 A fertilização in vitro é um processo 
que envolve a retirada dos óvulos do 
corpo da mulher, fertilizá-los dentro 
do l...
 A fertilização in vitro pode ser usada 
como um tratamento efetivo para 
infertilidade em todos os casos com 
exceção da...
 É geralmente usada em casais que não 
conseguiram engravidar após um ano de 
tentativa sem sucesso e que tem um ou 
mais...
 4. Idade materna avançada > ou igual a 
38 anos. 
 5. Reduzida reserva ovariana – Uma 
dosagem de FSH no 3º dia da 
men...
 Em 1978, na Inglaterra, Dr. Roberto Edwads, 
médico cientista e Dr. Patrick Steptoe, 
médico ginecologista e obstetra, i...
 O nascimento do primeiro bebê de 
fertilização in vitro em 1978 deixou o 
mundo surpreso. A FIV é 
provavelmente o proce...
 Fotos aproximadas da inserção do 
esperma no ovulo.
 Normalmente as chances de sucesso 
estão ligadas à idade do óvulo, já 
que eles existem na mulher desde a 
infância e ta...
 Como o embrião é fecundado fora do útero 
e depois transferido de volta, existe uma 
pequena chance de que ele se desenv...
FERTILIZAÇÃO IN VITRO
FERTILIZAÇÃO IN VITRO
FERTILIZAÇÃO IN VITRO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

FERTILIZAÇÃO IN VITRO

1.357 visualizações

Publicada em

FERTILIZAÇÃO IN VITRO

Publicada em: Ciências
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.357
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

FERTILIZAÇÃO IN VITRO

  1. 1.  A fertilização in vitro é um processo que envolve a retirada dos óvulos do corpo da mulher, fertilizá-los dentro do laboratório de FIV, com o sêmen do seu marido e transferir os embriões resultantes para o seu útero 2 a seis dias mais tarde. O primeiro bebê de fertilização in vitro nasceu na Inglaterra em julho de 1978. Hoje, milhares de crianças nascem anualmente como resultado desta técnica.
  2. 2.  A fertilização in vitro pode ser usada como um tratamento efetivo para infertilidade em todos os casos com exceção daqueles casais que tem uma muito baixa contagem de espermatozóides no sêmen.
  3. 3.  É geralmente usada em casais que não conseguiram engravidar após um ano de tentativa sem sucesso e que tem um ou mais dos itens a seguir listados:  1. Bloqueio das trompas de falópio ou aderências pélvica com distorção da arquitetura da anatomia. Mulheres que fizeram ligadura das trompas; assim como homens que fizeram vasectomia.  2. Infertilidade por fator masculina severo ( baixa contagem de espermatozóides ou baixa motilidade).  3. Falha de 2 a 3 ciclos de inseminação intra uterina ou estimulação ovariana com coito programado.
  4. 4.  4. Idade materna avançada > ou igual a 38 anos.  5. Reduzida reserva ovariana – Uma dosagem de FSH no 3º dia da menstruação e uma contagem de folículos antrais são testes de "screnning' para avaliar a quantidade e a a qualidade dos óvulos.  6. Endometriose e infertilidade sem causa aparente.
  5. 5.  Em 1978, na Inglaterra, Dr. Roberto Edwads, médico cientista e Dr. Patrick Steptoe, médico ginecologista e obstetra, iniciaram uma colaboração histórica que culminaria com a maior descoberta médica do século: o primeiro bebê de proveta do mundo. Louise Brown, nascida em 1978.
  6. 6.  O nascimento do primeiro bebê de fertilização in vitro em 1978 deixou o mundo surpreso. A FIV é provavelmente o procedimento de reprodução assistida mais praticado no mundo. No começo era indicado para tratar apenas casais cujas trompas da muilher eram ruins, mas depois a FIV convencional foi indicada para várias outras causa de infertlidade.
  7. 7.  Fotos aproximadas da inserção do esperma no ovulo.
  8. 8.  Normalmente as chances de sucesso estão ligadas à idade do óvulo, já que eles existem na mulher desde a infância e também passam pelo processo de envelhecimento celular. Mulheres com menos de 35 anos tem 60% de chances. Entre 35 e 38 anos, as chances caem para 40%, e continuam a baixar para 30% até os 40 anos, passando para 8% depois.
  9. 9.  Como o embrião é fecundado fora do útero e depois transferido de volta, existe uma pequena chance de que ele se desenvolva fora do útero, a chamada gravidez ectópica, que pode colocar a vida da mulher em risco. Para reduzir as chances desse tipo de gestação, o embrião normalmente é colocado a 1 centímetro do fundo do útero. Como mais de um embrião é transferido, há um risco de gravidez gemelar que varia de 25 a 30% em mulheres abaixo de 35 anos. Esse tipo de gestação é considerada de risco pois normalmente acarreta em parto prematuro, perigosos para a mãe e para o feto.

×