SlideShare uma empresa Scribd logo
ASCARÍASE
ALUNOS:
Alanna Michely
2
Silvana Monteiro
Juliermeson Oliveira
 A doença é conhecida como ascaridíase, ascaridose
ou ascaridiose;
 O nematóide parasita do homem é o Ascaris
lumbricoides;
 Porém existem outras espécies, como a Ascaris
suum encontrados em porcos e em outros animais
como carneiros, cabras, bois, cavalos, aves, cães e
gatos.
Ascaridíase 3
 Reino – Animalia
 Filo – Nematoda
 Classe – Secernentea
 Ordem – Ascaridida
 Família – Ascarididae
 Gênero – Ascaris
 Espécies – A. lumbricoides
A. suum
4Ascaridíase
Fonte: Neves et al, 11ª ed.
 São vermes longos,
cilíndricos e
extremidades afiladas
na região anterior;
 Possui cutícula lisa,
brilhante e com finas
estriações;
 Cor branco-marfim e
rosada;
 Maior nematóide
parasita do intestino do
homem. 5Ascaridíase
 Boca com papilas
sensoriais;
 Esôfago;
 Intestino;
 Reto;
 Ânus;
 Órgãos genitais.
6Ascaridíase
FÊMEA
 Mede de 15 a 30 cm;
 Possui um enrolamento
ventral espiralado na
extremidade caudal.
 Mede de 30 a 40 cm;
 Parte posterior retilínea
ou ligeiramente
encurvada.
Ascaridíase 7
MACHO
 FEMEA
8
 90% dos áscaris localizam-se no intestino ao longo das
alças jejunais;
 Encontrando-se os restantes no íleo, poucos são vistos no
duodeno ou no estômago;
 Os áscaris mantem-se em atividade contínua contra a
corrente peristáltica;
 Não sendo rara a eliminação de vermes pela boca e/ou
pelas narinas;
9Ascaridíase
 São dióicos;
 Monoxênicos;
 Possui 3 fases: ovo, larva e
adulto;
 A fêmea deve ser fecundada
repetidas vezes pelo macho;
 Cada fêmea põe 200 mil ovos
por dia.
10Ascaridíase
 São grandes, coloração branca.
 A forma do ovo fértil é oval ou quase
esférica sendo a casca mais espessa;
 Os ovos férteis tornam-se
embrionados em 15 dias quando em
T° ótimas e presença de
oxigênio;
 As fêmeas não fecundadas podem
eliminar ovos inférteis;
 São mais alongados e tem a casca
mais delgada;
11Ascaridíase
 LARVA
12Ascaridíase
 Através da água, solo e alimentos
contaminados com ovos contendo L3
(rabditóide);
 Poeira, aves e insetos (moscas e baratas);
 Período de incubação- dos ovos férteis até o
desenvolvimento da larva infectante (L3).
 Período de transmissibilidade ocorre todo o
período em que o indivíduo portar o parasita
e estiver eliminando ovos pelas fezes. Quando
os ovos embrionados encontram um meio
favorável, podem permanecer viáveis e
infectantes durante anos.
Ascaridíase 13
Ascaridíase 14
L1 L2
L3L3
Ascaridíase 15
16Ascaridíase
 No homem, ocorrem manifestações clínicas relacionadas à
migração das formas larvares, manifestações digestivas e
fenômenos obstrutivos pelos vermes adultos;
Ascaridíase 17
Dano tecidual direto Resposta imunológica
Fenômenos
obstrutivos
Ascaridíase
18
LARVAS
Infecções de
baixa intensidade
Infecções
maciças
Lesões
hepáticas
Lesões
pulmonares
Focos
hemorrágicos e
necrose
Pontos
hemorrágicos
nos alvéolos
Hepatomegalia e
icterícia
Febre, tosse,
dispnéia e eosinofilia
As larvas podem migrar
para outros órgãos como
rim, coração, cérebro, olho,
ouvido, nariz, ducto biliar,
fossa lacrimal, apêndice e
trato urinário.
 Fundamentalmente laboratorial;
 Eliminação espontânea;
 Parasitológico de fezes;
 Hemograma;
 Métodos imunológicos (intradermorreação e as
provas de soroprecipitação);
 Radiografia simples e contrastada (abdominal e
torácica);
 Escarro;
 Ecografia abdominal.
19Ascaridíase
 Sedimentação de Lutz ou de Hoffmann;
 Pons e Janer;
 Suspensão de Faust.
20Ascaridíase
21Ascaridíase
Ascaridíase 22
Anti-Helmínticos
Levamisol
Citrato de
piperazina
23Ascaridíase
Saneamento básico
24Ascaridíase
Educação sanitária
Lavar as mãos
Higiene geral
25Ascaridíase
Desinfecção
dos
alimentos
crus
Comer apenas
em locais onde
os alimentos
sejam
manipulados
com higiene.
Cozinhar
bem os
alimentos
26Ascaridíase
Ascaridíase 27

