Duratex - Resultados do 1º Semestre de 2009

866 visualizações

Publicada em

Apresentação dos Resultados do 1º Semestre de 2009

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Duratex - Resultados do 1º Semestre de 2009

  1. 1. APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 11 de novembro de 2009 1
  2. 2. Índice  Nova Duratex  Governança Corporativa  Mercado de Capitais  Divisão Deca  Divisão Madeira  Associação  Destaques  Cenário Favorável  Momento Duratex  Disclaimer  Anexo 2
  3. 3. Nova Duratex Associação entre Duratex e Satipel  22/06/09: Assinatura do Protocolo de Intenção de Associação  31/08/09: AGEs aprovam a associação • Eleição dos membros do Conselho de Administração • Eleição dos membros da nova Diretoria Executiva  08/10/09: novo ticker de negociação: DTEX3 • principais índices em que a ação se inclui: Ibovespa, ISE e MSCI 3
  4. 4. Governança Corporativa Administração CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PRESIDENTE Salo Davi Seibel VICE-PRESIDENTES Alfredo Egydio Arruda Villela Filho e Ricardo Egydio Setúbal MEMBROS Alcides Lopes Tápias*, Hélio Seibel, Paulo Setúbal, Pedro Parente*, Rodolfo Villela Marino e Rogério Ziviani* * membros independentes (33%) Suplentes Andréa Seibel, Olavo Egydio Setúbal Jr. e Ricardo Villela Marino DIRETORIA EXECUTIVA PRESIDENTE Henri Penchas 4
  5. 5. Governança Corporativa Administração 04.11.09: RCA aprova a criação de 4 Comitês de Gestão:  Comitê de Pessoas:  remuneração  recrutamento e carreira  sucessão  Comitê de Governança e Nomeação:  modelo de governança  avaliação do CA e Presidente Executivo  Comitê de Riscos:  Política de Endividamento  controle de riscos  controles internos  Comitê de Sustentabilidade:  definir e propor a nova Missão e Visão de sustentabilidade 5
  6. 6. Mercado de Capitais Estrutura Societária  Principais Grupos de Acionistas em set/09: Grupo Ligna e Família 40% Grupo Itaúsa e Famílias 20% DTEX3 Investidores Estrangeiros 2% Fundos de Pensão 17% 21% Outros Investidores Locais Total de ações emitidas: 458.362.776 (1) (1) Ações em tesouraria: 463.200 6
  7. 7. Mercado de Capitais Receptividade Positiva pelo Mercado DTEX3 14,00 16.000.000 14.000.000 12,00 12.000.000 Cotação 10,00 10.000.000 Volume de ações 8,00 8.000.000 6,00 6.000.000 4,00 4.000.000 2,00 2.000.000 - - 19-jun 13-jul 3-ago 24-ago 15-set 6-out 28-out IBOVESPA 80.000 75.000 70.000 65.000 Valorização Comparativa 60.000 19.06.2009 06.11.2009 Var % 55.000 50.000 Duratex * 3.033,4 5.824,5 92% 45.000 * Valor de Mercado em R$M 40.000 35.000 Ibovespa 51.373,8 64.466,1 25% 30.000 19-jun 13-jul 3-ago 24-ago 15-set 6-out 28-out 77
  8. 8. Mercado de Capitais Gestão Orientada para a Sustentabilidade 2009  Adesão ao Novo Mercado te ns tan  IPO 2008  Só ações ON o Co  Novo Mercado 1 ação = 1 voto m ent  Inclusão das ações  Tag Along 100% o ra 2007 no ISE da Bovespa  Política de Dividendos de A prim  Adesão ao Manual  Comitê de Negociação Abrasca 30% do Lucro  Lock-up de 5 anos para os 2006  Código de Ética e  Regimento Interno Controladores XConduta do Conselho de  Free-float mínimo 40%  Oferta Primária e  Adesão ao Chicago Administração.  Conselho de Administração: 2005 Secundária de ações XClimate Exchange  Política de 3 membros independentes  Bonificações de ações  Membro fundador do Recepção e  Criação de Novos Comitês  Adesão ao Nível I em 100% XGreen Building Council Tratamento de 2004 da Bovespa XBrazil Denúncias;  Política dePunição  Política de Dividendos e Combate a Atos de 30% do Lucro Ilícitos;  Tag Along de 80%  Política de Governança Corporativa  Política de = Criação de Valor Fornecimento de Bens e Serviços 8
