SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline

Prof.a
Karen Olivan
1. Termos essenciais: aqueles que são indispensáveis,
isto é, não podem faltar. São eles: sujeito e predicado.
2. Termos integrantes: aqueles que completam o sentido
de outros. Os termos integrantes são: objeto direto,
objeto indireto, agente da passiva e complemento
nominal.
3. Termos acessórios: aqueles que são dispensáveis;
podem até ser retirados sem que o sentido da oração
fique prejudicado. São eles: adjunto adnominal, adjunto
adverbial e aposto.
4. Termo independente da oração: não se prende ao
sujeito nem ao predicado. É o vocativo.
• Muda a comida.
• Muda a água.
• Muda o idioma.
• Só não muda o número do seu telefone
SUJEITO:
ser sobre o qual se declara algo
PREDICADO:
aquilo que se declara sobre esse
ser
A comida muda
A água muda
O idioma muda
O número do seu telefone não muda
O sujeito pode aparecer no começo, no meio ou no fim
da oração.
• Os professores sentem-se sobrecarregados e
desvalorizados.
• Na escola, o material didático é precário.
• Nas escolas, acontecem muitos problemas.
Passos para se achar o sujeito:
1. Descubra o verbo e em que pessoa ele está.
2. Coloque os termos da oração em ordem direta.
Ordem inversa: Aconteceu um acidente na
esquina.
Ordem direta: Um acidente aconteceu na esquina.
3. Identifique o sujeito.
4. O predicado será o restante da oração
Resumindo:
1. Os termos essenciais da oração são o sujeito e o
predicado.
2. Sujeito é o termo de que se declara alguma coisa.
3. Predicado é aquilo que se declara a respeito do
sujeito.
4. Não há oração sem predicado.
5. Todavia, existem orações sem sujeito, estruturadas só
com predicado. Exemplo:
Choveu muito esta semana.
“Muitos teoristas consideram o sujeito um elemento
essencial à oração. Acham que o predicado é sempre
inelutavelmente atribuído a um ser, ou grupo de seres,
que é seu sujeito. (...) A doutrina contrária, hoje
dominante, é a possibilidade da ausência do sujeito
(...)”.
(professor Mattoso Câmara)
O pai está preocupado e insatisfeito.
•Sujeito da oração: o pai
•Núcleo do sujeito: pai
•Tipo de sujeito: simples
SUJEITO SIMPLES: é aquele que possui um só núcleo.
Ganhei o prêmio mais alto.
•Sujeito da oração: (eu)
•Núcleo do sujeito: (eu)
•Tipo de sujeito: desinencial
SUJEITO DESINENCIAL: não aparece claramente na
oração, mas sabe-se qual é o sujeito pela terminação do
verbo.
Ganhei o prêmio mais alto.
•Sujeito da oração: Os sem-tempo, os sem-secretária,
os sem-boy.
•Núcleo do sujeito: sem-tempo, sem-secretária, sem-
boy.
•Tipo de sujeito: composto
SUJEITO COMPOSTO : é aquele que possui dois ou
mais núcleos.
SUJEITO INDETERMINADO: é aquele que não pode
ser identificado pelo contexto.
Maneiras de indeterminar o sujeito:
•Usam-se verbos na 3ª pessoa do plural, sem fazer
referência a nenhum substantivo anteriormente
expresso no plural, nem ao pronome eles. Exemplo:
Falaram de você lá na escola.
•Usam-se verbos na 3ª pessoa do singular,
acompanhados da partícula se. Exemplo:
Necessita-se de dinheiro.
OBSERVAÇÃO 1:
•Não confundir a partícula se (índice de indeterminação
do sujeito) com a partícula apassivadora se, que
acompanha verbos na voz passiva sintética.
“Procura-se lateral-direito”
•Significa “lateral-direito é procurado”. Portanto, a
oração possui sujeito determinado e expresso: lateral-
direito.
OBSERVAÇÃO 2: Quando o sujeito da oração é um
pronome substantivo indefinido, há apenas
indeterminação psicológica, mas não gramatical.
Exemplos:
1.“Alguém chamava?... Alguém pedia socorro?...”
(Manuel Bandeira)
2. “Ninguém podia dormir na rede.”
(Vinicius de Moraes)
•Portanto, em ambos os casos o sujeito é simples.
1. Choveu durante a noite.
2. Faz dois meses que não vejo meu irmão.
3. Há muitos anos ele é meu amigo.
SUJEITO INEXISTENTE OU ORAÇÃO SEM SUJEITO:
ocorre quando os verbos são empregados
impessoalmente nas orações, ou seja, não se referem
a nenhum elemento gramatical ao qual o predicado se
refira.
SUJEITO INEXISTENTE: pode ocorrer nos seguintes
casos:
1.Verbo haver usado no sentido de existir.
Havia um problema sério naquele canal.
(Existia um problema sério naquele canal.)
OBSERVAÇÃO: O verbo existir concorda com o sujeito.
Existiam vários problemas naquele canal.
Sujeito: vários problemas
Núcleo do sujeito: problemas
Tipo de sujeito: simples
2. Com verbos que indicam fenômenos físicos da
natureza.
Trovejou a noite toda.
Já é noite deste lado do planeta.
Faz sempre muito calor no litoral.
Está frio aqui.
Choveu a semana inteira.
OBSERVAÇÕES:
1.Quando o verbo haver é empregado de forma
pessoal, concorda automaticamente com seu sujeito.
Eles haviam deixado a festa mais cedo.
sujeito locução verbal em que o verbo haver
funciona como auxiliar
OBSERVAÇÕES
2.Quando os verbos que denotam fenômenos da
natureza são utilizados em sentido figurado,
concordam com seu sujeito.
Choveram notícias sangrentas no jornal.
3. Verbos fazer, haver, ir e ser indicando tempo
decorrido.
Faz três anos que estudo nesta faculdade.
Estudo nesta faculdade há três anos.
Vai para três anos que estudo aqui.
São três horas.
OBSERVAÇÃO: Quando os verbos fazer, haver e ir
indicam tempo, ficam sempre no singular. Já o verbo ser
concorda com o numeral mais próximo.
É uma hora. Eram vinte para a uma.
São quatro horas. Era um minuto para as duas.

