DIABETES MELITUS
TIPO 1
FACULDADES INTEGRADAS DE PATOS
FUNDAÇÃO FRANCISCO MASCARENHAS
BACHARELADO EM BIOMEDICINA
AGOSTINHO...
 O Diabetes Mellitus é uma disfunção caracterizada
pela deficiência total ou parcial de produção de
insulina, hormônio pr...
14.2
17.5
15.6
22.5
9.4
14.1
26.5
32.9
84.5
132.3
1.0
1.3
2000 (milhões) 2010 (milhões)
TOTAIS
2000 : 151 milhões
A EPIDEM...
Milhões
202520001995
100
0
200
300
150
300
Diabetes tipo 2 e outros
~ 90%
~ 6
Milhões por ano
135
270
A EPIDEMIA DE DIABET...
<2% 2%–5% 5%–8% 8%–11% 11%–14%
Prevalência de Diabetes nas Américas
 Hoje no Brasil estima-se 11% da
população igual ou s...
6Ascaridíase
 Sintomas de Diabetes tipo 1
 Vontade de urinar diversas vezes ao dia
 Fome frequente
 Sede constante
 Perda de peso ...
O DM1: caracteriza-se por ser uma doença multifatorial,
dependente da complexa interação entre resposta imunológica,
fator...
IMUNIDADE HUMORAL
No período de manifestação da doença, com a presença de
hiperglicemia e cetose, as células secretoras d...
O estágio pré-clínico é caracterizado pela
presença de auto-anticorpos contra constituintes
da célula-beta pancreática, qu...
 Doenças auto-imunes como o DM1 envolvem a interação de
diferentes subpopulações de linfócitos e células apresentadoras
d...
Componentes celulares e humorais (anticorpos) são detectados
meses ou mesmo anos antes do aparecimento da doença clínica
A...
Morte da Célula Beta
Agressão Celular
Agressão Humoral
PREDISPOSIÇÃO GENÉTICA + FATORES AMBIENTAISPREDISPOSIÇÃO GENÉTICA + FATORES AMBIENTAIS
““QUEBRA”QUEBRA”
TOLERÂNCIA IMUNOLÓ...
Infiltração das ilhotas por células mononucleares que antecede
a doença clínica e persiste por semanas ou meses antes que ...
 O diagnóstico pode ser presumido em pacientes que
apresentam os sintomas e sinais clássicos da doença, que são:
 Sede e...
 O diagnóstico laboratorial do Diabetes Mellitus é
estabelecido pela medida da glicemia no soro ou plasma,
após um jejum ...
 Deve ser feito com o uso da insulina diariamente, de 2 a 3
vezes por dia, ou através do uso de uma bomba infusora de
ins...
 Remédio natural para diabetes:
 O poejo é rico em zinco e cromo.
 O zinco ativa as células beta do
pâncreas, fazendo-o...
 São fontes de fibras solúveis:
 Farinha ou biomassa de banana verde;
 Aveia;
 Semente de linhaça; Oleaginosas, como c...
Fontes:
 Ministério da Saúde - Sistema de Informações
Hospitalares do SUS (SIH/SUS).
IBGE - Estimativas elaboradas no âm...
Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Diabetes melitus tipo 1

2.410 visualizações

Publicada em

EPIDEMIOLOGIA, DIFERENÇAS / PATOGENIA, IMUNOLOGIA, TRATAMENTO,

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.410
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
165
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A Epidemia de Diabetes
    No ano de 2000 haviam 151 milhões de diabéticos no mundo. O crescimento previsto deste número em 10 anos varia entre 23 e 57% nas diferentes áreas. Em 2010 o número de pacientes diabéticos deverá ser de 221 milhões.
    Alguns autores consideram estes números subestimados.
    Zimmet et al. Nature, 414: 782-787, 2001
  • A Epidemia de Diabetes – Visão Global
    A prevalência do diabetes tipo 2 deverá dobrar em 25 anos. A cada ano, 6 milhões de novos casos são diagnosticados.
    King et al, 1998
  • Diabetes melitus tipo 1

