Bioética

2.965 visualizações

Publicada em

A palavra ‘bioética’ designa um conjunto de pesquisas, de discursos e práticas, via de regra pluridisciplinares, que têm por objeto esclarecer e resolver questões éticas suscitadas pelos avanços e a aplicação das tecnociências biomédicas.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.965
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.999
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bioética

  1. 1. BIOÉTICA A palavra “bioética” designa um conjunto de pesquisas, de discursos e práticas, via de regra pluridisciplinares, que têm por objeto esclarecer e resolver questões éticas suscitadas pelos avanços e a aplicação das tecnociências biomédicas.
  2. 2. BIOÉTICA  A Bioética é um ramo da Biologia que surgiu na década de 1970 com o avanço das pesquisas genéticas. A Bioética está relacionada de forma transdiciplinar com a Biologia, o Direito, a Ética, a Medicina e até mesmo com questões religiosas.  É uma importante área do conhecimento, pois visa discutir limites e parâmetros éticos e morais para o avanço das pesquisas científicas.
  3. 3. Impasses e incertezas • A reprodução humana tende a tornar-se uma questão de zootecnia • A era do artifício, do in vitro.
  4. 4. A Zootecnia  é um ramo das ciências agrárias que visa desenvolver e aprimorar as potencialidades dos animais domésticos e domesticáveis, com a finalidade de incrementar sua produção como fonte alimentar e outras finalidades.
  5. 5. • Triagem genética de embriões (fascínio/fascismo do belo) • A questão da purificação étnica • Nem todo direito de escolha é saudável • O controle da natureza e de seus acidentes • O conhecimento mortífero do ser humano • A ação desmesurada da potência tecnocientífica Impasses e incertezas
  6. 6. Bioética e direitos humanos • O que é a verdade em matéria de ciência e tratamento? • Certas verdades científicas podem se sobrepor às verdades sociais e culturais? • É moralmente correto obrigar uma pessoa a seguir um tratamento que lhe pode salvar a vida? • Qual a fronteira entre a obrigação profissional e o direito do indivíduo de escolher o pior para si mesmo?
  7. 7. • A vida humana deve ser preservada independentemente de sua qualidade? • Temos o direito de escolher o modo de morrer? • Pode o desejo de morrer ser excluído do projeto humano de viver? • É lícito adiar o morrer prolongando o sofrer? • Vale a pena prolongar a vida física de quem já perdeu a dignidade de viver?
  8. 8. Principais temas abordados:
  9. 9. Pesquisas com células-tronco
  10. 10.  As células tronco, ou stem cells, podem ser obtidas de outras fontes que não embriões.  Em experimentos animais já foi possível obter células diferenciadas de fígado.  Estas pesquisas também podem ser realizadas com células obtidas a partir da medula óssea humana ou de células de cordão umbilical.  O argumento utilizado é que a s células embrionárias são mais promissoras.  A utilização de células tronco adultas com o objetivo de recuperar tecido miocárdico já esta sendo realizada em seres humanos em vários centros de pesquisa.
  11. 11.  Vários segmentos da população tem assumido uma posição contrária a este tipo de pesquisas, pois afirmam que o bem da sociedade não pode ser obtido a partir da morte de alguns indivíduos, mesmo que ainda em fase embrionária.  Igreja Católica Romana tem defendido esta posição.  O princípio da moralidade médica e cirúrgica é nunca realizar um experimento no ser humano que possa causar-lhe dano, de qualquer magnitude, ainda que o resultado seja altamente vantajoso para a sociedade.
  12. 12.  O potencial de aplicações médicas desta nova fronteira de conhecimento - a utilização de células tronco para produzirem materiais biológicos - tem sido utilizado como justificativa moral para esta prática.  Os que defendem a realização de pesquisas com células tronco embrionárias humanas utilizam o raciocínio moral de que um bem social, que será útil para muitas pessoas que sofrem de doenças hoje incuráveis, se sobrepõe ao de um indivíduo.
  13. 13. Clonagem
  14. 14. A ILHA  Data de lançamento 5 de agosto de 2005 (2h 12min)  Direção: Michael Bay  Elenco: Ewan McGregor, Scarlett Johansson, Djimon Hounsou mais  Gêneros Ficção científica, Ação  Nacionalidade: Eua  No futuro existe uma entidade utópica baseada na vida do século XX!, que procura recriá-la nos mínimos detalhes. Lincoln Six Echo (Ewan McGregor) vive nesta realidade e, como todos seus residentes, sonha em chegar em um local chamado "a ilha", o único ponto não contaminado do planeta. Após descobrir que todos os habitantes são clones, que possuem a única finalidade de fornecer partes de seu corpo para seres humanos reais, Lincoln decide escapar juntamente com Jordan Two Delta (Scarlett Johansson).