Prof.a
Karen Olivan

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Regencia verbal
Regencia verbalRegencia verbal
Regencia verbal
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Adjunto adnominal x complemento nominal
Adjunto adnominal x complemento nominalAdjunto adnominal x complemento nominal
Adjunto adnominal x complemento nominal
 
Vozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 anoVozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 ano
 
O emprego da vírgula
O emprego da vírgulaO emprego da vírgula
O emprego da vírgula
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Artigo aula 8
Artigo   aula 8Artigo   aula 8
Artigo aula 8
 
Substantivo 6
Substantivo 6Substantivo 6
Substantivo 6
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Predicado E Predicativo
Predicado E PredicativoPredicado E Predicativo
Predicado E Predicativo
 
Pronomes
PronomesPronomes
Pronomes
 

Destaque

Alok tiwari main profile presentation
Alok tiwari main profile presentationAlok tiwari main profile presentation
Alok tiwari main profile presentationAlok Tiwari
 
Abp Presentation
Abp PresentationAbp Presentation
Abp Presentationpintsin2001
 
5 tips for better search
5 tips for better search5 tips for better search
5 tips for better searchIntranätverk
 
Seminar IM Interactive Workbook Progress
Seminar IM Interactive Workbook ProgressSeminar IM Interactive Workbook Progress
Seminar IM Interactive Workbook ProgressJ Au
 
A sintaxe da gramatica normativa ii
A sintaxe da gramatica normativa iiA sintaxe da gramatica normativa ii
A sintaxe da gramatica normativa iiIury Alberth
 
Sejarah Perkembangan Keperawatan
Sejarah Perkembangan KeperawatanSejarah Perkembangan Keperawatan
Sejarah Perkembangan Keperawatanpjj_kemenkes
 