  9. 9. Divisão Deca Força da Marca e Diversidade de Produtos  Marca:  Design:  Escala de produção: • 7,2 milhões peças/ano de louças em 05 unidades: 02 SP, 01 RS, 01 PE e 01 RJ • 15,8 milhões peças/ano de metais sanitários em 02 unidades (SP) • 48 linhas de produtos voltados aos segmentos luxo, médio e popular  Cobertura nacional de vendas  Extensa rede de assistência pós-venda: • 246 pontos de assistência técnica 9
  10. 10. Divisão Deca Força da Marca e Diversidade de Produtos – Segmento Luxo 10
  11. 11. Divisão Deca Força da Marca e Diversidade de Produtos – Segmento Médio/Competitivo 11
  12. 12. Divisão Deca Localização Geográfica Cabo de Santo Agostinho - PE Buenos Aires Queimados - RJ Jundiaí - SP São Paulo - SP Metais São Leopoldo - RS Louças 12
  13. 13. Divisão Deca Escala de Produção  7ª Maior Fabricante de Louças Sanitárias do Mundo 29,5 28,0 13,0 12,0 10,0 7,6 7,2 7,0 6,2 (Capacidade em milhões de peças / ano) 5,1 Fonte: estimativa Duratex  Segmento de Metais Sanitários entre os 10 maiores do Mundo 13
  14. 14. Divisão Deca Capacidade Instalada e Grau de Ocupação 3T09 Metais 94% 6 ,0 % 15.800 mil 15.800 mil (1) Sanitários peças/ano peças/ano Louças 7.200 mil 7.200 mil (2) 89% 1 1 ,0 % Sanitárias peças/ano peças/ano (1) Capacidade em fase de expansão para 18 milhões de peças anuais. Conclusão em 2010 (2) Considerada a unidade de Queimados, RJ, com capacidade de 70 mil peças/mês que se encontra desativada 14
  15. 15. Divisão Madeira Localização Geográfica Uberaba Botucatu Agudos MDF Itapetininga MDP HardBoard / Chapa de Fibra Taquari Florestas 15
  16. 16. Divisão Madeira Escala de Produção  8ª Maior Empresa de Painéis do Mundo 12.500 10.110 6.550 5.550 * 5.450 5.400 * 5.050 + 3.910 3.700 (Capacidade em ‘000 m³/ano) 3.300 Fonte: estimativa Duratex * Capacidade predominante: painéis OSB 16
  17. 17. Divisão Madeira Complementaridade de Produtos 3,9 milhões de m3/ano MDF 1.450 350 1.800 MDP 500 1.400 1.900 Chapa de Fibra 210 (capacidade em ‘000 m3 anuais) 17
  18. 18. Divisão Madeira Complementaridade de Produtos ( Capacidade em ‘000 m³/ano) 1.800 1.900 210 3.910 Total da Indústria 4.130 4.760 410 9.300 MDF MDP Chapa de Fibra Fonte: estimativa Duratex 18
  19. 19. Divisão Madeira Capacidade Instalada e Grau de Ocupação 3T09 Chapa de Fibra 95% 5 ,0 % 210.000 m3/ano 210.000 m3/ano (1) MDP 54% 1.900.000 m³/ano 1.900.000 m³/ano (2) MDF 44% 1.800.000 m³/ano 1.800.000 m³/ano (2) (1) Desativada a unidade de Chapas Jundiaí com capacidade de 150.000 m³/ano. Capacidade anterior: 360.000 m³/ano. (2) MDP/MDF: utilização sobre capacidade nominal, desconsideradas as limitações técnicas do ramp-up. 19
  20. 20. Divisão Madeira Auto-suficiência em Madeira  209 mil hectares de terras com florestas plantadas • 324 fazendas nas regiões de SP, MG e RS • 19% florestas com Pinus. 100% Eucalipto em 2014  250 milhões de árvores plantadas • Carbon free • 16.300 hectares de área plantada / ano MG • 52 árvores plantadas por minuto SP  5.100.000 m3 de produção anual de madeira RS • Corte entre 6 e 7 anos • Baixa distância entre florestas e fábricas • Aumento da produtividade • Conservação de florestas nativas • Florestas certificadas (FSC e ISO14.001) 1960  2010 20