  15. 15.  Podemos definir a clonagem como um método científico artificial de reprodução que utiliza células somáticas (aquelas que formam órgãos, pele e ossos ) no lugar do óvulo e do espermatozoide.  Vale lembrar que é um método artificial, pois, como sabemos, na natureza, os seres vivos se reproduzem através de células sexuais e não por células somáticas.  A primeira experiência com clonagem de animais ocorreu no ano de 1996, na Escócia, no Instituto de Embriologia Roslin. O embriologista responsável foi o doutor Ian Wilmut. Ele conseguiu clonar uma ovelha, batizada de Dolly.
  16. 16.  De um lado, as religiões, principalmente cristãs, colocam-se radicalmente contra qualquer experiência neste sentido.  Por outro lado, governos de vários países proíbem por considerar um desrespeito a ética do ser humano. Tipos de clonagem: - Clonagem natural - Clonagem induzida - Clonagem reprodutiva - Clonagem terapêutica
  17. 17. Fertilização artificial (in vitro)
  18. 18.  A técnica consiste na coleta dos gametas para que a fecundação seja feita em laboratório e depois na transferência desses embriões de volta para o útero materno.  O método foi usado pela primeira vez na Inglaterra em 1978 e foi trazido ao Brasil em 1983. Nessa época ele era conhecido como bebê de proveta.  Com a chegada da revolucionaria fertilização in vitro dos anos 80, a inseminação artificial foi abandonada e considerada ultrapassada, sendo retomada apenas recentemente.
  19. 19.  Para quem a Fertilização In Vitro é indicada  Normalmente a técnica é utilizada para casais em que a mulher tenha problemas nas trompas ou endometriose, o que pode dificultar a chegada dos espermatozoides até o óvulo. Também pode ser feita em casos de problemas na produção de gametas no homem. Outra situação em que o tratamento é indicado ocorre quando é preciso que seja feita a doação de óvulos, no caso de mulheres que não o produzem mais ou em casos de casais homossexuais masculinos.
  20. 20. O que esperar da Fertilização In Vitro  Normalmente as chances de sucesso estão ligadas à idade do óvulo, já que eles existem na mulher desde a infância e também passam pelo processo de envelhecimento celular. Mulheres com menos de 35 anos tem 60% de chances. Entre 35 e 38 anos, as chances caem para 40%, e continuam a baixar para 30% até os 40 anos, passando para 8% depois.
  21. 21. Riscos da Fertilização In Vitro  Como o embrião é fecundado fora do útero e depois transferido de volta, existe uma pequena chance de que ele se desenvolva fora do útero, a chamada gravidez ectópica, que pode colocar a vida da mulher em risco. Para reduzir as chances desse tipo de gestação, o embrião normalmente é colocado a 1 centímetro do fundo do útero. Como mais de um embrião é transferido, há um risco de gravidez gemelar que varia de 25 a 30% em mulheres abaixo de 35 anos. Esse tipo de gestação é considerada de risco pois normalmente acarreta em parto prematuro, perigosos para a mãe e para o feto. Por haver estimulação dos ovários, pode ocorrer a Síndrome da Hiperestimulação do Ovário (SHO). Nela há uma maior produção do hormônio estradiol, que pode acarretar em trombose depois que a mulher engravida e aumentar o inchaço do corpo.
  22. 22. Aborto
  23. 23.  De uma forma bem reduzida e de fácil entendimento aborto é a interrupção da gravidez pela morte do feto ou embrião, junto com os anexos ovulares durante qualquer momento da etapa que vai desde a fecundação (união do óvulo com o espermatozóide) até o momento prévio ao nascimento.
  24. 24.  Há muitas mulheres que descobrem que são portadoras de determinadas doenças somente na gravidez, pois, nesta fase, muitas doenças se manifestam pondo em risco a continuidade da gestação.  Sabe-se que inúmeros fatores podem levar ao aborto, mas, sabe-se também que, abortos realizados clandestinamente trazem sérias complicações, podendo, inclusive, levar a gestante ao óbito.
