SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
A sociedade em Roma
A sociedade romana
A sociedade romana baseava-se numa organização
social desigual, assim como muitas sociedades de
civilizações antigas.
Era uma sociedade quase fixa, pois não possuía quase
mobilidade social. Só ao longo de muitos anos é que
algumas classes conquistaram direitos sociais, como
o caso dos plebeus que através da sua organização e
luta foram conquistando direitos políticos.
Existia muitos conflitos, revoltas e muita tensão entre
as classes sociais.
Pirâmide social romana
Ordem Senatorial/Patrícios
Pertenciam ao topo da pirâmide juntamente com
as suas famílias, eram nomeados pelo imperador.
Descendentes das primeiras famílias que
povoaram Roma, estes possuíam uma fortuna
superior a 1 milhão de sestércios, era uma classe
muito rica, influente e privilegiada, tinham
grandes     propriedades     rurais   (latifúndios)
cultivadas pelo escravos, tinham direito a exercer
as mais altas funções: membro do senado,
magistrado ou governador das províncias.
Ordem Equestre ou Cavaleiros
O Homens com uma fortuna superior a 400
  mil sestércios e com prestígio social.
O Nomeados para cargos administrativos
  importantes
O Eram obrigados a prestar serviço militar a
  cavalo.
A Plebe ou Clientes
Grupo constituído pelos rendeiros, artesãos e pequenos
proprietários agrícolas, a maioria dos cidadãos não
privilegiados, mas também existiam plebeus ricos como os
comerciantes, armadores e empreiteiros.
Os plebeus mais pobres viviam na dependência das
famílias ricas, outros eram alimentados pelo estado para
evitar revoltas fazendo também a distribuição de trigo
gratuita.
Realizavam espectáculos quase todos os dias com
corridas de cavalos e gladiadores para manterem o povo
tranquilo e satisfeito era uma maneira de governar em paz
social, era chamado “pão e circo”.
Formavam a maioria da sociedade romana.
Os Escravos
A sociedade romana dependia do trabalho escravo, estes eram
provenientes   de   províncias   conquistadas,   trabalhavam   na
agricultura, nas minas e no serviço doméstico.
Outros eram selecionados e treinados para gladiadores, lutando
em espetáculos por vezes até à morte.
Por fim, outros eram valorizados como gregos cultos, tornando-
se secretários particulares dos seus patrões, ou acompanhantes
de crianças ricas chamados os “escravos pedagogos”.
Os Libertos
O Eram   ex-escravos que conseguiam a
  liberdade por testamento dos donos, por
  abandono ou até mesmo pela compra da
  própria liberdade.
O Depois      de     “libertos” geralmente
  continuavam a trabalhar para o seu ex-
  dono.
Bibliografia
       http://antigaroma.webs.com/asociedade.htm
            http://pt.wikipedia.org/wiki/Plebe
www.suapesquisa.com/imperioromano/sociedade_romana.htm


              Trabalho realizado por:
            Laura Filipa Serol Fitas, nº 10
                  Ano/Turma 7º C
               Disciplina de História

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sociedade romana cópiablogue
Sociedade romana   cópiablogueSociedade romana   cópiablogue
Sociedade romana cópiablogue
Teresa Maia
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
Escoladocs
 
Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3
cattonia
 
Roma apresentação 1
Roma apresentação 1Roma apresentação 1
Roma apresentação 1
Vítor Santos
 
Civilização romana
Civilização romanaCivilização romana
Civilização romana
bamp
 
Romanização blogue
Romanização blogueRomanização blogue
Romanização blogue
Vítor Santos
 
A reestruturação das instituições no período imperial
A reestruturação das instituições no período imperialA reestruturação das instituições no período imperial
A reestruturação das instituições no período imperial
Susana Simões
 

Mais procurados (20)

Queda do império
Queda do impérioQueda do império
Queda do império
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Sociedade romana cópiablogue
Sociedade romana   cópiablogueSociedade romana   cópiablogue
Sociedade romana cópiablogue
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
Os romanos
Os romanosOs romanos
Os romanos
 
Romanização em portugal
Romanização em portugal Romanização em portugal
Romanização em portugal
 
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudançaEspaço civilizacional greco latino a beira da mudança
Espaço civilizacional greco latino a beira da mudança
 
