Pesquisa

737 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa

  1. 1. O que é pesquisa ? Pesquisa é o mesmo que busca ou procura. Pesquisar, portanto, é buscar ou procurar resposta para alguma coisa. Em se tratando de Ciência (produção de conhecimento) a pesquisa é a busca de solução a um problema que alguém queira saber a resposta. Não gosto de dizer que se faz ciência, mas que se produz ciência através de uma pesquisa. Pesquisa, portanto, é o caminho para se chegar à ciência, ao conhecimento. Pesquisa é a investigação de um problema (teórico ou empírico) realizada a partir de uma metodologia (que envolve tanto formas de abordagem do problema quanto os procedimentos de coleta de dados), cujos resultados devem ser válidos, embora a provisoriedade seja uma característica do conhecimento científico.
  2. 2. Delineamento da pesquisa Momento que estabelecemos o tipo de pesquisa que será utilizada. Pesquisa Bibliográfica – Principalmente de livros e artigos científicos. Permite uma cobertura muito mais ampla do que na pesquisa direta, mas que depende da validade dos dados coletados, que podem ser equivocados, tendendo seus eventuais erros a serem ampliados. O procedimento é o seguinte: Levantamento, Leitura, Elaboração de Fichas, Ordenação e Análise das Fichas e Conclusões. Pesquisa Documental – As fontes são documentos sem tratamento analítico, tais como: documentos oficiais, reportagens de jornais, cartas, contratos, diários, filmes, fotografias, gravações etc. Também que já tiveram alguma análise como: relatórios de pesquisa, de empresas, tabelas estatísticas etc.
  3. 3. Pesquisa Experimental – Experimentos "Apenas depois" com dois grupos homogeneizados, um experimentado e outro de referência. Experimentos "Antes depois" com um único grupo. Experimentos "Antes depois" com dois grupos, tido como o mais completo. Pesquisa Ex-post-facto – Semelhante ao anterior, mas sobre fatos espontâneos como a abertura de uma grande indústria. Levantamento – Interrogação direta às pessoas com comportamento de interesse. Estudo de Caso – Estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos.
  4. 4. Quanto a abordagem do problema, a metodologia da pesquisa pode ser: QUALITATIVA Tem caráter exploratório, isto é, estimula os entrevistados a pensarem livremente sobre algum tema, objeto ou conceito. Mostra aspectos subjetivos e atingem motivações não explícitas, ou mesmo conscientes, de maneira espontânea. É utilizada quando se busca percepções e entendimento sobre a natureza geral de uma questão, abrindo espaço para a interpretação. É uma pesquisa indutiva, isto é, o pesquisador desenvolve conc eitos, idéias e entendimentos a partir de padrões encontrados nos dados, ao invés de coletar dados para comprovar teorias, hipóteses e modelos pré-concebidos.
  5. 5. QUANTITATIVA É mais adequada para apurar opiniões e atitudes explícitas e conscientes dos entrevistados, pois utiliza instrumentos estruturados (questionários). Deve ser representativa de um determinado universo de modo que seus dados possam ser generalizados e projetados para aquele universo. Seu objetivo é mensurar e permitir o teste de hipóteses, já que os resultados são concretos e menos passíveis de erros de interpretação. Em muitos casos cria-se índices que podem ser comparados ao longo do tempo, permitindo traçar um histórico de informação.
  6. 6. Quanto aos objetivos pretendidos, a pesquisa se classifica em: Exploratória: envolve uma maior proximidade com tudo o que está relacionado com o objeto de pesquisa. São exemplos, os Estudos de Caso (estudo exaustivo e detalhado) e as Pesquisas Bibliográficas (consulta a livros e outros materiais já publicados). Descritiva: levantamento de dados recorrendo a técnicas padronizadas de coleta, como o questionário ou a observação sistemática. Explicativa: procura explicar os fatores que ocasionam os fenômenos. Nas ciências naturais é usado o método experimental, enquanto nas ciências sociais recorre-se ao método observacional.
  7. 7. Sabendo o que é pesquisa, agora podemos definir o que é pesquisa social. Trataremos aqui a pesquisa social de natureza qualitativa. Pesquisa Social Processo que, utilizando a metodologia científica, permite a obtenção de novos conhecimentos no campo da realidade social. Esta envolve todos os aspectos relativos ao homem em seus múltiplos relacionamentos com outros homens e instituições sociais. Estuda características e/ou busca respostas sobre um grupo social. O seu objeto de estudo tem que ser situado no tempo e no espaço. Não é genérica seus resultados são provisórios. Pode ser pura ou aplicada.