Inês quite e desforrada - Gil Vicente
Inês quite e desforrada - Gil VicenteInês quite e desforrada - Gil Vicente
Inês quite e desforrada - Gil VicenteGijasilvelitz 2
 
Koneski Formação do feudalismo Corrigido
Koneski Formação do feudalismo CorrigidoKoneski Formação do feudalismo Corrigido
Koneski Formação do feudalismo CorrigidoTavinho Koneski Westphal
 
20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)
20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)
20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)OptimediaSpain
 
Tipos de oraciones
Tipos de oracionesTipos de oraciones
Tipos de oracionesPiborlor19
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeitoIedaSantana
 

Destaque (19)

Predicados
PredicadosPredicados
Predicados
 
inheritance
inheritanceinheritance
inheritance
 
Alok tiwari main profile presentation
Alok tiwari main profile presentationAlok tiwari main profile presentation
Alok tiwari main profile presentation
 
Abp Presentation
Abp PresentationAbp Presentation
Abp Presentation
 
5 tips for better search
5 tips for better search5 tips for better search
5 tips for better search
 
Seminar IM Interactive Workbook Progress
Seminar IM Interactive Workbook ProgressSeminar IM Interactive Workbook Progress
Seminar IM Interactive Workbook Progress
 
A sintaxe da gramatica normativa ii
A sintaxe da gramatica normativa iiA sintaxe da gramatica normativa ii
A sintaxe da gramatica normativa ii
 
Sejarah Perkembangan Keperawatan
Sejarah Perkembangan KeperawatanSejarah Perkembangan Keperawatan
Sejarah Perkembangan Keperawatan
 
8 tipos de_predicado_12
8 tipos de_predicado_128 tipos de_predicado_12
8 tipos de_predicado_12
 
Inês quite e desforrada - Gil Vicente
Inês quite e desforrada - Gil VicenteInês quite e desforrada - Gil Vicente
Inês quite e desforrada - Gil Vicente
 
Cantigas de amigo
Cantigas de amigoCantigas de amigo
Cantigas de amigo
 
Koneski Grécia antiga
Koneski Grécia antigaKoneski Grécia antiga
Koneski Grécia antiga
 
Koneski Formação do feudalismo Corrigido
Koneski Formação do feudalismo CorrigidoKoneski Formação do feudalismo Corrigido
Koneski Formação do feudalismo Corrigido
 
20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)
20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)
20170221 Estudio AudioOnline(V_Corta)
 
O que é e o que não ebd
O que é e o que não ebdO que é e o que não ebd
O que é e o que não ebd
 
A vida do apóstolo dos gentios
A vida do apóstolo dos gentiosA vida do apóstolo dos gentios
A vida do apóstolo dos gentios
 
Tipos de oraciones
Tipos de oracionesTipos de oraciones
Tipos de oraciones
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Llegir per gust. Escollim els premis de Sant Jordi
Llegir per gust. Escollim els premis de Sant JordiLlegir per gust. Escollim els premis de Sant Jordi
Llegir per gust. Escollim els premis de Sant Jordi
 

Semelhante a Tipos de sujeito

Elementos de análise sintática: sujeito
Elementos de análise sintática: sujeitoElementos de análise sintática: sujeito
Elementos de análise sintática: sujeitovinivs
 
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptxAula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptxLili Lod
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.videoaulagratisapoio.com.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português - Sujeito e PredicadoVideo Aulas Apoio
 
www.aulasapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
www.aulasapoio.com.br  - Português -  Sujeito e Predicadowww.aulasapoio.com.br  - Português -  Sujeito e Predicado
www.aulasapoio.com.br - Português - Sujeito e PredicadoBárbara Cristina
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e PredicadoEnsinoFundamental
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicadowww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e PredicadoVideoaulas De Português Apoio
 
Frases, oração e período - língua portuguesa
Frases, oração e período - língua portuguesaFrases, oração e período - língua portuguesa
Frases, oração e período - língua portuguesaAntonioAdelmo1
 
