Parada cardiorrespiratória

12.223 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
579
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parada cardiorrespiratória

  1. 1. PARADA CARDIO – RESPIRATÓRIA (PCR) Componentes: Leila Daniele Leiliane Gardênia Francisca Ivoniza Adayla Bruna Ana Eunice
  2. 2.  É o estado em o coração ou respiração interrompe seu funcionamento normal, provocando a morte em 3 a 5 min. Pode ser causada por choque elétrico, afogamento, asfixia, etc ...
  3. 3.     Inconsciência; Falta de movimentos que caracterizam a respiração; Dilatação das pupilas; Arrocheamento da pele e lábios
  4. 4.     Reconhecer os sinais da RCP; Evitar a morte; Restabelecer a circulação e oxigenação; Atendimento imediato da vítima;
  5. 5.  A emergência é uma situação gravíssima que deve ser tratada imediatamente, caso contrário, o paciente vai morrer ou apresentará uma sequela irreversível.
  6. 6.     Avaliar a situação; Manter a segurança da área; Avaliar o estado da vítima e administrar socorro de emergência; Chamar por socorro;
  7. 7.  Intubação endotraqueal ou orotraqueal (IOT) é um procedimento de suporte avançado de vida onde o médico, com um laringoscópio, visualiza a laringe e através dela introduz um tubo na trquéia (tubo endotraqueal).
  8. 8.           Prover os materiais para a intubação Monitorar a oxigenação do paciente (SatO²) Realizar aspiração traqueal e oferecer oxigenoterapia quando necessário; Monitorar nível de consciência, reflexo de tosse. Manter inflado o cuff do TOT. Manter vias aéreas desobstruídas; Monitorar e anotar frequência, ritmo, profundidade e esforço respiratório (SSVV); Manter os circuitos do ventilador mecânico adequadamente posicionados. Retirar água condensada no circuito de ventilador mecânico; Realizar higiene oral.
  9. 9.   Maneira rápida e eficaz de fornecer oxigênio á vítima ; O ar expirado pelo socorrista tem ~ 17% de oxigênio e 4% de dióxido de cardo, que são suficintes para suprir as vitimas .
  10. 10.    Epinefrina - Dose EV: 1 mg a cada 3 a 5 minutos. Vasopressina – Dose EV: 40UI – substitui a primeira ou segunda dose de epinefrina. Amiodarona – Dose EV - Primeira dose 300mg. Segunda dose 150mg.
  11. 11.  A desfibrilação elétrica é um procedimento terapêutico que consiste na aplicação de uma corrente elétrica contínua NÃO SINCRONIZADA, no músculo cardíaco. Esse choque despolariza em conjunto todas as fibras musculares do miocárdio, tornando possível a reversão de arritmias graves como a TV e a FV, permitindo ao nó sinusal retomar a geração e o controle do ritmo cardíaco.
  12. 12.  A cardioversão elétrica é um procedimento na maioria das vezes eletivo, em que se aplica o choque elétrico de maneira SINCRONIZADA, ou seja, o paciente deve estar monitorado no cardioversor e este deve estar com o botão de sincronismo ativado, pois a descarga elétrica é liberada na onda R, ou seja, no período refratário.
  13. 13.   A desfibrilação elétrica é indicada apenas nas situações de FV e TV sem pulso; A cardioversão elétrica é indicada nas situações de taquiarritmias como a fibrilação atrial (FA), flutter atrial, taquicardia paroxística supraventricular e taquicardias com complexo largo e com pulso;
  14. 14.    Desfibrilador externo automático (DEA)utilizado por leigos no atendimento a PCR. O equipamento quando corretamente instalado no paciente, tem a capacidade de ler o traçado eletrocardiográfico e indicar ou não o choque Desfibrilador monofásico Desfibrilador bifásico

×