Imperialismo

1.567 visualizações

Publicada em

Imperialismo é a prática através da qual, nações poderosas procuram ampliar e manter controle ou influência sobre povos ou nações mais pobres.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.567
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.332
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Imperialismo

  1. 1.  História http://kaiteos.blogspot.com.br/ Profº Alan
  2. 2.   Imperialismo é a prática através da qual, nações poderosas procuram ampliar e manter controle ou influência sobre povos ou nações mais pobres. Imperialismo
  3. 3.   Algumas vezes o imperialismo é associado somente com a expansão econômica dos países capitalistas; outras vezes é usado para designar a expansão européia após 1870.  Embora Imperialismo signifique o mesmo que Colonialismo e os dois termos sejam usados da mesma forma, devemos fazer a distinção entre um e outro.
  4. 4.  Colonialismo: normalmente implica em controle político, envolvendo anexação de território e perda da soberania. Imperialismo: se refere, em geral, ao controle e influência que é exercido tanto formal como informalmente, direta ou indiretamente, política ou economicamente.
  5. 5.   CONTEXTO HISTÓRICO:  Segunda metade do século XIX quando a expansão dos países europeus industrializados levam as partilhas dos continentes africano e asiático;  Também EUA e Japão exercem atividades imperialistas em suas respectivas regiões de influência... NEOCOLONIALISMO OU “PARTILHA DO MUNDO”
  6. 6.  COLONIALISMO/NEOCOLONIALISMO  COLONIALISMO:  Capitalismo Comercial (mercantilismo);  Objetivos: especiarias, produtos tropicais e metais preciosos;  Continente Americano;  Expansão impulsionada pelo Estado;  NEOCOLONIALISMO:  Capitalismo industrial e financeiro;  Objetivos: mercados consumidores de manufaturas e fornecedores de matérias- primas; busca de colônias para excedente populacional europeu; áreas de investimento de capitais e áreas estratégicas para proteção do comércio marítimo.  Continente africano, Asiático e Oceania;  Expansão impulsionada pela burguesia européia
  7. 7.  COLONIALISMO/NEOCOLONIALISMO  COLONIALISMO: Ideologia legitimadora: Fé católica  NEOCOLONIALISMO:  Ideologias legitimadoras:  Mito da superioridade racial: “Darwinismo Social”  Missão Civilizadora: fardo do homem branco
  8. 8.  O literato inglês Rudyard Kipling (1865-1936) forneceu amplo material de apoio ao imperialismo de seu país. Para ele a Inglaterra podia suportar como nenhuma outra nação “o fardo do homem branco”; em sua obra , The White man’s burden, destaca o dever à filantropia da ação colonizadora inglesa, como se constata nos versos: “O FARDO DO HOMEM BRANCO”
  9. 9.   Assumi o fardo do homem branco  Enviai os melhores dos vossos filhos  Condenai vossos filhos ao exílio  Para que sejam os servidores de seus  Cativos. RUDYARD KIPLING
  10. 10.  O FARDO DO HOMEM BRANCO  Esta propaganda de sabão usa o tema do "Fardo do Homem Branco" para encorajar pessoas brancas a ensinar noções de higiene a membros de outras raças.
  11. 11.  A mensagem era bastante simples:  Kipling justificava o imperialismo não pela busca e exploração dos recursos naturais, mas sim como uma necessidade para levar a “civilização” aos lugares mais “atrasados” do planeta.  A línguas europeias, a religião cristã, as técnicas, a educação, a medicina e até mesmo noções de higiene deveriam ser levadas aos “selvagens”, isto é, os não-brancos. Este era o “fardo”, a missão difícil e pesada do homem branco “civilizado” para os “tristes povos, metade criança, metade demônio”. O FARDO DO HOMEM BRANCO
  12. 12.   O imperialismo do século XIX, permeado pelo ideal da supremacia econômica e cultural, formulou o mito da superioridade racial, incluindo concepções pseudo-científicas que enalteciam os brancos e a exploração imperialista.  Por esse motivo destacou-se a doutrina racista do filósofo inglês H. Spencer, conhecida como “Darwinismo Social”. O DARWINISMO SOCIAL
  13. 13.   Segundo Spencer, a Teoria da Evolução de Darwin, podia ser perfeitamente aplicada à evolução da sociedade.  assim como existia uma seleção natural entre as espécies, com o predomínio dos animais e plantas mais capazes, ela existia também na sociedade.  Na politica o darwinismo social serviu para justificar o domínio ocidental sobre os demais povos. O DARWINISMO SOCIAL
  14. 14.  A luta pela sobrevivência entre os animais correspondia à concorrência capitalista; a seleção natural não era mais nada além da livre troca dos produtos entre os homens; a sobrevivência do mais capaz, do mais forte era demonstrada pela forma criativa dos gigantes da indústria, que engoliam os competidores mais fracos, em seu caminho para o enriquecimento. O DARWINISMO SOCIAL
  15. 15. DIRETA  Com agentes metropolitanos ocupando os principais cargos governamentais.  Ex: Inglaterra na Índia. INDIRETA  Aliança com elites locais, mantendo uma aparente independência política.  Ex: EUA na América Central FORMAS DE DOMINAÇÃO
  16. 16. IMPERIALISMO NA ÁFRICA Início: segunda metade do século XIX Ponto máximo: “Conferência de Berlim Objetivo: delimitar fronteiras coloniais e normas a serem seguidas pelas potências colonizadoras.
