SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Profa. Karen Olivan
ADVÉRBIO
O advérbio pode ser definido por três
critérios:
 MORFOLÓGICO:
é um termo invariável, isto é, não se flexiona
em número (singular e plural) nem em gênero
(masculino e feminino).
ADVÉRBIO
 SEMÂNTICO:
é um termo que expressa uma circunstância,
seja de tempo, lugar, modo, intensidade,
dúvida, afirmação, negação etc.
ADVÉRBIO
 SINTÁTICO:
É um termo que, na oração, exerce a função
sintática de adjunto adverbial, modificando
um verbo, um adjetivo, um advérbio ou a
oração toda.
O adjunto adverbial é, então, o termo ligado
ao verbo, adjetivo ou advérbio (com ou sem
preposição) que indica uma circunstância de
tempo, modo, lugar, dúvida etc.
ADVÉRBIO
 SINTÁTICO:
É um termo que, na oração, exerce a função
sintática de adjunto adverbial, modificando
um verbo, um adjetivo, um advérbio ou a
oração toda.
O adjunto adverbial é, então, o termo ligado
ao verbo, adjetivo ou advérbio (com ou sem
preposição) que indica uma circunstância de
tempo, modo, lugar, dúvida etc.
ADVÉRBIO
A apresentação musical estava muito emocionante.
modifica o adjetivo adjetivo
O concerto começou cedo.
verbo modifica o verbo
O concerto começou muito cedo.
verbo modifica o advérbio modifica o verbo
ADVÉRBIO
 CIRCUNSTÂNCIAS:
lugar: Vivo aqui.
tempo: Saí tarde do trabalho ontem!
modo: Expressava-se bem.
afirmação: Ela realmente expressava-se
bem.
negação: Ela não sabe se comunicar.
ADVÉRBIO
 CIRCUNSTÂNCIAS:
dúvida e tempo: Talvez, eu saia amanhã.
Talvez: dúvida. Amanhã: tempo.
instrumento: Machucou-se com a faca.
meio: Ele veio de bicicleta.
assunto: Só falava de política.
causa: Morreu de amor.
finalidade: Estudou para o concurso.
ADVÉRBIO
 CIRCUNSTÂNCIAS:
condição: Não se aprende sem es- tudo.
concessão: Conseguiu aprender apesar da
dificuldade.
companhia: Saía sempre com os colegas.
Atenção: os advérbios regulares de modo,
frequentemente, terminam em -mente como,
por exemplo, felizmente, claramente,
facilmente etc.
LOCUÇÃO ADVERBIAL
Substantivos ligados a preposições que
indicam circunstâncias formam uma locução
adverbial e exercem o papel de adjuntos
adverbiais, como é o caso das locuções
indicadas nas circunstâncias: “na cidade”, “do
trabalho”, “de política”, “de bicicleta”, “de
amor”, “com a faca”, “apesar da dificuldade”,
“com os colegas”, “para o concurso”, “sem
estudo”.
EXERCÍCIOS
Sei muito bem que ninguém deve passar
atestado da virtude alheia.
Acho que, por hoje, você já ouviu bastante.
Leia e depois me diga quando pode sair na
gazeta.
A senhora sabe aonde eu posso encontrar
esse pai-de-santo?
De modo algum irei lá.
Talvez ela volte hoje.
EXERCÍCIOS
Realmente eles sumiram.
E então? quando é que embarca?
Profa. Karen Olivan

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
TIPOS DE VERBOS
TIPOS DE VERBOSTIPOS DE VERBOS
TIPOS DE VERBOS
 
Classes gramaticais slides.2
Classes gramaticais  slides.2Classes gramaticais  slides.2
Classes gramaticais slides.2
 
RELAÇÃO TESE - ARGUMENTO
RELAÇÃO TESE - ARGUMENTORELAÇÃO TESE - ARGUMENTO
RELAÇÃO TESE - ARGUMENTO
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Adjunto adnominal e adjunto adverbial
Adjunto adnominal e adjunto adverbialAdjunto adnominal e adjunto adverbial
Adjunto adnominal e adjunto adverbial
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
 
Homônimos e parônimos
Homônimos e parônimosHomônimos e parônimos
Homônimos e parônimos
 
Vozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 anoVozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 ano
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Advérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPointAdvérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPoint
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Aposto e vocativo
Aposto e vocativoAposto e vocativo
Aposto e vocativo
 

Destaque

Processos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasProcessos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasOlivaldo Ferreira
 
Gênero textual: teatro
Gênero textual: teatroGênero textual: teatro
Gênero textual: teatroKaren Olivan
 
Sequência didática com gênero textual conto
Sequência didática com gênero textual contoSequência didática com gênero textual conto
Sequência didática com gênero textual contoThauane Furquim
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, característicasHelena Coutinho
 
Período composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiaisPeríodo composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiaisKaren Olivan
 
Gramática - Orações Subordinadas Substantivas
Gramática - Orações Subordinadas SubstantivasGramática - Orações Subordinadas Substantivas
Gramática - Orações Subordinadas SubstantivasMentor Concursos
 
