SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
MARCO A. FILIPE 2010 A Pele INTRODUÇÃO +
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Estrutura da Pele
A pele é composta por 3 camadas: -epiderme -estrato córneo -estrato lúcido -estrato granuloso -estrato espinhoso -estrato germinativo -derme -derme reticular -derme papilar -hipoderme Estrutura   da Pele
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Epiderme
Epiderme
Epiderme
O Pêlo
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Derme
Receptores comuns  Receptores de Krause Frio Receptores de Ruffini Calor Discos de Merkel Tacto e Pressão Corpúsculos de Vater-Paccini Pressão Corpúsculos de Meissner Tacto Terminações nervosas livres Dor Derme
 
Esta camada da pele é composta por tecido adiposo e grandes vasos sanguíneos e nervos. É importante na regulação da temperatura corporal e na protecção dos órgãos internos. As espessuras das 3 camadas variam de acordo com a zona do corpo e de pessoa para pessoa. Qualquer alteração à fisiologia cutânea normal, resulta numa condição especial, que caracteriza os diversos tipos/estados de pele. Hipoderme
 
A Junção Dermo-Epidérmica é uma membrana que separa a epiderme da matriz extracelular da Derme, que está imediatamente abaixo dela. É composta por 2 camadas: Lâmina basal e Lâmina reticular A Lâmina basal é rica em colagéneo tipo IV, proteoglicanos e glicoproteínas (entactina e laminina), que fornecem estrutura e bioadesão. Junção Dermo-Epidérmica
 
Tipos de Colagénio
 
 
The laminins are a family of glycoproteins that are an integral part of the structural scaffolding in almost every tissue of an organism. They are secreted and incorporated into cell-associated extracellular matrices.  Laminin is vital for the maintenance and survival of tissues. Defective laminins can cause muscles to form improperly, leading to a form of muscular dystrophy, lethal skin blistering disease (junctional epidermolysis bullosa) and defects of the kidney filter (nephrotic syndrome). BASICALLY, LAMININ IS WHAT HOLDS YOU TOGETHER!! Laminina
Junções Celulares / Adesão
Pele Seca – falta de lípidos Pele Desidratada – falta de água Pele Normal - equilibrada Pele Mista – normalmente T oleoso Pele Oleosa – excesso de lípidos A mesma pessoa pode apresentar ao longo da vida estados de pele diferentes, consoante a estação do ano, fases hormonais, tratamentos medicamentosos, exposição solar, poluentes, mau uso de cosméticos, doença… Estados de Pele
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O Envelhecimento cutâneo
As ligações entre as células epidérmicas e a membrana basal começam a enfraquecer, e esta falta de contacto resulta em alterações funcionais e estruturais, normalmente associadas com o envelhecimento. Durante este processo, algumas das características da Junção Dermo-Epidérmica são alteradas, e os queratinócitos perdem adesão. Enquanto isto, menos Laminina é produzida, fazendo com que haja cada vez mais falta de contacto entre a derme e a epiderme. Resultado: Perda de elasticidade e firmeza, aspecto mais cansado e menos nutrido (contacto insuficiente entre a derme e a epiderme resulta num deficiente aporte de oxigénio e nutrientes, assim como numa deficiente destoxificação. O Envelhecimento cutâneo
Envelhecimento Extrínseco: -Inúmeros factores externos actuam em conjunto com os factores internos para envelhecer precocemente a pele.  -O principal factor externo é a exposição solar, mas outros há que contribuem muito:  - expressões faciais repetitivas,  - gravidade,  - posições durante o sono/almofada,  - tabaco,  - poluição… O Envelhecimento cutâneo
Stress oxidativo é uma condição biológica em que ocorre desequilíbrio entre a produção de espécies reactivas de oxigénio  e a sua desintoxicação através de sistemas biológicos que as removam ou reparem os danos por elas causados. Todos os organismos vivos possuem um ambiente intracelular de natureza redutora, existindo um equilíbrio entre as formas oxidada e reduzida de moléculas como o NADH, equilíbrio esse mantido por enzimas à custa de energia metabólica.  Perturbações neste equilíbrio redox podem provocar a produção de peróxidos e radicais livres que danificam todos os componentes celulares, incluindo proteínas, lípidos e o ADN. Stress Oxidativo
O Que é um radical livre ? Imaginemos o efeito de alguns mosquitos nesta sala, e na inquietação que provocariam. Stress Oxidativo
 
Imaginemos agora o efeito destruidor de um radical livre numa célula.
 