14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios portuguêsJosé M Lourenço
 
Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01
Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01
Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01281909
 
Sintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do períodoSintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do períodoCamila Rodrigues
 
Língua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptx
Língua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptxLíngua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptx
Língua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptxBerlaPaiva
 
Apostila bnb2014 portugues_zambeli
Apostila bnb2014 portugues_zambeliApostila bnb2014 portugues_zambeli
Apostila bnb2014 portugues_zambeliEliene Meira
 
SLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptx
SLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptxSLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptx
SLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptxJonathasAureliano1
 

Semelhante a Tipos de sujeito (20)

Sujeito 2
Sujeito 2Sujeito 2
Sujeito 2
 
Sujeito
SujeitoSujeito
Sujeito
 
Elementos de análise sintática: sujeito
Elementos de análise sintática: sujeitoElementos de análise sintática: sujeito
Elementos de análise sintática: sujeito
 
Prof magarete aula_1
Prof magarete aula_1Prof magarete aula_1
Prof magarete aula_1
 
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptxAula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.videoaulagratisapoio.com.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
 
www.aulasapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
www.aulasapoio.com.br  - Português -  Sujeito e Predicadowww.aulasapoio.com.br  - Português -  Sujeito e Predicado
www.aulasapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicadowww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
 
Frases, oração e período - língua portuguesa
Frases, oração e período - língua portuguesaFrases, oração e período - língua portuguesa
Frases, oração e período - língua portuguesa
 
AULA 20 EJA.pptx
AULA 20 EJA.pptxAULA 20 EJA.pptx
AULA 20 EJA.pptx
 
14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
 
Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01
Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01
Reviso sintaxe-120916154618-phpapp01
 
Revisão sintaxe
Revisão   sintaxeRevisão   sintaxe
Revisão sintaxe
 
Sintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do períodoSintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do período
 
PORTUGUES
PORTUGUESPORTUGUES
PORTUGUES
 
Língua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptx
Língua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptxLíngua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptx
Língua Portuguesa - Tipos de sujeito.pptx
 
Apostila bnb2014 portugues_zambeli
Apostila bnb2014 portugues_zambeliApostila bnb2014 portugues_zambeli
Apostila bnb2014 portugues_zambeli
 
4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico
 
SLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptx
SLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptxSLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptx
SLIDE AULA - TIPOS de PREDICADO.pptx
 

Mais de Karen Olivan

Los imperativos prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos   prof. anderson fronza - espanholLos imperativos   prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos prof. anderson fronza - espanholKaren Olivan
 
Teoria de conjuntos
Teoria de conjuntosTeoria de conjuntos
Teoria de conjuntosKaren Olivan
 
Gênero textual: teatro
Gênero textual: teatroGênero textual: teatro
Gênero textual: teatroKaren Olivan
 
Aposto vs vocativo
Aposto vs vocativoAposto vs vocativo
Aposto vs vocativoKaren Olivan
 
CLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIO
CLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIOCLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIO
CLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIOKaren Olivan
 
Período composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiaisPeríodo composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiaisKaren Olivan
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavrasKaren Olivan
 
Romantismo português
Romantismo portuguêsRomantismo português
Romantismo portuguêsKaren Olivan
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - HumanismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - HumanismoKaren Olivan
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: TrovadorismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: TrovadorismoKaren Olivan
 
Texto, gênero e discurso
Texto, gênero e discursoTexto, gênero e discurso
Texto, gênero e discursoKaren Olivan
 
Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Karen Olivan
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Karen Olivan
 
Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraKaren Olivan
 
Funções da linguagem
Funções da linguagem Funções da linguagem
Funções da linguagem Karen Olivan
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaKaren Olivan
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeKaren Olivan
 
Cultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaCultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaKaren Olivan
 

Mais de Karen Olivan (20)

Los imperativos prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos   prof. anderson fronza - espanholLos imperativos   prof. anderson fronza - espanhol
Los imperativos prof. anderson fronza - espanhol
 