Texto, gênero e discurso
Texto, gênero e discursoTexto, gênero e discurso
Texto, gênero e discursoKaren Olivan
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavrasKaren Olivan
 
Estruturatextoteatral
EstruturatextoteatralEstruturatextoteatral
EstruturatextoteatralCarla Souto
 
Características gerais do conto
Características gerais do contoCaracterísticas gerais do conto
Características gerais do contoluhren
 
Slide teoria do conto
Slide teoria do contoSlide teoria do conto
Slide teoria do contoAna Paula
 
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto pptGêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto pptpnaicdertsis
 
A importância do teatro na escola
A importância do teatro na escolaA importância do teatro na escola
A importância do teatro na escolajosivaldopassos
 
Gênero textual Conto
Gênero textual ContoGênero textual Conto
Gênero textual ContoJomari
 

Destaque (20)

Processos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasProcessos de formação de palavras
Processos de formação de palavras
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Gênero textual: teatro
Gênero textual: teatroGênero textual: teatro
Gênero textual: teatro
 
Contos
ContosContos
Contos
 
Sequência didática com gênero textual conto
Sequência didática com gênero textual contoSequência didática com gênero textual conto
Sequência didática com gênero textual conto
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, características
 
Período composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiaisPeríodo composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiais
 
Gramática - Orações Subordinadas Substantivas
Gramática - Orações Subordinadas SubstantivasGramática - Orações Subordinadas Substantivas
Gramática - Orações Subordinadas Substantivas
 
Texto, gênero e discurso
Texto, gênero e discursoTexto, gênero e discurso
Texto, gênero e discurso
 
Conto tradicional
Conto tradicionalConto tradicional
Conto tradicional
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavras
 
Estruturatextoteatral
EstruturatextoteatralEstruturatextoteatral
Estruturatextoteatral
 
Texto teatral 2
Texto teatral 2Texto teatral 2
Texto teatral 2
 
Características gerais do conto
Características gerais do contoCaracterísticas gerais do conto
Características gerais do conto
 
Slide teoria do conto
Slide teoria do contoSlide teoria do conto
Slide teoria do conto
 
O texto teatral
O texto teatralO texto teatral
O texto teatral
 
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto pptGêneros de discurso e gêneros de texto ppt
Gêneros de discurso e gêneros de texto ppt
 
A importância do teatro na escola
A importância do teatro na escolaA importância do teatro na escola
A importância do teatro na escola
 
Conto Popular
Conto PopularConto Popular
Conto Popular
 
Gênero textual Conto
Gênero textual ContoGênero textual Conto
Gênero textual Conto
 

Semelhante a Advérbios e locuções adverbiais: definição e exemplos

Semelhante a Advérbios e locuções adverbiais: definição e exemplos (20)

Advérbios
AdvérbiosAdvérbios
Advérbios
 
7-advrbios-150323211638-conversion-gate01.pdf
7-advrbios-150323211638-conversion-gate01.pdf7-advrbios-150323211638-conversion-gate01.pdf
7-advrbios-150323211638-conversion-gate01.pdf
 
Aula de Preposição
Aula de PreposiçãoAula de Preposição
Aula de Preposição
 
Advérbio
AdvérbioAdvérbio
Advérbio
 
8_ Aula de advérbios (1).pptx
8_ Aula de advérbios (1).pptx8_ Aula de advérbios (1).pptx
8_ Aula de advérbios (1).pptx
 
Palavras e expressões
Palavras e expressõesPalavras e expressões
Palavras e expressões
 
LOCUÇÃO ADJETIVA x LOCUÇÃO ADVERBIAL
LOCUÇÃO ADJETIVA x LOCUÇÃO ADVERBIALLOCUÇÃO ADJETIVA x LOCUÇÃO ADVERBIAL
LOCUÇÃO ADJETIVA x LOCUÇÃO ADVERBIAL
 
Pronomes Pessoais
Pronomes PessoaisPronomes Pessoais
Pronomes Pessoais
 
Aula sobre pronomes
Aula sobre pronomesAula sobre pronomes
Aula sobre pronomes
 
Advérbio.ppt
Advérbio.pptAdvérbio.ppt
Advérbio.ppt
 
Classes gramaticais
Classes gramaticaisClasses gramaticais
Classes gramaticais
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portugues
 
Aulas língua portuguesa
Aulas   língua portuguesaAulas   língua portuguesa
Aulas língua portuguesa
 
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 AnoResumo da disciplina de Português - 10 Ano
Resumo da disciplina de Português - 10 Ano
 
O adverbio
O adverbioO adverbio
O adverbio
 
Advérbio.docx
Advérbio.docxAdvérbio.docx
Advérbio.docx
 
AULA 1
AULA 1 AULA 1
AULA 1
 
Aula adverbios.ppt
Aula adverbios.pptAula adverbios.ppt
Aula adverbios.ppt
 
3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf
3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf
3450-classes-de-palavras-morfologia-zambeli.pdf
 

Mais de Karen Olivan

Los imperativos prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos   prof. anderson fronza - espanholLos imperativos   prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos prof. anderson fronza - espanholKaren Olivan
 
