Belém-PA
2015
CONCEITO
•CÂNCER É O NOME DADO A
UM CONJUNTO DE MAIS DE 100
DOENÇAS QUE TÊM EM
COMUM O CRESCIMENTO
DESORDENADO DE CÉLULAS,...
BREVE HISTÓRICO
• 4.000 ANOS aC – povos egípcios, Persas e Indianos
• FOI A ESCOLA DE MEDICINA DE HIPÓCRATES NA GRÉCIA (PI...
BREVE HISTÓRICO
• SÉCULO XIX, COM O AUMENTO DOS CONHECIMENTOS DE TÉCNICAS
CIRÚRGICAS E O CRESCENTE INTERESSE DOS MÉDICOS P...
10%
Morte Súbita
90%
Doença
Crónica e
Prolongada
O CÂNCER
•É ATUALMENTE A SEGUNDA CAUSA DE MORTE NO MUNDO
OCIDENTAL
TUMORES FREQUENTES
•HOMENS SÃO DE PRÓSTATA, PULMÃO, ESTÔMAGO,
CÓLON E RETO E ESÔFAGO;
•MULHERES, PREDOMINAM OS CÂNCERES DE...
PSICOONCOLOGIA
• 1970
• CAMPO INTERDISCIPLINAR DA SAÚDE QUE ESTUDA A INFLUÊNCIA DE
FATORES PSICOLÓGICOS SOBRE O DESENVOLVI...
AVALIAR
•1 – O IMPACTO DO CÂNCER NO FUNCIONAMENTO EMOCIONAL DO
PACIENTE, DE SUA FAMÍLIA E DOS PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS
EM ...
ACOMPANHAR
•A DOENÇA ONCOLÓGICA É ACOMPANHADA DE MARCADO
SOFRIMENTO PSICOLÓGICO QUE ATINGE O DOENTE E A
FAMÍLIA
•MOMENTO D...
ACOMPANHAR
•1- INCERTEZA ACERCA DO FUTURO
•2- BUSCA DE UM SIGNIFICADO
•3- PERDA DE CONTROLE
•4- NECESSIDADE DE DIÁLOGO
•5-...
INTER-RELAÇÃO
•CONHECER O PACIENTE
•RESGASTAR VIDA NESSES PACIENTES
•REVELAÇÃO SEUS MEDOS, DESEJOS, EMOÇÕES
E SENTIMENTOS
PROCESSO
saúde
Corpo e
Mente
doença
medos, desejos, emoções e sentimentos
FASES
1
• Prevenção
• Diagnóstico
2
• Tratamento
3
• Cura
• Terminalidade
“...é antes de mais, acolher o outro... Ousar a
comunicação, numa abertura feita de tolerância, de
calor humano, de autent...
A solidão e a perda necessitam
ser trabalhadas
(Dimensão psíquica)
AMPLO ESPECTRO DE
INTERVENÇÃO
(Dimensão espiritual)
“Às...
SERÁ QUE OS DOENTES SE
SENTEM BEM ESTANDO NESTES
CUIDADOS?
• Medo
• Revolta
• Raiva
•Perda de rumo
• Desesperança
• Apoio
...
PORQUÊ O APOIO À FAMÍLIA?
•Faz parte integrante do cuidado.
•90% dos doentes morrem doença crônica e prolongada.
•As famíl...
Aspectos psicologicos do paciente oncológico
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aspectos psicologicos do paciente oncológico

377 visualizações

Publicada em

Oncologia

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Como se morre hoje em dia?

    Face à situação do considerável aumento de pessoas idosas, com idades avançadas (envelhecimento progressivo), às mudanças epidemiológicas consequentes das doenças crónicas, ao aumento das pessoas que vivem sozinhas, ao aumento constante por parte da sociedade da procura de novas respostas aos problemas do envelhecimento e da dependencia. É urgente que haja na sociedade soluções para estes casos.