  8. 8. Pesquisa pura Nesse tipo de pesquisa o objetivo é compreender o porquê de algum fenômeno de interesse do pesquisador. Embora a motivação inicial possa perfeitamente ser derivada da observação de algum problema prático, o que se busca não é resolver este problema em si, e sim criar uma base de conhecimentos que permita sua abordagem de forma sistêmica. A coerência e a precisão da pesquisa é o ponto mais importante, e o resultado final é a publicação de um artigo, livro, etc... Busca o progresso da ciência.
  9. 9. Pesquisa aplicada Nesse tipo de pesquisa o objetivo é descobrir como resolver um problema específico, geralmente colocado para o pesquisador por seu contratante. O nível dos conhecimentos utilizados para se chegar a uma solução aplicável é basicamente irrelevante, o que importa é resolver o problema e entregar o produto desejado em um prazo adequado. Em muitos casos se utilizam as mais complexas ferramentas teóricas como na pesquisa pura, mas em outros apenas se constrói alguma coisa "no olho" e se testa para ver o que acontece. A pesquisa aplicada depende da pura, bem como, apresenta o interesse na aplicação, utilização e consequências práticas do conhecimento.
  10. 10. ETAPAS DE UMA PESQUISA SOCIAL • Formulação do Problema O problema focaliza o que vai ser investigado dentro do tema da pesquisa. Sem problema não há pesquisa. • Construção de Hipóteses ou Determinação dos Objetivos Parte fundamental da pesquisa. É onde se convence o leitor de que sua pesquisa deve ser feita.
  11. 11. • Delineamento da Pesquisa O elemento mais importante nesta tarefa é o procedimento adotado para a coleta de dados, que pode ser baseado em papel ou pessoas. É o tipo de pesquisa utilizada: bibliográfica, documental, experimental, pesquisa Ex-post-facto, levantamento e estudo de caso.
  12. 12. • Seleção da Amostra A pesquisa qualitativa não se baseia no critério numérico para garantir sua representatividade. A amostragem boa é aquela que possibilita abranger a totalidade do problema investigado em suas múltiplas dimensões (Minayo, 1992). • Elaboração dos Instrumentos de Coleta de Dados Preparação dos instrumentos de coleta de dados: entrevistas, observações, formulários, história de vida.
  13. 13. • Coleta de Dados Devemos definir as técnicas a serem utilizadas tanto para a pesquisa de campo (entrevistas, observações, formulários, história de vida) como para a pesquisa suplementar de dado, caso seja utilizada pesquisa documental, consulta a anuários, censos. Deve ser anexado ao projeto o roteiro dos instrumentos utilizados em campo.
  14. 14. • Análise e Interpretação dos Resultados A análise tem por objetivo organizar e sumarizar os dados para fornecerem as respostas ao problema proposto para investigação. Já a interpretação busca o sentido mais amplo das respostas, com a ligação à outros conhecimentos previamente obtidos. A despeito de sua variabilidade, é possível afirmar que em boa parte das pesquisas sociais são observados os seguintes passo:
  15. 15. Estabelecimento de Categorias – Agrupamento das respostas em certo número de categorias que devem seguir regras como estas: a) as categorias devem derivar de um único princípio de classificação; b) o conjunto de categorias deve ser exaustivo; c) as categorias devem ser mutuamente exclusivas. Para evitar o excesso de categorias é conveniente a inclusão de uma categoria residual. Codificação – Antes (perguntas fechadas) ou depois da coleta de dados. Tabulação – Processo de agrupar e contar os dados nas várias categorias, do modo simples ou cruzado (entre duas categorias).
  16. 16. Descrição dos Dados – Para caracterizar o que é típico no grupo (por valores médios ); indicar a variabilidade dos indivíduos do grupo (medidas de dispersão); distribuir indivíduos em relação a determinadas variáveis; determinação da força da relação entre variáveis (entre –1 e +1). Avaliação das Generalizações Obtidas com os Dados – Com teste de hipóteses ou testes de significância, partindo-se da hipótese nula para ser rejeitada ou não. Inferência de Relações Causais. Interpretação dos Dados – Através do equilíbrio entre a teoria e as pesquisas. • Relatório

×