  25. 25.  Diversos setores da sociedade, principalmente aqueles religiosos e mais dogmáticos, têm traçado uma visão perturbadora, pessimista e apocalíptica da relação entre a ciência e a vida humana neste final de século.  Um dos documentos mais respeitáveis surgidos nos últimos anos e que contempla a discussão bioética — a Encíclica Evangelium Vitae, do Papa João Paulo II — desenvolve essa linha de pensamento (JOÃO PAULO II, 1995).  A relação de temas abordados pela Encíclica papal abrange tudo aquilo que se opõe de forma direta à vida, como a fome e as doenças endêmicas, guerras, homicídios genocídios, aborto, eutanásia; tudo aquilo que viole a integridade da pessoa, como as mutilações e torturas; tudo aquilo que ofenda à dignidade humana, como as condições sub-humanas de vida, prisões arbitrárias, escravidão, deportação, prostituição, tráfico de mulheres e menores, condições indignas de trabalho. A partir dessa realidade incontestável, o Papa chega a definir o século XX como uma época de ataques massivos contra a vida, como o reino do culto à morte. A veracidade desses fatos, no entanto, é maculada pela unilateralidade do julgamento sobre o presente e pela escuridão apontada para o futuro”,isto é, o ato aborto é contra todos os princípios da bioética .
  26. 26. • Há dois tipos de aborto espontâneo: o aborto iminente e o inevitável. • O aborto iminente a mulher tem um leve sangramento; dores nas costas e outras parecidas com as cólicas menstruais. O aborto inevitável é quando se tem a dilatação do útero para expulsão do conteúdo seguido de fortes dores e hemorragia. O aborto inevitável é dividido em dois tipos: > o incompleto que é quando ocorre depois da saída dos coágulos a saída restante do conteúdo e o aborto preso, que é quando o ovo morre, mas não é expelido ; • Existem vários tipos de abortos provocados com : >Dilatação ou corte >Sucção ou Aspiração >Curetagem >Drogas e Plantas >MINI-ABORTO >Envenenamento por sal >Sufocamento Existem vários tipos de abortos dentre eles o aborto espontâneo :
  27. 27. Conseqüências graves do aborto :  - insuficiência do colo uterino, favorecendo abortos sucessivos no primeiro e no segundo trimestre (10% das pacientes); - partos prematuros, na 20ª ou 30ª semana de gestação; - infecção e obstrução das trompas, provocando esterilidade; - intervenção para estancar a hemorragia produzida; - perigo de lesão no intestino, na bexiga ou nas trompas; - a artéria do útero, nesses casos, freqüentemente, é atingida, criando a necessidade de histerectomia (extirpação do útero), se não for possível estancar a hemorragia; - necessidade de transfusão de sangue; - ablação do útero, se a hemorragia não for estancada; - esterilidade; - Gravidez ectópica (fora do lugar apropriado); - possibilidade de extração do endométrio (mucosa uterina); - formação de aderências no interior do útero e, como conseqüência, esterilidade, frequentemente amenorréia (ausência de menstruação); - possibilidade de placenta prévia na gravidez seguinte, criando a necessidade de cesariana; -infecções graves por causa da presença de corpo estranho;
  28. 28.  - as mesmas da histerectomia; - Insuficiência ou incapacidade do colo uterino; - Aumento da taxa de nascimentos por cesariana (para permitir que o bebê consiga viver mesmo que prematuro); - Danos causados às trompas por possível infecção pós-aborto, causando infertilidade (em 18 % das pacientes). Maior número de complicações em mulheres grávidas que anteriormente provocaram aborto (67,5% entre as que abortaram e 13,4 entre as que não abortaram); - Dentre todas as complicações, a mais grave é a hemorragia, que transforma a nova gravidez em gravidez de alto risco; - O aborto pode provocar complicações placentárias novas (placenta prévia), tornando necessária uma cesariana, para salvar a vida da mãe e da criança; - O aborto criou novas enfermidades: síndrome de ASHERMAN e complicações tardias, que poderão provocar necessidade de cesariana ou de histerectomia; - Isoimunização em pacientes Rh negativo. Aumento, conseqüentemente, do número de gravidez de alto risco; - Partos complicados. Aumento do percentual de abortos espontâneos nas pacientes que já abortaram;
  29. 29. Eutanásia  Decisão de uma pessoa em tirar sua própria vida em determinadas situações de saúde. Exemplo: doenças terminais.