  17. 17.  IMPERIALISMO INGLÊS NA ÁFRICA  CANAL SUEZ  controle acionário: França e Egito;  1875:Inglaterra compra as ações do Egito  1904: franceses abandonam o Egito em troca de auxílio inglês para conquista do Marrocos.  GUERRA DOS BÔERES (1899-1902)  Colonos holandeses fundam as Repúblicas de Transvaal e Orange;  Conflito inicia quando se descobre diamantes na região de Joanesburgo, no Transvaal;  Resultado: 1902 Inglaterra vitoriosa anexa as Repúblicas às colônias do Cabo e Natal/ União Sul- Africana
  18. 18.  Cecil Rhodes(1853-1902) Domínio britânico no continente africano
  19. 19.  Presente na África desde 1830, a França dominava as seguintes regiões do continente:  Argélia;  Tunísia;  Marrocos;  Sudão ;  Madagascar;  Somália francesa. IMPERIALISMO FRANCÊS NA ÁFRICA
  20. 20.  Alemanha: Camerun (atual República dos Camarões),Togo, Sudoeste e Oriente da África; Itália: litoral da Líbia, Eritréia, Somália, “Abissínia/Etiópia” são derrotados; Bélgica: Congo (propriedade pessoal do rei); Portugal: Angola, Moçambique, Guiné Bissau e Cabo Verde; Espanha: Rio do Ouro(Gâmbia) OUTROS PAÍSES EUROPEUS NA ÁFRICA
  21. 21.  IMPERIALISMO NA ÁFRICA
  22. 22.  IMPERIALISMO NA ÁFRICA
  23. 23.  ÍNDIA:  1498: chegada dos portugueses com Vasco da Gama;  1763: a vitória da Inglaterra na “Guerra dos Sete Anos(1756/1763)” resulta no predomínio inglês sobre o território;  1848: intensificação do controle com a imposição de uma administração britânica:  Construção de estradas;  Organização de missões políticas e religiosas;  Ruína da economia tradicional (voltada para subsistência e indústria manufatureira); IMPERIALISMO NA ÁSIA
  24. 24.  1857: Guerra dos Cipaios (indianos derrotados passam a condição de colônia britânica) 1876: Ministro Disraeli transforma a Índia em área do Império, sendo a rainha Vitória coroada como “Imperatriz da Índia”. Outras regiões colonizadas pela Inglaterra: Tibete, Afeganistão, Austrália e ilhas vizinhas; 1900: Inglaterra é o maior Império do mundo. IMPERIALISMO NA ÁSIA
  25. 25.   JAPÃO:  Até 1542: isolado do Ocidente;  Grandes Navegações: Portugal e Espanha enviam missões jesuíticas;  1616: extermínio de 37 mil cristãos japoneses e retorno ao isolamento por mais dois séculos;  1648: fecha seus portos aos estrangeiros e organiza-se sob uma estrutura feudal; IMPERIALISMO NA ÁSIA
  26. 26.   1854: EUA força abertura dos portos japoneses ao comércio mundial:  Estratégia: acordo com o clã do Xogunato (família Tokugawa) que possuía comando político do país;  Início da europeização do Japão, este sujeitando-se ao Ocidente;  Oposição ao Xogunato se organiza: clãs rivais unidos ao Imperador se revoltam e voltam centralizar o poder (Império);  Período denominado por “Era Meiji” (industrialização e modernização) que resulta no início do IMPERIALISMO japonês (Ex: guerra contra a China (1894) e contra a Rússia( 1904). IMPERIALISMO NA ÁSIA
  27. 27.   CHINA:  Meados do séc XIX: essencialmente  Essencialmente agrícola  Governo imperial em constantes crises  400 milhões de trabalhadores  1841: Guerra do Ópio  Motivo: em 1839 chineses derramam ao mar 20 mil caixa de ópio dos britânicos (Inglaterra exige indenização que não é paga); IMPERIALISMO NA ÁSIA