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial  módulo II- 10º ANOPaís rural e senhorial  módulo II- 10º ANO
País rural e senhorial módulo II- 10º ANO
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3Modelo romano parte 3
Modelo romano parte 3
 
1. Roma, a cidade que se fez império
1. Roma, a cidade que se fez império1. Roma, a cidade que se fez império
1. Roma, a cidade que se fez império
 
Roma apresentação 1
Roma apresentação 1Roma apresentação 1
Roma apresentação 1
 
Romanização da Península Ibérica
Romanização da Península IbéricaRomanização da Península Ibérica
Romanização da Península Ibérica
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
 
Civilização romana
Civilização romanaCivilização romana
Civilização romana
 
Romanização blogue
Romanização blogueRomanização blogue
Romanização blogue
 
A reestruturação das instituições no período imperial
A reestruturação das instituições no período imperialA reestruturação das instituições no período imperial
A reestruturação das instituições no período imperial
 
A economia na Roma antiga
A economia na Roma antigaA economia na Roma antiga
A economia na Roma antiga
 
Romanos
RomanosRomanos
Romanos
 

Semelhante a A sociedade em roma (20)

Escravidão em Roma.pdf
Escravidão em Roma.pdfEscravidão em Roma.pdf
Escravidão em Roma.pdf
 
Escravidão na Roma Antiga
Escravidão na Roma AntigaEscravidão na Roma Antiga
Escravidão na Roma Antiga
 
Escravidão em roma
Escravidão em romaEscravidão em roma
Escravidão em roma
 
1 a civilizacao-romana
1 a civilizacao-romana1 a civilizacao-romana
1 a civilizacao-romana
 
ROMA ANTIGA
ROMA ANTIGAROMA ANTIGA
ROMA ANTIGA
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
Sociedade Colonial Brasileira
Sociedade Colonial BrasileiraSociedade Colonial Brasileira
Sociedade Colonial Brasileira
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
História de roma oficial
História de roma oficialHistória de roma oficial
História de roma oficial
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
Antiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7anoAntiguidade clássica roma 7ano
Antiguidade clássica roma 7ano
 
Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
Roma sociedade e poder
Roma sociedade  e poderRoma sociedade  e poder
Roma sociedade e poder
 
A minha roma antiga
A minha  roma antigaA minha  roma antiga
A minha roma antiga
 
Classes sociais 19
Classes sociais 19Classes sociais 19
Classes sociais 19
 
Roma
RomaRoma
Roma
 

Mais de ceufaias

82095 transformacoes do_apos_guerra
82095 transformacoes do_apos_guerra82095 transformacoes do_apos_guerra
82095 transformacoes do_apos_guerra
ceufaias
 
Mário de sá carneiro trabalho de hist
Mário de sá carneiro trabalho de histMário de sá carneiro trabalho de hist
Mário de sá carneiro trabalho de hist
ceufaias
 
Trabalho revolução francesa
Trabalho  revolução francesaTrabalho  revolução francesa
Trabalho revolução francesa
ceufaias
 
Trabalho sobre as Civilizações Rodrigo Coelho
Trabalho sobre as Civilizações  Rodrigo CoelhoTrabalho sobre as Civilizações  Rodrigo Coelho
Trabalho sobre as Civilizações Rodrigo Coelho
ceufaias
 

Mais de ceufaias (20)

D. Duarte
D. DuarteD. Duarte
D. Duarte
 
82095 transformacoes do_apos_guerra
82095 transformacoes do_apos_guerra82095 transformacoes do_apos_guerra
82095 transformacoes do_apos_guerra
 
Os loucos anos 20
Os loucos anos 20Os loucos anos 20
Os loucos anos 20
 
Mário de sá carneiro trabalho de hist
Mário de sá carneiro trabalho de histMário de sá carneiro trabalho de hist
Mário de sá carneiro trabalho de hist
 
Henri matisse
Henri matisseHenri matisse
Henri matisse
 
Marie curie
Marie curieMarie curie
Marie curie
 
Henri matisse, matilde 2
Henri matisse, matilde 2Henri matisse, matilde 2
Henri matisse, matilde 2
 
O mundo saído da guerra
O mundo saído da guerraO mundo saído da guerra
O mundo saído da guerra
 