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
Rossana Martins
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
3a2011
 
Esquistossomose
Esquistossomose Esquistossomose
Esquistossomose
Juliana Pimenta
 
Trichuris trichiura
Trichuris trichiuraTrichuris trichiura
Trichuris trichiura
Fernanda Marinho
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
Giovana Pimentel
 
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdfAula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
MarcelaGonalves43
 
Ascaridíase,ascaridiose,ascaris
Ascaridíase,ascaridiose,ascarisAscaridíase,ascaridiose,ascaris
Ascaridíase,ascaridiose,ascaris
Mara Farias
 
Apresentação malária
Apresentação maláriaApresentação malária
Apresentação malária
Jakelyne Bezerra
 
Ancilostomose
AncilostomoseAncilostomose
Ancilostomose
crishmuler
 
Ancilostomídeos
AncilostomídeosAncilostomídeos
Ancilostomídeos
Beatriz Henkels
 
Strongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralisStrongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralis
Beatriz Henkels
 
Aula 8 Schistosoma Mansoni 2007 Ok
Aula 8   Schistosoma Mansoni 2007 OkAula 8   Schistosoma Mansoni 2007 Ok
Aula 8 Schistosoma Mansoni 2007 Ok
ITPAC PORTO
 
Amarelão
AmarelãoAmarelão
Amarelão
Larissa Botelho
 
Oxiurose
OxiuroseOxiurose
Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria
Karen Cristina Schneberger
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
Guilherme Barbosa
 
Seminário sobre Helmintos
Seminário sobre HelmintosSeminário sobre Helmintos
Seminário sobre Helmintos
Ágatha Mayara
 
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíaseSchistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Thúlio Bezerra
 
Malaria.
Malaria. Malaria.
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, EnterobiosAscaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
ITPAC PORTO
 

Mais procurados (20)

Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
 
Esquistossomose
Esquistossomose Esquistossomose
Esquistossomose
 
Trichuris trichiura
Trichuris trichiuraTrichuris trichiura
Trichuris trichiura
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
 
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdfAula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
 
Ascaridíase,ascaridiose,ascaris
Ascaridíase,ascaridiose,ascarisAscaridíase,ascaridiose,ascaris
Ascaridíase,ascaridiose,ascaris
 
Apresentação malária
Apresentação maláriaApresentação malária
Apresentação malária
 
Ancilostomose
AncilostomoseAncilostomose
Ancilostomose
 
Ancilostomídeos
AncilostomídeosAncilostomídeos
Ancilostomídeos
 
Strongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralisStrongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralis
 
Aula 8 Schistosoma Mansoni 2007 Ok
Aula 8   Schistosoma Mansoni 2007 OkAula 8   Schistosoma Mansoni 2007 Ok
Aula 8 Schistosoma Mansoni 2007 Ok
 
Amarelão
AmarelãoAmarelão
Amarelão
 
Oxiurose
OxiuroseOxiurose
Oxiurose
 
Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Seminário sobre Helmintos
Seminário sobre HelmintosSeminário sobre Helmintos
Seminário sobre Helmintos
 
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíaseSchistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
 
Malaria.
Malaria. Malaria.
Malaria.
 