  28. 28.   Resultado:  derrota chinesa com assinatura do “Tratado de Nanquin”;  Tratado de Nanquin:  Obrigação de abrir 5 portos ao livre comércio;  Forçada a abolir o sistema de fiscalização;  Hong Kong é entregue à Inglaterra(devolvida em 1997). IMPERIALISMO NA ÁSIA
  29. 29.   1851: “Revolta de Taiping”  Revolta camponesa com apoio da cidade;  Sufocada em 1864.  1900:Guerra dos Boxers (“punhos fechados”)  nacionalistas radicais que buscam libertar o país da dominação estrangeira;  Resultado: reprimidos internacionalmente pela “Força Expedicionária” (ingleses, franceses, alemães, russos, japoneses e estadunidenses)  Derrota da China que é obrigada a reconhecer todas as concessões já realizadas às potências estrangeiras. IMPERIALISMO NA ÁSIA
  30. 30.   1911: Fundação do Partido Kuomitang (nacionalismo chinês:  Fim da monarquia e proclamação da República;  Não obtenção de desenvolvimento autônomo, o que só irá ocorrer em 1949 com a REVOLUÇÃO CHINESA. IMPERIALISMO NA ÁSIA
  31. 31.  “QUINTAL DO MUNDO”
  32. 32.   Meados do século XIX:  Penetração francesa no sudeste asiático;  Ocupação do Vietnã por missionários franceses e após por soldados de Napoleão III  1863: submetem Laos e Camboja;  1887: Criação da União Indochinesa (a qual só irá se libertar em meados do séc XX). PENÍNSULA DA INDOCHINA
  33. 33.  RESULTADO DO IMPERIALISMO  Metrópoles imperialistas:  Lucros e intensificação do desenvolvimento;  Solução parcial para crise (de mercado, de superpopulação...)  Amenizou lutas sociais internas (classe operária)...  Mundo colonizado:  Desestruturação econômica, política, social e cultural;  Fomes, lutas nacionalistas;  Segregação racial e social... CONDUZIU O MUNDO A 1ª GUERRA MUNDIAL.
  34. 34.  As teorias Raciais  As teorias raciais deram “status” cientifico as desigualdades entre os seres humanos.  O conceito de raça classifica a humanidade, fazendo uso de sofisticadas taxonomias( ramo da Biologia e da Botânica que cuida de descrever, identificar e classificar os seres vivos.)  No Brasil o tema é sempre abordado quando se trata no mito da democracia racial.
  35. 35.  Doutrinas raciais européias.  Segundo Léon Poliakov: As bases do arianismo já se encontravam na Europa desde a Idade Média. Os mitos de origem + teorias raciais= surgimento do mito ariano Os mitos de fundação das nações excluía determinados grupos de indivíduos Ex: Espanha visigótica excluía muçulmanos e judeus França: nobreza se intitulava de origem franca para excluir gauleses e romanos.
  36. 36.  François Bernier (1625-1688) (raça no sentido atual)  Existência de 4 ou 5 raças:  Europeus + egípcios e hindus.  Africanos  Chineses e japonês  Lapões (grupo étnico da Europa que se localiza na Noruega, Suécia, Finlândia e Rússia)  Indígenas que se aproximavam dos europeus
  37. 37.  Carlos Lineu( 1707-1778)  Taxinomia baseada na origem geográfica e na cor da pele:  Americanus (teimosos e irritadiços)  Asiaticus ( inatas dificuldades de concentração)  Africanus (lascivos e preguiçosos)  Europeanus (Inteligentes, inventivos e gentis)  Homo ferus (selvagens)  Homo monstruosus ( anormais)
  38. 38.  Buffon (1707-1788)  Misturas raciais causaria a degeneração “...se o branco fosse homem, o negro não seria mais homem, seria um animal a parte como o macaco..” O problema da mistura dos negros e brancos é a diferença de sangue que leva a degeneração. Esta não é irremediável, mas levaria séculos.