  30. 30.   É uma forma de apressar a morte de um doente incurável, sem que esse sinta dor ou sofrimento.  A ação é praticada por um médico com o consentimento do doente, ou da sua família.  A eutanásia é um assunto muito discutido tanto na questão da bioética quanto na do biodireito, pois ela tem dois lados, a favor e contra.  É difícil dizer qual desses lados estaria correto: de que forma deve-se impor a classificação do certo e errado neste caso?
  31. 31.  Do ponto de vista a favor, ela seria uma forma de aliviar a dor e o sofrimento de uma pessoa que se encontra num estado muito crítico e sem perspectiva de melhora, dando ao paciente o direito de dar fim a sua própria vida.  Já do ponto de vista contra, a eutanásia seria o direito ao suicídio, tendo em vista que o doente ou seu responsável teria o direito de dar fim a sua vida com a ideia de que tal ato aliviaria sua dor e sofrimento.  No Brasil, a eutanásia é considerada homicídio, já na Holanda é permitida por lei.
  32. 32.  A ortotanásia designa-se a suspensão dos meios medicamentosos ou artificiais de manutenção da vida de um paciente em coma irreversível.  A distanásia, aponta-se o emprego de todos os meios terapêuticos possíveis, inclusive os extraordinários e experimentais, num paciente terminal.
  33. 33. Alimentos transgênicos
  34. 34.  Alimentos Geneticamente Modificados: são alimentos criados em laboratórios com a utilização de genes (parte do código genético) de espécies diferentes de animais, vegetais ou micróbios.  Engenharia Genética: ciência responsável pela manipulação das informações contidas no código genético, que comanda todas as funções da célula.  Com o aprimoramento e desenvolvimento das técnicas de obtenção de organismos geneticamente modificados e o aumento da sua utilização, surgiram então, dois novos termos para o nosso vocabulário: biotecnologia e biossegurança.
  35. 35.  Biotecnologia é o processo tecnológico que permite a utilização de material biológico para fins industriais.  A biossegurança é a ciência responsável por controlar e minimizar os riscos da utilização de diferentes tecnologias em laboratórios ou quando aplicadas ao meio ambiente.
  36. 36.  Pontos positivos dos alimentos transgênicos; - Aumento da produção de alimentos; - Melhoria do conteúdo nutricional, desenvolvimento de nutricênicos (alimentos que teriam fins terapêuticos); - Maior resistência e durabilidade na estocagem e armazenamento Pontos negativos dos alimentos transgênicos; - Aumento das reações alérgicas; - As plantas que não sofreram modificação genética podem ser eliminadas pelo processo de seleção natural, pois, as transgênicas possuem maior resistência às pragas e pesticidas; - Aumento da resistência aos pesticidas e gerando maior consumo deste tipo de produto; - Apesar de eliminar pragas prejudiciais à plantação, o cultivo de plantas transgênicas pode, também, matar populações benéficas como abelhas, minhocas e outros animais e espécies de plantas.
  37. 37. Prós e contras  CTNBio Embrapa dizem que a produção dos alimentos transgênicos pode provocar redução no uso de agrotóxicos. Greenpeace afirma que houve aumento do uso de inseticidas nos EUA Embrapa defende que produção de alimentos transgênicos pode amenizar o problema da fome no país. Greenpeace diz que produção de transgênicos favorece a agricultura mecanizada, aumenta o desemprego e piora o quadro social do país. Representante da Embrapa afirma que são gastos US$ 40 bilhões anuais em agrotóxicos no mundo, Greenpeace rebate com a informação de que o consumo de agrotóxicos cresceu nos EUA, ao contrário das previsões anteriores. Embrapa diz que há uma melhoria na qualidade do óleo, vitaminas e proteínas das plantas, que seria similar à do produto convencional, mas o Greenpeace questiona se tais melhoramentos genéticos deveriam trazer substâncias novas, em vez de apenas as mesmas informações genéticas do original. Órgãos de biossegurança têm como ponto de semelhança a incerteza sobre o sobre reações e efeitos sobre a saúde e impacto ambiental.
  38. 38. Alguns países que cultivam alimentos transgênicos Estados Unidos:  melão, soja, tomate, algodão, batata, canola, milho União Europeia: tomate, canola, soja, algodão. Argentina: soja, milho, algodão.