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, EnterobiosAscaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
 

Semelhante a Ascaris lumbricoides

Ascaridase
Ascaridase Ascaridase
Ascaridase
Jéssica Angelo
 
Controle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatosControle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatos
flaviahuber59
 
Biologia e controle de carrapatos e ácaros
Biologia e controle de carrapatos e ácarosBiologia e controle de carrapatos e ácaros
Biologia e controle de carrapatos e ácaros
Astral Saúde Ambiental - Líder no controle de pragas
 
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Luciana Duarte
 
12 nematelmintos-2
12 nematelmintos-212 nematelmintos-2
12 nematelmintos-2
Ercio Novaes
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
familiaestagio
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
Marcos Santos
 
Ascarídeos e enterobíase
Ascarídeos e enterobíaseAscarídeos e enterobíase
Ascarídeos e enterobíase
ARTHUR CALIXTO
 
Diptera - vet 145
Diptera - vet 145Diptera - vet 145
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
Primeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologiaPrimeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologia
Marcel Vieira
 
Parasitologia - ACAROS
Parasitologia - ACAROSParasitologia - ACAROS
Parasitologia - ACAROS
Linique Logan
 
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
Sarah Lemes
 
Microbiologia
MicrobiologiaMicrobiologia
Microbiologia
João Pedro Rodrigues
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
Francisco De Assis Silva Costa
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
Altair Hoepers
 
Apresentação 4
Apresentação 4Apresentação 4
Apresentação 4
Gabriely Furtado
 
Dengue
DengueDengue
Elesciene turma 08
Elesciene   turma 08Elesciene   turma 08
Elesciene turma 08
VanderliMari
 
Elesciene turma 08
Elesciene   turma 08Elesciene   turma 08
Elesciene turma 08
VanderliMari
 

Semelhante a Ascaris lumbricoides (20)

Ascaridase
Ascaridase Ascaridase
Ascaridase
 
Controle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatosControle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatos
 
Biologia e controle de carrapatos e ácaros
Biologia e controle de carrapatos e ácarosBiologia e controle de carrapatos e ácaros
Biologia e controle de carrapatos e ácaros
 
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
 
12 nematelmintos-2
12 nematelmintos-212 nematelmintos-2
12 nematelmintos-2
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
 
Ascarídeos e enterobíase
Ascarídeos e enterobíaseAscarídeos e enterobíase
Ascarídeos e enterobíase
 
Diptera - vet 145
Diptera - vet 145Diptera - vet 145
Diptera - vet 145
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Primeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologiaPrimeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologia
 
Parasitologia - ACAROS
Parasitologia - ACAROSParasitologia - ACAROS
Parasitologia - ACAROS
 
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
 
Microbiologia
MicrobiologiaMicrobiologia
Microbiologia
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Apresentação 4
Apresentação 4Apresentação 4
Apresentação 4
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Elesciene turma 08
Elesciene   turma 08Elesciene   turma 08
Elesciene turma 08
 
Elesciene turma 08
Elesciene   turma 08Elesciene   turma 08
Elesciene turma 08
 

Mais de Juliermeson Morais

Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
Juliermeson Morais
 
Psicologia humanista
Psicologia humanistaPsicologia humanista
Psicologia humanista
Juliermeson Morais
 
Retocolite Ulcerativa
Retocolite UlcerativaRetocolite Ulcerativa
Retocolite Ulcerativa
Juliermeson Morais
 
Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1
Juliermeson Morais
 
Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança
Juliermeson Morais
 
bioetica
 bioetica bioetica
Antisepticos
AntisepticosAntisepticos
Antisepticos
Juliermeson Morais
 
Aids na gravidez
Aids na gravidezAids na gravidez
Aids na gravidez
Juliermeson Morais
 

Mais de Juliermeson Morais (8)

Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
 
Psicologia humanista
Psicologia humanistaPsicologia humanista
Psicologia humanista
 
Retocolite Ulcerativa
Retocolite UlcerativaRetocolite Ulcerativa
Retocolite Ulcerativa
 
Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1Diabetes melitus tipo 1
Diabetes melitus tipo 1
 
Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança
 
bioetica
 bioetica bioetica
bioetica
 
Antisepticos
AntisepticosAntisepticos
Antisepticos
 
Aids na gravidez
Aids na gravidezAids na gravidez
Aids na gravidez
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 