  21. 21. Divisão Madeira Operação Sustentável TORRE DE FLUXO  Projeto de pesquisa • participação de 10 empresas nacionais  Coordenação • CIRAD (Centro Francês de Pesquisa Agrícola) • IPEF (Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais) da ESALQ • NCSU (North Caroline State University)  Objetivos: estudar o balanço de carbono, de água e nutrientes ao longo de um ciclo de uma floresta de eucalipto 21
  22. 22. Associação Duratex e Satipel  Criados Comitês de Integração para definir e conduzir os principais aspectos relativos à integração: Comitê de Integração GT1 – Assuntos Florestais GT8 - Instalações GT2 – Comercial GT9 - Jurídico GT3 – Controladoria GT10 – Logística GT4 – Finanças GT11 – Marketing / Comunicação GT5 – Previdência Privada GT12 - Suprimentos GT6 – Gente e Gestão GT13 - Tecnologia GT7 – Industrial Madeira GT14 - Societário 22
  23. 23. Associação Ganhos de escala Força das marcas e diversidade de Complementaridade produtos  Geração de Valor das operações  Operação Sustentável Auto-suficiência em Diversificação madeira geográfica 23
  24. 24. Associação Sinergias da Associação Sobreposição 18% Melhores Práticas R$ 95,8M/ano 60% Ganhos de Escala 22% Captura das Sinergias 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 94% 97% 82% 90% 100% 70% 93% 87% 60% 78% 67% Total das Sinergias 19% 55% Demais Sinergias Sinergias Florestais 11% 33% 1% 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 24
  25. 25. Associação Provisões de Caráter Extraordinário Caixa já incorrido 27,1% Não caixa 31,1% Caixa contingente 41,8% 25
  26. 26. Destaques Desempenho Financeiro Recorrente Pro Forma Rec.Líq.(R$ milhão) & Marg. Bruta (%) EBITDA (R$ milhão) & Margem (%) 40,3% 38,6% 29,6% 30,9% 36,8% 26,9% 25,6% 26,7% 36,5% 34,4% 8% 653,8 635,4 +13, 515,0 529,9 579,4 193,8 196,2 138,4 135,8 154,6 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 Lucro Líquido (R$ milhão) PL (R$ milhão) & ROE (%) 19,9% 15,2% 11,3% 9,4% 11,8% 9% +25, 2.226,0 2.252,6 2.286,0 2.320,3 2.314,7 109,0 85,1 64,0 68,1 54,1 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 26
  27. 27. Destaques Origem da Receita Distribuição geográfica das vendas 2009 Mercado Interno 93,3% Mercado Externo 6,7% Receita líquida consolidada 2009 Chapa de Fibra MDP 10,2% 26,2% Louças Sanitárias 14,4% R$ 1.624,3 M MDF/HDF/SDF/ Piso Laminado Metais Sanitários 18,8% 29,2% Componentes 1,2% 27
  28. 28. Destaques Receita Líquida no Mercado Interno 3T09 Por região geográfica 10,8% 4,7% 84,5% Segmentação das vendas Outros Indústria 2,4% Atacadista Moveleira 9,0% 67,4% Outros 6,4% Revenda Home Center 56,0% Madeira 14,1% 65,6% 34,4% Revenda 22,9% Construção Civil 18,5% Construção Civil 3,3% 28
  29. 29. Destaques Desempenho Financeiro Recorrente Expedições (em ‘000 m3) % + 14,7 549,8 519,4 533,2 464,8 416,9 ,0 % +28 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 Receita Líquida (R$ milhão) & Margem Bruta (%) EBITDA (R$ milhão) & Margem (%) 39,5% 37,5% 36,5% 32,8% 35,1% 30,8% 462,1 447,8 30,3% (1) 28,8% 26,3% 26,5% 350,4 355,4 380,0 146,8 142,2 100,8 93,6 100,6 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 (1) Depreciação, ramp-up das novas unidades e preço 29