  39. 39. ALIMENTOS DO DIA-A-DIA NÃO RECOMENDADOS PARA NOSSA SAÚDE E na nossa alimentação não é diferente. Lá dizia minha mãe “o que não mata, engorda”, antigamente talvez, mas hoje as coisas estão bem diferentes. Ao mesmo tempo que os alimentos industrializados facilitam nossa vida, complicam nossa saúde. O que faz mal, é exatamente o que tem de bom num fast food… ai ai, só de pensar naquele trio: x-burguer, fritas, refrigerante… Refrigerante: Muita gente substitui água por um refri geladinho, mas não pode. Além de ser pobre em nutrientes, contém corante, sódio, calorias, gás e as vezes uns ratinhos #Ecoww. Engana-se quem acha que ameniza um pouco se for light, lembre-se que para chegar naquele gostinho doce, muita coisa eles enfiaram na bebida. É pra ficar ligado!
  40. 40.  Embutidos ou Comida Processada  Um pãozinho com mortadela, uma delícia… aham, mas prejudicial à nossa saúde, por conter maior teor de gordura saturada, que aumenta o colesterol e risco de doenças cardiovasculares. O sódio pode causar a hipertensão e o corante, alergias e problemas no estômago. Além de possuirem grande quantidade de nitrito e nitrato, que quando no nosso organismo tornam-se substâncias cancerígenas. Consuma com moderação, mas muita moderação! Biscoito Recheado E quem não curte comer só recheio, deixando o biscoito pra outra pessoadepois? Mas essa tão deliciosa guloseima contém muito açúcar e gordura saturada, provocando o aumento do colesterol ruim (LDL) e redução do colesterol bom (HDL), que causa as doenças cardiovasculares graves. Os aditivos que deixam elas coloridinhas, fazem mal pra caramba, estão ligados à problemas como hiperatividade e déficit de atenção. Já começou a entender porque você é assim, né?
  41. 41. Açúcar  O açúcar usado em exagero e por longo tempo, causa o excesso de calorias (não, jura??), tem pouco (ou nenhum) nutriente e aumenta o risco para diabetes. Segundo nutricionistas (Revista Super Interessante) nem a sacarose, dita como a boazinha dos adoçantes, se salva, tudo que é doce demais faz mal, não tem pra onde fugir. O certo seria adoçar pouco e se acostumar a ingerir alimentos sem adição de açúcar. Eu disse que essa lista ia tornar nossa vida sem graça… Sal O consumo exagerado de sal além de reter líquido e dar a sensação de inchaço, ele sobrecarrega o coração e rins, causando hipertenção e enxaqueca. O ideal é temperar a comida com sal na versão hipossódica, ou seja, com menos sódio, ou usar ervas aromáticas, alho, cebola , salsinha e cebolinha. Rolou até uma campanha da Prefeitura de São Paulo: Comida Pronta Congelada Nada melhor que chegar em casa, tirar a roupa e mandar ver no microondas aquela lasanha que está no freezer, vai até brindar com uma taça de vinho. Mas isso é péssimo! Essas refeições são ricas em gordura saturada, aquelas que aumentam o nível do colesterol ruim e desenvolvem doenças cardiovasculares. Também contém sódio que, em excesso, promove o aumento da pressão arterial. E isso vale para qualquer desses alimentos, até a simpática pizza. O melhor mesmo é congelar a comida que sua mãe você mesmo fez Salgadinho Industrializado Todo solteiro já fez a dieta do salgadinho, a vida tem dessas, eu sei, mas saiba que são fontes de glutamato monossódico, é o sal que cria um sabor mais encorpado para o produto. Você já viu no ítem Temperos Industrializados o que esse bonitinho faz com a saúde, então…
  42. 42. Transplante de órgãos
  43. 43.  Como doar ou receber: Para que você seja um doador basta que informe a sua família, pois é ela quem autorizará a retirada dos órgãos quando você morrer. Porém, existem transplantes que podem ser realizados entre pessoas vivas como é o caso do transplante de rim e medula óssea. A doação de medula óssea é bastante simples e não implica em prejuízo algum para o doador bastando que ele se dirija ao hemocentro mais próximo
  44. 44.  O primeiro critério que determina se a pessoa que faleceu pode ou não ser doador é a constatação de morte encefálica.  Depois deve ser verificado se o falecido não teve alguma doença que prejudique o funcionamento de um mais de seus órgãos como hepatite, AIDS e câncer, o que impossibilitaria a doação.  Em alguns casos, como transplante de córnea, o transplante do tecido pode ser feita até 6 dias depois de constatado óbito (desde que mantida em condições adequadas), porém, em outros, como na retirada de um coração o procedimento deve ser feito em no máximo quatro horas.
