 
Reanimação Cardiopulmonar - Enf. Simone Crispim
Reanimação Cardiopulmonar - Enf. Simone CrispimReanimação Cardiopulmonar - Enf. Simone Crispim
Reanimação Cardiopulmonar - Enf. Simone Crispim
 
A C L S e B L S Recomendações
A C L S e  B L S  RecomendaçõesA C L S e  B L S  Recomendações
A C L S e B L S Recomendações
 
Protocolo sca-com-supra
Protocolo sca-com-supraProtocolo sca-com-supra
Protocolo sca-com-supra
 

Desfibrilação e massagem do seio carotídeo

  • 2. DESFIBRILAÇÃO A desfibrilação imediata é o tratamento de escolha nos casos de fibrilação ou taquicardia ventricular (FV/TV) de curta duração, associado a evento de morte súbita assistida em até 3 minutos. Após 4 minutos de parada cardíaca, a desfibrilação será mais eficaz se as manobras de reanimação cardiopulmonar (RCP) forem iniciadas precocemente. Deverão ser realizados 5 ciclos de compressões torácicas e ventilação (30:2), com duração de cerca de 2 minutos; e, em seguida, deve ser avaliado o ritmo cardíaco. Aplicar pasta condutora nas pás. Na ausência da pasta pode ser utilizada gaze umedecida em solução fisiológica. Monitorar os pacientes com as pás do aparelho. No caso de FV/TV selecionar o nível de energia desejado para adultos, com 360J para aparelhos monofásicos ou 120J ou 200J em bifásicos. Posicionar a pás sobre o tórax do paciente. Uma sobre o hemitórax direito ao lado da porção superior do esterno logo abaixo da clavícula direita e a outra sobre o hemitórax esquerdo na linha axilar anterior lateral ao mamilo. Pressionar as pás sobre a pele para reduzir a impedância. Evitar o contato com o corpo do paciente. Contar em voz alta avisando aos auxiliares o momento do choque. Pressionar os botões de choque. Após o choque repetir manobras de RCP durante 5 ciclos de compressões torácicas e ventilação (30:2). Avaliar o ritmo, se persistir com FV/TV repetir o choque com 360J para aparelhos monofásicos ou 120J ou 200J em bifásicos. Após o choque repetir manobras de RCP durante 5 ciclos de compressões torácicas e ventilação (30:2). Obter acesso venoso periférico. protocolos das u nidades de pronto atendimento 2 4 h oras [288] Administrar adrenalina 1 mg IV. Repetir a dose a cada 3 ou 5 minutos. Avaliar o ritmo, se persistir com FV/TV repetir o choque com 360J para aparelhos monofásicos ou 120J ou 200J em bifásicos. Após o choque repetir manobras de RCP durante 5 ciclos de compressões torácicas e ventilação (30:2). Considerar o uso de antiarrítmicos durante as manobras de RCP (antes ou após o choque): amiodarona 300 mg IV em uma dose inicial, podendo ser repetido 150 mg IV em uma dose adicional ou lidocaína com dose inicial de 1 a 1,5 mg/kg, seguido de doses adicionais de 0,5 a 0,75 mg/kg, até o máximo de 3 doses ou 3 mg/kg. Considerar o uso de sulfato de magnésio de 1 a 2 g IV no caso de torsades de pointes. MASSAGEM DO SEIO CAROTÍDEO PARA REVERSÃO DA TAQUICARDIA SUPRAVENTRICULAR PAROXÍSTICA Evitar a realização do procedimento na presença de sopro carotídeo e história de isquemia cerebral. Efetuar pressão e massagem gentilmente sobre o seio carotídeo direito durante dez a vinte segundos. Tentar a manobra no lado esquerdo em caso de insucesso. Massagear sempre um seio carotídeo por vez. Manter o paciente monitorizado, pois pode provocar bradicardia sintomática. Estar preparado para atuar em caso de parada cardíaca ou de bradicardia sintomática.