SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Aspectos Básicos
 A Parada Cardiorrespiratória (PCR) é umas das
principais causas de morte no adulto, em todo o
mundo.
 ...
Diretrizes 2010
AHA - American Heart Association
As Diretrizes da AHA 2010 para Ressuscitação
Cardiopulmonar
–
RCP
e
Atend...
Diretrizes 2010 AHA
American Heart Association
Apesar da melhora ocorrida no atendimento da PCR depois das
diretrizes de 2...
ABC ou CAB?
A

Via Aérea

B

Respiração

C

Circulação

Em 2005


Imensa maioria das paradas são em ritmos chocáveis,
pot...
ABC ou CAB?
C

Circulação

A

Vias
Aéreas

B

Respiração

Em 2010:
 Compressões torácicas serão iniciadas mais cedo e o a...
Cadeia de Sobrevivência
de ACE no Adulto

Para adultos, crianças e bebês
RCP de Adulto
por Socorrista Leigo
C

A

B

 RCP de alta qualidade
 30:2 - treinado em
ventilações
 Não treinado: APENA...
RCP de Alta Qualidade
 Frequência de compressão mínima de 100/minuto
 Profundidade de compressão mínima de 5 cm, em adul...
RCP de Alta Qualidade
Como fazer RCP?
Como fazer RCP?
CHECAR PULSO
POR ATÉ 10”
Desfibrilador
Externo Automático - DEA
 Dispositivos computadorizados que são fixados por pás
adesivas em vítima sem puls...
Desfibrilador
Externo Automático - DEA
Quando aplicar o DEA?
 Vítima não responsiva
 Vítima não respirando (ou com respi...
Desfibrilador
Externo Automático - DEA
 Ritmo mais comum de PCR testemunhada:
 Fibrilação ventricular
 Tratamento mais ...
Desfibrilador
Externo Automático - DEA
Desfibrilador
Externo Automático - DEA
 O DEA deve ser utilizado assim que disponível
 Aplicar 05 ciclos de RCP antes de...
Desfibrilador
Externo Automático - DEA
Situações Especiais
 Lactentes < 01 ano
 Tórax hirsuto
 Água
 Marca passo
 Ade...
OBRIGADO!
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)

3.895 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.895
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
377
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Suporte Básico para a Vida (Uso do Desfibrilador Externo Automático - DEA)

  1. 1. SUPORTE BÁSICO DE VIDA
  2. 2. Aspectos Básicos  A Parada Cardiorrespiratória (PCR) é umas das principais causas de morte no adulto, em todo o mundo.  As taxas mais altas de sobrevivência a PCR envolvem pacientes de todas as faixas etárias cuja parada foi presenciada por outras pessoas, com ritmo inicial de fibrilação ventricular (FV) ou taquicardia ventricular sem pulso (TV sem pulso).
  3. 3. Diretrizes 2010 AHA - American Heart Association As Diretrizes da AHA 2010 para Ressuscitação Cardiopulmonar – RCP e Atendimento Cardiovascular de Emergência – ACE baseiam-se em uma ampla revisão da literatura (356 especialistas em ressuscitação de 29 países)
  4. 4. Diretrizes 2010 AHA American Heart Association Apesar da melhora ocorrida no atendimento da PCR depois das diretrizes de 2005, verificou-se que: 1. A qualidade das compressões torácicas continua necessitando de aperfeiçoamento; 2. Existe uma variação considerável na sobrevivência a PCR extrahospitalar entre os serviços médicos de urgência/emergência; e 3. A maioria das vítimas de PCR súbita extra-hospitalar não recebe nenhuma manobra de RCP de pessoas presentes no local.
  5. 5. ABC ou CAB? A Via Aérea B Respiração C Circulação Em 2005  Imensa maioria das paradas são em ritmos chocáveis, potencialmente reversíveis se rapidamente tratados;  Quando presenciadas, o rápido início das compressões pode aumentar a chance de sobrevivência.
  6. 6. ABC ou CAB? C Circulação A Vias Aéreas B Respiração Em 2010:  Compressões torácicas serão iniciadas mais cedo e o atraso na ventilação será mínimo;  Começar com compressões torácicas pode encorajar mais socorristas a iniciar a RCP.
  7. 7. Cadeia de Sobrevivência de ACE no Adulto Para adultos, crianças e bebês
  8. 8. RCP de Adulto por Socorrista Leigo C A B  RCP de alta qualidade  30:2 - treinado em ventilações  Não treinado: APENAS compressões  Manter RCP até chegada do DEA e/ou SAV
  9. 9. RCP de Alta Qualidade  Frequência de compressão mínima de 100/minuto  Profundidade de compressão mínima de 5 cm, em adultos, e de um terço do diâmetro anteroposterior do tórax, em bebês e crianças (aproximadamente 4 cm em bebês e 5 cm em crianças)  Retorno total do tórax após cada compressão  Minimização das interrupções nas compressões torácicas  Evitar excesso de ventilação
  10. 10. RCP de Alta Qualidade
  11. 11. Como fazer RCP?
  12. 12. Como fazer RCP?
  13. 13. CHECAR PULSO POR ATÉ 10”
  14. 14. Desfibrilador Externo Automático - DEA  Dispositivos computadorizados que são fixados por pás adesivas em vítima sem pulso.  Eles recomendam aplicação de choque se o ritmo cardíaco da vítima for passível de tratamento por choque.
  15. 15. Desfibrilador Externo Automático - DEA Quando aplicar o DEA?  Vítima não responsiva  Vítima não respirando (ou com respiração agônica)
  16. 16. Desfibrilador Externo Automático - DEA  Ritmo mais comum de PCR testemunhada:  Fibrilação ventricular  Tratamento mais eficaz: desfibrilação elétrica  A chance de sobrevivência a uma PCR diminui em 7 a 10% por minuto, sem a realização da RCP com desfibrilação.
  17. 17. Desfibrilador Externo Automático - DEA
  18. 18. Desfibrilador Externo Automático - DEA  O DEA deve ser utilizado assim que disponível  Aplicar 05 ciclos de RCP antes de utilizar o DEA quando:  Parada cardíaca não testemunhada  Tempo de acionamento e chegada do DEA > 4 a 5 minutos
  19. 19. Desfibrilador Externo Automático - DEA Situações Especiais  Lactentes < 01 ano  Tórax hirsuto  Água  Marca passo  Adesivos transdérmicos
  20. 20. OBRIGADO!

×