O aparecimento da RUGA
A Junção Neuromuscular
A Vesícula Sináptica “ Message in a bottle ”
A Junção Neuromuscular
A Junção Neuromuscular
Músculos do Rosto
Pescoço e decote periorais perioculares nasogenianas frontais Nomenclatura das rugas
MARCO A. FILIPE 2010 Produtos Cosméticos e de Higiene Corporal +
Produto cosmético é qualquer substância ou preparação destinada a ser posta em contacto com as diversas partes superficiais do corpo humano, designadamente epiderme, sistemas piloso e capilar, unhas, lábios e órgãos genitais externos, ou com os dentes e as mucosas bucais, com a finalidade de, exclusiva ou principalmente, os limpar, perfumar, modificar o seu aspecto, proteger, manter em bom estado ou de corrigir os odores corporais;  Os PCHC são regulamentados pelo Decreto-Lei n.º 189/2008, de 24 de Setembro na actual redacção, e não necessitam de autorização administrativa prévia de comercialização.  Ao INFARMED, I.P. compete verificar o cumprimento da legislação através da análise da conformidade das notificações de PCHC e da inspecção e vigilância permanente do mercado.  Produtos Cosméticos e de Higiene Corporal
Cremes : Emulsões de óleo em água (O/A) ou de água em óleo (A/O) O/A: veículo para substâncias hidrossolúveis A/O: veículo para substâncias lipossolúveis Bálsamos:  Emulsões mais espessas que os cremes, vulgarmente usados como lubrificantes da pele (emolientes) Pastas:  Mistura de pós insolúveis numa emulsão espessa Pós Géis ou Geles:  Suspensões ou soluções coloidais semi-sólidas Loções:  solução aquosa que, com a evaporação da água, refresca a pele. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
Tensioactivo adj. (fr. tensioactif; ing. tensioactive). Diz-se de uma substância que, mesmo em muito fraca concentração, diminui a tensão superficial do líquido no qual está dissolvida. O seu uso está largamente difundido, e são essenciais à estabilidade das emulsões. São responsáveis por alguma sensibilidade cutânea pelo seu efeito detergente. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
GEL  (do latim  gelu  - congelante, frio, gelo, ou  gelatus  - congelado, imóvel) é um sólido aparentemente, de material gelatinoso formado de uma dispersão coloidal, em que o meio disperso apresenta-se no estado líquido e o meio dispersante no estado sólido.  São líquidos com comportamento de sólidos. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema Tegumentar tati senac-ma
Sistema Tegumentar tati senac-ma Sistema Tegumentar tati senac-ma
Sistema Tegumentar tati senac-ma
Anne Ribeiro
 

Mais procurados (20)

Pele e anexos2012
Pele e anexos2012Pele e anexos2012
Pele e anexos2012
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
 
Pele e anexos
Pele e anexosPele e anexos
Pele e anexos
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Biotipos cutaneos
Biotipos cutaneosBiotipos cutaneos
Biotipos cutaneos
 
Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...
Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...
Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
 
Aula cosmetologia pele
Aula cosmetologia   peleAula cosmetologia   pele
Aula cosmetologia pele
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Seminário 04: Envelhecimento cutâneo
Seminário 04: Envelhecimento cutâneoSeminário 04: Envelhecimento cutâneo
Seminário 04: Envelhecimento cutâneo
 
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologiaAula 1-e-2-de-cosmetologia
Aula 1-e-2-de-cosmetologia
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Aula limpeza de pele
Aula limpeza de peleAula limpeza de pele
Aula limpeza de pele
 
Sistema Tegumentar tati senac-ma
Sistema Tegumentar tati senac-ma Sistema Tegumentar tati senac-ma
Sistema Tegumentar tati senac-ma
 
Pele e anexos
Pele e anexosPele e anexos
Pele e anexos
 
Limpeza de Pele
Limpeza de PeleLimpeza de Pele
Limpeza de Pele
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 
O alta freqüência.
O alta freqüência.O alta freqüência.
O alta freqüência.
 