  30. 30. Destaques Desempenho Financeiro Recorrente Expedições (em ‘000 peças) +11,2% 6.500,0 6.450,0 6.400,0 6.350,0 6.300,0 6.250,0 6.200,0 6.150,0 6.100,0 6.050,0 6.000,0 5.950,0 5.310 5.900,0 5.850,0 5.800,0 5.750,0 5.700,0 5.650,0 4.928 4.682 4.775 5.600,0 5.550,0 5.500,0 5.450,0 5.400,0 5.350,0 5.300,0 5.250,0 5.200,0 5.150,0 5.100,0 5.050,0 5.000,0 4.950,0 4.239 4.900,0 4.850,0 4.800,0 4.750,0 4.700,0 4.650,0 4.600,0 4.550,0 4.500,0 4.450,0 4.400,0 4.350,0 4.300,0 4.250,0 4.200,0 4.150,0 4.100,0 4.050,0 4.000,0 3.950,0 3.900,0 3.850,0 3.800,0 3.750,0 3.700,0 3.650,0 3.600,0 3.550,0 3.500,0 3.450,0 3.400,0 3.350,0 3.300,0 3.250,0 3.200,0 3.150,0 3.100,0 3.050,0 3.000,0 2.950,0 2.900,0 2.850,0 2.800,0 % 2.750,0 2.700,0 2.650,0 2.600,0 3 2.550,0 25, 2.500,0 2.450,0 2.400,0 2.350,0 2.300,0 2.250,0 2.200,0 2.150,0 2.100,0 2.050,0 2.000,0 1.950,0 1.900,0 1.850,0 1.800,0 1.750,0 1.700,0 1.650,0 1.600,0 1.550,0 1.500,0 1.450,0 1.400,0 1.350,0 1.300,0 1.250,0 1.200,0 1.150,0 1.100,0 1.050,0 1.000,0 950,0 900,0 850,0 800,0 750,0 700,0 650,0 600,0 550,0 500,0 450,0 400,0 350,0 300,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0 0,0 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 Receita Líquida (R$ milhão) & Margem Bruta (%) EBITDA (R$ milhão) & Margem (%) 42,2% 41,3% 42,4% 39,4% 26,9% 26,3% 27,1% 37,5% 199,4 191,7 24,2% 187,7 22,9% 174,5 164,5 51,6 54,0 3 % 49,4 14, 37,6 42,2 9 % 27, 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 30
  31. 31. Destaques Estrutura Financeira Equilibrada Pro Forma (1) (1) jun/09 e set/09: EBITDA dos últimos doze meses, recorrente 31
  32. 32. Cenário Favorável Melhora de Indicadores Taxa de Juros (% aa) Confiança do Consumidor (base 100) out/09 16,5 113,6 100,0 8,75 5 4 9 05 4 7 9 8 06 06 06 03 08 7 08 6 7 8 9 -0 -0 06 07 08 09 -0 l -0 t-0 r-0 t-0 9 5 6 7 8 9 t-0 -0 -0 -0 -0 o- t/0 n- n- t-0 t-0 t-0 t-0 t-0 v- z- z- v- ar ai ai n- n- n- n- ju ou ou ab ai ai ai ai se de de ag no ja ou fe ju m m m se se se se se ja ja ja ja m m m m Fonte: BACEN Fonte: FGV Criação Líquida de Empregos (milhares) Desemprego (%) set/08 set/09 10,9 set/07 283 253 251 set/09 7,7 dez/08 4 5 6 7 8 9 03 04 05 06 07 08 9 /0 /0 /0 /0 /0 /0 -656 t /0 z/ z/ z/ z/ z/ z/ n n n n n n dez/06 dez/07 se ju ju ju ju ju ju de de de de de de -317 -319 Fonte: CAGED Fonte: BACEN 32
  33. 33. Cenário Favorável Melhora de Indicadores Salário mínimo (em R$) Massa Salarial (R$ milhões) 506,50 4 000 00 340.512 348.637 315.507 299.346 3 000 00 268.521 282.442 200,00 2 000 00 ,3% : 5,8% : 12 CAGR AGR 1 000 00 C 0 2004 2005 2006 2007 2008 Jul08 a 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010* Ago09 Fonte: BACEN. *Expectativa Ministério do Planejamento Fonte: IBGE Disponibilidade de Crédito no Mercado Relação Crédito Total x PIB no Brasil Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas Físicas (R$ bi) 45,7% 1.347,4 41,3% 34,2% 936,0 30,8% 28,1% 24,1% 24,5% 2,4% R: 2 ,8% C AG : 11 C AGR dez-07 mar-08 jun-08 set-08 dez-08 mar-09 jun-09 2003 2004 2005 2006 2007 2008 set/09 set-09 Fonte: BACEN Fonte: BACEN 33