    1. 1. DIABETES MELITUS TIPO 1 FACULDADES INTEGRADAS DE PATOS FUNDAÇÃO FRANCISCO MASCARENHAS BACHARELADO EM BIOMEDICINA AGOSTINHO NUNES JULIERMESON MORAIS KÉSIA SOUSA MARCUS VINÍCIUS MURILO NUNES
    2. 2.  O Diabetes Mellitus é uma disfunção caracterizada pela deficiência total ou parcial de produção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas. C.C.G.E.S  Tipo 1: Aparece de forma abrupta em crianças e jovens destruição das células do pâncreas.
    3. 3. 14.2 17.5 15.6 22.5 9.4 14.1 26.5 32.9 84.5 132.3 1.0 1.3 2000 (milhões) 2010 (milhões) TOTAIS 2000 : 151 milhões A EPIDEMIA DE DIABETES Zimmet et al. Nature, 414: 782-787, 2001 +23% +44% +50% +24% +57% +33% 2010 : 221milhões Aumento de 46%
    4. 4. Milhões 202520001995 100 0 200 300 150 300 Diabetes tipo 2 e outros ~ 90% ~ 6 Milhões por ano 135 270 A EPIDEMIA DE DIABETES – VISÃO GLOBAL King et al, 1998 Diabetes tipo 1 ~ 10%
    5. 5. <2% 2%–5% 5%–8% 8%–11% 11%–14% Prevalência de Diabetes nas Américas  Hoje no Brasil estima-se 11% da população igual ou superior a 40 anos, o que representa cerca de 5 milhões e meio de portadores (população estimada IBGE 2005). 5.6 (5.2%)Brasil
    6. 6. 6Ascaridíase
    7. 7.  Sintomas de Diabetes tipo 1  Vontade de urinar diversas vezes ao dia  Fome frequente  Sede constante  Perda de peso (em alguns casos ela ocorre mesmo com a fome excessiva)  Fraqueza  Fadiga  Nervosismo  Mudanças de humor  Náusea e vômito.
    8. 8. O DM1: caracteriza-se por ser uma doença multifatorial, dependente da complexa interação entre resposta imunológica, fatores genéticos predisponentes e influência do meio-ambiente na destruição das células-beta produtoras de insulina.
    9. 9. IMUNIDADE HUMORAL No período de manifestação da doença, com a presença de hiperglicemia e cetose, as células secretoras de insulina já estão em número muito diminuído ou ausentes. A presença de infiltrado inflamatório, configurando insulite, e a ausência de células beta, caracterizam o quadro histológico do DM1  As células secretoras de outros hormônios, como glucagon, somatostatina e polipeptídeo pancreático, também presentes nas ilhotas pancreáticas, são poupadas. Entretanto, o predomínio numérico das células que secretam insulina termina por gerar atrofia das ilhotas.
    10. 10. O estágio pré-clínico é caracterizado pela presença de auto-anticorpos contra constituintes da célula-beta pancreática, que participam da sua PRINCIPAIS AUTO-ANTICORPOS:  ANTI-GAD  ANTI-ILHOTA(ICA)  ANTI-INSULINA(IAA) 12
    11. 11.  Doenças auto-imunes como o DM1 envolvem a interação de diferentes subpopulações de linfócitos e células apresentadoras de antígenos.  Entre estas populações celulares, estão incluídos os linfócitos CD4+ e CD8+, células B, células matadoras naturais (NK – natural killer), macrófagos e células dendríticas, que desempenham importante papel na geração da resposta auto-imune.  A apresentação de auto-antígenos específicos das células beta pancreáticas pelos macrófagos e/ou células dendríticas para os linfócitos T CD4+, constitui-se como o primeiro evento no processo de auto-imunidade visto no DM1. IMUNIDADE CELULAR
    12. 12. Componentes celulares e humorais (anticorpos) são detectados meses ou mesmo anos antes do aparecimento da doença clínica Anticorpos e Células T, NK, B Célula Beta Célula Beta MORTE! Quem desencadeou o “levante” contra as Células Beta?