  39. 39.  Georges Cuvier ( 1769-1832)  Dividiu a humanidade em 3 subespécies baseadas nas diferenças geográficas e variação da cor da pele:  Caucasiana  Etiópica  Mongólica.  Foram subdivididas por critérios mistos, físicos e culturais
  40. 40.  Blumenbach (1752-1840)  Estabeleceu 5 raças que abriram caminho para as teorias deterministas que buscaram nas “leis da natureza” a explicação para as diferenças físicas e culturais.  Caucasiana  Mongólica  Etiópica  Americana  Malaia
  41. 41.  Iluminismo do século XVIII  Visão unitária da humanidade;  Classificação eurocêntrica;  Padrões de diferenciação com base na religião e na cultura perdem terreno para a taxonomia racial cujos critérios se baseavam na cor da pele, forma do cabelo, tamanho de crânios, entre outros.
  42. 42.  Monogenistas  Baseavam-se na crença de um pai universal, no caso Adão, que seria a gênese de todos os homens.  A diferenciação baseia-se no mito dos irmãos Jafé, Sem e Cam  Jafé, pai dos europeus, persas e indianos, (indo- europeus);  Sem, pai dos semitas, (judeus e árabes).  Cam, pai dos africanos, (negros);
  43. 43.  Poligenistas  Acreditam na existência de vários centros de criação. Ganharam espaço devido ao desenvolvimento da ciências (resultado das leis biológicas e naturais).  Encorajado pelo surgimento da frenologia e da antropometria que passam a interpretar a capacidade humana tomando por conta o tamanho e a proporção do cérebro dos diferentes povos.
  44. 44.  Charles Darwin (1809-1882)  Teoria da evolução  O conceito de raça ultrapassa os problemas estritamente biológicos, adentrando questões de cunho político e social.  Darwinismo social: De acordo com esse pensamento, existiriam características biológicas e sociais que determinariam que uma pessoa é superior Geralmente, alguns padrões determinados como indícios de superioridade em um ser humano seriam a habilidade nas ciências humanas e exatas em detrimento das outras ciências, como a arte, por exemplo, e a raça da qual ela faz parte.  Na politica o darwinismo social serviu para justificar o domínio ocidental sobre os demais povos.
  45. 45.   O darwinismo Social, juntamente com a antropologia e a etnografia do século XIX ajudaram a construir a ideia de “missão civilizatória” das potencias imperiais  O chamado neo imperialismo trazia o fardo do homem branco de levar o progresso e a civilização ao povos primitivos a atrasados.
  46. 46.  Hebert Spencer  Defende a ideia da sobrevivência do mais adaptado e a luta pela sobrevivência.  A marcha do homem para um futuro melhor se desenvolvia em virtude de uma lei universal.
  47. 47.  E.B Tyler (1832-1917)  As sociedades não eram diferentes por natureza, mas representativas de um estágio anterior da evolução no caminho da civilização moderna.
  48. 48.  Gobineau (1816-1882)  Autor do “Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas (1854)”  Defendia a ideia de que a desigualdade das raças humanas não era uma questão absoluta, mas um fenômeno ligado a miscigenação.
  49. 49.  Francis Galton (1822-1911)  Fundador da eugenia- Teoria Eugênica  Tinha como pressuposto a ideia de que os caracteres mentais e, sobretudo, a inteligência eram hereditários ao mesmo título que os caracteres físicos.  Proposta de higiene racial através na intervenção na reprodução das populações, com a proibição de casamentos inter-raciais e a severa restrições a alcoólotras, epiléticos e alienados.
  50. 50.  Zoológicos Humanos  Seculo XIX na Europa- exposição de tipos humanos exóticos.  Um mercado consumidor para a exibição das “raças inferiores” (Londres, Paris, Nova York, Amsterdã, Milão, Barcelona, etc) como pigmeus africanos e neozelandeses, negros da Núbia, apaches, esquimós e nativos de Samoa e Suriname.
  51. 51.
  52. 52.
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56.
  57. 57.