Teoria de conjuntos
Teoria de conjuntosTeoria de conjuntos
Teoria de conjuntosKaren Olivan
 
Aposto vs vocativo
Aposto vs vocativoAposto vs vocativo
Aposto vs vocativoKaren Olivan
 
Romantismo português
Romantismo portuguêsRomantismo português
Romantismo portuguêsKaren Olivan
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - HumanismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - HumanismoKaren Olivan
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: TrovadorismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: TrovadorismoKaren Olivan
 
Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Karen Olivan
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Karen Olivan
 
Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraKaren Olivan
 
Funções da linguagem
Funções da linguagem Funções da linguagem
Funções da linguagem Karen Olivan
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaKaren Olivan
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeKaren Olivan
 
Cultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaCultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaKaren Olivan
 
As formas literárias
As formas literáriasAs formas literárias
As formas literáriasKaren Olivan
 

Mais de Karen Olivan (17)

Los imperativos prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos   prof. anderson fronza - espanholLos imperativos   prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos prof. anderson fronza - espanhol
 
Teoria de conjuntos
Teoria de conjuntosTeoria de conjuntos
Teoria de conjuntos
 
Aposto vs vocativo
Aposto vs vocativoAposto vs vocativo
Aposto vs vocativo
 
Romantismo português
Romantismo portuguêsRomantismo português
Romantismo português
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - HumanismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: TrovadorismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
 
Carta
CartaCarta
Carta
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1
 
Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavra
 
Funções da linguagem
Funções da linguagem Funções da linguagem
Funções da linguagem
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
 
Cultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaCultura linguagem e língua
Cultura linguagem e língua
 
As formas literárias
As formas literáriasAs formas literárias
As formas literárias
 
ARTES
ARTESARTES
ARTES
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 

Advérbios e locuções adverbiais: definição e exemplos

  • 2. ADVÉRBIO O advérbio pode ser definido por três critérios:  MORFOLÓGICO: é um termo invariável, isto é, não se flexiona em número (singular e plural) nem em gênero (masculino e feminino).
  • 3. ADVÉRBIO  SEMÂNTICO: é um termo que expressa uma circunstância, seja de tempo, lugar, modo, intensidade, dúvida, afirmação, negação etc.
  • 4. ADVÉRBIO  SINTÁTICO: É um termo que, na oração, exerce a função sintática de adjunto adverbial, modificando um verbo, um adjetivo, um advérbio ou a oração toda. O adjunto adverbial é, então, o termo ligado ao verbo, adjetivo ou advérbio (com ou sem preposição) que indica uma circunstância de tempo, modo, lugar, dúvida etc.
  • 5. ADVÉRBIO  SINTÁTICO: É um termo que, na oração, exerce a função sintática de adjunto adverbial, modificando um verbo, um adjetivo, um advérbio ou a oração toda. O adjunto adverbial é, então, o termo ligado ao verbo, adjetivo ou advérbio (com ou sem preposição) que indica uma circunstância de tempo, modo, lugar, dúvida etc.
  • 6. ADVÉRBIO A apresentação musical estava muito emocionante. modifica o adjetivo adjetivo O concerto começou cedo. verbo modifica o verbo O concerto começou muito cedo. verbo modifica o advérbio modifica o verbo
  • 7.
  • 8. ADVÉRBIO  CIRCUNSTÂNCIAS: lugar: Vivo aqui. tempo: Saí tarde do trabalho ontem! modo: Expressava-se bem. afirmação: Ela realmente expressava-se bem. negação: Ela não sabe se comunicar.
  • 9. ADVÉRBIO  CIRCUNSTÂNCIAS: dúvida e tempo: Talvez, eu saia amanhã. Talvez: dúvida. Amanhã: tempo. instrumento: Machucou-se com a faca. meio: Ele veio de bicicleta. assunto: Só falava de política. causa: Morreu de amor. finalidade: Estudou para o concurso.
  • 10. ADVÉRBIO  CIRCUNSTÂNCIAS: condição: Não se aprende sem es- tudo. concessão: Conseguiu aprender apesar da dificuldade. companhia: Saía sempre com os colegas. Atenção: os advérbios regulares de modo, frequentemente, terminam em -mente como, por exemplo, felizmente, claramente, facilmente etc.
  • 11. LOCUÇÃO ADVERBIAL Substantivos ligados a preposições que indicam circunstâncias formam uma locução adverbial e exercem o papel de adjuntos adverbiais, como é o caso das locuções indicadas nas circunstâncias: “na cidade”, “do trabalho”, “de política”, “de bicicleta”, “de amor”, “com a faca”, “apesar da dificuldade”, “com os colegas”, “para o concurso”, “sem estudo”.
  • 12. EXERCÍCIOS Sei muito bem que ninguém deve passar atestado da virtude alheia. Acho que, por hoje, você já ouviu bastante. Leia e depois me diga quando pode sair na gazeta. A senhora sabe aonde eu posso encontrar esse pai-de-santo? De modo algum irei lá. Talvez ela volte hoje.
  • 13. EXERCÍCIOS Realmente eles sumiram. E então? quando é que embarca?