Ascaris lumbricoides

  • 3.  A doença é conhecida como ascaridíase, ascaridose ou ascaridiose;  O nematóide parasita do homem é o Ascaris lumbricoides;  Porém existem outras espécies, como a Ascaris suum encontrados em porcos e em outros animais como carneiros, cabras, bois, cavalos, aves, cães e gatos. Ascaridíase 3
  • 4.  Reino – Animalia  Filo – Nematoda  Classe – Secernentea  Ordem – Ascaridida  Família – Ascarididae  Gênero – Ascaris  Espécies – A. lumbricoides A. suum 4Ascaridíase Fonte: Neves et al, 11ª ed.
  • 5.  São vermes longos, cilíndricos e extremidades afiladas na região anterior;  Possui cutícula lisa, brilhante e com finas estriações;  Cor branco-marfim e rosada;  Maior nematóide parasita do intestino do homem. 5Ascaridíase
  • 6.  Boca com papilas sensoriais;  Esôfago;  Intestino;  Reto;  Ânus;  Órgãos genitais. 6Ascaridíase
  • 7. FÊMEA  Mede de 15 a 30 cm;  Possui um enrolamento ventral espiralado na extremidade caudal.  Mede de 30 a 40 cm;  Parte posterior retilínea ou ligeiramente encurvada. Ascaridíase 7 MACHO
  • 9.  90% dos áscaris localizam-se no intestino ao longo das alças jejunais;  Encontrando-se os restantes no íleo, poucos são vistos no duodeno ou no estômago;  Os áscaris mantem-se em atividade contínua contra a corrente peristáltica;  Não sendo rara a eliminação de vermes pela boca e/ou pelas narinas; 9Ascaridíase
  • 10.  São dióicos;  Monoxênicos;  Possui 3 fases: ovo, larva e adulto;  A fêmea deve ser fecundada repetidas vezes pelo macho;  Cada fêmea põe 200 mil ovos por dia. 10Ascaridíase
  • 11.  São grandes, coloração branca.  A forma do ovo fértil é oval ou quase esférica sendo a casca mais espessa;  Os ovos férteis tornam-se embrionados em 15 dias quando em T° ótimas e presença de oxigênio;  As fêmeas não fecundadas podem eliminar ovos inférteis;  São mais alongados e tem a casca mais delgada; 11Ascaridíase
  • 13.  Através da água, solo e alimentos contaminados com ovos contendo L3 (rabditóide);  Poeira, aves e insetos (moscas e baratas);  Período de incubação- dos ovos férteis até o desenvolvimento da larva infectante (L3).  Período de transmissibilidade ocorre todo o período em que o indivíduo portar o parasita e estiver eliminando ovos pelas fezes. Quando os ovos embrionados encontram um meio favorável, podem permanecer viáveis e infectantes durante anos. Ascaridíase 13
  • 17.  No homem, ocorrem manifestações clínicas relacionadas à migração das formas larvares, manifestações digestivas e fenômenos obstrutivos pelos vermes adultos; Ascaridíase 17 Dano tecidual direto Resposta imunológica Fenômenos obstrutivos
  • 18. Ascaridíase 18 LARVAS Infecções de baixa intensidade Infecções maciças Lesões hepáticas Lesões pulmonares Focos hemorrágicos e necrose Pontos hemorrágicos nos alvéolos Hepatomegalia e icterícia Febre, tosse, dispnéia e eosinofilia As larvas podem migrar para outros órgãos como rim, coração, cérebro, olho, ouvido, nariz, ducto biliar, fossa lacrimal, apêndice e trato urinário.
  • 19.  Fundamentalmente laboratorial;  Eliminação espontânea;  Parasitológico de fezes;  Hemograma;  Métodos imunológicos (intradermorreação e as provas de soroprecipitação);  Radiografia simples e contrastada (abdominal e torácica);  Escarro;  Ecografia abdominal. 19Ascaridíase
  • 20.  Sedimentação de Lutz ou de Hoffmann;  Pons e Janer;  Suspensão de Faust. 20Ascaridíase
  • 25. Educação sanitária Lavar as mãos Higiene geral 25Ascaridíase
  • 26. Desinfecção dos alimentos crus Comer apenas em locais onde os alimentos sejam manipulados com higiene. Cozinhar bem os alimentos 26Ascaridíase