    13. 13. Morte da Célula Beta Agressão Celular Agressão Humoral
    14. 14. PREDISPOSIÇÃO GENÉTICA + FATORES AMBIENTAISPREDISPOSIÇÃO GENÉTICA + FATORES AMBIENTAIS ““QUEBRA”QUEBRA” TOLERÂNCIA IMUNOLÓGICATOLERÂNCIA IMUNOLÓGICA ATIVAÇÃO CÉLS. T CD4ATIVAÇÃO CÉLS. T CD4 ESPECÍFICASESPECÍFICAS ATIVAÇÃOATIVAÇÃO:: • CÉLS. B (B)CÉLS. B (B) • CÉLS. NK (NK)CÉLS. NK (NK) • CÉLS. CD8CÉLS. CD8++ (T-CD8(T-CD8++ )) • MACRÓFAGOS (MMACRÓFAGOS (Mφφ)) AUTO-IMUNIDADEAUTO-IMUNIDADE CELULAR E HUMORALCELULAR E HUMORAL T-CD4+ T-CD8+ Mφ NK B IL-1ßIL-1ß TNF-TNF-∝∝ INF-INF-γγ ILHOTASILHOTAS LANGHERHANSLANGHERHANS INSULITEINSULITE CÉLULA BETACÉLULA BETA MENOR PRODUÇÃO INSULINAMENOR PRODUÇÃO INSULINA DIABETESDIABETES ATAQUE IMUNE CONTRA CÉLULAS BETA
    15. 15. Infiltração das ilhotas por células mononucleares que antecede a doença clínica e persiste por semanas ou meses antes que uma destruição significativa das células beta ocorra Infiltração das ilhotas por células mononucleares que antecede a doença clínica e persiste por semanas ou meses antes que uma destruição significativa das células beta ocorra INSULITE No curso da insulite os macrófagos e células T ativadas secretam mediadores solúveis (citocinas, óxido nítrico, radicais livres do oxigênio), que provavelmente contribuem para a disfunção e morte da célula beta Mononucleares
    16. 16.  O diagnóstico pode ser presumido em pacientes que apresentam os sintomas e sinais clássicos da doença, que são:  Sede excessiva;  Aumento do volume e do número de micções (incluindo o surgimento do hábito de acordar a noite para urinar);  Fome excessiva;  Emagrecimento. Algumas vezes o diagnóstico é feito a partir de complicações crônicas como:  neuropatia,  retinopatia  doença cardiovascular .
    17. 17.  O diagnóstico laboratorial do Diabetes Mellitus é estabelecido pela medida da glicemia no soro ou plasma, após um jejum de 8 a 12 horas. Assim como também realização do teste de Hemoglobina Glicosilada, TOTG e Microalbuminúria.
    18. 18.  Deve ser feito com o uso da insulina diariamente, de 2 a 3 vezes por dia, ou através do uso de uma bomba infusora de insulina que vai liberando o medicamento na corrente sanguínea aos poucos durante o dia.  O objetivo do tratamento é controlar os níveis de açúcar no sangue evitando os picos de hipoglicemia ou hiperglicemia e por isso é importante também seguir uma dieta para diabetes e praticar exercícios regularmente.
    19. 19.  Remédio natural para diabetes:  O poejo é rico em zinco e cromo.  O zinco ativa as células beta do pâncreas, fazendo-o secretar mais insulina.  Já o cromo melhora o efeito da insulina, podendo ser utilizado no tratamento da diabetes porque normaliza a glicemia sanguínea
    20. 20.  São fontes de fibras solúveis:  Farinha ou biomassa de banana verde;  Aveia;  Semente de linhaça; Oleaginosas, como castanhas e nozes;  Canela;  Vegetais folhosos verde-escuros;  Cereais integrais; Cogumelos; Gérmen de trigo;  Chá verde; Suco de uva integral.  Frutas que são boas no controle para a diabetes tipo 1:  Maçã, Blueberry, Abacate, Cereja, Limão, Amora, Coco
    21. 21. Fontes:  Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS). IBGE - Estimativas elaboradas no âmbito do Projeto UNFPA/IBGE (BRA/4/P31A). www.saude.gov.br Vigitel 2011

    ×