    Vamos entao ver um excerto de um pequeno filme

  • Aspectos psicologicos do paciente oncológico

    1. 1. Belém-PA 2015
    2. 2. CONCEITO •CÂNCER É O NOME DADO A UM CONJUNTO DE MAIS DE 100 DOENÇAS QUE TÊM EM COMUM O CRESCIMENTO DESORDENADO DE CÉLULAS, QUE INVADEM TECIDOS E ÓRGÃOS.
    3. 3. BREVE HISTÓRICO • 4.000 ANOS aC – povos egípcios, Persas e Indianos • FOI A ESCOLA DE MEDICINA DE HIPÓCRATES NA GRÉCIA (PIONEIROS POR SEPARAR A MEDICINA DA MAGIA) que primeiramente definiu a doença como um tumor duro que, muitas vezes, reaparecia depois de extirpado. • ATÉ O SÉCULO XVI a medicina consideravam que a doença era um desequilíbrio dos fluídos corpóreos e/ou um desequilíbrio do sistema linfático. • SOMENTE NO SÉCULO XVIII – ITALIANOS E FRANCESES - o câncer como uma unidade específica localizada em uma parte do corpo /compreensão que os órgãos tinham em diferentes tecidos que, por sua vez, eram afetados por diferentes tipos de câncer / metástase
    4. 4. BREVE HISTÓRICO • SÉCULO XIX, COM O AUMENTO DOS CONHECIMENTOS DE TÉCNICAS CIRÚRGICAS E O CRESCENTE INTERESSE DOS MÉDICOS PELA ONCOLOGIA, COMEÇARAM A SURGIR OS PRIMEIROS CASOS DE SUCESSO EM PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS COMO A REMOÇÃO DE UM TUMOR NO ESTÔMAGO (1881) E A MASTECTOMIA (1890) • SÉCULO XX – DESCOBERTA DO RAIO-X / RADIOTERAPIA E QUIMIOTERAPIA / CIRURGIA E HORMONIOTERAPIA.
    5. 5. 10% Morte Súbita 90% Doença Crónica e Prolongada
    6. 6. O CÂNCER •É ATUALMENTE A SEGUNDA CAUSA DE MORTE NO MUNDO OCIDENTAL
    7. 7. TUMORES FREQUENTES •HOMENS SÃO DE PRÓSTATA, PULMÃO, ESTÔMAGO, CÓLON E RETO E ESÔFAGO; •MULHERES, PREDOMINAM OS CÂNCERES DE MAMA, COLO UTERINO, CÓLON E RETO, PULMÃO E ESTÔMAGO.
    8. 8. PSICOONCOLOGIA • 1970 • CAMPO INTERDISCIPLINAR DA SAÚDE QUE ESTUDA A INFLUÊNCIA DE FATORES PSICOLÓGICOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO, O TRATAMENTO E A REABILITAÇÃO DE PACIENTES COM CÂNCER. (PACIENTE/FAMÍLIA E PROFISSIONAIS) • DEVE SER ENTENDIDA COMO UM INSTRUMENTO QUE VIABILIZA ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES NO CAMPO DA SAÚDE, DESDE A PESQUISA CIENTÍFICA BÁSICA ATÉ OS PROGRAMAS DE INTERVENÇÃO CLÍNICA.
    9. 9. AVALIAR •1 – O IMPACTO DO CÂNCER NO FUNCIONAMENTO EMOCIONAL DO PACIENTE, DE SUA FAMÍLIA E DOS PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS EM SEU TRATAMENTO; •2 - O PAPEL DAS VARIÁVEIS PSICOLÓGICAS E COMPORTAMENTAIS NA INCIDÊNCIA E SOBREVIVÊNCIA DO CÂNCER.
    10. 10. ACOMPANHAR •A DOENÇA ONCOLÓGICA É ACOMPANHADA DE MARCADO SOFRIMENTO PSICOLÓGICO QUE ATINGE O DOENTE E A FAMÍLIA •MOMENTO DE ADAPTAÇÃO •ANSIEDADE / DEPRESSÃO •REAÇÕES EMOCIONAIS
    11. 11. ACOMPANHAR •1- INCERTEZA ACERCA DO FUTURO •2- BUSCA DE UM SIGNIFICADO •3- PERDA DE CONTROLE •4- NECESSIDADE DE DIÁLOGO •5- O SEXTO SINAL VITAL
    12. 12. INTER-RELAÇÃO •CONHECER O PACIENTE •RESGASTAR VIDA NESSES PACIENTES •REVELAÇÃO SEUS MEDOS, DESEJOS, EMOÇÕES E SENTIMENTOS
    13. 13. PROCESSO saúde Corpo e Mente doença medos, desejos, emoções e sentimentos
    14. 14. FASES 1 • Prevenção • Diagnóstico 2 • Tratamento 3 • Cura • Terminalidade
    15. 15. “...é antes de mais, acolher o outro... Ousar a comunicação, numa abertura feita de tolerância, de calor humano, de autenticidade” WARSON, 1998. ACOMPANHAR “ É percorrer uma parte do caminho ao lado de alguém até um destino cuja natureza desconhecemos. Não se trata de lhe propormos percorrer o caminho no seu lugar” ( RAVEZ; 1998) , mas sim de o auxiliar na sua caminhada. Confronto de emoções, exposição a diversos tipos de sofrimento para todos os intervenientes
    16. 16. A solidão e a perda necessitam ser trabalhadas (Dimensão psíquica) AMPLO ESPECTRO DE INTERVENÇÃO (Dimensão espiritual) “Às vezes a tarefa do artista é descobrir quanta música ainda pode tocar com aquilo que lhe resta” Itzhak Perlman, 1995 Doente e família são alvo do cuidar (Dimensão física e social) CUIDADO
    17. 17. SERÁ QUE OS DOENTES SE SENTEM BEM ESTANDO NESTES CUIDADOS? • Medo • Revolta • Raiva •Perda de rumo • Desesperança • Apoio • Carinho • Orientação • Segurança •Alivio • Aceitação
    18. 18. PORQUÊ O APOIO À FAMÍLIA? •Faz parte integrante do cuidado. •90% dos doentes morrem doença crônica e prolongada. •As famílias vivem situações de grande stress •As famílias não estão preparadas para cuidar dos seus entes queridos •Maioria prefere a morte em casa, embora não aconteça. •Família prefere cuidar em casa, se tiver apoio adequado.

    ×