  45. 45.  Os transplantes de órgãos de animais em seres humanos podem se tornar realidade nos próximos anos, devido à falta de disponibilidade de órgãos humanos, afirmou hoje Anthony Warrens, um importante cientista da área.  Os porcos são uma fonte possível de órgãos para transplante, porque têm aproximadamente o mesmo tamanho que os órgãos humanos e uma fisiologia semelhante. Os cientistas estão criando porcos transgênicos para que seus tecidos não provoquem reações imunológicas nos seres humanos.
  46. 46. Criônica (conservação do corpo humano após a morte. criogênia)
  47. 47.  Criônica é uma prática especulativa que usa o frio para preservar a vida de uma pessoa que não pode mais ser suportada pela medicina comum.  O objetivo é manter a pessoa ao longo do tempo, durante as décadas ou os séculos que sejam necessários, até que o processo de preservação seja reversível e a pessoa possa ser restaurada com perfeita saúde.
  48. 48.  Cryonica é justificada por três fatos que não são bem conhecidos:  1) A vida pode ser parado e reiniciado se a sua estrutura básica é preservada  Embriões humanos são constantemente preservados durante anos a temperaturas que param completamente a química da vida. Humanos adultos sobreviveram até aproximadamente 1 hora a arrefecimentos até temperaturas que param o funcionamento do coração, cérebro, e todos os outros órgãos.
  49. 49.  2) A vitrificação (congelamento não) pode preservar a estrutura biológica muito bem.  Adicionar concentrações de químicos chamados crio- protectores nas células permite ao tecido ser arrefecido até temperaturas bastante baixas com pouca ou nenhuma formação de gelo. O estado de formação sem gelo a temperaturas inferiores a -120ºC é chamado de vitrificação. É neste momento possível vitrificar órgãos tão grandes como o cérebro humano, atingindo uma excelente preservação da estrutura sem congelar.
  50. 50.  3) Métodos para a reparação de estruturas em nível molecular podem ser previstas.  A ciência emergente da nanotecnologia irá eventualmente levar até máquinas capazes de reparar e regenerar extensivamente o tecido, inclusive reparar células individuais uma molécula de cada vez. Esta nanomedicina futura pode teoricamente recuperar qualquer pessoa preservada desde que a estrutura cerebral básica que codifique a memória e a personalidade se mantenham intactas.
  51. 51. Então...  Se a sobrevivência da estrutura significa sobrevivência da pessoa;  Se o frio pode preservar a estrutura essencial com fidelidade suficiente;  Se a tecnologia prevista conseguir reparar lesões causadas pelo processo de preservação; Então a criónica deve funcionar, mesmo sabendo que não pode ser demonstrada a funcionar hoje. Essa é a justificação científica para a criónica. É uma justificação que cresce mais forte com cada avanço na tecnologia de preservação.
  52. 52. Uso de drogas ilícitas em tratamentos médicos
  53. 53. Além do cigarro e do álcool, alguns medicamentos são frequentemente utilizados de maneira abusiva, causando problemas de saúde e até mesmo dependência.  - anabolizantes (bombas): medicamentos com alta dose de hormônios concentrados, utilizados com o objetivo de aumentar a massa muscular. Pode causar alterações no metabolismo do corpo e até impotência sexual. - descongestionantes nasais: remédios utilizados apenas com o fim de desobstruir o nariz, aparentemente não oferecem nenhum risco, mas podem causar dependência e crises de abstinência caso não sejam utilizados. - benzodiazepínicos: são medicamentos tranqüilizantes, utilizados para induzir ao sono ou para reduzir a ansiedade, nervosismo, etc. - xaropes: medicamentos utilizados para controlar a tosse ou dificuldade de respiração, mas que podem conter substâncias semelhantes às do ópio, causando dependência. - anorexígenos: medicamentos utilizados para reduzir o apetite, controlando, assim, o peso.