  34. 34. Cenário Favorável Potencial de Crescimento da Construção Civil Medidas de Incentivo à Construção – Governo Federal Receita Líquida*das Construtoras Integrantes do IMOB ** % Aumento do limite de financiamento, através do FGTS, x R$ milhões +49,9 16.987 xde R$350 mil para R$500 mil; 15.000 11.330  Desoneração tributária para materiais de construção 10.000 6.672 x(redução do IPI) prorrogado até dezembro/09; 3.239 73,7% AGR: 5.000 C  Disponibilidade de crédito imobiliário; 0 2006 2007 2008 2009 Aumento dos prazos de financiamento; * 2006 a 2008: soma das DFs das respectivas empresas. 2009: consenso Bloomberg  Elevado déficit habitacional: 7,2 milhões de unidades. ** Índice Setorial da Construção – Bovespa que inclui: Agra, BR Malls, Brookfield, CCDI, Cyrela, Gafisa, MRV, PDG, Rossi, Tecnisa e Tenda Média Mensal de Unidades Financiadas (FGTS+SPBE) Média Mensal de Financiamentos (FGTS+SBPE) 60.000 4.000 3.920 57.716 R$ milhões 3.383 ,9% ,3% % 5,9 55.000 :9 : 42 CA GR 8% 3.000 CA GR +1 8, 50.000 48.593 2.111 45.000 43.471 43.789 +1 2.000 1.360 40.000 1.000 Fonte: CEF e ABECIP 2006 2007 2008 2009 Fonte: CEF e ABECIP 2006 2007 2008 2009 34
  35. 35. Cenário Favorável Consumo Total de Painéis no Brasil (em ‘000 m3) 2.545,1 2.561,7 2.179,7 MDP 2.157,9 2.097,9 +21,1% % % 4 ,4 +11,5 C AGR: 626,8 517,7 562,3 (Fontes: ABIPA) 2004 2005 2006 2007 2008 1T09 2T09 3T09 2.146,8 MDF 1.826,7 2.032,5 +30,8% 1.372,5 1.394,4 % % +13,7 R : 11,8 CAG 544,4 618,9 473,1 (Fontes: ABIPA) 2004 2005 2006 2007 2008 1T09 2T09 3T09 35
  36. 36. Momento Duratex  Cenário favorável  Liderança em seus segmentos de atuação  Fábricas novas  bem localizadas  com capacidade disponível  Governança corporativa 36
  37. 37. APIMEC - 23º ano consecutivo 37
  38. 38. Disclaimer A informação aqui contida foi preparada pela Duratex S.A. e não constitui material de oferta para a subscrição ou compra de valores mobiliários da empresa. Este material contém informações gerais sobre a empresa e mercados em que se encontra inserida. Nenhuma representação ou garantia, de forma expressa ou inclusa, é feita acerca, e nenhuma confiança deve ser depositada, na exatidão, justificação ou totalidade das informações apresentadas. A empresa não pode dar qualquer certeza quanto a realização das expectativas apresentadas. 11 de novembro de 2009 38
  39. 39. Anexo Eventos não Recorrentes 1T08 2T08 3T08 Jan-Set08 1T09 2T09 3T09 Jan-Set09 EBITDA Reportado 166.519 205.320 206.806 578.645 128.294 126.894 57.899 313.087 ITENS NÃO RECORRENTES 252 17.467 13.012 30.731 (10.080) (8.910) (96.716) (115.706) (1) Incidentes no CPV . - (1.570) - (1.570) (10.135) (6.943) (4.689) (21.767) . Recuperação de Impostos (Cofins) - 23.984 - 23.984 - - - - . Despesas processo de aquisição IS e CMC - (3.471) (1.872) (5.343) - - - - . Despesas com Implantação SAP - (1.437) - (1.437) - - - - . Venda de imóvel rural - - 24.029 24.029 - - - - . Fornecimento futuro energia - - (6.789) (6.789) - - - - . Desativação Jundiaí - - - - (1.367) - (1.367) . Despesas e Provisões decorrentes da associação - - - - (92.027) (92.027) . Outros ajustes 252 (39) (2.356) (2.143) 55 (600) - (545) EBITDA RECORRENTE 166.267 187.853 193.794 547.914 138.374 135.804 154.615 428.793 0 0 LUCRO LÍQUIDO Reportado 91.583 100.025 118.577 310.185 53.326 47.780 614 101.720 EFEITO NO LUCRO dos eventos não recorrentes 0 10.471 9.583 20.054 (10.664) (6.354) (67.465) (84.483) LUCRO LÌQUIDO RECORRENTE 91.583 89.554 108.994 290.131 63.990 54.134 68.079 186.203 (1) Incidentes no CPV: desativação da unidade de chapa de fibra em Jundiaí, MDP em Taquari e start-up do MDF em Uberaba 39
  40. 40. APRESENTAÇÃO CORPORATIVA novembro / 2009 40

×