Teoria de conjuntos
Teoria de conjuntosTeoria de conjuntos
Teoria de conjuntos
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Gênero textual: teatro
Gênero textual: teatroGênero textual: teatro
Gênero textual: teatro
 
Aposto vs vocativo
Aposto vs vocativoAposto vs vocativo
Aposto vs vocativo
 
CLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIO
CLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIOCLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIO
CLASSE DE PALAVRAS - ADVÉRBIO
 
Período composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiaisPeríodo composto por subodinação - adverbiais
Período composto por subodinação - adverbiais
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavras
 
Romantismo português
Romantismo portuguêsRomantismo português
Romantismo português
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - HumanismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 2 - Humanismo
 
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: TrovadorismoAs origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
As origens da literatura portuguesa - Parte 1: Trovadorismo
 
Carta
CartaCarta
Carta
 
Texto, gênero e discurso
Texto, gênero e discursoTexto, gênero e discurso
Texto, gênero e discurso
 
Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2Processos de formação de palavras - parte 2
Processos de formação de palavras - parte 2
 
Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1Processos de formação de palavras - parte 1
Processos de formação de palavras - parte 1
 
Elementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavraElementos estruturais da palavra
Elementos estruturais da palavra
 
Funções da linguagem
Funções da linguagem Funções da linguagem
Funções da linguagem
 
Adequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguísticaAdequação e inadequação linguística
Adequação e inadequação linguística
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
 
Cultura linguagem e língua
Cultura linguagem e línguaCultura linguagem e língua
Cultura linguagem e língua
 

Último

Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 

Último (20)

Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 

Tipos de sujeito

  • 2. 1. Termos essenciais: aqueles que são indispensáveis, isto é, não podem faltar. São eles: sujeito e predicado. 2. Termos integrantes: aqueles que completam o sentido de outros. Os termos integrantes são: objeto direto, objeto indireto, agente da passiva e complemento nominal. 3. Termos acessórios: aqueles que são dispensáveis; podem até ser retirados sem que o sentido da oração fique prejudicado. São eles: adjunto adnominal, adjunto adverbial e aposto. 4. Termo independente da oração: não se prende ao sujeito nem ao predicado. É o vocativo.
  • 3.
  • 4. • Muda a comida. • Muda a água. • Muda o idioma. • Só não muda o número do seu telefone
  • 5. SUJEITO: ser sobre o qual se declara algo PREDICADO: aquilo que se declara sobre esse ser A comida muda A água muda O idioma muda O número do seu telefone não muda
  • 6. O sujeito pode aparecer no começo, no meio ou no fim da oração. • Os professores sentem-se sobrecarregados e desvalorizados. • Na escola, o material didático é precário. • Nas escolas, acontecem muitos problemas.
  • 7.
  • 8. Passos para se achar o sujeito: 1. Descubra o verbo e em que pessoa ele está. 2. Coloque os termos da oração em ordem direta. Ordem inversa: Aconteceu um acidente na esquina. Ordem direta: Um acidente aconteceu na esquina. 3. Identifique o sujeito. 4. O predicado será o restante da oração
  • 9. Resumindo: 1. Os termos essenciais da oração são o sujeito e o predicado. 2. Sujeito é o termo de que se declara alguma coisa. 3. Predicado é aquilo que se declara a respeito do sujeito. 4. Não há oração sem predicado. 5. Todavia, existem orações sem sujeito, estruturadas só com predicado. Exemplo: Choveu muito esta semana.
  • 10. “Muitos teoristas consideram o sujeito um elemento essencial à oração. Acham que o predicado é sempre inelutavelmente atribuído a um ser, ou grupo de seres, que é seu sujeito. (...) A doutrina contrária, hoje dominante, é a possibilidade da ausência do sujeito (...)”. (professor Mattoso Câmara)
  • 11. O pai está preocupado e insatisfeito. •Sujeito da oração: o pai •Núcleo do sujeito: pai •Tipo de sujeito: simples SUJEITO SIMPLES: é aquele que possui um só núcleo.
  • 12.
  • 13. Ganhei o prêmio mais alto. •Sujeito da oração: (eu) •Núcleo do sujeito: (eu) •Tipo de sujeito: desinencial SUJEITO DESINENCIAL: não aparece claramente na oração, mas sabe-se qual é o sujeito pela terminação do verbo.
  • 14.
  • 15. Ganhei o prêmio mais alto. •Sujeito da oração: Os sem-tempo, os sem-secretária, os sem-boy. •Núcleo do sujeito: sem-tempo, sem-secretária, sem- boy. •Tipo de sujeito: composto SUJEITO COMPOSTO : é aquele que possui dois ou mais núcleos.
  • 16.
  • 17. SUJEITO INDETERMINADO: é aquele que não pode ser identificado pelo contexto. Maneiras de indeterminar o sujeito: •Usam-se verbos na 3ª pessoa do plural, sem fazer referência a nenhum substantivo anteriormente expresso no plural, nem ao pronome eles. Exemplo: Falaram de você lá na escola. •Usam-se verbos na 3ª pessoa do singular, acompanhados da partícula se. Exemplo: Necessita-se de dinheiro.
  • 18.
  • 19. OBSERVAÇÃO 1: •Não confundir a partícula se (índice de indeterminação do sujeito) com a partícula apassivadora se, que acompanha verbos na voz passiva sintética. “Procura-se lateral-direito” •Significa “lateral-direito é procurado”. Portanto, a oração possui sujeito determinado e expresso: lateral- direito.
  • 20. OBSERVAÇÃO 2: Quando o sujeito da oração é um pronome substantivo indefinido, há apenas indeterminação psicológica, mas não gramatical. Exemplos: 1.“Alguém chamava?... Alguém pedia socorro?...” (Manuel Bandeira) 2. “Ninguém podia dormir na rede.” (Vinicius de Moraes) •Portanto, em ambos os casos o sujeito é simples.
  • 21. 1. Choveu durante a noite. 2. Faz dois meses que não vejo meu irmão. 3. Há muitos anos ele é meu amigo. SUJEITO INEXISTENTE OU ORAÇÃO SEM SUJEITO: ocorre quando os verbos são empregados impessoalmente nas orações, ou seja, não se referem a nenhum elemento gramatical ao qual o predicado se refira.
  • 22. SUJEITO INEXISTENTE: pode ocorrer nos seguintes casos: 1.Verbo haver usado no sentido de existir. Havia um problema sério naquele canal. (Existia um problema sério naquele canal.) OBSERVAÇÃO: O verbo existir concorda com o sujeito. Existiam vários problemas naquele canal. Sujeito: vários problemas Núcleo do sujeito: problemas Tipo de sujeito: simples
  • 23. 2. Com verbos que indicam fenômenos físicos da natureza. Trovejou a noite toda. Já é noite deste lado do planeta. Faz sempre muito calor no litoral. Está frio aqui. Choveu a semana inteira.
  • 24. OBSERVAÇÕES: 1.Quando o verbo haver é empregado de forma pessoal, concorda automaticamente com seu sujeito. Eles haviam deixado a festa mais cedo. sujeito locução verbal em que o verbo haver funciona como auxiliar
  • 25. OBSERVAÇÕES 2.Quando os verbos que denotam fenômenos da natureza são utilizados em sentido figurado, concordam com seu sujeito. Choveram notícias sangrentas no jornal.
  • 26. 3. Verbos fazer, haver, ir e ser indicando tempo decorrido. Faz três anos que estudo nesta faculdade. Estudo nesta faculdade há três anos. Vai para três anos que estudo aqui. São três horas.
  • 27. OBSERVAÇÃO: Quando os verbos fazer, haver e ir indicam tempo, ficam sempre no singular. Já o verbo ser concorda com o numeral mais próximo. É uma hora. Eram vinte para a uma. São quatro horas. Era um minuto para as duas.