  58. 58.  Racismo à brasileira  O cientificismo na Europa teve grande repercussão no Brasil disputando espaço com a religião.  Neste sentido dá-se larga referencia às Ciências Naturais e a Teoria da Evolução.  Ao lado de Comte( 1789-1857) , recebia vários elogios dos jornais brasileiros do período e dividia a atenção dos eleitores
  59. 59.   Estas mesmas teorias que agradava os brasileiros, serviam os vários viajantes como instrumentos para representar o Brasil como exemplo de nação degenerada de raças mistas.  Assim, apresentava-se o problema de um país de raças miscigenadas, um modelo da falta e atraso em função de sua composição étnica e racial.
  60. 60.  Louis Couty (1854-1884)  Professor da Escola Politécnica do Rio de Janeiro e no Museu Nacional  Vê o Brasil sob a ótica negativa do racismo europeu.  Os males do Brasil são devido a presença africana e por isso clamava o fim da escravidão e a entrada de imigrantes.  Ele acreditava que se o Brasil tivesse aberto as portas para os italianos e alemães desde a Independência talvez o Brasil já estivesse em pé de igualdade com a Australia e com os Estados Unidos.
  61. 61.   Gobineau julgava o Brasil culturalmente estagnado e como um risco permanente para a saúde.  “Desprezava os brasileiros que via como irrevogavelmente manchados pela miscigenação”
  62. 62.  Louis Agassiz (1807-1873)  “Que qualquer um que duvida dos males dessa mistura de raças, e se inclina, por mal entendida filantropia, a botar abaixo todas as barreiras que as separam- venha para o Brasil”  Para ele , o país era o maior exemplo de deterioração decorrente do amalgama(mistura de coisas diversas) de raças, que apaga rapidamente as melhores qualidades do homem branco, do negro e do índio, deixando um tipo indefinido, hibrido, deficiente em energia física e mental.
  63. 63.  COMO CONVIVER COM UMA TEORIA QUE LEVAVA A INVIABILIDADE DE UMA NAÇÃO?  Alguns mestiços (quase que invariavelmente mulatos claros)tinham ascendido ao topo da hierarquia social e politica)  A tese do branqueamento se apoiava na hipótese de que a mistura racial, da forma como ocorria no Brasil, produzia naturalmente uma população mais clara já que as pessoas sempre procuravam parceiros mais claros que ela.
  64. 64.  Silvio Romero ( 1851-1914)  Atacou a miscigenação apoiada nas ideias de Gobineau sobre a decadência da civilização a partir do abastardamento dos arianos.  Ele temia que o Brasil viesse a ser dominado por raças inferiores ou cruzadas.
  65. 65.  Oliveira Viana(1883-1951)  Sua teoria defendia a ideia de que a politica eugenista formaria com o tempo uma nova raça ariana nos trópicos. Suas ideias eram baseadas na superioridade da raça branca, como: a maior reprodução da raça branca; a maior taxa de mortalidade dos negros e mulatos, submetidos a miséria e à fome após a abolição; e no controle politico ideológico deste projeto baseado na imigração europeia.
  66. 66.  Henry Thomas Buckle (1821-1862)  Através de analise da precipitação, topografia, sistema hidrográfico, do regime de ventos do Brasil (sem nunca ter vindo ao Brasil ou ter se baseado em estudo genuinamente cientifico) acreditava que o homem seria levado a insignificância devido a magnitude da vegetação e da fauna.
  67. 67.  Euclides da Cunha (1866-1909)  A concepção euclidiana, a mistura racial no sertão teria sido um fator positivo, favorável à adaptação ao meio, sobretudo através do sangue indígena. Assim , o mestiço sertanejo é um retrogrado, não é um degenerado.  Autor de Os Sertões.
  68. 68.   As doutrinas raciais, introduzidas nos discursos da eleite intelectual brasileira, ajudaram a forjar representações sociais diante dos negros, metiços , indígenas e imigrantes  No século XX, a imagem do “Jeca Tatu” seria o fardo nacional.  Os índios perdem a importância;  Os negros passam a ser identificados como propícios ao crime e ligados à vadiagem.
  69. 69.   O MITO DA DEMOCRACIA RACIAL, QUE VEICULA A IMAGEM DE UM AMBIENTE ISENTO DE PRECONCEITOS DE COR, CRIOU UM AMBIENTE PROPICIO PARA QUE O RACISMO FOSSE REPRODUZIDO NO PAIS DE FORMA OCULTA E VELADA ATE OS DIAS DE HOJE!!

×