  54. 54.  No Brasil, atualmente, enfrenta-se um sério problema denominado por alguns pesquisadores tráfico de drogas lícitas. Trata-se do grande consumo de remédios anorexígenos.  Apesar de só ser permitida a compra dos mesmos sob prescrição médica e de apenas alguns laboratórios terem a licença para produzi-los, muitos farmacêuticos e médicos têm o costume de comercializar estes medicamentos sem tomarem qualquer cuidado com a situação da pessoa que fará uso dos mesmos.
  55. 55. Vida artificial
  56. 56.  A ÉTICA ENVOLVIDA nessas criações já provoca debates. Para Pat Mooney, diretor da organização de bioética canadense ETC, esse desenvolvimento da genética gerará discussões sobre os riscos envolvidos: “O que significaria criar novas formas de vida dentro de um tubo de ensaio?”, pergunta. Ele diz ainda que Venter criou um “chassi” do qual será possível construir qualquer organismo. “Isso seria uma contribuição para a humanidade, como as novas drogas, ou uma ameaça, como as armas biológicas.”  “Não tememos a responsabilidade de um assunto tão importante”, afirma Venter. “Estamos lidando com novos modos de melhorar a vida. Nesse assunto tão relevante, não tem como satisfazer a todos.”  Venter acredita no potencial da engenharia genética. A longo prazo, ele espera que ela possa abrir caminho para fontes alternativas de energia. Novas bactérias poderiam ajudar na limpeza do excesso de dióxido de carbono, principal gás causador do efeito estufa, ou na produção de combustíveis como o butano e o propano, feitos a partir do açúcar.
  57. 57.  Pesquisadores do Instituto J. Craig Venter, dos Estados Unidos, anunciaram nesta quinta-feira a criação de um organismo vivo com genoma totalmente sintético, desenvolvido artificialmente a partir de compostos químicos. A equipe conseguiu sintetizar toda a estrutura de DNA da bactéria unicelularMycoplasma mucoides, gerando um novo organismo capaz de se autorreproduzir. Os resultados do experimento foram publicados na revista Science e abriram espaço para uma grande discussão sobre a ética do procedimento.  "Por quase 15 anos, Ham Smith, Clyde Huchison e o resto de nossa equipe estiveram trabalhando por esta publicação de hoje - a conclusão com êxito do nosso trabalho de construir uma célula bacteriana, totalmente controlada por genoma sintético", disse Craig Venter, presidente do instituto a que dá nome, no artigo. "Esperamos revisões e o diálogo sobre as importantes aplicações deste trabalho para garantir que será usado para o benefício de todos", afirmou. Cientistas criam vida artificial em laboratório
  58. 58.  Polêmica  Vários cientistas receberam o anúncio da criação de vida em laboratório com desconfiança. "Este é um momento da caixa de Pandora - como a divisão do átomo ou a clonagem da ovelha Dolly, todos teremos de lidar com as consequências dessa experiência alarmante", disse o presidente do Action Group on Erosion, Technology and Concentration (ETC Group), Pat Mooney, ao jornal britânico Daily Mail.  "Ele não está simplesmente copiando vida artificialmente ou modificando vida com engenharia genética. Ele está caminhando para a função de Deus: criar vida artificial que jamais poderia existir", disse Julian Savulescu, professor de ética da Univeridade de Oxford. "Isso pode ser usado no futuro para criar armas biológicas poderosas".
  59. 59.  A revista The Economist faz várias ressalvas, mas classifica a vida artificial como "uma coisa maravilhosa". "Esse feito poderia provar o domínio do homem sobre a natureza de uma forma mais profunda que a detonação da primeira bomba atômica. A bomba, embora justificada pelo contexto da Segunda Guerra Mundial, foi puramente destrutiva. Biologia tem a ver com nutrição e crescimento". O artigo opinativo da publicação prossegue: "Para o bem ou para o mal, está aí. Criar vida não é mais uma prerrogativa dos deuses".  De acordo com o The New York Times, o assunto chegou ao presidente norte-americano Barack Obama, que pediu à comissão de bioética da Casa Branca realizar um estudo sobre as questões suscitadas pela biologia sintética e apresentar em seis meses as conclusões. Ainda segundo o jornal, Obama disse que o empreendimento levantou "verdadeiras preocupações", embora ele não tenha especificado quais.
  60. 60.  Ao comentar o assunto, o Vaticano preferiu não entrar em detalhes e limitou-se a dizer que era necessário cautela. O porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, disse ser "necessário saber mais" do tema para falar. "É necessário esperar, para saber mais do caso", disse à imprensa Lombardi.

×