O mundo após a guerra
O mundo após a guerraO mundo após a guerra
O mundo após a guerra
 
Trabalho revolução francesa
Trabalho  revolução francesaTrabalho  revolução francesa
Trabalho revolução francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
António Gaudí
António Gaudí  António Gaudí
António Gaudí
 
Powerpoint Santa Rita Pintor
Powerpoint Santa Rita PintorPowerpoint Santa Rita Pintor
Powerpoint Santa Rita Pintor
 
2° guerra mundial
2° guerra mundial2° guerra mundial
2° guerra mundial
 
2ª guerra mundial
2ª guerra mundial2ª guerra mundial
2ª guerra mundial
 
Alunos finalistas
Alunos finalistasAlunos finalistas
Alunos finalistas
 
Festa do futebol artur e rachel
Festa do futebol   artur e rachelFesta do futebol   artur e rachel
Festa do futebol artur e rachel
 
Trabalho sobre as Civilizações Rodrigo Coelho
Trabalho sobre as Civilizações  Rodrigo CoelhoTrabalho sobre as Civilizações  Rodrigo Coelho
Trabalho sobre as Civilizações Rodrigo Coelho
 
Renascimento e a nova mentalidade
Renascimento e a nova mentalidadeRenascimento e a nova mentalidade
Renascimento e a nova mentalidade
 
Descoberta do Brasil
Descoberta do BrasilDescoberta do Brasil
Descoberta do Brasil
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 

A sociedade em roma

  • 2. A sociedade romana A sociedade romana baseava-se numa organização social desigual, assim como muitas sociedades de civilizações antigas. Era uma sociedade quase fixa, pois não possuía quase mobilidade social. Só ao longo de muitos anos é que algumas classes conquistaram direitos sociais, como o caso dos plebeus que através da sua organização e luta foram conquistando direitos políticos. Existia muitos conflitos, revoltas e muita tensão entre as classes sociais.
  • 4. Ordem Senatorial/Patrícios Pertenciam ao topo da pirâmide juntamente com as suas famílias, eram nomeados pelo imperador. Descendentes das primeiras famílias que povoaram Roma, estes possuíam uma fortuna superior a 1 milhão de sestércios, era uma classe muito rica, influente e privilegiada, tinham grandes propriedades rurais (latifúndios) cultivadas pelo escravos, tinham direito a exercer as mais altas funções: membro do senado, magistrado ou governador das províncias.
  • 5. Ordem Equestre ou Cavaleiros O Homens com uma fortuna superior a 400 mil sestércios e com prestígio social. O Nomeados para cargos administrativos importantes O Eram obrigados a prestar serviço militar a cavalo.
  • 6. A Plebe ou Clientes Grupo constituído pelos rendeiros, artesãos e pequenos proprietários agrícolas, a maioria dos cidadãos não privilegiados, mas também existiam plebeus ricos como os comerciantes, armadores e empreiteiros. Os plebeus mais pobres viviam na dependência das famílias ricas, outros eram alimentados pelo estado para evitar revoltas fazendo também a distribuição de trigo gratuita. Realizavam espectáculos quase todos os dias com corridas de cavalos e gladiadores para manterem o povo tranquilo e satisfeito era uma maneira de governar em paz social, era chamado “pão e circo”. Formavam a maioria da sociedade romana.
  • 7. Os Escravos A sociedade romana dependia do trabalho escravo, estes eram provenientes de províncias conquistadas, trabalhavam na agricultura, nas minas e no serviço doméstico. Outros eram selecionados e treinados para gladiadores, lutando em espetáculos por vezes até à morte. Por fim, outros eram valorizados como gregos cultos, tornando- se secretários particulares dos seus patrões, ou acompanhantes de crianças ricas chamados os “escravos pedagogos”.
  • 8. Os Libertos O Eram ex-escravos que conseguiam a liberdade por testamento dos donos, por abandono ou até mesmo pela compra da própria liberdade. O Depois de “libertos” geralmente continuavam a trabalhar para o seu ex- dono.
  • 9. Bibliografia http://antigaroma.webs.com/asociedade.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Plebe www.suapesquisa.com/imperioromano/sociedade_romana.htm Trabalho realizado por: Laura Filipa Serol Fitas, nº 10 Ano/Turma 7º C Disciplina de História