Pele
PelePele
Pele
 
3 hipercromias
3 hipercromias3 hipercromias
3 hipercromias
 

Semelhante a A Pele (2010)

Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
André Fidelis
 
Epilação e depilação
Epilação e depilaçãoEpilação e depilação
Epilação e depilação
Teresa Castilho
 

Semelhante a A Pele (2010) (20)

UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptxUFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
 
apostila2.pdf
apostila2.pdfapostila2.pdf
apostila2.pdf
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
 
Dermatologia completa
Dermatologia   completaDermatologia   completa
Dermatologia completa
 
Curso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCurso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptx
 
Epilação e depilação
Epilação e depilaçãoEpilação e depilação
Epilação e depilação
 
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
 
Treinamento Nivea Visage
Treinamento Nivea VisageTreinamento Nivea Visage
Treinamento Nivea Visage
 
Apostila Peeling de Verão - Edduc
Apostila Peeling de Verão - EdducApostila Peeling de Verão - Edduc
Apostila Peeling de Verão - Edduc
 
Aula 04.pdf
Aula 04.pdfAula 04.pdf
Aula 04.pdf
 
aulalimpezadepele-141117082323-conversion-gate01 (1).pptx
aulalimpezadepele-141117082323-conversion-gate01 (1).pptxaulalimpezadepele-141117082323-conversion-gate01 (1).pptx
aulalimpezadepele-141117082323-conversion-gate01 (1).pptx
 
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaPele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
 
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edducApostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
 
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
 
Eletroterapia aplicada ao tratamento da flacidez tissular e muscular - Edduc
Eletroterapia aplicada ao tratamento da flacidez tissular e muscular - EdducEletroterapia aplicada ao tratamento da flacidez tissular e muscular - Edduc
Eletroterapia aplicada ao tratamento da flacidez tissular e muscular - Edduc
 
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdfAULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Abordagem terapêutica no tratamento das estrias - Edduc
Abordagem terapêutica no tratamento das estrias - EdducAbordagem terapêutica no tratamento das estrias - Edduc
Abordagem terapêutica no tratamento das estrias - Edduc
 
Sistema Tegumentar ProJanara Escola Técnica de PG - EtecPG
Sistema Tegumentar ProJanara Escola Técnica de PG - EtecPGSistema Tegumentar ProJanara Escola Técnica de PG - EtecPG
Sistema Tegumentar ProJanara Escola Técnica de PG - EtecPG
 
aula 2 AFH SO.pdf
aula 2 AFH  SO.pdfaula 2 AFH  SO.pdf
aula 2 AFH SO.pdf
 

A Pele (2010)

  • 1. MARCO A. FILIPE 2010 A Pele INTRODUÇÃO +
  • 2.
  • 3. A pele é composta por 3 camadas: -epiderme -estrato córneo -estrato lúcido -estrato granuloso -estrato espinhoso -estrato germinativo -derme -derme reticular -derme papilar -hipoderme Estrutura da Pele
  • 4.
  • 8.
  • 9. Receptores comuns Receptores de Krause Frio Receptores de Ruffini Calor Discos de Merkel Tacto e Pressão Corpúsculos de Vater-Paccini Pressão Corpúsculos de Meissner Tacto Terminações nervosas livres Dor Derme
  • 10.  
  • 11. Esta camada da pele é composta por tecido adiposo e grandes vasos sanguíneos e nervos. É importante na regulação da temperatura corporal e na protecção dos órgãos internos. As espessuras das 3 camadas variam de acordo com a zona do corpo e de pessoa para pessoa. Qualquer alteração à fisiologia cutânea normal, resulta numa condição especial, que caracteriza os diversos tipos/estados de pele. Hipoderme
  • 12.  
  • 13. A Junção Dermo-Epidérmica é uma membrana que separa a epiderme da matriz extracelular da Derme, que está imediatamente abaixo dela. É composta por 2 camadas: Lâmina basal e Lâmina reticular A Lâmina basal é rica em colagéneo tipo IV, proteoglicanos e glicoproteínas (entactina e laminina), que fornecem estrutura e bioadesão. Junção Dermo-Epidérmica
  • 14.  
  • 16.  
  • 17.  
  • 18. The laminins are a family of glycoproteins that are an integral part of the structural scaffolding in almost every tissue of an organism. They are secreted and incorporated into cell-associated extracellular matrices. Laminin is vital for the maintenance and survival of tissues. Defective laminins can cause muscles to form improperly, leading to a form of muscular dystrophy, lethal skin blistering disease (junctional epidermolysis bullosa) and defects of the kidney filter (nephrotic syndrome). BASICALLY, LAMININ IS WHAT HOLDS YOU TOGETHER!! Laminina
  • 20. Pele Seca – falta de lípidos Pele Desidratada – falta de água Pele Normal - equilibrada Pele Mista – normalmente T oleoso Pele Oleosa – excesso de lípidos A mesma pessoa pode apresentar ao longo da vida estados de pele diferentes, consoante a estação do ano, fases hormonais, tratamentos medicamentosos, exposição solar, poluentes, mau uso de cosméticos, doença… Estados de Pele
  • 21.
  • 22. As ligações entre as células epidérmicas e a membrana basal começam a enfraquecer, e esta falta de contacto resulta em alterações funcionais e estruturais, normalmente associadas com o envelhecimento. Durante este processo, algumas das características da Junção Dermo-Epidérmica são alteradas, e os queratinócitos perdem adesão. Enquanto isto, menos Laminina é produzida, fazendo com que haja cada vez mais falta de contacto entre a derme e a epiderme. Resultado: Perda de elasticidade e firmeza, aspecto mais cansado e menos nutrido (contacto insuficiente entre a derme e a epiderme resulta num deficiente aporte de oxigénio e nutrientes, assim como numa deficiente destoxificação. O Envelhecimento cutâneo
  • 23. Envelhecimento Extrínseco: -Inúmeros factores externos actuam em conjunto com os factores internos para envelhecer precocemente a pele. -O principal factor externo é a exposição solar, mas outros há que contribuem muito: - expressões faciais repetitivas, - gravidade, - posições durante o sono/almofada, - tabaco, - poluição… O Envelhecimento cutâneo
  • 24. Stress oxidativo é uma condição biológica em que ocorre desequilíbrio entre a produção de espécies reactivas de oxigénio e a sua desintoxicação através de sistemas biológicos que as removam ou reparem os danos por elas causados. Todos os organismos vivos possuem um ambiente intracelular de natureza redutora, existindo um equilíbrio entre as formas oxidada e reduzida de moléculas como o NADH, equilíbrio esse mantido por enzimas à custa de energia metabólica. Perturbações neste equilíbrio redox podem provocar a produção de peróxidos e radicais livres que danificam todos os componentes celulares, incluindo proteínas, lípidos e o ADN. Stress Oxidativo
  • 25. O Que é um radical livre ? Imaginemos o efeito de alguns mosquitos nesta sala, e na inquietação que provocariam. Stress Oxidativo
  • 26.  
  • 27. Imaginemos agora o efeito destruidor de um radical livre numa célula.
  • 28.  
  • 31. A Vesícula Sináptica “ Message in a bottle ”
  • 35. Pescoço e decote periorais perioculares nasogenianas frontais Nomenclatura das rugas
  • 36. MARCO A. FILIPE 2010 Produtos Cosméticos e de Higiene Corporal +
  • 37. Produto cosmético é qualquer substância ou preparação destinada a ser posta em contacto com as diversas partes superficiais do corpo humano, designadamente epiderme, sistemas piloso e capilar, unhas, lábios e órgãos genitais externos, ou com os dentes e as mucosas bucais, com a finalidade de, exclusiva ou principalmente, os limpar, perfumar, modificar o seu aspecto, proteger, manter em bom estado ou de corrigir os odores corporais; Os PCHC são regulamentados pelo Decreto-Lei n.º 189/2008, de 24 de Setembro na actual redacção, e não necessitam de autorização administrativa prévia de comercialização. Ao INFARMED, I.P. compete verificar o cumprimento da legislação através da análise da conformidade das notificações de PCHC e da inspecção e vigilância permanente do mercado. Produtos Cosméticos e de Higiene Corporal
  • 38. Cremes : Emulsões de óleo em água (O/A) ou de água em óleo (A/O) O/A: veículo para substâncias hidrossolúveis A/O: veículo para substâncias lipossolúveis Bálsamos: Emulsões mais espessas que os cremes, vulgarmente usados como lubrificantes da pele (emolientes) Pastas: Mistura de pós insolúveis numa emulsão espessa Pós Géis ou Geles: Suspensões ou soluções coloidais semi-sólidas Loções: solução aquosa que, com a evaporação da água, refresca a pele. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
  • 39. Tensioactivo adj. (fr. tensioactif; ing. tensioactive). Diz-se de uma substância que, mesmo em muito fraca concentração, diminui a tensão superficial do líquido no qual está dissolvida. O seu uso está largamente difundido, e são essenciais à estabilidade das emulsões. São responsáveis por alguma sensibilidade cutânea pelo seu efeito detergente. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
  • 40. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
  • 41. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
  • 42. GEL (do latim gelu - congelante, frio, gelo, ou gelatus - congelado, imóvel) é um sólido aparentemente, de material gelatinoso formado de uma dispersão coloidal, em que o meio disperso apresenta-se no estado líquido e o meio dispersante no estado sólido. São líquidos com comportamento de sólidos. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
  • 43. Veículos utilizados nas aplicações cutâneas
  • 44.